A Irmandade Perdida

A Irmandade Perdida Anne Fortier




Resenhas - A Irmandade Perdida


48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Lanny 14/04/2019

Surpresa agradável
Chegar em uma loja e achar esse livro na promoção por apenas dez reais me fez comprá-lo com aquela sensação de estar sendo compulsiva e gastando dinheiro a toa porque nem conhecia história ou autora para me basear sobre sua qualidade. Ficava olhando para ele na minha estante e pensando que iria me arrepender dessa compra, e se não fosse minha determinação em ler todos os livros acumulados esse ano, esse livro ficaria um bom tempo encontrado esperando um momento mais oportuno para leitura. Ainda bem que não foi o caso.

O início é bem confuso e às vezes até entediante ou exasperante. Como uma pessoa larga o emprego para viajar a outro país com alguém que lhe abordou na rua? Mas aos poucos, quando as duas histórias paralelas se desenvolvem e você compreende onde tudo isso vai dar é empolgante.

Também sou muito fã de livros que enredam em sua trama histórias famosas e dão a ela uma nova visão. No caso aqui, temos a história do sequestro de Helena de Tróia por Páris. Ah, Páris. O único senão para mim nessa história foi o sentimento que Mirina ficou em relação a ele no fim. Uma história tão linda quanto a deles merecia uma consideração melhor da parte dela.

Enfim, vale muito a pena. A não ser que você seja uma daquelas pessoas griladas que não conseguem aceitar divergências entre histórias ?reais? e suas releituras.
comentários(0)comente



Dri F. @viajecomlivros 31/01/2019

Um dos meus livros preferidos da vida!!
Já trouxe aqui a resenha de Julieta, da Anne Fortier (se você não viu, procura aqui que vale a pena) e como amei aquela história, fui procurar mais livros dessa autora que eu não conhecia e encontrei esse aqui. E que encontro feliz foi esse!
Amo descobrir boas histórias em livros não tão novos, afinal livros novos as vezes são mais caros e também confesso uma preguicinha de ler algo só porque está na moda. Prefiro as vezes esperar o boom passar hehe.
A história aqui fala sobre mitologia. Diana Morgan é professora da famosa universidade de Oxford, e obcecado pelas amazonas . Ela recebe uma proposta misteriosa de uma instituição para desvendar as últimas descobertas sobre esse assunto. Diana usa sempre um caderno deixado por sua vó, para decifrar os símbolos em um templo muito antigo, e através disso começam suas descobertas.
A história mistura passado e presente, acompanhamos a história de Diana e de uma grande guerreira do passado, Mirina, simultaneamente.

Sou fã de Anne Fortier, a autora tem uma escrita fluida e mistura fatos históricos com literatura de uma maneira incrível. Embora seja não muito pequeno, a leitura foi muito rápida porque, pelo menos para mim, o assunto foi fascinante.
Me lembra muito os filmes de Indiana Jones, com aventura,mistério, romance. É empolgante, divertido e prende o leitor do começo ao fim! Não sei se essa história foi relançada recentemente, peguei o livro na biblioteca municipal mas acho que não deve ser difícil de encontrar nos sebos por aí.

Conheça meu instagram literário @viajecomlivros

site: Instagram @viajecomlivros
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lays 22/02/2018

Pra quem não gosta de muitos detalhes e flashback, vai um aviso: há muitos. Mas deem uma chance, de verdade.
Diana é uma personagem que achei que iria me estressar, mas pelo contrário, ela ganhou meu coração. É um livro cheio de ação, cheio de suspense, várias vezes fiquei na dúvida de quem realmente falava a verdade. Quando a história vai para o passado, você acaba se envolvendo mais ainda. A cada capítulo, a sede e a ansiedade aumentavam, sempre na expectativa do que viria a seguir. É envolvente.

Vale a leitura.
Leticia MS 18/07/2018minha estante
undefined




Jayy.Cardoso 02/02/2018

Maçante...
Nossa... Que história arrastada. Seria interessante se não fosse pelo excesso de flashbacks e detalhes.
tatielma 01/06/2018minha estante
Sim, que decepção!!!
Li Julieta e gostei tanto... Achava que não teria como achar um livro dela ruim, esperei tanto até comprar este. A parte do presente é muito chata, personagens rasos, casal com química zero!!!!


Jayy.Cardoso 01/06/2018minha estante
Concordo! Que casal mais insosso.
Eu estava pra ler Julieta. Espero que seja bom como você disse.




Eder Ribeiro 06/11/2017

Dispensável
Uma história massante e arrastada, sem emoção. Foi impossível concentrar na leitura e chegar ao fim foi cansativo.
Jayy.Cardoso 02/02/2018minha estante
Tive a mesma sensação.




Camilla em Mundo Invertido 08/06/2017

Resenha: A irmandade perdida
Mostra o presente de Diana e o passado das amazonas, e como sua vida está ligada as amazonas passadas,por tudo mudar quando um homem aparece e a oferece um trabalho com bastante dinheiro e sobre o assunto que ela mais gosta que é sobre as amazonas já que ela escuta sobre elas desde criança graças a sua avó que está desaparecida, chegando ao local coisas estranhas começam a acontecer e sua vida começa a correr perigo e um amor começa a surgir.
Com uma pegada de mistérios, suspense e história real esse livro é um prato cheio pra pessoas que gostam do assunto e quer se aventurar nesse mundo que tem fictício e real nele, mas ele é muito parado pra mim, eu gosto muito da autora e da história mas é devagar, já alertando quem for se aventurar!
comentários(0)comente



GeL 11/05/2017

Resenha postada no blog Garotas entre Livros
"Está tudo lá - dissera ela, como se estivesse respondendo a uma pergunta minha.
- Debaixo da superfície. Basta encontrar."

What a breath of fresh air! Sim, meus queridos, a empolgação foi tanta com esse livro, que não encontrei palavras em português. Essa foi mais um dos nossas leituras conjuntas, na qual eu demorei a embarcar, e quase fiz a Mi vir lá de JF pra Sampa pra puxar minha orelha pessoalmente e me fazer largar a releitura.

Confesso que 2016, para mim, foi muito fail na questão de leituras, tanto que reli muitos livros, mas A Irmandade Perdida foi o último livro do ano que se passou e, meu Deus, não poderia ter terminado o ano melhor.

Mas vamos ao que interessa!


Esta é a história de Diana Morgan, uma acadêmica de Oxford cujas pesquisas, em sua maior parte, são relacionadas às Amazonas. Ela acredita, com todas as suas forças, que as Amazonas existiram, e não são apenas um mito.

Dividida entre o presente e suas memórias, a parte de Diana conta como ela é lançada em uma busca pelo tesouro das Amazonas, que remete a Guerra de Troia. A moça é convencida a entrar nessa aventura porque, ao que tudo indica, foram encontradas provas de que as Amazonas existiram. Além disso, Diana pode fazer parte dessa linhagem de mulheres guerreiras e tudo isso tem a ver com uma herança que sua avó deixou.

Durante essa aventura, somos guiados por dois pontos de vista, o de Diana no presente e algumas memórias de sua avó, e o de Mirina, uma mulher guerreira que, devido a diversos acontecimentos, entra para uma irmandade feminina: as lendárias Amazonas.


"Eu sou uma amazona, matadora de animais e de homens [...].
A liberdade corre em minhas veias; corda nenhuma pode me prender.
Eu nada temo; é o medo que foge de mim.
Ando sempre para a frente, pois esse é o único caminho.
Quem tentar me impedir sentirá minha fúria."


Guiados por esses dois pontos de vistas, somos lançados em uma busca implacável pela verdade, e fazemos uma viagem pela história de Tróia, de um jeito nem um pouco convencional.

E é quando os dois pontos de vista convergem, que tudo fica tenso e louco e você não consegue parar de ler. Juro que tive Indiana Jones feelings durante a leitura.

"E tem razão, é mesmo uma loucura.
Mas às vezes a loucura é o único caminho para avançar."

Quando Diana se vê diante da descoberta da sua vida, ela percebe que tudo que ela acreditou ser verdade até então, é muito mais complexo e está completamente ligado à sua existência.

"E nós somos sobreviventes, não somos?"

Este é um livro que eu recomendo com muito gosto! Bem escrito, cheio de ótimos personagens, e com muita história. Fãs de mitologia, Indiana Jones... vocês vão amar. Mas atenção: Leiam de mente aberta!

"Lembre-se: a coragem não tem idade."

"Não desista nunca. No final, o bem sempre vence o mal."

site: http://livrosentregarotas.blogspot.com.br/2017/01/resenha-178-irmandade-perdida.html
comentários(0)comente



Românticas 08/05/2017

Resenha do Blog Mulheres Românticas
Já posso dizer que amei esse livro?

Amo livros que entrelaçam pesquisa histórica, mitologia e personagens na atualidade, é a receita perfeita pra prender minha atenção. Outra coisa que eu curti muito foi encontrar um mapa no início do livro. Foi como se a autora estivesse dizendo "Se prepare! Vai ter aventura!".

A história é contada em linhas do tempo paralelas, entre as duas protagonistas femininas, Mirina e Diana. O mais legal é que a autora consegue administrar muito bem as duas e entrelaçar perfeitamente os acontecimentos, apesar do distanciamento histórico entre elas.

Para ler o restante da resenha, visite o Blog Mulheres Românticas.

site: http://www.mulheresromanticas.com.br/2017/03/anne-fortier-irmandade-perdida-editora.html
comentários(0)comente



Carissinha 29/04/2017

Sou uma fã da Anne Fortier desde que li Julieta. E ao terminar A Irmandade Perdida só fiquei mais apaixonada pelo trabalho da autora, que mesmo tendo uma fórmula para seus livros, consegue encantar o leitor e prendê-lo durante inúmeras páginas.

Em The Lost Sisterhood (A Irmandade Perdida), conhecemos Diana Morgan, uma professora da Universidade de Oxford e que tem uma fascinação pela lenda das Amazonas, já que sua avó, antes de desaparecer, costumava dizer que era uma. Sua obsessão pelo tema costuma ser motivo de piada no meio acadêmico, mas um dia ela acaba recebendo uma proposta para uma pesquisa e que parece ter tudo a ver com seu estudo pessoa.

Como o primeiro livro da Fortier, esse mescla duas histórias que aos poucos vão se conectando. O leitor vai a cada página querendo entender melhor as histórias do passado e do presente e como elas vão se relacionar de fato.

A narrativa é frenética e prende ao leitor, ao mesmo tempo que é cheia de informações históricas (mesmo que existam diversos fatos alterados). Diversas cidades são cenários para na trama da Anne Fortier e maneira como ela retrata cada lugar instiga o leitor a tentar entender o ambiente.

Um dos pontos importantes é como o livro tem um ótimo protagonismo feminino, tão necessário na literatura. São mulheres complexas, fortes, com diversas dualidades. Simplesmente humanas e bem representadas.

Se você ainda não teve a oportunidade de ler nada da autora, pode ler The Lost Sisterhood porque vale a pena.

site: www.carissavieira.com.br
comentários(0)comente



Nanda 24/03/2017

Eu sou amazona
"Eu sou uma amazona, matadora de animais e de homens. A liberdade corre em minhas veias; corda nenhuma pode me prender. Eu nada temo; é o medo que foge de mim. Ando sempre para a frente, pois esse é o único caminho. Quem tentar me impedir sentirá minha fúria."
-

Diana Morgan é uma professora da Universidade de Oxford, especialista na mitologia grega, especialmente nas histórias sobre Amazonas. Em um dia, ela recebe uma oportunidade inegável de uma fundação bastante misteriosa para viajar até o norte da África.

Lá, Diana conhece Nick Barrán, um homem misterioso que tem como finalidade levá-la para um templo que pode ajudá-la a provar que as Amazonas realmente existiram. No templo, ela encontra uma escrita estranha na qual só ela pode decifrar, através de um caderno deixado pela sua avó que se dizia ser amazona.

Mirina foi uma grande amazona, que vivia na Idade do Bronze, em sua jornada a procura de suas irmãs que foram sequestradas, ela passa por aventuras, provações e grandes amores.

Diana e Nick saem a procura de novas pistas sobre as antigas amazonas e atrás do paradeiro nas novas amazonas. Além de que, ela descobre que sua pulseira de chacal tem a vê com as Amazonas. Nesse meio tempo, pessoas perigosas aparecem atrás do Tesouro das Amazonas.

Temos uma volta ao mundo, personagens fortes, aventuras e muita mitologia grega.

Vemos algumas características já marcantes de Anne Fortier como o mistério que surge em torno de uma "tesouro".
Nesse livro até temos romances, mas o foco são mulheres independentes.
Para quem gosta de mitologia grega assim como eu vai amar. O que me incomodou um pouco foi o romance da Diana e Nick que foi um pouco massante. A história de Mirina é a melhor que tem.

site: https://www.instagram.com/minhadesordemperfeita/
comentários(0)comente



Bruna 16/03/2017

Primeiramente devo confessar que comprei este livro por impulso. Estava barato e a capa me chamou a atenção... Cheguei a abandona-lo e dar uma volta nas americanas até acabar por ler a sinopse.
Mas enfim quando comecei a ler fui gostando da Diana e sua misteriosa avó, e quando a narrativa me transportou para o passado e Mirina e sua irmã Lilli apareceram... Fiquei absolutamente envolvida e apaixona!
Cheio de ação, reviravoltas, tristezas e alegrias A Irmandade Perdida te prende de ansiedade a cada capítulo que intercala passado e presente fazendo você virar as páginas com mais rapidez do que pode ser percebido.
Super Recomendo!
comentários(0)comente



cotonho72 10/03/2017

Muito bom!!
Diana Morgan é filóloga (é o estudioso da filologia, que estuda uma língua em todos os seus aspectos e também dos escritos que a documentaram) e especialista em mitologia grega, também é uma renomada professora da Universidade de Oxford, e tem verdadeiro fascínio pelas guerreiras Amazonas. Toda sua obsessão começou quando sua avó alegou ser uma dessas guerreiras e misteriosamente sumiu sem deixar nenhum sinal, mas que deixara dois preciosos objetos para Diana, um caderno, que era um tipo de dicionário para um idioma desconhecido e um bracelete de chacal, no entanto seus colegas acadêmicos desdenham dela e a consideram uma piada.
Mas certo dia Diana recebe uma oferta intrigante e irrecusável de um homem misterioso chamado John Ludwig, que representava a Fundação Skolsky, uma instituição misteriosa ainda não conhecida por ela, convidando-a para decifrar um código que estava relacionado com as Amazonas e um templo recém-descoberto no norte da África e desconhecido de todos, essa seria a oportunidade de provar que estava certa e que as Amazonas realmente existiram, mas o que ela não esperava é que essa aventura mudaria sua vida para sempre.
Diana viaja para a Argélia, onde conhece Nick Barrán, o representante da misteriosa instituição, um homem enigmático que fará o que for possível para descobrir esses segredos desconhecidos, mas conforme vão se aprofundando nas descobertas correm perigo, pois muitas pessoas estão dispostas a desvendar esses segredos e assim muitas reviravoltas acontecem.
Enquanto acompanhamos Diana em sua busca, voltamos há mais de três mil anos atrás, assim vamos conhecendo paralelamente a história de Mirina, uma jovem caçadora do norte da África, na Idade do Bronze Tardia, que foge com a sua irmã Lilli depois de sua aldeia ser infestada. Em razão da árdua travessia pelo deserto, Lilli contrai um febre forte e fica cega, mas seguindo o conselho da mãe elas acreditam que se chegarem ao templo da Deusa da Lua, Lilli será curada, contudo, nem tudo seria como elas esperavam.
A autora Anne Fortier consegue criar uma trama incrível, onde vamos da Argélia para a Tunísia, de Creta para as ruínas de Troia, e diversos lugares inusitados. Intrigas, romances, mentiras, mistérios e muita mitologia não faltam nessa aventura incrível retratada por mulheres fortes e marcantes, a leitura flui bem e conforme avançamos não queremos parar de ler, livro mais do que recomendado.

site: http://devoradordeletras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Erika 05/03/2017

A irmandade perdida
Este livro prende a atenção pelo suspense... entre históricos e um romance, muita ação.
comentários(0)comente



Michele Bowkunowicz 14/02/2017

Recomendo!
Você gosta de aventura? Uma boa caça ao tesouro? Gosta de história antiga e mitologia? E de histórias no estilo de Dan Brown? Então você vai adorar esse livro. A Irmandade Perdida é uma história divertida e intrigante. A história sobre as míticas amazonas, tanto no mundo antigo como no moderno, fornecem uma premissa emocionante para o livro.

Este livro é a história de Myrina e Lilli, duas irmãs pertencentes às amazonas que adoram a Deusa da Lua, na idade do bronze e Diana Morgan, a filóloga dos dias atuais, em uma busca para encontrar evidências das Amazonas. Para quem não sabe o que é filologia, é o estudo da linguagem em fontes históricas escritas; É uma combinação de crítica literária, história e linguística.

A protagonista da história, Diana Morgan, tem um nome que combina duas das mais famosas figuras míticas femininas da história. Diana, a caçadora solitária da mitologia romana e Morgan, a bruxa inimiga do Rei Artur.

Leia o restante no blog Lost Girly Girl:

site: http://www.lostgirlygirl.com/2017/02/resenha-1162-irmandade-perdida-anne.html
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4