Volta Para Mim

Volta Para Mim Mila Gray




Resenhas - Volta Para Mim


63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Keila 08/02/2016

"SÓ SE VIVE UMA VEZ. MAS, SE VOCÊ FIZER AS ESCOLHAS CERTAS, UMA VEZ BASTA.”

Eu absolutamente amei este livro!!! Ele foi tão comovente e lindo que uma vez que você começa...não vai conseguir parar.

Esse livro já nos pega nas primeiras palavras...o impacto emocional é desde o início. E é o que torna esse livro tão impressionante...porque mesmo sem qualquer ligação com os personagens, sem conhecer as suas histórias e relacionamentos...a autora foi capaz de nos ligar fortemente neles em questão de apenas algumas palavras.

Em seguida, a historia volta três meses...e conhecemos Kit e Jessa...e somos teletransportados ao inicio do relacionamento deles. Desde do primeiro capítulo, este livro fez meu coração disparar. Eu apenas senti tudo numa grande intensidade...esse livro me deixou sem fôlego e amei isso...me perdi na historia...foi uma viagem linda, divertida e cheia de emoções.

Agora, vamos aos personagens principais!

Kit nosso herói - ele é quente, protetor, gentil, amoroso...um jovem fuzileiro naval que se apaixona por uma menina completamente fora dos seus limites...mas que a amava o suficiente para não se importar.

E Jessa foi uma heroína realmente doce, forte que só precisava desabrochar...ela sempre foi uma "boa menina", nunca faltava aula, obedecias as regras, mas aos poucos ela vai saindo da sua casca...amei a forma como Kit a desafia a ir atrás dos seus sonhos.

Ao longo de toda a primeira parte do livro, o amor entre eles é lindo de se ver...mas o tempo de Kit é curto e ele terá que voltar ao trabalho...

Eu amei cada momento de Kit e Jessa juntos. Adorei a maneira como o relacionamento deles é desenvolvido...não tem como não se apaixonar!

Uma vez eu mergulhei na história...não conseguia mais parar de ler.
Eu não posso falar muito sobre o meio e o final porque tudo seria spoiler...mas vou dizer apenas um coisa, vai ser muito emocional, devastador e trágico...esse livro é uma grande montanha-russa, aonde você vai sentir tantas emoções diferentes, que as vezes não será possível distinguir uma do outra. Eu simplesmente amei esse livro, ele foi puro verdadeiro e lindo!

"Volta para Mim" foi um grande livro, com personagens inesquecíveis!
Então, se você está procurando um livro...sexy, divertido, triste, lindo e intenso...tudo isso ao mesmo tempo, então você acertou em cheio!

"– Volte para mim. Promete que vai voltar para mim...
–Sempre."

Não perca mais tempo...leia.
Recomendo!
comentários(0)comente



Kamila 11/03/2016

Volta para Mim começa com nossa protagonista Jessa Kingsley vendo pela janela de sua casa que uma determinada visita chegou. Porém, a visita em questão trazia uma trágica notícia. O irmão (Riley) e o namorado (Kit) de Jessa serviam à Marinha dos EUA. Jessa sabia que, quando essa visita chegava na casa das pessoas, é porque alguém havia morrido. Quem seria: Riley ou Kit?

Pois é, a história começa bem assim. Porém, a autora volta três meses no tempo e nos apresenta Kit Ryan voltando para a Califórnia, depois de nove meses no Sudão. Ele reencontra Jessa na casa dos Kingsley, em virtude da comemoração do retorno de Riley do país africano, mas ele não é bem vindo: o pai de Jessa o odeia. A atração entre Jessa e Kit é palpável e de longa data. Kit e Riley se conhecem desde criança e são os melhores amigos desde então. O tempo passou e eles cresceram. Jessa, que era um patinho feio, ficou muito bonita, atraindo Kit, ao passo que ela sempre foi apaixonada por ele.

Contrariando todas as expectativas - e o pai de Jessa - o casal acaba ficando junto. Kit incentiva Jessa a ir atrás de seus sonhos. Ela os tinha, claro, mas o pai, desde que voltou do Iraque (era da Marinha também), por ter estresse pós-traumático, transformou-se em outra pessoa. Mais agressiva, por qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, surtava e gritava com a família. Sendo assim, o coronel Kingsley a proibiu de estudar Artes Cênicas para fazer outro curso em outra faculdade.

Kit trouxe uma nova chama para a vida de Jessa: a esperança. Eles não podiam sonhar - Kit e Riley voltariam à Marinha em quatro semanas - mas podiam viver cada minuto. Eles curtiram cada minuto que puderam, mesmo sabendo que, quando Kit voltasse, passaria um ano longe dela. Riley também tinha sua história: namorava Jo há três anos, e sempre sofria quando estava longe dela. Apesar de termos dois casais, nós acompanharemos a história de Kit e Jessa, em que viverão algumas situações em que o amor falou mais alto que a realidade.

Estou procurando palavras para descrever essa história. O livro já começa nos indicando que um dos rapazes morreu. Parece até que foi o Nicholas Sparks que escreveu. Mas, não, Mila Gray nos brinda com uma história que mostra como duas pessoas podem se entregar ao amor verdadeiro apesar de tudo parecer soar contra. O livro é narrado em primeira pessoa, cada capítulo intercalando os pontos de vista de Jessa e Kit. Assim, podemos saber o que se passa em suas mentes e seus corações.

Eu recebi esse livro em parceria com a Arqueiro e novamente, a editora acerta em trazer um YA envolvente. Por ser YA, óbvio que terá cenas mais quentes, mas elas são tão bem escritas que não chegam a incomodar, pelo contrário, parece até que estamos vendo uma cena de telenovela. A única coisa ruim que vi nesse quesito é que, como Jessa era virgem (tinha só 18 anos, alías), a autora se preocupou demais com a virgindade dela. Qual homem na face da terra vai ter a paciência que Kit teve? E quando essa parte finalmente aconteceu, foi bem escrita, mas muito descritiva. Eu realmente não precisava saber disso.

Além disso, temos outro problema: porque o coronel Kingsley odeia Kit? O pai de Kit, Ben Ryan, também era militar, mas desde a morte de sua esposa e de superar o vício em álcool, ele se tornou um homem religioso. Nem isso diminuiu o ódio de Kingsley pelos Ryan. Eram amigos, mas uma situação que aconteceu no passado mudou a relação dos patriarcas. Detalhe: na página 108 eu já tinha sacado o que aconteceu, mas fui até o fim pra ter certeza. Me senti Sherlock Holmes HAHAHA

Se recomendo essa leitura? Claro que sim! Apesar de ter torcido para que um deles tivesse morrido, fiquei muito emocionada com o desfecho - e a partir de um certo momento, parei de torcer, porque não queria que um deles morresse. Quando o leitor pensa que está tudo bem, a história toma uma reviravolta incrível. Meus olhos suaram quando finalmente o nome do morto é revelado. Mesmo assim, o livro possui uma mensagem maravilhosa.

Sobre as especificações: trabalho excelente (mais um) da Arqueiro, só encontrei um errinho de revisão no livro todo (!!!) e a fonte e tamanho mais as folhas amareladas contribuíram para uma leitura rápida e fluída. A capa, apesar de ter rostos, é muito bonita, porque eles estão para se beijar. Lembrando que eu não gosto de rostos em capa de livros, mas essa, tenho que aplaudir, porque está maravilhosa!

Sério, apenas leiam e se emocionem com essa história! Aliás, queria agradecer a Mila por ter me dado uma ótima ideia envolvendo minha diva Céline Dion. A cantora é citada em um quote, mas não pude reproduzir aqui por motivos de: spoiler.


site: http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2016/03/resenha-volta-para-mim.html
comentários(0)comente



Saleitura 29/04/2016

A vida é curta.
Uma leitura que de cara traz uma má notícia deixando um suspense no ar durante o decorrer de toda a história. Em Volta para mim a autora Mila Gray nos presenteia com um romance fascinante "sobre amor, amizade e família" trazendo muitas emoções de tirar o fôlego.

Tudo começa com a chegada de um oficial dos Fuzileiros a casa de Jessa Kingsley. O motivo de sua presença só pode ser pela morte de alguém. Quem será? Seu irmão ou seu namorado? Antes de saber quem morreu vamos voltar a três meses antes para conhecer o que se passou .

Jessa é uma jovem de 18 anos que está concluindo o ensino médio em um colégio de freiras , seu pai é militar e muito severo com todos da família. Controla tudo agindo dentro de casa como se estivesse no quartel. Tanto ela como sua mãe e seu irmão , Riley, não o enfrentam e tem que suportar seus ataques violentos. Jessa por mais que tenha seus sonhos, queira viver como a maioria das garotas de sua idade é tolida disso tudo sendo seu pai quem decide o que ela deve fazer. Gostaria de estudar teatro na Universidade da Califórnia, mas o pai decide que vá para a Universidade de San Diego como na sua idade ainda não tinha a habilitação para dirigir.

Kit Ryan tem mais de 21 anos,presta serviço militar no Corpo de Fuzileiros Navais junto com Riley, seu melhor amigo, desde que tinham 14 anos, ou melhor , desde que se conheceram quando a família Kingsley mudou-se para a Califórnia. O pai de Kit é capelão dos fuzileiros e depois da morte da esposa ele enfrentou uma batalha contra a bebida e o luto. Por algum motivo os pais deles não se falam e mesmo assim Kit e Riley continuam amigos inseparáveis.

Kit e Riley estão de folga do serviço militar por quatro semanas. Kit sempre foi visto como um conquistador, mas agora ele está atraído por Jessa com quem trocou "e-mails enquanto estava longe." Voltaram a se ver na festa de aniversário de Jessa e por mais que seu pai estivesse de prontidão eles conseguiram estar juntos e passarem uma noite linda. Começam a namorar mantendo segredo de todos menos de Didi, amiga de Jessa e quem os ajuda para cobrir suas fugas.

Os dois estão apaixonados e Jessa pensa o que faria sem Kit em sua vida incentivando-a a seguir em busca de seus sonhos. Se não fosse ele jamais teria ido fazer o teste para conseguir o papel em uma peça de teatro. Jamais teria aprendido a dirigir.
" Jamais teria descoberto este lado ousado, corajoso, destemido de mim. Jamais teria chegado perto de me sentir tão feliz. Jamais estaria a caminho de uma sessão de orgasmos múltiplos."
Riley passa a maior parte do tempo com sua namorada, Jo, com quem mantém um relacionamento sério tem um tempo. Eles chegam a pensar que Kit está de caso com alguma garota, mas nem desconfiam que seja Jessa. Eles não sabem como Riley reagiria se soubesse do namoro dos dois e preferem manter em segredo. Mas chega um momento que esse segredo fica difícil de ser mantido e tanto Riley como Kit precisam se abrir um com outro.

Enfim as férias terminam e Kit e Riley partem em missão para o Afeganistão e agora o que será que aconteceu? Quem estará de volta para casa?
"Volta para mim. Foi a última coisa que eu lhe disse. Volta para mim. Sempre. Foi a última coisa que ele me disse."
Um final triste pela perda de um ente querido, mas também pelos traumas e cicatrizes que marcam aqueles que retornam do campo de batalha. É preciso de muito amor, determinação e coragem para tentar curar essas feridas e será que Jessa vai conseguir?

Muitos acontecimentos que vão mudar a vida tanto dos pais de Jessa como do pai de Kit. Por que os pais deles se odeiam? O que será que aconteceu no passado? Impossível não se emocionar com o desfecho desta história.
" A vida é curta. Você só tem uma chance. Fala valer a pena."
A autora colocou capítulos alternados entre Jessa e Kit o que permitiu saber o que cada um sentia. A capa é muito bonita e as imagens se identificam com os protagonistas. Uma linda história de amor e de superação que gostei e recomendo.

Resenhado por Irene Moreira
http://www.skoob.com.br/atividades/post/user/5722e41399d9987f168b4887

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2016/04/resenha-volta-para-mim-de-mila-gray.html
comentários(0)comente



Drika 02/03/2016

Mega Fofo
Este livro é um daqueles que você vai lendo e suspirando!

Adorei o casal, principalmente o Kit, ele é o sonho de toda adolescente ao descobrir o primeiro amor.

comentários(0)comente



Angel 11/04/2016

Lindo demais <3'
Sabe aquele livro que só de ler a sinopse você sabe que vai se acabar de chorar? Pois é, quando li essa sinopse já sabia mais ou menos o que viria pela frente, e quando li o prólogo já fiquei tensa e curiosa, pois alguém morreu, o Riley, que é irmão de Jessa ou Kit, que é seu namorado.

Mas a história começa de fato a ser contada alguns meses antes, na festa de aniversário de Jessa que é logo após Riley e Kit retornarem de uma missão.

Já faz um tempo que Jessa é apaixonada por Kit, mas acredita que ele não sente o mesmo, está enganada é claro. Na última vez em que voltou pra casa Kit notou que Jessa não era mais a menina que conheceu, e se sente atraído por ela, mas não sabe o que fazer a respeito, afinal, ela é a irmã mais nova de seu melhor amigo.

Só que dessa vez o Kit não consegue ficar longe, e os dois se aproximam, mesmo que um relacionamento entre os dois seja proibido.
É proibido porque o pai de Jessa que também é militar nutre um ódio inexplicável por Kit, e jamais aceitaria o relacionamento.

"Só se vive uma vez.
Mas, se você fizer as escolhas certas,
uma vez basta.

Um mês era o tempo que eles tinham antes de Kit ir para uma nova missão, então eles tem que aproveitar ao máximo o pouco tempo, e aproveitam bem.
Kit faz muito por Jessa, e é lindo ver como o amor entre os dois nasce e toma proporções grandiosas.

Mas cada dia que passa está mais próximo o dia da partida de Kit e Riley para a nova missão e Jessa teme por eles, principalmente pelo medo de algum deles voltar da missão como seu pai, que tem uma grande instabilidade emocional pelo que viu e viveu em campo.

E ainda tem a questão da reação da família de Jessa quando descobrir seu relacionamento com Kit, e qual será o rela motivo para o pai dela o odiar da forma que odeia?

Volta Para Mim é um livro lindo, que trás uma história de um amor capaz de superar qualquer obstáculo.

Já falei que o amor de Kit e Jessa é lindo né? Faz Jessa amadurecer tanto nesse pouco tempo que ela mal se reconhece, mas é claro que nem tudo são flores, e tem a questão da morte citada lá no início, que acontece para abalar totalmente a vida de todos os personagens (ahh, essas autoras cruéis!).

Não tenho palavras para dizer o quanto amei esse livro e chorei demais com tudo o que aconteceu, senti a dor dos personagens junto com eles.

A narrativa é super fluída, e em primeira pessoa, intercalando os pontos de vista de Jessa e Kit e este é meu estilo preferido de narrativa, pois quando o autor assim como a Mila consegue passar exatamente o que o personagem está sentindo, mesmo que seja dor, é bom demais sentir essa conexão.

Essa é uma leitura mais que recomendada e mal posso esperar para ler mais livros da autora que já foi para minha lista de queridinhas!


site: http://a-libri.blogspot.com.br/2016/04/resenha-volta-para-mim-mila-gray.html
comentários(0)comente



Nanda 08/04/2016

Quando comecei a leitura já sabia que iria me acabar de chorar. Não deu em outra. Construído de forma sutil e intercalando os pontos de vista de Kit e Jessa, Volta Para Mim apresenta o amor na sua forma mais pura.

A narrativa não se concentra somente na pergunta inicial, até porque demora bastante para o leitor descobrir quem morreu. Existe mais do que drama no enredo, pois Jessa está vivendo seu primeiro amor e não poderia ser mais maravilhoso. Além disso, os capítulos divididos ajudam bastante a construir uma história que não seja unilateral.

Eu gostei muito da forma como foram apresentados os personagens, porém senti falta de uma participação maior dos secundários. Boa parte deles estavam lá apenas para preencher linhas, meio que deixando todo o foco no casal protagonista. Um exemplo de personagem que poderia ter sido melhor trabalhado é a mãe de Jessa, poucas cenas com ela foram expressivas e isso só mais para o final do livro. Didi, a melhor amiga de Jessa, também poderia ter tido mais destaque. Seu bom humor deu um tom de leveza na trama, o que poderia ter sido incluída mais vezes.

Eu não consegui largar o livro desde o início. Gostei muito da escrita da autora e todas as cenas são muito bem intercaladas, o que fez com que a leitura fluísse muito bem. Mila conseguiu transmitir os sentimentos dos personagens de uma forma intensa e às vezes eu queria me transportar para as páginas apenas para presenciar o desenrolar mais de perto.

O que mais me chamou atenção na história é que não se trata apenas de amor, mas de perdão e redenção. E isso não só para os protagonistas, nessa parte até o secundários tem sua importância no caminho de se perdoar, pois isso é importante.

Mais ou menos da metade para o final do livro existe uma grande mudança e todos os personagens amadurecem muito. Eu gostei de como isso não soou forçado nem irreal, afinal perder alguém importante muda demais uma pessoa. A narrativa adquiriu um tom um tanto mais sério, mas sem perder os toques de nostalgia.

Muitos podem achar o desfecho como algo batido, mas eu acredito que soou de forma bem realista. É necessário se perdoar e se redimir antes de conseguir seguir em frente. E isso foi o que aconteceu com todos. Volta Para Mim é bem mais do que uma simples história de amor adolescente. Eu me apaixonei desde o início e considero este um livro muito especial. Leitura mais do que recomendada.

site: http://www.entrelinhascasuais.com/2016/03/resenha-volta-para-mim-mila-gray.html
comentários(0)comente



Cath´s 19/04/2016

Resenha Volta Para Mim.
O livro começa com um trecho da parte final, então você inicia a leitura sabendo que um dos dois morre: o namorado de Jessa ou o irmão dela.

Kit e Riley são amigos de infância, sendo que ingressaram no serviço militar juntos. A folga dos dois é na mesma data e é em uma dessas datas que somos apresentados aos personagens. No aniversário de dezoito anos de Jessa, irmã do Riley, eles estão em casa.

Jessa há anos é apaixonada por Kit e desde o ano anterior acha que ele pode ter começado a notá-la. Porém, sabe que seu irmão não encararia bem, por ser protetor, e seu pai porque odeia Kit graças a sua inimizade com o pai deste.

Ocorre que quando Kit a chama, jogando pedrinhas na sua janela, depois da festa de aniversário, Jessa não pensa duas vezes e sai para vê-lo. Só que o pai dela logo depois tranca a porta de casa e Jessa fica presa no jardim com Kit. Assim eles acabam passando a noite juntos e começando o relacionamento.

A dificuldade da relação é que Jessa quer que tudo seja mantido em segredo, pois tem receio do seu pai, que tem ataques sempre que é contrário. Por isso todos da família pisam em ovos quando estão perto dele.

A história se passa até a volta deles ao serviço militar que vem seguida da morte de Kit ou Riley (você vai sentir vontade de espia o final do livro, mas se contenha).

Foi uma boa inovação juntar um romance que pode ser encarado como açucarado com um quê se mistério e um final que traz os traumas personagens a tona. Adorei como a autora desenvolveu a Jessa, ela sai de garota insegura para mulher, depois novamente tem uma recaída, mas consegue retornar a si.

Claro que tem algumas cenas clichês, mas acho que ela conseguiu desenvolver o romance deles de maneira crível, você se pega torcendo pelo casal, ao mesmo tempo em que fica encantada com Riley. No final você não quer que ninguém morra, mas isso se torna importante para o restante dos personagens se desenvolverem.

Vale salientar que existe uma história dentro da história, além de contar sobre Jessa e Kit, se refere ao passado do pai da Jessa.

Outra coisa que adorei foi a capa, normalmente romances tem capas que eu acho bonita, mas que falta um tchã, mas isso não ocorre com esse, não mostrou nada demais em termos físicos, ela focou na cena de romance entre os dois, e isso a tornou encantadora.

site: http://www.some-fantastic-books.com/2016/03/resenha-volta-para-mim-de-mila-gray.html
comentários(0)comente



Dai 03/05/2016

Romântico, intenso, emocionante e cheio de lição de vida e superação
A sensação de terminar uma leitura maravilhosa é revigorante, não é?! Pelo menos para mim, é sim! Coloquei inúmeras expectativas neste livro, e a autora Mila Gray conseguiu superar cada uma delas. A obra me arrebatou com sua trama doce, delicada, sensível, intensa e romântica. Volta para mim me provocou uma miríade de sentimentos, que em alguns momentos me colocavam sorrisos bobos no rosto, prenderam a minha respiração quando algo tenso acontecia, provocaram suspiros apaixonados e também muitas lágrimas nos olhos. Logo nas primeiras páginas temos a premissa de que a história teria momentos dolorosos, quando Jessa acaba de receber uma trágica notícia. Uma das pessoas que mais ama no mundo estava morta, seu irmão ou seu namorado, ambos fuzileiros da marinha. Não, isso não é um spoiler, pois esta situação ocorre logo na segunda página, como se fosse um prólogo, mas a aflição fica por conta do suspense: qual dos dois perdeu sua vida cumprindo com suas obrigações? De início, isso me causou um super impacto, mas foi se dissipando enquanto a história foi ganhando forma, no entanto, quando esse fato chega finalmente, eu já estava envolvida com os personagens e essa perda foi extremamente triste. Por diversas vezes, torci para que o desfecho fosse outro, mas nem sempre a vida segue conforme desejamos, e Mila nos prova isso. Somente o amor é capaz de curar qualquer ferida da alma e do coração. E durante a leitura, fiquei pensando nas famílias, esposas, maridos, filhos, que vêem seus entes queridos saírem para servir ao seu país, e nunca mais voltarem. Contudo, encontraremos ainda muito romance, paixão, descobertas e libertações. Jessa e Kit formam um casal lindo e completamente apaixonante, que nos mostra de maneira simples e pura o verdadeiro significado das palavras: amor, companheirismo e superação.

Os irmãos Jessa e Riley cresceram em uma casa que mais parecia um quartel. Seu pai sempre impôs sua vontade de forma ríspida e severa. Assim como sua mãe, os irmãos evitavam contrariá-lo, pois temiam o seu temperamento explosivo e violento. Não havia agressão física, mas a psicológica era constante. Depois que seu irmão se alistou, Jessa se viu sozinha para enfrentar o caos de sua casa, ela é uma menina amável, que esconde seu verdadeiro eu, pois seu pai poda todos os seus sonhos. Depois de passar um ano servindo, Riley e Kit retornam para passar um mês em casa. Jessa é apaixonada desde a adolescência pelo melhor amigo do irmão, mas trata de esconder esse sentimento por achar que não é notada. Porém, o que ela não sabe, é que Kit sente o mesmo por ela. No entanto, dessa vez ele não consegue esconder os sentimentos, e resolve se render a essa paixão. Assim, eles engatam em um romance puro, intenso, sensual e proibido, pois o pai da moça o odeia com todas as forças e faz questão de demonstrar isso. Esse ódio que até então não tem nenhum motivo aparente, é revelado lá nos capítulos finais, e apesar de ficar claro esses motivos, eles não justificam em nada os seus atos.

Além de viver esse amor às escondidas, eles terão que conviver com a dolorosa distância até ao próximo retorno de Kit, doze meses depois. Por isso, eles tornam essas quatro semanas muito especiais, se amam, se descobrem e vive cada minuto com muita intensidade. Esse casal é lindo demais! Kit é um cara incrível, que faz desabrochar uma Jessa que se esconde da tirania do pai. Com ele, ela pode ser uma garota comum, que tem sonhos, desejos, e que tem força para encarar tudo de frente. Quando o romance é descoberto, nosso soldado enfrenta o sogro de peito aberto, e diz tudo o que todos tem vontade de dizer, mas não tem coragem. E isso, apesar de ser tenso, deu um orgulho danado. Paralelo a isso, também acompanharemos a vida de Riley, seu romance com Jô, seus medos e receios. Ele é um personagem que me cativou imensamente. Na verdade, a autora conseguiu criar personagens memoráveis, cada qual com sua personalidade.

Quando chega a hora do retorno, chega também os momentos mais tensos e torturantes, que me fizeram ficar com o coração estilhaçado. Os personagens enfrentarão momentos difíceis e dolorosos. E realmente entenderemos a força do amor verdadeiro, aquele que dá impulso para seguir em frente, que dá força para dar a volta por cima, que ajuda a levantar quando caímos, aquele que é capaz de curar e libertar. Fiquei muito apegada a história, e foi complicado finalizar o livro. Ele com certeza, virou meu queridinho.

A obra possui uma narrativa em primeira pessoa e o diferencial de não ter capítulos numerados, ele é separado por Jessa e Kit. A trama me tocou bastante e me envolveu imensamente, então, indico o livro para todos os leitores que gostam de histórias românticas, intensas, emocionantes e cheias de lição de vida e superação. Leia, tenho certeza de que irá se render, assim como eu.

site: http://www.blogvirandoapagina.com.br/2016/04/resenha-volta-para-mim-mila-gray.html
comentários(0)comente



Mari Siqueira 16/04/2016

Um romance intenso e apaixonante, Volta Para Mim comove, faz pensar. A linda história de amor e perdão escrita por Mila Gray traz à ficção a cruel realidade enfrentada pelos soldados americanos e suas famílias. A narrativa alterna entre os dois protagonistas, retratando o alistamento militar, os horrores da guerra e a morte enquanto contrabalanceia-os com a inocência do primeiro amor e os sonhos de dois jovens amantes.

De uma maneira excepcionalmente sensível, a autora fala sobre primeiras e últimas vezes, interligando-as ao destino de todos nós. A intensidade com que as emoções dos narradores são transmitidas faz com que o leitor não só observe a história sob seus pontos de vistas, mas compartilhe também de seus sentimentos.

Quebrando a ordem cronológica, Volta Para Mim anuncia uma morte trágica logo no começo do livro. A identidade da pessoa que morreu é mantida em segredo durante a história e esse suspense transmite ao leitor a mesma sensação que os familiares de fuzileiros têm: a espera, a incerteza, o medo. Duas pessoas saíram para uma missão, uma delas não voltará mais. É um risco que todos corremos, afinal, somos cinquenta por cento de chances, oportunidades e sorte.

Dois amigos foram criados como irmãos e se alistam juntos para servir seu país - Kit Ryan e Riley Kingsley. Os trocadilhos sonoros com os nomes dos dois reforçam a relação de amizade entre eles. É como se um completasse o outro.

Em período de folga no exército, os fuzileiros voltam para casa para rever suas famílias. A irmã mais nova de Riley, Jessa, sempre foi apaixonada por Kit e ao recebê-lo percebe o quanto seu primeiro amor amadureceu. O que antes era uma paixonite, se tornou admiração, carinho e desejo. Jessa é quem no início do livro recebe a notícia de que um dos dois morreu e, com ela, vamos aprendendo a amar esses dois homens incríveis.

Kit também reparou que a irmã do melhor amigo "cresceu" e começa a tentar flertar com ela. Um dos maiores problemas, no entanto, no relacionamento dos dois é justamente o ciúme excessivo que Riley tem de sua irmã caçula. Sabendo do histórico de casos - nada louvável - de Kit, ele nunca aprovaria um namoro entre os dois.

Em segredo, então, Kit e Jessa começam a se envolver. Além de manter o segredo de seu irmão, Jessa sabe que seu pai odeia a família Ryan por algo que aconteceu no passado. Coronel do exército, o Sr. Kingsley tem poder necessário para acabar com a carreira de Kit sem pestanejar e o faria se desconfiasse de qualquer envolvimento entre os dois. Se ele não aprovava nem mesmo a amizade do filho com um Ryan, que dirá o namoro deste com sua filha.

Uma paixão proibida e avassaladora começa a surgir e o casal passa a descobrir a importância do amor. Quebrando todas as regras, o envolvimento deles pode trazer consequências desastrosas para suas vidas, mas nenhum dano será maior do que a dor que o retorno de Kit para o exército causará. Vivendo cada segundo de seu pouco tempo juntos, esses dois jovens vão descobrir que a vida é feita de escolhas, momentos, decisões e lembranças e que cada uma delas nunca será apagada.

Um daqueles amores reais e possíveis de guerra, o romance de Mila Gray é sincero, cheio de sensualidade e, principalmente, de amor. É um livro que me fez chorar e mexeu com meu coração. A guerra devasta famílias, corações, vidas e sentir uma fração disso é o bastante para entender que somos tão pequenos perto de tamanha destruição. Nem sempre as pessoas voltam para nós, não importa o quão corajosos ou bondosos nós sejamos. E, às vezes, nós também não voltamos para elas.

site: http://loveloversblog.blogspot.com
Bárbara Masu 16/04/2016minha estante
Linda resenha! Fiquei com vontade de ler esse, mas com medo de ter final desgracento, hehehe!!!




Leandro 27/07/2016

Resenha originalmente postada no blog "Palavras ao Vento..."
Confesso que ao iniciar a leitura deste livro, mesmo muito curioso, havia certo receio da minha parte sobre uma possível frustração. Por sorte, as frustrações não aconteceram e felizmente pude ter um bom romance em mãos. “Volta para Mim” é uma história sobre o poder do primeiro amor e a reciprocidade presente neste sentimento que pode ir muito além do esperado. Não sei se as minhas emoções, ao ler o livro, estavam muito afloradas, mas concluí a leitura com lágrimas nos olhos e ainda apaixonado pelos protagonistas. É um livro romântico, mas permeado por conflitos internos presentes em cada personagem.

De início, a autora joga para o leitor uma “revelação” dolorosa. Talvez “revelação” não seja a palavra certa, mas você sabe que algo não muito bom irá acontecer mais a frente. E para explicar isso, a história volta para três meses antes e os protagonistas são apresentados. Jessa sempre foi o típico perfil de boa menina. Não desobedecia aos pais (principalmente sua figura paterna), sempre foi muito estudiosa, bookaholic e aparentemente frágil. No entanto, mesmo que de início ela apresente certa fragilidade, é perceptível que a mesma não é de todo assim. E tudo passa a mudar quando ela percebe que os seus sentimentos por Kit são recíprocos.

Kit é o melhor amigo de Riley, irmão de Jessa, e ambos são fuzileiros navais. Ao voltar de uma última expedição, nada parece ser como antes. O protagonista da história parece não conseguir controlar sua atração quase que irresistível pela irmã do seu amigo. E ele passa a perceber que isso, possivelmente, é mais que uma atração e está disposto a tê-la consigo custe o que custar.

O pai de Jessa e Riley não suporta Kit. A convivência entre eles é delicada e complicada. Tanto a mulher quanto os dois filhos tentam não ultrapassar os limites que o patriarca da casa impõe. E mesmo indo contra as regras do seu pai, Jessa permite-se viver algo intenso e verdadeiro com Kit, escondendo isso de tudo e de todos. O grande problema é que os dois grandes amigos precisarão ir à outra expedição, e muitos acontecimentos inesperados surgem no caminho de todos.

"Só se vive uma vez. Mas, se você fizer as escolhas certas, uma vez basta."

Então, antes que você indague se no meio de todo esse caos de conflitos internos ainda há momentos lindos, fofos e românticos, eu vos respondo: sim, há. “Volta pra Mim” é um romance doce, bem no estilo my first love e com aquela pegada sonhadora e sensual. A história é narrada de modo intercalado entre Jessa e Kit, permitindo assim uma compreensão ampla entre ambos e até mesmo de todas as demais personagens. Inclusive, a autora desenvolveu o romance de forma delicada, mas com aquele “leve” toque de irrealidade presente em noventa e nove por cento dos romances, mas que eu adoro, confesso.

Como já dei a entender, a Jessa aparenta ser uma protagonista frágil de início. No entanto, próximo aos momentos finais da história, ela se mostra muito mais corajosa e determinada, principalmente quando seu amor e a fragilidade do mesmo são postos à prova. Ainda assim, ouso afirmar que ela é a típica personagem que você pode encontrar (e é bem provável que encontre) em qualquer romance. Possui aquele ar sonhador e até por vezes ingênuo que já é bem batido atualmente. Porém, não é do tipo que age estupidamente ou que fica se privando de modo constante. Não. Mesmo receosa, não nega a si mesma a oportunidade de viver deliciosas aventuras ao lado do seu amado (ainda que às escondidas).

Kit é incrivelmente lindo e irresistível. A maneira como ele busca conquistar e ter Jessa é muito apaixonante. A todo instante, ele arrisca-se com ela e a faz ter os melhores momentos. Por vezes consegue ser impulsivo, mas nada que tenha me feito detestá-lo. O que realmente me incomodou foram suas atitudes no final da história. Eu sei o quão duro é lidar com situações tão extremas e dolorosas (não direi o que acontece por motivos de: no spoilers), mas ele não precisava ter sido tão duro com a Jessa. Eu até o entendi de certo modo, mas não achei legal a forma como agiu.

O livro não é permeado apenas pelo romance. Há outras histórias paralelas que dão certa consistência a história e até desenvolvem todo o drama existente na mesma. Não é nada muito profundo ou intenso, mas que me comoveram ainda assim. A autora soube construir personagens cativantes e felizmente me senti conectado a elas. Algumas conseguiram se mostrar palpáveis e ainda me surpreenderam. Destaco o pai de Jessa e Riley; mesmo o odiando em determinadas situações, eu sabia que ele era muito mais do que suas atitudes desnecessárias.

Em suma, é um ótimo romance, sem dúvida. Porém, devo salientar que se você é do tipo que não é muito fã de histórias românticas, é melhor passar bem longe. Este livro é única e exclusivamente indicado para os românticos de plantão que não abrem mão da oportunidade de viver um romance irreal por meio das páginas de um livro. É clichê, é apaixonante, é doloroso, mas acima de tudo, é a história sobre os limites que o amor consegue ultrapassar e ainda manter-se mais forte do que antes.

site: http://leandro-de-lira.blogspot.com/
Bárbara Masu 27/07/2016minha estante
Muito legal a tua resenha! E só agora, quando li "a autora" é que me dei conta que esse livro não é do Nicholas Sparks, kkkkkkkkkkkkk!


Leandro 29/07/2016minha estante
Hahaha... Você não é a única. Algumas amigas também pensaram que era do Sparks até que eu mostrei a realidade. Hehe




Mona 13/02/2017

Nada como 20 horas de leitura.
Sim, eu li esse livro em menos de um dia. Volta pra mim é um romance New Adult maravilhoso.
Resuminho, começa com um capitulo que te faz querer ler até o final, sabe como? Logo de cara a autora larga uma bomba, Jessa Kingsley recebe uma “visita” e descobre que ou o irmão ou o namorada morreram em missão (eles são do exercito), mas você não descobre quem deles morreu até perto do final.
Depois dessa bomba, a autora volta no tempo e conta a história de Jessa, que é de uma família rígida, o pai ríspido, não a deixa ter celular, sair muito de casa, ela estuda em uma escola de freiras. O irmão Riley, volta de uma missão, e com ele seu melhor amigo Kit, por quem Jessa é apaixonada. E eles começam a se aventurar.
Parece que eu contei praticamente todo o livro né? E que não vamos ter nenhuma surpresa. Mas estão enganados, o que mais tem nesse livro são surpresas, algumas não muito boas. Mas como disse li em menos de um dia, pois a autora faz apaixonarmos pelos personagens, e querer saber logo qual deles morreu.
O resto sugiro que leiam para descobrir.
Minha nota: 5 com toda certeza pois é um livro bem estruturado, com uma leitura fácil e apaixonante.

Ps.: Ganhei o livro de um sorteio na Consumindo Sagas, o melhor blog sobre livro. Segue lá.


site: http://lumenseries.blogspot.com.br/
Consumindo Sagas 13/02/2017minha estante
eu aviseiiiiiiiii que ele era super fofo e apaixonante!!!!!! Super máximo que tivemos uma leitura tão boa já no começo do ano kkkkkk amooooooooo PS: Sua resenha ficou mil vezes melhor que a minha (:


Mona 13/02/2017minha estante
Sim, que todas as leituras desse ano sejam tão boas kkkk. Sério? não achei minha resenha tão boa :P


Priscila 14/02/2017minha estante
Ahhhh quero muito ler esse livro! Sortuda! Haha Parabéns! Ganhou o livro!


Mona 14/02/2017minha estante
Siim Pri, tu vai amar o livro, é mto bom :D


Consumindo Sagas 14/02/2017minha estante
Priscila, cola lá no facebook pra participar dos sorteios também!!!!!!!!!!!!! kkk


Priscila 16/02/2017minha estante
Vc disse... sorteio??? Haha é pra já!


Priscila 16/02/2017minha estante
Vc disse... sorteio?? Opa!




Tamara 10/08/2016

Volta para mim é um livro que já nos desperta curiosidade com sua sinopse, e comigo não foi diferente. Ao saber que haveria uma morte no livro claro que eu senti que precisaria ler para descobrir todo o drama que se desenrolaria a partir disso. E assim que comecei a leitura fui sugada para dentro da história, porém, devo dizer que talvez por intuição e por ter lido muitos dramas, automaticamente eu imaginei quem teria perdido a vida, e estava correta, o que me deixou um pouco frustrada pela falta de surpresa do livro. Mas, mesmo que a história não tenha me surpreendido foi uma leitura ótima por uma infinidade de motivos.
O primeiro desses motivos que fizeram a minha leitura ser bastante positiva foi o fato de os protagonistas trabalharem no serviço militar. Eu admiro esses jovens, sua força e coragem e sempre gosto de acompanhar histórias, de ficção ou não que os tragam como personagens e nos mostram o sofrimento e a batalha interna e externa de cada um. Além disso, o livro traz um certo quebra-cabeça, também não tão difícil de resolver, mas que deixa o leitor em suspenso, que é o motivo pelo qual o pai de Jessa e Riley odeia Kit intensamente. Além disso, gostei muito da forma como foi montado o romance, e por mais que ele pareça precipitado, uma vez que Jessa e Kit tinham apenas quatro semanas para ficarem juntos, também foi tudo muito natural. Essas quatro semanas são permeadas por várias cenas muito românticas e declarações que podem ser consideradas por alguns leitores excessivamente doces, porém para mim foi algo que se encaixou com perfeição na história e era do perfil dos personagens. Ainda devo acrescentar que as descrições breves do serviço militar e da morte foram tristes e também os momentos após a morte e após a notícia chegar a cidade foram os momentos de maior drama e tenção.
Uma das coisas que me incomodou no livro, além da falta de surpresa sobre a morte, foi a atitude dos protagonistas frente ao relacionamento proibido. Ambos sabiam que precisavam e deveriam se esconder e queriam isso mas o tempo todo se colocavam em risco por não conseguirem esperar para um beijo mais tarde e coisas desse estilo.
Quanto aos personagens todos foram muito bem construídos. Kit é chamado de típico conquistador mas não vemos em nenhum momento isso. O que encontramos é um garoto sério e apaixonado, embora haja menção sobre seus casos do passado com várias meninas. Jessa também é cativante, principalmente por sua ingenuidade e seus sonhos, que ela esconde de todos por causa do pai. Já riley foi um personagem sobre quem eu desejei saber mais, pois achei ele e Jo, sua namorada, um casal lindo e cativante e com uma história de amor muito forte. Os personagens secundários também não deixam a desejar. O pai de Kit é um homem admirável, compreensivo e com um passado ruim mas que faz o possível para se redimir. E mesmo o pai de Jessa e Riley, com toda a sua rigidez nos faz compreender de certa forma suas motivações e não consegui odiá-lo.
O livro é narrado em primeira pessoa, por Jessa e por Kit, respectivamente, e isso nos dá um panorama do ponto de vista de ambos, o que ficou sensacional. No começo da obra temos a chegada do oficial para dar a notícia da morte de alguém para jessa, e logo depois voltamos para o passado, quando o relacionamento dela e de Kit começou a se desenvolver, e apenas quase no final do livro que descobrimos quem não voltará, o que nos deixa em suspenso e ávidos para devorar cada página para finalmente descobrir o que aconteceu.
Minha leitura foi em ebook e não encontrei erros. além disso achei o título, Volta para mim, muito interessante e ilustra bem o significado do livro.
Achei a obra bastante parecida com alguns dramas de Nicholas Sparks, mas sem tantos pontos que nos faça chorar. É uma história doce, romântica, triste e sensível e a recomendo para todos os leitores que gostam de livros curtos, românticos e emocionantes.



site: Resenha postada originalmente em: http://rillismo.blogspot.com.br/2016/08/resenha-volta-para-mim-por-mila-gray.html
comentários(0)comente



Vânia 18/03/2016

Volta Para Mim #1
O capelão oficial da Marinha se encaminha à casa de Jenna e ela, lívida, não quer acreditar no que está para acontecer.
A presença dele ali só significa uma coisa: alguém morreu. Resta saber quem. Seu namorado ou seu irmão?

Aniversário de 18 anos de Jenna. Ela estava prestes a terminar o Ensino Médio e em breve iria para a Universidade de San Diego. Não por escolha própria. Na verdade ela preferia ir para a Universidade da Califórnia, estudar teatro. Mas o seu pai, Coronel Kingsley, levava a família a mãos de ferro, queria ter controle total, e como Jessa era sua caçula, e ele já tinha um filho que estava nos Fuzileiros, também contra a sua vontade, ele não a queria longe. Ele sequer havia permitido que ela aos 16 anos tirasse habilitação.

Mas ali estavam os Kingsley, se preparando para um churrasco em família. O irmão dela, Riley, havia vindo passar um mês em casa após ter ficado nove meses trabalhando na Embaixada em Cabul.
Ele e seu amigo Kit, unidos desde os 14 anos, estavam juntos desde então. Mas Kit era "persona non grata" naquela casa, mesmo que Riley e Jessa não soubessem exatamente o porquê.
Kit aparece para dar os parabéns a Jessa, mas o olhar desaprovador do pai dela já mostra que ele não era bem-vindo.

O que o coronel todo-poderoso não contava era que sua filha era apaixonada por Kit desde os 14 anos, e ele tinha uma fixação por ela há dois, desde que a vira de biquini. Simples: a criação rígida de Jessa a obrigou a estudar em colégio de freiras, e logicamente, o pai dela também não aprovava roupas mais decotadas. Isso quer dizer que Kit só teve chance de ver Jessa quando ela tinha se desenvolvido e num dia de praia, em que o amigo, também superprotetor, estava presente.

Usando o aniversário dela como desculpa, e levando um presente para ela, Kit volta a procurá-la e aos poucos vai quebrando a barreira da "menina certinha"; com a ajuda da melhor amiga dela, Didi.

Durante aquele mês que Kit passaria em casa, férias de verão, ele e Jessa aproveitaram para passear e observar as estrelas, viram peça de teatro; ele levou-a para fazer um teste para uma peça de Oscar Wilde; ele a ensinou a dirigir. E mais que tudo, eles se entregaram um ao outro.
Havia uma promessa no ar de esperança; de espera; de felicidade.

Finalmente as férias terminam. Riley e Kit partem. Só que dessa vez não voltariam a Cabul, mas iriam para o Afeganistão.
E lá estava o capelão aproximando-se da casa para dizer qual dos dois havia morrido...

A culpa torna-se a faca que rasga a esperança ao meio. Jessa teria de fazer novos planos para sua vida. Todd, um pretendente que só estava esperando uma chance, se aproveita para se aproximar dela. Mas de verdade, ele não era como Kit; ele não a colocava para cima, não dava asas aos sonhos dela.
Segredos do passado ressurgem e talvez esses possam fazer mais pelo futuro do que qualquer tentativa de reconciliação poderia fazer...

"Só se vive uma vez.
Mas, se você fizer as escolhas certas,
uma vez basta."

Achei parado, previsível e chato. História fofa com uma carga de drama, mas não me tocou em nenhum momento.

3 estrelas.
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 29/03/2016

orci muito para que tudo fosse um engano e que a trama tivesse um desfecho diferente.
Em primeiro lugar tenho que dizer que tanto a sinopse como o prólogo deste livro foram muito bem sucedidos em deixar o leitor curioso. Este acontecimento trágico gerou muita apreensão durante a leitura pelo fato de que eu me apeguei demais aos personagens principais e secundários. Torci muito para que tudo fosse um engano e que a trama tivesse um desfecho diferente.

Este new adult narra o romance proibido entre Kit Ryan, um fuzileiro naval que volta para casa para desfrutar de uma breve licença e Jessa Kingsley, irmã do seu melhor amigo Riley. Tanto Kit como Riley precisam voltar ao serviço em quatro semanas e mesmo que Jessa saiba disto, ela decide assumir os sentimentos que sempre nutriu por Kit quando ele nunca nem dava um segundo olhar para ela. O que ela não fazia ideia é que ele também se sente atraído por ela há muito tempo e com isto revelado, os dois dão inicio a um namoro de verão. Cada encontro secreto é valioso para eles, pois ambos sabem que vão passar um ano separados quando Kit tiver que retornar a sua base.



O relacionamento é proibido por dois motivos: o primeiro é que o pai de Jessa é um ex-militar autoritário e cheio de regras rígidas. O abuso que ele impõe dentro de casa é emocional e como ele nunca gostou de Kit, nunca iria aprovar o namoro. O outro motivo é a amizade de Kit com Riley. O irmão de Jessa é muito protetor, sabe da fama de conquistador do melhor amigo e claro que não vai querer que a irmã seja mais uma das garotas que Kit não vai levar a sério.

Devido a sua criação, Jessa nunca teve confiança suficiente para seguir seus verdadeiros sonhos e Kit acaba sendo de grande ajuda para que ela dê o primeiro passo em relação a isto. Ele é muito seguro de si, a não ser quando se trata de Jessa e quanto mais o momento em que eles vão ter que ficar separados se aproxima, mais Kit se empenha em provar para Jessa que ela é mais do que acredita ser. Toma para si a missão de fazer com que ela se defenda e saia da sua zona de conforto. Ele é tão doce e romântico que é impossível não se apaixonar. A cena em que ele enfrenta o pai de Jessa foi digna de palmas.
"...uma filha tão linda e tão incrível que eu fico sem fôlego toda vez que olho para ela, por quem andaria em brasas só para ver sorrir."
Riley é um irmão maravilhoso e carinhoso e a cada vez que volta para casa, aproveita para passar um tempo de qualidade com Jessa e também ficar com a namorada de longa data que sempre espera por ele. Os e-mails que Kit e Jessa trocam enquanto estão longe um do outro são lindos e tocantes e em cada um deles, a contagem regressiva para quando estarão juntos novamente é mencionada. Não importa se é Kit ou Riley, ficar de coração partido com este livro é um fato.
"Volta para mim. Foi a última coisa que eu lhe disse. Volta para mim,
Sempre. Foi a última coisa que ele me disse."
Eu amei essa história. Apesar de quase sempre conter algo de devastador, eu gosto muito de livros que abordam romances com militares. Neste eu sofri junto com todos eles, chorei muito e tive raiva da autora. Muito bem escrita, esta é uma trama cheia de amor, humor, angústia, tristeza e com problemas reais. Adorei Jessa e Kit juntos, as cenas eróticas e sensuais e o modo como os sentimentos entre eles cresceram. Eles amadureceram muito também, apesar de uma certa atitude da Jessa que eu não aceitei. Eu não quero me alongar muito aqui para não estragar nada para vocês, eu só posso dizer que esta é uma bela história de amor e superação, com um final espetacular e muito emocionante. Vai ler este livro agora!Leia mais:http://www.meuvicioemlivros.com/2016/03/resenha-volta-para-mim-mila-gray.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2016/03/resenha-volta-para-mim-mila-gray.html
comentários(0)comente



Fer Miola 15/07/2016

EU ESPERAVA MAIS...
Volta pra mim é uma história narrada em primeira pessoa. Ora por Jessa, ora por Kit. Os capítulos são intercalados sempre do ponto de vista de um e de outro.

Jessa começa contando como conheceu Kit, como ele se tornou o melhor amigo de seu irmão e do quanto eram inseparáveis, inclusive fazendo menção ao filme "Brokeback Montain" e explicando que a amizade que tinham não era tal qual os dois amigos do filme. Conta como foram parar nas forças armadas e do quanto seu pai, um atirador de elite, detestava a amizade do filho com Kit, do quanto não gostava de Kit e do quanto ela gostava de Kit.

Kit também está muito apaixonado por Jessa, mas Kit também sabe o quanto é detestado pelo pai da garota. Aliás, o pai de Jessa não é figura fácil.

Até aqui tudo bem porque você fica imaginando o que está por vir, mas a história, no meu ponto de vista se torna massante e chata. O livro na verdade acaba sendo mais um tipo de diário de Jessa e de Kit do que uma trama onde os dois possam estar envolvidos.

Não achei a história de tirar o fôlego não, aliás, já li outros "new adult" muito mais legais e cativantes do que este. Kit só tem a fama de conquistador, mas na verdade não é bem isso que é retratado na história, já que desde o início ele está cativado por Jessa.

Há uma rixa entre o pai de Kit e o pai de Jessa que no final acaba sendo revelado ao sobrevivente e por consequência Jessa descobre a verdade. Apesar do impacto de haver uma morte na história achei que faltou um pouco mais de emoção. A namorada de Riley acabou tendo um filho e tudo ficou meio parado o tempo todo.

Eu esperava mais dessa história, afinal, a sinopse é bem estimulante, mas não deu liga. Achei que os personagens poderiam ter sido melhores desenvolvidos, que a trama de um modo geral poderia ter sido mais explorada e mais, que o livro poderia ter sido escrito do ponto e vista do narrador mesmo e não assim com capítulos alternados e cansativos.

De toda forma esta é a minha opinião e algumas pessoas podem divergir e achar que o livro foi maravilhoso, então, via de regra, siga seus instintos e leia o que você considerar atraente para você, mas leia... leia sempre, leia muito!
comentários(0)comente



63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5