A Arte de Inventar o Amor

A Arte de Inventar o Amor Kristan Higgins




Resenhas - A Arte de Inventar o Amor


51 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4


Gisele 13/03/2021

Gostei da estória, a escrita é muito boa, e a protagonista é professora de história que tem um cachorrinho super raivoso e gosta de inventar namorados ?.

Uma coisa que me incomodou foi o fato das pessoas ficarem sempre tentando arrumar um namorado para Grace. ? Fora isso recomendo para quem gosta de ler romance ?
comentários(0)comente



Azula.Meireles 26/02/2021

Leitura leve e divertida
Esse tipo de leitura são para as pessoas que gostam de um livro leve e descontraído. Mesmo a minha pessoa não ter engolido a irmã que ficou noiva do ex noivo da protagonista, que por acaso terminou com a protagonista para ficar com a irmã. Eu sei, é um embolar doido. Falando sério se a minha irmã fizesse isso comigo ela nunca mais me veria nem pintada de ouro.
Porém, em meios aos contratempos, amei o livro, muito divertido. E recomendo muito, claro se quiser rir com uma protagonista doida kkk.
comentários(0)comente



martins 14/02/2021

!
Aquele tipo de livro perfeito caso vc esteja numa grande ressaca literária, quase como se vc n fosse sair nunca dela. Perfeito para isso, mas caso vc esteja procurando romance, talvez esse tarde em conceber isso.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Poli 20/12/2020

A ARTE DE INVENTAR O AMOR
Esse livro foi uma revelação pra mim. Quando comprei, foi mais por impulso, eu nem tinha lido a sinopse direito. Aí depois com ele em casa, li e não me chamou tanta atenção, e ele ficou e ficou esperando a minha boa vontade. Só que quando eu finalmente tomei vergonha na cara e fui ler, eu não conseguia largar de tão bom. Esse livro fala muito sobre se aceitar como é, sobre recomeços, sobre autoestima e, principalmente, o amor. É um livro que eu não dava nada e virou um dos melhores que eu já li. Ele me tirou muito preconceito que eu nem sabia que tinha. É um dos meus preciosos hoje em dia.
comentários(0)comente



Nana Bastos 14/12/2020

A Arte de Inventar o Amor
Livro maravilhoso, gostoso, engraçado, te faz chorar, te faz brigar com os personagens.

Mas se você procura um romance lindo, achou!

É de você ler em uma única sentada, a autora te instiga e te deixa curiosa com o que vai acontecer em cada detalhezinho.
comentários(0)comente



Marí Amo 21/10/2020

Incrivelmente bom
Começou não muito pretensioso e me surpreendeu. Me fez rir demais, sonhar, esperar, sofrer e amar junto com Grace. Afinal quem não quer ser amado como quer amar "O Cara"?! Kabum
comentários(0)comente



Iesmin 21/09/2020

AAAAAA que história!
Simplesmente surpreendente!
Enrolada e bem devagar no começo, mas uns 5 capítulos depois, e você se pega dando gargalhadas de situações que eu claramente passaria kkkkkk
Muito legal o enredo, claramente tinha partes em que queria socar a cara de todo mundo. Mas ainda bem que tudo se desenrola de uma maneira certa acho. Gostei bastante
comentários(0)comente



Silvia.Helena 07/09/2020

Essa protagonista mentiu para seus familiares e amigos para não se sentir "por baixo", e acabou descobrindo que nem precisava. Ahhhhh fiquem de olho no cachorro!!!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



gabi | @dueto_literario 27/07/2020

Grace ama seu trabalho, as sextas dá aula de dança para idosos, as quartas assiste séries com seu melhor amigo, e o resto do tempo passa com Angus, seu fofo cachorrinho e arrumando sua casa dos sonhos (principalmente seu jardim). Ainda assim, ela se sente solitária. Já faz mais de um ano que Andrew terminou o noivado, mas ela não consegue superar.

Depois dos olhares de pena no terceiro casamento de uma prima particularmente odiosa. E de perceber que sua irmã se sente culpada por estar namorando seu ex-noivo. Ela decide inventar um namorado perfeito, aquele que valorizaria quem ela era, e mostraria a todos seu valor.

Tal homem teria o nome de Wyatt, seria cirurgião pediátrico e resgataria gatinhos abandonados no tempo livro. Além de ser muito amável e doce. O completo oposto de Callahan, seu vizinho grosseiro, ex-presidiário, e com um estilo sarcástico. Não importa que ele seja incrivelmente lindo e surpreendente, Grace planeja uma pessoa diferente.

Esse é o segundo livro que leio recentemente com professoras de História (a outra foi em Um Amor de Gato, onde ela desistiu de lecionar devido a pressão dos pais). E novamente me frustro. Grace é fissurada de uma forma meio bizarra na guerra civil americana. Sem falar que passa resumos como punição aos alunos! Ainda vou achar alguma personagem que esteja feliz na área e seja boa nisso.

Ainda que o título e as sinopse oficial foque mais no namorado inventado de Grace. Considero que os laços familiares e os problemas que a protagonista tem em dizer não aos outros são os grandes temas destaques do livro. Por mais que muitas vezes sentisse raiva dela, com sua bondade exagerada para seus parentes malucos, ao mesmo tempo achava bonito o valor que ela dava as pessoas que a cercavam. (Mas sério, eu claramente teria dado uns tapas em Natie e parado de visitar Meme.)

Queria um pouco mais de cenas com Callahan. Não só pq amo personagens sarcásticos e nada perfeitos, mas porque acho que seria interessante conseguir entendê-lo um pouco mais.

Julian definitivamente é o personagem secundário de destaque. Sua amizade com Grace é a coisa mais gracinha que poderia acontecer.
comentários(0)comente



Luana 12/07/2020

O homem dos sonhos?
Grace dominava como ninguém a arte se inventar o namorado perfeito...
Grace é uma mulher forte, determinada, que faz de tudo pela família. Sempre inventou um namorado para tirar a familia do pé dela, ela havia parado com isso, mas na tentativa de fazer sua irmã se sentir melhor, ela inventou Watty.
Callahan O'Shea, vizinho de Grace é recebido de "tacos" abertos... Ele é o oposto do "homem perfeito", tem um passado que o condena, mas Grace não perde a oportunidade de bisbilhotar o passado de seu vizinho.
Mesmo Callahan não sendo do tipo "errado", Grace continua inquieta se perguntando o porquê ela sente como se tudo encaixasse perfeitamente quando estavam juntos...

Uma história envolvente, e com boas doses de afeto, muito bem desenvolvida. Um livro otimo para acabar com uma ressaca literária, uma leitura leve e rapidinha.
Se você já leu uma resenha positiva sobre este livro, eu assino embaixo.
Como eu sempre digo, LEIAM!!
comentários(0)comente



Mia Fernandes 04/05/2020

A arte de inventar o amor - Kristan Higgins - Volume único
Precisei encontrar uma música que se encaixasse com Grace e a sua busca pelo “CARA IDEAL” e caiu como luva “Dear no One” de Tori Kelly. Qual é a jovem mulher que está a beira dos 30 sem nunca ter encontrado um cara para chamar de seu? Quem é que nunca passou pela irritante pressão “de cadê o namorado” quando está numa reunião de família? Quem é que nunca foi a solteirona num grupo de amigos? Eu como tantas leitoras nos encaixamos neste quadro. E sinto dizer que me identifiquei com várias situações que a protagonista passou.

Grace Emerson é uma jovem e dedicada professora de História – ela ama com certo fervor e paixão a Guerra Civil Americana, chegando a participar de encenações – ela é divertida, auto astral e sem papas na língua. Porém, ela fora abandonada pelo noivo a poucos dias do casamento, já que o indivíduo se apaixonou pela sua irmã mais nova! Agora, com o coração aos pedaços, ela precisa se mostrar forte para família e principalmente por Nat, sua querida irmã mais nova.

Antes de todo este drama, Grace tinha o hábito de criar o namorado perfeito fictício – NPP – ele servia como uma válvula de escape para aqueles momentos onde tudo dá errado. Então era um conforto imaginar que estava com o cara perfeito. Então foi assim, numa noite chuvosa, surgiu Wyatt Dunn o perfeito cavalheiro, romântico, cirurgião pediátrico. A solução mental para todos os seus problemas. Até que ele é “convocado” depois de passar por mais uma reunião de família – o terceiro casamento de uma prima – Wyatt se torna “real” e um “alívio” para os seus pais e irmãs, já que Grace estava bem, então sinal estava verde para Andrew (seu ex) com Nat.

Entretanto surge Callahan O´Shea, um homem de carne e osso, com um passado bem nebuloso e totalmente fora dos padrões e tipos já imaginados por Grace. Seu novo vizinho começa a mexer com ela, só que ele é totalmente o oposto do que procura. Ela quer um marido, um romance calmo. E Cal é pura tempestade, ela é movida por impulsivos um tanto violentos quando esta do lado dele. Ele é muito mais do que ela pode lidar. Bonito demais, forte demais, gostoso demais, ele não pode ser real.

A Arte de Inventar o Amor a autora mostra Grace não somente correndo atrás do cara ideal, mas também como são os relacionamentos familiares, as alegrias e loucuras de ter uma família que se mete tanto na vida da protagonista. Grace não tem papas na língua, e isto é ótimo, ela não é uma moça bobinha. Todos os personagens foram bem delineados, como não conhecer um ex tão idiota; uma vô sem noção, irmãs brigando... são elementos simples e de fácil identificação. Principalmente o melhor amigo de Grace, Julian, ele é tão fofo. As cenas deles dançando e suas interações foram tão divertidas.

Grace mostra várias maneiras – furadas – de como se encontrar o cara. Teve a aula para encontrar o príncipe encantado e claro os sites de relacionamentos, os Tinders da vida. E o que dizer dos encontros de Grace com seus pretendentes, totalmente hilários.

Comédias românticas são na sua maioria cheias de clichês, mas nesta em muitos momentos eu me peguei sem reação, com certas reviravoltas. Mesmo sendo uma comédia, ela te faz pensar e rever alguns conceitos: tal como se arriscar, lutar pelo o que quer e não pelo o que os outros querem que você faça.

xoxo
mia fernandes.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lucas 17/04/2020

Divertido
Um romance meio bobo, porém divertido, contem algumas falhas, mas nada demais.
comentários(0)comente



51 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4