A Divina Comédia

A Divina Comédia Dante Alighieri




Resenhas - A Divina Comédia


125 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


ELIZ 20/11/2018

Um clássico divino!
Um livro muito denso e rico em detalhes, essa versão que li está em prosa. Ainda vou lê-lo em verso. Pois acredito que este livro dessa magnitude deve ser lido várias vezes. Pois não é tão fácil assim, muitos detalhes de história, religião, etc. Não se pode ter pressa ao ler está obra. Afinal é este é um livro para ser "lido", não terminado.
Alice 20/11/2018minha estante
Já ouvir de algumas pessoas que é muito bom,mas não tive coragem de ler ainda.


ELIZ 20/11/2018minha estante
Ana Alice, confesso que relutei muito antes de pegá-lo, sempre dando preferência a outros livros mais fáceis de ler. Coragem, é um bom incentivo para começar. Leia sem pressa, pare, continue, reflita e volte a ler...


Alice 21/11/2018minha estante
??????


Alice 21/11/2018minha estante
Vou criar essa coragem sim.Obrigada


Vicente Ferreira 24/12/2018minha estante
Eliz.
Li a divina comédia em prosa o entendimento é fácil.
Tudo é explicado de uma maneira que leva o leitor a imaginar um livro de aventura.
Sinceridade não gostei, o livro em prosa é para ser lido cântico por cântico sem pressa.


ELIZ 26/12/2018minha estante
Valeu pelo comentário Vicente. Com certeza têm que ler sem pressa e realmente nem todos gostam. Mas é um livro que é muito citado em outras obras, esculturas, filmes, etc. Então era uma questão de honra lê-lo.
Obrigada pela sinceridade, gostam quando discordam da maioria das opniões. Afinal um debate é sempre muito enriquecedor.


Vicente Ferreira 27/12/2018minha estante
Sou bastante eclético em relação a leitura, leio por volta de 150 livros por ano.
Dediquei minha vida inteira ao conhecimento.
Nunca abandonei um livro.
Já li obras difíceis para os padrões de hoje.
A trabalho também viu?


ELIZ 28/12/2018minha estante
Excelente!!! Parabéns, vc é um dos poucos que consegue. Os brasileiros precisam aprender a ler mais. Seríamos um país muito melhor, com mais ética, respeito e educação.




Evelyn Ruani 20/01/2011

Deixai toda esperança, vós que entrais
"Quem poderá em palavras sem rima
dizer das chagas e do sangue plenos
que vi, mesmo que muita vez o exprima?".


Ninguém. Penso eu após ler essa obra fantástica. Uma criação única e criativa, apesar de toda dificuldade que encontrei ao ler. Não há como negar que é um clássico da literatura mundial já que abarca toda a cultura e o conhecimento do homem medieval (o texto, apesar de não existirem dados precisos, é aprox. de 1300).

A edição da Coleção Abril traz a tradução ótima de Jorge Wanderley e contém notas bibliográficas para cada um dos 34 cantos (Os 3 livros que compõe A Divina Comédia são divididos em 33 cantos, sendo que o Inferno possui um canto a mais que serve de introdução ao poema) e auxiliam na leitura. Mas tenho que confessar que não li todas as notas e mantive a leitura em sua grande maioria apenas nos versos.

Foi a minha primeira, e de maneira alguma a última, leitura dessa obra magistral de Dante Alighieri. Tenho que dizer que não me sinto madura o suficiente para dizer que entendi completamente sua obra, mas compreendi ao menos a estrutura e o sentido das 9 divisões em círculos do Inferno.

O que me levou a ler A Divina Comédia - Inferno? Vai ser difícil de acreditar, mas foi uma personagem de HQ conhecida por Dominó da Marvel Comics. Um amor antigo dessa personagem era apaixonado por este livro e apelidou Dominó de Beatrice por conta do anjo que aparece para auxiliar a viagem de Dante ao Inferno.

Foram quatro estrelas, para um livro que provavelmente darei cinco quando o ler novamente, com calma e a ponto de estudar cada nota bibliográfica num outro momento de minha vida. Afinal, como disse Borges sobre essa obra: "A divina comédia é uma cidade que nunca teremos explorado de todo"...
Maurício Coelho 21/12/2012minha estante
Muito bom sua resenha


Gi 24/07/2013minha estante
Adorei sua resenha! Mais um motivo para ler a Divina Comédia! =)


Dalila 23/12/2013minha estante
Perfeito Evelyn...
=)


Vicente 02/06/2015minha estante
Evelyn,
já li 3 versões da obra máxima de Dante, incluindo essa. É um livro desafiante e exigente da atenção do leitor. Gostei da sua resenha, só discordei da sua nota. *risos
A minha versão predileta, disparadamente, é da editora Itatiaia com tradução de Cristiano Martins.
Boas leituras


Diony 27/10/2016minha estante
A obra de Dan Brown "Inferno" foi um dos motivos que me propuseram a querer ler A Divina Comédia. Me identifiquei com sua resenha na questão de dificuldade para ler a obra.


RonaldVeiga 03/07/2019minha estante
Eu estava terminando o Inferno, mas nunca continuei. Os livros estão na casa da minha mãe, em outra cidade. Muito difícil a leitura, mas ótima!




Polako 13/09/2016

Uma obra de um mestre.
Para mim, o aspecto que mais me marcou no livro, foi a genialidade artística de Dante no manuseio da língua. Já não bastasse a impressionante extensão de seu vocabulário, somado ao ritmo agradável de sua prosa, a originalidade da obra é invejável.
Juntando toda essa dificuldade entre conciliar a abstração de conceitos retidos em sua mente, com a boa comunicação ao mesmo tempo que torna a obra inteligível é de cair o queixo.
Leitura obrigatória em vários sentidos, linguísticos, históricos, religiosos, morais, etc...Trata-se de um clássico artístico do ocidente, que influenciou vários grandes escritores, e até hoje é uma obra estudada por vários especialistas, que não deixam de encontrar novos significados em seus textos.
Dante é digno de ser chamado de mestre e merecedor do legado que deixou ao ocidente.
Thais.Pereira 15/02/2017minha estante
undefined


Polako 15/02/2017minha estante
???


Thais.Pereira 16/02/2017minha estante
Kkkk foi sozinho, desculpa. Só li a resenha mesmo, nao era pra comentar nada


Polako 16/02/2017minha estante
Hheheh, tudo bem :).


Pedrinho 06/12/2017minha estante
Falou muito bem sobre o livro.
A Divina Comédia é realmente uma obra extraordinária!


Ed 31/05/2018minha estante
Realmente é uma obra-prima completíssima! E demonstra que, ao contrário do senso comum, a cultura medieval era riquíssima.




Fábio 29/07/2011

Obra que nos deixa estático, ou melhor, extático!

A Divina Comédia, nem precisamos aduzir, a própria alcunha Divina , já nos remete o que podemos esperar desta obra, Dante Alighieri é realmente surpreendente em todos os quesitos, desde os versos, as rimas, as descrições até a história em si.

As descrições que Dante faz do Inferno é assombroso, a imaginação para o Purgatório é formidável, e me desculpem os adeptos da primeira parte, mas a terceira, o Paraíso é estupendo, a melhor parte em minha opinião. Difícil acreditar que esta obra foi feita no século XIV por um homem mortal.

Certos fatos, mesmo que um ser humano pudesse voltar ao passado e interferisse, uma hora ou outra esse fato iria se consumar, por exemplo, se impedíssemos Colombo de descobrir a América, ela seria descoberta por outro mais tarde; se matássemos ainda bebê Albert Einstein, nossa Física, estaria atrasada, todavia no futuro iríamos descobrir o que Einstein antecipou. Mas se impedíssemos Dante de escrever este livro, ai sim, conseguiríamos atacar algo irreversível, a possibilidade de outra obra como esta aparecer futuramente é infinitesimal.

E mesmo que aparecesse depois, não teria a magia e a perícia em que Dante, 200 anos antes que os navegadores da Renascença vissem, faz uma descrição do Cruzeiro do Sul, sendo considerada, por vários autores, a primeira referencia da literatura ocidental à constelação.

Ademais, a influencia que A Divina Comédia exerceu ao longo dos séculos, sobre autores, músicos, pintores, filmes, desenhos, etc; é incalculável, até hoje ela é motivo de inspiração, sendo recentemente criado um jogo de videogame (Dante's Inferno).

Em cada verso descobrimos desde o mais portentoso lugar do inferno, até o mais feérico sítio do paraíso; indubitável livro imperecedoiro.


[fabio9430@gmail.com]
Dalila 23/12/2013minha estante
Adorei sua resenha =)


Fábio 17/01/2014minha estante
Obrigado Dalila :D


Luh Costa 18/11/2014minha estante
O senhor arrasa! :*
Estou esperando o meu exemplar chegar.


Ed 31/05/2018minha estante
Realmente a parte do Paraíso é, de longe, a melhor, pois é um deleite para os leitores, principalmente aos católicos, que se sentem admirados ao homenagear os santos.

E prova que, ao contrário do senso comum, a cultura medieval era riquíssima, no qual recebeu diversas influências culturais de vários lugares do Velho Mundo.




Beatriz Almeida 29/01/2009

Lindo! Lindo! Lindo! um romance real e verdadeiro, que prova que o verdadeiro amor está além da morte!
Aline 05/03/2012minha estante
Vc realmente LEU o livro?!


Rafael Reborne 11/10/2013minha estante
COMO?


Guilherme Amaro 30/09/2014minha estante
Tah xarope essa mina? Por favor Bia vai ler seus romances mesmo.




Lucas 24/01/2018

Dante gênio
Quem disse que entendeu A Divina Comédia mente e mente feio é necessário ter conhecimento de história, filosofia,política entre outros para entender apenas uma parte desse livro que passa de geração em geração.
Sem dúvida é preciso ler várias vezes para que uma luz nos mostre no mínimo 10% de todo significado desta grande obra.
Agnaldo 27/03/2018minha estante
Sério, isso aí é resenha? Ainda bem que o desmerecimento alheio não é um pecado capital, se não já sabe onde ia parar né.


Lucas 27/03/2018minha estante
Não quis desmerecer ninguém.
Porém sabemos que essa obra foi escrita faz mais de 700 anos e como eu disse a pessoa têm que te conhecimento de história, teologia, filosofia e política entre outros.
Tenho certeza que muitas pessoas entenderam o livro mas boa parte que ler não entende e eu estou incluso nesse grupo.
Boa tarde,brother.
E boa leitura pra todos nós.


CLUBE THE BOOK ON THE TABLE 20/06/2018minha estante
Gente, fiquei com medo agora. Mas vou tentar. Acredito que deva ser desafiador mesmo, mas é isso aí! Bora sair da nossa zona de conforto né.




Fernando Lafaiete 13/06/2017

A Divina Comédia: O que dizer desta obra prima?

A Divina Comédia "publicada" originalmente somente como Comédia é considerado por muitos como sendo o poema épico mais importante da literatura mundial e o mesmo marca o nascimento da literatura italiana. Esta obra prima foi escrita por Dante Alighieri que não só é o autor ,como é também o personagem principal da história.

Este é sem sombras de dúvidas o livro mais difícil e gratificante que tive a oportunidade de ler. É um livro que exige muito e ensina muito ao leitor. Alighieri nos apresenta um poema escrito de forma tão simétrica que chegou a me deixar de queixo caído. O livro é uma trilogia, composta por Inferno, Purgatório e Paraíso, dividido em cantos, compostos por tercetos. Toda a composição do poema é baseada no simbolismo do número 3 que remete à Santíssima Trindade (O Pai. O filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo).

Muitos consideram a obra de Dante como um poema político e outros como um poema teológico. Eu acredito que ele é a junção dos dois, tamanho o seu conteúdo histórico, politico, teológico e filosófico. Neste livro vamos acompanhar a jornada de Dante pelos mundos espirituais, onde ele será guiado por Virgílio, o autor de Eneida, que o guiará pelo Inferno, depois pelo Purgatório e terminará entregando Dante à Beatriz que o guiará pelo Paraíso.

Tudo começa quando Dante se perde em uma floresta e é impedido por 3 animais a retornar ao mundo dos homens. Estes animais eram a Onça (a Razão), o Leão (a Humanidade) e a Loba (A Fé). A floresta é tida como a personificação da sociedade em que o autor vivia e que o estava desviando do caminho de Deus, levando a conhecer o caminho do pecado.

O autor nos apresenta uma história fascinante, dominada por alegorias que é um dos principais pontos que faz com que ler esta obra seja um desafio. Em muitos momentos eu me senti um analfabeto funcional. Pois lia alguns cantos mais de 10 vezes e continuava não entendo boa parte do que estava escrito. Por isso, precisei ler a obra com a ajuda de milhares de textos de apoio, e minha experiência de leitura foi um processo exaustivo de pesquisa e de estudo aprofundado.

Como dizia o próprio autor: " O sentido desta obra não é simples, ao contrário, ela é "polisensa", pois outro é o sentido literal, outro aquele das coisas significadas."

É impressionante como A Divina Comédia nos choca, nos ensina e nos emociona. Durante a Jornada de Dante, nos chocamos como ele, que ao caminhar pelos 9 círculos do Inferno, fica horrorizado com tudo que vê. É impossível não entender uma das poucos mensagens explicitas deixada pelo autor. "A Justiça de Deus tarda mas não falha." Se você não pagar em vida pelos seus pecados, pagará após a morte. E como não aprender com Virgílio (a sabedoria humana) que vai explicando ao personagem central que Deus é justo, mas que esta justiça é vista por muitos como crueldade.

Dante (o reflexo da humanidade) é um personagem que aprende muito e que cresce ao longo da narrativa. Ele se apieda dos pecadores, mas termina entendendo que os castigos aplicados aos mesmos nada mais são do que o que eles realmente mereciam. Mas ele não deixa de questionar o tempo inteiro a justiça divina (Deus), que castiga alguns papas e perdoa prostitutas.

A jornada de Dante pelo Purgatório me decepcionou um pouco por eu achar algumas partes arrastadas e desinteressantes. Mas mesmo assim, é um momento onde os ensinamentos transbordam das páginas e eu terminei essa segunda parte arrepiado de perceber o quanto o personagem havia crescido como pessoa.

O momento em que Dante se despede de Virgílio e é entregue à Beatriz (A sabedoria divina), é um dos momentos mais emocionantes do poema. Terminei o canto em que este momento acontece, com lágrimas nos olhos. A jornada de Dante pelo Paraíso, foi meio estranha no começo, devido a divisão geométrica apresentada pelo autor. Mas esta terceira e última parte do livro é emocionante ao ponto de eu ter terminado a leitura não só arrepiado como em prantos.

Glória ao pai! Glória ao filho! ao Espírito Santo!
Uníssono entoava o paraíso:
3. Senti-me inebriado ao doce canto.

Pareceu-me o que eu via um doce riso
Do universo: tomava me a ebriedade
6. Pelos olhos e ouvidos o Juízo
(...)

É importante ressaltar que Beatriz não só é uma das guias de Alighieri, como foi em vida a mulher que ele mais amou. Ele a retrata no livro como uma divindade, que irá guiá-lo por um caminho que lhe trará a paz divina. Para entendermos ainda mais o final, é importante frisar também que o nome Beatriz tem um significado simbólico em latim. Pois "Triz" na língua supra citada, significa "aquela que se doa - a que proporciona algo à alguém - personificação da benevolência". Entender o nome desta importante personagem é crucial pra entendermos toda a amplitude do que ela de fato proporciona ao poeta Dante Alighieri.

A leitura foi algo que me marcou tanto, que eu termino dizendo que este é um livro de dificuldade tremenda, mas que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida. Sei que minha "resenha" está medíocre, mas acredito que diante desta obra prima da literatura, é quase impossível escrever alguma coisa que consiga transmitir a magnitude de tudo que Dante nos proporciona.

A literatura serve para nos mostrar o reflexo de algum momento histórico juntamente com a essência de quem escreve algo. Aristóteles (considerado por muitos como o pai dos estudos literários) afirmava que a literatura apesar de muito semelhante com os estudos históricos, é inegavelmente superior a história, por nos proporcionar não só emoção, como um conhecimento que nos ajuda a entender melhor o mundo e o comportamento das pessoas de maneira mais profunda. Pois a mesma não se preocupa apenas no registro de fatos, mas também na transmissão de sentimentos que junto com os fatos registrados, irá mostrar para quem decidir ler uma obra como A Divina Comédia, que o conhecimento é libertador!
Thaís Damasceno 05/03/2018minha estante
Parabéns pela resenha Fernando, ficou ótimo...E obrigada por falar da dificuldade da leitura também, por ser um livro um pouco difícil...Mas o legal desse tipo de livro é o desafio também ahahaha...quando eu for pegar pra ler te aviso sobre ele. :)


Fernando Lafaiete 05/03/2018minha estante
Leia mesmo e não desista quando se deparar com a dificuldade. Livro maravilhoso. Ficarei na torcida para que você ame tanto quanto eu.




sshelena 01/02/2014

Péssima tradução da Divina Comédia
Não recomendo de forma alguma a edição do livro publicado pela Ed. Martin Claret! Era para ser em português, mas é necessário um dicionário para lê-la, pois o tradutor esqueceu-se que o século XV terminou a algum tempo.
Lamentável!
Gabriel 12/05/2014minha estante
Eu comecei a ler agora, mas por enquanto estou gostando da tradução da Martin Claret (J.P. Xavier Pinheiro). Exige um pouco do dicionário sim, mas não vejo isso como algo ruim. Sinto que essa tradução, se anônima fosse, poderia ser atribuída erroneamente a Luis de Camões.


Roberta 10/10/2014minha estante
Essa tradução de José Pedro Xavier Pinheiro é uma tradução já em domínio público (1935) que foi publicada recentemente pela Martin Claret. Por ser muito antiga talvez você não tenha gostado.




João Luiz 02/10/2017

Um livro que todos devemos ler. Um obra clássica, um presente para qualquer fã de literatura de alto nível. Não há adjetivos que defina com exatidão esta obra!
Henrique.Pera 02/10/2018minha estante
Adorei a resenha, pode me confirmar se é em formato poema?


João Luiz 15/10/2018minha estante
Henrique, muito obrigado.
Sim é poema.




Clarinha 17/04/2016

Uma viagem!
Simplesmente grandioso. Grande em significado, com toda a história construída de forma rica, empolgante e repleta de fantasia.Também, grande em estrutura; livro bem escrito, com todos os versos e estrofes divididos perfeitamente, com todas as rimas no devido lugar e que seguem sempre a mesma linha.
O contexto do autor, Dante Alighieri, era bastante conflituoso, ele se encontrava fora de sua cidade, Florença, após sofre exílios, pois sob sua guarda a instituição religiosa que presidia foi invadida e tomada pela oposição. Por essa razão, escreveu o presente título, com o fim de ser perdoado e poder retornar a sua terra natal. Todo o livro, portanto, é marcado pelo discurso contra aqueles que eram 'inimigos' e louvor àqueles que poderiam conceder a ele o perdão.
Enfim, com toda a precisão e coerência, com todos os fatos narrados da maneira mais criativa, A Divina Comédia, divina em seus sentidos mais amplos, é uma das obras que fizeram não me arrepender em entregar meu tempo à leitura.
Dani 01/03/2017minha estante
Legal sua resenha!




ely 26/12/2009

Uma obra prima
Dispensa comentários. O inferno de Dante é maravilhoso. Esta parte e o purgatório é impactante. Faz a gente refletir sobre a responsabilidade de nossos atos. Um clássico que deve ser lido. Um passeio pela mitologia, pela alma humana, pelo divino.
Brenda 22/11/2013minha estante
Ely, eu estou pesquisando bastante sobre o livro antes de comprar...gostaria que dividisse comigo qual foi o tradutor do livro que vc tem ai com voce... ate agora eu vi que a melhor versao é a do José Pedro Xavier Pinheiro , confere?? Obrigada!!!!




Vicente 02/06/2015

A melhor tradução de A Divina Comédia
A Divina Comédia de Dante, ou "O Poema Sagrado de Dante" como era conhecido inicialmente, é um livro que desafia o leitor há cerca de 7 séculos. Não se pode dizer que seja um livro fácil de ler, principalmente pelos fatores temporais e geográficos. É um livro épico cheio de descrições e imagens que povoavam o ideário do ambiente em que vivia o autor. O imaginário suscitado por Dante ainda nos remete ao mundo contemporâneo pela nossa origem cultural judaico-cristã. O Inferno, o Purgatório e o Paraíso retratam sofrimento, punição, contemplação e reverência religiosa tão presentes nas religiões monoteístas como a nossa.
Eu li duas versões da obra de Dante até me deparar com a edição publicada pela Editora Itatiaia na década de 70 e, até hoje, nunca encontrei um trabalho de tradução, de qualquer obra, que me impressionasse mais. Escrita em verso (!!!), totalmente anotada e comentada em um trabalho monumental de Cristiano Martins, a poesia de Dante se descortina e se torna palatável a qualquer leitor que se disponha a nela mergulhar. A obra foi escrita na baixa idade média e seu entendimento exige um esforço que seria quase intransponível sem a ajuda do tradutor. São 14.233 versos que valem a pena ler.
Essa resenha se refere a edição “A Divina Comédia” - Dante Alighieri – ed. Itatiaia. Este livro ainda está em catálogo em versão encadernada e em 2 volumes.
Erik 10/04/2016minha estante
vc sabe onde posso achar essa tradução pra baixar? grato




spoiler visualizar
Elida.Rodrigues 04/07/2018minha estante
undefined




Rafa 01/06/2015

A Divina Comédia
Antes mesmo de iniciar a resenha, vou falar um pouco sobre esse livro magnifico do autor Dante Alighieri. O livro foi escrito por volta de 1304 até 1321, porém não são datas exatas. Originalmente o livro de Alighieri era conhecido como “O Poema Sagrado de Dante”, logo depois passou a ser chamado de “Divina Comédia” e mais tarde denominado como “A Divina Comédia” pelo artista Giovanni Boccaccio.

A obra é divida em três partes sendo eles: Inferno, Purgatório e Paraíso. Os três livros que compõem a Divina Comédia são divididos em 33 cantos cada, com cerca de 40 e 50 tercetos que ao final com um verso isolado. No total são 100 cantos. A forma da escrita de Dante Alighieri é bem complexa, ele usa muita simbologia e não perdoa suas criticas ácidas com religiosos, estudiosos e políticos de sua época.

Uma curiosidade sobre a obra, ela foi escrita em seu dialeto local, o florentino, que é uma variedade do toscano. O livro não foi escrito em Italiano, pois muitos estudiosos e cultos diziam que o italiano era uma língua vulgar e consideravam que o latim era a língua mais apropriada. Essa edição contem notas de rodapé e várias referencias da época do qual Dante viveu, facilitando a leitura.

Os personagens principais do livro são: Dante Alighieri sendo o personagem central do livro, realizando uma jornada pelos três caminhos espirituais e junto dele segue um guia e mentor, Vergilio autor do livro Eneida, obra escrita no século 1 a.C.

O leitor que busca por um clássico, esse livro é mais que recomendado.

site: http://www.livreando.com.br/2015/06/resenha-divina-comedia.html
Chellot 01/06/2015minha estante
Li quando tinha 17 anos. Adorei na época.




spoiler visualizar
Moreira 15/02/2016minha estante
Já lí a Divina comédia em outras traduções, mas essa da editora 34 , e simplesmente fantástica, muito fácil o entendimento, por outras editoras o livro é bem chato de se ler, pois é muito difícil o entendimento do texto,aqueles que querem ler a divina comédia eu recomendo somente esse da Editora 34.




125 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |