A Luz Que Perdemos

A Luz Que Perdemos Jill Santopolo


Compartilhe


Resenhas - A Luz Que Perdemos


56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Kelly 18/08/2018

Um fim inesperado
Logo de cara, a capa me ganhou, achei chamativa e bem trabalhada, a sinopse me fez pensar em um romance doce, daqueles que aquecem o coração, mas quando iniciei a leitura, nos primeiros minutos me senti perdida, e quando enfim me achei... fiquei sem ar.

?(...) Há algo na morte que faz as pessoas desejarem viver. Nós queríamos viver naquele dia, e não nos culpo por isso. Não mais.?

Em a luz que perdemos vamos conhecer Lucy e Gabriel, dois jovens que se conhecem na época da faculdade em um dos momentos que marcaram a história dos EUA, no fatídico 11 de Setembro.

Eles se conheceram no dia do atentado que chocou o mundo, mas ao invés de apenas cruzarem os braços e aceitarem a desgraça que assolou a sociedade em que eles viviam, eles resolveram erguer a cabeça e fazer algo memorável, se tornar a diferença no mundo, fazer a diferença para as pessoas.

Então um romance desponta entre os dois, mas o destino os afasta logo de cara fazendo com que reste apenas lembranças, um tempo se passa e eles se encontram novamente, agora mais maduros, mas ainda longe de serem aquilo que prometeram um ao outro.

Quando Gabe alcança seu objetivo e resolve enfim seguir sua carreira, esse sonho só pode ser realizado à distância, e assim começam as escolhas de nossos personagens.

?(...) Toda vez que encontro você, o mundo está aos pedaços.?


A Luz que perdemos é narrado em primeira pessoa, e é através dos olhos de Lucy, que conheceremos e acompanharemos esse amor que se manteve vivo por 13 anos, independente dos obstáculos e dos rumos que os protagonistas seguiram.

Não dá pra falar muito do enredo sem relatar coisas importantes, porque cada segundo, cada encontro e cada memória aqui são muito importantes. Jill criou uma história que apesar de lembrar livros como Nós Dois, Simplesmente Acontece, Novembro 9, entre outros que possuem essa trama onde os personagens se encontram várias vezes, aqui nada é o que parece, ao começar pela narrativa. Lucy não está relatando sua história para um desconhecido, ela fala com Gabe, e ao decorrer das páginas o leitor vai ficando cada vez mais curioso sobre essa interação, e aos poucos vai se atualizando dos acontecimentos que afastaram esse casal.

A Luz que Perdemos é um livro que fala de amor, não o amor egoísta, aquele que prende e que mantém por perto, mas aquele que liberta, que aceita as diferenças e apoia os sonhos, um amor que ultrapassa a barreira do tempo e que perpetua na alma até o fim.


?Às vezes, dias comuns se transformam em dias extraordinários quando menos se espera.?


Esse livro é daqueles que te faz refletir sobre a vida, te faz olhar o parceiro e analisar o "e se", mas na verdade te faz notar que alguns "e se" são perigosos, e que mais vale amar, mesmo que a distância do que nunca ter amado.

Um livro de escrita leve e contemplativa, a escrita da autora te prende não só por sua leveza, mas também pela perspicácia com que os acontecimentos vão se desenrolando, mantendo o leitor preso a cada página e com sede de final feliz.

Uma leitura que super indico, para quem romances, histórias que nos fazem refletir e abrir os olhos para algumas coisas da vida real. A luz que perdemos te fará enxergar o amor com outro olhos.
comentários(0)comente



Gladis Klein 14/08/2018

A Luz que Perdemos
No início achei o livro meio cansativo e a Lucy um tanto conformada com o destino, penso que ela deveria se impor e lutar pelas suas opiniões. Mas com o desenrolar dos fatos fui relacionando a história com minha própria vida. Em mUitas ocasiões não dei devida atenção aos fatos e o tempo e cruel não nos deixa voltar atrás. O livro nos faz refletir e nos tira da zona de conforto.
Allie 16/08/2018minha estante
Eu já não gostei.o mais chamou minha atenção foi a comparação com como eu era antes de voce e um dia; o que acabou me decepcionando já que Lucy não tem nada a ver com emma ou lou ela era totalmente conformada com que a vida tinha a oferecer em nenhum momento sr propôs a lutar por nada e também teve algumas atitudes bem questionáveis


Gladis Klein 16/08/2018minha estante
Também não consegui relacionar com Como eu era antes de vc . Louisa é uma mulher lutadora, já Lucy leva uma vida mais passiva. Eu amei a Série de Jojo Moyes.


Allie 16/08/2018minha estante
Também gostei da série apesar de achar que só o primeiro livro já seria suficiente




Lu Manzano / Leitura com pipoca 03/08/2018

A luz que perdemos
O livro conta a história de Lucy e Gabe, um casal que se conhece no 11 de setembro quando houve o atentado às Torres gemêas, uma história cativante e emocionante que fala muito sobre destino e livre arbítrio, tudo o que acontece em nossas vidas é devido às nossas escolhas ou estamos destinados a viver determinadas coisas, independente da nossa vontade? Pela forma como é narrada a história, dá p imaginar que algo acontece com Lucy e Gabe, mas nunca poderia ter imaginado isso!!!
Adoreiiiiii!
comentários(0)comente



Camila.Melo 02/08/2018

Persevere...
Graças à minha perseverança, consegui ultrapassar o início que me deixou entediada com a leitura, pois no primeiro momento não me identifiquei com o casal. Mas depois me envolvi com a leitura e gostei bastante!
comentários(0)comente



Bia Santana | Viciados em Leitura 26/07/2018

Bom... e só.
Olá, pessoal. A resenha de hoje é deste recente lançamento da editora Arqueiro, que quando eu vi a capa e o título, eu sabia que curtiria, pois adoro um romance com drama. Quando chegou e eu li a citação do New York Post na capa, que diz “Fãs de Um dia e Como eu era antes de você vão se apaixonar e chorar por este livro.”, eu tive certeza de que seria AQUELE livro que me bagunçaria toda... pena que não foi tão bem assim, mas vamos lá.

Jill Santopolo nos traz a história de Lucy e Gabe, dois jovens que se conhecem na faculdade bem no trágico 11 de setembro, quando as Torres Gêmeas são atingidas por dois aviões. Por mais louco que seja, é interessante ver que, apesar da cidade parar ao ser tomada por fumaça e terror, duas pessoas se sentem atraídas, se envolvem e veem que precisam fazer algo importante de suas vidas, algo que faça diferença nesse mundo louco.

Meses depois eles se reencontram, e como aquela atração ainda existe, eles começam um relacionamento. Lucy produz um desenho infantil para a TV e ama o que faz, se sente feliz e realizada com sua carreira, enquanto Gabe ainda se vê meio perdido, até que resolve levar fé em seu dom para fotografia, aceitando o emprego na Associated Press para cobrir a guerra no Iraque.

A luz que perdemos é basicamente um livro sobre escolhas, e em como essas escolhas que tomamos refletem em nossas vidas e em nosso destino. Vendo que pode fazer mais pelo mundo, sentindo-se sufocado em NY, Gabe não pensa duas vezes em partir e isso arrasa Lucy que é completamente louca por ele.

O tempo vai passando, Lucy se vê sem notícias de Gabe, até que Darren entra em sua vida. Darren é um pouco mais velho que ela, aquele cara encantador e perfeito. Ele a faz rir e aos poucos ela vê que pode ser feliz com ele, que ele faz bem a ela e que vale a pena investir nesse relacionamento.

O que me incomodou no livro, foi a obsessão de Lucy por Gabe. Eles não tiveram um relacionamento tão longo assim, ele logo partiu escolhendo seguir a carreira em vez de ficar com ela (coisa que não tem como culpá-lo), e ela não conseguia tirar ele da cabeça, mesmo conhecendo outra pessoa tão incrível que estava ali com ela e por ela em todos os momentos. As comparações que ela fazia entre Gabe e Darren também foi algo que me incomodou em diversas situações, pois ela estava sempre comparando os dois.

E lembra que lá no começo eu falei que escolhi esse livro porque sabia que ia sofrer, que eu ia chorar, porque eu adoro uma sofrência? Então… eu não derramei uma lágrima! Claro, eu me emocionei com o final, porque realmente não tem como você não ficar tocado, mas… Acho que por conta da narrativa escolhida por Jill, já deixando claro ao decorrer do livro que uma pessoa estava contando a história toda para outra, terminando capítulos com frases que mais pareciam spoilers como “Talvez você tivesse voltado para casa. Talvez isso não tivesse acontecido com você.”, já te dá o que pensar e eu desde o começo já imaginava o que tinha acontecido e não deu outra, eu estava certa. Então, pelo fato de eu não ter sido surpreendida no final, ele não me tocou de uma maneira mais profunda que me fizesse morrer em lágrimas. O lance legal, é que você vai lendo porque você quer chegar ao final pra saber o que de fato aconteceu. Isso te prende ao livro.

Concluindo, A luz que perdemos é um bom livro. Se a narrativa fosse outra, talvez ele tivesse me conquistado mais. Ainda assim eu recomendo, pois é uma boa história sobre a intensidade do primeiro amor, sobre escolhas e sacrifícios, que nos fazem refletir. E tanto interpretação quanto gosto é algo muito pessoal. Eu já vi resenhas por aí de pessoas que ficaram encantadíssimas e que choraram rios de lágrimas e isso pode acontecer com você também.

Os direitos para a adaptação cinematográfica deste livro já foram comprados, mas não temos maiores informações sobre isso, assim que pintar alguma coisa, a gente traz pra vocês aqui no blog.

site: http://www.viciadosemleitura.blog.br/2018/05/resenha-411-luz-que-perdemos-jill.html
Sabrina Pais 26/07/2018minha estante
Hahaha Bia! Como você não chorou? Eu já me preparei através da narração dela pro tiro o livro todo, no final, do jeito que foi, eu tava sem ar de tanto chorar! Hahahaha já tive um amor assim, como Gabe e a obsessão é normal, por isso não a julguei. (Até hoje mando msgs de tempos em tempos pra checar se o boy tá vivo, por exemplo). Um foi o grande amor da vida do outro. ??


Bia Santana | Viciados em Leitura 27/07/2018minha estante
Não sei, Sa... e olha que eu sou a maior chorona, mas comigo não rolou. ?????




PRiX 25/07/2018

Uma obsessão de amor dela por ele (muito meloso e insosso)
Um romance de verão na época da faculdade uniu Lucy e Gabe por um ano a partir de setembro de 2001, até que por decisão de Gabe ele sai do país para trabalhar como fotógrafo jornalístico de guerras, veja você! O livro é todo contado a partir da visão de Lucy sobre o seu primeiro amor, e ainda depois de Gabe sair do país (acontece no primeiro terço do livro) ela continua contando a história da sua vida e momentos em que o caminho dela e dele se cruzam. Tamanho é o amor e a veneração que Lucy tem por Gabe, que eu não conseguia parar de pensar: esse Gabe já deve estar morto! Livro muito meloso, você espera um ápice na história, algo para te prender, mas tudo o que acontece é esperado e insosso. Terminei o livro arrastada e esperava bem mais.
Letícia 09/08/2018minha estante
Concordo! Não indicaria o livro.
Estava gostando mais no início quando eles estavam se conhecendo até a parte que ele foi embora. Mas, depois de mais de uma década, mesmo estando com um cara tão bacana quanto o Darren, ela ainda amar freneticamente Gabe, não faz muito sentido pra mim.
Achei Lucy muito obsessiva. E o final, foi sem graça. Parece que autora quis justificar a traição, com a morte de Gabe. Além do que, ela trair Darren com base de suposições, achei bem desnecessário.




Desireé (@UpLiterario) 21/07/2018

Amores e sonhos. (@UpLiterario)
Lucy e Gabe jamais se esqueceram do dia em que se conheceram. Foi no dia 11 de setembro de 2001. Em meio ao caos que tomou conta da cidade, eles observaram as chamas altas irromperem sobre o céu de Nova York e assistiram ao evento que mudou o destino de milhares de vidas.
.
Eles se beijaram naquele dia, tentando afastar a escuridão que rondava seus caminhos, mas Gabe decidiu se afastar, antes que a chama entre eles florescesse, e Lucy retomou sua vida, seus estudos e tentou deixar aquele beijo para trás.
.
Agora, recém formada e com um futuro promissor pela frente, Lucy reencontra Gabe e, dessa vez, suas vidas se unem em um forte, impactante e intenso amor. Um tipo de paixão como um incêndio, vibrante, quente e descontrolável. Até que outra despedida coloque tudo a perder.
.
Um romance de altos e baixos, felicidades e angústias, sonhos e desilusões. As idas e vindas do casal são narradas por Lucy a Gabe, relembrando os bons e os péssimos momentos sob uma lupa, analisando os pormenores que os levaram até ali.
.
“Você me via numa luz que ninguém via. Compreendia quem eu era no fundo e não queria que eu mudasse. Você me queria por causa disso. Daren me queria apesar disso. Acho que é a melhor maneira de descrever o que acontecia.”
.
Uma história surpreendente que nos embala e nos fascina, com uma escrita leve, suave, em tom de conversa e de melancolia, com capítulos curtos e ágeis, como fragmentos e lembranças de uma vida.
.
Maravilhoso, para chorar, se emocionar, ler e reler. Recomendo!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 17/07/2018

Resenha: A Luz Que Perdemos / Dreams & Books
“Ninguém encontra o que quer se não souber o que procura.”

Ás vezes bate aquela vontade de ler um romance que vai encher seu coração de amor, para depois quebrá-lo em pedacinhos. E quando essa vontade bateu foi que decidi pegar A Luz que Perdemos para ler.

E não me arrependi, o livro escrito por Jill Santopolo é um livro encantador que vai te fazer se apaixonar, chorar e sentir raiva na mesma proporção.

"Toda vez que encontro você, o mundo está aos pedaços."

Essa foi uma experiência de leitura maravilhosa! A forma de escrever da autora é envolvente e emocionante. O enredo foi feito de uma forma que você sempre se vê querendo mais e mais. Só mais um capítulo, só mais uma página, só mais um parágrafo... Quando percebe, concluiu a leitura com lágrimas nos olhos e o coração em pedaços.

E algo que gostei demais nesse livro é como os personagens são reais! São como nós, cheios de qualidades e defeitos. Cometem erros, fazem escolhas erradas e tudo bem, isso só os aproxima mais do leitor.

A Luz Que Perdemos é uma leitura envolvente e apaixonante que recomendo de coração!Tenho certeza que esse livro vai te tocar e te fazer refletir. Leia!

"Éramos uma estrela binária.
Orbitávamos em torno um do outro."

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Amanda.Nascimento 15/07/2018

Um livro que nos leva a refletir
Este livro é narrado por Lucy ao que parece está contando sua versão da história para o seu grande amor Gabe alguns anos depois de se conhecerem.
Eles se conhecem no fatídico 11 de setembro em NY e suas vidas diante deste dia se conectam para sempre. Ambos sentem o impacto da tragédia e possuem o sonho de tornar o mundo melhor.
Este livro conta a história de um grande amor, sonhos, objetivos e escolhas e o quanto estas determinam todo o curso de nossas vidas.

Achei a leitura bastante fluida, prende facilmente a atenção do leitor, leva a reflexão, a torcida pelos personagens, porém um ponto negativo em minha opinião foi que em alguns momentos do livro a autora deixou alguns ganchos do que aconteceria mais para frente e mesmo no final, o que de certa forma não me agradou muito, mas é uma leitura que vale muito a pena.
comentários(0)comente



Vai Lendo 04/07/2018

Um amor que emociona e envolve
Lucy conheceu Gabe no mesmo ano em que as Torres Gêmeas caíram. O primeiro beijo aconteceu com o céu esfumaçando de Manhattan no horizonte, enquanto os prédios ardiam em chamas após o impacto dos aviões. A vida parecia mais efêmera e era necessário que aquela história de amor andasse mais rápido. Agora, ela seria para sempre? Em "A Luz que Perdemos", publicado pela editora Arqueiro, Jill Santopolo traça o caminho do casal através dos anos em que seus sonhos e vidas mudaram, cresceram e desafiaram a paixão e a juventude.

O livro que começa como uma história épica de amor e romantismo se transforma em uma jornada tão maior e abrangente que, ora sutil, ora diretamente, explora os mais diferentes temas da vida de uma mulher cosmopolita. E ela não é nada parecida com Sex & the City.

Gabe é apaixonante. Sua voracidade pela vida e pelos seus sonhos parecem inebriantes e é fácil para nós nos apaixonarmos por ele assim como Lucy o fez. Essa relação, contudo, não é tão perfeita quanto a narradora-personagem acha no momento em que a conta para gente. Montado como um grande relato, "A Luz que Perdemos" evoca a dificuldade de credibilidade de Dom Casmurro e nos dá um ponto de vista super imparcial. Não só pela voz da personagem, mas principalmente pelo momento que ela narra – mas isso seria um spoiler, então…

Por isso, as outras temáticas perdem um pouco as suas luzes, mas não caem na escuridão. Pelos anos que se passam pelas páginas, acompanhamos Lucy encarar um rompimento doloroso, desafios na carreira, falta de reconhecimento profissional, um marido um tanto dominador, problemas da maternidade, entre outros. Situações essas comuns a muitas mulheres, ainda que não todas. Embaladas em uma história de amor, elas enriquecem o livro de maneira singular e fazem uma boa conversa para com as problemáticas do cotidiano.

Preciso, contudo, alertar que esse romance é carregado de um tom dramático. A narradora fala sobre sua história com certa melancolia, o que pode não agradar a todos os leitores. Aos românticos, no entanto, não se preocupem: é uma ótima pedida. O drama se confunde com vozes sonhadoras, apaixonadas e esperançosas. Ainda que ecoem um pouco de nostalgia e, talvez, arrependimento. É uma complexidade de sentimentos que deixa o livro ainda melhor. Mais profundo, mais tocante.

Além disso, o estilo de Santopolo colabora para a leitura da obra. Com capítulos curtos e diretos, o ritmo de leitura avança facilmente e, se você devora livros, terminará com este em um ou dois dias. Ao mesmo tempo, a autora conseguiu em poucas palavras e sem exageros colocar poesia ou, pelo menos, um toque poético a narrativa. Isso a embeleza sem deixá-la chata. Primeiro livro adulto da autora, "A Luz que Perdemos" me deixou bastante curiosa sobre o resto da sua obra e pelos novos caminhos que suas palavras seguirão. Acompanharei com atenção e com saudades de Lucy e seu coração.

site: https://www.vailendo.com.br/2018/06/25/a-luz-que-perdemos-de-jill-santopolo-resenha/
comentários(0)comente



Débora @emcadapagina 03/07/2018

A Luz que Perdemos | Em Cada Página
Após ouvir e ler muito sobre 'A luz que perdemos', resolvi dar uma oportunidade para esse livro tão comentado. Na capa está escrito que os fãs de 'Um dia' e 'Como eu era antes de você' irão amar a leitura.

❝Você me marcou. Sabia? Você. O 11 de Setembro. Quem sou, as escolhas que fiz, devo a você. Por causa daquele dia.❞

Resenha completa no Blog!

site: http://www.emcadapagina.com/2018/07/resenha-luz-que-perdemos-jill-santopolo.html
comentários(0)comente



Fe.Batistella 01/07/2018

A luz que perdemos
Não conseguia parar de ler esse lindo romance entre Lucy e Gabe. Lindo, lindo, lindo !!
comentários(0)comente



Quel @queliivro 01/07/2018

#ResenhaQueliivro
Lucy e Gabe se conheceram em um dia bem marcante, no 11 de setembro. E isso marcou a vida de ambos para sempre.
Lucy e Gabe se sentem atraídos, mas não ficam juntos, depois um ano separado, eles de reencontram e enfim vivem o amor que sentem um pelo outro.
Mas a vida nem sempre é justa, e quando ela separa mais uma vez eles, fica a dúvida do que poderia ter acontecido.
Em uma drama de caminhos que se cruzam e se descruzam, esse livro conta história de um amor que tem que passar por sacrifícios.
.
Quando comecei essa história fui preparada para chorar horrores, porém isso não aconteceu em momento algum. Infelizmente para mim as atitudes dos personagens principais foram massantes e infantis em alguns casos.
Eu realmente esperei que o livro fosse me tocar, mas com o passar das páginas a Lucy foi me decepcionando. Que estranho falar isso de um personagem. Porém é o que aconteceu comigo.
Acho que nesse livro os personagens são tão reais que por isso gerou a expectativa é a decepção.
Mas o livro não foi de todo ruim para mim, como disse o fato dos personagens serem reais me fez ter mais empatias por eles.
A escrita da autora é algo incrível, ela conseguiu me fazer decorar o livro e querer saber o ia acontecer.
Outra coisa que me chamou atenção e me prendeu a história foi a forma como o livro foi narrado. Gostei bastante.
É isso pessoal, como eu sempre digo leia, e tire as próprias conclusões. Você pode se surpreender.
Beijos e até a próxima!😘

site: https://www.instagram.com/p/BkIe15CBozR/?tagged=resenhaqueliivro
comentários(0)comente



Lane @juntodoslivros 28/06/2018

Cuidado com suas decisões...
Lucy e Gabe se conhecem no dia 11 de setembro de 2001 durante uma aula da faculdade sobre Shakespeare. Eles não imaginavam que aquele dia seria um marco na história do mundo e em suas vidas. Aquele dia traçou o destino dos dois. Um destino que fazia suas histórias entrelaçarem e desencontrarem por treze anos.

“Pessoas me contaram, em voz baixa, ter feito sexo naquele dia. Concebido um filho. Noivado. Ter dito eu te amo pela primeira vez. Há algo na morte que faz as pessoas desejarem viver. Nós queríamos viver naquele dia, e não nos culpo por isso. Não mais.” Página 13

Lucy queria fazer a diferença no mundo depois do 11 de setembro de 2001. Mudando o rumo de sua profissão, ela resolveu investir no meio de elaboração de programas infantis. Lucy queria fazer a diferença para as próximas gerações. Gabe também queria fazer a diferença. Ele acreditava que suas fotos poderiam trazer alguma diferença para as guerras ocorridas no Oriente Médio, contar uma história com suas fotos. Mas para isso seria preciso deixar sua vida com Lucy para trás.

Dias depois de já ter lido esse livro, ainda não sei se realmente gostei da história. Muitas atitudes da Lucy eu não concordei, mas ainda assim não conseguia julgá-la. Cada um sabe dos sentimentos que sente, não é mesmo? Quando você termina um relacionamento que foi intenso e feliz, é difícil seguir em frente. Porém Lucy não parava de fazer comparações entre Darren, seu atual namorado, e Gabe, e isso se tornou algo irritante ao longo da leitura. Para mim sempre parecia que ela só estava esperando uma chance de fugir do atual relacionamento caso Gabe desse uma abertura concreta, mas também não queria ficar sozinha se Gabe não a quisesse.

No entanto, não posso deixar de lado as sensações de aperto no coração pela situação do nosso casal desafortunado. O destino e Gabe, sejamos sinceros, dificultavam muito um final feliz e eu ficava a cada página mais agoniada esperando o final dessa história, pois Lucy contava sua história não para o leitor, mas para uma pessoa específica...

Não sei se o final vai agradar muita gente, mas a mim ele agradou em parte. Uma parte foi um tapa na cara e o outro foi um segredo que não deveria ser escondido. Quem leu vai entender do que estou falando.

site: https://www.instagram.com/p/BkiuXy7H18Z/?taken-by=juntodoslivros
comentários(0)comente



Patrícia 27/06/2018

Primeiramente, não sei o que aconteceu com o livro e não sei de foi eu. Mas para mim deixou muito a desejar.
Não achei que a leitura foi uma perca de tempo até porquê eu ja havia me interessado na história e realmente a leitura é MUITO fluída. A questão é que o amor indomável de Lucy e Gabe não me convenceu nadinha. Meu coração quase não se apertou nessa história e com um enredo desses, onde o livro deixa claro na contracapas que os protagonistas iriam passar por muitas idas e voltas, escolhas que separariam pessoas que se amam muito, a gente já prevê a carga emocional pela qual seremos levadas. Mas não. NÃO rolou pra mim. Os personagens não me cativaram, eu não torcia pra eles. Mas pode ser que funcione para você.
Pâmela 15/07/2018minha estante
Concordo. Gostei mais do Darren, do que qualquer outro personagem.


Allie 16/08/2018minha estante
Concordo plenamente com você




56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4