Daisy Jones and The Six: Uma História de Amor e Música

Daisy Jones and The Six: Uma História de Amor e Música Taylor Jenkins Reid




Resenhas - Daisy Jones and the Six


327 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Beatriz 19/04/2020

Tensão
Eu sabia que ao começar a ler esse livro eu não ia largar, pois bem, que livro eletrizante. Narrativa de uma falsa biografia de banda, cheia de tensão sexual drogas e rock n roll. Adorei ler, para mim, bate de igual com 7 Maridos de Evelyn Hugo. Mas tem mais tensão sexual e um romance muito bem feito com personagens extremamente bem aprofundados, onde cada um tem voz ativa. Então se tornam mais reais e tridimensionais.
Estruturalmente ele é muito semelhante com 7 de EH. Uma biografia de alguém que atingiu uma fama mundial de uma forma fenomenal. Senti muita tensão sexual nesse e o romance... fazia tempo que não lia algo assim. Foi frustrante - um pouco - o desfecho, mas já esperava pois se assemelha demais ao livro da Evelyn, talve seja uma característica da autora amar esse desfecho na melhor idade sei la.
No começo me irritei um pouco com a forma romantizado que era a personagem principal, a típica padrão ruiva magra que é filha de Afrodite então é boa em absolutamente tudo, porém é desgraçado da cabeça pra dar aquele charme melancólico.
Mas eu gostei, só queria que ela fosse um pouco mais real, menos perfeita. Porque apesar de ser desgraçado da cabeça a autora preza muito pelo que ela mesmo disse no livro ?Nós adoramos gente linda e destruída por dentro?, o que deixa uma sensação de irreal. Pq até as mais bonitas podem ser feias, principalmente se entopem o cu de droga e não se alimentam direito.

Enfim,
Eu gostei do livro, só uma colocação que eu percebi. Mas nem afetou minha leitura de forma negativa. Só fez apitar um aviso na mente.

Vi que existe playlists do livro e estou doida para ouvir.
Bruna Santana 19/04/2020minha estante
Estou doida para ler esse e Evelyn


Alinegq 19/04/2020minha estante
Amei esse livro




Leitura e . 13/07/2020

@leituraeponto
Mais tarde sai resenha no instagram...

@leituraeponto

Segue lá...
ValdiS_Costa 13/07/2020minha estante
Por que você não faz resenha aqui também?


Leitura e . 14/07/2020minha estante
Costume de atualizar a leitura aqui e depois ir escrever a resenha.... rs


Leitura e . 14/07/2020minha estante
As vezes não resenho no mesmo dia tbm


ValdiS_Costa 14/07/2020minha estante
Entendi...acostume a publicar a resenha aqui também, já que você faz resenhas. Sua resenha é importante na comunidade skoob.
Mas, se por algum motivo tu queira publicar primeiro em outras plataformas, avisa lá no histórico de leitura.




cris.leal.12 15/07/2020

Uau!
Este livro apresenta muitos narradores: os componentes da lendária banda de rock Daisy Jones and The Six, seus amigos e pessoas importantes da industria da música, que ao serem entrevistados contam detalhes sobre a dinâmica da banda. Recordam a sua formação, o estrondoso sucesso e a dissolução no auge da fama. Mas o mais importante, é que, finalmente, desvendam o mistério por trás da súbita separação do talentoso grupo.

Em 1967, os irmãos Billy e Graham Dunne, vocalista e guitarrista respectivamente, chamaram para a banda Dunne Brothers, o baterista Warren, o baixista Pete e o guitarrista Chuck, depois substituído por Eddie. Mais tarde, a tecladista Karen se juntou ao grupo. Por não fazer mais sentido, o nome Dunne Brothers foi trocado por The Six. No início dos anos 70, The Six começou a fazer shows em outras cidades, fechou um contrato com uma gravadora e se fixou em Los Angeles. A banda lançou o primeiro álbum, que foi muito bem recebido, e iniciou a primeira grande turnê. Por essa época, Billy, apaixonadíssimo pela namorada Camila, casou-se com ela. A formação da The Six se manteve a mesma, até o momento em que a linda cantora e compositora Daisy Jones foi convidada para gravar um disco com eles, dando início a escalada da banda até o topo.

Através dos entrevistados ficamos sabendo que a banda estava totalmente inserida no cenário de sexo, drogas e Rock’n’Roll dos anos 1970. A união se mantinha devido a um amor em comum: o amor pela música. Internamente, porém, a batalha de egos, corações partidos e o uso indiscriminado de drogas, potencializaram dramas e tensões que complicaram a convivência.

Meus amigos, que livro! Declaro-me interessada por qualquer coisa escrita por Taylor Jenkins Reid, até mesmo sua listinha de compras. Não consigo encontrar palavras à altura para expressar a emoção que este livro me proporcionou. Muito mais do que sexo, drogas e rock and roll, a história é sobre as impossibilidades que encontramos na vida e as renúncias que precisamos fazer; é, enfim, sobre as vulnerabilidades e as complexidades das relações humanas. Uma leitura original, sensível e inesquecível.


site: https://www.newsdacris.com.br/2020/07/resenha-daisy-jones-six-de-taylor.html
comentários(0)comente



madie 15/07/2020

nao sei nem oq dizer apenas sentir
ok estou destruida. q livro foi esse? perfeito do início ao fim, estou mexida so digo isso. indico p todos, um dos meus favoritos
Kathley 15/07/2020minha estante
E a vontade de que tudo seja real meu Deus???


Kathley 15/07/2020minha estante
Perfeito


madie 15/07/2020minha estante
KATHLEY SIM MEU DEUS PRECISO DESSA SERIE LOGO P PODER OUVIR ESSAS MUSICAS


Kathley 15/07/2020minha estante
Kkkkkk siiim, necessitadas


Kathley 15/07/2020minha estante
Os atores já foram selecionados, fiquei emocionada


madie 15/07/2020minha estante
o ator do billy meu pai n poderia ser mais perfeito


Kathley 15/07/2020minha estante
SIIIM, ia falar isso. Foi o melhor possível




Kristine Albuquerque 18/06/2020

Uma História de Amor e Música - o subtítulo não poderia ser outro!
"Eu falei: 'Às vezes parece que alguns de nós estão correndo atrás de nossos pesadelos da mesma forma que as outras pessoas correm atrás dos seus sonhos'. Ele respondeu: 'Está aí um bom tema para uma música'."

Taylor Jenkins Reid foi um dos maiores fenômenos literários de 2019 e continua sendo em 2020. Daisy Jones não foi unanimidade nas opiniões como aconteceu com Evelyn Hugo, mas isso em nenhum momento frustrou minhas expectativas. Entrei nessa leitura muito feliz de poder reencontrar a autora e saí dela igualmente satisfeita e encantada pelo seu jeito único de contar suas estórias. Se for para ser chata e fazer comparações, diria que Evelyn Hugo é melhor, mas apenas por uma distância mínima, tão pequena que mal daria para notar. Em qualidade, desenvolvimento, técnica, personalidade e profundidade, ambos são excelentes.

Se for para ficar na superfície, essa é uma estória sobre astros do rock nas décadas de 60 e 70. Se quiser ir além, é uma estória sobre ter esperanças em quem se ama, sobre relações imperfeitas e reais, sobre responsabilidade afetiva, sobre amadurecimento emocional, sobre acasos e escolhas. Tudo isso sendo costurado com letras de músicas sensacionais, escritas pela própria autora e que estão todas ao fim do livro.

Daisy é uma jovem com um talento natural para cantar e compor. Ela é frágil, vulnerável, sem vínculos afetivos sólidos e com uma ânsia desenfreada para viver de sua música. Para ela não basta cantar OU compor, ela quer fazer as duas coisas, traduzir tudo o que sente e deseja através das letras e canções, e não vai desistir fácil de seu sonho, ainda que nem sempre faça as melhores escolhas.

The Six é a banda do momento. Acompanhamos a trajetória dela desde o início, de quando eram só dois irmãos querendo viver de seu hobby, até a formação com os seis integrantes que irá ascender de forma meteórica. Aqui também a autora não economiza nas histórias pessoais de cada um dos integrantes, além de abordar temas sociais muito relevantes.

Todos os personagens são reais, imperfeitos, complexos, vivendo um sonho e tentando conciliar o público e o privado, sem pensar demais no futuro. Longe do falso glamour ou da idealização, a autora foi sagaz e autêntica ao construir a biografia pelo olhar íntimo dos bastidores. Biografia, sim, pois quem duvida de que eles não foram reais ao chegar à última página? Impossível. Por mais que essas pessoas tenham sido falhas, consigo e com outros, e foram inúmeras vezes, é difícil não torcer por elas. Por um final feliz, apesar de tudo. Não é o que queremos todos nós, uma vida que tenha valido a pena?

As páginas passam voando, mas talvez você tenha de parar algumas vezes para respirar e engolir o nó na garganta. E, tal como em Evelyn Hugo, as surpresas só param na última página. Literalmente. Ainda poderia falar sobre tanto aqui, e não chegaria perto de esgotar os temas que o livro traz. Não vejo a hora de poder ver a adaptação (que já foi confirmada, ainda bem!).
comentários(0)comente



@senhoritayas 24/05/2020

Virei fã de carteirinha de uma banda que nem mesmo existiu ?
O livro conta a trajetória de Daisy Jones, uma garota que sonhava em ser uma estrela do rock, e uma banda, The Six, que também almejavam o sucesso. Um produtor aposta que juntos eles poderiam se tornar lendas, e aconteceu. Mas o que levou ao fim à uma das maiores bandas de rock dos anos 70, quando estavam no ápice do sucesso?  A história é contada pelos integrantes da banda e pessoas relacionadas, eles narram tudo o que acontecia nos bastidores.

Eu já vinha vendo muitos comentários positivos sobre esse livro e quando vi que envolvia música e músicos, fui logo adicionando a minha lista, porque eu amo histórias assim. Porém nenhum comentário que ouvi me preparou para a incrível experiência que foi ler esse livro.

Diferente de tudo que já li, se tratando da estrutura do livro. Ele foi escrito em forma de documentário. Acho que isso só tornou a leitura ainda mais fluída, tanto que não conseguia parar de ler, muito viciante. 

O  fato de a banda retratada no livro ser fictícia, acho que só aumenta a originalidade da história. Eu que nem ouço rock, fiquei completamente apaixonada pela banda e suas músicas. Os personagens são incríveis e muito reais, jovens que tinham sonhos, que cometiam erros e tinham problemas reais relacionados a drogas e alcoolismo. 

Super favoritei esse livro. A autora me fez virar fã de carteirinha de uma banda que nem mesmo existiu na vida real, eu tô muito rendida a escrita dela. Tanto que quando terminei de ler já fui correndo comprar os e-books de outros 2 livros dela.

E os direitos autorais foram vendidos, ou seja, teremos adaptação simmmm! Quero na minha mesa pra ontem! Hahaha
comentários(0)comente



Gabriela.Pimenta 27/02/2020

Fã n° 1 de Daisy Jones & The Six
Daisy Jones & The Six é a história de ascensão e declínio de uma banda de rock que dominou as paradas de sucesso na década de 70. Daisy é uma menina rica que sonha em se tornar conhecida como cantora e compositora, e The Six é uma banda liderada por Billy Dune, que tem um sucesso mediano na cena do rock de Los Angeles. Quando Billy e Daisy se encontram a afinidade musical entre eles é evidente, ela é convidada a entrar na banda e a partir daí todos experimentam um sucesso meteórico com o lançamento do álbum "Aurora". Até o dia 12 de julho de 1979 quando após um show épico a banda se separa e ninguém nunca soube exatamente o por quê. Através de entrevistas o livro narra a história de como tudo isso aconteceu.
.
Daisy Jones & The Six é uma jornada de sexo, drogas e rock'n roll com pitadas de conflitos familiares e dramas românticos. A leitura é fluida, alternando entre os pontos de vista de todos os personagens. No centro de toda a narrativa estão Daisy e Billy, ambos com muito talento musical e personalidades fortes, fazendo com que a banda tenha muito sucesso porém deixando os bastidores em pé de guerra. Os personagens secundários também são ótimos, me apeguei especialmente à tecladista da banda, a Karen, que é muito focada na sua vida profissional e sabe se impor como mulher num contexto de uma banda de rock. O livro também fala muito de amizades e escolhas, especialmente ao retratar a dependência química de Billy e Daisy.
.
A Amazon comprou os direitos e pretende produzir uma série com Riley Keough no papel principal. E eu mal posso esperar para assistir porque no final da leitura eu tive a nítida sensação de que essa banda realmente existiu e também porque estou curiosa para ouvir as músicas.
comentários(0)comente



Dy (@madrugueilendo) 22/05/2020

Um crime viver num mundo sem Daisy Jones & The Six
O livro escrito em formato de entrevistas, tem a história de Daisy Jones & The Six, conta sobre a maior banda da década de 70. DJ&TS lotavam plateias e conquistavam milhares de fãs a cada show.
Originalmente The Six, o produtor da banda Teddy conhece a inigualável Daisy Jones, e propõe apenas uma parceira musical entre a garota cheia de vida e a banda em ascensão. O que seria apenas uma simples parceria se torna bem mais do que isso. Os The Six ficam impressionados com a capacidade da garota de transformar uma simples canção em puro rock n roll, e logo, Daisy Jones se torna integrante oficial do grupo, oficializando a união com o álbum de estreia, Aurora. Mas nos bastidores, nem tudo foi tão fácil assim para a banda...

O grande plot da história é: não, essa banda não existiu!! Só por conta disso eu aplaudo a autora de pé, por ter escrito tão bem e nos fazer chorar de raiva pela banda não ser real HAHAH
Eu sabia que a leitura desse livro seria boa, mas nossa, o que eu senti lendo esse livro foi surreal. Eu senti a fundo tudo o que os personagens passaram. De verdade. As angústias de Billy e Daisy. Dúvidas de Karen e Graham. A esperança de um futuro da Caroline. Eu senti TUDO.
Eu senti esperança, raiva, angústia, apelo, gratidão. Sério, essa autora tem o dom da escrita, foi o primeiro livro que eu li dela e eu to chocada demais.

É engraçado como um livro contando a história de uma banda que nunca existiu, ter sido um dos livros mais reais que eu já li.
O livro apesar de ser contado de uma forma bem leve, por ser através de entrevistas, tem assuntos bem pesados, fala muito sobre o vício de drogas especialmente, e como isso pode afetar a fundo as pessoas.
A história em si não tem acontecimentos e plot twists ou algo extremamente surpreendente, mas é o tipo de livro necessário, sabe? Tiveram tantas frases que me fizeram chorar ou que simplesmente me marcaram, que eu perdi a conta.

Eu amei todo detalhe dele, a escrita, os personagens, AS MÚSICAS QUE MEU DEUS QUERIA MUITO QUE FOSSEM REAIS, enfim, não tem literalmente nada no livro em que eu mudaria.
Eu considero um livro bem sensível. Sei que muitas pessoas vão ler e não achar nada demais, mas eu fiquei completamente rendida por essa história. A autora além de construir personagens maravilhosos, construiu uma banda que nem sequer existe, e faz com que todo mundo que termina o livro fique sofrendo por não viver no mesmo mundo fictício de Daisy Jones.

Enfim, ainda estou extremamente tocada pela leitura e muito agradecida por ela. É o tipo de livro que eu não sabia que precisava ler. LEIAM
Aline Moura 29/05/2020minha estante
Eu fiquei me sentindo exatamente como você! Eu amei muito e foi pra minha lista de queridinhos.


Dy (@madrugueilendo) 30/05/2020minha estante
Entrou pros meus favoritos com certeza também!! To doida pra ler outros livros da autora




Juliette 26/03/2020

Os seis que deveriam ser sete.
Basicamente, o livro conta a história de uma garota com pais negligentes e ausentes que morava em Los Angeles. Essa garota é Daisy Jones: carente, impulsiva, talentosa, intensa e linda.

"Nós adoramos gente linda e destruída por dentro. E não dá para ser mais claramente destruída por dentro e ter uma beleza mais clássica que a Daisy Jones."

Em seguida, conhecemos os irmãos Dunne, que com mais quatro pessoas formam a banda "The Six", a qual começa a fazer muito sucesso.

Logo depois, a indústria musical acaba fazendo com que os "The Six" e a Daisy Jones se encontrem e com isso eles se transformam no maior fenômeno da música dos anos 70.

A partir dessa formação, acompanhamos os bastidores e a rotina de uma banda de rock, junto com os conflitos pessoais de cada integrante da banda que culminam no fim da mesma em sua turnê no auge do sucesso.

Particularmente, eu adorei o estilo de narração da Taylor, em formato de depoimentos e entrevistas, me senti bastante envolvida com a história.

A autora não perde tempo descrevendo os cenários, - o que não faz a menor diferença -, o foco são os depoimentos dos envolvidos na vida da Daisy e dos Six. E isso torna incrível como a autora consegue colocar o leitor dentro do livro: eu consegui visualizar os acontecimentos apenas com esses depoimentos, como se estivesse junto com eles, assistindo a tudo.

Durante a leitura, é bem claro, o quanto a autora pesquisou e juntou um material para embasar a sua história na indústria musical, em um cenário típico do rock dos anos 70.

Os personagens foram construídos de uma forma bem realista, que eu sentia que estava lendo relatos da história de uma banda de verdade. Todos eles me conquistaram com as suas imperfeições. Adorei a presença da força feminina, tendo que lhe dar com o machismo presente em uma banda de rock em uma época conturbada.

"Os homens parecem achar que merecem um prêmio quando tratam as mulheres como seres humanos."

Essa é uma história de uma banda de rock, amigos, família, vivendo a loucura dos anos 70 em meio aos conflitos amorosos, dependências químicas, sentimentos e relações confusas, gravações de discos, shows e turnês.

Por fim, a autora disponibilizou no final do livro as letras das músicas do álbum 'Aurora'. E isso me deixou morrendo de vontade de ouvir as músicas, principalmente, pelo fato de acompanhar o processo criativo por trás delas.

"Vida boa né? Só que a vida boa nunca é boa para a vida. Mas isso já é outra história."

^^
Glaucia 27/03/2020minha estante
Já quero ler,vou colocar ele na lista de prioridades, kkkk


Juliette 29/03/2020minha estante
Eu amei esse livro! A autora conseguiu construir os relatos dos entrevistados de uma forma que não deixaram a história arrastada, mas sim, ágil e cada vez mais interessante! Amei demais! Já tenho na lista outros livros da autora! Ela sabe contar uma história! ;)


Glaucia 05/05/2020minha estante
Amiga então ,eu tmb amei o estilo do livro ,mais não consegui gostar dos personagens principais,affs tomei um ranço do Billy e da Dayse ,que custei dar conta de continuar,mais valeu a pena ter continuado gostei bastante do final.rsrs


Juliette 05/05/2020minha estante
Então... em certos momentos da história eu tive conflitos de amor e ódio pelo Billy e pela Daisy, mas eu entendi que a Daisy cresceu sem a atenção dos pais e negligenciada pelos mesmos. Isso contribuiu para que ela se tornasse uma pessoa carente de afeto e limites, fora a sua personalidade forte e espírito livre (o que não são um defeito). Já o Billy ele tem a questão do vicio das drogas, bebidas e consequentemente o sexo, falta de responsabilidade afetiva com a Camila. Enfim, a autora soube trabalhar de forma tão intensa a personalidade desses petsonagens e dos demais de forma tão verossímeis que eles não são perfeitos e possuem os seus monstros para lidar, foi isso que me encantou e fez que com eu me reconciliasse ao longo da história com a Daisy e o Billy. A Camila e Karen são as minhas favoritas e a Daisy eu tive vontade de ser sua amiga e cuidar dela, se bem que a Simone foi uma amiga maravilhosa.




Guilherme.Monteiro 14/06/2020

A banda que não existiu, mas que é real...
Música é uma das coisas fundamentais na minha vida, principalmente as da década de 70, rock clássico, que moldou meu gosto musical e meu caráter. E esse livro é um baita presente para um apaixonado por essa década mágica da música, trazendo toda história de uma banda (que faz lembrar bastante Fleetwood Mac) dos seus primórdios, o auge e a misteriosa separação. Tudo é contado em forma de documentário que vai mostrando a visão de cada integrante sobre a história da banda e isso só acrescenta o quão o livro é uma narrativa muito bem fluída e é uma leitura muito gostosa e divertida, fazendo com que você se aproxime ainda mais de cada integrante e crie simpatia (ou antipatia) por cada um. E os integrantes são personagens excelentes, sem excessão.
Terminar de ler esse livro só me deu vontade de que essa banda realmente tivesse existido, queria escutar todas as músicas, os álbuns e admirar toda a genialidade e química dessa banda incrível, que não existiu, mas com o poder desse livro ela é real.
comentários(0)comente



Brena Lima 10/08/2020

Like Fleetwood Mac
É impossível ler a este livro e não se envolver. Talvez em dado momento você canse um pouco da leitura, mas não irá conseguir abandoná-la pelo simples motivo de querer acompanhar a trajetória de cada personagem até o final. E que personagens. Parecem tirados de um documentário real, sobre uma banda real. Você quase vai querer pesquisar por eles no Spotify.
comentários(0)comente



Aline.Brasil 19/07/2020

Maravilhoso!
Que livro maravilhoso, adoro a escrita da Taylor, é como se fosse tudo real, ela nos passa tanta emoção com suas palavras. Pensei em vários momentos que ela realmente estivesse escrevendo a biografia da banda de tão realista. E essa capa é linda, faz par perfeito com a história.
comentários(0)comente



Luan 27/01/2020

Eu virei fã de uma banda que nunca existiu.
Se um livro consegue te convencer que aquela ficção é realidade ou te faz ficar em dúvida se é um romance ou relato real, ele já conquistou parte de seu sucesso. Assim foi minha experiência com Daisy Jones and The Six, obra de Taylor Jenkins Reid. Com uma escrita precisa e pontual, a autora soube, perfeitamente, como conduzir sua história, entregando uma obra convincente, sincera e profunda.

Como se fosse uma biografia, Daisy Jones and The Six narra justamente a jornada dessa banda que fez o maior sucesso nos anos 70 cantando um rock que conquistou o mundo. O foco da história, apesar de ser a banda, se acentua para o lado de Daisy Jones. Desde criança, ela chamou a atenção e foi, aos poucos, conquistando espaço e reconhecimento em meio a um ambiente de drogas, bebidas, sexo e paixão.

O maior barato do livro, e é difícil escolher um entre tantos, é a forma como a história é contada. São entrevistas com todas as pessoas que viveram próximo ou compuseram a famosa banda, simulando uma biografia bastante real. Soma-se a isso os personagens. Poucas vezes um escritor conseguiu ser tão preciso na criação dos seus tipos como Taylor foi neste livro. Daisy, como o destaque, seguida de Billy, são os que mais se sobressaem, mas todos ali são muito palpáveis e reais, com diversas camadas e nuances.

Na obra, Taylor levanta diversas discussões de cunho social. Drogas, vício em bebida, sexo, relacionamento com os pais (ou a falta deles), a vontade de encontrar um lugar em que se encaixa no mundo, e até mesmo aborto. Estes são apenas alguns dos temas tratados ao longo da obra. Daisy Jones and The Six é daqueles livros que exigem todo um trabalho profundo de pesquisa. E o leitor percebe nitidamente que isso foi feito. A autora descreve com detalhe o universo do mundo da música e de tudo mais que ela abordou na história.

Diante disso, é impossível deixar de citar como qualidade da obra a construção da história. Ela criou um livro quase sem erros. O desenvolvimento ficou de inteiro acordo com o que ela se propôs, com momentos de altos e baixos, reflexões e ação, tudo que um leitor espera. O mais interessante foi a forma como ela costurou tudo isso através de relatos e entrevistas feita com os personagens ligados à banda.

Para não me estender muito, cito, para concluir, a escrita de Taylor. Autora reconhecida lá fora, esta é a publicação mais recente dela, logo espera-se de fato que seja o livro com a escrita melhor desenvolvida. Este foi o primeiro livro dela que eu li, e achei a escrita incrível. Os diálogos condizem com cada personagem ou momento narrado. E é claro que há alguns descontentamentos. Mas eles são mínimos. O livro não é sobre história de amor, mas a reta final quase se dirige por esse caminho, o que me incomodou levemente, dentre outras pequenas ressalvas.

De forma geral, se trata de um livro profundo. Das melhores leituras que fiz neste ano sem dúvida alguma. É um livro que trata sobre problemas do cotidiano, drama da nossa vida, com uma pitada de ficção bem construída. Eu virei fã de uma banda que nunca existiu. Daisy Jones and The Six é um livro que eu gostaria de ouvir. Fica o meu elogio à autora e o desejo em ler mais livros de Taylor.
comentários(0)comente



julia 19/06/2020

Resenha: Daisy Jones and The Six
Lido: Março 2019 / Julho 2020

*

Daisy Jones and The Six é uma leitura tão gostosa e envolvente com personagens muito complexos e uma história musical que parece ser da vida real. O formato de entrevista é tão legal e bem explorado pela Reid e desenvolve o enredo muito bem. A atmosfera dos anos 70 com toda a música e a cultura em torno disso também é muito divertida de ler.

Os personagens são incríveis e é quase impossível acreditar que eles são ficcionais. A escrita da Reid estabelece eles muito muito bem: cada um tem uma personalidade forte e um passado bem elaborado. Me apaixonei por cada um deles durante a leitura.

A música é o pilar do livro e a adição das letras nas últimas páginas é o máximo. O amor à música e a criatividade é evidente em todas as passagens do livro, mas principalmente no fim. Uma leitura maravilhosaaa e favoritada.
debroua 19/06/2020minha estante
esse livro é PERFEITO!!!!


julia 19/06/2020minha estante
TAMBÉM ACHEI!!!




Emilly 03/03/2020

Pq essa banda não existe ?
Não é a primeira vez q tenho contato com essa autora e mais uma vez ela não decepcionou ??
A narrativa dessa obra não é tradicional e msm assim os personagens são bem desenvolvidos e aprofundados , aqui vamos descobrir como essa banda super famosa começou e terminou , veremos cada membro da banda e outras pessoas dando seu relato da história de uma maneira bem peculiar q eu amei.
Sobre os protagonistas vc ama e odeia kkkkkk a Daisy q mulher maravilhosa com seus altos e baixos q a torna mais incrível , sem falar nas outras personagens femininas q tem todo meu respeito karen (eu te amo) já a Camila meus sentimentos entram em conflitokkkk o Billy é um protagonista bom com seus dilemas q são muito importantes pra a história .
E o ROMANCE ?? não pense q vai ser fácil hahaha sem estruturas emocional pra falar desse romance q amei conhecer e torcer. Amei tudo, os personagens os conflitos e principalmente os assuntos importantes q são tratados no livro.
comentários(0)comente



327 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |