Descender: Estrelas De Lata

Descender: Estrelas De Lata Jeff Lemire




Resenhas -


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Má Powzum- @entrelinhaslivros 03/06/2020

Grafic novel futurista!
Essa grafic é muito diferente do que costumo ler, eu sai totalmente da zona de conforto e foi muito legal a experiência. Nunca tinha lido uma HQ sci fi e com uma atmosfera totalmente futurista, um cenário com diversos planetas, robôs...

Aborda muito de política, afinal há uma guerra ocorrendo e claramente temos dois lados com conflitos de interesses. A grafic novel aborda muito sobre preconceitos, intolerância, jogos de poder.

Há sempre aquela antiga dificuldade que o ser humano tem de aceitar o diferente e respeitar o meio em que vive. Meu personagem favorito foi Tim-21, ele lembra muito uma criança humana, repleto de sentimentos e emoções.

Do meio para o final temos uma narrativa mais frenética e surgem diversos questionamentos, o autor insere uma pitada de mistério em relação a o que de fato desencadeou toda essa guerra entre as máquinas.

O final nos deixa cheios de perguntas e com vontade de correr para o próximo volume.

Resenha completa no ig @entrelinhaslivros
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 05/05/2020

Resenha de Minho
Depois de um ataque que aconteceu há dez anos aos planetas nucleares do Conselho Galáctico Unido (CGU), o pequeno android Tim-21 desperta no acampamento onde morava com sua família adotiva, mas dessa vez ele está sozinho. ⁣

O ataque, feito por criaturas robóticas desconhecidas, chamadas de Ceifadores, causou uma enorme aversão aos robôs e Androids, esses que foram poupados dos ataques. Ainda não se sabe quando os Ceifadores voltarão e a única chance de obter alguma resposta sobre eles se encontra no código dos androids Tim.⁣

Após Tim-21 tentar entrar em contato com alguém, já que ele se encontra sozinho após dez anos desligado, começará uma caçada que colocará sua vida em risco. Ao lado de Bandit e Perfurador, essa equipe irá descobrir como o universo é capaz de pensar no bem e no mau ao mesmo tempo.⁣
Eu adoro ficção científica, e quando a história vem em forma de HQ, a adrenalina é ainda melhor! Os detalhes gráficos são únicos e incríveis, unificando a história dos personagens com a saga estelar. ⁣

Embora seja um android, Tim-21 possui emoções próprias, transformando-o num personagem cativante e especial, e isso foi o que eu mais gostei na história. ⁣

O desfecho desse volume deixa a gente sem reação! Um plot twist surpreendente e que te deixa morrendo de vontade de ler o próximo volume, que espero que saia em breve. ⁣

O que acharam? Gostam de ficção científica? E de quadrinhos?

site: https://www.minhavelhaestante.com.br/2020/05/descender-estrelas-de-lata-jeff-lemire.html
comentários(0)comente



Julia 29/04/2020

Os robôs intergaláticos de Descender
Acho legal que até quase o fim da metade do quadrinho, eu tava achando que seria uma aventura meio infantil e confesso que tive receios de ter colocado muita expectativa na história, tipo aquelas aventuras sessão da tarde, mas me enganei. E isso fica claro na metade pro final, quando vemos pra onde a história começa a percorrer, que os personagens tem mais camadas do que aquilo que foi apresentado pra gente no começo. Tem sim, muito a pegada do filme Inteligência Artificial do Spielberg com Star Wars, sabe? Na verdade acho que essa é a melhor descrição pra esse tipo de aventura. O que significa que é bem interessante, não só porque apresenta muita coisa de um universo que tem muito a se explorar como consegue transitar bastante entre o drama e a ação. O Tim-21 é um robo que foi criado pra ter empatia com os seres humanos, justo aqueles que se tornaram seus inimigos. O Dr. Quon, o cientista pai da robótica, tem toda uma questão de insegurança e conflitos internos, meio como um sentimento de culpa. Assim como outros personagens que possuem suas histórias ali, sendo amarradas com tudo isso. E quando acaba a história a gente fica com um "e agora? o que vai acontecer? preciso saber mais sobre isso!".


site: https://missaoexoplaneta.com.br/de6.html


Paulo 26/04/2020

Ninguém pode acusar Jeff Lemire de não ser prolífico. Tudo o que você pensar ele já escreveu: terror, fantasia, histórias de super-heróis, homenagem a super-heróis, adaptações literárias. Esse é um título que vai explorar uma space opera. E, como sempre, esqueçam de cara a ideia do cenário porque Lemire trabalha pessoas e sentimentos. Solidão, adaptação, incompatibilidade. Descender é uma narrativa que começa muito promissora com ideias que certamente vão agradar aos fãs de boa ficção científica.

Estamos em um mundo no futuro onde as civilizações dos diferentes recantos do espaço se organizaram em uma espécie de Conselho Galáctico. O mundo caminha para uma quantidade absurda de habitantes e novos planetas se fazem necessários para conter essa explosão populacional. Mas, um dia imensas naves espaciais se espalham pelos oito principais mundos da UGC e pairam no espaço. Um conselho de guerra é montado e o Dr. Quon, o maior especialista em robôs da galáxia é convocado para fornecer a sua expertise para deter estes invasores. Quando eles se preparavam para iniciar o conselho, as naves disparam ao mesmo tempo. Mundos inteiros são devastados, eliminando toda a vida biológica existente nestes locais. Sim, vida biológica porque todos os seres robóticos são poupados. Os invasores passam a ser conhecidos como os Ceifadores e os robôs são associados a eles. Inicia-se uma imensa perseguição a todos os robôs e eles são destruídos um por um. A UGC tenta criar algum tipo de meio para protegê-los, mas a maioria é aniquilada. Dez anos mais tarde, um pequeno robô na forma de um menino chamado Tim-21 desperta em uma lua de mineração. Suas memórias estão confusas e ele procura saber o que aconteceu com os seus donos que ele considerava sua família. Enquanto isso o dr. Quon recebe a visita da capitã Tesla que o convoca para ir até uma pequena lua de mineração, pois existe um pequeno robô que pode ser a chave para entender os Ceifadores.

A arte do Dustin Nguyen não me agradou tanto assim. Apesar de ele ter uma arte sensacional quando ele trabalha planos abertos, boa parte da ação se passa dentro de localidades. Sua arte meio estilizada parecendo embaçada contrasta com os personagens presentes na tela. Entendi que o foco vai se dar nos personagens e em suas expressões, mas me preocupo se isso é feito em detrimento do cenário que acaba recebendo menos detalhes. Aos poucos a arte parece ir melhorando à medida em que o roteiro parece ter sido absorvido pelo artista, mas mesmo assim isso acabou por me incomodar ao longo de toda a leitura. Porém, é preciso dizer que o artista sabe lidar muito bem com a quadrinização e suas escolhas por página parecem estar sempre precisas. Quando a cena exige um detalhe mais intimista, ele emprega um esquema com oito quadros, quando se trata de Tim-21 acessando bancos de memória é uma splash page com vários pequenos quadros contendo vislumbres do passado. Outra coisa que eu curti foi quando acontece algo com Tim-21 e ele vai parar em um tipo de "outro mundo". Para diferenciar o que acontecia ali para o que acontecia no mundo real, Nguyen usa uma palheta alaranjada.

Esta é uma história que ainda está em construção aqui no volume 1. Então dá para tirarmos algumas coisas, mas Lemire mantém bastante em um véu de mistério. No geral eu gostei da forma como ele consegue nos entregar todas as informações de uma maneira bem sutil. Tudo o que eu escrevi dois parágrafos acima acontece em poucas páginas do primeiro capítulo. Quando você o termina parece que o leitor fez uma longa jornada junto do roteirista. Ou seja, a forma como Lemire comprime as informações supera os problemas de info dumping tão comuns em cenários tão fora da caixinha. Gostei de como os personagens vão sendo construídos e desenvolvidos, cada um com seus dilemas que vão se revelando aos poucos para o público. O plot twist do dr. Quon lá no capítulo 6 é de cair o queixo. É um cenário complexo, mas Lemire deixa ele bem simples para o leitor compreender aquilo que está se passando.

Temos a narrativa de um jovem menino chamado Tim-21. A escolha por um menino é proposital da parte do Lemire principalmente porque o leitor percebe lá pela metade da história que o robô é o ser mais humano de toda a narrativa. Enquanto todos os outros estão preocupados com seus próprios interesses, Tim só quer ver sua "família". Mesmo tendo a capacidade de ferir outros indivíduos ele evita isso ao máximo a ponto de ser quase destruído por causa disso. É tocante ver a narrativa das lembranças dele. Lemire trabalha com o velho tema de será que um robô pode ter sentimentos humanos? Na história, o dr. Quon programou toda a série Tim para ser capaz de sentir empatia pelos seus donos. Ficamos em dúvida de se aquilo que o personagem revela ao longo da narrativa são sentimentos reais ou se apenas faz parte da programação.

Outra personagem que recebe bastante atenção é a capitã Tesla. Descobrimos que ela tem alguém que faz parte da UGC e que ela foi até a lua mineradora por algum motivo específico que ela não revelou ainda. Sabemos através dela como o mundo ficou depois do ataque dos Ceifadores. Boa parte da população morreu, restando poucos bilhões de habitantes e que surgiu um movimento antirrobôs da parte dos gnishianos. Eles até são os primeiros antagonistas deste primeiro volume. Mas, como eu disse, algumas coisas não batem no comportamento da personagem. O mesmo podemos dizer sobre o dr. Quon, mas descobrimos a resposta disso no final deste primeiro volume.

Para mim, este é aquele tipo de história que toca em todas as coisas que eu gosto: histórias complexas, desenvolvimento de personagens, mistérios e boa ficção científica. Quero continuar a acompanhar a história deste pequeno robô e ver se ele vai conseguir ou não encontrar sua família ou uma família. E isso porque ainda tem os Ceifadores se escondendo em algum lugar do universo. É esperar para ver aonde o roteirista vai nos levar.

site: www.ficcoeshumanas.com.br
comentários(0)comente



Alanna Aguiar 23/03/2020

O primeiro volume é uma leitura rápida e tão cativante que te faz querer saber o que irá acontecer com os personagens, é excelente.
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 03/12/2019

Niyrata é conhecido como Conselho Galáctico Unido (GCU) e centro tecnológico e cultural do grupo de nove planetas nucleares. Nesse mundo futurístico, humanos e máquinas coexistiam pacificamente, até que a galáxia foi invadida por robôs gigantes conhecidos como Ceifadores. Não se sabe o motivo do ataque, apenas que seu foco foi direcionado aos cidadãos da GCU, resultando em centenas de milhões de mortes. ⠀

Curiosamente, da mesma forma que surgiram essas criaturas misteriosas desapareceram deixando para trás apenas um rastro de morte e destruição. Ninguém sabe se ou quando eles retornarão, mas o medo e o ódio disseminaram na população um sentimento antirrobô, resultando em um verdadeiro massacre robótico.

Dez anos depois conhecemos nosso protagonista, um garoto robô de aparência humana e projetado para ajudar na formação de crianças. Tim-21 passou a última década em sono profundo na Colônia de Mineração de Dirishu, também destruída misteriosamente. Embora suas configurações o tornem inofensivo, no código de Tim-21 pode haver vestígios dos robôs assassinos, o que faz dele o androide mais procurado do universo. Mas qual seria sua ligação com os ceifadores? Seria Tim um perigo ao que restou da humanidade? Essas são algumas perguntas que surgem durante o desenrolar da história.

Nessa graphic novel eletrizante que reúne os seis primeiros fascículos da série Descender, Jeff Lemire entrega um roteiro já conhecido: A relação conflituosa entre humanos/ tecnologia, sem deixar de abordar temas importantes como medo, intolerância, aversão e embates políticos. O autor ainda usa de flashbacks para preencher lacunas importantes do passado dos personagens, sutilmente nos permitindo conhecer a complexidade dessa trama que desperta a curiosidade a cada virada de página. As ilustrações de Dustin Nguyen adicionaram vida e beleza a essa GN que antes mesmo de ser publicada nos EUA , teve os direitos de adaptação adquiridos pela Sony Pictures. Mal posso esperar para ver essa história nas telonas e claro, conhecer a continuação da saga de Tim-21 e seus amigos.

site: https://www.instagram.com/p/B5LDdRIDTAf/
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6