Sua Alteza Real

Sua Alteza Real Rachel Hawkins




Resenhas - Sua Alteza Real


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Lauraa Machado 16/09/2020

Raso, forçado e corrido, um desperdício de uma boa premissa
Sabe, eu já estou cansada de livros YA rasos e forçados com a desculpa de que, se não é para adulto, não precisa ser bem feito. Não aguento mais encontrar livros adolescentes sem substância e com personagens absurdamente bidimensionais, imaturas e dispensáveis, mas é pior ainda quando a ideia por trás da história é boa e você sempre quis um livro como ele. Foi assim para mim. Maior decepção do ano por enquanto.

Não sei dizer qual foi exatamente o problema por trás de tudo. Seria pressa da autora e da editora para lançar os livros dessa duologia? Fica difícil perdoar mesmo se for, porque eu conheço dezenas de autoras que teriam feito um trabalho muito, mas muito melhor com poucos meses, brasileiras inclusive. Se Rachel Hawkins estava sem vontade para escrever o livro, não precisava escrever, sabe? Tudo aqui parece que foi feito só por fazer, sem qualquer envolvimento da autora e possivelmente do editor, o que impede qualquer envolvimento dos leitores. Não tem nada que cative em essa história feita às pressas e com a narrativa mais superficial que eu já vi em muito tempo.

Como é possível alguém ter a premissa de uma garota meio nerd que ama geologia (pelo amor de deus, gente, é a parte mais chata da geografia) ter um romance com uma princesa meio problemática, principalmente quando as duas se odeiam no começo e são obrigadas a dividir um quarto? Estou revoltadíssima pela autora ter jogado essa história fora desse jeito! Todas as cenas incríveis, instigantes e tensas que ela poderia ter criado só pelo fato das duas se odiarem e terem que conviver foram completamente ignoradas. Sempre que tinha alguma oportunidade de um desenrolar mais interessante, a autora resumia mais ou menos em uma cena rápida e cortava para o próximo ponto da história. Deu para ver o descaso e a preguiça de desenvolver as cenas além do superficial e criar uma intimidade maior entre as personagens e também entre o leitor e a história.

Minha frustração aumentou rápido, mas logo desapareceu, porque eu desisti de vez de encontrar qualquer coisa na história que me satisfizesse. Minha nota é exclusivamente pela premissa e por não ter nada ofensivo de verdade no livro.

Sabe, a autora não conseguiu nem criar personagens suficientemente interessantes. Na primeira metade do livro, Flora parece ter doze anos, e não dezessete. Ela é, para ser indelicada e honesta, burra. Simplesmente burra, inconsequente, sim, mas burra também. É diferente você não se importar com nada e querer sempre fazer tudo do seu jeito de você não ter a mínima inteligência para a autopreservação básica de um ser humano. Na segunda metade, Flora magicamente vira outra pessoa completamente diferente, como se tivesse envelhecido anos em poucos dias e sem qualquer desenvolvimento.

O problema é que tudo aqui é clichê, todos os mínimos detalhes basicamente, mas também é tudo raso e passado por cima. A tensão do ódio das duas foi forçada, não teve a menor base e nem deu para eu ficar animada com esse ódio que eu sabia que viraria amor. Todos, absolutamente todos os conflitos e suas soluções neste livro foram forçados, exagerados e nada convincentes. Não sei se a autora não esperava que seus leitores fossem minimamente inteligentes e que fossem exigir um pouco mais do que entretenimento vazio (que aqui nem consegue fisgar o leitor a ponto de ser divertido e realmente entreter), só sei que foi essa a impressão que ela passou.

A protagonista narradora é tão esquecível que quase nem me lembrei de falar dela. E tudo que eu tenho para falar é que não consigo me importar com ela ou com o que acontece com ela. Pelo menos eu tinha algo para comentar sobre a Flora, ainda que fosse uma crítica, né?

Já li fanfics muito melhores do que este livro, com bem mais substância. Definitivamente não teria sido difícil enriquecer essa premissa maravilhosa com uma história que valesse a pena, que tivesse algo a acrescentar à vida dos leitores, algo a dizer, e que ainda conseguiria ser leve, fofa e divertida como esta devia ter sido.

Acho que vou desistir dos livros da Rachel Hawkins daqui para a frente. Este é o quinto dela que eu leio e, de todos, só um deles realmente me cativou. Todos os outros entraram para a lista de decepções. Então, não, eu não recomendo. Ela tem ideias ótimas, sinopses atraentes, e enredos desperdiçados. Chega de frustração, sabe? Cansei.
Taynara Lima / @taaynaralima 23/09/2020minha estante
Laura do céu. Kkkkkk eu tava na maior expectativa ?


Lauraa Machado 23/09/2020minha estante
Nossa, boa sorte então haha vai já esperando achar ruim que quem sabe você se surpreenda!


Ana Carolina 06/11/2020minha estante
Qual o livro dela que gostou?


Lauraa Machado 06/11/2020minha estante
O único que eu gostei mesmo foi o Rebel Belle, o primeiro da trilogia!




Ana 02/11/2020

Poxa vida.
Gostei tanto do primeiro livro e me sinto ligeiramente desapontada por esse.
Eu sou absolutamente apaixonada por livros LGBTQIA+ (já li vários). Eu pensei que amaria mais a Millie e a Flora mas achei o romance delas tanto quanto raso e meio sem graça?
Não me levem a mal, existem vários momentos engraçados no livro mas eu não senti meu coração palpitar.
Miles e Daisy aparecendo foi o ÁPICE da minha leitura.
Aliás eu li os dois livros em 1 dia (riso nervoso).
Acho que faltou algo que me fizesse me apaixonar mais...

É isso ..
comentários(0)comente



Myka 10/11/2020

Sua Alteza real
Gente , não tenho nem palavras para expressar meu amor por esse livro!!! Assim como "Como sobreviver a Realeza" é um livro divertido , muito amorzinho, que te prende muiiito!! Pisquei e já tinha terminado !!

Com personagens cativantes , e claro personagens que a gente já conhece e que amamos demais !!

Eu simplesmente AMO a escrita e as histórias da Rachel, elas me prendem muito, eu fico ansiosa para ler mais , saber o que vai acontecer, é surreal!

Estou MUITO ansiosa para o próximo livro da Rachel, vem que eu tô preparada !!!
comentários(0)comente



kote 11/11/2020

muito fofo!!!!
gostei muito mais desse livro do que do primeiro, apesar de que o primeiro também é muito bom. talvez seja porque tinha um ar meio light academy?? não sei mas eu adorei
o casal é MUITO fofo meu deus do ceu toda hora eu surtava com uma interação delas
lembra vermelho, branco e sangue azul só que sem as cenas de pegação
muito bom pra ressaca literária
comentários(0)comente



Isabella Pina 16/11/2020

Um clichê renovado
Ao contrário da companion Como sobreviver à realeza, eu fui ler Sua Alteza Real com algumas expectativas, especialmente porque eu adoro quando os autores repaginam clichês para se tornarem mais atuais e com alguma representatividade (tirando os ruins). Talvez isso tenha sido um pouco injusto com o livro, mas o fato é que eu acabei me decepcionando um pouco com a história.

Narrado em primeira pessoa, conhecemos Millie, ou Amelia, uma menina bissexual cujo sonho desde quase sempre foi conhecer a Escócia, e recentemente foi aceita enfim em uma escola particular requisitada de lá. Ansiosa por aproveitar essa oportunidade e ainda se recuperando de um coração partido, Millie viaja meio mundo com altas expectativas. No entanto, logo se depara com o primeiro inconveniente: sua colega de classe é ninguém mesmo que a princesa escocesa Flora, e apesar do nome, Flora não é flor que se cheire (genial o trocadilho).

Mas se tem uma coisa que a gente aprendeu, é que ninguém da família real é o que parece, e assim vamos conhecendo melhor a Flora e seu passado, além da Millie fazer amizade com outras colegas, como a elegante Sakshi e o simpático Perry (aliás, gostei bastante deles, mesmo que não tenham aparecido tanto).

Apesar de eu ter gostado da narração, que continua rápida e instigante, eu achei que o maior defeito da história foi seu desenvolvimento. Demora muito tempo para as coisas aconteceram e mesmo que eu não tenha me incomodado extremamente com isso, ao finalizar a leitura ficou claro que essa escolha prejudicou o livro como um todo. Não me julgue errado, eu odeio um instalove como qualquer outro leitor, mas nesse caso o desenvolvimento do casal toma tempo mais porque elas demoram a interagir, do que por questões de crescimento pessoal de cada uma.

Ainda assim, eu simpatizei com a maioria dos personagens, especialmente Millie e Flora, e achei que ficou muito natural a maneira como elas se envolveram inicialmente, o que julgo muito importante, especialmente porque é uma boa forma de trazer representatividade aos livros YA. Mesmo que a Flora seja um pé no saco muitas vezes, isso faz sentido para a personagem: não é como se eu esperasse que alguém criado na realeza fosse ser a pessoa mais legal do mundo, né? Além disso, ela é uma adolescente, então o combo de presunção com escolhas questionáveis é aceitável, mesmo que tenha me irritado pontualmente.

Um ponto muito legal é obviamente rever algumas carinhas de "Como sobreviver à realeza", que deram suas breves aparências. Inclusive, eu gostaria que essa série fosse estendida, para a gente poder conhecer cada um deles de maneira aprofundada, especialmente Seb (eu sinto que ele merecia um desenvolvimento à parte!).

A conclusão me deixou levemente insatisfeita - talvez por isso eu queira mais livros - e acho que se a autora tivesse colocado umas páginas a mais, o livro teria me agradado mais, além de ter fechado pontas soltas importantes.

Em um geral, Sua Alteza Real mantém a vibe divertida e engraçada do primeiro livro. Entretém, te mantém grudado e te faz shipar bastante as protagonistas. O desenvolvimento poderia ser melhor, mas não me arrependo de ter feito essa leitura nem um pouco. Acho que se você ir com menos expectativas, a chance de se apaixonar é certa.

RATING: 3.75 hematitas
comentários(0)comente



Thanatos Preverell 21/11/2020

O primeiro foi melhor, até o romance dela com a amiga tava melhor q o romance nesse livro....
comentários(0)comente



khe 11/11/2020

Sua alteza real
Eu me surpreendi muito com esse livro, ele é maravilhoso. Recomendo muito.
comentários(0)comente



Ana Rosa @falarosa 11/11/2020

Sobre livros que tem cara de Sessão da Tarde ?
???Ela nunca se pareceu tanto com uma princesa para mim, nem quando estava toda arrumada com tiaras e faixas.???
Mas ela na?o e? apenas uma princesa.???
Ela e? a minha princesa.????
???
Depois de um corac?a?o partido, a protagonista, Ame?lia, decide seguir seu sonho de ir para uma escola interna na Esco?cia para terminar seu u?ltimo ano. Gregorstoun e? um cole?gio famoso que abriga jovens da nata da sociedade escocesa, inclusive pessoas da nobreza. E? nesse lugar que Ame?lia vai conhecer Flora, a pro?pria princesa da Esco?cia. No comec?o as duas na?o se gostam muito, mas logo va?o descobrir que talvez possam ser muito mais do que amigas. ???
???
Comecei a ler Sua Alteza Real, de @ladyhawkins, de forma completamente despretensiosa, animada com a ideia de ser uma histo?ria com relacionamento entre meninas e me senti afagada com o que li ?
??
O livro na?o e? complexo, com personagens profundos e uma histo?ria repleta de plot twists.?
?
E ta? tudo bem!
?
As vezes a gente so? quer uma leitura ?Sessa?o da Tarde? que esquenta nosso corac?a?o e deixa a gente com um sorrisinho no rosto. ??? O livro tem cenas fofas e engrac?adinhas, como uma boa come?dia roma?ntica! Tem cheiro de pipoca e da? a sensac?a?o de fim de tarde em casa esparramado no sofa?! Ale?m disso, tem aquele toque de livro da @officialmegcabot que acalenta o corac?a?o de qualquer um que amou suas histo?rias!
???
Ele e? o segundo do universo de Como Sobreviver a Realeza, mas voce? na?o precisa ler o primeiro, viu? ???
??
#SuaAltezaReal #LeiaComOrgulho #romancessa?ficos #romancelgbt #EditoraAlt
comentários(0)comente



Cris 11/11/2020

"Por fora ela é casca dura, mas por dentro Flora é um marshmallow."
Foi o primeiro livro com a temática LGBTQI+ que li e fiquei surpresa por não ter vários esteriótipos que não são legais.
Millie está evitando Judy, que voltou com o antigo namorado depois delas terem um início de namoro.
Ela é apaixonada por geologia, então resolveu se inscrever em uma das melhores escolas da Escócia, onde praticamente a Geologia nasceu.
Ela diz que não, mas por causa de Judy ela estava adiando a resposta à carta da escola.
Depois de ver os namorados e amigos juntos de novo, ela toma sua decisão baseada em um pouco de escapismo e muita curiosidade.
Millie tem um pai que a criou sozinha, e uma madrasta legal nos últimos 3 anos. Ela ganhou um irmãozinho fofo. Deixar tudo isso pra ir pra um país distante é difícil, mas ela vai atrás. Queria ter visto mais da família dela.
Ao chegar na escola, Millie vai dividir o quarto com ninguém menos que a princesa Flora, a encrenqueira que sempre está nos tabloides de fofoca.
Instantâneamente elas se reconhecem diferentes e muita tensão no ar.
Tudo o que Flora não quer é ficar longe de Edimburgo, mas a sua mãe resolve que talvez a escola possa ser uma boa influência pra ela. (Não sei por que, com Sebastian não adiantou muito...rsrsrs) . E quando ela se vê com uma colega de quarto inesperada, fica furiosa.
O que não vai faltar são ocasiões em que ela vai se meter, e meter os outros em encrenca pra tentar escapar dessa escola.
-----
O final foi rápido, sim. Mas tem passagens bem legais no livro. É pra você ler e desligar, ficar com um quentinho no coração. Não tem nada muito mirabolante, mas às vezes é isso que a gente tá precisando ler.
Romance escolar, com os dilemas do amor adolescente.
Alguns personagens do primeiro livro aparecem e é divertido, mas eles não têm uma participação importante na história.
comentários(0)comente



Vitor 11/10/2020

(pode conter Spoilers)

Os problemas de desenvolvimento que eu senti no primeiro livro, aqui ficaram ainda mais claros. A autora parece que fica com pressa de terminar o livro, aí chega em um ponto que ela corre e não se preocupa muito com coerência ou "profundidade", sabe? Ela até esquece de elementos que ela mesmo colocou na história. Os últimos capítulos são bem preguiçosos, resolvendo plots da forma mais forçada possível. Eu até pensei em descrever todos os buracos da história, mas deixa pra lá. Vamos focar na parte boa.

Eu ainda consegui me divertir com a leitura. Como o anterior, é leve e fofo. Embora tenha achado muito de supetão a ida de "inimigas" para amigas e então namoradas da Millie e da Flora (mesma coisa que aconteceu com Daisy e Miles inclusive), as personagens são cativantes o suficiente para te prender na leitura e torcer por elas. O livro aquece o coração no fim das contas. Só não vai esperando um "Vermelho, Branco e Sangue Azul"
.
comentários(0)comente



Giva 06/11/2020

Bom, mas
A premissa é perfeita e o início da história também. Senti que em alguns momentos poderia ter sido um pouco melhor desenvolvida, seja em cenas já existentes que tinham muito potencial e terminam bruscamente, ou cenas que não existem no livro mas poderiam existir. (Fanfiqueiros, façam isso por nós, meros mortais)

Existem algumas pontas soltas e que eu gostaria de respostas, mas nada que influencie diretamente no desenrolar do livro ou no final dele. Apesar disso ele se fecha de uma maneira ok, poderia ter mais coisas depois, mas não era necessário que tivesse.

Um livro bom. Um romance adolescente e fofo sáfico, se é isso que você procura, não tem muito com o que se decepcionar.
comentários(0)comente



Duda 07/11/2020

O clichê sáfico que todo mundo gosta
Assim como o primeiro livro da série, é muito gostoso de ler, é fofinho e bastante clichezinho sessão da tarde do jeito que a gente gosta.
A protagonista e alguns personagens são novos, mas o melhor é reencontrar os personagens que a gente já havia conhecido no primeiro livro ( o principie Seb é um dos meus favoritos e gostaria muito de uma história só dele, assim como seria sensacional uma história do Sherbet), conhecemos a Flora muito melhor nesse livro e é meio difícil não gostar dela, completamente entendo Millie por ter se apaixonado.
Porém, esse livro tem duas coisas que me incomodaram um pouco, primeiro, o fato de ser novamente uma menina americana se envolvendo com alguém da corte, e o relacionamento começar com uma implicância por parte da narradora, e o final absurdamente corrido, sério, o que custava ter escrito mais algumas páginas? A autora falha um pouco em deixar o clímax e a resolução muito para o fim, e fica parecendo que ela escreveu em 20 minutos as ultimas páginas, o que é uma pena, pois a história toda é bem legal.
Espero que a série tenha mais livros e que possamos revisitar mais esse casal e todos esses personagens!
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12