Como Viver Eternamente

Como Viver Eternamente Sally Nicholls




Resenhas - Como Viver Eternamente


145 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


claudioschamis 25/09/2009

Que livro gostoso de se ler. O título pode até sugerir muita coisa. Mas um conselho, não tire conclusões precipitadas. Não julgue o livro pelo título. Não pense que vai encontrar uma fórmula mágica de como viver bem e eternamente em 10 passos. É muito mais que isso. É um livro que fala da vida, de suas coisas boas, de suas coisas ruins. Da tristeza e da alegria. Um livro bonito, leve apesar de falar sobre a história de uma criança com leucemia que enquanto espera a sua morte resolve escrever um livro. Um livro que vai com certeza de dar uma injeção de mais vida e fazer com que você reflita sobre coisas que talvez nunca tenha pensado antes. Você vai com certeza se emocionar, vai rir, vai chorar. E vai quem sabe tentar responder algumas das perguntas que Sam, o nosso protagonista, formula. Ou vai também fazer das perguntas dele as suas. Pegando carona no que o próprio editor disse, não é apenas um romance que pode ser lido por crianças acima de oito anos de idade, mas por qualquer ser humano de qualquer idade. Mas é preciso que seja um ser humano. É um livro encantador.

Vitória 28/03/2012minha estante
Muito lindo esse livro!!!


Stella A. 31/03/2013minha estante
Esse livro é muito lindo, retrata muito bem a vida de uma criança cm leucemia, emociona, faz chorar, e a gente se sente na pele dos personagens, perfeito.


Manuella 05/05/2014minha estante
Perfeito, Claudio. Acabo de ler uma resenha sobre ele na blogosfera e senti exatamente o que vc falou, Sam tem algo a nos ensinar. Ninguém melhor que uma criança para mostrar novos olhares sobre as coisas simples da vida, com muita propriedade e riqueza!


Joy 15/01/2016minha estante
Um livro de escrita inocente e pura, história linda! toca no coração e nos faz lembrar do que vale a pena nessa vida.




Juu 11/09/2010

Fazia tempo, ou melhor eu nunca li um livro que eu chorasse tanto. De verdade. As palavras, tudo como ele narra, faz com que você saia do seu lugar e entre de cabeça na história. Li em poucas horas.
Mostra que não importa o quanto tempo tenha uma amizade, mas quando é verdadeira, você a leva para a vida toda. E, é incrivel. Desde o momento em que o amigo dele morre, eu só consegui chorar.
Você começa a ler, não consegue parar... E o modo como ele consegue realizar todos os sonhos dele é encantador.
É muito triste, mas é perfeito o livro. Parabéns à Sally!
Cris 06/10/2011minha estante
E a gente chora, chora, chora e ri chorando.
É um dos poucos que me fez chorar e sorrir ao mesmo tempo.


Juu 11/01/2013minha estante
Reli e chorei copiosamente, de novo.


Maurício 15/03/2013minha estante
Adorei a parte do velório, em que ele percebe que as pessoas são hipócritas, e que o amigo dele estava usando um terno, no caixão, sendo que todos sabiam que ele amava aquela camisa de rock preta e surrada. Sempre me apaixono por essas histórias simples!


Isabella 20/05/2013minha estante
Fquei mais triste na morte do Feliz do que do Sam '^' acho que porque pra morte do Sam a gente já está preparado..




Fernanda 29/04/2014

Resenha: Como Viver Eternamente
Resenha: “Como viver eternamente” é o tipo de livro que o leitor já sente que é emocionante independente das circunstâncias e objeções. A autora Sally Nicholls utiliza simbologias completas e ocasiões inusitadas, assim como apresenta mensagens reforçadas sobre a vida, o tempo, aflições, valores e aproveitamentos.

O livro é bastante dinâmico e sensível, envolvendo listas, questionamentos e capítulos bem curtos. A leitura é bem rápida, mas não quer dizer que não seja marcante. Proporciona sensações intensas, reflexivas sobre nossa própria vida e de pessoas ao nosso redor.



CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2014/04/resenha-como-viver-eternamente-sally.html
comentários(0)comente



Jess 13/06/2010

Estou a exatos 10 minutos pensando sobre o que dizer.
Acho que não há exatamente algo para dizer. Quem leu, sentiu. Esse livro é principalmente sobre a vida, apesar de parecer que é sobre a morte. Ensina a dar valor. E mostra a coragem de dois grandes amigos, Felix e Sam, que enfrentaram como ninguém essa grande aventura seguinte que é a morte. É um livro lindo. "Algumas coisas são perfeitas do ínicio ao fim."
Cris 06/10/2011minha estante
A garganta aperta só em lembrar do Felix.
E sorrio ao lembrar da irmã do Sam. =)

-
rs, passei a gostar do Green Day depois do Felix.




Silver Se7e 24/10/2010

Emocionante
Sam esta com onze anos e vive o drama do câncer. A vida dele é a família, mãe, pai, irmã mais nova e seu grande amigo Felix, que é um pouco mais velho. Ambos têm aula em casa porque os dois estão doentes.

No decorrer do livro as esperanças diminuem cada vez mais. É difícil acreditar que o final será feliz, mas o importante não é o final, e sim como se vive até chegar lá. E Sam tenta fazer o melhor com a vida que tem.

Tudo é muito triste, mas mesmo assim perfeito, é uma história singela, mas completa.

É um livro que se lê em um dia, e esse é seu único problema, ser curto de mais.
Cris 06/10/2011minha estante
Como a Jé ali em cima disse.
É um livro sobre sentimentos. De uma forma ou de outra a gente sento o que o Sam está passando. Ao contrário do que vocês possam pensar, não é um livro de auto-ajuda.

ESSE É SEM DÚVIDA O MEU LIVRO PREFERIDO.

Realizei os sonhos do Sam com ele, presenteei os parentes e amigos de Sam junto com ele. E fugi de casa com ele pra ficar na neve.

É um daqueles livros em que o choro vem, e a gente nem sente as lágrimas correndo. E a gente chora, chora e ri. Um livro tão singelo que traz sorriso mesmo nas horas mais trites.

Sally Nicholls sabe escrever.




Renata 20/12/2009

'Algumas coisas são perfeitas do inicio ao fim.'

Esta frase que está escrita na contra capa revela exatamente como o livro é, perfeito do inicio ao fim.
Lindo, sutil, emocionante e simplesmente encantador *-*

Assim como o livro 'Antes de morrer' relata a morte e a vida de alguem com uma doença triste e dolorosa que nos dá grandes ensinamentos, recomendo a todos que leiam e apreciem esta linda obra!
comentários(0)comente



Kimberly F. 17/04/2010

"Como viver eternamente" é, sem dúvida nenhuma, um grande livro. E, como diz na contra capa, produzido por uma inexperiente escritora de apenas 23 anos. Porém, se encaixa nos lugares de maior valor, junto com os clássicos, pela verrosimilhança em que nele foi usada. Conta a trajetória difícil de um menino comum de onze anos, que é portador de leucemia e que já fez vários tratamentos, sem nunca encontrar a cura. Vive à base de remédios e sofre vários tipos de restrição, devido à sua frágil saúde. Ele têm um melhor amigo que também é portador de câncer, Félix, e que o abandona bem no meio da história. Porém ele tem um papel superimportante na vida de Sam; o encoraja a seguir em frente, buscando realizar seus desejos mais impossíveis. Apesar da tristeza que sente quando perde o amigo, não desiste de escrever e pôr em prática o restante de coisas que ele deseja fazer antes de morrer. Algumas, ele já havia feito, em companhia de seu amigo, mas faltavam as mais difíceis. Chorei muito, durante as últimas páginas. É angustiante esses dias finais do Sam; a cada noite que chega, sem saber se irá acordar no dia seguinte... É lindo ver também que no fim ele vai estabelecendo mais ligação com a sua família, entrando num elo forte que o ajudou a suportar todas as dores físicas e perturbações.

Recomendo!
comentários(0)comente



Adriano 29/08/2013

Muito Marcante
Há tempos que procuro Como Viver Eternamente para ler e não o encontrava com preço em conta para comprar. Recentemente, descobri uma cópia dele na biblioteca de meu colégio, no entanto, conseguir achá-lo foi uma tarefa difícil.. Até que num momento despretensioso, eis que uma amiga achou e eu comecei ler na segunda feira mesmo, dia 26.08.

Assim que iniciei a narrativa fui transportado para a vida de Sam, um menino de 11 anos, sonhador, com uma mente brilhante, cheio de objetivos que está acometido com leucemia em estado terminal. Ele e seu melhor amigo Felix, também com câncer contribuíram para a construção de uma narrativa intensa, simples e "gostosa" de se ler.

O livro acompanha a vida deles, seus diálogos, medos, brincadeiras, reflexões, e "coisas para se fazer antes de morrer", como:

- Descer a escada rolante de subir, ou subir a escada rolante de descer.
- Quebrar muitos recordes mundiais.
- Pilotar um dirigível.
- Ver um fantasma.
- Ser adolescente...

Todas essas coisas, unidos a escrita sensível da autora tornou a obra muito marcante. Mesclando capítulos rápidos, figuras, listas e reflexões é evidenciado também o sofrimento causado na família quando se tem uma pessoa com câncer em estado terminal em casa. Mostra o que os pais são capazes de fazer para conseguir tirar um sorriso dos filho.

A história narrada por Sam, nos apresenta um menino consciente do seu estado terminal e sobre a tênue linha entre a vida e a morte. Para ele, morrer não é o grande problema. De forma geral, a história é contada por Sam até o momento de sua morte, como forma de mostrar o que se passa na cabeça de uma criança sabendo que irá morrer a qualquer momento.

"Este é meu livro. Iniciado em 7 de janeiro e terminado em 12 de abril. É uma coletânea de listas, histórias, fotos, perguntas e fatos. É também a minha história. [...] Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto. "

Confesso que me emocionei em diversas partes, principalmente quando surgiam reflexões, chamadas de Perguntas que ninguém responde, tais como:

*Como você sabe que morreu?
*Morrer dói?
*Por que Deus faz as crianças ficarem doentes?
*Por que as pessoas tem de morrer?
*Para onde vamos quando morremos?

Para quem gosta de livros com essa temática, esse livro é perfeito.
Uma das melhores leituras de 2013 *-*
Espero que tenham gostado da resenha!

site: http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/2013/08/resenha-como-viver-eternamente-sally.html
Gu 13/11/2013minha estante
Lindo livro e perfeita resenha!




Su 30/08/2010

Você tem sonhos?Realize-os, pois você pode tudo, tudo!!!
O que falar desse livro??
Que ele me fez chorar copiosamente, que eu ainda estou digerindo tudo que li e aprendi com ele.
Li o livro em algumas horas, e devo admitir que nas primeiras páginas fiquei me perguntando: "Porque estou lendo este livro?".
Mas de repente, foi como se uma compota se abrisse, o livro é de uma sensibilidade extrema, tem uma narrativa leve, gostoso de ler, mas nem por isso é menos real e cruel, um livro que realmente tem um mensagem a passar.
Um livro lindíssimo, que pelo menos em mim, plantou uma semente, e sei que vai ecoar por muito tempo.
comentários(0)comente



Bruno 01/01/2012

Link da Resenha - http://livrosempauta.blogspot.com/2011/12/resenha-como-viver-eternamente-sally.html

Sam, um jovem garoto de 11 anos, é apaixonado por história e fatos curiosos. Ele é inteligente, bonito e tem um belo futuro pela frente. Na verdade, esqueçam a parte do futuro. Sam tem poucos meses de vida. Ele tem Leucemia.

Sam já fez a quimioterapia algumas vezes, e por um tempo a leucemia foi curada. Mas, agora os remédios fazem poucos efeitos, e ele agora só conta com a esperança de que viverá mais dias.

Ele parou de ir à escola, mas recebe aulas particulares três vezes por semana. Seu melhor amigo Felix também participa dessas aulas. Sam e Felix se conheceram no hospital. Sim, o melhor amigo de Sam também está com uma doença terminal.

A professora deles, Sra. Willis, passa uma atividade para os dois. Eles terão que escrever um pouco sobre si. Sam acaba se animando e resolve escrever um livro. Nesse livro ele resolve escrever sobre sua vida, sobre alguns fatos curiosos, perguntas que ninguém responde e algumas listas interessantes.

Sam faz uma lista de coisas que ele sonha fazer:

- Quero ser um cientista famoso. Descobrir coisas e escrever livros sobre minhas descobertas.

- Bater um recorde mundial. Não um recorde de algum esporte, obviamente. Um recorde bobo.

- Assistir todos os filmes de terror que não me deixam ver. Aqueles para maiores de 15. Ou de 18.

- Subir a escada rolante de descer ou descer a escada rolante de subir.

- Ver um fantasma.

- Ser um adolescente. Fazer coisas que adolescentes fazem, como beber, fumar ou ter namoradas.

- Passear em um dirigível.

- Subir em uma nave espacial e ver a Terra do espaço.

Obviamente que quando ele fez essa lista de sonhos, ele não pensava em concretizá-los. Alguns desses desejos são fáceis de realizar, mas outros são simplesmente impossíveis. Mas, Sam se surpreende ao ver que, com a ajuda dos amigos e familiares, os seus desejos passam a se realizar.


Recebi o livro "Como Viver Eternamente" como cortesia para resenha da Editora Geração Editorial. Eu já desejava esse livro faz um tempo, e quando recebi fiquei muito feliz.

Eu já comecei a ler o livro com a expectativa lá em cima. E graças a Deus minhas expectativas foram mais do que correspondidas. Eu pensava que seria aquele livro clichê gostoso de ler. Não foi nada disso. Esqueçam a parte do clichê e dupliquem o "gostoso de ler".

No livro vemos como um garoto puro enfrenta uma doença que deixa milhares de pessoas depressivas. Isso não acontece com o pequeno Sam. Ele faz dos últimos meses da sua vida, os melhores. Como eu já disse, pode parecer clichê, mas a autora soube escrever essa história nos passando lições sobre a amizade, sobre a família, sobre a vida, de uma fonte incomum.

"- Como é que ter câncer vai fazer você melhorar?
- Bem - hesitei. - Para ensinar coisas.
- Que coisas?
- Bem... como... - vacilei - ... como o que é importante na vida. Sei lá. Você fica entusiasmado de poder andar de bicicleta, por exemplo. E... e percebe como é importante sua família. Coisas assim."

Quando Sam passa a realizar seus desejos, vemos como a felicidade é fácil de obter. Ela pode ser encontrada em coisas simples no nosso dia-a-dia. Basta fazermos o que queremos fazer, sem se importar com o que outros vão pensar.

No momento em que começar a ler este livro, o leitor estará preso no seu perfeito enredo e só será libertado na última página. E quando for libertado, aos prantos, irá querer voltar para essa prisão literária.

"Como Viver Eternamente" é narrado em primeira pessoa pelo meu amigo Sam (sim, depois que você ler o livro, Sam se tornará seu eterno amigo). Os capítulos são curtos, o que facilita a leitura.

Enfim, eu recomendo esse livro a todos. Não há restrições. Todos devem lê-lo e absorver as lições que ele passa, e carregar tais lições para toda a vida. Como já disse o editor Luiz Fernando Emediato: "Como Viver Eternamente não fala da morte, mas da vida".
comentários(0)comente



Cris Compagnoni 10/06/2011

"Algumas coisas são perfeitas do início ao fim"
Essa história é como está escrito na contra-capa do livro, perfeita do início ao fim. Já faz algum tempo que li este livro mas toda vez que o vejo ou veja a foto da capa ainda sou tomada por aquele sentimento que eu não sei explicar direito, mas que na verdade eu acho que deve ser saudade do Sam, um personagem do qual nunca irei esquecer.

Ele têm um tipo raro de leucemia, e aproveita o pouco tempo que lhe resta de vida com pequenas realizações, pequenos momentos de felicidade, pequenos prazeres, coisas simples que tornam a vida muito mais feliz.

Já no início da história ele diz: "Meu nome é Sam, tenho 11 anos e tenho leucemia. quando você começar a ler esse livro provavelmente eu já estarei morto." Isso me chocou completamente e, apesar do final da história ser previsível, fui me encantando e me emocionando com Sam a cada página do livro.

Nunca reli um livro, mas se acaso um dia o fizer esse será o primeiro!
comentários(0)comente



Tribo do Livro 26/04/2014

Resenha por Ver Sobreira

Então, a primeira coisa a dizer sobre Como Viver Eternamente é que ele não é uma "cópia" de A culpa é das estrelas, até porque é um relançamento. Os personagens tem sexo, idades e tipo de câncer diferentes, Sally Nicholls tinha 23 anos quando escreveu e hoje caminha para 31 anos. As perspectivas de um está muito longe da, do outro, ou seja, Sam antecede Hazel. Mas há uma pergunta que cremos paira sempre no ar: O que nos leva a ler livros da chamada "sick-lit"?, termo aliás um tanto quanto pejorativo, só por se tratar de romances que focam doenças como um dos protagonistas. Porque em parte é disso que se trata, por menos que se fale ela está lá como fio condutor da trama.


Sam tem 11 anos, está doente, tem leucemia e sabe que vai morrer. Ele adora fatos, coisas, filmes de terror e resolve fazer listas. Ele tem um amigo, Felix, que conheceu em uma das vezes que estava internado. Felix também está doente e ao que parece em um estado mais grave que Sam. Os dois se tornaram tão amigos que estudam juntos, em casa, fazem revezamento de casas. A professora deles, a sra. Willis incentiva-os a escrever e Sam decidi escrever um livro sobre ele, sua doença e as reações de sua família. Mesmo sob o protesto de Félix, que só dá ideias e escreve apenas uma linha do livro, ele segue. Porém um acontecimento previsto, mas não tão aceitável vai abalar profundamente Sam. Com isso seu pai que até então tentava negar as verdadeiras condições de saúde de Sam, fará tudo que estiver ao seu alcance para tornar os dias do filho os melhores possíveis.

Passei o dia inteiro escrevendo sobre Felix, a aula e o recorde. Às vezes, que fiquei doente da última vez, eu fico cansado. Tudo o que quero fazer é me enrolar na cama e assistir filmes, ou ficar olhando um livro, ou escrever e escrever e não ter de pensar. (...)

Bem, esta é uma história de ficção, não tão ficção assim. Particularmente nunca convivi ou tive contato com quem tem uma criança com câncer na família, mas penso que deva ser doloroso. O curioso dos livros que abordam estes temas é que sempre é pior para quem está ao redor da pessoa doente. Por isso, é possível pensar que é a pior parte mesmo. A irmã de Sam, Bella, parece ter uma vaga noção dos acontecimentos, mas ao lermos percebemos que ela sabe o suficiente para sentir sua falta quando o momento chegar. Seu pai, Daniel tenta todo tempo mascarar a dor e não toca no assunto quando ele se torna sério demais, tenta tratar Sam com se tudo estivesse normal, e quando se dá conta de que o filho está morrendo não perde mais tempo e encara. E a mãe, bem, esta é a sempre guerreira, mas que chora compulsivamente nos braços do filho e às vezes quer brigar com Deus.

O curioso na narrativa de Sally Nicholls é que decididamente ela não quer nos fazer chorar e talvez sim compreender a dimensão da doença na visão de uma criança de 11 anos. É muito diferente do adulto, horas ela se revolta e vez por outras ela pensa que é isso mesmo, a vida é assim. Algumas pessoas não deveriam morrer cedo, porém morrem. Sam fez onze listas durante o período que escreveu seu livro e na décima primeira lista tem duas passagens interessantes:
Acho que um enterro tem de ser divertido. As pessoas não devem usar preto. Contem só as histórias engraçadas, e não as tristes sobre mim.
Podem ficar tristes, mas não é permitido ficarem tristes demais. Se ficarem tristes toda vez que pensarem em mim, então como vão poder se lembrar de mim ?

É isso. Recomendado.
comentários(0)comente



Rafaela B 18/02/2013

Como viver eternamente
Um livro terno, que nos faz pensar na vida e em como aproveitá-la intensamente. Nos faz rir e chorar, mas principalmente nos faz pensar em aproveitar a vida ao máximo! Amei!
comentários(0)comente



Isa 08/02/2011

Peguei o livro achando que ele seria chato. Que eu não conseguiria ler. Me enganei. Li em uma noite. É um livro fácil e rápido de ler. Que envolve o leitor, e que no final, o faz chorar como um bebê. Sally Nicholls conseguiu passar toda a inocência do personagem principal para mim. Me fez ver como ele enxergava as coisas, o modo simples de uma criança de enxergar o mundo. Algumas coisas realmente duram para sempre e eu acho, que pelo menos pra mim, esse livro vai ser eterno.
comentários(0)comente



Mylla 25/07/2012

Lindíssimo, encantador e emocionante. Sorri diversas vezes com esse livro, e derramei inúmeras lágrimas. É um livro tão simples de se ler, mas ao mesmo tempo possui uma mensagem tão impactante, impossível não se comover.
comentários(0)comente



145 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |