Dom Casmurro

Dom Casmurro Machado de Assis...



Resenhas - Dom Casmurro


867 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Prii 17/05/2019

Olhos de cigana, oblíqua e dissimulada
Não canso de rever essa obra nos seus mais diferentes formatos: o livro original de Machado de Assis é um espetáculo sem discussões, a minissérie Capitu conseguiu passar toda história da forma mais bonita imaginável (visualmente e musicalmente), e agora essa graphic novel que com certeza conseguiu se sair muito bem, mesmo com a dificuldade para continuar a deixar o leiror na dúvida sobre Capitu.
comentários(0)comente



Maíra Marques | @literamai 17/05/2019

Siga:@literamai
Não consigo acreditar que demorei tanto pra falar dessa obra de arte por aqui.
.
A história é narrada pela perspectiva de Bentinho. Ele nos conta que levou o título de "Dom Casmurro" de um poeta no trem, pois dormiu enquanto este lia para ele (que falta de amor, hein?). Depois, Bento nos leva a sua infância, vivia com sua família em um casarão e era vizinho da menina mais bela de Matacavalos, Capitolina.
.
Bentinho descobre que sua mãe realizou uma promessa a qual dizia que seu filho varão iria ao seminário (ela havia perdido o primeiro filho). Ao descobrir isso, Capitu tenta ajudar Bentinho de todos os jeitos a fugir deste destino, mas sem resultados. Antes de partir, eles selam o romance que surgiu entre eles com um beijo, com a promessa de que Capitu esperaria e se casaria com Bento.
.
No seminário, Bento conhece Ezequiel Escobar e eles se tornam grandes amigos, a amizade é tão forte que, quando Bentinho tem a oportunidade de ir visitar a família, leva Escobar junto. E assim Escobar conhece a amada de seu melhor amigo, Capitolina. Capitu havia se aproximado da mãe de Bentinho e esta se arrependeu da promessa que fizera, não sabendo como arrumar a bagunça. Quem deu a solução foi Escobar! E assim, dona Glória procurou um sacerdote e enviou um escravo para ocupar o lugar de seu filho, o libertando para que seguisse seu romance.
.
Bento vai estudar Direito e, após retornar, casa-se com Capitu. Escobar se casa com Sancha, amiga de Capitu, e juntos tem uma filha a quem nomeiam de Capitolina. Bento e Capitu demoram alguns anos para ter um filho (o que causou um desconforto entre o casal), mas ao tê-lo, devolveram a homenagem, chamando a criança de Ezequiel. A neura começa quando Bentinho começa a ver em seu filho caracteristicas de seu melhor amigo.

site: https://www.instagram.com/literamai
comentários(0)comente



Gael 12/05/2019

É um ótimo romance eu mesmo já li mais de uma vez, as primeiras páginas são cativantes e prendem você a uma leitura imersiva, A maneira como Bentinho se descobre apaixonado por Capitu e a maneira como eles lutam para ficar juntos cria um enredo bem legal que dura até o meio do livro, o problema é que daí para frente a história diminui o ritmo e termina com um final que na falta de uma palavra melhor só pode ser descrita como decepcionante, um final de certa forma trágico faz você pensar se ler o livro todo valeu a pena. independente disso Dom Casmurro foi um dos primeiros livros que li e é um dos meus livros preferidos até hoje, não pela história ou pelo enredo, ou pelos personagens, mais pela narração e pelo jeito mágico que Machado de Assis constrói cada frase, por fim independente das minhas críticas Dom Casmurro é um livro que eu super recomendo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Bella 07/05/2019minha estante
ao fato de >Ezequiel< ser de aparência tão familiar a de Escobar. (correção, pessoal)




Matheus 30/04/2019

Leitura obrigatória
Aos 32 anos, após deixar de lado o ranço que nossas escolas involuntariamente criam nos nossos clássicos, resolvi encarar Machado de Assis. E que surpresa boa! Enfim pude entender o porquê ele é um dos nossos maiores escritores. Leitura para adulto, e não para crianças. Um livro recheado de complexidades, humor, e poesia, escrito de uma maneira muito gostosa de ler. Uma maravilhosa história de amor entre Bentinho e Capitu, com final surpreendente. Uma típica tragédia grega. Escrita por um gênio.
comentários(0)comente



Amendoa 29/04/2019

Capitu não traiu Bentinho
Esse foi o meu primeiro contato com a obra machadiana e me surpreendi positivamente. Foi melhor do que eu esperava, uma leitura boa, porém não maravilhosa - por isso a nota mediana.

O autor escreve de forma envolvente, muito realista, um narrador muito presente na história, o que faz com que a gente acredite que há uma verossimilhança em tudo o que está sendo narrado.

Sobre o maior dilema da literatura: Capitu não traiu Bentinho!

Minha opinião se beseia no fato de que Bentinho era doente. Seu ciúmes era doentio (embora todo cíumes seja patologia, ao meu ver). Esse lado ciumento do personagem só não se mostra mais claramente porque Capitu não dá mais motivos para que ele se enfatize na história. Mas em algumas falas do personagem se percebe que o cíumes de Bentinho é pertubador. Isso com certeza faz com que ele distorça os fatos ao seu favor, e enxergue o que não existe, através de seu olhar doentio.

Outro ponto a se considerar, primeiramente, é que não temos evidência nenhuma na historia além das alegações de Bentinho. Não se pode acreditar em apenas um ponto de vista sem provas concretas na historia.

Segundamente, Machado de Assis faz muitas referências a tragédia Shakespeariana "Oleto" que narra a morte de Desdemona pelas mãos de seu marido Otelo por causa de seu cíumes, e na história ela é completamente inocente da traição. Tendo isso em vista, eu imagino que nessa referência o autor nos dá indícios de que Capitu também é inocente dessa acusação.

Enfim, gostaria muito que Machado de Assis tivesse deixado o ponto de vista de Capitu escrito, para que a personagem tivesse seu direito de defesa.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Danielle 28/04/2019minha estante
Lembre-se de que o narrador, se não me engano, era o próprio Bentinho, então a semelhança da criança com Escobar pode ser loucura da cabeça dele.


Maura 28/04/2019minha estante
Eu pensei nisso também, mas é impossível saber, se eu levar só em consideração o que o bentinho escreveu, na minha opinião a Capítulo traiu, mas se eu pensar fora da caixinha assim como você, é provável que ela não tenha traído, fico confusa kkk


Maura 28/04/2019minha estante
Capitu***


Danielle 28/04/2019minha estante
Quando eu reler a gente conversa novamente ;)


Maura 28/04/2019minha estante
Beleza ^^




MH 27/04/2019

Como de costume, sendo sincero...
Quando era adolescente eu odiava ler obrigado... e o autor acabou pagando por isso. Criei certa resistência a Machado de Assis e só voltei a pegar em seus livros depois de adulto.
Atualmente, li apenas dois: o alvo da resenha e Memorial de Aires.

Realmente a prosa do Machado é sensacional, mas não é minha preferida.

Essa pegada de diário, com pouca emoção e narração muito detalhada (para mim, prolixa) não me agrada muito.

Dom Casmurro é um livro ok, que em poucos momentos despertou curiosidade ou vontade de saber o destino do personagem principal. Na verdade, eu somente senti real interesse a partir do desenrolar da suposta traição. Nesse momento o livro sai de uma biografia chata e morna para uma história intrigante, dinâmica e interessante.

Ainda pretendo ler mais alguns livros do Machado, mas sem muitas espectativas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabi 10/04/2019

Tive de ler para crer que realmente é um dos melhores romances brasileiro, quiçá do mundo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nath 03/04/2019

Crítica/Opinião
Sinceramente? Que livro maçante... Não via a hora de acabar. Peguei ele com muita expectativa por ser sempre falado e ser um dos clássicos da Literatura Brasileira, mas essa foi uma das minhas piores leituras da vida. Estou até receosa de pegar Memórias Póstumas de Brás Cubas, que, aliás, está na minha meta desse ano. Acho que também vou me arrepender da leitura, mas vou dar uma chance...
comentários(0)comente



Alice.Gomes 31/03/2019

Não é bem uma resenha e sim opinião
A grande questão que intriga a nós leitores é: Bentinho pode ser um homem excessivamente ciumento e julgar-se traído; ou ele pode ter sido de fato traído por Capitu. O fato da história ter sido contada a partir da visão de Bentinho, não torna a versão verdadeira, muito pelo contrário. A perspicácia de Machado de Assis, sugere a cada um de nós leitores, as próprias conclusões...as vezes penso no que se passou na cabeça de Machado para criar um romance tão intrigante é muito genial
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Alessandra 17/03/2019

Uma promessa impertinente.
Dona Glória há muito fez promessa ao Senhor de que, se vivo nascesse seu filho, este iria para o seminário. Bentinho, mais tarde Dom Casmurro, nada sabia desse voto, importando apenas sua amizade com Capitu.

Em sua ingenuidade, jamais viu outra coisa na moça que não fosse afeto entre irmãos, pois assim sempre foram um para o outro, desde que se entendiam por gente.

Porém, à revelação da jura da mãe, acompanhada da acusação de José Dias de que estariam os dois enamorados, Bento percebe então o que jamais soube existir dentro do seu coração: amava Capitu. Mas o que fariam agora desse amor que estava para desabrochar quando ele seria arrastado para a vida celibatária sem escolha?

A trama, narrada pelo próprio protagonista, conta a angústia de Bentinho em livrar-se dos caminhos da Igreja. Acompanha o mesmo em sua vivência no seminário e como surgiu lá sua amizade com Escobar.

Do desenrolar da pendenga, conhecemos mais a capacidade dissimulatória de sua amada, que desde pequena mostrava habilidade para a manipulação.

Bentinho, sempre desconfiado e ciumento, pode ter gerado nos leitores a grande pergunta que gira em torno de Dom Casmurro: Capitu traiu ou não traiu? Mas confesso que para mim tal dúvida nunca existiu. Ei de dizer que a verdade reside no fitar dos olhos da dulcineia.

Machado pode parecer para muitos uma leitura distante da realidade, fora do comum, mas engano seu se pensar assim. Sua escrita convida o leitor a viver a história com ele, sempre recheada de ironias e confidências. A proximidade e a intimidade chegam rápido nessa convivência.

Apesar de ser considerado o clássico dos clássicos machadianos, ainda persisto em minha preferência por Brás Cubas.

site: https://euamolivrosnovos.blogspot.com
M. Q. Cortez 29/03/2019minha estante
Alessandra, seus crítica sobre o livro é pertinente e nos remete a acreditar na traição de Capitu, mas isso somente aos olhos do narrador que nos conta seu ponto de vista. Não temos a visão do outro lado. Desta forma persiste a dúvida. E este é o caso de tanta polêmica. Mas certo é que nunca saberemos se ocorreu ou não a traição.


Alessandra 28/04/2019minha estante
De fato, seu posicionamento também é correto, mas eu não consigo acreditar na inocência de Capitu, ainda que eu tenha apenas um ponto de vista.




867 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |