Objetos Cortantes

Objetos Cortantes Gillian Flynn




Resenhas - Na Própria Carne


469 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernando Lafaiete 30/04/2018

Objetos Cortantes: Estou tentando entender os elogios que esta obra recebeu (... e que continuará provavelmente recebendo). #Pensativo
***Não possui spoiler***

Gillian Flynn é uma das escritoras mais elogiada no gênero thriller psicológico; mas ela definitivamente não é uma autora que me agrada como eu gostaria que me agradasse. Ainda tenho interesse em suas obras e continuarei lendo-a. Os plots me motivam, os psicológicos me instigam e os desenvolvimentos até que me prendem. Mas os personagens são os grandes problemas para mim. O fato de todos serem perturbados, cheios de atitudes questionáveis me fazem não criar nenhuma conexão com os mesmos e durante o virar de páginas, tanto faz se eles viverão ou morrerão. Esta indiferença é um ponto mais que negativo pelo simples fato de que conexão emotiva é algo que valorizo muito em minhas leituras independente do gênero que estiver lendo.

Objetos Cortantes é um livro bem mais comercial que Garota Exemplar, devido sua estrutura narrativa. O começo me agradou mais e eu me vi envolvido com o plot. O mistério da trama é bom e o livro flui bem. O fato de acompanhar uma jornalista que possui uma relação disfuncional com a mãe e que se vê obrigada a retornar para sua cidade natal a fim de investigar uma série de assassinatos de jovens garotas, é interessante e o clima é bem árido e muito claustrofóbico.

Entretanto, as obviedades da obra me irritaram muito. Desde o início fica claro qual será a suposta grande revelação do final. A manipulação narrativa empregada pela autora na (falha) intenção de desviar a atenção do leitor é péssima. O desenvolvimento investigativo é fraco e as atitudes dos personagens são repetitivas. Desculpem a sinceridade, mas só será surpreendido no final quem não ler com atenção.

E o que dizer das adolescentes de 13 anos de idade e dos adultos da estória? As garotas se oferecem, se drogam, transam com vários caras e os adultos da cidade não veem o que está acontecendo? Onde estão os pais dessas crianças? A protagonista não só vê tudo que está acontecendo como se droga com a irmã de 13 anos durante uma brincadeira que de brincadeira não tem nada. É uma personagem central tão irresponsável e sem noção que nem sei como ela conseguiu se tornar jornalista de um importante jornal. Ela é desequilibrada e nem condições emocionais de fazer um trabalho de campo, como o proposto pela autora, ela tem.

São tantas atitudes absurdas e tanta coisa óbvia que faltou o agente literário da autora alertá-la antes que esta obra fosse publicada. Eu já sabia desde o início quem era o criminoso e por isso a segunda metade foi um martírio. Não aguentava mais toda aquela enrolação para a autora revelar logo o que eu já havia sacado e que na verdade só a mosca morta da protagonista não tinha percebido.

É uma obra mediana, que tinha tudo para ser excelente. Mas se tornou mais um livro previsível na minha lista de thrillers problemáticos que infelizmente só aumenta. Este livro só não consegue ser pior que Piano Vermelho e A Febre. Se fosse pior que as bombas citadas, a autora mereceria ser presa, pois seu livro ultrapassaria o limite do ruim e se tornaria um crime.

Um livro qualquer coisa que conseguiu me decepcionar mesmo eu tendo lido sem nenhuma expectativa. Assistirei o filme que será lançado? Pra ser sincero, só assistirei quando estiver passando pela milésima vez na televisão. Como vejo muita gente amando esta estória... Só digo uma coisa: Leiam e tirem suas próprias conclusões. Afinal de contas, gosto é igual aquilo mesmo, cada um tem o seu.
Ka Sthéfany 30/04/2018minha estante
Essa tá na minha lista de piores livros que já li na vida.


Ka Sthéfany 30/04/2018minha estante
Esse tá na minha lista de piores livros que já li na vida.


Fernando Lafaiete 30/04/2018minha estante
Super te entendo Ka. Como já li coisa pior, dei 3 estrelas. Mas ele é de fato uma leitura descartável. Não indico!


Passarinho 30/04/2018minha estante
Foi o primeiro livro da autora que li e fiquei me perguntando pq diabos ele é tão elogiado, além que achei o final bem corrido pra mostra o óbvio quem era a pessoa criminosa em duas últimas páginas que revirei os olhos.


Keylla 30/04/2018minha estante
Está na minha meta esse ano... Há uns 2 anos me esperando na estante. Já me aconteceu várias vezes de ser "O LIVRO" pela maioria, e não ter feito diferença alguma para mim.


Leila Macedo 30/04/2018minha estante
Não me identifico com a autora. Li Garota Exemplar e não gostei nem um pouco. Foi uma leitura cansativa, onde pulei várias partes e ainda me decepcionei com final... Gillian Flynn não é pra mim!


Fernando Lafaiete 30/04/2018minha estante
Então gente... Eu até tentei gostar dela mas até agora não rolou. Passarinho, eu também fiquei com essa sensação. O livro é tão previsível e o final tão sem graça que não sei como as pessoas conseguem gostar do mesmo.

Keylla, eu espero que você goste. Eu realmente vou torcer pra que isso aconteça. Ninguém merece começar um livro e se decepcionar. Espero que pra você este livro se torne " O LIVRO". :)

Leila... Eu também e li e também não gostei de Garota Exemplar. Me irritei tanto com a leitura. Também achei uma leitura cansativa e pra mim também foi uma leitura previsível. Queria ter venerado o livro como a maioria faz... Mas não rolou. :/


Heloise.Schiavini 27/05/2018minha estante
Nossa eu da mesma opinião que a Leila Macedo (comentário ali em cima) e você! Li garota exemplar que apesar de ter gostado do final, e este, mas achei a escrita da autora muito cansativa. Garota exemplar ainda tem uma história bem construída mas esse meu deus, horrível. Desisti da autora.


Fernando Lafaiete 28/05/2018minha estante
Pois é Heloise. Eu também não me dou muito bem com a autora. Ainda não desisti 100% dela, mas estou bem perto disso. :/


Mi 29/05/2018minha estante
Terminei de ler hoje por causa da minissérie e tudo o que vc falou era o que eu pensava durante a leitura. Todo munfo perturbado nessa família kkk mas o pior foi a protagonista uma mulher adulta, ok que tem a cabeça perturbada mas se deixando influenciar por uma pirralha de 13, difícil de engolir.


Fernando Lafaiete 29/05/2018minha estante
Pois é Mi... Achei isso completamente ridículo. Muito sem noção. :/


Erica 09/06/2018minha estante
resumiu perfeitamente o livro! senti o mesmo ao ler...os fatos (chocantes demais) jogados no leitor...nenhuma empatia pelos personagens?, pelo contrário, a protagonista me irritou profundamente com suas atitudes. A autora perdeu a chance de fazer do livro algo importante e o colocou no patamar de ser meramente chocante...


Fernando Lafaiete 09/06/2018minha estante
Concordo Erica. Achei este livro descartável. Mas foi uma leitura tranquila, que me irritou, mas que pelo menos serviu para passar o tempo.




Brubs: @resgateliterario 10/01/2016

Essa resenha foi publicada no blog Dualidade Literária
Esse é o segundo livro da Gilian, que leio o primeiro foi garota exemplar que foi um dos melhores livros que já li e tenho que confessar que sou uma grande fã dela.
Vale ressaltar que esse foi o livro de estreia de Gilian Flynn , ele foi originalmente escrito em 2006 e lançado em 2008 pelo titulo de Na própria carne pela editora Rocco. Porém com o sucesso de garota exemplar foi relançado em 2015 pela editora intrínseca.
Essa autora tem um dom de falar sobre o relacionamento entre seres humanos, sobre o lado mais escuro da nossa personalidade afinal ela sabe abordar vários temas , provou isso em garota exemplar abordando sobre o casamento e seu lado obscuro. Em objetos escuros é um livros escrito praticamente sobre as mulheres. Não é nada parecido com garota exemplar é algo a mais , é bem mais perturbador , mais sombrio e o clima dele é pesado do início ao fim, não tem alívio em nenhum segundo.
Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado. Camille é uma jornalista de Chicago que é enviada de volta para a sua cidade natal no Missouri pelo seu chefe para fazer matérias sobre os assassinatos de duas meninas que pode ou não estar interligados , porém o problema principal de voltar pra sua cidade é ter que reencontrar sua família principalmente sua mãe com quem não tem uma boa relação , rever sua meia irmã que não tem nenhum contato e mal conhece e ainda ter que lidar com o passado que sempre a persegue.
Todo mundo sofre pressões, e cada um tem um jeito diferente para aliviar essa pressão. Alguns chegam ao limite, agredindo diretamente seu corpo, como uma forma de aliviar dores emocionais. A automutilação. Esse é o caso de Camille Preaker , porém no caso dela é diferente , ela corta palavras em seu corpo. Todos nós temos essa escuridão na alma, alguns mais outros menos... a diferença é só como a gente coloca pra fora...

" Eu corto palavras - murmurei , como se isso fizesse diferença. "

A narrativa é muito bem construída, os personagens muito bem escritos e ZERO clichê. É um livro que faz você pensar e repensar, não é uma história que você esquece facilmente, pelo menos para mim. Eu particularmente adoro o jeito que a gilian descreve seus personagens, principalmente o jeito que ela descreve as mulheres em seus livros, sei que o modo que ela as descreve é perturbador mais cai entre nós, é a realidade. Ninguém é perfeito. Ninguém é bonzinho.
O final é CHOCANTE, confesso que a autora correu um pouquinho no final mais não alterou minha opinião sobre o livro. Quando você está certo sobre algo, na verdade você não está e é uma reviravolta impressionante. Não imaginava o que rumo da história iria chegar até aonde chegou. Esse não é um livro pra qualquer um, ela nos trás o mundo real cabe a você ser capaz de aguentar isso.
Super recomento!


site: http://dualidadeliteraria.blogspot.com.br/2016/01/resenha-objetos-cortantes-gillian-flynn.html
Liz 31/01/2016minha estante
o q achou?


Brubs: @resgateliterario 04/02/2016minha estante
eu postei minha resenha aí em cima e no meu blog kkkk


Brubs: @resgateliterario 04/02/2016minha estante
É brilhante , só alguém como a gillian tem a capacidade de fazer uma história como essa


Brubs: @resgateliterario 04/02/2016minha estante
Se vc tiver a oportunidade leia , sério


Liz 05/02/2016minha estante
desculpe é que pelo aplicativo não aparece rs


Liz 05/02/2016minha estante
estou lendo lugares escuros e estou quase abandonando...


Brubs: @resgateliterario 08/02/2016minha estante
ah pelo aplicativo , a unica coisa ruim é isso kkk


Brubs: @resgateliterario 08/02/2016minha estante
sim lugares escuros falam q é o "ruim" dela , estou até com medo de ler pq nossa amei tanto esses dois livros dela


Brubs: @resgateliterario 08/02/2016minha estante
ñ está gostando não ?


Liz 09/02/2016minha estante
Então acho mesmo que deve ser o ruim kk pq eu li Garota Exemplar não em mt tempo, ai quando vc lê um livro como e espera que a Autora siga o mesmo rumo, mas não, Lugares Escuros é mt parado e isso dificultou muito minha leitura.


Liz 09/02/2016minha estante
Então acho mesmo que deve ser o ruim kk pq eu li Garota Exemplar não tem mt tempo, ai quando vc lê um livro como ele espera que a Autora siga o mesmo rumo, mas não, Lugares Escuros é mt parado e isso dificultou muito minha leitura.


Brubs: @resgateliterario 21/02/2016minha estante
sorry a demora


Brubs: @resgateliterario 21/02/2016minha estante
Assim acho q vc deveria ter feito igual a mim , dps de garota exemplar ter lido objetos cortantes , pq sei lá fui pq pelo sinopse impressiona e é um livro que tem a maioria das resenhas boas porém outras nao. Mais no caso vc tem q gostar de misterios e ter aquela "fome" de tentar descobrir o culpado.
A gillian adora falar sobre a obscuridade da personalidade uma das coisas q mais gosto dela , acho q em lugares escuros dá a sensançao de ser muito lento assim como o filme pq tmb as criticas nao foram muito boas , mais sei lá te aconselho a ler objetos cortantes pq serio é impressionante !! Acho q ela corre um pouco no final mais não danifica muito.




Marcio Quara 29/03/2015

Poderia ter sido excelente, mas foi apenas mediano
Já aviso de antemão que a minha opinião (sem spoilers) não irá agradar a todos. Não leia este livro com a esperança de encontrar a mesma qualidade observada em Garota Exemplar. Esta obra, que foi a primeira publicada pela autora, está bem aquém do esperado e acho, sinceramente, que o endeusamento do livro é injusto e está ocorrendo em virtude do sucesso de Garota Exemplar, que é inegavelmente ótimo.

Este é apenas o segundo livro da autora que leio, mas gostaria de falar duas coisas. A primeira é que, ao comparar as duas obras supracitadas, é possível constatar uma evolução gigantesca na qualidade da escrita da autora e no grau de desenvolvimento dos personagens. Enquanto Garota Exemplar possui uma trama sem pontas soltas e uma narrativa viciante, inteligente e com personagens tridimensionais, Objetos Cortantes apresenta totalmente o contrário. A narrativa pode até ser ágil, mas as informações presentes no livro estão tão fragmentadas que foi possível perceber duas falhas graves: desenvolvimento excessivo de informações irrelevantes para a trama e ausência de explicações cruciais para o enredo. Além disso, senti que os personagens foram mal explorados e superficiais.

A segunda observação é que a Gillian gosta de chocar o leitor. Isso é muito nítido em todas as suas obras. Não que isso seja algo negativo, mas acredito que deva ser feito de maneira inteligente, caso contrário fica fora do contexto e o acontecimento acaba perdendo a relevância. Foi justamente isso que aconteceu nesta obra, algumas informações foram muito incômodas e polêmicas, mas, ao final da leitura, pouco ou nada acrescentaram à trama.

Conclusão:
Posso ter parecido muito duro na minha crítica, mas o livro é bom. Só fiquei um pouco decepcionado, pois a trama tinha tudo para ser genial, mas foi mal desenvolvida e acabou sendo apenas mediana. De qualquer modo, acho que a leitura é válida e espero ansiosamente pelo próximo lançamento da autora.
Patsy 29/03/2015minha estante
amei a resenha e a critica! está entre minhas próximas leituras, até mesmo porque ganhei aquele super box lindo, mas eu já imaginava que não seria tão bom por ser o primeiro, vou dar um desconto, ir sem grandes expectativas e quem sabe eu vou gostar um pouco mais.

Escreva mais resenhas meu amigo, ficou ótima!!! Parabéns!


Marcio Quara 01/04/2015minha estante
Leia sim e espero que goste. Eu me chateei um pouco pois as expectativas estavam altas, mas o livro é bom.


Renato 22/04/2015minha estante
Descreveu perfeitamente o livro!


Luisa 28/05/2015minha estante
A única resenha que condiz com o que eu achei do livro. Mediano e perturbador. Realmente com muitas informações desnecessárias e outras cruciais foram deixadas de lado. Terminei o livro bastante decepcionada.
Parabéns pela ótima resenha!


Haida 06/07/2015minha estante
Exatamente o que achei do livro!


Maíra 07/01/2016minha estante
Também achei a mesma coisa do livro :) Ótima resenha!!!


Sabrina 10/07/2016minha estante
Eu não poderia descrever melhor! Concordo com cada linha, mas não achei o livro bom.

Na verdade, única coisa que acrescento: me incomodou a construção das personagens femininas, relações incômodas dos homens e mulheres (bem machistas e abusivas) e perpetuação de um padrão de beleza que me gerou pouca empatia (quase deu nojo como todo mundo nesse livro era loiro ou tinha o olho claro, que chatice).


Ulli 23/07/2016minha estante
Achei a opinião perfeita. Foi exatamente o que senti quando li. Não sei se é por que li Garota Exemplar antes e me APAIXONEI. Acho que tive muitas expectativas e acabei muito decepcionada. Não que não valha a pena ler, vale. Mas... Não acho que seja maravilhoso ou perfeito, foi apenas legal...


Mayra 30/07/2016minha estante
Descreveu perfeitamente a minha opinião.
O livro só começa a empolgar bem para o final, a narrativa não é das melhores, não há evolução dos personagens e a explica dos acontecimentos no final foi tão surreal que não da para acreditar.
Mas onprimejro livro da autora que li, também foi garota exemplar, no caso gone girl. Não sei dizer se a grande diferença foi na tradução ou se na evolução da autora em si.


Luana Ludmila 29/09/2016minha estante
Ótima resenha, Márcio. Parabéns pela sinceridade, confesso que eu também não estou tão empolgada como estava antes de começá-lo (ainda lendo). Não é tão alucinado e empolgante como foi garota exemplar, mas tem lá seus créditos. Não gostei da personagem, chata e pouco explorada, assim como a mãe e filha menor. Além dos fatores da beleza como dito aqui pela Sabrina, acho que ela recriou esse cenário de pessoas perfeitas sei lá onde. No entanto, tem alguns pontos bons como o jogo de palavras cortadas, o detetive clichê e as meninas más. Do mais estou finalizando ainda, a leitura é válida, não deixem de ler. :)


Marcelo Caniato 21/11/2016minha estante
Tive essa mesma sensação lendo O Adulto. Parece que ela fica muito preocupada em surpreender e chocar o leitor, e acaba pecando nessa parte.


Jessika.Costa 26/07/2018minha estante
Digo que o mesmo aconteceu comigo, nesse livro eu esperava mais e acabei por achar mediando...




Simone de Cássia 05/05/2016

Livro difícil, todo mundo é doido, é noiado. E tem uma filosofia de perpetuar erros tipo: minha avó tratou mal a minha mãe que me tratou mal e por isso eu faço o mal... Como se estivéssemos todos fadados inexoravelmente a seguir um caminho, sem opção de escolha. Não gostei.
Jenny Puerta 05/05/2016minha estante
Leia o Lugares Escuros da mesma autora, acredito que vc vá gostar!


Claudia 05/05/2016minha estante
Não tinha pensado do seu ponto de vista, mas é vdd...


Simone de Cássia 05/05/2016minha estante
Então, Jenny, eu li o GAROTA EXEMPLAR e gostei, mas esse aqui desceu atravessado.., rs rs


Simone de Cássia 05/05/2016minha estante
Pois é, Cláudia, como dizia a minha avózinha : " o buraco é bem mais embaixo..." rs rs


Amanda 10/05/2016minha estante
Não aconselho Lugares escuros :p


Amanda 10/05/2016minha estante
Eu li a sinopse desse aí é achei que não ia rolar, aí vi Lugares escuros e achei que ia prestar... Não deu também.


Jenny Puerta 10/05/2016minha estante
Caramba, sério?! Gostei mais de "Lugares Escuros" do que de "Garota Exemplar", inclusive, até arrisquei assistir ao filme depois da leitura.
A Charlize Theron interpreta muito bem o papel da protagonista, embora a personagem seja "um pé no saco" em diversas passagens...rs


Claudia 10/05/2016minha estante
Achei os filmes bem melhores!....


Simone de Cássia 10/05/2016minha estante
Pois eu não leio mais nada dessa autora... sou enjoadinha, depois que tomo birra ....rs rs




Alynne Scott 09/12/2016

Primeira decepção com Gillian
Depois de Garota Exemplar (que amei) e O Adulto (que gostei), chegou a vez de quase detestar Objetos Cortantes.
A história têm vários momentos com falta de continuidade, vários elementos não se encaixam e, no geral, é tudo bem superficial.
Todo o enredo é bem raso e óbvio, a única coisa que me surpreendeu foi saber onde os dentes estavam - sacada genial.
Os personagens são um tanto quanto irreais, não me identifiquei com nenhum e isso não por si só não é um ponto negativo; mas em garota exemplar, por exemplo, a falta de identificação tinha uma razão de ser. Se você parar para avaliar os diálogos fica tudo tão absurdo que ri muitas vezes; crianças de 13 falando como adultos, adultos de 30 falando como crianças de 13.
Não tenho como afirmar com certeza, mas talvez a tradução não tenha ajudado tanto. De qualquer forma achei um livro medíocre, nada demais, previsível e pouco cativante ao que se propõe.
Gillian faz algo que odeio em livros: tomar o leitor como estúpido; cada coisa foi mastigada, informações óbvias foram dadas e muitas outras desnecessárias também. A protagonista sentiu uma necessidade de te pegar pela mão e ensinar o b a ba, nada me irrita mais do que isso. O final foi o que salvou meia estrela e fez esta obra ficar com 3 no total.
Renato 09/12/2016minha estante
Esse realmente não foi muito empolgante, mas como foi livro de estreia dá pra entender, rsrs. Recomendo a leitura de "Lugares Escuros", onde o nível dele fica entre Objetos Cortantes e Garota Exemplar, sendo mais próximo deste último. Você vai ver que é uma história muuuuuito melhor trabalhada e encaixada, com final surpreendente, triste e coeso. O Adulto ainda não li.


Alynne Scott 09/12/2016minha estante
Pensei nisso, tentei mentalizar que foi o primeiro livro publicado dela. Mas o hype foi tão grande que "calou" esse argumento de estreia na minha cabeça. Sobre o adulto: ele é bom enquanto conto, gostaria de um pouco mais inclusive kk tem reviravolta até não querer mais


Renato 09/12/2016minha estante
Rsrsrs, bom saber.


Tatiane 10/12/2016minha estante
Preciso confessar que me identifiquei muito com a sua resenha, principalmente nessa questão das idades, achei bizarro demais isso. Fiquei torcendo para que o desfecho não fosse da forma que foi e acabou sendo... decepcionada.


Alynne Scott 10/12/2016minha estante
é muito louco a protagonista de 30 e poucos anos agindo como adolescente kk é quase cômico


Cláudia 31/12/2016minha estante
undefined




Pandora 22/05/2015

“… E Clarisse está trancada no banheiro
E faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete
Deitada no canto, seus tornozelos sangram
E a dor é menor do que parece
Quando ela se corta ela se esquece
Que é impossível ter da vida calma e força
Viver em dor, o que ninguém entende
Tentar ser forte a todo e cada amanhecer…
(...) Como se toda essa dor fosse diferente, ou inexistente
Nada existe pra mim, não tente
Você não sabe e não entende
E quando os antidepressivos e os calmantes não fazem mais efeito
Clarisse sabe que a loucura está presente
E sente a essência estranha do que é a morte
Mas esse vazio ela conhece muito bem
De quando em quando é um novo tratamento
Mas o mundo continua sempre o mesmo…”
(Clarisse, Legião Urbana)

Camille é uma jovem jornalista nascida numa cidadezinha do Missouri e que trabalha num pequeno jornal em Chicago. Quando sai de um hospital psiquiátrico, onde havia sido internada para se se tratar de uma depressão profunda e da tendência à automutilação, seu chefe e amigo sugere que ela volte à cidade onde nasceu para cobrir a morte de uma criança e o desaparecimento de outra. O que ele não poderia imaginar era que o retorno de Camille ao ambiente familiar seria tão doloroso, trazendo lembranças à tona, esmiuçando segredos, revelando uma família mentalmente perturbada, mas que goza dos privilégios de sua condição social. Conforme a investigação sobre os crimes avança e novos fatos vão sendo descobertos, as angústias de Camille ficam mais latentes e mais difícil se torna, para ela, manter o controle. Um livro perturbador sobre o desequilíbrio humano.
Lu 22/05/2015minha estante
Gosto bastante dessa música! :D


kamila victoria 23/05/2015minha estante
Essa música é mara


Pandora 23/05/2015minha estante
Legião tá na trilha sonora da minha vida.


Lu 23/05/2015minha estante
*.*


kamila victoria 23/05/2015minha estante
:D




LT 09/06/2015

"Garota Exemplar" entrou na lista de um dos meus livros favoritos de todos os tempos, assim como Gillian Flynn a autora que deu vida ao casal problemático que de tão famoso, ganhou as telas dos cinemas mundo afora. Então, como uma viciada em busca de alimentar seu vício, eu comecei a minha busca por mais livros da autora. E eis que a Editora Intrínseca resolveu atender minhas súplicas e publicou o primeiro livro da autora: "Objetos Cortantes". E meus amigos, que história!!



Somos sugados para o mundo da jornalista Camille Preaker que, recém saída de um hospítal psiquiátrico, precisa voltar a sua odiada cidade natal para investigar o assassinato de uma meninas o desaparecimento de outra. E durante sua investigação, precisa retomar contato com sua misteriosa mãe, seu padrasto e uma meia-irmã que ela desconhece.

Diferente de 'Garota Exemplar' em que o suspense e mistério nos permeiam durante toda a leitura, 'Objetos Cortantes' nos leva para um mundo muito mais cruel e violento. A autora nos coloca em contato com detalhes macabros (em determinados momentos) e nos deixa com aquela dúvida de até que ponto a crueldade humana pode chegar.

Camille Preaker é uma jovem que tinha de tudo mas ao mesmo tempo não tinha nada. Lida com a perda prematura de uma irmã durante a infância, e vê sua vida virar de cabeça pra baixo e surta. Tudo extremamente bem disfarçado. Vamos acompanhando que a volta dela para a casa da mãe e a investigação dos crimes, podem leva-la a enfrentar seus piores medos.

Gillian utilizou de todos os conhecimentos, durante seu tempo como jornalista, para nos apresentar uma história com mais baixos que altos e aterrorizante mas ao mesmo tempo viciante. Todos os personagens te abraçam e te assustam, e você encontra motivos para desconfiar de todos!! Não acredite em ninguém e não pense que já vai saber o resultados dos mistérios logo no início porque garanto que não vai! Quando o livro acaba, e os crimes são solucionados, você fica com aquela sensação de que a verdade estava o tempo todo a nossa frente mas, ao mesmo tempo, cruel demais para acreditarmos.

''Objetos Cortantes'' é um daqueles livros que a gente guarda no fundo de uma caixa, tamanho o terror que o envolve mas em contrapartida, temos coragem de recomendar para que todos leiam! E se, mesmo com minha súplica para que você se vista de coragem para lê-lo, eu te dou um mais um motivo: a história já se encontra em pré-produção para ganhar as telonas. E aí, te convenci?

Resenhista: Bianca Senna.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
Carina 25/07/2016minha estante
Um livro que nos deixa preso, e com aquele friozinho na barriga.


Lucas.Dutra 31/07/2016minha estante
Acabei de terminar, disse tudo o que estou sentindo com essa leitura viciante e envolvente que tive em todas as páginas.


LT 25/08/2016minha estante
E vamos esperar pelo filme, que venha e seja maravilhoso! ?


Lucas.Dutra 25/08/2016minha estante
Será uma série, a protagonista será interpretada pela maravilhosa Amy Adams, estou curioso como vão transformar poucas páginas em uma série, vamos aguardar.


LT 28/08/2016minha estante
Vamos sim! Achei que ia ser só um filme, agora fiquei mais curiosa ainda!




Deza Farias 14/07/2018

"OBJETOS CORTANTES"
Objetos cortantes conta a historia de Camille Preake, uma reporte de um jornal sem prestígio em Chicago.
Depois de passar um tempo internada em uma clínica psiquiatra, Camille esta de voltar, e tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.


Sem dinheiro para hospedagem ela é obrigada a fica na casa da Mãe, uma mulher estranha e totalmente maluca.
Na casa também mora o padrasto da Camille e a sua meia irmã Amma, que para nossa protagonista é quase desconhecida, desde que a Camille saiu de Wind Gap, Camille quase não teve contato com a família.

Para obter informações para sua matéria, ela começar a entrevistar os velhos moradores e aqueles que acabaram de chega. E ela acaba descobrindo muitos segredos sobre sua família, segredos tão assustadores quanto suas cicatrizes

Camille é uma pessoa marcada, ela tem em todo o seu corpos palavras cortadas na pele. Ela teve uma infância um tanto ruim, sua Mãe Adora, era uma mulher amarga, que pousava de boa vizinha mais dentro de casa ela era o cão. E agora Camille esta revivendo tudo, e ainda tem a Emma, uma criança mimada e com uma conduta muito má.

A menina que foi encontrada morta, teve os dentes arracandos, e a outra ainda está desaparecida e é nisso que se desenrola a trama, quem foi tão cruel a ponto de arrancar os dentes de uma criança e mata-la?
Suspeitos é o que não vai faltar.

Particularmente eu não gostei muito do livro, eu realmente estava com as expectativas lá em cima, sem fala que eu tinha acabado de ler Caixas de Pássaros, então eu queria ler um livro, tão bom quanto. E eu tinha amado "Garota Exemplar" então eu achei que ia gostar muito.
Mais não, eu não vou dizer que odiei, mais o livro não me prendia eu achei a leitura chata e arrastada. Porém o final salvou o livro, eu acho que se não fosse o final eu teria dando duas estrelas para o livro.


O final para mim foi surpreende, eu realmente não achei que a pessoa por trás do crime fosse aquela.
Então eu acho que isso salvou o livro de ser um tremendo desperdício de tempo.


Porém como falo, acho a leitura válida, e cada leitor ver os livros de formas diferentes.


Boa leitura a todos :)
Amanda 14/07/2018minha estante
Tem outro livro dela, que li e achei bem ruim. Esqueci o nome agora. Acho que depois de ler Caixa de pássaros, a gente não consegue encontrar nada à altura.


Deza Farias 15/07/2018minha estante
Concordo plenamente com vc kkkk. Eu li dela Garota exemplar e gostei muito. Medo eu tou de não gosta de lugares escuros.


Amanda 15/07/2018minha estante
Foi esse mesmo que eu li e não gostei xD


Amanda 15/07/2018minha estante
Não foi ruim a ponto de eu abandonar. Mas quando acabou pensei: que merda, hein?


Deza Farias 15/07/2018minha estante
Ai mds




Sueli 27/07/2018

Bad Behavior
Eu sou aquela leitora que ama spoilers. Sou de uma época em que eu e meus amigos discutíamos sobre os livros interessantes entre uma aula e outra e se achássemos a conversa muito boa, é claro que “matávamos” aula. Quem não?
Portanto, não tenho nenhuma dúvida que “Objetos Cortantes” seria um ótimo motivo para ficarmos horas falando sobre ele na lanchonete da faculdade. Mas, em uma época em que nunca se ouvira falar sobre spoilers!
Claro que o assassino nunca seria revelado, afinal ainda nos restava um pouco de ética literária... Mas, todo o resto seria discutido e se por um acaso alguém deixasse muito evidente o final, era prontamente desculpado desde que prometesse ter mais cuidado no próximo livro. Coisa que nunca acontecia, evidentemente! Porém, o que mais amávamos era a interação e a forma como cada um de nós interpretava a narrativa e a intenção do autor em determinado ponto do livro.
Eu não tinha intenção de ler Objetos Cortantes, mas a interpretação da Amy Adams no seriado “Sharps Objects” é tão espetacular, que eu, essa pessoa sem nenhuma resistência para esse nível de sedução, fiquei sem opção. E, não me arrependo de forma alguma!
Além dos livros, sou fascinada por séries policiais e de suspense, então, transito sem receio por produções europeias e americanas, embora prefira os seriados escandinavos, mais realistas e com produção mais enxuta.
E, foi justamente em uma produção escandinava que conheci o termo “Munchausen Por Procuração” e caso você se interesse, fica a dica – assista “A Ponte”, com Sofia Helin interpretando Saga Noren, uma detetive sueca que aparentemente é portadora da síndrome de Asperger que será melhor comentada na terceira temporada.
Portanto, quando me aprofundei na leitura de Objetos Cortantes, foi quase natural que eu fizesse uma ligação entre os personagens, mas que foi rapidamente absorvida em um mar de situações impactantes, cruéis e escatológicas.
Quando li Garota Exemplar, da mesma Gillian Flynn, eu precisei parar e assistir ao filme para conseguir terminar o livro. Em Objetos Cortantes precisei carregar duas vezes o kindle até terminar o livro. Quem tem um kindle sabe como dura a bateria desse dispositivo, mas eu fechei e abri o mesmo tantas vezes, sempre em situações onde Camille, a personagem principal e narradora deste estarrecedor thriller, que a bateria pediu “socorro”. Assim como eu...
Detalhes sobre o livro, eu não sei como dar sem revelar pontos importantes da trama, mas recomendo fortemente para todos os amantes do gênero. Avisando que a própria Amy Adams, em uma entrevista, disse que sentia-se muito perturbada enquanto interpretava Camille.
O primeiro livro escrito por Gillian Flynn, que já mostrava a força de sua narrativa baseada em puro desgraçamento. Só não classifiquei melhor porque sou uma leitora medíocre que tem o hábito de imaginar saídas para personagens escritos para nos atormentar, nos tirar de nossa zona de conforto, nos fazer questionar o sistema e os conceitos comportamentais aprendidos.
Giovana 27/07/2018minha estante
também li o livro por influência da série! O livro é muito bom, bem envolvente, não conseguia parar de ler :D


Amanda.Andrade 27/07/2018minha estante
undefined


Sueli 27/07/2018minha estante
Eu havia excluído a Gillian Flynn da minha lista de autores, mas o seriado mudou a minha decisão e confesso que Objetos Cortantes é um livro impactante apesar de algumas escolhas da Camille. Agora, nos resta assistir o seriado e ver até que ponto ele é fiel ao livro. ;)


Giovana 30/07/2018minha estante
É, vamos acompanhar a série hehe


Sueli 31/07/2018minha estante
;)




Manu 21/04/2016

Uma protagonista bela, mas nada recatada e muito menos do lar
Ah, Gillian Flynn. Apenas dois livros de sua autoria que eu li e já caí de amores. Pena que só existem três. Aguardo ansiosamente pelo próximo lançamento.

Ao contrário de Josh Malerman, que estreou no mundo literário com o horrendo Caixa de Pássaros, Flynn conseguiu sambar e fazer um espacate em cima da cara da sociedade com sua primeira obra, Objetos cortantes. A história é narrada em primeira pessoa por Camille Preaker, uma jornalista meia boca de Chicago que é obrigada a voltar à sua cidade natal, a pequena Wind Gap, para construir uma matéria a respeito do assassinato de uma garotinha e do desaparecimento misterioso de outra. Sem recursos e recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar sua tendência à automutilação, Camille se hospeda na casa da mãe neurótica quem não vê há anos , do padrasto e da meia-irmã de 13 anos que mal conhece.

Assim como em Lugares escuros e Garota exemplar (que não li, mas assisti ao filme, então dá pra ter uma ideia), Flynn choca o público-leitor ao trazer um drama com elementos perturbadores, muita tensão e um nível de compreensão impressionante das camadas mais imperfeitas do ser humano. Desde as primeiras páginas a gente sabe que está nas mãos de uma rainha. Ela constrói com paciência os passos que Camille dá para tentar encontrar respostas sobre o crime, enquanto revive memórias doloridas do passado e tenta se relacionar não só com a família que deixou em Wind Gap, mas com seus próprios demônios, estabelecendo uma ligação forte de empatia com ela.

O foco de Objetos cortantes é em Camille, sua mãe e a cidade em si, o que não torna o livro menos thriller. Até porque, cada vez que a personagem sai às ruas e descobre coisas novas sobre as pessoas que estão à sua volta, o cheiro de podre levanta e mistérios se agravam. Aliás, a resposta para um dos grandes mistérios do livro não pareceu surpreendente pra mim, mas de forma alguma tira o brilho de todo o resto. O que me incomodou (e sempre tem algo que incomoda né, mores) foi outra coisa.

A partir mais ou menos da página 200 (a edição que comprei tem 251), achei que Objetos cortantes perdeu um pouco da força. Ainda que Flynn nos conduza com habilidade até o clímax, a conclusão dos acontecimentos se deu de forma muito rápida, em contraste com tudo o que foi apresentado até então, além de deixar pontas soltas para questões que pediam encerramentos mais sólidos. Sabe quando um filme baseado em fatos reais termina e, antes dos créditos, aparecem aqueles textos contando o que houve com os personagens depois? Então, a impressão que ficou do final foi mais ou menos essa.

Mesmo não sendo o melhor de Gillian Flynn, Objetos cortantes é um ótimo suspense que merece ser lido e, depois, assistido: a HBO anunciou que vai produzir uma minissérie de 8 episódios baseada na história, com a maravilhosa da Amy Adams no papel de Camille. Tomara que não demore a sair.

Seus dedos puxaram a toalha. Eu me aferrei a ela, dura como um pano de prato sobre meus seios, e balancei a cabeça.
Por que isso? sussurrou ele no meu ouvido.
A imperdoável luz da manhã sussurrei de volta. Hora de abandonar a ilusão.
Que ilusão?
De que tudo vai ficar bem disse, e beijei sua face.

site: http://www.vemaquirapidao.com/2016/04/resenha-objetos-cortantes-gillian-flynn.html
Ciii 22/04/2016minha estante
Sabia que você ia gostar!


Manu 23/04/2016minha estante
E nas partes bizarras, quando eu torcia pra coisas impróprias acontecerem?? hahahah


Ciii 25/04/2016minha estante
HAHAHAHAHAHA, normalíssimo! Tu ta vendo "The Killing", né? Assiste Broadchurch que também tem esse climinha angustia/tensão... mas não tem nada gráfico, pega mais pela emoção


Manu 25/04/2016minha estante
Vi The Killing toda já




Karina Matos 21/04/2015

Essa resenha também foi publicada no blog Vida aos Vinte.
Uma palavra para esse livro: incrível.

Objetos Cortantes é o romance de estreia de Gillian Flynn. Foi publicado originalmente em 2006, e agora chegou ao Brasil pela Editora Intrínseca.

Camille Preaker é uma jornalista mediana, que trabalha em um jornal de baixa circulação em Chicago. Seu editor, Frank Curry, acha que uma cobertura a respeito do assassinato e do desaparecimento de duas garotas no interior do Missouri darão ao jornal uma maior visibilidade em Chicago, já que os jornais maiores ainda não estão falando desse assunto. A cidade onde os crimes estão acontecendo é Wind Gap, onde Camille nasceu e cresceu, e por isso ela é enviada até lá para obter informações sobre os crimes e fazer a matéria.

Em Wind Gap, Camille tem que enfrentar o desafio de conviver com a mãe, o padrasto e a meia-irmã, além das pessoas que fizeram parte da sua infância e adolescência, enquanto tenta descobrir detalhes das investigações. Ela tem problemas com automutilação e bebidas.

Fica difícil falar sobre as impressões que tive sem dar spoilers ou, no mínimo, dicas do que pode acontecer no final. Mas tenho que dizer que desde o começo a mãe de Camille, Adora Crellin, me pareceu insuportável – em alguns momentos desprezível – e a sensação foi piorando ao longo do livro. O comportamento dela é extremamente irritante, assim como o de sua filha mais nova, Amma. Mas sabendo da existência de um padrão nos livros da Gillian Flynn – que falam sobre mulheres más -, isso já era esperado.

Algumas situações me fizeram refletir sobre a vida que levo, e acho que principalmente os que vivem em cidades pequenas vão sentir a mesma coisa. Algumas mulheres de Wind Gap são mais do que más, são quase diabólicas, e isso me fez refletir sobre como podemos nos deixar enganar tantos anos por pessoas que pensávamos ser tão amáveis…

Não posso deixar de comparar Objetos Cortantes com Garota Exemplar, que foi o livro que me deixou completamente apaixonada pela autora. A narrativa da Gillian é brilhante nos dois casos, mas achei que houve um amadurecimento na escrita dela entre os dois livros. Enquanto Garota Exemplar não deixa pontas soltas, Objetos Cortantes às vezes se perde em detalhes que não são exatamente relevantes e acho que faltou um pouco de sutileza ao revelar os segredos da história. Talvez isso se deva às minhas expectativas, que eram bem altas.

Mesmo assim achei o livro incrível, o final surpreendente e a narrativa da Gillian Flynn espetacular. Ainda prefiro Garota Exemplar, mas achei Objetos Cortantes inteligente e inquietante (no bom sentido), e recomendo para todos que gostam de leituras do gênero, e para aqueles que vão ler um livro da Gillian pela primeira vez. Começando por ele, provavelmente vão se apaixonar pela narrativa e inteligência dela.

No site dela há uma parte dedicada aos leitores onde a Gillian explica os seus motivos para escrever sobre mulheres perversas e diz que quando pensa em Objetos Cortantes, se lembra de uma fotografia de 1948, tirada por Frederick Sommer, chamada Livia (nome da imperatriz romana assassina). Ela diz que os olhos da garota são assustadoramente inteligentes, os lábios teimosos, todo o seu rosto malicioso – talvez malévolo -; e que essa é uma das suas fotografias preferidas no mundo, um lembrete de que garotas – e mulheres – podem ser más.

site: vidaaosvinte.com.br
Luciane Leite 22/04/2015minha estante
Um dos melhores livros que li nos últimos 10 anos.


Karina Matos 23/04/2015minha estante
Muito bom né Luciane! Já leu Garota Exemplar?


Luciane Leite 23/04/2015minha estante
Ainda não, quando conheci só tinha com a capa do filme. Estou esperando o relançamento com a capa original. Mas quero muito. Em maio saí Lugares Escuros tbm.


Karina Matos 23/04/2015minha estante
Oba! Vc PRECISA ler Garota Exemplar! Eu consegui comprar com a capa original na última hora. Foi um dos melhores livros que já li, se vc quiser ler, fiz resenha dele também ;) Quando vc ler o livro me diz o que achou. Sou apaixonada pela Gillian Flynn!




spoiler visualizar
Camila B. Monteiro 03/05/2014minha estante
Fiquei preocupada com esse livro tb porque li Garota Exemplar e não gostei. Mas estou curiosa... Acho que darei uma chance só para não julgá-la por apenas um livro! Penso igual vc! Gosto de viajar com a leitura, menos sordidez seria bom!


Crica 03/05/2014minha estante
Tb li esse outro e gostei menos ainda dele. Acho que nos livros dela todos os personagens são perturbados, sei que na vida real existem pessoas assim aos montes mas tb existem pessoas boas que vivem tentando agir de forma correta. Tenho outro livro dela para ler (lugares escuros) e tb não desisti dessa autora ainda.


Matheus 10/01/2015minha estante
Esse é o aspecto que mais admiro na autora. Ela monta os personagens de forma original, traçando seu perfil psicológico ao longo da trama e nos fazendo mergulhar nos inúmeros aspectos que não fazem desses personagens nem bons nem ruins.


Júlia. 25/03/2015minha estante
Seu comentário é perfeito. E é uma das coisas que eu mais gosto na autora.




Andressa 29/01/2015

Angustiante!
Bem...vamos em partes. "Na própria carne" ou "Objetos Cortantes" fala sobre o assassinato de duas crianças na cidade de Wind Gap, no Missouri. Camille é uma repórter com sérios problemas psicológicos: a auto-mutilação de seu corpo, os problemas com a família, a morte precoce de sua irmão mais nova Marian e os problemas de se relacionar amorosamente retornam quando ela é quase obrigada a voltar a sua cidade natal para cobrir a matéria sobre os assassinatos.

Tenho que dizer o quanto esse livro é perturbador. As partes com Amma eram as que mais me chocavam. As partes de Camille também não são nada fáceis! A personagem lembra a todo momento como sua infância foi marcada de orgias, além de sempre lembrar das palavras que ela própria entalhava em sua pele. Eu sinceramente não sabia dizer quem era pior, se é a mãe de Camille que sempre me pareceu estranha apesar de carregar a morte prematura de sua filha, da sua falta de amor com Camille e sua atenção super protetora e cega com Amma e de seu relacionamento nada bom com sua mãe (vó de Camille no caso), se era a depravação de Amma com apenas 13 anos e sua insensibilidade para vários acontecimentos, se era Allan que parecia assistir á tudo e não fazer absolutamente nada, ou se era com Camille, que me parecia mais como uma vítima em toda a história.

E não pense que ao final da histórias as coisas irão ficar mais fáceis para nossa personagem principal porque não vão! Eu queria dizer muito mais coisas, mas acho que não conseguiria resenhar sem dar spoiler. Mas esse livro se resume ao título que dei a resenha: angustiante!

E ao contrário de muitas pessoas, ainda não li Garota Exemplar, o livro mais famoso da autora, mas depois desse livro, com certeza lerei!
Gilles Vieira 10/02/2015minha estante
"Na própria carne" ou "Objetos Cortantes" são os mesmos livros?


Andressa 11/02/2015minha estante
É sim Gilles. Na Própria Carne foi lançado pela editora Rocco. E como foi a Intríseca que lançou o Garota Exemplar que é da mesma autora, resolveu reeditar o livro e lança-lo como Objetos Cortantes.


Karin Arndt 28/02/2015minha estante
Voces sabem se é a mesma traducao? o da intrínseca tem 44 paginas a menos...


Andressa 03/03/2015minha estante
Karin as traduções devem variar um pouco....e tbm depende da edição. Letras maiores, menores, fonte....mas tenho certeza que o texto é integral e que não cortaram nada.




Pryscilla Oliveira 13/04/2015

Perturbado
Essa é a palavra perfeita pra descrever esse livro. Tem um final muito bom e bem pesadinho, não que eu não esteja acostumada a ler esse tipo de coisa, pois estou, mas foi meio que perturbador. Gostei muito, apesar de que eu achava que iria enfatizar mais nos "objetos cortantes". Recomendo para aqueles que gostam de leituras perturbadas.
Adolfho 13/04/2015minha estante
Ótimo, então. Lerei


Pryscilla Oliveira 13/04/2015minha estante
Jóia! Depois me diga o que achou :D


Adolfho 13/04/2015minha estante
Blz. ??


Adolfho 13/04/2015minha estante
Era pra sair um emote.




Ana Paula Sinueh 21/04/2015

Quando a relação entre mãe e filha ultrapassa o limite da sanidade
Comecei a ler este livros às 10:30 da manhã e terminei às 20:15. Se isso não for um indicativo do magnetismo da história, não sei o que será!
A trama se passa entre uma jornalista com problemas de auto flagelação (não é mais novidade, está em todas as resenhas e inclusive na sinopse, se não me engano, então não chega a ser um spoiler) e sua família igualmente problemática que ela se vê obrigada a reencontrar quando é enviada a sua cidade natal para escrever uma matéria sobre assassinatos locais.
Não chega a ser tenso, ou angustiante, mas a autora soube muito bem brincar com o instinto especulativo de todos nós, fazendo de cada leitor um detetive em potencial.
E que final!
Me senti nas minhas primeiras histórias do Hercule Poirot, lá na minha infância, quando ainda me surpreendia com o desfecho da investigação. Acho que temos nossa Agatha Christie do século XXI...
Erik 21/04/2015minha estante
Ótima resenha! Me interessei. :D


Ana Paula Sinueh 21/04/2015minha estante
Obrigada, Erik. Comprei pelo Google Play, míseros R$ 17,00! Lá tem uma amostra grátis, dá pra 'tirar uma febre', heheh...


Alexandre.Matte 23/09/2016minha estante
Legal se interessar por um livro e encontrar uma resenha de quem eu sei que tem bom gosto!




469 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |