Losing It

Losing It Cora Carmack




Resenhas - Losing It


65 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Pam 17/12/2018

Um amor!
Apesar de ter certa expectativa ao começar a ler Losing It, acredito que elas foram superadas em função de um ponto específico: a conexão criada entre a personagem e o leitor.
Tanto a Bliss quanto o Garrick são personagens bem construídos, como o livro é do ponto de vista da Bliss é possível fazer um mapa bem estruturado da personalidade e comportamento da personagem, o que coloca você perfeitamente na história como participante ativo. Para mim o ponto forte do livro é essa relação afetiva com a protagonista, desenvolvida logo nos primeiros capítulos e que possibilita uma leitura engajada.
Um ponto negativo para mim foi a apresentação dos demais personagens. O foco do livro é o romance entre Bliss e Garrick, contudo, acredito que Cade e Kelsey poderiam ter sido melhor desenvolvidos, bem como a relação deles com Bliss. Não senti a minima intensidade, ou veracidade, na relação da amizade entre Bliss e Kelsey, também deixou a desejar a falta de profundidade nas conversas entre Bliss e Cade. Fiquei com a impressão de que todos os personagens eram meros figurantes para o desenrolar romântico entre os protagonistas.
No entanto me senti presa ao livro até a última página, toda a realidade montada a partir do interesse de Bliss pela literatura e sua carreira no teatro são articuladas perfeitamente com o desenrolar da história e a personalidade dela, inclusive me apaixonei pela menção à Orgulho e Preconceito no epílogo.
O livro poderia ser um pouco mais longo, justamente pra corrigir essa falta de desenvolvimento dos demais personagens e de sua relação com Bliss, mas serviu perfeitamente ao que eu procurava: uma leitura leve e bem escrita.
comentários(0)comente



Deyse 13/10/2017

New Adult não é o meu gênero favorito ou o que leio com mais frequência, então não sabia muito bem o que esperar quando comecei Perdendo-me. Eu acabei gostando da leitura, que soou como uma comédia romântica no formato de livro: leve, fofa e com uma boa dose de romance.

Bliss, nossa personagem principal, começa a história decidindo perder sua virgindade com um desconhecido, entra Garrick, que parece um espécime perfeito completo com um sotaque britânico e tudo. No desenrolar da história o casal vai se envolver em várias situações hilárias (principalmente Bliss, que tem uma habilidade especial para isso), o seu desenvolvimento beira o instalove, porém foi divertido acompanhar os dois então não me importei muito com isso.

A reclamação que eu tenho é que os personagens não são muito bem desenvolvidos, não posso dizer quem Bliss era antes dessa história e qual a personalidade de Garrick além dele gostar da Bliss. Isso não impactou no meu momento de leitura, mas torna o livro mais fácil de ser esquecido no meio de todos os outros que leio.

O clímax do livro para o casal ficar junto também foi meio fraco. O livro tem uma oportunidade de falar de um tema forte e impactante que é a relação entre professor-aluna, no entanto escolhe não explorar isso deixando os obstáculos para o casal ficar junto mais fáceis e a história menos impactante.

No fim das contas essa foi uma leitura divertida, rápida e doce. Eu super recomendo se você gosta de New Adult sem todo aquele drama e aquele clássico de bad boy e mocinha, romances ou só quer um livro para ler e relaxar, sem ter que pensar em nada.

site: https://www.instagram.com/p/BZpFHNTFaZs
comentários(0)comente



Elô 06/09/2015

Perdê-lo
Bliss é uma garota de 22 anos que ainda é virgem. Cansada disso ela resolve revelar esse segredo pra sua melhor amiga que lógo decide leva-la a um bar pra resolver essa situação, lá ela conhece o charmoso e gostoso Garrick e no fim acabam no apartamento dela mas na hora H ela surta e inventa uma desculpa totalmente nada a ver e acaba deixando ele nu no quarto enquanto ela vai embora e se esconde atras da casa esperando ele sair. Detalhe, ele é seu novo vizinho mas isso nao é o pior ,no outro dia, na faculdade, Bliss descobre que seu novo professor é na verdade o própio Garrick,seu vizinho e o cara que ela deixou pelado. Apartir daí ela terá que descobrir uma maneira de nao se envolver com seu professor para nao coloca-los numa fria além de resolver o problema com seu melhor amigo que está apaixonado por ela.
comentários(0)comente



Bia 11/07/2015

Amorzinho fofinho
Losing It foi um livrinho tão despretensioso que eu achei digno fazer uma resenha-sinopse desse "chick-lit".
Lançado originalmente em 2012, Losing It foi traduzido e vendido no Brasil pela editora Novo Conceito no final do ano passado com o título de "Perdendo-me". Desde a data de lançamento nos EUA eu vinha "namorando" esse livro pelo Goodreads, devido a sua sinopse de romance "água com açúcar" e sua promessa de uma leitura rápida e descompromissada.
Cara Carmack realmente cumpre o prometido. Losing it apresenta a história de Bliss, uma garota de 22 anos (minha idade o/) que está no último semestre da faculdade de artes cênicas e ainda é virgem. Cansada de sua virgindade e desapontada por ser a única garota de sua idade pura e inocente, Bliss conta seu problema para a amiga Kelsey (que é o oposto da protagonista) e juntas elas vão à um bar encontrar um homem para Bliss perder sua virgindade.
É nesse bar que nossa heroína encontra Garrick, um loiro alto de olhos azuis, com sotaque britânico e ainda por cima lendo Shakespeare (suspiro apaixonado). Como todo bom romance, a química entre Bliss e Garrick é instantânea e logo nesse primeiro encontro repleto de beijos e faíscas as coisas começam a se encaminhar para o desfecho que Bliss tanto deseja, porém a mocinha surta e abandona o coitado minutos antes deles consumarem a relação.
Envergonhada com o que fez, Bliss tenta superar o fracasso da noite anterior pensando que nunca mais iria encontrar o britânico em sua vida, porém no próximo dia ao chegar na faculdade ela descobre que o rapaz com quem tinha ficado é seu novo professor. Começam assim os problemas do amor proibido e da indecisão de Bliss.
Escolhi ler esse livro em inglês, porque eu adoro ler esses clichês na língua original do escritor, acredito que os personagens ficam mais legítimos e algumas expressões sempre tem mais graça em inglês (momento opinião pessoal).
Mas independente do idioma lido é impossível não se apaixonar um pouquinho pela narrativa de Cara Carmack. A autora cria situações e personagens conhecidos por todas as leitoras, porém algo em sua escrita "prende" o leitor e o faz ler o livro até o final. Talvez seja as cenas leves e engraçadas protagonizadas por Bliss, a menina de 22 anos que se mete em todas as confusões possíveis.
Além da escrita fluída da autora, eu também me interessei no livro pois me identifiquei em várias partes com a mocinha, principalmente em relação as questões da faculdade. As expectativas que todos os universitários criam ao ingressar em uma universidade e as dificuldades encontradas ao concluir o curso e o que fazer depois da graduação. Adorei a idealização de encontrar o amor ideal dentro da faculdade que Bliss apresentava.

"God, it was really starting to hit me. I was about to graduate, and my life was nowhere near where I thought it would be. When I started school three and a half years ago, I thought by now I'd have a plan. I thought I'd know positively what I wanted to do and where I was going. And if I was honest... I thought I would have met the guy I was going to marry by now. I mean, every married couple I knew met in college, and here I was only months away, and the ideia of marriage at this point seemed preposterous to me"

Eu como uma moça recém formada em Letras e sem ideia do que fazer pós faculdade e sem ter encontrado o homem perfeito na faculdade eu quase chorei lendo esse "quote" #shameonme. Porém a história fictícia de Bliss tem um final feliz que serve de esperança para todas nós, moças de 22 anos que andam desiludidas com a vida.
Um livrinho muito bonitinho, uma leitura rápida e garantida de entretenimento e diversão. Recomendado para adoçar um pouco aqueles dias difíceis e distrair a mente dos problemas do mundo real.
Para aqueles que realmente viraram fã da autora, a boa notícia é que esse é o primeiro livro de uma trilogia. No Brasil a editora Novo Conceito já lançou "Fingindo" que conta a história de Cade, melhor amigo de Bliss e provavelmente ainda nesse ano sai o último livro "Finding It" que conta a história de Kelsey a outra amiga da nossa heroína. No momento não vou continuar com a trilogia, porque estou engajada em ler outras séries, porém no futuro quando estiver precisando de uma leitura agradável já sei qual livro comprar.


Classificação: 3 de 5 estrelas.


site: http://beahreads.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Aleeh 20/06/2015

simplesmente Amei
Amei o Livro ...meio previsível mas não pude deixar de me apaixonar pelo livro . Tinha momentos que eu queria Matar a Bliss , mas o livro é encantador me fez ri bastante é extrovertido e cheio de vida . E Sem Conta que Cora tem uma ótima escrita.
comentários(0)comente



Andresa 30/04/2015

A sinopse, por si só, já dá aquele gostinho de história constrangedora e engraçada. Nesse quesito, “Losing It” não me decepcionou em nada! A trama é super leve e divertida. Os personagens são muito, muito, muito bem construídos.
Simplesmente amei a protagonista, Bliss. Apesar de, na maioria das histórias, retratarem as virgens como tímidas e românticas, a Bliss foge completamente desse perfil. Ela é super decidida, independente (mora sozinha em um apartamento próprio), inteligente, carismática e engraçada, além de super desengonçada, o que garante as risadas ao longo do livro.
A virgindade de Bliss não é algo que a atrapalha. Na verdade, além de não ter encontrado a pessoa certa para isso, a Bliss é bastante controladora com relação a vida que leva. Ela é centrada nos estudos e preocupada com o futuro, então dificilmente age por impulso. Ser virgem não seria um problema para ela se a amiga, Kelsey, não a perturbasse tanto com isso e se a mãe dela não perguntasse a todo momento se ela já arrumou um namorado.
É então que Kelsey tem a brilhante ideia de levar Bliss a um barzinho, escolher um cara aleatório e passar apenas uma noite com ele, a fim de mudar de vez esse status. Depois de algumas tequilas e alguns alvos encontrados, Bliss se depara com um rapaz lendo Shakespeare em uma mesa do bar (sim, isso mesmo, Shakespeare... No bar!). É então que conhece Garrick, um belo rapaz com sotaque britânico, que mexe com a cabeça de Bliss e a faz, pela primeira vez na vida, perder o controle da situação. E, sim, ele é o cara da sinopse.
Garrick é um personagem muito encantador. Ele é uma mistura de personalidades e isso o torna quase perfeito (malditas escritoras que criam esses homens incríveis e imaginários!). Além de ter o famoso sotaque britânico que deixa qualquer mulher maluca, ele gosta de poesia e é, ao mesmo tempo, sensual e romântico, protetor e ciumento. A escritora não o limitou em uma essência só e isso contribuiu para deixá-lo maravilhoso.
Kelsey é aquele tipo de amiga extravagante, intrometida e que não aceita nãos: completamente irritante em alguns momentos, mas extremamente fiel em outros. O jeito dela é bem peculiar e ela pareceu bastante real.
O livro retrata alguns assuntos bem interessantes, como amizade entre homens e mulheres, último ano de faculdade e burradas que todo jovem faz, se arrepende depois, mas, ao menos, tem histórias para contar.
Apesar da capa ter a imagem de dois personagens que, obviamente, devem remeter à Bliss e ao Garrick, não acredito que eles se pareçam com as pessoas da imagem, não só pelas descrições deles ao longo do livro, mas porque acabei os criando na minha cabeça de forma diferente.
“Losing It” daria um filme muito engraçado, especialmente se a Bliss fosse interpretada pela Emma Stone e a Kelsey pela Alyson Michalka (ambas do filme “A Mentira”). O ator Gabriel Mann daria um Garrick perfeito! Sim, fui longe demais ao comparar atores com os personagens, haha.
No geral, não é um daqueles livros onde você vai extrair uma grande lição de moral! O final é bem previsível, nada muito excepcional. Mas é ótimo para passar o tempo, se divertir e se apaixonar pelos personagens, se você está procurando uma leitura rápida, suave e engraçada. Recomendadíssimo!

site: http://andresa-lee.blogspot.com.br/2013/11/livro-losing-it-cora-carmack.html
comentários(0)comente



Lori 22/02/2015

Divertido
Losing it é aquele tipo de livro que faz você passar vergonha na rua, porque você simplesmente não vai conseguir conter as gargalhadas e pode parecer um pouco.. desiquilibrada. Não que isso tenha acontecido comigo... no parquinho da minha filha... Imagina!

Bliss é uma universitária que tem um problema: ela ainda é virgem; e quando confessa tal proeza para a sua melhor amiga Kelsey, esta insiste que elas devem fazer algo a respeito. Kelsey decide que elas precisam reverter tal situação imediatamente e impele Bliss a acompanha-la à um bar; tudo com o intuito de acharem um candidato, qualquer um mesmo, que esteja disposto a alterar o atual predicamento de Bliss.

Obviamente esta é a melhor maneira de se perder a virgindade!

Ou não...

Logo de cara já dá para saber que essa “operação perca o hímem” não ia dar certo. Nada obstante, no dito bar Bliss conhece Garrick e sente uma atração imediata e sem parâmetros. As coisas, então, começam a progredir e Bliss... entra em pânico (Gatos!!)! O que é simplesmente hilário. A noite decididamente não sai como ela esperava e tudo o que ela quer é nunca mais ter que olhar para a cara dele.

Qual não é a sua surpresa quando no dia seguinte ela descobre que Garrick é o seu mais novo professor de teatro. O que se segue, então, é uma série de situações divertidas enquanto esses dois hilários protagonistas tentam se acertar.

Eu tenho que admitir que realmente gostei deste livro. Ele é divertido, descomplicado e dá para ser lido numa sentada. Confesso, no entanto, que a heroína me frustrou bastante e que eu não consegui sentir uma verdadeira conexão entre os protagonistas. De fato, eu não me vi convencida do motivo pelo qual Garrick ficou tão vidrado em Bliss. Contudo, a engraçadíssima linha de pensamento de nossa heroína fez valer a pena a leitura e ... o fato de que eu talvez tenha que procurar outro parquinho para levar a minha filha por um tempo.
Jessica A. 22/02/2015minha estante
Vc não passou vergonha, mas eu sim Lori! E que situação constrangedora passei no metrô por causa desse livro hahahahahahahahah não consegui me segurar!!


Lori 22/02/2015minha estante
kkkkkkkkkk... é impossível não segurar a risada!




Anna Laitano 15/01/2015

Divertido e sexy
A capa e o título sugestivos garantiram minha curiosidade desde o primeiro segundo, quando fiquei sabendo do lançamento. Então, quando descobri que o título viria para o Brasil, fiquei me contorcendo de curiosidade e tive que satisfazê-la ao receber o livro, passando-o na frente de todos os outros. Que bom que fiz isso. Um dos livros mais divertidos que li nos últimos tempos.

O grande ponto positivo da história é ela ser narrada pela protagonista. Isto, porque os pensamentos atrapalhados e a autoconsciência de Bliss são totalmente hilários, e farão o leitor pagar mico junto com a personagem, rindo muito de suas situações embaraçosas. Por isso, logo aviso, cuidado ao ler em lugares públicos!

Carmack soube nos colocar perfeitamente na mente de sua protagonista, o que ajuda o leitor a se conectar com a história. Porém, no começo – e especialmente para aqueles leitores mais exigentes –, a narração de Bliss (somado ao fato de ela estar interessada no professor) poderá fazer você sentir como se estivesse lendo uma fanfiction. Agora, pessoalmente, não vejo problema nisso. Afinal, temos grandes autores que começaram com fanfics, e também temos fanfics que são melhores do que muitos livros. Mas caso as frases curtas e excesso de divagações te incomode, este talvez não seja o livro para você.

Bliss é atrapalhada e um gigantesco ímã para coisas erradas. Um verdadeiro exemplo ambulante da lei de Murphy ("tudo o que pode dar errado, dará errado"). Apesar disso, há algo muito real na forma como sua mente funciona. Seus pensamentos atropelados e suas dúvidas absurdas criam um nível genuíno de empatia entre personagem e leitor, e em determinado momento você não está mais rindo dela, mas sim da forma como você consegue totalmente se identificar com determinadas situações que ela está vivendo.

Garrick é um sonho. Não basta o sotaque britânico e a beleza, o jovem professor ainda cita Shakespeare (já que é professor de teatro) e é um verdadeiro romântico. Na posição de leitora, me permito ficar apaixonada pelas fofuras do personagem; como crítica, incomoda. Não vou nem dizer que não existam homens assim, porque eu acredito que existam. Mas parece que a maioria avassaladora dos personagens masculinos escritos por mulheres têm essa tendência a serem idealizados. No mais, por vezes também achei determinadas expressões e atitudes um pouco estereotipadas.

Agora, se você está esperando que a leitura penda para um lado mais erótico, não se engane. O livro pode até conter algumas cenas mais quentes, mas são ocasionais e não tão explícitas. Pessoalmente, acho um ponto positivo, já que assim a história tem mais espaço para se desenvolver, mas vale o aviso a quem interessar.

O meu maior problema com a história foi a sequência de acontecimentos. Bliss é um ímã para problemas, mas tudo acontece tão terrivelmente seguido que fica difícil acreditar que alguém possa ter tanta má-sorte.

Por outro lado, o romance, item com o qual eu sempre implico, me caiu surpreendentemente bem. É verdade que essa coisa professor-aluna já seja relativamente comum em livros que tenham qualquer conotação mais sensual, mas, mesmo assim, me pareceu bom. O relacionamento deles não acontece do nada: começa com o flerte, evoluí para a tensão e química da impossibilidade na sala de aula, e depois se desenvolve. Tudo isso permite que o leitor fique torcendo pelo casal, o que me agrada bastante.

Quanto à edição, eu recebi a nacional, mas tive que comprar a edição em inglês para Kindle também, porque além de ser mais prático para levar aos lugares, facilitava muito imaginar o sotaque britânico do Garrick lendo no próprio idioma do personagem. Em todo caso, li as duas edições. Ambas são formatadas de forma simples, mas a tradução às vezes me incomodou um pouco ao sair com soluções um pouco estranhas como "por que cargas d'água", que na minha opinião é uma expressão bem datada; e, quando fui conferir por que essa opção (poderia ser a tentativa de recuperar a diferença e recriar uma diferença na linguagem, já que Garrick realmente usa expressões tipicamente britânicas), me deparei com um mero "what the hell" ou algo do tipo. Apesar de algumas escolhas que discordo, ainda dá para ler e entender a história tranquilamente, sem quaisquer grandes problemas.

Adorável, sexy, divertido e apaixonante, este é um livro perfeito para descontrair entre leituras mais intensas, ou simplesmente quando você estiver precisando dar boas risadas. Recomendo!

site: www.tecendopalavras.com.br
comentários(0)comente



Karol Lima 10/01/2015

Desespero!
Meu Zeus! Alguém pode me dizer aonde compro esse livro?!
comentários(0)comente



Gabriela 23/11/2014

Losing time
Particularmente não gostei do livro. Trata-se de um imenso clichê (a aluna e o professor jovem e atraente) banhado em uma narrativa arrastada, com poucos acontecimentos que realmente valessem a pena contar e que não foi salvo por personagens bem construídos e nem mesmo pitadas de humor. A leitura foi pesada, monótona, eu lia várias páginas e não entendia o propósito de coisas tão banais estarem sendo contadas.

Bliss, a personagem principal, até me causou certa empatia. Uma jovem comum (comum em todo e qualquer aspecto possível) que por desventura se viu querendo se enfiar nos lençóis de seu novo professor da faculdade. Em meio a esse clima de romance proibido, vemos a personagem principal enfrentar dilemas sobre sua sexualidade. É mais uma dessas histórias feitas pra que "qualquer garota" completamente comum que esteja lendo possa se identificar com a personagem narradora. Em várias partes Bliss tornou-se uma personagem confusa e irritante, mas se não foi ela quem salvou a narrativa, também não foi a culpada do fracasso.

Garrik, o professor jovem, atraente, com seu sotaque britânico, é um clichê sob encomenda. Previsível, fadado a ser romântico ao mesmo tempo em que busca apenas uma coisa: a virtude de nossa querida Bliss, por quem ele sente uma atração arrebatadora muito rapidamente por motivos simplesmente desconhecido.

Convenhamos, Bliss teve todos os motivos necessários pra se fixar a Garrik, uma garota insegura com a vida amorosa pouco movimentada, vivendo tranquilamente até o incrível professor aparecer pra agitar seus sentimentos. Mas que elementos levaram Garrik a jogar no romance com ainda maior intensidade? Ele se passa por um personagem mais maduro, mais vivido, malicioso até. Diversos elementos na narrativa poderiam ter criado um clima que o levasse a se envolver... Mas isso não aconteceu. Desde o princípio ele foi levado a agir feito um jovem abobalhado por Bliss e ponto.

O livro trás até mesmo o manjadíssimo amigo preso a uma eterna friendzone. Em nenhum momento a autora se esforçou a demonstrar que o "rival" de Garrik pudesse ao menos oferecer qualquer ameaça, ele só estava ali por estar, pra encher a história que se mostrava vazia e carente de elementos.

Por todos esses fatores eu me arrastei, página após página, vendo Bliss carregar seus dilemas pela faculdade á espera de algum acontecimento que realmente valesse a pena, mas não encontrei nenhum diferencial nessa história. Dei duas estrelas, mas não recomendaria a leitura a menos que seja total e completamente descompromissada.
comentários(0)comente



Ana Caroline 06/11/2014

Perdendo-Me
Perdendo-me conta a história de Bliss Edwards, ela está no último semestre da faculdade de teatro e ainda é virgem. Decidida a mudar essa sua situação Bliss pede ajuda a sua melhor amiga Kelsey e as duas vão para um bar procurar um cara gostosão para Bliss perder a virgindade.

Chegando ao bar ela começa a sua procura pelo cara perfeito para o trabalho e se depara com uma cena inusitada, um homem lindo sentando em uma mesa lendo Shakespeare. Isso a atrai e ela não se contém e vai até ele puxar conversar e quando o tal cara abre a boca para falar com ela é aí que ela tem mais uma surpresa, pois ele tem sotaque britânico e Bliss simplesmente adora esse sotaque. Pronto! Ela já sabe que ele é o seu escolhido.

Do bar eles vão juntos para casa e ela sente que está pronta, mas no último momento ela entra em pânico, inventa uma desculpa qualquer e sai de lá correndo parcialmente vestida. O que Bliss não contava era que o carinha do bar estivesse na sua sala de aula no seu primeiro dia de aula do último semestre.

Perdendo-me é um livro divertido e romântico, um livro com uma história que não chega a ser intensa, mas que atrai com a sua leveza. Garrick (o cara do bar) de certo modo é um amor de personagem e eu o adorei em muitos momentos, mas também torci pelo seu concorrente em outras vezes. Os personagens deste livro são bem construídos e não tem como não amá-los, pois eles parecem tão reais, com suas personalidades tão comuns que poderiam ser nossos amigos de faculdade facilmente.

Bliss é uma garota ótima também, eu gostei muito da personagem principal criada pela autora, mas da mesma maneira que em alguns momentos quis socar a cara do Garrick, eu também quis socar a cara dela. O romance entre os dois foi uma coisa bonita de se ver acontecendo, como eu já deixei bem claro ambos me irritaram em algum momento, mas mesmo assim eu adorei o desenrolar da história e achei tudo muito fofo.

E o final? Até deu vontade de pular na cama também de tão fofo que foi. (Só quem leu o livro vai entender).

O livro não chega a ser um romance erótico, mas a sensualidade está presente nele e as cenas hot foram muito bem escritas, e eu que não entendo nada de como funciona o teatro por trás das cortinas adorei conhecer um pouco desse mundo e um pouco mais sobre Shakespeare.

O livro me surpreendeu positivamente e o recomendo para quem está procurando um romance leve e com um pouco de diversão porque eu ri bastante durante este livro. Bliss é uma personagem atrapalhada e isso gera muitos momentos divertidos na história.

Eu adorei saber que haverá outros livros da autora contando a história de alguns dos personagens secundários, na verdade só dos dois melhores amigos da Bliss, mas mesmo assim eu estou feliz com a notícia, pois eu os amei. Como eu disse, eles poderiam ser meus amigos facilmente.

site: http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ana 05/09/2014

Losing It - Cora Carmack
Certamente um dos livros mais divertido que eu li este ano. O livro conta a estória de Bliss, que tem 22 anos e ainda é virgem. Uma noite ela decide resolver seu problema e vai com uma amiga a um bar. Lá ela conhece Garrick, um inglês lindo, com um sotaque muito charmoso e acaba concordando em ir para o apartamento dele. A partir daí a situação começa a sair do controle e o que era para ser uma experiência memorável acaba por divertir o leitor, mas envergonhar terrivelmente a personagem.

“Now that the motorcycle wasn’t moving, my brain was free to fear that other thing that I had been actively not thinking about. Sex. I was going to have sex. With a boy. A hot boy. A hot BRITISH boy.” Cap. three

Na semana seguinte Bliss descobre que Garrick é seu novo professor na aula de teatro da faculdade e tudo fica mais embaraçoso.

Quer ler o final da resenha? Acesse http://drunkculture.blogspot.com.br/2014/08/resenha-losing-it-cora-carmack.html
Esta resenha foi escrita por Ana Cristina, colunista do blog 'Drunk Culture', e a reprodução integral ou parcial da mesma é proibida. Plágio é crime.

Drunk Culture
http://drunkculture.blogspot.com.br/


site: http://drunkculture.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Tati 28/05/2014

Um Livro divertido, super leve.
A leitura foi muito rápida.

Adorei a Bliss, super divertida, cheia de neuras, doidinha doidinha. Ela tem 22 anos, está quase se formando na faculdade e ainda é virgem. Mas ela quer resolver isto.
E claro que Garrick é apaixonante, lindo.

Recomendo
comentários(0)comente



ELB 16/05/2014

Every Little Book
Fazendo uso da sinceridade, confesso que só consegui terminar esse livro rapidamente porque tinha me comprometido a fazer a resenha, senão eu teria colocado ele de ladinho para ler depois. O começo é lento, chato e enjoativo. Não conseguia lidar com a inocência da Bliss. Quer dizer, sim, eu acredito na virgindade dela, mas tudo dela é TOO MUCH! Por exemplo: a atração inicial. Eles trocaram duas palavras antes dela estar com o sangue fervendo, a boca formigando, o estômago doendo! Por sinal, preparem-se para um incêndio: a Bliss pega fogo o livro inteiro! Os trechos são repetitivos e me senti tentada a contar quantas vezes as expressões se repetem. E claro, Bliss cora o livro inteiro também: suas bochechas, seu pescoço, suas orelhas...

(...) Leia mais no blog!

Resenha feita pela Nina P., postada no ELB!

site: http://www.everylittlebook.com.br/2013/03/resenha-losing-it.html
comentários(0)comente



Livro e Neblina 08/03/2014

Losing It
Confira a resenha no blog.

site: http://livroeneblina.blogspot.com.br/2014/02/losing-it.html
comentários(0)comente



65 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5