Morte Súbita

Morte Súbita J.K. Rowling




Resenhas - Morte Súbita


805 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |


Bettina 18/01/2017

Nunca li nenhum dos livros de Harry Potter, então não conheço a escrita de J.K Rowling, mas sim, a sua genialidade contada através dos filmes da série.
Morte Súbita é uma trama totalmente diferente do seu personagem mais famoso, porém, foi uma leitura da qual não me cativou, os personagens são confusos, a história parece nunca se desenvolver, tanto que não consegui terminar a leitura, que acabou se tornando enfadonha para mim.
comentários(0)comente



Carla 17/01/2017

uma ótima surpresa!!
“Morte súbita” se inicia com a morte de Barry Fairbrother, um dos membros do conselho de moradores da pacata Pagford, um vilarejo interiorano que guarda em suas pequenas vielas muitos segredos e mazelas de seus moradores.
Após a morte súbita de Fairbrother, há necessidade de se preencher a sua vaga no conselho e com esse fato vem a sensação de que a arrogância, a indiferença e a “pequenas” maldades dos moradores de Pagford não pode mais passar despercebida sendo colocadas em xeque e trazendo desequilíbrio a falsa tranquilidade experimentada no vilarejo.
Um livro com muita crítica negativa, entretanto uma grande surpresa! Rowling traz em sua escrita, um forte apelo social e uma crítica contundente à sociedade atual. Recomendo muito a leitura mas quem espera encontrar algo parecido com o bruxinho mais famoso do planeta ficará decepcionado pois Rowling mostra uma faceta diferente de sua escrita.
comentários(0)comente



Raquel.Chiaradia 11/01/2017

Do mundo da magia para a realidade nua e crua
Em Morte Súbita, J.K. Rowling nos apresenta um universo nada fictício e muito menos mágico como Harry Potter. Os diversos núcleos que compõem a história se interligam através de personagens muito bem construídos. O que chama a atenção é que Rowling criou um cenário extremamente caótico para desenvolver a trama: em Morte Súbita, a realidade nua e crua de milhares de pessoas no mundo todo foi retratada a partir de fatos existentes na sociedade: política, violência sexual, drogas e saúde pública, relacionamentos, bullying, entre outros. Outro destaque, a meu ver, fica por conta das questões que envolvem a vida privada. É notório como os personagens (nenhum flor que se cheire, por sinal) têm grande interesse pela vida alheia, sempre em busca de alguma informação, melhor ainda se for algum podre.
Morte Súbita, além dos conflitos sociais, está cheia de conflitos psicológicos, o que faz o leitor se envolver com os personagens, sentir raiva, pena, compaixão e desprezo.
Um problema para mim foi o final, pois me pareceu que o desfecho não ficou totalmente completo. Porém, é uma leitura que vale a pena e que prova que J.K Rowling é uma grande autora e que suas construções literárias estão muito além do universo fantástico que a consagrou mundialmente.
comentários(0)comente



Ana Vitória 11/01/2017

“Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades.”
comentários(0)comente



ANINHAPONCE 03/01/2017

Morte Súbita
O livro de hoje é um tanto quanto polêmico, pois muitas pessoas gostaram, outras se decepcionaram... Estou falando do livro Morte Súbita da incrível J. K. Rowling. O livro foi originalmente lançado em 2012, sendo traduzido e publicado aqui no Brasil pela Nova Fronteira também em 2012 (UAU).
Em inglês o titulo é Casual Vacancy, que faz referência não apenas a vaga aberta no conselho, mas a vacância causada, por exemplo, pela perda de entes queridos, de amigos. Mas tudo é nublado pelo final muito emocionante e triste. Já em português o título, Morte Súbita, não abre margem para essa interpretação.
A história se passa em um pequeno vilarejo fictício da Inglaterra, Pagford, e está dividido em sete partes: Parte Um (Vacância do Mandato de um Conselheiro), Parte Dois (Comentário Fundamentado), Parte Três (Duplicidade), Parte Quatro (Lunáticos), Parte Cinco (Privilégio), Parte Seis (Pontos Francos dos Grupos Voluntários) e Parte Sete (Combate à Pobreza).
Na primeira parte nos é apresentada a reações dos moradores de Pagford, ao saberem da morte de Barry Fairbrother, membro influente do Conselho Municipal. Acha falsidade...
A sua “morte súbita” abre uma vacância no conselho, e uma eleição deve ser realizada, a fim de suprir essa vaga. Mas não é simplesmente isso, a morte de Barry trás a tona uma velha questão que sempre dividiu os membros do conselho: o problemático bairro ‘Fields’, onde está instalada a clínica Bellchapel de reabilitação para viciados em drogas, deve continuar fazendo parte de Pagford, ou ser entregue à responsabilidade da cidade de Yarvil?
Barry sempre defendeu a permanência da clinica nos domínio de Pagford, mas outros membros do conselho defendiam a saída da clínica. Sendo assim, nada mais natural que essa seja a questão central da eleição que será realizada, e os candidatos são divididos entre estar a favor ou contra Fields.
Nesse livro, voltado para um público mais adulto, J. K. aborda temas como relações familiares, interesses políticos, hipocrisias sociais com muita acidez e ironia. Então fica a dica: não leia este livro esperando um novo Harry Potter, uma nova aventura fantástica, pois esse livro retrata antes de qualquer coisa o ser humano, em sua baixeza de sentimentos ou no que tem de melhor.
O livro foi adaptado para televisão pela BBC como um seriado de 3 episódios, o seriado ficou muito interessante, com algumas modificações, em especial o final, que ficou menos trágico do que o do livro.

Então fica a dica, espero que tenham gostado. Beijos e até a próxima.

site: viajandocompapeletinta.blogspot.com
comentários(0)comente



MoisesMota 30/12/2016

Me surpreendeu
Não sabia o que esperar desse livro quando comprei, tinha muita curiosidade sobre como seria essa investida de J. K. Rowling nessa nova obra que não tinha nada de mundo mágico. E foi uma boa surpresa. Ela escreve bem e independente de onde ela localizar a história, vai sair algo no mínimo bom.

Ela colocou nesse livro tudo que não pôde colocar em Harry Potter, há sexo, drogas, estupro, e uma sorte de temas mais adultos. É interessante a forma como ela costura todos os principais personagens da história, ela dá um tom de realidade à cada uma das famílias de Pagford. Gostei do livro e da história.
comentários(0)comente



Dâmares Dias 28/12/2016

Morte súbita - J. K. Rowling
Primeiro: mesma autora, mas nada a ver com Harry Potter... Comprei "Morte Súbita" esperando encontrar um mistério misturado com magia, porém achei um livro profundo, com um quê de crítica a sociedade hipócrita; cheia de segredos e julgamentos, baseados em classes sociais ou naquilo que se "parece ser"...
Realmente há uma morte, Barry FairBrother, conselheiro do Vilarejo de Pagford morre...
Não de forma misteriosa, mas de um aneurisma, na rua, aos olhos de vários conhecidos, abrindo assim uma vaga no Conselho...
A partir daí a autora cria uma história ao redor da morte do conselheiro e da forma como ela afeta a vida dos moradores do Distrito.
O livro é dividido em 7 partes, cada uma delas traz um pequeno título como tema, e um trecho da "Administração dos Conselhos Locais".

Parte Seis Pontos fracos dos grupos de voluntários

22.23 (...) O principal ponto fraco de tais grupos é que são difíceis de se constituir, propensos a se desintegrar (...)

Charles Arnold-Baker Administração dos Conselhos Locais 7ª edição


O livro gira em torno do pequeno Vilarejo de Pagford, mas a história poderia pertencer a vida de qualquer morador de uma cidade grande.
Os personagens são muitos e, vamos identificando no decorrer das páginas as personalidades e segredos de cada um.
O que mas me marcou porém foi o final do livro... Bom, mas cheio da dura realidade da vida... Faz a gente refletir quantos moradores de Pagford nos rodeiam no ônibus, na escola, no trabalho, e como a vida (e a morte) de um afeta a vida de todos, nesse emaranhado que é a teia da vida...
Pra finalizar, um trechinho do livro:

"Ó mente, o mundo é um poço escuro e profundo. Por todo lado, a Morte lança a sua rede." (pg 55)

site: lifalei.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Erica 06/12/2016

The Casual Vacancy
Nossa, eu demorei a engatar nessa história, mas o mais bizarro é que eu acabei gostando. Acho que o primeiro impacto que você recebe desse livro é que ele é uma novela. Fazia tempo que não lia novela e está longe de ser meu gênero mais lido ou preferido, diga-se de passagem. Mas na mesma época, tinha pego da estante Ligações Perigosas para ler, aí resolvi pegar novamente Morte Súbita e, cara, acho que como já havia me re-acostumado com o ritmo da novela, a minha forma de enxergar o livro foi outra.
Os personagens, é difícil gostar de algum realmente em um primeiro momento, mas tem alguns ali realmente interessantes e querendo ou não você acaba se envolvendo. Os assuntos que a JK trás são necessários de serem discutidos, mas também extremamente desconfortáveis. Há algumas partes que são realmente indigestas (não por serem mal escritas ou ruins, mas por causa da história mesmo), mas também tem umas que tem um humor estranhamente interessante. Não há como não se envolver com a história da Cristal; e a filha dos Sukhvinder passa por uma situação desesperadora. Tudo é meio dúbio e há várias formas de pensar a mesma situação, não dá para apontar dedos de forma simples ali dentro.
Acho que o maior problema desse livro é que ele foi vendido como algo meio investigativo, sei lá. E passa longe disso. É um livro sobre discussão da natureza humana (algo que ela também não deixou de lado em HP, inclusive), e trás reflexões interessantes. Sinto que preciso ler esse livro novamente.
Ah, outra coisa que acho que acabou se perdendo um pouco com a tradução, foi a ideia que o título trás. Casual Vacancy não se trata apenas de cargo vago, mas a medida que você vai entrando na história percebe que são os espaços vazios que estão ou vão surgindo na vida de cada um daqueles personagens.

Aliás, você viram essa entrevista que a JK Rowling deu no lançamento do livro? Está bem legal. Caso alguém se interesse, aí o vídeo (p.s. está legendada):


site: https://www.youtube.com/watch?v=yRDlLsl8aiM
comentários(0)comente

Erica 10/01/2017minha estante
Não consegui postar o link na resenha, mas caso alguém queira assistir a entrevista, está aqui: https://m.youtube.com/watch?v=yRDlLsl8aiM




Gengis 03/12/2016

Robert Galbraith Vs Joanne Rowling
Tinha lido apenas um dos primeiros livros de Harry Potter (o primeiro ou segundo), achei um pouco infantil pro meu gosto, mas me agradou bastante pelo ritmo e a maneira como tudo acontecia, me remeteu bastante ao filme. Então comprei Morte Súbita (aliás, que tradução infeliz, será que quem traduz nome de livro são os mesmos manés que traduzem e inventam nomes dos filmes?) por curiosidade, a capa me agradou muito, não pelo visual mas pela textura, parece aveludada.

Comecei a ler sem muita "fome", pela sinopse não tinha nada que costuma de atrair, depois de algumas páginas parei e deixei de lado por outras leituras, dentre elas os dois livros de Robert Galbraith, estes sim por trazerem temas que me atraem. Gostei bastante, me lembro de ter adorado o desenrolar da história, e de esperar ansiosamente o final... que acabou não trazendo aquela sensação boa depois do clímax... mas gostei.

Tendo devorado as duas aventuras de Cormoran Strike e mais alguns livros, acabei voltando a Morte Súbita. Conforme os personagens foram se revelando, fui ficando cada vez mais interessado e curioso; achei meiga a maneira estereotipada com que a autora apresentou seus personagens, me lembrou o jeitinho quase infantil do primeiro Harry Potter que li. Mas depois percebi que o livro me deixou bem interessado, você acaba se identificando e simpatizando com alguns tipos ali, e também sabia bem com quem não ir com a cara... Ah! não é infantilidade, é pura ironia! Os estereótipos são afinal caricaturas!

Me enganei completamente com a primeira impressão (desculpem o trocadilho ^^), que p*#@ livro bom! Emocionante! O final te da um tapa na cara e tenta de estrangular, depois te larga tentando recuperar o fôlego.
comentários(0)comente



Daniella.Melo 30/11/2016

Melhora perto do fim
Achei meio chato, demorei bastante para terminar pois ficava parando. Gostei do jeito como a autorá escreveu como ela falou dos personagens e como descreveu algumas situações, mas a história em si eu não gostei. Perto do fim melhora pois é quando começa a movimentar a história (que é bem parada durante o livro inteiro) mas também não gostei muito do final queria saber do fim de todos os personagens.
Débora 21/07/2017minha estante
undefined




Gabriel Valente 25/11/2016

Uma bela viagem pelas questões da vida.
Morte Súbita é um livro diferente. Não existe especificamente um objetivo a ser alcançado por algum personagem no decorrer do livro, mas mesmo assim você quer continuar lendo cada página, com interesse em saber o que essa cidade tão intrigante vai nos proporcionar, acompanhando as consequências de cada ação.
Cada personagem tem a sua índole, o seu caráter e as suas razões, e nem sempre esses aspectos são claros para todos eles, tornando a narrativa mais real. São tantos personagens que levei um bom tempo para conseguir lembrar do nome da maioria, mas isso não chega a ser um problema, pois como sabemos, a escrita de J.K. Rowling é cativante do início ao fim.
Tanto aspectos da vida adulta quanto da vida adolescente são abordados, fazendo críticas sociais muito pertinentes e sempre de maneira a inserir o leitor naquele mundo.
Provavelmente esse livro não estará na minha lista de melhores livros lidos, mas isso não muda o fato de que foi uma ótima leitura. Se você ainda não se decidiu, eu lhe digo: vale a pena.
comentários(0)comente



Bruno Bulnes 09/10/2016

Crueldade humana
Com narrativa fluída e envolvente, J. K. Rowling conta as histórias das diversas famílias e indivíduos de Pagford logo após a morte de seu representante político, Barry Fairbrother. Muitas intrigas, brigas e desentendimentos são relatados no decorrer da história.

Porém, o que mais me chamou a atenção no livro foi a capacidade que a autora teve em relatar toda a sorte de sentimentos e ações negativas que as pessoas tem por si mesmas e pelas outras. Fofocas, traições, maldades e crueldades ficam evidentes, a cada página lida, e nos mostram do que o ser humano é capaz de fazer, mesmo que através de ações cotidianas e simples.
comentários(0)comente



Dani.Peghim 02/10/2016

Um ótimo livro.
No começo a leitura é bem lenta, em algumas vezes a achei bem cansativa, mas do meio para o final a história me pegou e não conseguia parar, queria realmente saber o final. E que final (=/), muito triste, principalmente devido ao que aconteceu com a que era a minha personagem preferida. Senti que é um livro sobre perda, sobre as vagas ocasionais que ocorrem na vida de cada pessoa. Me identifiquei em muitos pontos com as descrições da história, devido a morar em uma cidade pequena também. Achei as histórias de cada personagem muito interessantes e me emocionei realmente em diversas partes. Recomendo o livro, de fato gostei muito do mesmo.
comentários(0)comente



Moshmani 21/09/2016

Pegada adulta e muito realismo
Esse livro é um livro diferente do que estamos habituado a ler da JK Rowling. Enquanto a saga que deu fama a autora é repleta de sonhos e fantasia, Morte Súbita nos mostra uma realidade suja e cruel. O livro é bem pé no chão, bastante apegado ao cotidiano dos personagens. Posso afirmar com quase certeza que o leitor vai se pegar identificado com alguns personagens e situações que aparecem ao decorrer do livro. Se você já sofreu desilusões amorosas talvez você se identifique com a Kay. Se já sofreu bullying alguma vez na vida, vai sentir na pele as aflições de Sukhvinder. Se você é um eterno apaixonado, talvez enxergue si mesmo em Andrew. Se já sofreu problemas familiares e tem uma vida dura, Krystal Weedon pode ser uma boa representante.

O livro começa com a morte de Barry Fairbrother: membro do Conselho de Pagford, marido, pais pra uns, professor de remo pra outros...Enfim, o protagonista que morre subitamente bem no início do livro faz parte da vida de muitos cidadãos do vilarejo. A introdução do livro apresenta os personagens reagindo a notícia,que de uma forma ou outra acaba interferindo na vida local do pequeno vilarejo. A premissa do livro é essa: as consequências causadas por essa "morte súbita".

A escrita do livro é muito gostosa de se ler, do modo como somente JK Rowling sabe fazer. Talvez isso compense com a repulsa que podemos sentir ao longo das páginas. O mundo não é tão "limpinho" assim. Enfim, Morte Súbita é um ótimo livro para quem curte esse tipo de gênero com pegada mais adulta.
S.Y. 23/09/2016minha estante
Mais adulta e mais séria... E é um livro que instiga, provoca o leitor... É, na minha nada humilde opinião, genial.




Amanda.Andrade 15/09/2016

Morte Súbita
Tive receio em ler esse livro por conta da autora, mas como foi bem indicado resolvi ler. O livro é de leitura fácil, entretanto achei um um pouco confuso em virtude dos muitos personagens com seus difíceis nomes. A história e retratada através da morte de um de seus personagens, muito querido pela comunidade. Com essa morte podemos ver os problemas sociais que são comuns em cidades, onde há o lado rico e o lado periférico. Guerras secretas são mostradas durante toda a estória. Não gostei muito dos finais, pois toda a leitura é rica em detalhes, mas durante o processo de finalização é mostrado somente o "grosso" do final dos personagens, e achei o final um tanto desnecessário.
comentários(0)comente



805 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |