O Dom

O Dom James Patterson




Resenhas - O Dom


95 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Carolina Gama 29/08/2017

Só melhora
Começo esta resenha concluindo que não é fácil se despedir de Whit e Wisteria Allgood. Mesmo sabendo que este é apenas o segundo livro narrador de suas vidas. A história continua de um jeito tão ágil e contagiante que é simplesmente impossível deixá-los, principalmente porque desde o inicio da série a impressão é de que nos conhecemos há anos. A narrativa, ainda alternada entre eles, com pontos em comum e os capítulos, curtíssimos, só fazem com que tudo flua naturalmente. E eletrizante como nunca.

Se no primeiro livro tivemos os dois irmãos descobrindo as próprias origens e se deparando com os absurdos de uma Nova Ordem completamente fora de qualquer padrão de civilidade, pronta para acabar com qualquer exposição cultural ou comportamento semelhante, imaginem um mundo já dominado, um Admirável Mundo Novo, com dois líderes da Resistência sem alojamento, contra uma série de problemas causados propositalmente pelo Único Que É O Único e seu batalhão, precisando lidar com a própria magia, o completo e complexo sumiço dos seus pais, ameaças de morte, terras perigosas em outras dimensões, hologramas, feitiços, um possível traidor e um objetivo praticamente impossível de se revelar. Isso sem contar que estão foragidos. O Dom é, literalmente, o tipo de livro que prende você até a última página.

Os autores exploraram muito bem as poucas dúvidas deixadas no primeiro livro e mantiveram o que considero mais importante: a personalidade dos personagens principais e secundários ao longo dos acontecimentos, o que proporcionou uma visão extremamente clara do que se passava na mente de cada um. Os personagens evoluem sem perder o senso crítico ou o humor, também, o que me agradou demais. E embora tenha me apaixonado mais ainda pelos irmãos Allgood, como se realmente fossem meus, me encantei por um personagem que desejei matar o livro inteiro. Sim, me encantei pelo Byron-traidor-puxa-saco-Fuinha-Swain. E a explicação é lógica, principalmente para quem já leu: muito do que eu não esperava que acontecesse só aconteceu por causa dele. Simples assim. Ao final de tudo, é possível conhecer mais trechos de propagandas da Nova Ordem divulgados pelo conselho das artes, complementando informativos já exibidos no livro anterior.

É um livro criativo e original. Sensacional.

site: Resenha postada nos tempos de Entre Livros
comentários(0)comente



Camila Silva *** Aster Verbatim 11/12/2016

O dom
Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos…
Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor…
Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty… Ou para, finalmente, matá-la.

Nesse segundo livro, os irmãos Allgood enfrentarão desafios ainda maiores para sobreviver e juntamente descobrindo gradativamente os seus poderes de bruxos, como já diz o título O Dom. Nesse segundo livro, outro personagem se destaca, Byron, o fuinha... que (sem spoiler) vocês descobrirão qual o objetivo dele, mas lembrem-se que ele faz/fazia parte do exército da Nova Ordem no início do primeiro livro, mas justamente ele é quem auxilia de uma forma inesperada os irmãos.
Esse livro, de certa forma, é um pouco "pesado", tendo 100 capítulos (curtinhos). Acho que todos os problemas dos irmãos, stress, a Resistência e esse Dom que ainda tem que ser trabalhado deixa um pouco cansativo, mas ao final vale a pena, apesar de vir o terceiro livro. rsrsrs.

Não deixem de continuar....

site: asterverbatim2015@blogspot.com.br
comentários(0)comente



Nena 02/10/2016

Ruim
Nao aguentei ate a metade, muito misturado, não muda e sempre a mesma coisa, sem sentido
Milahh 29/10/2016minha estante
Nossa tb estou achando meio estranho ele


Nena 31/10/2016minha estante
Demais, sentido


Milahh 31/10/2016minha estante
Estou quase acabando ele vamos ver se os outros e melhor


Nena 01/11/2016minha estante
Ai vc me fala, pois eu desisti desse ai


Milahh 01/11/2016minha estante
Tá bom


Milahh 05/11/2016minha estante
Olá já acabei o dom já estou até no 3 mais mesmo assim estou achando cansativaacansativa história ?mais vou ler até o fim pra vê no que da


Nena 08/11/2016minha estante
Rsrsss que bom porque eu desisti dele, depois me fala que vc achou


Milahh 08/11/2016minha estante
Falo s


Milahh 19/11/2016minha estante
Olha terminei viu hahah depois da metade do 3 livro até o último até que fica bom eu esperava mais da série mais é meia boka mesmo


Nena 19/11/2016minha estante
Kkk te falei, pelo primeiro livro o titulo de Bruxos e Bruxas a gente espera mais.


Milahh 19/11/2016minha estante
Não até que no 3 até o 4 gostei e tals mais faltou algo a mais eu amo livro de bruxos mais faltou só um pouco pra ser ótimo


Nena 19/11/2016minha estante
Que bom que gostou. ??


Milahh 19/11/2016minha estante
???


Nena 19/11/2016minha estante
Kkk esse corretor e cruel ia colocar kkk saiu ??


Nena 19/11/2016minha estante
Eu gosto de livros que me prendam , falam que Stephen King E ótimo so li um dele, e só cheguei na metade, não conseguiu me prender, mas vou ler a Coisa pra ver se e melhor que Insônia


Milahh 19/11/2016minha estante
Uai mandei carinhas mais não apareceu


Milahh 19/11/2016minha estante
Também gosto de livros que te pegam do começo


Nena 19/11/2016minha estante
Russas, agora o que ta me prendendo e o A Criança Amaldiçoada


Nena 19/11/2016minha estante
Olha ai kkk ia colocar rsrsrs saiu rusas kkk sei nao


Milahh 19/11/2016minha estante
Hahaha quero muito lê mais vou lê os livros Harry todos primeiro


Nena 19/11/2016minha estante
Eu fico calada, sou fã de Harry, quando começar faz tua resenha




Adrienne.Santos 02/06/2016

O Dom
É como entrar em um pesadelo. Do nada, você é retirado de sua casa, preso, e acusado de bruxaria. Parece século 17, mas é o governo da Nova Ordem, e está acontecendo agora!
Gustavo Almeida 27/02/2017minha estante
Vc apenas copiou a sinopse do primeiro livro




jeff 25/02/2016

o dom
este livro se trata de uma continuação é o segundo livro da serie bruxas e bruxos escrito por james patterson.
comentários(0)comente



Bruna 10/01/2016

Fantasia Infanto/Juvenil
Depois de passarem por muitas perdas em todos os sentidos, Será que finalmente os irmãos conseguem controlar seus poderes a seus favor? Será que da pra confiar nos que estão á sua volta? O Único continua a controlar o mundo com mãos de ferro do jeito que bem entende. Os que vivem "em liberdade" são controlados por ele como fantoches, já os que representam o minimo de perigo para esse controle são eliminados, escravizados ou sobrevivem como ratos. Além de controlar as pessoas e coisas desse mundo, ele também é capaz de controlar o frio o gelo e a neve. Haverá mais coisas que ele deseja controlar, para dominar de vez o mundo e encontrar o poder supremo? Whit e Wisty conseguiram impedir? O Dom nos presenteia com várias respostas para essas perguntas, mas também nos devolve outras.

site: http://www.naoemprestolivros.com.br/2015/07/o-dom-bruxos-e-bruxas-livro-2.html
comentários(0)comente



saulomtb 05/01/2016

E aí? Bora bookear?

Na resenha do primeiro livro relatei que ainda tinha esperanças da série melhorar e isso aconteceu, não muito, mas aconteceu.
A narração desacelerou (um ponto) - alguns gostam quando as páginas passam rápido, mas no caso dessa série as páginas passam voando nem percebo quando o livro acaba, para alguns é bom, mas para mim não, gosto de apreciar a leitura. Ninguém sabe quem é do bem quem é o do mal (dois pontos) as vezes me surpreendia, e a vilania de O Único Que É Único (o vilão), pode ser pior que Hitler e Stalin juntos (três pontos).
Os personagens secundários continuaram as escondidas, teve até uma morte no começo do livro, mas isso não me afetou, por que eu ainda não me apeguei a nenhum deles. Na minha opinião quando os personagens são bem desenvolvidos acaba criando um elo de ligação entre eles e o leitor, tornando a leitura mais prazerosa.
O que espero da continuação (claro que eu continuarei a lê-los), além de melhorar o que já mencionei, é de que, a trama se desenvolva. Nestes dois livros não vi nada além de correr, fugir e lutar. E que os únicos bruxos adolescentes que aparecem são os irmãos Wisty e With. A sensação é que todos os ingredientes foram juntados - a distopia, bruxaria, fantasia, romance e aventura - e jogados ao enredo a deriva.
P.S. Vocês irão se divertir muito com a propaganda da Nova Ordem que se encontra no final de cada livro. É uma lista que possui todos os livros, filmes, bandas, palavras e programas de tv proibidos pela Nova Ordem. Ex: “O ladrão de Trovões”, “A Invenção de Bruno Genet”.

site: http://lidolendorelendo.blogspot.com.br/2015/06/cafe-livros-02-o-dom.html
comentários(0)comente



Carla Cristina 09/10/2015

Desgosto
Eu comecei a ler esta série exatamente por adorar o Patterson, principalmente da série mulheres contra o crime e quando comecei a ler fiquei me perguntando onde estava o escritor.
A escrita do livro é semelhante ao primeiro, com capítulos muito curtos e alternados entre os irmãos Allgood. Linguagem infantil e uma falta de sequencia lógica que chegou a assustar. É fato que alguns acontecimentos/personagens soaram em diversos momentos como desnecessários, ocasionando alguns erros da sequência. O livro ficou tão repetitivo, com os mesmos acontecimentos em cenários diferentes que achei que estava vivendo um "loop".
O fato é que independente de acontecerem certos episódios marcantes e inesperados, a trama apresentada faz com que o leitor fique atento apenas nos próprios protagonistas: Whit e Wisty.
O "cara de fuinha" podia ter sido muito melhor explorado, assim como todo o cenário em si que ficou simplesmente abandonado pelo autor.
O enredo nos remete a vários mistérios e cenas intrigantes, mas mesmo assim não consegue envolver o bastante. O Unico que é Único chega tantas vezes com a chance de matar os personagens principais que eu cheguei ao ponto de torcer que morressem logo só para terminar com essa narrativa cansada ou, pelo menos, para dar uma diferente na narrativa, já que vc já fica esperando que aconteça algo que liberte eles... assim como tantas outras vezes... aff
comentários(0)comente



Dose Literária 01/10/2015

O Dom, segundo volume da série Bruxos e Bruxas...
Bem, cá estou novamente resenhando um livro de James Patterson. O dom, segundo livro da série Bruxos e Bruxas, já resenhado aqui antes, demorou a ser lido. Quando finalmente consigo tê-lo em mãos, achei que seria mais uma leitura proveitosa como chegou a ser o livro que deu início à série, mas devo dizer que O Dom não me agradou tanto como seu predecessor...

Publicado pela Editora Novo Conceito, O dom dá um enfoque maior nos interesses e gostos pessoais dos irmãos Allgood. Dessa vez, Wisty está sendo perseguida pelo O Único que é o Único, que parece ter como objetivo principal [além de acabar com qualquer tipo de liberdade da população], conseguir algo que só Wisteria Rose Algood tem... O que será?
Leia mais em

site: http://www.doseliteraria.com.br/2015/06/o-dom-segundo-volume-da-serie-bruxos-e.html
comentários(0)comente



Merida Salvatore 11/07/2015

[ Novo Conceito] Resenha : 2° livro - O Dom ( Bruxos e Bruxas )
Nesse segundo livro da Serie Bruxos e Bruxas continua se relevando a historia dos irmãos Allgood , tendo capítulos curtos e rápidos se intercalando entres os irmãos.

Esse 2° livro da Serie, eu achei muito corrido o Autor quis colocar muita informação ao mesmo tempo , achei muito entediante pelo motivo de sempre ficar na mesma de ser salvar e depois serem pegos novamente mas, o final foi o qual eu mais gostei, onde fiquei com mais vontade de ler, igual o primeiro livro '" Bruxos e Bruxas " eu li apenas em 3 dias pois queria saber o que iria acontecer no final e ir logo para o 3° livro da serie .

O Livro gira em torno do mesmo assunto, os irmãos Allgood estão fugindo do O Único que É O Único porém, eles estão sozinhos agora sem a Margô e a Célia. Sem menos ter noticias ... Tendo o medo e a preocupação por talvez nunca mais vê-los novamente.

Acontecem muitas revelações, o medo nos leitores em saber será que a Wisty morreu ? ficamos com essa duvida até saber o plano do O Único que É O Único . Em cada pagina desse livro, iremos acompanhando o desenvolvendo dos poderes desses irmãos. Assim como nós , eles não sabem como lidar com esses poderes, estão sozinhos sem ajuda de ninguém, então, eles tem que aprender a lidar com eles sozinhos e enfrentar novos obstáculos.

A pergunta onde não se quer calar durante o livro, onde se encontra os Pais deles e a Célia ? Eles não sabem, por isso precisam correr contra o tempo para descobrir cada passo da N.O ( Nova Ordem Mundial ). Eles tem que correr para salvarem-se e não morrer.

Nesse Livro eu dou 3 estrelas pelo motivo de querer ler rápido porque tava entediante, o 1° primeiro da Serie sem duvidas foi melhor que esse, mas pra quem é apaixonado pela Serie assim como eu sou, sem duvidas releva . Espero que vocês tenham gostado, tentei falar pouco sem dar spoiler, porque é difícil falar de 2°, 3° livros de sagas sem dá spoiler, espero que entendam.

Beijos da Fadinha :)


site: http://fada-do-livro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Torpor Niilista 20/06/2015

"O sonho N.a.O acabou!" - O Dom, segundo livro da série Bruxos e bruxas, de James Patterson
Bem, cá estou novamente resenhando um livro de James Patterson. O dom, segundo livro da série Bruxos e Bruxas, já resenhado aqui antes, demorou a ser lido. Quando finalmente consigo tê-lo em mãos, achei que seria mais uma leitura proveitosa como chegou a ser o livro que deu início à série, mas devo dizer que O Dom não me agradou tanto como seu predecessor...

Publicado pela Editora Novo Conceito, O dom dá um enfoque maior nos interesses e gostos pessoais dos irmãos Allgood. Dessa vez, Wisty está sendo perseguida pelo O Único que é o Único, que parece ter como objetivo principal [além de acabar com qualquer tipo de liberdade da população], conseguir algo que só Wisteria Rose Algood tem... O que será?

Confesso que na metade do livro eu já havia matado a charada. Logo no começo da história, ela está para ser executada, e seu irmão Whit não sabe o que fazer para salvar a irmã caçula. Mas, logo que se livram do horror da morte nas cenas iniciais, eles volta e meia caem nas garras do poderoso Único. Confesso que essas muitas fugas e prisões meio que me irritaram...


Leia mais em

site: http://torporniilista.blogspot.com.br/2015/06/o-sonho-nao-acabou-o-dom-segundo-livro.html
comentários(0)comente



Paulo 11/06/2015

O dom - James Patterson e Ned Rust
Quando eu li o vol. 1 da serie Bruxos e Bruxas pela primeira vez, o livro me pareceu ser ótimo, porém, ao passar do tempo eu o reli até determinada parte e descobri defeitos muito gritantes e decepcionantes que passaram despercebidos pelo enredo muito acelerado e desconexo.
Aí peguei emprestado O dom, - segundo volume - e digamos que foi a mesma coisa e ainda mais defeitos encontrados o que gera um desapontamento quanto ao autor que me parece ser bem aclamado em outras obras.
Nesse segundo volume With e Wisty estão num grupo de bruxos - que nem um momento me pareceu tão convincente de que eram mesmo - chamado: Resistência. O que é basicamente esse grupo? Um grupo de jovens que luta contra os idéias desse governo chamado: Nova Ordem. Demorei para entender qual é a desse governo e quando entendi, tudo ficou mais confuso, principalmente desse interesse surgido do nada do Único em querer O Dom da Wisty.

Logo no começo temos um espetáculo de uma execução e de inicio defeitos do primeiro permanecem, como: A rapidez absurda em terminar algumas ações dos personagens. Sério, a chance que o autor - no caso - autores têm de prender nossa atenção ele ignora, colocando cenas chatas, sem emoção e previsíveis. Continuando... E nessa ‘’execução’’ publica, as pessoas vão ao delírio achando que estão vendo a morte da bruxa tão poderosa, tão ameaçadora... Wisty Algood.
Mas na verdade, não é isso o que aconteceu, eles executam outra pessoa que não sabemos como não notaram não ser a bruxa que eles procuram com unhas e dentes e quando encontram deixam escapar de maneira tão estúpida. E depois Wisty surge do nada pegando fogo, porque é só isso que ela sabe fazer em todos os capítulos, fora as piadinhas sem graças extremamente fora do momento. Ex (não é um acontecimento do livro, só um exemplo): Os pais de With e Wisty estão prestes a serem queimados vivos, eles tiram o momento para fazer uma piada; olha que maturo! Como se não bastasse tudo acontece tão rápido que a emoção nem existe, quando solucionam um problema só estamos mais ansiosos para acabar logo e onde aquilo vai dar. Ao terminamos aonde levou todos esses longos acontecimentos de aprisionamento, fuga, aprisionamento, fuga... personagens sem profundidade, - como um cara que era para fazer parte de um romance com a Wisty, desaparece sem rumo depois de um acontecimento previsível - a nada.
Quanto ao With, bem, em todos os capítulos ele só fala da irmã, ou da sua namorada Célia. Pelo amor de Deus, como esse garoto é chato com essa menina. No primeiro livro, diz que ele tem 17 anos, e a irmã dele 15, só que não é bem o que parece. E ainda por cima ele tenta dar um de durão quando não demonstra um comportamento para tal, isso tem graça, não as piadas feitas por ambos.
A narrativa do livro é curta, pobre - sem detalhes -, monótona e repetitiva. Ex: Do livro anterior para esse segundo volume aparece instrumentos proibidos pela Nova Ordem como: livros, instrumentos musicais... Eles têm que te informar que foi proibido, todas as vezes.
Quanto aos pais desses dois, bem, fica um lenga, lenga o livro inteiro para só deixar mais perguntas, quando eles surgem e determinada situação a gente espera que tenha uma função essa chegada desses dois, mas não.
O autor tenta nos apresentar mais personagens - cenaristas, porque não fazem nada que possa identifica-los e caracteriza-los.
Por fim, a história que o James Patterson criou é boa. A distopia com bruxos é completamente atraente só com essa parte apresentada. O publico Infanto-Juvenil adoraria conhecer uma história assim, aposto que foi esse o objetivo do autor: puxar esse publico para essa série, mas acho que ele não conhece muitos jovens de acordo com esse publico, pois o comportamento dos personagens fogem completamente da forma como hoje em dia alguns se comportariam diante das situações que se encontram Wisty e With. O autor, porém, só colocou as ações que achou ter os jovens atuais nesses dois para nos identificarmos e não se preocupou com enredo, andamento, narrativa e outros personagens criados apenas para fazer uma ação que envolva os protagonistas, não por um interesse próprio. Sei que todos querem derrotar essa Nova Ordem, mas não apresenta o real motivo por estar nessa luta, só estão, isso me incomodou muito. Pretendo continuar com a série, só por curiosidade e esperança de que melhore MUITO.
comentários(0)comente



Gabriel Aleksander 18/04/2015

Exagerado e nonsense
O Enredo

Whit e Wisty estão cada vez mais próximos do conflito iminente com o “O Único que é O Único” e para isso eles precisam desenvolver seus poderes ao máximo, já que o grande líder da Nova Ordem também possui grandes habilidades que aparentemente anulam os poderes de fogo de Wisty, sugando qualquer chance de vitória por parte da Resistência.
O problema para os irmãos Allgood é que muitas pessoas importantes já foram tomadas deles desde que essa aventura começou, o que acabou desestruturando os mesmos. Seus pais, Celia e sua amiga revolucionária Margô, estão fora da equação e agora os jovens bruxos terão que formar novos laços e decidir em quem confiar e se existe alguém digno de tal ato.
Em meio ao caos, os integrantes da Resistência decidem organizar um grande show de rock na tentativa de relaxar e ao mesmo tempo reafirmar sua oposição ao governo opressor vigente. Nesse fatídico evento, Wisty conhecerá um roqueiro que irá mudar sua vida e redefinirá alguns conceitos, como confiança, amizade e até mesmo o amor...

Os Personagens

Depois de tantas perdas e situações difíceis pelas quais os protagonistas passaram, as esperanças em torno de um possível amadurecimento dos mesmos eram grandes. Porém, para a minha decepção, os personagens não evoluem ou amadurecem, as atitudes inconsequentes e totalmente ilógicas são contínuas nesse volume, assim como no anterior.
Os personagens secundários da história são pessimamente desenvolvidos e muitas vezes me perguntei o porquê deles pelo menos existirem na história. Podemos dizer, resumidamente, que a história gira em torno de 4 personagens e nada mais, tornando os demais ali presentes completamente desnecessários.
Apesar de todos os pontos negativos presentes nessa franquia, não posso deixar de levar em consideração que “O Único que é O Único” se configura como uma verdadeira ameaça para os irmãos Allgood, conseguindo alimentar a história com ações cruéis e construindo situações que, se não fosse pela predileção com a qual os protagonistas geralmente são abençoados, s mesmos não conseguiriam escapar e seriam facilmente derrotados.

A comicidade funciona na narrativa?

Inexplicavelmente os autores decidiram manter uma característica da série, que ao mesmo tempo a diferencia das demais obras presentes na literatura, e m contrapartida a torna insuportável.
A ideia de inserir alguns alívios cômicos em uma distopia até parece interessante em um primeiro momento, entretanto, a forma exagerada como essa comicidade é empregada em “O Dom” retira toda a credibilidade que a narrativa ou os personagens poderiam ter, fazendo com que o leitor não leve a sério nenhuma situação posteriormente apresentada, mesmo que tal acontecimento seja crítico e essencial para o desenvolvimento da história.

Opinião Final

A leitura de “O Dom” foi um verdadeiro suplício. Não consigo me recordar quantas vezes pensei em abandonar o livro e ir fazer alguma coisa mais proveitosa do que ficar preso a uma narrativa fraca, nonsense e absurda.
Em grande parte das vezes os autores confundem as idades de seus personagens, criando uma inconstância no comportamento dos mesmos, o que cria episódios que confundem o “cômico” com o “ridículo”.
Se você gostou de “Bruxos e Bruxas”, é aconselhável que procure diminuir suas expectativas para a continuação do mesmo. Já para aqueles que, assim como eu, acharam o primeiro livro mediano e viam esperanças para uma possível melhora em sua construção e desenvolvimento, devem pensar duas vezes antes de gastar seu tempo dando uma segunda chance para tal série.
Sem dúvida alguma a série escrita por James Patterson e Cia, está oficialmente abandonada por mim. Já vi algumas resenhas positivas sobre a continuação de “O Dom”, mas nem algo desse tipo me convencerá a me arriscar mais uma vez em uma aventura nada atrativa como essa.


site: fatalityliterario.wordpress.com
comentários(0)comente



Literatura 13/04/2015

A magia está de volta
“…fazer coisas importantes nem sempre é seguro, querida… é a lição mais difícil que um pai pode ensinar ou que alguns filhos têm de aprender.”

O Dom, a continuação da saga Bruxos e Bruxas traz os irmãos Allgood mais entregues a luta conta o autoritarismo do Único que é o Único, mas apesar de se sentirem mais preparados magicamente, estavam enfraquecidos do pessoal, já haviam perdido Célia, e agora ficaram sem Margo, além de nada saberem sobre o paradeiro de seus pais.

Resenha completa no site

site: http://www.literaturadecabeca.com.br/resenhas/resenha-o-dom-james-patterson-a-magia-esta-de-volta/#.VSv0cvnF8Vs
comentários(0)comente



Priscila 28/02/2015

Gosteiiiiii
Nesse segundo livro, vamos continuar acompanhando a "batalha" contra a NO (Nova Ordem) e também a sobrevivencia dos irmão Allgood (Wisty e Whit), e também a procura por seus pais (na verdade depois eles descobrem onde eles estão). E não posso deixar de citar a descoberta de novos poderes, na verdade, eles acabam amadurecendo e com isso descobrem do que são realmente capazes, principalmente a Wisty, por que ela pode pegar fogo...no corpo inteiro.

"[...] E então rola um flash - não de luz, mas de escuridão, por incrível que pareça - e ela desaparece. Wisty. Minha irmã. Minha melhor amiga no mundo. Minha irmãzinha está morta [...]"

Olha, tenho que confessar para vocês que, simplesmente adorei esse segundo volume...mesmo. Me senti tão envolvida e tão consumida na história, que não consegui parar de ler. Sabe aquele tipo de história, em que quando começa a ler, perde a noção do tempo e também de onde está?? Geralmente quando uma história me consome assim me sinto altamente perdida (hahahahaha). E acho isso muito bacana, por isso influencia no meu "julgamento" com a leitura.

E com certeza a Wisty virou uma heroína para mim, por que ela se transforma em uma garota mais forte e decidida, ao mesmo tempo que ela quer curtir a vida e os momentos em que ela proporciona, ela sabe da responsabilidade que tem com sua família, principalmente com os seus pais e na busca por eles.

Whit, com certeza, é aquele personagem que todas as meninas amam. Ele é atencioso, bondoso e muito corajoso também, e o sentimento que ele sente por Célia é a coisa mais lindinha e também um pouco obsessivo. E nesse livro ele ainda continua na sua busca por Célia (sua namorada que desapareceu misteriosamente), e também por seus pais.

"[...] Quando olho para trás, vejo o rosto da pessoa que me salvou - é a Célia. Célia! [...]"

E durante toda essa busca, acontecem muitas coisas...mesmo, que eu não vou dizer senão vira spoiler. Mas o que tenho que dizer sobre esse livro, é que me cativou muito.

A história é bem bacana mesmo, com capítulos intercalados que de uma certa forma, ajudam na leitura. E a leitura tem uma linguagem boa, sem muitas complicações. Os personagens são bem amarrados e que interagem muito bem, principalmente com os personagens secundários.

E é claro que estou louca para ler o terceiro volume.
Livro recomendado, com certeza!!

site: http://resenhandobma.blogspot.com.br
comentários(0)comente



95 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7