1Q84

1Q84 Haruki Murakami




Resenhas - 1Q84


74 encontrados | exibindo 61 a 74
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Lucas 11/08/2014

Vou sentir falta do 1Q84...
Eu li o primeiro e o segundo livro, e concomitante com o prazer da leitura, eu pensava: "espero que essa história tenha um final decente, pois está muito bom...".

Os livros são muito bons, te deixam com vontade de ler mais, de descobrir mais. O autor sabe te deixar curioso. Vc quer saber mais sobre a Sakigaki. Quer saber mais sobre Fukaeri. E torce muuuito para que Aomame reencontre Tengo (e quem sabe possam ter um final feliz =)). Eu me identifiquei mutito com Tengo. Torci muito por ele.

Ao mesmo tempo podem ser beeeem repetitivos. Os personagens pensam a mesma coisa vááárias vezes, em capitulos diferentes. Pode ser q seja uma forma de o autor reforçar a ansiosidade ou preocupação dos personagens, e fazê-los mais vívidos, mas não acho difícil q em algum momento da leitura vc pense: "putz, mas eu já não li isso??".

Acho q existe dois tipos de leitores, primeiro, os que bastam o caminho, e o segundo, que precisam de um final, chegar em algum lugar. Se vc é do primeiro tipo, que basta vc gostar do caminho, vc vai amar essa trilogia. Se vc é do segundo, que como eu, se preocupa com o ponto final da jornada valer a pena todo o caminho, talvez se chateie, pois ele deixa algumas coisas soltas e sem a real explicação. Mas dessa vez eu dou meu braço a torcer. Como num Alice no país das maravilhas, nada pode ser explicado, apenas vivido (no caso dela, sonhado...). Acreditamos estar nesse mundo por algum motivo, para fazer algo, ou para reencontrar alguém. E não se engane, vivemos aqui porque QUEREMOS estar aqui. Vivemos num mundo e não temos todas as respostas. E por causa disso desistimos da nossa vida, e não lemos o que temos para ler??

Seja como for, valeu muito a pena ter lido. Continua sendo uma das melhores leituras do ano.
"Não existe nada neste mundo que não tenha saído do coração de alguém" - Livro 2.
comentários(0)comente



Andinho 01/01/2014

Ushikawa!!
.
.
Terceira é última parte do ótimo livro do Murakami.
Livro um e dois. Inquestionáveis. Murakami estava impossível, arrebatado, denso, enigmático, preciso e muito ambicioso.
Dois personagens tentam "sair" de um mundo com uma realidade implacável.
Mas neste último livro aparece Ushikawa. Um livro só para ele. Um personagem curioso em parte, mas em outro momentos, uma personagem que estava ali para amarrar todos os pontos soltos nos primeiros livros da serie. Tudo incerto. Duas luas no ceu. Notei uma nova narrativa, não me pedem argumentos, não sei dizer, mas vi uma narrativa. , Murakami rememora George Orwell. O terceiro e último livro da serie fora muito criticado por muitos. Nada mudou de polo, absolutamente nada. O livro é uma distopia com violência.
Curti demais.
comentários(0)comente



Aline T.K.M. - @aline_tkm 27/01/2014

Desfecho é agente frustrador até das expectativas mais baixas
Presos a 1Q84 como a uma espécie de mundo paralelo, Aomame e Tengo continuam buscando um ao outro, enquanto tentam se manter a salvo do grupo religioso Sakigake e do Povo Pequenino.

O último livro da trilogia 1Q84 seguramente é aberto com dedos trêmulos de ansiedade e tem suas páginas percorridas por olhos igualmente nervosos. Difícil encontrar leitor que não se tenha envolvido pelos dois volumes anteriores e que não tenha esperado com angústia pela conclusão da história.

Novamente os capítulos se alternam entre os protagonistas, com a adição de um terceiro personagem que também entra nessa divisão. Ushikawa, cuja primeira aparição se deu no segundo volume da trilogia, surge então incumbido da tarefa de encontrar Aomame, ao mesmo tempo em que começa a desvendar suas conexões com Tengo Kawana. Por trás das investigações de Ushikawa, o grupo Sakigake parece ter algumas de suas prioridades e decisões ligeiramente alteradas com base nas próprias urgências.


Exercícios de musculação e alongamento, a observação silenciosa de um parquinho infantil, e a leitura de Proust constituem a rotina – devidamente oculta – de Aomame. No entanto, a possibilidade de se ver exercendo, ela mesma, o papel de uma espécie de crisálida de ar lhe dá novo ânimo para zelar pela própria proteção.

Tengo, por outro lado, lida com o delicado estado de saúde do pai – com quem não possui o que se pode chamar de verdadeiros laços sentimentais – enquanto escreve seu próprio romance e busca por respostas aos dilemas de sua infância.

Persiste a atmosfera densa e sombria do segundo livro. Muito ocorre no campo das reflexões, das especulações. Não demora, porém, para que percebamos que todo o cenário indica uma cuidadosa preparação para o destino de Tengo e Aomame – unidos ou não.

Como não podia deixar de ser, o volume final de 1Q84 continua envolvente; a narrativa deliciosa – ainda que mais lenta e às vezes repetitiva – é outra vez um aspecto marcante. Mas o desfecho, repleto de pontas soltas, é agente frustrador até das expectativas mais baixas. Desde o primeiro volume o leitor é provocado, é tomado por uma imensa sede por explicações que, no fim, não são de todo satisfeitas.

Sob outra ótica, porém, a carência de maiores esclarecimentos traz a confirmação de que 1Q84 é (antes e acima de tudo) a história de amor entre Tengo e Aomame. Separados pelo tempo e pela distância, eles nunca deixaram de estar unidos em seu íntimo. Duas pessoas que vão parar num mundo estranho onde há duas luas no céu; que se envolvem em problemas misteriosos com pessoas e organizações também misteriosas. Mas cujo único objetivo é o reencontro e o redescobrimento do outro, após vinte anos de um amor completamente platônico. Só isso, mais nada.

Um bom livro, ainda que os principais mistérios permaneçam ocultos. (Por um momento até pensei que houvesse um quarto volume surpresa, ou então algum tipo de “easter egg” literário a ser descoberto... Só que não.)

Vale pela narrativa, pelo desenrolar dos acontecimentos, pelos personagens e pelo universo da trama. Só não vale esperar por um desfecho digno de todas as expectativas alimentadas ao longo das pouco mais de 1200 páginas que compõem a trilogia.

LEIA PORQUE...
Ler os dois primeiros volumes e se abster do terceiro não são coisa que se faça em sã consciência.

DA EXPERIÊNCIA...
O final frustrou, não vou mentir. Mas todo o restante foi tão delicioso quanto os dois primeiros livros. Universo e trama magníficos, porém coroados com um desfecho egoísta para com o leitor. Vale a leitura, apesar de ter me sentido um pouco retardada – será que a culpa é do final, ou foi minha massa cinzenta que não captou a essência da coisa toda?
E antes que me perguntem: não, não me arrependo de ter citado a trilogia como minha melhor leitura de 2013.

FEZ PENSAR EM...
Bem que o sr. Murakami poderia tirar um spin-off da manga, algo como um “olhar mais profundo” sobre Sakigake, suas práticas, conceitos e – afinal, por que não? – a resposta para todo o mistério que circunda Fukaeri, Tengo e Aomame, bem como o real papel de cada um deles. Assim, é só uma ideia...

site: http://livrolab.blogspot.com
Júlia 28/03/2014minha estante
"Se você não consegue entender coisa alguma sem receber explicações, significa que continuará não entendendo, apesar das explicações."




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Péricles 13/05/2017

Feliz 1Q84??
Muito bom!! Uma leitura envolvente, que foge do tradicional de forma inteligente, deixando um desejo por mais.
Mas, como todo ano tem seu fim, com 1Q84 não poderia ser diferente.
comentários(0)comente



Franc.Assis 28/04/2019

1Q84
1Q84 - Com elementos de literatura pop, onde não faltam referências (como um Q merchandising) a grandes marcas de diferentes seguimentos de empresas multi-nacionais. O autor nos oferece um tipo Q romance pós moderno com visitas à pscilogia junguiana e universos paralelos tratados de como Q ficção científica, trás também semelhanças com romances meio Q policiais. Desse emanharado surge uma obra que se não empolga nos faz passar algumas horas de uma Q espécie de diversão. Não chego a ficar arrependido de ter lido. Boa sorte a quem quiser se aventurar!
comentários(0)comente



LP 03/03/2017

Instigante
Ao iniciar 1Q84, o leitor pode se sentir intimidado por estar diante de uma trilogia. A extensão da obra, contudo, não deve servir para impedir ninguém de lê-la.

Isso porque a história se desenvolve em um ritmo adequado, com um estilo muito interessante de intercalações de cada capítulo com foco em determinada personagem.

A gama de personagens também é um atrativo. Conforme a leitura avança, novos elementos são inseridos na história. Ao final, Tengo e Aomame ocupam a mente do leitor, mas ao lado deles caminha toda uma trupe tão ou mais interessante que o casal principal.

Na minha visão, a história poderia ser condensada em dois volumes. Senti que o volume 3 quebrou negativamente o ritmo - mas essa, claro, é uma visão pessoal.

No geral, a leitura é imperdível. Da mesma forma que eu viajava para o Japão a cada página, imagino que você irá também. Tudo isso, fixado numa história com muitas surpresas e um final que deixa a imaginação vagando.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Thiago 21/03/2015minha estante
Tão ruim assim Aguinaldo essa trilogia?




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vitor 28/01/2016

"Mas esse Deus não era o Deus dessas pessoas. Era o meu Deus. Um Deus que encontrei após sacrificar minha própria vida, deixar cortar minha carne, tirar minha pele, sugar meu sangue, arrancar minhas unhas e usurpar meu tempo, meus desejos e minhas lembranças. Um Deus que não possui forma. Ele não está vestindo roupas brancas e sua barba não é comprida. O meu Deus não possui uma doutrina, uma escritura sagrada, e tampouco rígidos preceitos a serem seguidos. Não há recompensas nem castigos. Não oferece nada nem tira nada. Não há um paraíso a ser alcançado nem inferno para se despencar. Tanto no calor quanto no frio, Deus simplesmente está presente."
comentários(0)comente



Hermes 29/01/2014

1q84
Abaixo das minhas expectativas. Os personagens são superficiais e a trama se perde durante o desenrolar do enredo. O primeiro volume me prendeu, confesso , mas o desfecho no último tomo deixou muito a desejar. Não merece o Nobel.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Miyuki 01/09/2014

suspense
com um personagem a mais nos capítulos, que até então eram apensa Aomame e Tengo, o detetive Ushikawa também encabeça 10 capítulos, ele tem um faro incrível e faz de tudo para alcançar seus objetivos.
a cada página lida era pura tensão, eu tinha medo de ler e descobrir que nada do que eu queria aconteceria, já que o autor consegue ser o mais inusitado possível e em alguns momentos eu realmente me preocupei.
eu amei o final e não poderia esperar mais, simplesmente maravilhosa trilogia, recomendo a todos que gostem de algo diferente e impressionante
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



74 encontrados | exibindo 61 a 74
1 | 2 | 3 | 4 | 5