1Q84

1Q84 Haruki Murakami




Resenhas - 1Q84


74 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Tatiana 27/04/2014

Devagar... Qaase parando... Até parar de vez!
Acho que só ao terminar o terceiro livro é que consigo avaliar os outros dois também.
Primeiro: é diferente de tudo que já li, algo de literatura fantástica, mas com um quê de sei-lá-o-quê..
Segundo: é lento, devagar e repetitivo. Algumas vezes os personagens repetem 3 vezes a mesma coisa, com mais alguém se certificando qe é aquilo mesmo. Dá vontade de pular várias páginas!
Terceiro: o final. É isso mesmo? Oh Lord! Li tudo isso pra isso???
Mariana 01/05/2014minha estante
Estou na metade do livro e estou pensando se devo abandonar já que todas as resenhas dizem que é decepcionante :/ vale a pena ler até o final?


Tatiana 01/05/2014minha estante
Sim, Mariana, pode ler. Vale à pena ter no currículo, da mesma forma que vc tem que ler alguma coisa do Saramago pra decidir se gosta ou não.
Vá até o fim pra poder nos dar sua opinião também!




spoiler visualizar
José Henrique 01/01/2015minha estante
Agora to de novo com vontade de ler hahahaha


imaranca 01/01/2015minha estante
hahahah indeciso




Nina.ONeill 26/08/2017

É o melhor livro da trilogia. Há porções em que a história fica enrolada e você tem a impressão de que não precisava ter tanto miolo no meio, mas nada demais. Achei o final satisfatório embora nem tudo seja explicado. Na verdade eu acho que não combina com a proposta do livro explicar tudo, tiraria a Kafkazidade da obra, então acho que o final foi ótimo.
comentários(0)comente



Juliana 12/02/2016

Extraordinário!
Vivi por alguns dias em 1Q84! O livro 3 completou a saga de Aomame e Tengo de uma forma sublime. Apesar de algumas perguntas da minha cabeça terem ficado sem resposta (ainda estou pensando e digerindo toda a história), a trilogia já está definitivamente no meu top 10!
comentários(0)comente



Fabio Shiva 18/02/2018

maratona
Desde que li o autobiográfico “Do Que Eu Falo Quando Eu Falo De Corrida”, no ano passado, fiquei curiosíssimo para ler alguma obra ficcional de Murakami. Por isso foi de uma escandalosa abundância o Universo ter me presenteado, através do querido amigo Carlinhos Santos da Silva, justamente com a mais aclamada ficção de Murakami, “1Q84”.

Não se trata de uma trilogia, mas de uma única história, com cerca de 1.000 páginas, dividida em três volumes. Li os dois primeiros volumes com atenção quase que exclusiva (coisa rara para mim, que geralmente leio três livros ao mesmo tempo). Acabei ficando um pouco cansado do estilo, e intercalei com “São Bernardo” de Graciliano Ramos, que curiosamente é o mais perfeito oposto que posso imaginar para “1Q84”. E agora por fim termino a leitura do terceiro volume, com muita gratidão por essa leitura e a sensação de que é muito difícil definir ou delimitar a obra de Murakami.

A história de “1Q84”, ao meu ver, é uma típica história japonesa de amor, bem no estilo de “Musashi” de Eiji Yoshikawa, com muitos desencontros e frustrações. A originalidade de Murakami é situar o romance de Aomame e Tengo no mundo paralelo de 1Q84, onde existem duas luas no céu e um Povo Pequenino usa e abusa da magia em rituais secretos. Então existe um toque de suspense, de ficção científica (ou realismo fantástico) e até um sutil senso de humor.

Não gostei muito das contínuas repetições, bem ao gosto dos mangás e animes (mas que não me parece ser uma característica da literatura japonesa em si, pois o já citado “Musashi”, cujas mais de 1.700 páginas li duas vezes com grande entusiasmo, não incorre nesse tipo de repetição, apesar de ter sido publicado originalmente como folhetim). Em alguns trechos achei a prosa bem nefelibata, e se não soubesse se tratar de um autor consagrado, teria considerado como erros decorrentes de inexperiência. Mas como foi Murakami que escreveu, talvez eu é que não tenha captado a mensagem.

Por outro lado, gostei imensamente do rico universo imaginário do autor, principalmente quando comecei a lê-lo como se fosse poesia, e não prosa: foi como se uma porta secreta se abrisse e revelasse (não por acaso) novos mundos. E Murakami também tem algumas frases que fazem a gente refletir e crescer, como por exemplo:

“Um escritor só se aperfeiçoa com o ato contínuo de escrever.”
*
“O corpo é um santuário (...) independentemente do que se cultue nele”.
*
“As pessoas que não sabem pensar são justamente as que não sabem escutar o que os outros têm a dizer.”
*
“Se você fizer algo incomum, não importa o que seja, alguém sempre vai ficar bravo.”

Gratidão!


site: https://www.facebook.com/sincronicidio
comentários(0)comente



Ricardo 16/09/2014

O melhor da Trilogia
O livro 3 mantém a mesma narrativa fluida e elegante observada nos livros 1 e 2. O leitor é submetido a uma leitura leve e incrivelmente cheia de detalhes. Detalhes esses que Haruki Murakami usa de maneira magistral para uma imersão completa no mundo de 1q84 e de seus personagens. A entrada de um terceiro elemento na história foi muito interessante, assim como aconteceu, durante toda a obra, mas principalmente no livro 1 (com Tengo e Aomame), Ushikawa, foi muito bem caracterizado e se tornou um personagem muito interessante.
O livro 3 não possui tantas revelações como o livro 2. Durante quase todo o texto, o mistério principal e a convergência das histórias de Tengo e Aomame é trabalhado, o quê não faz com que o livro seja monótono, pelo contrário, os caminhos que levarão ao desfecho são muito interessantes e, em alguns momentos, até mesmo tensos.
Finalmente, sobre o final...estou pensando nele até agora...Eu achei realmente muito bom mas percebi que várias pessoas não gostaram. Dá para entender, porquê o final é surpreendente e trabalhado em um único parágrafo, sem tiros, sangue e sexo. Você precisa pensar bastante nele, durante um bom tempo, associando-o a todos os fatos passados e verá que ele não poderia ser diferente.
Não entendo porquê é o livro com avaliação mais baixa entre os volumes da trilogia. Na minha opinião, é o melhor deles, embora todos sejam excelente.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rafael 14/02/2018

Trilogia sensacional
Mais uma indicação do podcast 30 minutos que gostei muito. Haruki Murakami escreveu uma trilogia misteriosa que prende o leitor do início ao fim.
comentários(0)comente



Anderson 14/01/2014

Três volumes e 1.280 páginas depois, posso dizer que o livro é excelente, um dos melhores que já li. Se você ainda não conhece esse autor, que é um dos mais prestigiados da atualidade, sugiro que comece por este livro, agora que a terceira e última parte foi lançada no Brasil. Assassinato, romance, fantasia, religião, literatura, filosofia, música clássica, sexo, realidade alternativa, um mundo com duas luas no céu... Estes são alguns dos elementos que compõem esta história incrível que já vendeu milhões de exemplares em todo mundo.
comentários(0)comente



Dressa Oficial 31/12/2013

Resenha - 1Q84 - Livro 3
Olá, tudo bem com você?

Esse é o tão aguardado ultimo livro da trilogia japonesa 1Q84 que quase me infartou com o final do segundo volume.

Para quem ainda não conhece essa série e quiser ler as resenhas que fiz dos dois primeiros volumes da série confira aqui, Volume 1 e Volume 2 .

Esse terceiro livro é bem dificil de fazer a resenha porque não foi tudo que eu esperava que fosse, e muitas perguntas que ficaram em aberto continuaram sem respostas nesse último livro.

E como o segundo volume tem um final um tanto quanto enigmático eu fico com muito medo de dar algum spoiler, mas vou tentar resumir da melhor maneira possível.

Os capítulos continuam se alternando entre Tengo e Aomame e aparece mais um personagem chamado Ushikawa que é o investigador contratado pelo grupo religioso para investigar a morte do líder deles, então o livro agora altera entre os três personagens.

Aomome é a principal suspeita da morte do lider religioso pois foi a última pessoa a estar com o lider religioso no quarto do hotel, a maneira que Ushikawa tenta chegar até ela é através de Tengo, por intuição ele acha que os dois se conhecem e então começa a seguir Tengo.

Tengo se muda para outra cidade pois seu pai esta em coma e ele resolve ficar um tempo por lá, tornando a investigação de Ushikawa muito mais demorada.

Página 203
As coisas simples são as que menos se notam. Não é a toa que dizem que o que está mais perto é o que menos se vê.

O livro "Crisálida de Ar" que foi reescrito por Tengo cada vez mais se assemelha ao mundo em que todos os personagens do livro estão vivendo, antes apenas Tengo e Aomame conseguiam visualizar as duas luas no céu porém o investigador também começa a ver as duas luas no céu.

Eu confesso que eu esperava bem mais do livro, porém como é uma história de ficção e um pouco confusa pois é muito diferente de todos os generos que eu ja tenha lido eu achei que o último livro deixou muito a desejar.

Infelizmente minha resenha não vai ser muito boa porque como eu disse não quero dar spoiler e se falar muito o que acontece nesse volume já vai ser spoiler devido a forma que acabou o segundo volume da série.

Página 427
Em determinado momento, o tempo flui insinuante e insuportavelmente devagar; em outro, ele passa rápido, pulando de uma só vez várias etapas.

Apesar de gostar muito da maneira que o autor escreve, depois desse último volume não é mais a minha série favorita e não recomendo a leitura dessa série com grandes expectativas.

Eu gostei muito do segundo volume porque o livro me despertou muitas emoções mas a história no contexto final não teve nenhum nexo.

Beijos

Até mais...


site: http://www.livrosechocolatequente.com.br
comentários(0)comente



RomA.Fernandes 16/05/2017

Trilogia 1Q84
Há momentos na vida em que sentimos que entramos em outra vida, em que nossas percepções se alteram. Não por pretensão e autoatribuição, mas por descuido e aleatoriedade.
Entre tantas leituras metafóricas possíveis, a trilogia 1Q84 me parece ser um romance sobre o dilatamento do tempo e espaço dentro do ritmo cotidiano.
Enquanto, seguimos ou até nos esforçamos para seguir o fluxo habitual de nossa época, em outras ocasiões, talvez, fruto do acaso ou da criação poética ou da paixão etc., nos vemos em outro espaço-tempo, uma espécie de universo paralelo. E nesse outro universo, viver tem seus riscos, delírios e intensidade.
A narrativa de Murakami é simples, fluida e recheada de fantasias e breves referências musicais e literárias. Essas referências são as senhas para interpretação de suas obras. Sem tê-las em vista, seu romance parecerá uma escrita ingênua e sem sentido. Especificamente nesse livro, Proust e George Orwell nos ajudam a mirar o romance de Murakami por outra ótica.
comentários(0)comente



Iza 28/09/2017

Eu devo confessar que fiquei um tanto quanto decepcionada com esse final, esperava bem mais, considerando todo o andamento que a história teve nos dois primeiros livros. De qualquer forma, não me arrependo de ter lido. Apesar do final ter sido bem longe do que eu esperava, a história como um todo, e a própria narrativa do Murakami, valem demais a leitura.
comentários(0)comente



Letícia 10/01/2018

Acima de tudo, uma história de amor
A narrativa é calma e fluída, mas o enredo traz mais perguntas do que respostas, de modo que, como Tengo reconheceu, deveria se acostumar a esta situação. Contudo, isso pode desagradar alguns leitores, imagino que muitos tenham cultivado a expectativa de entender os mistérios do mundo ficcional criado por Murakami. Por outro lado, o livro possui uma qualidade literária inquestionável e é uma experiência maravilhosa, recomendo demais a leitura.
Eu resenhei o primeiro livro da trilogia no meu blog, dá uma olhada lá ;)

site: https://desafiolivrospelomundo.wordpress.com/2017/03/22/japao-livro-3-1q84/
comentários(0)comente



Mara.Sousa 05/04/2017

Fim da agonia rs rs
A trilogia toda é sensacional, incrível, única, é muita coisa ao mesmo tempo e vale a pena ir até o final.
comentários(0)comente



Karol Fe. 14/02/2016

Maravilho, história envolvente.
Os três livros são muito bons, a história chama-te a atenção, e sempre que parei de ler fiquei imaginando fatos que iriam fazer a história se desenrolar, Haruki Murakami, realmente faz isso á você. Existem certas enrolações sim, que não são muito necessárias, mas ao mesmo tempo dão um toque imaginativo além do que ele já é.
Recomendo muito este livro.
comentários(0)comente



74 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5