Play

Play Kylie Scott




Resenhas - Play


79 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Jessica A. 10/09/2017

O M-E-U homão da porra!
Sim, sou apaixonada e doida por este cara! Amooooo o Mal e como da primeira vez, me apaixonei por ele (Jimmy vc ainda é o meu marido, mas o Mal é o meu amante). ♥

Esse carinha aí, além de ser um doido, ele é divertido, engraçado, prostituto, pirracento, sonso e um lunático sem tamanho. ♥

Ele dá a luz ao lugar por onde ele aparece, ele que diverte e deixa a gente (os leitores) com aquele sorrisinho idiota no meio da cara.

A história desse casal é fofa e divertida! Adooooro! A Anne é aquela típica personagem que sempre confia em todo mundo e se ferra (olá, prazer eu). E Mal percebe esse jeito da Anne e quer dar (ou melhor dizer, forçar) uma ajudinha pra ela.

Bem que a autora poderia escrever algum conto deles dois com os filhos, queria muito ver o jeito do Mal com as crianças kkkkk

Se recomendo?! Sim!!!
Nota: 5 ♡♡♡♡♡ FAVORITAÇO
Lido em: 26/10/14 à 28/10/14.
Relido em: 20/07/17 à 24/07/17.
Lary 10/09/2017minha estante
Mall!!!!!!!


Celia 10/09/2017minha estante
Putz, Jessica !!! Você também quer todos, Jimmy e o Mal. Fique com o Jimmy e eu com o Mal. rs


Gessica 10/09/2017minha estante


Lina 10/09/2017minha estante
"Jimmy vc ainda é o meu marido, mas o Mal é o meu amante" Melhor pessoa você kkkkkk


Jessica A. 11/09/2017minha estante
Pooooo Celia, tira o olho dos meus boys! kkkkkkkkkkkkk :P


Jessica A. 11/09/2017minha estante
Ahhhh Lina, impossível escolher um só!


Jessica A. 11/09/2017minha estante
Lary, tira o olho que essa peste é minha! hahahaha


Lary 11/09/2017minha estante
Sua nada! Vc já disse q é casada com o Jimmy, e eu sou casada com o Mal desde sempre!!!!!! Hahaha


Jessica A. 12/09/2017minha estante
ok ok, mas lembrando que é por poucas semanas que eu empresto ele pra tu, só pq sou mto boazinha hahahah


Celia 12/09/2017minha estante
Aff, todas de olho no meu Mal.


Jessica A. 12/09/2017minha estante
oqqqqq????!!!! ele é MEU! kkkkkkkk

ele é de todas!


Ju 10/10/2017minha estante
Oi Jéssica! Qual teu favorito da série? Acabei de ler o primeiro e me me apaixonei e agora está me dando um medinho de ler os outros e não ser tudo isso ? Preciso de ajuda!! Hahaha


Jessica A. 14/10/2017minha estante
Ju, oiiii! Os meus favoritos são Lead e Play. Cara, leiaaaaaa! Eu amo esses livros, o que eu detestei foi Deep :/ Decepcionante


Lary 15/10/2017minha estante
O que eu detestei foi q acabou! Super triste ??
(Eu sendo intrometida) hahaha


Jessica A. 16/10/2017minha estante
kkkkkkkkkkkkkkk ahhh Lary, me irritei um cadinho com o Ben :/


Ju 16/10/2017minha estante
Ahhhhhh, vou ter que ler então ?? Quando gosto muito do primeiro livro de uma série que muda os casais sempre fico com receio de ler os outros e estragar o encanto ?


Jessica A. 17/10/2017minha estante
Leia, Ju! Tu vai gostar! :D :D E oh, quero saber tua opinião ein!




Stephanie.Facre 05/09/2017

Apaixonada pela historia
Evelyn sempre foi uma menina muito certinha, até fazer a faculdade igual à do seu pai ela fazia, porém como toda menina boazinha sempre tem uma amiga mais "soltinha", Lauren convenceu sua melhor amiga a passar o aniversário em Las Vegas, a cidade do pecado.
Como era de se esperar, acaba acontecendo uma pequena confusão e Evy se vê casada com o astro do rock David Ferros, porém temos um pequeno problema, Evy não lembra do acontecido e David está apaixonada por ela.
comentários(0)comente



Carolantu 23/08/2017

Play
Definitivamente o meu livro preferido da série até agora, estou completamente apaixonada por Mal! Esse livro me fez rir alto e morrer de amores, livro muito bom!!!
comentários(0)comente



Carol 10/08/2017

Malcon ganhou meu coração
Desde que fiz minha leitura de "Lick" (primeiro volume da série) fiquei encantada com o bom humor de Malcon e mal pude esperar para fazer a leitura de "Play". Com expectativas bem altas me aventurei no romance de Anne e Malcon e me encantei. Anne, como mocinha, me agradou bem mais que Evelyn (protagonista do livro anterior), mas quem rouba a cena mesmo é o baterista do Stage Dive. Com passagens hilárias, e uma sensibilidade encantadora, Malcon nos mostra sua faceta romântica, enquanto Anne se mostra uma personagem coerente, linear e sem muito "mimimi".
Mesmo sem aprofundar muito nos personagens, Kylie Scott mantem sua escrita dinamica e viciante, na qual já tínhamos mergulhado em "Lick", e nos apresente um casal cativante. Malcon e Anne vão conquistar seu coração, e muitas gargalhadas.
comentários(0)comente



Yarla.Watanabe 10/08/2017

me recomemdem
genteee, eu amei essa saga e principalmente a ideia de que cada um tem o foco em um personagem diferente. Alguém conhece alguma outra saga que seja assim?
comentários(0)comente



Livia.Rodrigues 17/06/2017

Engraçado e louco...
Essas são as 2 palavras para o Mal... não achei que ele realmente se apaixonou. Livro engraçado, mas depois foi ficando meio sem graça.
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 08/05/2017

Mal é o meu favorito *o*
Oie gente! Hoje vou falar dessa série que eu amo e estou relendo esse ano. Se você gosta de um romance divertido, mocinho rockstar e de romance erótico você não pode deixar de conferir essa resenha. Venha conhecer Mal, o baterista que vai te fazer dar boas gargalhas e também suspirar.

"Era assustador. Eu quase sentia a conexão entra nós. Como se algo que eu pudesse apanhar e segurar com as mãos."

Play é o segundo livro da série Stage Dive, da autora Kylie Scott, publicado pela Universo dos Livros. Eu já li essa série faz um tempinho, mas com o lançamento de Deep que é o último livro da série me bateu a saudade de certos rockeiros. Cada livro conta a história de um integrante da banda, e nesse livro vamos conhecer a história de Mal o baterista da banda e de Anne que será a namorada de mentira de Mal. Quem conheceu Mal no primeiro livro sabe que ele é divertido e um bom amigo. O primeiro livro foi fofo, nesse segundo livro as risadas serão garantidas.


O livro começa com Anne chegando em seu apartamento e encontrando nada dentro. Sua amiga que morava com ela levou tudo e agora Anne está sem dinheiro não sabe como vai conseguir pagar o aluguel. Lauren vizinha de Anne aparece quando este fato acontece e para tirar ela da bad leva ela a uma festa dos roqueiros Stage Dive. Lá Anne encontra Mal o baterista que ela sempre foi fã. Depois dessa noite tudo vai mudar para eles. Ele vai para casa dela e faz uma proposta; seja minha namorada de mentirinha e eu te ajudo a pagar as despesas. Nunca se sabe quando Mal está brincando e Anne tem medo de se apaixonar por ele. Será que ela vai conseguir não se apaixonar por Mal? Eu já acho impossível rsrs.


Anne é aquela mocinha que quer ajudar a todos a sua volta. Quando Mal faz a proposta a ela não tem como ela dizer não. Além de ser fã, ela tem uma queda por ele a anos. Anne é o posto de Mal e juntos vão fazer o par perfeito. Anne entra na loucura de Mal, mesmo querendo ajudar ela não vai levar desaforo pra casa dele. Anne é linda, mas tem características comuns, ela poderia ser eu ou você. Gosto das mocinhas dessa série porque são reais. Assim fica impossível não pensar estar no lugar delas (sonhar não custa nada haha).

" Mal Erickson podia ser um baboy, mas também era um bom homem."

Mal já no primeiro livro da série te conquista sendo aquele amigo pra toda hora para Davi e Evie e sendo super divertido. Se no primeiro você já se divertiu com Mal, nesse segundo livro com certeza você vai dar boas gargalhadas. Ri bastante com ele e é difícil acompanhar esse cara sabendo se ta falando sério ou não, mas na verdade esse modo de ser dele é só uma máscara. Não só momentos de alegria é a vida de Mal, alguma coisa está acontecendo de grave com ele e quando você descobrir pode ficar com o o coração na mão.



Leia mais em: http://malucaspor-romances.blogspot.com/2017/05/resenha-play-serie-stage-dive-2.html#ixzz4gWNYoFXv

site: http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2017/05/resenha-play-serie-stage-dive-2.html#axzz4gWNOSdJO
Kelli 08/05/2017minha estante
O Mal é hilário! Impossível não rir com ele


Celia 08/05/2017minha estante
Somos 2 , pq o Mal também é o meu favorito . :)


Malucas Por Romances 08/05/2017minha estante
Não vamos brigar meninas kkkkkk


Celia 08/05/2017minha estante
Tem Mal para todas. rs


Kelli 08/05/2017minha estante
Na vdd meu preferido é o marrento gostoso do Jimmy rs...mas gosto muito do Mal tbm.


Celia 08/05/2017minha estante
O Jimmy me surpreendeu, achei o seu livro lindo, mas o Mal é o meu best.


Livia.Rodrigues 14/05/2017minha estante
Não consegui terminar o 1.. desisti.. melhora???


Malucas Por Romances 18/05/2017minha estante
Eu acho que sim rsrs




Andréa 17/04/2017

Sensacional
Dos quatro integrantes da Banda, ele é o melhor!
Fala as verdades brincando, mas não esperava se apaixonar a primeira vista.
A história tem um desenrolar muito alegre e te prende do inicio ao fim.
comentários(0)comente



Tamiris 10/04/2017

O melhor da série
Play é o segundo livro da série Stage Dive, composto por Lick e seguido por Lead e Deep. Aqui nós temos a história do baterista Mal, no qual temos um leve contato na obra anterior e que me fez ficar bem curiosa sobre essa obra. Ele estava precisando de uma namorada de mentira {por motivos de força maior} e encontra a namorada perfeita em Anne. Ela acaba de levar um pé na bunda de sua colega de apartamento, que a deixa sem móveis, sem dinheiro, com aluguel atrasado e totalmente fodida.

Ele se oferece para ser "colega de apartamento" da Anne e dar tudo que ela precisa se ela fingir ser sua namorada.Tudo pode acontecer perfeitamente bem, se os dois não deixarem o desejo tomar de conta. É difícil, mas os dois têm que tentar.

"A vida é uma música, Anne. Vamos tocar."

Então, eu estava com uma grande expectativa com uma relação a esse livro. Tinha tido contato com o baterista no primeiro livro e ele me conquistou com o seu jeito divertido e sem noção. E encontrei muito disso no livro dele. Preciso dizer que esse é {por enquanto} o livro mais divertido da série. Malcom chega com uma ideia completamente louca para a Anne e ela fica sem reação, afinal ela era na adolescência fã do Mal. Então ela meio que pensa: "Eu já tô na merda né?! Ferrar meu coração com o Mal não pode ser tão ruim assim".

O que mais me encantou com esse livro foi a relação de amizade que foi sendo criada durante o caminho do livro. Embora houvesse muito desejo de ambas as partes e que eles estivessem se segurando para não ultrapassarem o limite, os dois sabiam diferenciar isso do fato de serem colegas de apartamento e as suas cenas eram inteiramente divertidas. Eles zoavam um com o outro,

"Mal: Fiz um teste de revista. Precisamos de ajuda. Você, especialmente
Anne: ...
Mal: Agendei horário com terapeuta de casais. Ter 4h15. Ok?
Anne: Não vamos fazer terapia.
Mal: O q foi? N me ama mais?
Anne: Desligando o telefone agora."

Juro que 90% dos tempo no livro eu estava morrendo de rir. Os outros 10% eu estava apreensiva de algum modo. Fiquei pensando na merda que Mal faria para estragar o relacionamento deles, pensando na merda que aconteceria se eles ultrapassassem a linha amizade X desejo. Por falar em desejo, todos sabem que o livro é erótico então obviamente vai haver pegação. Mas repito o que eu disse no primeiro livro: Kylie conseguiu não trazer só um erótico onde o casal começa a se pegar logo de início. Ela trabalha toda a relação de forma real, toda a história do casal até eles sentirem que está na hora de avançar.

Kylie trouxe um livro hiper engraçado mas ao mesmo tempo dramático e sexy. Ela trabalha a personalidade dos personagens durante o livro e é intenso alguns assuntos tratados no mesmo. Eu gostei de toda a narrativa {que é feita através da nossa Anne}, da construção de personagens, cenário e toda a história.

"A vida, aqui e agora, com Mal, era uma montanha-russa. Assustadora e excitante. Pouco importava se a situação ficasse estranha, eu apreciaria aquele momento."

Eu não tenho o livro físico aqui, porém já dei uma olhada na edição da Universo dos Livros e só posso dizer: uau. Eu amo essas capas desses livros, e essa retrata Mal de forma bem sexy. Adorei a diagramação e a tradução, super coerente. Só preciso firmar que senti falta do verdadeiro apelido da Anne, que é Abóbora e não Moranguinho como eles colocam na tradução.

No geral, para quem gosta de Romance Erótico mas gosta também um pouco mais de romance e dramatização {e não só sexo, sexo, sexo... eu gosto kk}, vai encontrar tudo aqui nessa série. Além de um grau de diversão que me fez amar mais ainda a série Stage Dive. Estou louca para dar continuidade a leitura da série. Ou seja, em breve tem mais resenha dessa série.

site: http://www.bloghittheroad.com/2017/02/play-kylie-scott.html
comentários(0)comente



Apaixonadas por 02/04/2017

Play - Apaixonadas por Livros
Vocês não serão capazes de resistir a Mal Ericson.

Fiquei empolgada para conhecer a história do Mal desde a leitura de Lick. Bem, quem não desejaria conhecê-lo melhor? Ele é um personagem divertido e malandro e eu sabia que por trás de sua atitude jocosa havia um lado diferente dele que tinha que conhecer.

Estive esperando ansiosamente por Play. Eu me apaixonei pelo personagem no primeiro livro da série e eu tinha muita expectativa por sua história. A trama não me decepcionou, mas a edição sim! Eu amo livros com astros do rock, mas estes são um pouco diferentes, eles não são somente extremamente quentes e revestidos da sensualidade rebelde, eles têm alguma doçura e também são hilários. Eu ri tanto nesta história! Mas a trama não é apenas engraçada há muita profundidade permeando a narrativa.

Malcolm “Mal” Ericson é o baterista do Stage Dive. Ele é conhecido como alguém que sempre se diverte muito quando se fala de mulheres. Com seu estilo de vida sou feliz e sou o sortudo vamos em frente, não está em seus planos um relacionamento sério. Mas quando está de frente a um dilema pessoal que o obriga a basicamente arrumar uma namorada falsa, ele não tem muita escolha senão conseguir uma mulher que se enquadre aos seus moldes. Dito isto, conhecer Anne Rollins em uma festa na casa de Evie e David foi um momento perfeito. Eles se conectaram automaticamente após alguns minutos de flerte. E acontece que Anne está com sérios problemas financeiros, então Mal lhe faz uma proposta que irá satisfazer todas as suas necessidades em troca dela se mudar para o seu apartamento e embarcar nesse relacionamento falso que ele tanto necessita no momento.

Anne está em uma cilada. Mais uma vez, ela foi usada por alguém em quem ela confiava. Seu companheiro de quarto levou tudo o que tinham em seu minúsculo apartamento deixando-a sem dinheiro, com o aluguel atrasado e sem saber como sair dessa situação. Anne tem responsabilidades, ela tem contas a pagar e ainda precisa ajudar sua irmã com os custos da faculdade. Sua vizinha Lauren consegue convencê-la de que por uma noite apenas ela precisa se esquecer de seus problemas e a leva a uma festa na casa de uma amiga, que vem a ser a doce Evie.

Quando Anne chega lá, se sente pouco à vontade com o ambiente ao qual ela realmente não pertence. Ela se afasta para atender um telefonema, quando tropeça em Malcom Ericson,o baterista do Stage Dive. Mal repara em Anne e ouve sua conversa. E fica encantado e quer ajudá-la. Mais importante, ele precisa de sua ajuda.

Mal é uma estrela com luz própria, amante da diversão, e um baterista meio louco. Ele sempre tem algo engraçado para dizer, e está sempre fazendo algo irracional, porém ele é muito mais do que isso. E Anne consegue enxergar o que ele tenta tão arduamente esconder.

Assim, Anne e Mal acabam morando juntos e resolvem os problemas de ambas as partes. Anne já não precisa se preocupar em pagar seu aluguel, e Mal tem uma namorada doce e linda. Contanto que eles se convençam a respeitar os limites que eles mesmos impuseram não será muito complicado, mas limites foram feitos para serem testados e os protagonistas estão andando em uma linha bem tênue entre o fingimento e a verdade.

Houve certamente muitos momentos hilários neste livro. Mal continua afiado em suas insinuações sexuais a todos, mas principalmente a Anne e em suas loucas provocações com seus companheiros de banda.

Deixando as cenas divertidas de lado, o aspecto emocional da trama me fez apreciar ainda mais toda a história. Eu amei a dinâmica entre Mal e Anne. Mal pode ser um aventureiro, porém seu personagem se desenvolve muito ao longo da história, a maneira como ele se comprometeu com Anne e seguiu em uma relação monogâmica, foi bem agradável de acompanhar. Segredos e mentiras não estão presentes nessa história e isso me fez amar ainda mais este livro.

O caráter de Anne também deve ser ressaltado aqui. A forma como ela aceitou Mal com todas as suas muitas camadas e a forma como ela ficou com ele apesar do fato dela também ter algumas questões pessoais a serem resolvidas, foi realmente admirável.

Mal e Anne são personagens maravilhosos. Ambos altamente divertidos. A interação entre eles é tão equilibrada e parece ser o certo, a forma como Anne foi capaz de enxergar o verdadeiro Mal por trás da figura de astro é tocante para ele. Ele é hilário, bonito e o centro de atenções sempre, mas esse é somente um lado dele. Anne sempre teve que ser responsável, sempre deixando os outros se aproveitarem dela. Mal lhe mostrou que havia outra maneira de viver. E eles realmente trabalharam muito bem juntos.

Como a maioria dos livros sobre relacionamentos falsos, esses personagens acabaram em um relacionamento muito real, mas o mais lindo dessa história é a aceitação mútua dos personagens, eles se aceitam com o bom e o ruim. Cada conflito foi imediatamente resolvido sem entrar em muito drama e isso deixa a narrativa leve e gostosa.

O que também me fez abraçar este livro foi o relacionamento de Mal com sua família, especialmente com sua mãe. Foi emocionante. Acho que a forma como Mal é ligado a sua família foi o que realmente mudou os sentimentos de Anne em relação à sua própria mãe.

Kylie Scott tornou realmente possível equilibrar tantos aspectos do personagem em sua narrativa, o lado divertido e lado emocional estão em total equilíbrio.

Se você apreciou a história de David e Evie em Lick, então você definitivamente precisa conhecer a história de Mal.

Play manteve um sorriso no meu rosto do início ao fim. Cheio de momentos doces, alguns com muita sensualidade, momentos românticos daqueles de aquecer o coração, e momentos de dar muitas risadas, com personagens que você não consegue ficar indiferente, só consegue amar!

Infelizmente temos um lado bem negativo, que é a revisão cheia de erros e uma tradução nem sempre coerente, mas a história é tão perfeita que esse fato acaba eclipsado pela qualidade da trama.



site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/resenha-play-de-kylie-scott/
comentários(0)comente



Maíra 28/03/2017

Muito amor envolvido!
Se, como eu, você já se considera a fundadora/presidente do fã clube do Stage Dive, vem comigo. Porque, minhas caras, vocês não serão capazes de resistir a Mal Ericson. hahahaha

Eu já estava babando no moço e doida pra conhecer sua história desde a leitura de Lick. Tudo porque ele é divertido, extrovertido ao extremo e sem nenhum parafuso na cabeça. Mas eu imaginei que por trás de sua atitude jocosa havia um lado diferente dele que eu TINHA que conhecer. Por isso estava tão ansiosa para ler Play. E, como eu previa, a trama não me decepcionou.

A história começa com a Anne, que acaba de ser passada para trás pela colega de quarto. Ela está totalmente sem dinheiro, perdida e decepcionada de ter sido traída por alguém que ela considerava como amiga. Ela é uma ótima mulher, trabalhadora e daquele tipo de pessoa que conserta as coisas. Gostei muito de sua personalidade, ainda que mais recatada do que o habitual (lembram da bomba que é a Ev?), além de não ter aquele humor ácido que eu tanto gosto, mas também não é nenhuma mosca morta.

Malcolm Ericson é o baterista do Stage Dive. Ele é conhecido como alguém que sempre se diverte muito. É uma estrela com luz própria, amante da diversão e um baterista louco de pedra. Ele sempre tem algo engraçado para dizer, e está sempre fazendo algo irracional. Porém, ele é muito mais do que isso e a Anne consegue enxergar o que ele tenta tão arduamente esconder.

E aí eles se conhecem e se conectaram automaticamente após alguns minutos de flerte. Depois disso, muita água vai rolar e eu vou parar por aqui, senão conto a história toda. Hahaha

Durante a leitura, percebemos que eles possuem personalidades totalmente opostas. Ele leva tudo na brincadeira, enquanto a Anne é super centrada. O caráter dela também deve ser ressaltado, tendo em vista a forma como ela aceitou e amou o Mal com todos os seus problemas. Eu simplesmente amei a dinâmica desse casal, foi super agradável acompanhar e lindo de ver a forma como os sentimentos dos dois foram se transformando.

Como a maioria dos livros sobre relacionamentos falsos, os dois se viram, de repente, em um relacionamento muito real, mas o mais lindo dessa história é a aceitação mútua deles. Eles se aceitaram com o bom e o ruim. Aqui, não tem nenhuma mentira, nenhum segredo por trás do relacionamento. Cada conflito foi imediatamente resolvido sem entrar em muito drama desnecessário e isso deixou a narrativa leve.

Enfim, a autora criou uma obra muito boa. Tudo na medida, ainda que seja uma história bem clichê. Mas como eu disse acima, é uma leitura gostosa, leve, que me prendeu do começo ao fim e não deixou nada a desejar. Se joguem ;)
Daisy 28/03/2017minha estante
Logo logo vou conhecer esse pedaço do céu também hahahha só li o primeiro livro até agora.


Maíra 28/03/2017minha estante
Se joga! Recomendo, apesar de ser MUITO suspeita pra falar ;) hahahaha


Daisy 28/03/2017minha estante
Kkkkkk mulher, me dá uma luz com a série Batidas do coração. A ordem de leitura dela é muito louca. Tu já leu todos?? Estou com medo de ler errado e pegar spoiler. SOCORROOOO


Maíra 28/03/2017minha estante
hahahahah Primeiro leia As Batidas Perdidas do Coração, na sequência leia O Descompasso Infinito do Coração, depois A Escolha Perfeita do Coração e, por fim, O Desapego Rebelde do Coração :)


Daisy 28/03/2017minha estante
Aaah. Obrigada então!!




Melissa 28/02/2017

Achei Mal e Anne mais interessantes que Evelyn e David, mas mesmo assim continuo achando essa saga Stage Dive fraquinha, os casais mal se conhecem, transam, transam e puft ambos começam com "eu te amo", vamos casar, etc.

As cenas de sexo nesse foram mais fortes que as do livro anterior, o conflito é bem raso, os coadjuvantes também não interferem tanto na trama. Enfim, essa série é puramente para passar o tempo, não procure profundidade na trama.
comentários(0)comente



GabiCrivellente 30/01/2017

RESENHA - PLAY (KYLIE SCOTT)
Mal Ericson, o baterista da mundialmente famosa banda de rock Stage Dive, precisa melhorar sua imagem, e rápido. Ter uma boa garota ao seu lado parece ser o suficiente. Mal não planejara que este artifício temporário se tornasse permanente. No entanto, ele não esperava encontrar o amor de sua vida. Anne Rollings jamais pensou que conheceria o rockstar que inundava as paredes de seu quarto na adolescência - especialmente não naquelas circunstâncias. Anne está com problemas financeiros, e dos grandes. Porém, ser paga para ser a namorada de mentira de um selvagem e festeiro baterista não poderia terminar bem, não importa se ele é muito gostoso. Será que um final feliz é possível nesse caso?
Então, amigos leitores, aqui temos a nossa mocinha, Anne Rollings, uma personagem que coloca o bem estar dos outros sempre em primeiro lugar, e nosso mocinho, Malcolm (Mal) Ericson, um baterista da famosa banda de rock Stage Dive. Eu sei que é clichê, mas eu gosto mesmo assim, fazer o quê, não é mesmo?
Este é o segundo livro da série Stage Dive, sendo que cada livro conta a história de um integrante da banda. Apesar de serem histórias independentes, recomendo iniciar a leitura pelo primeiro livro, Lick, que conta a história da Evelyn e do David Ferris, guitarrista da banda.
Quando a Anne era mais nova, ela assumiu a responsabilidade da casa e da irmã, Lizzi, que tinha 13 anos. Com a separação dos seus pais, a mãe delas entrou em depressão. Sendo assim, praticamente foi a Anne quem criou a irmã. Após alguns anos, a Lizzi entrou para a faculdade e, para acompanhá-la, ela foi morar na mesma cidade que a irmã. A Anne morava de aluguel com a sua “melhor” amiga, Skye. Em um belo dia, ela chegou em casa e viu que a amiga havia sumido e levado todas as mobílias do apartamento. Infelizmente, a Skye devia um dinheiro para a Anne, e como ela não tinha como pagar, resolveu abandonar a amiga.
A Anne, muito triste com a situação, aceitou o convite da sua vizinha, Lauren, para uma festa de uma amiga da vizinha, Evelyn, que nada mais era do que a esposa do guitarrista de uma das suas bandas favoritas, Stage Dive. Ao chegar nesta festa, ela conversou com o baterista, que era o seu amor platônico da época de adolescente. Leitoras, imaginem vocês que gostavam, sei lá, de algum dos Backstreet Boys e começasse a conversar com ele? O que vocês fariam? Pois é, foi isso que a Anne fez (rsrsr).
Por conta de uns problemas familiares, o Malcolm precisava arrumar uma namorada fictícia. Após ouvir uma conversa da Anne com o seu amigo, Reece, em que ela dizia que estava com problemas financeiros, por conta da dívida que a Skye deixou. Ele resolveu que seria uma boa ideia eles se ajudarem. Ela viraria sua namorada de mentira e ele pagaria seu aluguel e mobiliaria sua casa novamente. Clichê, não é mesmo? Mas, mesmo assim, eu gostei.
Inicialmente, havia achado o Mal muito infantil, com umas brincadeiras sem graça. Porém, ao longo da história eu vi sua evolução e, por causa disso, afeiçoei-me a ele. Apesar de ter sido um livro muito bacana, gostei mais do primeiro.
Para quem não conhece a autora, Kylie Scott, ela foi eleita escritora do ano em 2013 pela Australian Romance Writer’s Association e seus livros já foram traduzidos para vários idiomas. É fã de longa data de romances eróticos, rock and roll e filmes de terror. Ela mora em Queensland, na Austrália, com o marido e seus dois filhos.
O livro possui 24 capítulos mais o epílogo. É narrado de forma linear cronológica pelo ponto de vista da Anne. O próximo livro da série, Lead, contará a história do Jimmy, vocalista da banda. Do pouco que eu vi dele nos outros livros, acredito que será muito boa a sua história. Como esse livro já foi lançado aqui no Brasil, agora é só correr para começar a lê-lo.

RESENHA COMPLETA:

site: http://academialiterariadf.blogspot.com.br/2017/01/resenha-play-kylie-scott.html
comentários(0)comente



Carol Santos 23/01/2017

Resenha | Play, o melhor personagem da série
Definitivamente Malcolm é meu personagem favorito. Dando continuidade a série Stage Dive, entraremos agora na vida do nosso baterista mais querido. Após a redenção de David, Mal quer fingir um namoro na sua vida para que suas fãs larguem de vez seu pé e Anne era a pessoa ideal. Apaixonada desde a adolescência por ele, ela vê dentro desse romance fingido uma boa oportunidade para seus problemas que surgiram. O que não se esperava, é que o motivo real para que Mal fizesse isso era muito maior, e que seu coração, falaria mais alto.

Play tem um enredo bem mais amplo do que apenas ser mais um erótico. Aliás seu antecessor também. Mais uma vez me surpreendo com a facilidade que a Kylie tem de fazer a narrativa ser fluida, leve, e eu seus momentos quentes, fazer você suspirar. Novamente não nos vemos presos em apenas cenas de sexo, em erotismo, mas uma trama com início, meio e fim. E a situação encontrada para que haja desenvolvimento — vamos lidar com o pai e a mãe de Malcolm — fizeram sentido para o que se é trabalhado.

Meu medo de tudo parecer forçado com essa questão de namoro de mentira, foi sem fundamento. Com um brilhantismo, a autora brincou bastante com os sentimentos já existentes da Anne, o que ajuda muito a fugir da questão de amor à primeira vista e de tudo acontecer muito rápido, junto com o encantamento que o Mal teve com ela. Então ao mesmo tempo que vemos a história desenvolver-se em semanas, vemos um "freio" nessa relação rápida.

Minha conexão com nosso protagonista vem desde o primeiro livro. A personalidade dele era a mais cativante do grupo e a mais divertida, por isso quando iniciei esse livro, esperava algo dentro desse modo, me remetendo à altas gargalhadas. As piadas, seu jeito convencido, deram uma mistura de gêneros muito favorável a história. Fora a alta carga de drama em algumas passagens que te deixa com o coração na boca. E nossa protagonista, ao mesmo tempo sendo oposta de personalidade, tem sua horas de compatibilidade com ele. Então vemos uma relação de amizade também sendo construída, antes mesmo da paixão.

" — Moranguinho, sempre sou sério em relação a você. Mesmo quando estou brincando, estou falando muito sério. O que você precisar, o que eu tiver que fazer...Foi assim desde que nos conhecemos. Ainda não percebeu? Estamos destinados um ao outo ou alguma merda do tipo, sei lá. Não consigo evitar. É bem patético, na verdade." pág. 223

Assim como em Lick, aqui os outros do Stage Dive são de extrema importância para tudo que acontece. Estou surpresa em ver mais presente o Jimmy, o que nos dá ideia do que está para vir em Lead, e como a Ev foi colocada nesse meio. E isso é um dos pontos mais positivos do exemplar. Ao mesmo tempo em que cada volume fala de um integrante da banda, temos uma ambientação de todos e a união deles ainda presente.

Um ponto negativo, o que pode afastar algumas pessoas, é a questão das cenas adultas. Quem é acostumado a ler erótico, não vai se assustar nem se surpreender. Porém aqueles que não se ambientam a piadas com esse tom, alguns momentos com palavreados mais fortes, pode não curtir. É questão de gosto e eu não me incomodo, todavia é sempre bom deixar avisado.

Em relação a capa entramos em questão de gosto pessoal e eu particularmente adoro capas com perfis do que vai ser proposto. Alguns acham brega, falam que detonam o gênero, entretanto eu acho que nos dá uma ideia do que vem. Fora o cuidado em colocar baquetas presentes, demonstrando sobra qual integrante estamos lendo. A diagramação é simples, bem agradável de ler em folhas amareladas. Na revisão alguns erros passaram, contudo nada que atrapalhe gravemente a leitura. É narrada pelo ponto de vista da Anne em primeira pessoa.

"A vida conseguia ser estranha e bela às vezes. Em outros momentos era simplesmente um desastre. Mas, de vez em quando, o belo vencia." pág. 134

Um adendo é que apesar de ser uma série quase independente, não recomendo a leitura fora de ordem por causa de alguns spoilers de casais e algumas passagens. Aqueles que não se incomodam, não irão sentir diferença. Até aqui, este é meu favorito da série. Temos ainda um terceiro pela frente, Lead, que nos contará a vida de Jimmy, o mais problemático da banda. Já estou ansiosa para lê-lo.

site: http://diariasleituras.blogspot.com.br/2017/01/resenha-play-kylie-scott-stage-dive.html
comentários(0)comente



Lary 10/01/2017

Fodidamente Perfeito
- Sim, preciso - Sua testa franziu - As coisas estão acontecendo e eu sei que você tem perguntas , mas eu não preciso que você não pergunte agora. Eu só ... Eu preciso e você comigo. Eu lido com as coisas melhor quando você está perto
Mal Erickson



Como está no título o segundo livro pra mim foi fodidamente perfeito como o Mal diz várias vezes em seus diálogos descontraídos, me apaixonei pelo baterrista do Stage Dive sem contar que ele e intenso e eu achei que a escritora descreveu muito bem a forma dele extravasar o que sentia sentando na bateria e tocando até esquecer que ele era ou quebra milhões de baquetas.
É silmplesmente perfeito Mal e o meu favorito entre os meninos
comentários(0)comente



79 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6