O Teste

O Teste Joelle Charbonneau




Resenhas - O Teste


112 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Letícia 07/09/2019

Peguei esse livro bem aleatoriamente pra ler, e algo que se nota desde a sinopse é a semelhança gigante com Jogos Vorazes. Essa foi a crítica mais citada do livro, mas pra mim não foi um ponto negativo... porque você nao necessariamente tem que matar alguém ali, você só mata porque é da sua índole mesmo. De qualquer forma, ler o livro me deixou com bastante vontade de assistir aos filmes de Jogos Vorazes de novo, mas O Teste tem sim seus pontos únicos na história. A base em si é a mesma de HG: aconteceu alguma coisa no mundo, e os dividiu em várias colônias. Algumas tem mais sorte de ter um solo mais fértil, outras nem tanto. A protagonista, Cia, vem de Cinco Lagos, uma colônia extremamente pequena, onde graças ao trabalho de seu pai, não passam mais fome. Quando se formam na escola, algumas das mentes mais brilhantes são escolhidas para O Teste, uma prova que determinará se a pessoa é apta a cursar a universidade e assim, acrescentar algo ao mundo que foi destruído. Caso contrário, você apenas será um operador ou fazendeiro na sua colônia, trabalhando para aqueles inteligentes o suficiente que passaram pelo Teste. Até então, todos sonham em ser selecionados e irem para a universidade. Até que Cia foi escolhida e seu pai, que já participou do Teste, diz que o mesmo não é algo bom e que das poucas memórias que tem, pessoas morreram ali. Quem é selecionado, nunca mais volta, tendo passado no teste ou não.
Cia não tem mais opção (se ela se recusar a ir para o teste, a punição é a morte), e vai para Tosu City, onde o teste ocorrerá. São quatro fases, onde a cada uma candidatos são descartados e as punições são extremamente cruéis. Cia pode apenas contar com seu instinto e com um companheiro de sua colônia, Tomas. A última fase do Teste é a mais parecida com Jogos vorazes: eles são colocados em Washington, que está destruída e desabitada. Precisam retornar para Tosu City sozinhos (mais de mil km!), sobreviver a fome, sede (uma vez que a água é contaminada), armadilhas e aos próprios concorrentes do Teste, que matam uns aos outros para conseguir uma vaga na Universidade.
O livro no começo é um pouco lento. Mas depois que pega o ritmo, fica muito bom. A partir dos testes fica tudo bem interessante e não consegui parar até terminar (li tudo em um dia, praticamente). A escrita é bem fluida e já tô com o segundo pra ler.
comentários(0)comente



Laura 28/07/2019

Vou dar 2 estrelas para esse livro porque ele é uma copia de jogos vorazes com um toque de divergente. A escrita não é ruim, a trama é bem construída, mas é simplesmente uma cópia. Existe a competição, a divisão da sociedade, a menina principal e seu romance com um cara que ela nunca realmente reparou, uma substância que faz você falar a verdade, pessoas se matando para ganhar. Eu gostei do livro, mas não sei se quero ler mais dois livros que provavelmente serão mais cópias de livros que eu já li.
comentários(0)comente



Lilyan Sotnas 18/07/2019

Uma verdadeira surpresa!
O livro O Teste é o primeiro da trilogia da autora Joelle Charbonneau. Primeira vez que li algo escrito por ela e minha primeira impressão foi (tãm, tãm, tãm): não vou gostar de ler. Pois, mesmo que a capa me chamasse a atenção e a sinopse também -eu amo literatura fantástica e todo o universo ficcional, por isso me senti atraída-, o começo do livro foi extremamente parado. Já tinha tentado ler uma vez e tinha desistido, mas dessa vez eu insistir mais um pouco e o resultado mudou. Eu gostei. Com o passar dos 10 primeiros capítulos me vi desejando acabar logo, desejando saber os eventos da página seguinte, tipo, a leitura me cativou bastante quando as coisas começaram a "esquentar". E as coisas esquentam muito!
O livro trás a história de Cia Vale em um mundo utópico que eu diria não estar tão distante do nosso. O livro é ambientado na Terra, que foi devastado pelas guerras que se alastrou por todo o planeta, matando tanto boa parte da população como também a natureza. Com o passar dos anos nasce a Comunidade Unida que tenta revitalizar a natureza para que melhore a condição de vida para as pessoas que restaram. E progrediram muito já que somos iniciados na história quando as Comunidades já estão em progressos avançados. A natureza volta a melhorar graças as pessoas que usaram a inteligência não para destruir, mas para criar e reconstruir. A família de Cia mora na comunidade Cinco Lagos e estão empolgados com a formatura dela, assim como também nervosos. Pois todos que se formam podem ser escolhidos para ir fazer o Teste para ir a universidade. É o que Cia mais quer, ir para a universidade. Porém, quando é escolhida junto com mais 4 integrantes da sua antiga sala de aula, seu pai que foi o único da família à ir a universidade, fala que tem pesadelos estranhos dos Testes em que foi submetido a fazer, mas que não tem como ele ter certeza porque a memória dos que fazem o Teste é apagada. E o aviso dele sobre ela não confiar em ninguém quando ela parte de Cinco Lagos para a comunidade Tosu City, onde vai acontecer os testes, deixa Cia mais do que intrigada. Mesmo com os avisos do seu pai ela não estava preparada para ver seus amigos morrerem e nem para se apaixonar por seu amigo. O livro é escrito em primeira pessoa e narrado pela Cia. Protagonista bem desenvolvida e forte, mesmo que em algumas partes ela tenha me irritado eu gostei dela. RECOMENDO O LIVRO PARA LEITORES DE "DIVERGENTE" E DE "JOGOS VORAZES", pois achei o livro uma mistura equilibrada de ambos. Enfim, leiam o livro e tirem suas próprias opiniões e, se quiserem, conversem comigo sobre ele! BOA LEITURA!
comentários(0)comente



Luana Teles 04/04/2019

Ser escolhida não é tão bom quanto parece
A história se desenvolve em um mundo pós guerra. Todos os anos jovens recém formados são selecionados para ir ao Teste, uma espécie de seleção super renomada e importante na qual os aprovados, além de ajudarem o governo a reconstruir o mundo destruído pelo próprio ser humano, ganham muito prestígio e uma vida bem melhor em relação a maioria da população.

Cia é uma jovem de 16 anos da desacreditada Colônia de Cinco Lagos. Ela é selecionada para o Teste, mas não imaginava que ser escolhida não era a maravilha que sempre acreditou. As provas são um tanto quanto... mortais!

O livro é bem movimentado, cada prova traz um desafio diferente, há muitas armadilhas, traições, mentiras, manipulações, surpresas e disputas, isso mantém um ótimo ritmo de leitura, você sempre quer ler mais um capítulo.

Um ponto desfavorável é a revisão do texto, a edição tem vários erros chatinhos que incomodam um pouco durante a leitura, mas nada que atrapalhe o entendimento da história. Talvez o fato da editora não ser tão grande possa ter influenciado nessa falha.

Gostei muito do livro, cumpre bem o papel que se dispõe a desempenhar dentro do gênero distópico. Temos um mundo destruído pela guerra, um governo que manipula informações e não diz o que realmente acontece no Teste, uma personagem que percebe que as coisas estão erradas e quer por fim no sistema, mas temos também o elemento da manipulação das memórias, os idealizadores do Teste tinham uma carta na manga e os planos de Cia foram frustrados assim que ela recebeu o resultado final.

Esse livro me fez pensar: se a história fosse no Brasil, seria o Teste uma versão sinistra do ENEM e demais vestibulares? Fica aí o questionamento (haha rindo de nervoso)
comentários(0)comente



Débora Teixeira 31/03/2019

Me surpreendeu muito positivamente.
É uma história cheia de emoções. Lutas. Um pouco de suspense. Muito drama. E, principalmente, muitas reflexões sobre a vida.

Mesmo que a história seja meio bobinha às vezes, ela também é muito cativante. Eu não tinha vontade de parar de ler, e quando precisava parar não via a hora de voltar à leitura. A narrativa é bem fluida. Tem um toque de romance bem leve. Mas, o principal foco da história é mostrar a força dessa garota e o quanto as pessoas não são perfeitas. Mesmo sendo "boas", em sua maioria, também são capazes de fazer coisas terriveis.

Os maiores pontos negativos dessa história, que foi o responsável por eu tirar uma estrela, foi a tradução e a revisão do texto. Várias vezes eu fiquei incomodada, precisando ler mais de uma vez alguns trechos para compreender o que realmente estava escrito. Em sua maioria, os erros eram com a pontuação e palavras que estavam em ordem errada nas frases.
comentários(0)comente



@Livrosdamicosta 08/12/2018

Me surpreendeu
Quando eu comprei esse livro no imaginava que ele era tão bom, o motivo de ter comprado, confesso foi o valor.
Dito isso, preciso deixar registrado minha empolgação ao conhecer Cia (Malencia Vale), Tomas e todo o processo para entra na Universidade da Comunidade das Nações Unificadas.
O livro conta a trajetória de Cia antes e durante O teste.
E digo e repito, são testes de arrepiar, de deixar você aflito e querer saber mais e mais.
O final, óbvio, te prepara para o segundo livro, que eu não vejo a hora de ler.
Eu amei o livro, só resta saber se a trilogia me manterá empolgada.
comentários(0)comente



Nathan Oliveira 01/09/2018

Mais do mesmo....
Quando peguei O Teste para ler, eu sabia exatamente o que encontraria.
A história não é muito original, a construção de mundo é exatamente igual a de outras várias distopias que tem por ai. A escrita da autora também não ajuda muito
Não é péssima, mas acaba se tornando um ponto negativo no decorrer do meio para o fim do livro, onde há a mais detalhamento do que ação em si.
Os personagens principais não são inovadores, a protagonista me pareceu comum demais, não surpreender em momento algum.
É aquele tipo de livro em que você consegue adivinhar o que vai acontecer, quem vai trair quem e etc. Surpreendente consegui lê-lo até o final, mas confesso que foi forçado por que eu odeio abandonar os livros que começo.
comentários(0)comente



Andréia 11/07/2018

Resenha O Teste - www.starbooks.com.br
*Livro cedido pela editora para uma resenha honesta*

O Teste é uma distopia que narra a estória da jovem Cia. Cia vive em uma província pequena e está prestes a se forma e seu sonho é ser um dos poucos privilegiados com o convite de ir à Universidade, onde ela poderá ter uma carreira e um futuro brilhante com um cargo promissor como uma das líderes da Comunidade das Ações Unificadas. Só que quando ela é surpreendentemente selecionada, descobrimos que talvez O Teste (etapa que antecede e seleciona os melhores para a Universidade) não seja apenas um processo seletivo para demonstrar seus conhecimentos; e a crueldade passa a ser algo frequente

‘‘O pai nunca falou sobre o Teste, nem muito sobre seus dias passados na universidade, não importa quantas perguntas eu tenha feito. Por um momento eu me sinto mais próxima dele, sabendo que vamos dividir a experiência. Então o momento é despedaçado.’’

Cia é muito inteligente, tem uma família que ama, e que como leitores, conhecemos pouco no inicio, mas Cia vai nos apresentando aos membros da sua família e suas personalidades conforme a leitura avança, assim como ela vai mostrando sua personalidade e caráter pouco a pouco, só consegui montar uma imagem sólida da Cia ao final do livro, e ela é uma personagem que não tem defeitos!! Ainda não sei se isso é bom ou ruim mas não encontrei nada de negativo nas atitudes dela e o fato de ser narrado em primeira pessoa só fortaleceu essa constatação.

Cia também é muito madura e ela já pensa lá na frente, achei umas partes meio 'tudo está se encaixando muito bem', eu quero dizer que parecia que a protagonista já sabia exatamente o que iria enfrentar, que a surpresa seria apenas para o leitor, e isso eu achei meio falho, pois a Cia sempre tinha o necessário em mãos, sim ela sofre, mas ela consegue prorrogar muitas situações e se safar de outras.

‘‘(...) Tiros e gritos ecoam pela paisagem do Noroeste. Lembretes de que não estamos sozinhos na nossa missão e de que o perigo ainda não passou. (...)’’

Durante o desenvolvimento da narrativa eu tive a impressão de que muitos fatos ocorridos eram previsíveis e lógicos, em nenhum momento eu me vi pensando ‘’Meu Deus, o que será que vem em seguida???’’. Quando começava a ocorrer algo com a protagonista, eu então já imaginava o que viria em seguida, e digamos que eu não fui surpreendida (isso só até o desfecho do livro). Encontrei muitas similaridades com Jogos Vorazes e outras com Divergente, mas próximo ao final do livro essas similaridades não existiam mais e fico feliz em dizer que Joelle Charbonneau conseguiu me surpreender bastante com o desfecho -pena que a surpresa veio só no final- e eu queria muito ter o segundo livro em mãos para emendar uma leitura à outra.

Joelle Charbonneau cria um mundo distópico no qual conseguimos ver distinções sociais e inovações tecnológicas únicas ao mesmo tempo que parte da população sofre com certas restrições. Enquanto muitos autores de trilogias distópicas deixam para explicar sobre o mundo por eles criado só a partir do segundo livro, no caso de O Teste já temos algumas explicações nesse livro e pelo que eu vi o Estudo Independente promete ter tanta emoção quanto O Teste teve, e quem curte distopias e gostou de Jogos Vorazes, acho que também irá gostar de O Teste, só tentem não comparar uma obra a outra, ok. Outro detalhe, há sim, um par romântico para a mocinha, mas ao menos por enquanto não teve triângulo amoroso, e o romance é bem leve, surge de forma um tanto quanto abrupta, então demorei um pouco a me acostumar, mas é plausível e não é o foco principal.

‘‘(...) Bem, talvez seja a verdadeira base desse Teste. Líderes são forçados a matar o tempo todo. Então precisam aprender a viver com as decisões que tomaram. Assim como vou ter de aprender a viver com as minhas.’’

Estranhei um pouco o fato da protagonista se referir aos pais sempre como O Pai e Mãe, até o final do livro eu fiquei sem saber os nomes deles, mas isso não atrapalha em nada. Também encontrei alguns erros gramaticais, que provavelmente passaram despercebidos durante a revisão, mas que não atrapalham em nada a interpretação do texto. A edição está ótima e para aqueles que gostam de ter marcadores de páginas do livro, a editora Única pensou em tudo e colocou um marcador destacável junto à obra.

site: http://www.starbooks.com.br
comentários(0)comente



Mari 02/07/2018

Livro Perfeito
Não tem como falar de O Teste sem lembrar do quão bom é esse livro... sério! Muito envolvente, te faz ficar com medo do que pode acontecer em casa capítulo e curiosidade para ler o próximo livro (é uma trilogia, que já foi publicada)... Não conhecia a autora mas agora já sou fã! Se está na dúvida se vai gostar ou não, de uma chance para o livro!
comentários(0)comente



Caroline.Weber 30/06/2018

O Teste é o primeiro livro da trilogia que já foi totalmente publicada no Brasil, composta pelos livros O Teste, Estudos Independentes e A Formatura. A trilogia foi escrita por Joelle Charbonneau, que vive em Chicago com seu marido e filho. Os direitos cinematográficos foram comprados pela Paramount.

O livro abre-se nos apresentando o dia da formatura da protagonista Malencia Vale no equivalente ao nosso ensino médio. Cia vive na colônia Cinco Lagos em um mundo semi-morto, isto é, os sobreviventes estão reconstruindo o mundo pós-guerra.

Cia é a caçula de uma família grande, cinco irmãos. Ela não tem muitos amigos, mas sua melhor amiga é um encanto. Seu pai é responsável pelo desenvolvimento de alimentos capazes de sobreviver ao clima devastado.

Há dificuldades para todos os lados: obtenção de comida, água, bens necessários para a vida. Todos começam a trabalhar imediatamente após a formatura do ?ensino médio?, e já tem muitos anos que ninguém da Colônia Cinco Lagos é selecionado para estudar na universidade.
comentários(0)comente



Dani 10/04/2018

O Teste - Trilogia O Teste # 01
Malencia Vale vive em um mundo pós-guerra cheio de pobreza, áreas destruídas onde falta, ás vezes, até mesmo comida. Para todos os estudantes, a única esperança é ser escolhidos para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas com várias etapas; testes escritos, testes práticos e psicológicos. O Teste seleciona os alunos, após a formatura, que mais se destacaram e passar significa ir para a faculdade, se tornar um dos líderes das comunidades e ser bem-sucedido. Portanto, Cia deseja mais que tudo ser escolhida para participar.
Quando finalmente ela é aprovada, junto com mais três colegas, vê nesta sua chance de construir um futuro promissor. Porém, o que ela não sabia era que O Teste não é nada fácil. O candidato não necessitará usar somente sua inteligência, mas sim sua coragem e fazer qualquer coisa - qualquer coisa mesmo - para passar. Seu pai, que já foi um candidato do O Teste e já passara, se mostra desde o começo preocupado e alerta Cia para que não confiem ninguém, jamais.
Ele não consegue se lembrar ao certo o que se passou durante a seleção, pois cada selecionado tem sua memória apagada, mas muitas vezes tem pesadelos que assustam a filha, mas não tiram sua determinação. Ela se esforçou muito para conseguir ser selecionada, mas levará o conselho de duvidar de todos. Ciente de que pode nunca mais ver sua família, Malencia embarca nesta aventura cheia de perigos.
O Teste foi uma leitura que eu estava adiando por ser uma distopia (sempre me deixam muito tensas as distopias), mas me vi cativada quando comecei a leitura. Logo nas primeiras páginas, narradas por Malencia, percebemos que ela é uma garota que sempre se esforçou. Conhecemos um pouco sobre sua relação com a família e amigos e, aos poucos, a autora vai nos mostrando mais sobre este mundo distópico onde há várias colônias, algumas mais pobres que outras. Malencia é da colônia Cinco Lagos, onde o nível de pobreza caiu bastante graças ao trabalho de seu pai.
Malencia foi uma personagem que, por causa da narrativa, acaba criando uma grande aproximação com o leitor. Ela é muito inteligente e esperta, gostei muito disso. Afinal, quando a vida está em jogo, é horrível ter como protagonista uma personagem sonsa. Ainda devido à forma que o livro é narrado, não conhecemos bem os outros personagens, suas intenções e planos.
Temos apenas a visão que Malencia tem de cada um, portanto não sabemos quem são maus até que se revelem. Admito que, por causa deste ênfase em não confiar em ninguém, passei toda a leitura desconfiada, pronta para que algum personagem se revelasse maligno haha
Tomas, um dos colegas da Cinco Lagos escolhidos com Cia, foi um personagem de grande destaque. Ele sempre foi amigo dela, bondoso e gentil, esforçado e esperto. Como eu meio desconfiada, não me permiti gostar dele, mas percebemos o quanto eles são próximos e confiam um no outro, com conotações românticas.
Gostei muito da forma como o enredo se desenrolou. Houveram muitas situações de tensão, em contraste com as mais calmas, e toda a atmosfera estava cheia de mistérios. Muitas vezes haviam cenas de ação onde eu simplesmente não conseguia despregar os olhos do livro e o final deste volume foi muito bem elaborado e inteligente, de forma que nos deixa ávidos pela continuação.

site: http://blueunendlichkeit.blogspot.com.br/2018/04/o-teste-trilogia-o-teste-01.html
comentários(0)comente



Alana Gabriela 21/02/2018

É apenas um comentário sobre a obra - um comentário muito longo
Decidi ler esse livro porque considero que estou numa vibe de distopia e ficção científica então fui dar uma checada. Minha amiga sempre teceu muitos comentários muito bons sobre a obra e por pura curiosidade decidi conferi-la. Infelizmente não curti. A obra da autora não funcionou comigo.
Não farei um resumo da estória, pois a sinopse já sumariza tudo que acontece na estória. Por isso vamos direto para os meus comentários.

"Talvez seja a primeira regra que eu vá aprender como adulta: que nem sempre você pode conseguir o que quer."

Então, relevando os precedentes clichês e batidos de uma distopia como a Cia ser a escolhida para O Teste quando muitos não conseguiram, segui firme com a leitura, mas infelizmente nada me conquistou na obra. Li muita gente dizendo como ela forte e tal, mas não consegui enxergar nada demais na Cia, na verdade achei ela bem apática, fraca e facilmente manipulável, vide a facilidade que ela fazia amizade com pessoas estranhas e confiava nelas. Além disso a Cia é extremamente "sortuda". Em todo momento que o caldo engrossa na estória de repente ela lembra que foi ensinada a fazer isso ou aquilo e tem certas habilidades que a deixam a frente dos outros - e essas "vivências" anteriores não ajudam a estória porque soa como se tudo fosse muito fácil para Malencia. A protagonista não é cativante e nem expressiva. Nada novo sob o sol.

"Tomas sabe que esta não é hora ou lugar para draminha sentimentais. Sobrevivência - passar no Teste - tem de vir primeiro."

Algo que me deixou muito incomodada na leitura foi o problema grave de revisão. Gravíssimo. A pontuação e outras coisas deixaram bastante a desejar. Em alguns momentos a pontuação que demarca as falas não eram separadas e havia muito erro de revisão bobo que deixou o texto uma bagunça, e para mim foi complicado de ler porque precisava ficar acertando esses trens na minha cabeça. A escrita da autora também não é boa. Ela peca pela falta de profundidade, de modo que as situações que deveriam ser nervosas ou bem dramáticas na verdade não tem a intensidade que deveriam.
Outra coisa que me incomodou bastante foi o romance e a maneira como ele foi conduzido. Muito flop. O romance é tão sem sal, mecânico e desinteressante que eu queria um triângulo amoroso - sério, gente. E eu odeio triângulo amoroso. Senti que o romance estava ali apenas para ter um romance porque começa bem sem jeito e sem graça e continua sem emoção alguma. Em momento algum consegui acreditar nos sentimentos do casal que se forma.
Não sou a favor de comparações com outras obras por que acredito que cada livro tem seu mérito e suas qualidades, mas a proposta na contra capa do livro salienta que O Teste é uma mistura de Jogos Vorazes com Divergente, mas com uma pitada a mais de tensão. Mas o livro na verdade é uma combinação bem mal feita e sem graça disso. Monótona e repetitiva.
Falta profundidade na estória. Então muitas cenas deixam a desejar e no geral não enternecem o leitor. As descrições dos cenários são muito fracas e há momentos que nem isso tem ainda quando a protagonista se desloca para outras áreas e tals.
As coisas nem sempre acontecem como a gente espera. Você só precisa se recompor e encontrar uma nova direção a seguir.
Além desses problemas, me incomodei com a narração e como a protagonista não passava pela maioria dos sofrimentos que os outros passavam. Acho que fica muito óbvio que tecnicamente nada de muito ruim acontecerá com a protagonista exatamente porque a estória é narrada em primeira pessoa, mas acho que soltar algumas emoções e conflitos mais catastróficos e excitantes prenderia melhor o leitor. Senti que faltou algo desse calibre na estória.
Em vários momentos da leitura eu pensava: vai engatar, vai engatar, mas não engatou. A estória tentava chegar a algum lugar e propor algo, mas nunca acontecia nada muito grande ou interessante. A leitura não foi prazerosa para mim e deixou bastante a desejar, então se você já leu muitas distopias não vai encontrar nada de novo ou inovador nessa. O Teste é uma distopia mais do mesmo.

site: https://piecesofalanagabriela.blogspot.com.br/2018/02/resenha-o-teste-joelle-charbonneau.html
comentários(0)comente



Bia 14/01/2018

Mais do mesmo?
Malencia Vale ou Cia, como preferirem, é uma garota normal como qualquer outra que mora em uma colônia chamada cinco lagos com seu pais e irmãos. O livro começa no dia de sua formatura no colégio e sua grande apreensão é saber se irá ser chamada para O Teste ou não. O Teste nessa construção de mundo é uma espécie de avaliação para cursar a universidade e depois se tornar um líder da Comunidade Nações Unificadas. Estes líderes são responsáveis por trazer ideias e reconstruir o mundo pós guerra. Após anos que ninguém em sua colônia é chamado para O Teste Cia é chamada juntamente com mais três colegas, e é ai que sua jornada começa, todavia O Teste pode não ser o melhor futuro como ela espera.
Este primeiro livro com certeza é mais do mesmo para mim. Passei a maior parte do livro comparando ele com outros livros de distopias já lidos como: divergente, jogos vorazes (que para mim é o que mais se parece), e confesso que em parte também lembrava de Admirável Mundo Novo. Espero profundamente que eu veja menos semelhanças nos próximos livros, embora não tenha muitas expectativas. Foi uma leitura que me prendeu, quando eu pegava o livro era difícil largar pelo fato da escrita ser envolvente, de não ser um livro parado, tem toda aquela ansiedade de saber o que vai acontecer e de onde a personagem vai parar.
Agora vamos falar sobre a personagem principal Cia. É uma personagem que eu particularmente gosto bastante, entretanto para mim ela lembra muito a Katniss Everdeen de jogos vorazes, havia várias situações em que eu parecia estar lendo jogos vorazes, ela tinha questões morais que pareciam as questões que a Katniss vivia dentro e fora da arena, o comportamento dela era igual em algumas cenas. Prefiro não falar as cenas para não dar Spoiler mas se você procurar você vai achar.
Com relação a construção de mundo é bem escrito mas não temos novidades. É um mundo destruído pela guerra e um lugar onde o homem tenta reconstruir o que ele perdeu, por meio de métodos não tão admiráveis. O Teste me recordava daquela parte em que Tris (Divergente) passa para Audácia mas ainda tem que passar por mais provas para permanecer na facção. E a quarta fase do teste com certeza foi inspirada na arena de Jogos Vorazes.
Enfim, indico este livro para quem gosta de distopias, porém se você espera achar neste primeiro livro algo de novo, que nunca viu antes, já adianto que não vai achar. Agora se você não se importa de ler algo parecido com Divergente e Jogos Vorazes este é o livro certo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Matt 01/08/2017

Resenha: O Teste
Com uma pincelada geral pelas conclusões geradas após terminar o livro, noto que ele é extremamente superficial e um pouco mal escrito. O livro tem vários aspectos que podem ser bastante explorados: a história do universo, o romance, os personagens, as colônias, mas todos eles são ou parcialmente ou escassamente explorados e desenvolvidos, deixando o livro, por mais que tenha um bom enredo, vazio, dificultando a criação de uma conexão com os personagens e com a história.

Boa parte dos momentos em que os diálogos deveriam acontecer são substituídos por explicações da protagonista (como "fulano contou que..." ou "fulano fez uma piada"). Consequentemente, o desenvolvimento dos personagem secundários é muito pouco trabalho. Infelizmente, isso também acontece com a protagonista, em que poucas características suas são notáveis e com o co-protagonista Tomas.

Alguns cenários são incrivelmente mal detalhados, e há momentos em que isso sequer acontece, especialmente no final do livro.

A protagonista é extremamente abençoada. Durante a leitura, sempre parece ter alguém que a ensinou a fazer tal coisa durante algum momento da vida e não lhe parece faltar conhecimento para nada. É excessivamente perfeito, inclinando a leitura para o superficial, não para o real. Não consegui notar nela uma personalidade expressiva e cativante, algo que pudesse ser destacado.

O suspense é um ponto positivo do livro. A autora consegue prender a atenção e criar curiosidade. O livro conseguiu me trazer tensão, apreensão e curiosidade, mas não tristeza, alegria ou conexão com os personagens.

Exceto em algumas partes do final, que me surpreenderam positivamente, foi extremamente previsível em boa parte dos momentos. Tinha potencial de ser um livro denso, se fosse bem trabalho. Não acredito que seja o caso.
comentários(0)comente



112 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |