Caixa de Pássaros

Caixa de Pássaros Josh Malerman


Compartilhe


Resenhas - Caixa de Pássaros: Não Abra os Olhos


1492 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Liana 17/02/2019

PERFEITO INCRIVEL ADOREI AMEI SENSACIONAL MEU DEUS MTO BOM
comentários(0)comente



pietra 16/02/2019

Caixa de Pássaros
'Caixa de Pássaros' é um livro muito gostoso de se ler. É bem curtinho e de leitura fácil, eu mesma li em apenas um dia.
O livro se passa em um mundo pós-apocalíptico e tem mais ares de suspense do que terror. É também um livro muito vivo, você sente os personagens e toma as dores de todos eles.
A criatura e o final do livro é constantemente alvo de debate por quem leu o livro, já que o tema fica muito aberto, sem respostas. Eu já gostei. Tanto a criatura quanto o final deixam o leitor dar asas à imaginação e passar tempos tentando entender oque era a criatura ou oque aconteceu após o término do livro.
comentários(0)comente



Rick - @prodigybooks_ 16/02/2019

#RickResenha | Caixa de Pássaros | @Joshmalerman | @intrinseca | Terror Psicológico - 2015 |
Em um mundo pós-apocalíptico, a sobrevivência só é garantida por aqueles que não se atrevem a olhar. Após um surto de suicídios e homicídios sem explicação, os que sobreviveram vivem dentro de suas casas e não olham para o lado de fora, pois algo desconhecido está à espreita e afeta somente aqueles que o enxergam.

Malorie e seus dois filhos pequenos tentam sobreviver neste cenário um tanto curioso e amedrontador. Tudo começou quatro anos antes, quando ainda estava grávida e vivia com a sua irmã. A medida que os fatos foram sendo comprovados, Malorie foi se esgueirando em cômodos fechados para se proteger de algo que, até então, todos desconhecem.

Ela ainda se lembra de quando encontrou um grupo de pessoas que remanesceu ao terror de algo que invade suas imaginações e causa terror em suas vidas. Lembrando dos episódios anteriores e sobrevivendo aos atuais, Malorie terá que lutar de olhos vendados para que ela e seus filhos fiquem vivos.

Josh Malerman criou um medo sem rosto, sem corpo e sem forma. Talvez seu objetivo tenha sido criá-lo através das nossas fantasias, mas ainda assim sem nenhuma forma, só um sentimento: o medo.

Achei a narrativa bem leve, em terceira pessoa, mas que consegue fluir na medida em que a curiosidade vai tomando forma. A construção dos personagens é bem leve, a não ser pela principal (Malorie), mas nada que atrapalhe a leitura. O enredo bastante promissor não se provou válido de tal destaque, devido aos questionamentos que não são respondidos ao longo da estória.

Contudo, acredito que há muito mais nas entrelinhas do que imaginamos, e que o sentido para toda a estória ainda não foi desvendado por alguém, de tão complexo que é estudar os fatos e atribuir-lhes algum sentido específico que corrobore com as inúmeras perguntas. Ficarei atento aquele que conseguir essa proeza. Quem conseguir me avise, portanto leiam e tentem desvendar esse mistério o quanto antes!
comentários(0)comente



lcradze 15/02/2019

Livros do gênero terror/suspense são uns dos que mais me atraem e por isso decidi ler esse livro. Gostei bastante da ideia de um inimigo em que não se pode vê-lo e que não se sabe muito bem o que ele é ou como ele é, o que dá uma margem muito grande pra criatividade de quem está lendo.

No início não tinha gostado tanto assim, mas ao longo do livro ele foi prendendo minha atenção e me sufocando ao mesmo tempo. Era necessário terminar logo o livro já que tudo ali é contado de forma "rápida" e mal temos tempo pra pensar e refletir, e sim ir na onda das ações dos personagens e principalmente da Malorie. É um livro que recomendo ler tudo de uma vez, em algumas horas ou um dia.
comentários(0)comente



afransedrez 15/02/2019

NÃO ABRA OS OLHOS

É impossível citar Caixa de Pássaros, do escritor Josh Malerman, sem com que se remeta imediatamente ao enorme sucesso do filme produzido pela Netflix e estrelado por Sandra Bullock.

Por esse motivo, confesso que pensei que a leitura do livro após ter assistido o filme seria de certa forma "sem graça", e que perderia grande parte de seu suspense principal.

Felizmente, eu estava completamente errada.

O filme adaptou de forma muito diferente do original os acontecimentos centrais do livro, o que, para mim, até mesmo fez aumentar a tensão da história. Passagens como a chegada de Gary a casa são abordadas de formas diferentes no livro e no filme, o que faz que com que nos perguntemos "quando e de que forma aquela acontecimento especifico do filme vai acontecer?"

O livro, em si, é uma ótima pedida para quem está procurando uma leitura da qual não se consegue largar até a última página. Sem o uso de "cliffhanger" óbvios, Caixa de Pássaros te conquista e te faz ficar vidrado do início ao fim por conter um suspense que faz prender a respiração e um "ambiente de confinamento" ponto para explodir a qualquer momento.

O único motivo de o livro não ter conquistado 5 estrelas para mim seria o fato do último capítulo não segurar tão bem a tensão quanto o resto do livro, sendo corrido e pouco explicado. Porém isso não é o suficiente para prejudicar sua leitura ou fazer com que Caixa de Pássaros não mereça ser lido.

Em suma, a história de Malerman é um ótimo suspense, um ótimo terror, um ótimo livro apocalíptico. Um livro angustiante e asfixiante.

Se você não assistiu ao filme, leia.
Se você assistiu ao filme e gostou, leia.
Se você assistiu o filme e achou ok, leia.
comentários(0)comente



Valeska 15/02/2019

Não feche os olhos enquanto não terminar o livro
Na época, eu li esse livro por estar interessada por começar a ler thrillers, mas eu não estava tão empolgada como fiquei lendo. O livro tem uma ótima escrita, o jeito em que ele narra a história indo do presente para o passado, para explicar o que aconteceu é cativante, porque os seus "porquês" começam a serem respondidos de maneira lúcida, e é claro, com detalhes, o que eu amei.
Caixa de pássaros vai abordar sobre Malorie, uma mulher que vê essa loucura toda acontecendo com o mundo inteiro e que faz o possível para sobreviver, como vocês devem saber, com dois filhos, tudo isto de olhos vendados. Não é um livro apenas de suspense sobre um apocalipse, ele vai além com todos os personagens que os compõe mostrando uma parte de nossa essência que está presente no dia a dia.
Recomendo :)
comentários(0)comente



RafaelaTrombini 15/02/2019

Incrível, e que te Prende do Início ao Fim
A primeira vez que ouvi falar de Caixa de Pássaros (minto, já ouvi algumas vezes, mas nunca me interessei a ler), foi depois do boom que ocorreu após a adaptação da Netflix sair, e fiquei curiosa para saber mais sobre a história.
Fiquei impressionada em como a leitura deste livro te prende. Você quer saber mais sobre aquele mundo, o que são as criaturas, se sente na pele dos personagens (aaaaa Tom :(), fica com ranço de outros (grrr Don) e torce pela Malorie.
Josh Malerman realmente sabe como prender um leitor com o maior mistério deste livro: quem são as tais criaturas? Aliens? Espíritos?
Alguns pontos: ouvi muita gente dizendo que este livro tinha um super gore, mas eu não vi nada disso. Até acho o gore deste livro leve, em comparação com outros que já li.
O final é bonito, mas acho que poderia ter sido melhor.
Nota final: 4,5.
comentários(0)comente



Paraíso dos Livros 15/02/2019

Resenha | Caixa de Pássaros - Josh Malernan

Reflita por um instante: Você está preso a um mundo onde enxergar é perigoso, que sair de casa é arriscado, que pessoas precisam se unir para ter uma porcentagem mínima para sobreviver. Batidas na porta são sinônimo de medo, assim como o canto dos pássaros é presságio de coisas ruins. Agora, os cobertores cobrem os vidros das janelas, as vendas são essências, os alimentos são itens raros e a esperança se perde um pouco a cada dia, ainda sim você continuaria fazendo o possível para viver? O qual drásticas seriam suas medidas para se adequar nesse novo mundo?

Ao ler o subtítulo de Caixa de Pássaros "Não abra os olhos" me lembrei automaticamente da obra de José Saramago, "Ensaio sobre a cegueira" um livro que li na época da faculdade e gostei bastante. A princípio foi essa ligação que gerou minha curiosidade e assim embarquei nesta leitura. Porém, mesmo que esse livro siga uma narrativa similar no sentido pós-apocalíptico decorrente a uma situação que todos "perdem a visão", aqui todo o caos é ocasionado por criaturas que não podem serem vistas, as pessoas sabem como se precaver e a situação obriga os sobreviventes a manterem seus olhos fechados para que não sejam vítimas de si próprios após enlouquecerem completamente.

Neste cenário caótico, Malorie narra os fatos entre acontecimentos do presente e do passado, mostrando em diferentes perspectivas como as criaturas influenciaram diretamente em sua condição de vida atual. Narrar um livro dessa forma é algo admirável e também arriscado, pois o escritor está pensando simultaneamente nos diferentes tempos da história e um deslize pode comprometer toda a trama. Mas felizmente esse não é o caso de Caixa de Pássaros, onde essas variações contribuem para o envolvimento do leitor até sua página final.

Malorie precisa fazer escolhas decisivas pois não se trata apenas da sua vida, mas também de duas crianças de 4 anos sobre a sua responsabilidade que nunca viram a luz do dia. Ela não apenas deseja, como busca uma alternativa melhor para eles. Por eles, logo ela que nunca se imaginou mãe, que perdeu tanto, que precisa lutar e ter força no meio de tanta dor, isso sensibiliza, assusta e gera conflito ao longo da leitura. Essa instabilidade, agonia presente no texto, nos conecta profundamente as emoções da protagonista. Cada luta, cada pequeno movimento no mar, e no seu amor sutil acompanhado de um pedido de desculpas oculto a cada vez que pensa não ser capaz de continuar, tendo plena convicção que precisa seguir, comove.

Enfim, esse livro faz o leitor sentir na pele os sentimentos apresentados na narrativa, levando-o para dentro de um caminho enigmático em buscas de respostas que podem ou não serem respondidas até o final das páginas. Vale a pena conferir!
comentários(0)comente



Maurice S. Sousa 15/02/2019

Esqueça o filme
ainda vale muito a pena ler depois de ver o filme, é, como sempre, bem mais denso, profundo, misterioso e perturbador
comentários(0)comente



Karina 14/02/2019

Resenha | Caixa de Pássaros - Josh Malernan

Reflita por um instante: Você está preso a um mundo onde enxergar é perigoso, que sair de casa é arriscado, que pessoas precisam se unir para ter uma porcentagem mínima para sobreviver. Batidas na porta são sinônimo de medo, assim como o canto dos pássaros é presságio de coisas ruins. Agora, os cobertores cobrem os vidros das janelas, as vendas são essências, os alimentos são itens raros e a esperança se perde um pouco a cada dia, ainda sim você continuaria fazendo o possível para viver? O qual drásticas seriam suas medidas para se adequar nesse novo mundo?

Ao ler o subtítulo de Caixa de Pássaros "Não abra os olhos" me lembrei automaticamente da obra de José Saramago, "Ensaio sobre a cegueira" um livro que li na época da faculdade e gostei bastante. A princípio foi essa ligação que gerou minha curiosidade e assim embarquei nesta leitura. Porém, mesmo que esse livro siga uma narrativa similar no sentido pós-apocalíptico decorrente a uma situação que todos "perdem a visão", aqui todo o caos é ocasionado por criaturas que não podem serem vistas, as pessoas sabem como se precaver e a situação obriga os sobreviventes a manterem seus olhos fechados para que não sejam vítimas de si próprios após enlouquecerem completamente.

Neste cenário caótico, Malorie narra os fatos entre acontecimentos do presente e do passado, mostrando em diferentes perspectivas como as criaturas influenciaram diretamente em sua condição de vida atual. Narrar um livro dessa forma é algo admirável e também arriscado, pois o escritor está pensando simultaneamente nos diferentes tempos da história e um deslize pode comprometer toda a trama. Mas felizmente esse não é o caso de Caixa de Pássaros, onde essas variações contribuem para o envolvimento do leitor até sua página final.

Malorie precisa fazer escolhas decisivas pois não se trata apenas da sua vida, mas também de duas crianças de 4 anos sobre a sua responsabilidade que nunca viram a luz do dia. Ela não apenas deseja, como busca uma alternativa melhor para eles. Por eles, logo ela que nunca se imaginou mãe, que perdeu tanto, que precisa lutar e ter força no meio de tanta dor, isso sensibiliza, assusta e gera conflito ao longo da leitura. Essa instabilidade, agonia presente no texto, nos conecta profundamente as emoções da protagonista. Cada luta, cada pequeno movimento no mar, e no seu amor sutil acompanhado de um pedido de desculpas oculto a cada vez que pensa não ser capaz de continuar, tendo plena convicção que precisa seguir, comove.

Enfim, esse livro faz o leitor sentir na pele os sentimentos apresentados na narrativa, levando-o para dentro de um caminho enigmático em buscas de respostas que podem ou não serem respondidas até o final das páginas. Vale a pena conferir!
comentários(0)comente



mads 14/02/2019

bom mas... superestimado.
jesus cristo, metade do PLANETA estava falando desse livro. sério. e dizer metade ainda parece o maior eufemismo de um ano inteiro. a questão é: eu achei que deveria ler. eu corri atrás desse livro até mas profundezas no tártaro e achei. é, eu achei. e foi uma decepção de nível 8 numa escala de furacões de 0 à 10.

a escrita do josh é muito simplória. não sei vocês pensaram nisso, mas... "ela sorriu" "ela comeu" "ela fez isso". não sei se você já leu algo assim por aí, mas eu sempre aprendi que você não descreve uma coisa de um jeito tão na superfície. você mostra ela. dá a sensação de presente. essa é a melhor coisa numa história e acho que foi por isso que eu não me apeguei ao livro. porque eu não me sentia ligada aos personagens e eu não consegui ficar. as crianças? show. ok. crianças. eu senti pena delas? senti. mas... eu coloquei tanta expectativa que quando terminei fiquei só o meme da nazera perguntando se tinha sido só aquilo mesmo.

o enredo é bom. tem um mistério legal que não é esclarecido do final o apego BEM gayle forman em se eu ficar para as cenas CHEIAS de flashbacks, o que, tá, eu até tolerei e ficou legalzinho. mas o desenvolvimento... ai.
comentários(0)comente



Vin1cius 14/02/2019

Aterrorizante e Maravilhoso !
Já tinha assistido o filme, que gostei Muito, mas agr lendo o livro, nossa, amei td, os personagens, a narrativa, o quanto a gente consegue sentir, com devidas proporções, o msm que a Melorie.
Enfim uma leitura maravilhosa, que com certeza vai ficar guardada nas minhas memórias.
comentários(0)comente



TheBoringMad 13/02/2019

Uma aventura assustadora
“Há alguma coisa lá fora... Algo aterrorizante que não deve ser visto. Basta uma olhadela e a pessoa é levada a cometer atos de violência mortal. Ninguém sabe o que provoca isso ou de onde veio.”

Um mundo pós-apocalíptico, com cobertores nas janelas e portas trancadas, onde a única maneira de sobreviver fora de sua casa é de olhos vendados. Não há nenhuma maneira de se comunicar com o mundo exterior, a internet não funciona mais e os telefones são praticamente ineficazes.

A trama se desenrola em capítulos que alternam entre passado e presente, sempre contendo o ponto de vista da protagonista. Contendo 272 páginas, o livro pode ser lido em poucos dias.

O livro começa apresentando os personagens do Presente, Malorie e seus filhos Garoto e Menina, no dia em que resolvem finalmente sair do cárcere em que vivam. A maior parte da trama no presente é constituída de uma viagem feita através de um rio. Mas do que os três estão fugindo e para onde pretendem ir?

Quatro anos antes, Malorie encontra uma casa com outras pessoas que tentam não morrer, onde é acolhida para que cuide de sua gravidez enquanto o mundo desaba lá fora. Ela passa os próximos anos nesta casa, com seus novos amigos e Tom, líder do grupo e a pessoa com quem ela mais tem afinidade. Até boa parte do livro, o Passado se passa nessa casa, mostrando seus altos e baixos.

“Um lugar onde estranhos se encontram, juntam forças e reúnem ânimo para enfrentar o mundo exterior, impossível e mutante.”

Foi o primeiro thriller que li, então foi uma experiência totalmente nova, porém assustadora. A ideia de poder enlouquecer pelo simples fato de olhar para algo (que você nem sabe o que é) é assustadora. A tensão só aumenta quando as coisas acontecem com a protagonista, e você consegue sentir a angústia dela em não poder simplesmente olhar e ver o que está causando um simples barulho na mata.

Desde o início do livro comecei a criar teorias, mas infelizmente a maioria não foi confirmada e a história acaba sem revelar nada sobre o mundo, o resto das pessoas e os seres ameaçadores.

Sobre a protagonista, ela foi muito bem escrita, uma mulher forte e corajosa, sempre lutando e colocando seus filhos em primeiro lugar. Do início ao fim fica claro que ela faria (e fez) qualquer coisa para que seus filhos tenham um final feliz, sem ligar para sua própria vida, já que ela os treinou desde cedo a se virarem sozinhas.

Achei bem apontada a metáfora com o título, já que os humanos estão presos em casa, “enjaulados”, enquanto os pássaros podem voar por aí livremente.

Resumindo, é um ótimo livro para quem gosta de sentir na pele o que o personagem sente, a história foi muito bem contada e, além de alguns furos nas explicações, toda a trama se desenrola bem. Ouso dizer que é um livro onde você precisa enxergar (literalmente falando) além.

“Malerman usa uma narrativa alusiva para criar um suspense fascinante.”
- Publishers Weekly

Love, Mad
TheBoringMad 13/02/2019minha estante
Notas: Oi gente! Essa foi minha primeira resenha e peço paciência de todos haha. Procurei seguir um estrutura baseada em algumas resenhas que curti bastante. Estou aceitando críticas e é isso, boa leitura




Fada Literária 11/02/2019

Simplesmente leiam.
Olá Fadas e Elfos. Hoje é dia de mais uma #ResenhaDaFada . Vamos falar um pouco de Caixa de Pássaros.
.
.
Em caixa de pássaros vamos ter uma história contada em dois períodos diferentes, o período pós apocalíptico onde as pessoas só andam vendas e não podem abrir os olhos de forma alguma no mundo exterior, porque se elas abrirem os olhos fora de casa, fora de um lugar seguro, onde portas e janelas estão lacradas com tecidos ou papelão, elas vão ver algo que as deixará loucas e suicidas, fazendo com que matem umas às outras e a si mesma. E você não sabe o que são essa coisa que as pessoas estão vendo e pirando por causa delas.
.
.
O livro transmite muitos sentimentos e sensações diferentes. E tudo desde a agonia, desespero e pânico são transmitidos ao leitor, que consegue sentir todas elas. Eu senti como se eu estivesse lá com os personagens, vivendo tudo o que eles viviam, todas as sensações.
.
.
E o livro também vai se passar no passado, onde veremos como tudo aconteceu, como essas criaturas espalharam o caus por toda parte fazendo as pessoas viverem escondidas, e no meio disso tudo, vamos conhecer mais a fundo a nossa protagonista chamada Melorie, quando todas as notícias começam a se espalhar sobre essas tais "criaturas", Melorie que é solteira e mora com sua irma descobre que está grávida, isso a faz ficar muito chocada, pois ela não esperava essa gravides que aconteceu por acidente.
.
.
E vão acontecer muitas coisas loucas e sangrentas no livro, vamos conhecer mais a fundo os personagens secundários que também são muito bem construídos. E vamos acompanhar a tentativa de sobrevivência de Melorie e seus dois filhos de apenas 4 anos, sem poder olhar para o mundo ela terá que fazer de tudo para se manter viva e ensinar uma forma de fazer com que seus filhos fiquem alerta e preparados o tempo todo.
.
.
Um ponto que pode ser negativo para muitas pessoas, é que o livro termina sem explicar como as criaturas são, se realmente são criaturas, que forma elas têm. Mas isso não me incomodou em nada, eu super recomendo esse livro e dei 5 estrelas para ele no Skoob (Fada Literária). Vale muito a pela ler caixa de pássaros, e em seguida assistir ao filme na Netflix, mas adianto que na minha opinião o livro é muito melhor e mais completo que o filme.
comentários(0)comente



Pedro.Morais 10/02/2019

Desafie seus medos.
Diferente de um suspense que envolve um inimigo físico em Caixa de pássaros o inimigo se concentra nos sentidos o que torna as decisões dos personagens sujeitas a riscos que podem custar a própria vida.
Um livro rápido de ser concluído e um desfecho singular.
Angel 10/02/2019minha estante
Detestou o final como a maioria dos leitores??eu achei aceitável


Angel 10/02/2019minha estante
Oq achou do final??detestou igual a maioria dos leitores? Achei aceitável


Angel 10/02/2019minha estante
Detestou o final como a maioria dos leitores??achei aceitável


Pedro.Morais 10/02/2019minha estante
Amiga esparava muito mais, porém deu pra aceitar.




1492 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |