Para Continuar

Para Continuar Felipe Colbert




Resenhas - Para continuar


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Kakau 10/12/2018

Quando comprei o livro não sabia que era de um autor brasileiro, a história se passa em São Paulo.
Demorei para terminar a leitura. O final do livro é bem previsível pelo desenrolar da história. Mas é uma história de amor singela e bonita. Me fez chorar. E como isso é raro, muito raro para dizer a verdade, dei 5 estrelas.
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 31/08/2018

Para Continuar
Eu tinha bastante curiosidade em conhecer a escrita do autor, pois o mesmo já teve o romance Belleville publicado, também pela Novo Conceito, em 2014. E eu adoro aquela capa, então me interessei por ler, mas nunca tive a oportunidade. Quando vi o novo lançamento e logo me apaixonei pela capa novamente, resolvi não deixar passar.

Achei o início da história bastante interessante e fiquei esperando por uma bela história de amor envolvendo uma doença, porém me surpreendi quando descobri que o livro ia explorar um elemento mais “fantástico” com o segredo mantido pela protagonista. Fiquei empolgada em seguir a leitura e descobrir mais.

Achei que a história seguiu por um rumo que não era o mais interessante. Os conflitos trazidos pelo personagem Ho são vazios e parecem ter sido inseridos na história de forma bem rasa, deixando o elemento diferencial da narrativa, e exatamente o que tinha me chamado a atenção, de lado.

Fiquei esperando que algo logo acontecesse para que pudessemos voltar ao que realmente era interessante e não aconteceu. Vi as páginas chegando ao fim e um plot que tinha tudo para trazer uma história mágica, simplesmente desaparecendo no meio da boa, porém velha e clichê, história de ciúmes.

Confesso que, nas últimas 20 páginas, tomei um susto e achei por um segundo que a história fosse fugir do normal e ter um final devastador. Mas vi novamente o autor optando pela segurança de apenas enganar o leitor por alguns momentos achando que algo ruim tinha acontecido e depois retornar a calmaria. Por esses motivos acabei dando ao livro de Felipe Colbert apenas 3 estrelas e digo-lhes que fiquei bem triste por isso, pois na minha cabeça, tenho certeza que essa história tinha um potencial imenso a ser desenvolvido se tivesse seguido por outro caminho, e quem sabe até, explorado mais a fundo a cultura oriental e toda a sua representatividade.

O que eu achei interessante foi que temos um tipo diferente de “doença”, deixando o tradicional câncer de lado e explorando uma das faces das doenças cardíacas, que são tão importantes quanto. Consegui visualizar a família de Leonardo, sua ações e toda as decisões que tomaram em relação a condição do filho e, mesmo ele sendo um pouco hostil em alguns momentos, em outros demonstra compreensão ao entender o lado dos pais.

Para Continuar é um livro leve e com um final bonitinho, que pode te fazer sorrir ou chorar, dependendo do seu grau emocional e que vai trazer a mistura de uma história comum, com algo muito além do imaginável.

site: http://resenhandosonhos.com/para-continuar-felipe-colbert/
comentários(0)comente



Lu 22/08/2017

"Para Continuar" foi meu primeiro contato com o autor Felipe Colbert de quem eu ouvia falar muito bem pelo livro "Belleville". Infelizmente, o meu contato com a escrita do autor ou com sua história, não me trouxe grandes surpresas ou paixões. Vou explicar.

Leonardo é um garoto que sofre de uma doença no coração e acha que sua vida é muito limitada devido as inúmeras visitas ao médico, remédios, limitações físicas e zelo excessivo dos pais. Mesmo assim, às vezes, ele tenta levar uma vida normal. Certo dia, no metrô, ele vê uma linda garota e fica encantado por ela. Essa garota se chama Ayako, é descendente de japoneses que mora com seu avô e Ho, um rapaz com uma certa deficiência mental e ele é apaixonado por Ayako.

A loja de luminárias do avó de Ayako possui uma pequena peculiaridade. No porão existem luminárias mágicas que representam amores e a função de Ayako e seu avô é ser os guardiões dessas luminárias, para que nunca se apaguem

Leonardo é um personagem um pouco entediante. O achei chato, repetitivo, egoísta e extremamente dramático. Ele e os pais viviam um grande drama em volta da doença que ele tem no coração. Okay que é uma doença grave e deve-se tomar suas devidas precauções, mas a cada drama, eu achava que Leo deveria agradecer mais pelo que tinha do que lamentar pela doença e a vida limitada. A vida só é limitada para quem a faz e me parecia que Leo tinha muitas oportunidades rodando a sua volta.

E, vamos e convenhamos que, seguir alguém no metro de São Paulo não é uma coisa de gente normal. Se eu fosse Ayako teria chamado a polícia na primeira oportunidade e, talvez, por isso, eu tenha achado o amor dos dois um pouco forçado, um pouco irreal demais. Eles se apaixonam com uma facilidade estranha, eu estaria extremamente desconfiada de Leo, não apaixonada.

A parte que mais me conectou com o livro foi o local onde a história acontece. São Paulo, Capital, Liberdade e o metrô. Eu amo o metro de São Paulo e trabalhei por MUITO tempo na Liberdade, então conheço o bairro e quando o autor se perdia nas descrições eu embarcava e me perdia com ele, colocando-me exatamente (ou mais ou menos) onde os personagens estavam.

"Para Continuar" trata de romances delicados com suas interferências problemáticas e o autor tenta conduzir o amor (um pouco forçado demais para o meu gosto) de Leo e Ayako com uma leveza que é impossível não torcer pelos dois e o livro só não ganhou mais estrelas porque não consegui me conectar com os personagens e achei que o elemento mágico não cumpriu totalmente o seu papel.

(resenha postada originalmente em 06/01/2016)

site: http://lumartinho.blogspot.com.br/2016/01/para-continuar-felipe-colbert.html
comentários(0)comente



ANINHAPONCE 05/02/2017

Para Continuar
Leonardo César é um estudante universitário, que possui um grave problema cardíaco, e pode ter uma ataque a qualquer momento, mas apesar disso ele tenta viver sua vida da forma mais “normal” possível. Enquanto voltava da faculdade encontra Ayako, e acaba se encantando pela jovem. Sua primeira tentativa de contato com ela não dá muito certo.
Ayako mora com o avô, e o ajuda com a difícil missão de manter em sigilo a existência de um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, onde se encontra milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.
A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.
Gostei da história, de conhecer um pouco mais sobre a cultura japonesa, sobre o bairro da Liberdade e sua historia, a trama é envolvente, a escrita é bem fluida, os capítulos são curtos. Mas a rapidez do envolvimento entre Leonardo e Ayako me incomodou, foi tudo rápido, tudo muito impulsivo, como se o autor tivesse um limite de páginas para contar uma história que levaria muito mais tempo para ser contada, e por isso enxugou várias partes. Além do romance, a história das luminárias poderia ser melhor desenvolvida, ter mais detalhes. Mas é uma leitura válida.

Um ponto positivo para o autor é a abordagem na historia de uma temática que é MUITO importante: a doação de órgãos. Eu li Belleville, e gostei mais desse livro, o romance e a situações narradas são mais criveis. Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

site: viajandocompapeletinta.blogspot.com
comentários(0)comente



Gil 31/01/2017

A história se passa em São Paulo e conta a história de Leonardo, adolescente vivendo uma vida regrada, pois tem um problema no coração. A rotina de sua vida e suas limitações ganham um novo sentido ao conhece Ayako. Apesar de Ayako não demonstrar interesse no início ele não para de pensar nela. Ayako toma conta de uma loja e nessa loja há um local especial, onde ela é a guardiã de lanternas especiais. Porém alguém muito próximo a ela acaba tendo participação decisiva na vida dela, na de Leonardo e das lanternas. Passamos a conhecer algumas palavras japonesas ( a maioria já sabia, porque me interesso nos assuntos made in Ásia rs). A história é bem descontraída e a leitura é rápida e fluida. A capa é bonita e remete bem a história. O livro é fino o que ajuda a leitura ser rápida.
comentários(0)comente



LAPLACE 17/12/2016

Belo e Singelo como uma Lanterna Oriental
Cardiomiopatia dilatada idiopática, essa é a doença com a qual Leonardo precisa conviver pelo resto da vida, a menos que consiga um novo coração. Devido à enfermidade, ele não pode assimilar grandes esforços, e a chegada de Ayako em sua vida não parece cooperar nada para isso.

Conquistado pela delicadeza, simplicidade e beleza da garota desde a primeira vez que se viram, Leonardo não faz ideia do segredo que ela esconde, sendo responsável por ajudar o avô a proteger o porão de sua loja de luminárias, onde milhares de lanternas orientais pairam e guardam um grande mistério.

Leonardo também desconhece o perigo que Ho representa. Tendo sido criado pelo avô de Ayako como um filho, o jovem chinês se apaixonou pela garota, e poderá colocar em risco não só o futuro de Leonardo e Ayako, mas também a vida dos dois.

Querem saber mais? Então corram para ler o livro!

***

Felipe Colbert se consagrou como um de meus autores favoritos após Belleville, entretanto, confesso que adquiri o meu Para Continuar antes mesmo de ler a história de Anabelle. Fui conquistado por essa bela capa feita pela equipe de produção editorial da Novo Conceito, e depois que me tornei fã do trabalho do autor fiquei mais ansioso ainda para conhecer essa nova trama.

De forma simples e bem contada, o autor nos faz passear pelo bairro Liberdade em São Paulo, apresentando-nos um pouco da cultura oriental na maior cidade do Brasil.

Acompanhamos a história de Leonardo, Ayako e Ho, sendo a parte do primeiro narrada em primeira pessoa, enquanto as dos demais ocorre em terceira. Gostei bastante dessa jogada do Felipe, assim ficamos por dentro de alguns fatos que só tomaríamos conhecimento se o Leonardo estivesse em todos os locais e momentos da trama, o que não é possível, algumas cenas precisavam ser contadas sem sua presença.

Outro detalhe bastante interessante, que é uma marca do Felipe, é a magia na trama. Não é um livro de fantasia ou sobrenatural, no entanto o autor sempre insere elementos mágicos em suas narrativas, agregando valor e fazendo uma combinação perfeita com as histórias que se propõe a contar.

Os capítulos possuem uma diagramação bela, com lanternas no começo de todos, e um dragão separando as cenas, trazendo um clima bem oriental.

E o Felipe trabalha o texto de um jeito que, aqui vai uma dica, é importante você ficar atento à todas as palavras, porque não há nada lá em vão. Ele coloca pistas ao longa da trama do que nos aguarda, que podem parecer insignificantes no momento, porém no final farão todo sentido.

Para Continuar é um livro excelente, curto, leve, a leitura simplesmente flui, é uma ótima pedida para qualquer local e momento do dia.
comentários(0)comente



Rhaisa 12/12/2016

Resenha Para Continuar
"O narrador da história é Leonardo César. Apesar da normalidade do seu dia a dia, ele é obrigado a conviver com um problema que acompanha todos os seus passos, todas as horas, todos os segundos. Por baixo da pele adolescente, há uma doença que ameaça seu coração. Diagnosticado com cardiomiopatia dilatada idiopática bem jovem, Leo tenta viver seus dias como se nada estivesse acontecendo embaixo da sua epiderme, mas tudo muda quando, entre as estações antes da estação Liberdade, ele bate o olho em um jovem japonesa com lindos olhos de mangá."
Continue lendo no blog A Livreira

site: https://alivreirasite.wordpress.com/2016/12/12/7-postagem-resenha-para-continuar/
comentários(0)comente



Alika 16/11/2016

https://goo.gl/NpTx8h
“Você está vendo algo mágico, mas a magia não se limita a atos extraordinários. Ela está no nosso dia a dia. Se você for observadora, vai reconhecê-la.”

E aí ano passado eu li o romance Belleville, e adorei. Quando vi que o autor tinha também esse romance aqui, comprei logo pois imaginei que seria mais legal ainda! Ledo engano.

Vamos lá, Leonardo é paulistano, da classe média, universitário…o único problema dele é uma doença que ele tem no coração, e aí ele tem pais superprotetores e não pode se esforçar, passar por fortes emoções, etc.

Certo dia, ele está no metrô e tem um instalove por uma menina japonesa chamada Ayako. Ele passa a pegar metrô todo dia no mesmo horário, mesmo vagão, volta e pega o metrô de novo, tentando achá-la novamente. Super stalker. hahahaha

Ayako mora numa loja de luminárias com seu avô, e eles são guardiões das lanternas mágicas que ficam no porão. Ninguém pode saber sobre elas, nem entrar no porão, nem encostar nelas, etc.

A história tem uma premissa boa, tinha como dar super certo, é bem legal mesmo. Mas achei que faltou coisa pra me cativar: o romance é piegas, Leo é bem chato com relação à sua doença (e é mimado), Ho é um personagem que poderia ser tratado de modo diferente, tem várias perguntas sobre as lanternas que não foram respondidas, não consegui criar um ‘vínculo’ com os personagens…

Enfim, é um livro bom mas faltou muita coisa pra me conquistar... Acho que, principalmente, magia. O tempo todo parece que vai ter muito mais magia: faltou o autor tirar os pés do chão — foi o que senti falta na hora de ler o livro.

“Você pode pintar um quadro com uma única tinta, mas não conseguirá evitar os respingos nas mãos.”

site: https://goo.gl/NpTx8h
comentários(0)comente



Maravilhosas Descobertas 28/08/2016

Para Continuar - Site Maravilhosas Descobertas
Felipe Colbert conseguiu me encantar com sua escrita descontraída e leve. Eu confesso que tentei achar defeitos para o livro, mas sério.. acreditem em mim pois vocês sabem que sou sincera quanto a isso, não tem.

No livro conhecemos um menino limitado por um problema de saúde que o limita a fazer tudo! Leonardo tem 20 anos e sofre de Cardiomiopatia dilatada idiopática, uma doença que faz com que o coração não consiga bombear sangue direito. Poucas são as pessoas que sabem do seu problema, e por mais que seja algo complicado, Leo tenta viver uma vida normal.

É numa de suas ideias a faculdade que o jovem conhece Ayako e logo fica interessado na garota oriental que se encontrada sentada de frente a ele num metro cheio. A única pista e contato que ele tem dela é que ela curte musica japonesa, pois era o que ela estava escutando no dia em que ele tentou conversar com ela.

Com a fascinação pela menina crescendo a cada dia, Leo tenta econtrar a garota. Só que Ayako só parece ser uma pessoa normal que trabalha na loja do seu avô após estudar. Ela tem um dever muito maior e mais importante que qualquer outra coisa, Ayako cuida de algo valioso: lanternas.

>> Continue lendo no site

site: http://www.maraviilhosasdescobertas.com.br/2015/10/para-continuar-de-felipe-colbert.html
comentários(0)comente



Denise 06/04/2016

Nem tudo que parece... Ã.
Sabe aquele livro com capa linda, sinopse instigante e te deixa tão curioso que você quer ler o mais rápido possível? Então, esse é o caso de Para Continuar, livro nacional, do autor Felipe Colbert Só que temos um porém... vamos a história!

Tudo gira em torno de Leonardo, paulistano, classe média, vinte anos, universitário, um rapaz comum Exceto por um pequeno detalhe, Leo tem uma doença no coração que o impossibilita de fazer esforço, realizar exercícios, qualquer descarga de adrenalina pode ser fatal (~-oh coitado~)! Então alguma coisa tem que acontecer para dar uma animada nessa vidinha pacífica e tranquila dele né? rs

Então, num dia qualquer, no metrô da terra da garoa, ele a vê, uma descendente de oriental com longos cabelos pretos e olhos puxadinhos Aí (~aguentaaaaaa coração~), ele se encanta pela moça Porém, ela desce na Estação Liberdade e eles mal conseguem trocar algumas palavras! (~Bem, quem nunca teve um paixão relâmpago no metrô, não é mesmo?~)

Leo não para de pensar na moça e tenta várias vezes reencontrá-la indo à Liberdade, pegando o metrô no mesmo horário, refazendo os passos E só depois de muitas tentativas (~muitoooo stalker genteee!!~) que ele descobre sobre a moça, o nome dela é Ayako, ela trabalha e mora numa loja de luminárias orientais e dentro da loja, há um porão com milhares de lanternas especiais que precisam ficar em segredo, Ayako e seu avô são os guardiões e precisam defender o local e todo o mistério que as envolvem.

A princípio Ayako tenta se afastar Leo a todo o custo, ele apresenta um risco a sua missão de guardiã, mas o rapaz também mexe com a moça O que ela não esperava, é que Ho rapaz chinês que a ajuda na loja, também tem sentimentos por ela e ele sim, pode por todo o encantamento do lugar em perigo, assim como o quase-relacionamento entre Leo e moça.

O livro possui uma narrativa dinâmica e fácil, porém Leonardo se torna um protagonista cansativo e às vezes irritante, todo o momento ele cita sua doença e sua incapacidade de fazer algo sobre ela As partes legais são suas interações com o melhor amigo, Penka, alguns lugares da cidade que são brevemente citados, já disse outras vezes que amoooo quando isso acontece, né? *-*

Mas o romance em si é bemmmm água com açúcar e nem é o fato de ser um amor a primeira vista, viu? Ele é meio piegas, apesar da existência de Ho, não é um triângulo amoroso, o antagonista possui uma debilidade mental e seu primo, uma espécie de co-antagonista também não é lá aquelas coisas, infelizmente é muitooo clichê não dá pra criar um vínculo com as personagens Aliás, existe SIM um triângulo amoroso Leo-Doença do coração-Ayako! Sério! Essa parte da doença me irritou muitooo quase que eu tive um ataque...DE RAIVA!! Poderia ter sido abordado de uma outra forma, não tão recorrente e que o leitor com certeza lembraria e não tornaria tão chato e tedioso cansativo.

Sem contar que cria-se uma grande expectativa sobre o grande mistério que envolve as lanternas, por que ninguém pode vê-las? Por que ninguém pode tocá-las? Por que elas existem? Algumas dessas perguntas são respondidas outras nem tanto Já no finalzinho, dá um gás, parece que vai acontecer o inesperado, aquela reviravolta louca que todo o leitor amaaaa, que ia revolucionar tudooo Só que não acontece! #Chatiada

Eu realmente criei muitaaaaa expectativa com o livro e foi meio decepcionante Odeio quando isso acontece (~Chatiada~) Quanto aos outros detalhes, a diagramação do livro é impecável, a capa é linda, olha só esse marcador personalizado! Foi feito com muito capricho mesmo!!! Isso eu não posso reclamar!

site: http://www.entrelinhasfantasticas.com.br/2015/12/resenha-para-continuar-felipe-colbert.html
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 09/03/2016


O
lá pessoal,
Hoje vou apresentar pra vocês o lançamento de um dos meus autores favoritos Felipe Colbert. Após ler Belleville e me apaixonar, não poderia deixar de ler essa obra tão encantadora quanto!
Vamos conhecer?


Leonardo Cesar é um rapaz de 20 anos estudante de designer na Faculdade Belas Artes de São Paulo, e sua vida seria completamente normal, se não fosse uma deficiência em seu coração. Ele sofre de cardimiopatia dilatada idiopatica, isso significa que seu coração não possui força suficiente para bombear o sangue que passa por ele.

Essa falha descoberta ainda na adolescência, faz com que Léo tenha uma vida limitada e cheia de cuidados, com isso, pequenas aventuras podem se tornar grandes perigos.


"Meu coração faz um péssimo trabalho e sou eu quem paga o pato."


Mas em um dia como qualquer outro, ele irá avistar Ayako, uma jovem oriental que está dentro do mesmo vagão que ele, e nesse momento ele superará uma parte da sua deficiência e irá até ela tentar um diálogo com a garota que acabou de roubar sua atenção.

"Nesse instante, sinto que aqui esta a razão pela qual eu finalmente declararia guerra a minha vida tediosa e limitada."



O contato sera rápido, porém marcante o suficiente para que um tome os pensamentos do outro! Mas o que Ayako não esperava, era que Leonardo aparecesse na loja de luminárias, onde ela vive com seu avô e Ho, um rapaz que beira os 20 anos, que seu avô possui a guarda e que sofre problemas mentais. Apesar de ser quase um adulto, Ho age como uma criança, mas independente de suas atitudes, Ho guarda dentro de seu mundo o sentimento de paixão por Ayako e não vai ficar feliz com a visita de Léo.

Ayako é orfã e perdeu seus pais em um acidente de moto, e desde de então é criada por seu Ojissan (Avô materno), um senhor idoso que tem uma loja de luminárias, que teria tudo pra ser apenas mais uma loja se não fosse os incríveis acontecimentos em seu porão.

Com a perda de seus pais Ayako se torna a guardiã das luminárias com a missão de cuidar do porão mágico auxiliando seu avô e mantendo esse segredo milenário de família guardado para a segurança das pobres luminárias.

Nesse porão existem várias luminárias, e cada uma delas possui ideogramas que representam cada amor que acontece com os cidadãos do bairro da Liberdade, elas devem ser guardadas pois são muito sensíveis, e qualquer coisa que possa destruí-las terá o peso de destruir o amor que cada uma representa.

Por todos esses anos Ayako visitou o porão na esperança de que um dia a sua luminária do amor aparecesse, mas nada aconteceu, até o momento em que resolveu entregar seu coração ao desconhecido Leonardo. Agora graças aos ciúmes de Ho, sua luminária pode estar em perigo, e ela terá que lutar para manter não somente sua luminária em segurança como também seu amor, que se torna sensível em todas as formas possíveis.

Quando vi a obra de Felipe na lista da parceira NC, não pensei duas vezes! Ano passado nessa mesma época tive o prazer de conhecer Belleville e me apaixonei, então não esperava menos do autor, até porque a frase de apresentação do livro já nos mostra o que vem pela frente.

Léo possui problema cardiáco, seu coração é sensível, e seus remédios não estão dando conta de resolver seu problema, e apesar de viver acuado e meio pra baixo por não poder fazer aquilo que deseja, o momento em que Ayako entra em sua vida faz com que ele deixe suas necessidades pra trás e resolva ir atrás de seu amor.

Ayako possui a responsabilidade de cuidar das luminárias mágicas, que aparecem que cada vez que um amor surge, e por todos esses anos, ela se manteve na esperança de que um dia a sua aparecesse, uma que pode ter os seus sentimentos e não aquela que foi criada pelo amor de Ho, o jovem deficiente que vive com ela e seu avô.

O romance é mágico, e acontece na cidade de São Paulo, isso faz parte do contexto da escrita de Felipe, que nos remete a lugares tão conhecidos os tornando mágicos e novos, assim foi com Campos do Jordão, e agora em São Paulo, minha cidade natal. Como seria de se esperar, agora a pegar o metrô fico imaginando quantos romances não começaram ou vão começar depois de uma simples paquera e um simples contato dentro dos mesmos vagões por onde passam tantas pessoas todos os dias!


"-Você podia ter sido assaltado - comenta ela num choro.

- Mas não levariam a única coisa que realmente me faz falta: você."


É claro que o livro não é feito só de amor, Ho vai dar uma dor de cabeça e gerar muitos problemas com sua inocência, mas no fim, de uma forma inesperada, seus erros serão corrigidos, e confesso que depois de tanto sentir raiva dele, fiquei com pena.

O livro é perfeito e a história mágica e leve do jeito que eu gosto, ele é fininho e a leitura passa numa velocidade que nem acreditei que já era hora de me despedir de Ayako e Léo, mas enfim, super recomendo a história, leve e apaixonante do jeito que só Felipe consegue escrever. Ganhando estrelinha de favoritado, Felipe já me conquistou e já me convenceu de que suas obras sempre terão um espaço na minha estante porque valem muito à pena.

A Novo Conceito como sempre dando um show de edição, a capa perfeita e enigmática, com folhas amareladas e fonte em tamanho extremamente confortável, cada página que inicia o capítulo vem com desenhos de pequenas luminárias tornando tudo muito fofo, com relação a diagramação, encontrei pequenos erros de revisão bem no final, mas nada que tire a atenção ou atrapalhe a leitura.

Não vou falar mais ou vou contar tudo kkkkkkkkk, mas super recomendo pra quem como eu, curte romances leves, que acontecem na nossa cidade e que nos remetem a mundos mágicos.

Espero que tenham gostado e que coloquem essa obra tão linda na lista de leitura de vocês!

Beijokas e até a próxima.
comentários(0)comente



Pandora 05/03/2016

Eu sou apaixonada por cultura oriental. As animações e as HQs orientais (mangás), fazem parte da minha vida desde que me entendo por gente e um dos lugares do mundo mais amados por mim é sem duvida São Paulo e nele, o Bairro da Liberdade, um verdadeiro pedaço do Japão e talvez da Ásia no Brasil. Dito isso, é claro que “Para Continuar” do Felipe Colbert chamou minha atenção desde o lançamento, ainda mais por sua capa fofa, cheia de lanternas orientais a perder de vista, linda capa que a Novo Conceito preparou nessa edição.


Detalhe: Nossa edição de Para Continuar veio autografada pelo autor. Obrigado Felipe Colbert, e obrigado Novo Conceito!
E assim como a capa, a história contada por Felipe Colbert também é super fofa. Nela conhecemos Leonardo e Ayako, dois jovens que se encontram no metro e passam em um ritmo considerável do flerte a paixão. No entanto, o que poderia ser normal deixa de ser, visto serem ambos detentores de segredos, o Leonardo é um cardiopata para o qual qualquer esforço ou susto maior pode levar a morte e a Ayako guarda no porão da loja onde mora e trabalha um pequeno universo paralelo onde lanternas brilham sem explicação das quais ela é uma guardiã.

Oscilando entre a narrativa em primeira pessoa, quando aborda a vida de Leonardo, e em terceira, quando aborda a vida de Ayako, o Felipe tece a história de amor desses dois. Uma história que mistura episódios simples, como o encontro do casal no Parque do Ibirapuera, e a magia representada pelas luzes em um texto de fácil leitura, bem escrito e cheio de referencias a cultura nipônica.



Para mim que sou apaixonada por cultura japonesa, como já disse, foi uma leitura agradável e poderia ser ainda mais, poderia ter sido excelente, no entanto, preciso conversar minha total falta de empatia com o Leonardo. Achei o rapaz mimado e as vezes mal agradecido em relação a imensa dedicação dos pais a ele devido a sua doença, além de ter brigado por uma bobagem com Penken, seu melhor amigo. Aliás, gostaria de ter visto mais do Penken, e até mesmo mais da Ayako na história.

Sou apaixonada por histórias que misturam fantasia e realidade, coisas improváveis e insólitas misturadas a praticidade tecnológica da vida moderna. Vi na presença fantástica das luzes no subsolo da loja das quais a Ayako é guardiã um enorme potencial, senti falta de uma explicação ancorada nas mitológicas orientais para elas, senti falta da magia. Achei que devia ter mais magia no relacionamento dos protagonistas, um pouco mais de fantasia.

Achei que o Felipe podia ter viajado mais na magia da situação, mergulhado mais em uma fantasia com notas orientais. Com a narrativa tranquila e equilibrada e sua capacidade peculiar para metáforas, o mergulho poderia ter sido maior e o resultado melhor.



Por fim, eu gostei do livro, mas como disse, senti que podia ter gostado mais. Em suma, o livro é bom, podia ter sido maravilhoso, mas foi bom. Claro, tudo o que digo aqui é questão de opinião, pessoas menos apegada a narrativas mitológicas e fantasia podem discordar de mim e eu vou aceitar a discordância.

Jaci Pandora

site: http://www.doqueeuleio.com.br/2016/03/amor-na-liberdade-para-continuar-do.html
comentários(0)comente



Livro e Neblina 31/01/2016

[LIVRO] Para Continuar - Felipe Colbert - Editora Novo Conceito
ineiros, tudo bem?

Deixa eu perguntar uma coisa para vocês.

Vocês são fãs da cultura oriental? Se a resposta for afirmativa, se preparem. A resenha de hoje é sobre um livro que irá conquistar seus corações pois a primorosa obra de Felipe Colbert, Para continuar, te leva a um mergulho cultural no mundo japonês. Nossa protagonista reside mais precisamente em Liberdade- SP, ou seja, na maior colônia japonesa do mundo depois do Japão e graças a isso a história é envolta de lugares, objetos e referências a maravilhosa cultura oriental.

Vem ver o Book trailer da obra!





Eu sou fissurada em luminárias! Não teria a mínima chance da capa não me ganhar e o sub-título já me deixou curiosa, então aproveitei o feriado para começar a leitura de Para Continuar.



Sinopse: Para continuar - Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.
Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.
A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.
O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.



Com o inicio do livro somos apresentados ao protagonista Leonardo. Ele é um garoto tranquilo, que possui um problema de saúde que limita razoavelmente sua vida, mas que conquista você. Sabe aquele personagem que você simpatiza? Você começa a ler e já sabe que ele é uma boa pessoa? É essa a impressão que Leonardo meu deu assim que a história começou. Léo vive sob os cuidados super protetivos de seus pais, visto o risco de vida que sua doença gera para o mesmo e isso fez com que eu me identificasse com ele. Filho único. Gente boa. Super protegido. Problemas cardíacos. É quase minha versão masculina, gente!

Um dia, no metrô, Leonardo avista uma garota oriental e imediatamente cria um interesse por ela. Neste momento conhecemos Ayako. Quando ela e o protagonista se aproximam, nós passamos a conhecer um pouco mais a vida de Ayako e nos encantamos por ela. Ela é uma boa garota. Forte e dedicada, não se cansa de trabalhar e ouvir toda a sabedoria que seu avô, seu Ojii-san, tem para lhe ensinar. Eles tem uma antiga loja de luminárias e juntos guardam um segredo: são guardiões de luminárias especiais que surgem junto com o amor entre duas pessoas e que não devem jamais serem tocadas ou isso pode causar danos irremediáveis ao sentimento das mesmas.

Ayako e seu avô são personagens que te conquistam. Eu conseguia me ver andando na pequena loja de luminárias de sua família durante a descrição no livro. Fico feliz em poder dizer que a escrita de Felipe Colbert é fantástica e te envolve completamente. Eu me sentia lá!

No ambiente familiar de Ayako também conhecemos Ho. Um rapaz com capacidades mentais limitadas que vive com Ayako por estar sob a tutela de seu avô e os ajuda na loja. Ho tem uma paixão platônica por Ayako e isso faz com que ele traga vários problemas para nossos protagonistas, inclusive colocando a vida dos dois em risco, justamente por Ho ter um primo envolvido no mundo da criminalidade, Kong, pra quem Ho sempre liga quando acha que precisa de ajuda.

Preciso destacar a grandiosidade da escrita do autor nos capítulos narrados sob o pensamento de Ho. O chinês tem problemas mentais e o autor não precisou deixar isso explícito em seu texto, nós leitores percebemos por seus pensamentos. Eu achei esplêndida a forma como Felipe Colbert nos mostrou isso. Muito bem trabalhado!

Agora outro ponto que merece ser mencionado é a forma como Leonardo aprende a viver, a se arriscar, quando decide conquistar Ayako durante o desenrolar da trama. Tudo acontece de forma leve, singela, e quando percebemos já estamos diante de um novo personagem, muito mais maduro do que o garoto que conhecemos no primeiro capítulo. Gosto de mudanças sutis. É como se nós leitores evoluíssemos junto com o personagem.

Durante a trama ainda somos apresentados ao maluco Penken, o melhor amigo de Leonardo. Malu, sua simpática ex-namorada e a seus preocupados Pais. Eu confesso que gostei de todos os personagens. Para continuar é aquele tipo de história onde é fácil visualizar quem é o mocinho e quem são os vilões, sabe? É uma trama que me viciou hoje e que eu sei que também capturaria minha atenção caso eu ainda estivesse na adolescência. A linguagem é fácil, os problemas abordados não. Alguns temas são bem sérios, como a grave doença do protagonista, mas isso não torna a história exclusivamente adulta, ela não é pesada demais. Pelo contrário é leve, fácil e simples! Faz muito tempo que não termino uma leitura tão rápido quanto terminei de ler Para Continuar e isso pra minha só torna a trama mais positiva, pois nem a senti acabar.

Fiquei aflita nos seus momentos finais, pois tinha receio de que algo grave tivesse acontecido a algum dos personagens e eles terminassem separados. Esse é um problema quando não conhecemos o tipo de escrita do autor. Nunca se sabe o que esperar. Será que ele gosta de finais arrebatadores? Será que ele gosta de matar os personagens? Será que ele vai dar para eles um final feliz bonitinho como tanto anseio? Leia vocês também e descubram, meus queridos neblineiros, mas garanto a vocês que eu adorei a forma como a história foi finalizada.

Este não é um livro de ação, é um livro sobre a vida e sobre o amor em sua forma mais simples e por isso eu o gostei tanto! A trama é completamente original e muito rica em detalhes culturais, o que considerei maravilhoso. O único ponto negativo que posso lhe atribuir é o fato da mesma ter acabado mais cedo do que eu gostaria! Eu me apego aos personagens e não gosto de sair de suas vidas ( sim, eu sou maluca desse jeito).

Se você se viciou na escrita do autor assim como eu, visite seu site felipecolbert.com.br e saiba mais sobre suas obras.


E ai, você já leu Para Continuar? Me conta o que achou!

Logo mais eu volto pra conversar sobre Fique forte com vocês. Beijão

site: http://www.livroeneblina.com/2015/10/livro-para-continuar.html Concluído
comentários(0)comente



LUA 24/01/2016

Missoshiru de ideias
Resenha originalmente publicada no Mundo de Tinta:
Olá Pessoal,
A resenha de hoje é sobre o novo livro do autor Felipe Colbert, que para quem não sabe é o editor do Selo Novas Páginas da Editora Novo Conceito.
Eu conheci o trabalho do Felipe através de Belleville (se você não leu, tem resenha no Mundo de Tinta) e achei a maneira como ele escreve tão encantadora que no lançamento de Para Continuar eu quis muito o livro, solicitei pela parceria com a Novo Conceito e o recebi autografado.
E eis que na Bienal do Rio 2016, surgiu uma nova oportunidade. Esbarrarei com o Felipe no stand da Novo Conceito que (diga-se de passagem estava lindíssimo) bati um papo com ele e ainda consegui uma foto e "completar" meu autógrafo.
Depois desse prólogo, onde vocês já devem ter percebido como sou fã dele, vamos a resenha do seu último livro.
"Quando o amor acontece, uma lanterna se acende"
Para Continuar nos conta a história de Leonardo César, o Léo, jovem estudante de Design e Ayako, uma jovem descendentes de japoneses que trabalha em uma loja de luminárias na Liberdade.
Um dia, Leonardo está no metrô e vê uma moça com traços orientais que chama sua atenção. Aquela beleza diferente, escondida sob um véu de cabelos negros e uma calma aparente acaba conquistando Leonardo e ele faz de tudo para se aproximar.Tenta um contato, mas como ela está escutando música não o ouve. Chega a estação a menina desce e ele que só conseguiu trocar duas palavras com ela, fica apenas observando ela se afastar.
Poderia ter sido uma paquera eventual, mas a verdade que Leonardo não a esquece, e memorizou tão bem a menina que chega a desenha-lá.
Então, por mais louco que seja, ele começa a percorrer todos os dias as estações do metrô afim de encontrá-la. (Leonardo não usa ainda o Happn) e consegue. Reencontra Ayako, mas como medo de uma aproximação tem a ideia de segui -la pelas ruas da Liberdade até que a vê entrar em uma loja de luminárias e já sabendo onde encontra-lá, Leonardo começa a se aproximar.
Ayako, é uma jovem de vida simples, que vive no segundo andar da loja de luminárias onde mora com seu Ojiisan(avô) e um rapaz de origem chinesa chamado Ho de quem o Ojiisan é tutor.
Mas nem tudo é tão comum, Ayako na verdade é uma guardiã de um porão de lanternas orientais que aparecem e desaparecem conforme segue a vida dos moradores da Liberdade.
O maior desejo de Ayako é que uma lanterna apareça para ela e quando Léo surge na sua vida, esse desejo está prestes a se realizar...
Eu não tenho outra palavra para descrever esse livro a não ser "fofo".
Embora eu não tenha falado na introdução, esse livro de um é do gênero sick lit, já que Leonardo tem um problema cardíaco congênito que limita algumas de ações e que torna a vida do jovem um pouco tediosa, até que encontra Ayako. Mas, diferente dos outros livros do gênero, ele não se resume a isso. É claro, que o autor explorou a doença de Léo e sua condição limitante para compor a estória e o personagem, sua relações com os pais e amigos, tanto que vem daí o peculiar título do livro, mas isso é só uma parte do todo. Não espere que por ser um sick lit, seja um livro choroso ou melancólico. Tenso, em algumas partes, mas não por conta da doença do Léo, mas de acontecimentos que poderão agravá-la.
Ambientado na Liberdade, o famoso bairro oriental de São Paulo, o livro mostra muitas referências a cultura oriental e suas tradições e nos traz também um pouco de magia na criação das lanternas com relação à seu surgimento e desaparecimento.
Juntando isso tudo, Felipe escreveu um livro de linguagem fácil, atual, jovem e que tem personagem que poderiam ser seus amigos.
Com dois narradores, o próprio Léo nas suas falas e um narrador nas partes de Ayako, a estória vai se sucedendo entre os dois personagem dando uma visão de como suas vidas são diferentes, mas que ao se unirem, acendem uma chama, da qual, eles terão que cuidar a vida toda.
A estória claro, não é só isso. Para manterem essa chama acesa, Ayako e Léo, passarão por algumas dificuldades, criadas por pessoas que também, na verdade, só querem que suas chamas não se extinguam.
Como é costume do autor, nem a doença de Léo, nem a cultura oriental e muito menos a fantasia são "jogados" no livro. A construção de toda a trama e tão bem feita e rica em detalhes, que nenhum leitor se sentirá perdido ao viajar por suas páginas. E eu confesso, que a falta de explicação é um dos motivos que constantemente me fazem abandonar os livros de fantasia. Sou uma leitora que gosta das coisas explicadas e costuradas, coisa que o Felipe faz com perfeição. Tanta que as 224 páginas da trama passaram correndo e quando vi em uma tarde tinha lido o livro.
Depois disso tudo, só posso dizer que mais uma vez, amei um livro do Felipe e mesmo com uma trama um pouco mais "densa" do que Belleville, esse livro me trouxe a sensação de paz e tranquilidade, tão comum aos ensinamentos de origem oriental.
Recomendo o livro a quem gosta de literatura jovem com um romance simples, mas bem orientado. A quem gosta de fantasia "romântica", conhecer novas culturas e a junção disso tudo.
" Também não sei qual o pedido que Ayako enviará para o céu quando nossos bilhetes se desfizerem em cinzas, mas desconfio que tem algo a ver com que nossa lanterna nunca se apague.Só que, creio que se for isso, ela desperdiçou um pedido."
No final,só posso desejar, assim como o Felipe me desejou, uma nova lanterna brilhe em sua vida e que ela não se apague.
Quer criar uma para você? A Novo Conceito criou um site para que você acenda uma lanterna na sua vida. É só acessar o , Para Continuar.
Até mais,
Veja outras resenhas no blog

site: http://blogmundodetinta.blogspot.com
comentários(0)comente



Thati 21/01/2016

Para deixar o dia a dia mais leve e romântico! ♥
“Para continuar” é o segundo livro do Felipe Colbert publicado pela Novo Conceito. Conta a história de Leonardo César, um jovem paulistano de 20 anos com um “coração defeituoso”. Trata-se de uma doença cardíaca de nome difícil, que impõe algumas restrições a Leo. Ele tem um melhor amigo, Penken; dois pais zelosos e preocupados; uma ex-namorada gente boa, Malu. É no metrô, a caminho da faculdade, que ele conhece Ayako. Uma jovem oriental capaz de dar um brilho à sua limitada (e talvez até tediosa) vida. Ela trabalha numa loja de luminárias na Liberdade, com seu ojiisan (avô em japonês) e Ho, um jovem com problemas mentais que não sabemos ao certo.

Leonardo é bem stalker no início, e se estivéssemos falando do Raphael Montes, eu com certeza ficaria apreensiva desde a primeira página. Não é o caso aqui. O protagonista é realmente um cara como qualquer outro. Ele se apaixona por Ayako logo de cara, que, felizmente, também se apaixona por ele. Mas tem Ho, que também é apaixonado por Ayako e lidar com ele pode ser bastante complicado, considerando suas limitações. Além desse inusitado triângulo amoroso, “Para Continuar” também tem um pouco de mistério e magia em relação ao porão da loja de luminárias. Algumas outras tensões surgem ao longo da trama, mas deixo isso por conta de vocês!

"Quando finalmente adormeço, recarrego minha esperança no mundo dos sonhos e busco nele a coragem que me falta para encarar o mundo dos vivos."

Felipe tem uma boa escrita... Limpa, fluida e acessível. Esse, para mim, é o ponto mais positivo da trama. Sua forma de escrever também é intimista... Tive a sensação de que a história de Leonardo me estava sendo contada por um amigo ou coisa assim. Gostei muito da capa... É bonita, delicada, única e ao mesmo tempo comercial. A diagramação está ótima. As lanternas no início de cada capítulo são um charme extra! Os personagens são bons também... Os meus preferidos foram, sem dúvidas, os pais do protagonista, que vivem um relacionamento muito bonito, apesar da preocupação com o filho e dos obstáculos que encontram pelo caminho. Contrariando alguns, também gostei da Malu... Foi empatia imediata e eu me peguei torcendo por ela ao longo das páginas.

“Para Continuar” é um romance do dia a dia, que pode acontecer com qualquer um de nós quando menos esperamos. É bonito, delicado e traz consigo um agradável toque de magia. É ideal para quem procura uma leitura capaz de tornar o cotidiano ainda mais leve e romântico.


site: http://www.nemteconto.org/#!RESENHA-PARA-CONTINUAR-FELIPE-COLBERT/cmbz/569e5bea0cf2ca1e5ff68fe0
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4