Sussurros do País das Maravilhas

Sussurros do País das Maravilhas A.G. Howard




Resenhas - Sussurros do País das Maravilhas


25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Gabyh 10/05/2018

"Vi vislumbres de você olhando para trás para ter certeza de que eu não caí. Seus olhos eram da cor da liberdade. Ou do meu futuro. Eles eram tão cheios de dor, de determinação. E de força."

O livro é composto de três contos, dois inéditos e um já conhecido que já até foi resenhado aqui no blog que é o A Mariposa no Espelho. Antes de começar a falar do livro em si, já fique avisado, essa resenha tem spoilers da série, então se não leu e não quer spoilers fuja por enquanto e volte depois.

"Você e eu fomos destinados a fazer parte do país das Maravilhas. Não importa os caminhos que escolhemos. Fomos pegos naquela teia assim que nascemos. O que significa que era inevitável que nossa filha tivesse o mesmo destino e que o papel dela fosse maior que o nosso."

O primeiro conto do livro é onde conhecemos um pouco mais sobre como foi a vida de Alisson antes dela se envolver com Morfeu e um pouco do passado de Thomas antes de cair na teia da Irmã Dois. Esse conto nos mostra um pouco mais sobre a família de Alyssa como um todo, e que todas as complicações que ela viu no decorrer de sua vida, tem muito mais coisas envolvidas. Nem tudo é tão simples como parece.

"Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver."

Podemos ver que Alyssa voltou para a sua vida normal, ou ao menos para a vida fora do país das maravilhas, e Morfeu está em busca de algo que possa ajudá-lo a reconquistar a protagonista, por esse motivo ele resolve conhecer um pouco melhor o seu 'inimigo' Jebediah para descobrir seus pontos fracos e conhecer seus mais profundos medos.

Jeb não é o tipo de personagem que cativou muitos leitores, na verdade ele é o que fez o livro ser chato pra muita gente, vejo nesse conto uma forma da autora de tentar mostrar como o amor dele por Alyssa é grande, a fim de conquistar fãs para o personagem, mas ainda sim não convenceu.

"- Você sempre soube – digo, acariciando seu rosto. – Você sabia que as coisas acabariam assim.
– Claro que sim. Mágica não é uma coisa esplêndida?"

Talvez o último conto seja o mais marcante dos três, que é onde vemos de fato um pouco da vida de Alyssa depois de tudo o que aconteceu nos três livros da série. Depois do terceiro livro como a maioria dos leitores eu fiquei imaginando como foi a vida de Alyssa e Jeb depois de tudo o que eles viveram ali no país das maravilhas.

Alyssa e Jeb casaram, tiveram filhos, e uma família feliz, e viveram tudo o que uma pessoa pode desejar, até o momento em que Jeb deu seu último suspiro, não demorou muito mais para que Alyssa voltasse ao país das maravilhas, afinal, esse havia sido o acordo e ela sabia que ela deveria voltar e assumir o seu lugar como rainha e passar a eternidade ao lado de Morfeu.

"A cena se estendeu e ficou turva enquanto Morfeu era arrastado para fora das lembranças de Jebediah e depositado de volta na chaise-longue. A escuridão deixava a sala pesada, mas ele nem se mexeu para ligar a luminária. O cenário completamente enegrecido parecia combinar com os pensamentos obscuros que lhe cruzavam a mente."

O livro segue com o mesmo trabalho de diagramação incrível que a Novo Conceito aplicou para todos os outros livros, uma capa maravilhosa que já te ganha aí.

"Ela poderia facilmente usar seus poderes para se libertar. Mas aí é que está. Não quer se livrar dele. Nunca quis. Ele é seu parceiro humano, em todos os sentidos. Ela e eu conversamos sobre o que significa a imortalidade... sobre como vai ser difícil quando ele tiver morrido e ela continuar viva."
comentários(0)comente



Julia G 03/04/2018

Sussurros do País das Maravilhas
Adoro uma boa trama de fantasia, principalmente quando o enredo é repleto de reviravoltas, e a série Splintered, de A. G. Howard, me fisgou para a leitura exatamente por esse motivo. Além disso, se trata de uma releitura de Alice no País das Maravilhas, e conseguiu manter a essência da história, ao mesmo tempo em que inovou bastante.

Li Qualquer outro lugar, último livro da série, há aproximadamente um ano, mas senti que a trama tinha terminado de uma forma tão redondinha que fiquei com receio de ler os contos de Sussurros do País das Maravilhas. Porém, logo que comecei a ler esse volume extra, mergulhei de volta no universo complexo criado por Howard e percebi que os contos tornaram a história ainda mais perfeita, por detalhar alguns trechos que não puderam ser aprofundados na trama principal.

O primeiro conto, O menino da teia, é narrado em primeira pessoa por Alisson, mãe de Alyssa, e se passa em um momento posterior ao fim da trilogia, mas resgata lembranças de sua passagem pelo País das Maravilhas, quando libertou Thomas das garras da Irmã Dois. Além disso, algumas memórias de Thomas também são visitadas, e finalmente é possível compreender como ele foi parar no jardim da Irmã Dois. Gostei bastante de conhecer Thomas e Alisson por seus próprios pontos de vista, completou as imagens que eu havia feito deles.

A Mariposa no Espelho é um conto que se passa entre o primeiro livro da série e o segundo e é narrado pelo ponto de vista de Morfeu. Por outro lado, considerando que o "mariposão" revisita memórias de Jeb, em alguns trechos também é possível ver os acontecimentos pelos olhos do humano. É divertido ver o contraponto entre a honra e a lealdade de Jeb frente a persistência e ardilosidade do intraterreno; eles são totalmente diferentes, mas são suas diferenças que os fazem especiais a seu modo. Embora não traga grandes novidades em relação a O lado mais sombrio, o conto permite conhecer melhor como pensam os dois homens e como eles enxergam Alyssa.

Por fim, meu conto favorito foi Seis coisas impossíveis. Se alguém ainda não leu os livros e pretende ler, sugiro pular esse parágrafo, pois o conto está intimamente ligado ao final de Qualquer Outro Lugar. Na verdade, é como se o final da série fosse destrinchado nesse conto; tudo o que foi resumido lá, está aqui em detalhes. O ponto principal do conto são as vidas de Alyssa após quase ter seu coração partido em dois e deixar o País das Maravilhas para viver sua humanidade e, mais tarde, seu retorno como rainha intraterrena. Amei poder rever meus personagens tão queridos em seus merecidos finais felizes; ri e chorei com diversas passagens e senti que, de fato, valeu a pena.

Por isso, embora tenha pensado que o livro de contos fosse apenas mais do mesmo, na verdade fiquei feliz de ter lido. Os contos completam o enredo original de uma maneira linda, por trazer exatamente aquilo que faltava.

site: https://conjuntodaobra.blogspot.com.br/2018/03/sussurros-do-pais-das-maravilhas-g.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Núbia Esther 10/11/2017

Não há dúvidas de que a trilogia repleta de seres insanos, dramas familiares e romance criada por Howard angariou muitos fãs. E, como boa fã daqueles que a inspiraram nessa jornada (Lewis Carroll e Tim Burton) e motivada por seu apego aos personagens que criou Howard não conseguiu dar um adeus definitivo ao País das Maravilhas em Qualquer Outro Lugar. Ainda havia histórias sussurrando em seu ouvido para serem libertadas. Revisitando detalhes do início, do meio e do fim dessa história, Howard nos fornece mais informações sobre alguns personagens importantes da trama e traz um conto que merecia ter entrado como epílogo no último volume da trilogia.

São três contos:

O Menino da Teia traz a história de Alison e Thomas, os pais de Alyssa. O conto começa no futuro, pós-acontecimentos de Qualquer Outro Lugar e aqui, temos a chance de saber o que Alison vivenciou ao assistir a filha ser enredada nos planos de Morfeu e como tudo poderia ter sido diferente se outras escolhas tivessem sido feitas. E, então voltamos no 26 anos no tempo para reencontrar a Alison ainda criança, quando os insetos começaram a sussurrar para ele, Morfeu se revelou e ela foi parar no País das Maravilhas onde encontrou Thomas e o salvou das garras da Irmã Dois. As escolhas feitas nessa época por Alison determinaram o futuro de Alyssa, pelo qual ela ainda não havia se perdoado. O Menino na Teia é justamente isso, um conto de reconciliação de Alison com seu passado e suas escolhas e alguns detalhes de seu relacionamento com Thomas.

A Mariposa no Espelho é um conto bastante conhecido pelos leitores brasileiros da trilogia já que a Novo Conceito o publicou em formato de e-book pouco antes do lançamento do segundo livro. Confira a resenha do conto aqui. Ele narra a passagem de Morfeu pelo trem das memórias perdidas em busca das memórias perdidas de Jeb. Sua jornada para tentar entender porque Alyssa preferiu Jeb a ele e quem sabe, conquistar o coração da garota de vez. Foi uma experiência que sem dúvidas o modificou, e, ter lido o conto antes do segundo livro foi essencial para que a leitura de Atrás do Espelho tenha sido muito melhor aproveitada.

Seis Coisas Impossíveis é o epílogo que faltou em Qualquer Outro Lugar. Está intimamente relacionado à escolha de Alyssa depois que o País das Maravilhas foi salvo, e traz muito do que ela viveu desde então. É um conto para matar saudade de personagens queridos, suspirar e se emocionar com as chegadas, despedidas e reencontros que os meandros escolhidos por Howard proporcionaram. É com este conto que ela comprova que a sua escolha de final não poderia ter sido diferente.

Sussurros do País das Maravilhas é um livro dedicado aos fãs da série e tenho certeza de que eles gostarão muito (me incluo aqui) desse último presente deixado por Howard.

[Blablabla Aleatório]

site: https://blablablaaleatorio.com/2017/11/07/sussurros-do-pais-das-maravilhas-a-g-howard/
comentários(0)comente



Fabi | @psamoleitura 18/08/2017

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
"Sussurros do país das maravilhas" é um presente para os fãs da trilogia ↬ O Lado Mais Sombrio ↫. Esse livro é um spin-off e é separado em três contos:

↬ O Menino da Teia: nesse conto vamos saber um pouco mais sobre o passado dos pais de Alyssa - Alison e Thomas. Ele vai relatar como eles foram parar no país das maravilhas e como isso afetou suas vidas.

Foi o conto que mais gostei. É tão bom saber como tudo começou com o passado da sua família e faz com que você entenda melhor a forma como Alyssa foi envolvida nesse mundo.

↬ A Mariposa no Espelho: já no segundo conto é perceptível o desespero de Morfeu para entender os sentimentos de Alyssa e todas as suas memórias são relatadas.

Esse conto se passa após o final ↬ Atrás do Espelho ↫. Para quem conhece a trilogia irá entender que não é apenas nostalgia de Morfeu e sim algumas táticas.

↬ Seis Coisas Impossíveis: nesse último conto é o que acontece depois do ocorrido em ↬ Qualquer Outro Lugar ↫. Após a escolha de Alyssa, o que será que acontece depois?

Confesso que fiquei embasbacada com esse último conto! Eu não esperava que tudo terminasse dessa forma, com esse desfecho. Esperava um final diferente desse mundo das Maravilhas. Sim, foi uma surpresa e tanto!

Assim como os livros anteriores, eu gostei de "sussurros do país das maravilhas", mas está longe de ser um dos meus livros favoritos. Gosto bastante de fantasia, mas talvez por ser uma releitura de Alice o livro não tenha me conquistado tanto.

Porém, como citado no começo dessa resenha, eu fui surpreendida com os contos e com os acontecimentos. Conhecer um pouco mais sobre a vida de Alyssa durante a infância, na sua vida adulta e até mesmo quando tudo começou antes de seu nascimento, fez que eu compreendesse melhor alguns ocorridos durante a trilogia.

Então esse livro é mais do que recomendado para os fãs da trilogia. Se eu que gostei da trilogia e não sou fã fiquei surpresa com os relatos, imagina quem ama?! Vocês irão ficar chocados com os acontecimentos. Preparem-se!

site: http://psamoleitura.blogspot.com.br/2017/08/resenha-sussurros-do-pais-das-maravilhas.html
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 09/08/2017

Resenha feita pela Sabrina do Blog Gordinha Assumida
Desde que terminei ‘Qualquer Outro Lugar’ estava esperando desesperadamente esse livro de contos, afinal essa é uma das minhas séries mais queridas e ter que dar adeus à esses personagens tão apaixonantes é triste.

Desequilíbrio dera desequilíbrio. O caos é o que restabelece o qeuilíbrio. Haverá repercursões. Você não pertence mais a este lugar. É melhor assim. Você está destinada a muito mais do que este mundo tem a oferecer. Assuma a responsabilidade. O poder é o único caminho para a felicidade, e posso ajudá-la a conquistá-lo. Meu nome é Morfeu. Encontre um espelho e me chame quando estiver pronta para viver o seu destino.


Sussurros do País das Maravilhas trás três contos da série Splintered, são dois contos inéditos com cenas após o terceiro livro e o conto A Mariposa No Espelho, que já foi publicado gratuitamente na Amazon e acontece entre o primeiro e segundo livro. Antes de começar tenho que dizer que essa resenha terá spoilers dos livros da série Splintered, afinal não tem como falar dos contos sem comentar sobre o que aconteceu no último livro.

O primeiro conto do livro é O Menino da Teia, e foi o segundo conto que mais gostei de ler (e que mais marquei quotes hahaha). Nele vamos conferir como foi a vida de Alisson – a mãe de Alyssa – antes de se envolver com Morfeu e também um pouco do passado de Thomas – pai da Alyssa antes de cair na teia da Irmã Dois. É um conto bem nostálgico que ao mostrar o passado dos pais da protagonistas consegue explicar ao leitor o quanto a vida deles já estava entrelaçada ao País das Maravilhas antes mesmo de nascerem, antes mesmo de Alyssa entrar na toca do coelho e passar pelos testes para ser a Rainha.

"Vi vislumbres de você olhando para trás para ter certeza de que eu não caí. Seus olhos eram da cor da liberdade. Ou do meu futuro. Eles eram tão cheios de dor, de determinação. E de força."


O segundo conto é A Mariposa no Espelho, e por ser um conto que eu já havia lido foi o que menos gostei, mas ainda assim adorei rever essa cena tão especial com Morfeu, com ele tentando entender o que Jeb tinha de tão especial que fazia Alyssa ter tamanha devoção por um humano. É um ótimo conto para entendermos as ações de Morfeu no segundo livro e também os sentimentos de Jeb pela Al.

RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: https://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2017/08/resenha-sussurros-do-pais-das.html
comentários(0)comente



Blog Stalker Literária 19/06/2017

Vida longa à Rainha Alyssa. Que você seja para sempre jovem, louca e livre.
Ano passado finalizei Qualquer outro lugar com uma vontade louca de reler a série, afinal a autora conseguiu dar um desfecho á história que acredito que nenhum fã esperava, então só nos restou aguardar o livro de contos para saber um pouquinho mais das ‘consequências’ desse desfecho na vida dos nossos personagens tão queridos.

Então, antes de começar a falar um pouquinho mais pra vocês sobre esse livro maravilhoso devo avisar que a resenha contém spoilers do livro Qualquer Outro Lugar.

O livro trará três contos envolvendo as histórias desses três personagens: Alyssa, Jeb e Morfeu, um dos contos a gente já conhece A Mariposa no espelho, pois a editora disponibilizou ele gratuitamente lá na Amazon, já os outros dois são inéditos e vão explicar muitas coisas na história e também complementar com uma espiadinha do que foi a vida de Al depois que ela fez a sua escolha.

O primeiro conto do livro é O Menino da Teia, aqui o foco da narrativa é em Alison e Thomas, os pais de Alyssa. Vamos conhecer um pouco mais do passado deles e como eles acabaram ‘caindo’ no País das Maravilhas e como isso afetou as suas vidas, para o bem e para o ‘caos’. É um conto nostálgico e que explica muito do passado de Thomas para aliviar um pouco a culpa que Alison carrega por todas as escolhas que ela fez e que acabaram repercutindo em suas vidas de maneiras desastrosas, e acabaram levando Alyssa para aquele mundo sem ter muitas escolhas.

Esse conto ficou em segundo lugar no meu coração, a autora conseguiu nos conectar muito bem com os pais da Al e podemos espiar um pouquinho como está a vida deles após o final do terceiro livro, toda a sincronia que conseguiram adquirir em aceitar o lado intraterreno da filha.


“Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver.”

O segundo conto é A Mariposa no Espelho, e eu já havia lido ele então não foi muita novidade pra mim, mas ainda assim foi gostoso relembrar o quanto Morfeu estava desesperado para entender os sentimentos de Jeb pela Alyssa para então poder conquistá-la da melhor forma. Esse conto diferente dos outros dois deste livro acontece seis meses após O Lado Mais Sombrio, primeiro livro da série, e se lido na ordem correta – antes de Atrás do Espelho – o leitor irá se identificar mais com Morfeu e toda a loucura que ele causa naquele livro, entendendo todo seu desespero para conquistar Alyssa.


“Você e eu fomos destinados a fazer parte do país das Maravilhas. Não importa os caminhos que escolhemos. Fomos pegos naquela teia assim que nascemos. O que significa que era inevitável que nossa filha tivesse o mesmo destino e que o papel dela fosse maior que o nosso.”

Agora Seis Coisas Impossíveis era o conto que eu estava mais desesperada pra ler, afinal ele é realmente o que aconteceu após Alyssa escolher viver sua vida de humana com Jeb plenamente e só voltar pra Morfeu quando ela já estivesse velhinha e tivesse vivido tudo que desejou.

O conto é bem longo, e dividido entre os momentos com Jeb e Morfeu, vamos ver os melhores momentos de sua vida humana, casamento, filhos… Momentos especiais que marcaram a sua vida e que vão estar para sempre em suas lembranças, afinal quando ela voltar ao País das Maravilhas terá a mesma idade com qual foi coroada, 16 anos. Foi lindo espiar essas lembranças com Jeb, porque por mais que eu não gostasse plenamente dele e fosse #TeamMorfeu nos três livros eu entendia o sentimento da Al por ele, e ver que ela conseguiu levar uma vida mortal normal sem a interferência da loucura do País das Maravilhas foi emocionante.

Mas, é claro que a melhor parte é quando ela finalmente volta para Morfeu. Gente, ele esperou 64 anos sem nunca tentar nada que prejudicasse o relacionamento de Alyssa com o Jeb. Ele treinou ela noite após noite em seus sonhos, ensinou tudo que ela precisava para ser a melhor rainha para seu reino de caos e loucura, e a volta dela é uma cena especial e que rende muitas lágrimas e suspiros apaixonantes.


“Não posso estar no mesmo mundo que ele todos os dias sem tê-lo na minha vida. Nós nos amamos. Nós dois queremos a mesma coisa. Vamos dividir esses sonhos e envelhecer juntos. Uma vida mortal é preciosa e curta em comparação à eternidade. Ela deve ser vivida e nunca desperdiçada.”

As cenas dos dois são lindas, ver a profecia se realizando então deu uma sensação muito boa e reconfortante ao meu coração, e imagino que nos de todos leitores que amam a série também. É lindo a devoção que ele tem por ela, é lindo ver os dois trocando alfinetadas por diversão, é lindo ver o lado louco de Alyssa completo e livre naquele lugar que é sua casa. Não tem como explicar muito pra vocês todos os sentimentos que a autora consegue despertar no coração do leitor com esse conto, mas posso garantir que não tem como não amar, seja você #TeamJeb ou #TeamMorfeu.

Após finalizar esse conto, tudo que restou em mim foi saudade, já que há quatro anos conheci esse País das maravilhas dark e cheio de loucura, me apaixonei perdidamente por esses personagens tão insanos e ‘normais’ que ao finalizar essa série agora pra valer eu só posso agradecer a autora por ter feito essa releitura tão incrível e épica.

A série Splintered é algo completamente fora do normal e completamente apaixonante desde a primeira página, desde as capas maravilhosas e a narrativa tão fluida mesmo com tanta loucura. Você se apaixona pelos personagens logo no primeiro instante, e sua devoção é testada a cada livro, a cada página você se apaixona mais por essa versão crazy do Pais das Maravilhas e quer entrar pela toca do coelho também e viver todas essas aventuras.

Sussurros do Pais das Maravilhas é verdadeiramente um presente da autora para os fãs que se apaixonaram perdidamente pelo universo que ela criou, são histórias que vão deixar você suspirando de emoção e com lágrimas nos olhos pelos finais tão perfeitos e fechadinhos que ela criou com essas suas histórias extras. Você vai terminar esse livro com vontade de reler todos os anteriores, com vontade de ter um Morfeu (ou um Jeb) na sua vida também, e principalmente com vontade de ser um parente perdido dos Liddell para um dia ser chamada para tamanha aventura também.


“Vida longa à Rainha Alyssa. Que você seja para sempre jovem, louca e livre.”


site: http://www.gordinhaassumida.com.br/2017/06/resenha-sussurros-do-pais-das.html#axzz4kMQAi1u2
comentários(0)comente



Gabriele Sachinski 17/06/2017

Resenha do Blog Entre páginas e Sonhos
Atenção! Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores

Gente do céu! Preciso confessar a vocês que meu coração encontra-se partido pelo fim dessa série sensacional que eu amo de paixão. É claro que eu sei que não há nenhuma forma de prossegui-la, até mesmo porque o que me conquistou mesmo nessa série foi o Jeb, e como o encontraremos nesse livro com 80 anos, não tem sentido algum continuar sem ele, mas mesmo assim o coração dói um pouquinho.
Sussurros no País das Maravilhas traz algumas cenas que ficaram abertas a nossa imaginação em ‘O lado mais sombrio’ e ‘Qualquer outro lugar’, os livros 2 e 3, respectivamente, da série Splintered. Agora temos apenas três contos e em cada um deles nos apaixonamos ainda mais por essa releitura fantástica da história de ‘Alice no País das Maravilhas’ criada por essa rainha, a linda A. G. Howard (incrível como as iniciais da autora batem com as de Alyssa depois de casada com Jeb – Alyssa Gardner Holt).
No primeiro conto, O Menino da Teia, temos um vislumbre da vida dos casais (Al e Jeb, Alison e Thomas, Jen e Corb) depois do retorno de todos ao reino humano – portanto, essa história estaria logo após o fim do livro 3, ‘Qualquer outro lugar’. O foco desse conto é a vida de Alison e Thomas, os pais de Al, e alterna entre o presente e o passado.
Enquanto espera para sair para jantar com Thomas, Alison relembra momentos de sua infância como órfã, seus primeiros contatos com Morfeu, como encontrou o caminho até a toca do coelho, como enfrentou os desafios pela coroa do País das Maravilhas e como desistiu dela pelo menino que salvou da Irmã Dois. Antes de irem ao restaurante, Thomas leva sua esposa para uma visita ao trem das memórias, a fim de darem um passeio pela história dele, desde sua infância até o momento em que ela o salvou. É muito interessante a forma como Howard constrói os sentimentos de Alison, tão real que chegamos a sentir as mesmas coisas que ela: nostalgia, culpa, medo, amor e libertação.
O segundo conto, A mariposa no espelho, seria uma espécie de 2.5, pois a história se passa logo após o término do segundo livro, Atrás do Espelho, e antes do terceiro. Nesse conto, acompanhamos Morfeu até o trem das memórias para que ele observe as lembranças de Jeb – o que não passa de uma tática do Mariposão para descobrir meios de fazer Alyssa escolher a ele e não a Jeb.
A intenção de Morfeu ao especular as memórias do ‘pseudoelfo’ não é nada nobre, porém ele acaba abalado no final. Depois de mergulhar na mente de Jeb, ele descobre que nosso cavalheiro possui um grande senso de honra e um amor maior ainda por Al, capaz até mesmo de dar sua vida por ela sem pensar duas vezes – o que o torna muito mais digno do amor de Alyssa do que a Mariposa manipuladora.

“O romance não era uma coisa justa. Não era um jogo. Era guerra. E, como em qualquer outro campo de batalha, não lhe cabiam a compaixão e a misericórdia.” (pág. 121)

Começamos a leitura do conto ‘Seis Coisas Impossíveis’ com Alyssa morta. Ou quase. Aqui conhecemos o fim definitivo da série e temos alguns vislumbres de cenas que só existiam em nossa imaginação: as 24 horas que Al concedeu a Morfeu antes de sua volta definitiva ao reino humano, o casamento e a família maravilhosa que ela construiu com Jeb, os sonhos passados ao lado de Morfeu e a perda daqueles que Alyssa mais amou na vida. Tudo isso e um pouco mais até o momento em que ela decide acabar com sua existência humana e assumir seu lugar como rainha no mundo intraterreno.
Após a ‘morte’ de Al, a qual, por descuido, quase se tornou verdadeira, ela assume o trono no País das Maravilhas e o seu lugar ao lado de Morfeu – tá legal, aqui até eu meio que me apaixonei pela Mariposa, mas meu coração ainda é do Jeb

site: http://www.entrepaginasesonhos.com.br/2017/04/resenha-do-livro-sussurros-do-pais-das.html
comentários(0)comente



Lanny 03/06/2017

Muito Morfeu pro meu gosto
Os dois primeiros contos foram ótimos, mas o terceiro só foi bom enquanto preencheu as lacunas da vida de Jeb e Alyssa, quando passou a exaltar aquele baratão nojento eu quase não acabo de tão entendiada e enojada que eu fiquei.
comentários(0)comente



Michelle Trevisani 02/05/2017

Um último passeio no país das maravilhas
Olá galera, tudo legal com vocês? Hoje a resenha que trago é do Spin-off da trilogia O lado mais sombrio. O livro Sussurros do País das Maravilhas foi publicado pela editora Novo Conceito neste ano de 2017, depois de muitos pedidos dos fãs da série. Eu achei super legal a editora ter atendido a estes pedidos, porque para quem é fã da série, este livro traz elementos essenciais para perguntas que não foram respondidas nos três primeiros livros da série.

Para quem ainda não leu os primeiros livros, recomendo que leiam antes de ler este. Porque se fizerem diferente, talvez alguns elementos fiquem no ar.

O primeiro conto, O menino da teia, vai nos mostrar a vida de Alisson, mãe de Alyssa, antes do primeiro livro, seu contato com o País das Maravilhas, num processo de ajuda do pai de Alyssa a fazer com que Alisson não se arrependa das escolhas que fez. Thomas tem o papel de ajudar a sua esposa (através de uma viagem pelo Trem da Memória) a enxergar de uma outra forma o que acreditou sempre ser uma maldição, bem como seu primeiro contato com Morfeu e com as coisas mágicas que aconteceram enquanto ainda era jovem. Essa perspectiva, pelo olhar da mãe de Alyssa foi crucial para entendermos vários trechos do primeiro e segundo livro que ficaram vagos, e nos fazem gostar ainda mais da mãe de Alyssa e também aprovar suas escolhas. Foi bem gostoso de acompanhar este conto, pois nos aproximamos dos pais de Alyssa, e olhar através dos olhos deles o amor que sentem um pelo outro foi muito tocante. Quando eu li o primeiro livro da séria tinha ficado muito magoada com o papel que Alisson havia desempenhado, e este conto me mostrou o porque das escolhas feitas e que muita renegação veio por conta do amor que Alisson sentia por Thomas e por sua filha, a Alyssa.

Leia o restante da resenha lá no blog: Livro Doce Livro

site: http://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/2017/05/resenha-sussurros-do-pais-das-maravilhas.html
comentários(0)comente



Silvana 01/05/2017

E estamos de volta ao mundo mágico do País das Maravilhas. Só que dessa vez não temos uma continuação da história já conhecida, mas sim três contos que se passam antes, durante e depois, não necessariamente nessa ordem. Mas antes de tudo preciso falar dessa edição perfeita do livro. Depois de três capas simplesmente maravilhosas, eu achava impossível ver alguma que superasse elas, mas aconteceu. Essa foi a melhor de todas na minha opinião. E com o capricho da editora, dá até gosto de ter os livros na estante. Eu até pego os livros na mão e fico admirando eles hehe.

O primeiro conto é O Menino da Teia. Ele é na visão da Alison, mãe da Alyssa. Em primeiro lugar temos um vislumbre do depois e podemos matar um pouco a saudade de Alyssa e Jeb. Podemos ver como eles estão no mundo real, no período em que Alyssa viveu sua vida humana. Eles estão em um treino/brincadeira e logo depois vemos Alison se preparando para sair com seu marido há vinte anos já, Thomas. Então enquanto espera Thomas se arrumar, Alison começa a se lembrar de como se envolveu com o País das Maravilhas. Do dia em que conheceu Morfeu e como ele atiçou sua curiosidade e ela acabou no País das Maravilhas para cumprir um propósito para o qual ela não estava preparada.

Já em A Mariposa no Espelho temos um conto na visão de Morfeu. Ele acontece durante o primeiro livro e vamos ter uma visão de algumas situações que aconteceu com o Jeb. Ele não se conforma de Alyssa escolher Jebediah e por isso tem a ideia de visitar suas memórias para saber o que ele tem que encantou tanto Alyssa a ponto dela deixar ele e o mundo intraterreno para trás. Ele bem que poderia matar Jeb, mas ele sabe que Alyssa jamais o perdoaria por isso. Só que ele não estava preparado para sentir as coisas como se fosse realmente um humano.

E no terceiro e ultimo conto Seis Coisas Impossíveis, temos a visão da Alyssa novamente. Ele começa com Alyssa já aos 80 anos se preparando para deixar a sua vida de humana e começar sua vida como Rainha no País da Maravilhas. Ela só vai levar três lembranças da sua vida como humana, três garrafas de vidro decoradas: a primeira cheia de pedrinhas, a segunda com conchas e a terceira com um pó prateado. E antes de entrar na toca do coelho ela trás à memória o que cada uma daquelas garrafas significa para ela. E também temos um vislumbre de sua vida futura como rainha ao lado de Morfeu no País das Maravilhas.

Esse livro é para quem leu a trilogia Spintered. Quando fiquei sabendo sobre o livro achei que teríamos cenas que já aconteceram, mas que fossem na visão de outras pessoas já que a trilogia é na visão da Alysson. Mas me enganei. Temos somente cenas inéditas. Mesmo as que acontecem no passado, são cenas que só ouvimos falar na trilogia original. E foram coisas que eu fiquei imaginando como teria acontecido e agora pude ler como realmente aconteceu, como o casamento de Alyssa por exemplo. E as cenas são de derreter o coração dos fãs. A autora conseguiu se superar e escrever algo tão mágico que eu ficava aqui deslumbrada só de imaginar o que estava lendo.

O segundo conto, A Mariposa no Espelho eu já tinha lido algumas resenhas dele e nelas eu li que quem não gostava do Morfeu ia se apaixonar por ele no conto. Mas comigo aconteceu o contrário, me apaixonei ainda mais pelo Jeb. Já o Morfeu me deu nos nervos boa parte do livro, a exemplo do que já tinha acontecido durante a trilogia, mas tem algumas horas que ele é tão charmoso que não tem como não amá-lo. Eita relação de amor e ódio hehe. Já o Jeb apesar de ter aparecido menos que o Morfeu, ainda é meu queridinho. Alyssa apesar de estar em todos os contos, não foi a grande protagonista da história, ela dividiu o palco com seus pais e com seus namorados hehe.

E o conto que eu mais gostei foram todos eles. Não tem como não escolher um já que todos eles foram essenciais para o desfecho dessa história e todos eles tiveram um pedacinho desse mundo mágico e sombrio recriado pela autora. Indico então com certeza para todos os que leram a trilogia e amaram e para quem achou que ficou faltando alguma coisa. Agora não falta mais.

site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2017/04/resenha-sussurros-do-pais-das.html
comentários(0)comente



Duda 26/04/2017

Sussurros do País das Maravilhas, de A. G. Howard
O Menino Da Teia - O conto se passa antes de O Lado Mais Sombrio, primeiro volume da trilogia, é narrado por Alison, mãe de Alyssa, e nos mostra como ela conheceu Morfeu e Thomas, seu marido, e também como era a vida dele antes do encontro dos dois.

A Mariposa No Espelho - Os acontecimentos desse segundo conto se passam entre o primeiro e segundo livros, e nos narra o momento em que Morfeu entra nas memórias de Jeb para achar um ponto fraco que possa usar a seu favor, e como ele acaba se surpreendendo com o que encontra.

Seis Coisas Impossíveis - Nele vamos acompanhar a vida de Alyssa com o Jeb depois do desfecho da trilogia e também sua volta para o país das maravilhas e tudo o que acontece depois disso.

Sobre Minha Experiencia de Leitura: A trilogia Splintered toda me surpreendeu muito, toda a historia do Pais das Maravilhas reinventada pela A. G. Howard foi incrível do começo ao fim. O livro Sussurros do Pais das Maravilhas, só veio para deixar minha experiencia com essa trilogia muito mais completa e me prender ainda mais a esse universo tão rico e diferente.

Resenha Completa Em:

site: http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2017/04/sussurros-do-pais-das-maravilhas-de-g.html
comentários(0)comente



Bruna.Batista 24/04/2017

Futuros
Pequenas história da vida de Alyssa e Jeb até suas mortes. O conto da mariposa no espelho, onde Morfeu visita memórias de Jeb. E o terceiro e melhor dos três, a vida da rainha Alyssa, sue rei Morfeu e sue pequeno príncipe Muso. Tudo muito belo e envolvente quanto os livros da trilogia.
comentários(0)comente



Catrine Vieira 22/04/2017

Realmente, mágicos e inesquecíveis!
No ano passado li a trilogia Splintered, composta por O Lado Mais Sombrio, Atrás do Espelho e Qualquer outro lugar, e fui completamente absorvida para dentro da história da tataraneta de Alice. Então, pouco tempo depois do lançamento de Sussurros do País das Maravilhas, corri para lê-lo, embora a resenha esteja saindo só hoje. Haha

Mas se é trilogia, e esse livro ai, hem? Então... Sussurros do País das Maravilhas trata-se de um spin-off de Slintered, que traz três contos – mágicos e inesquecível – para matar um pouco da nossa saudade. São eles: O Menino na Teia, A Mariposa no Espelho e Seis Coisas Impossíveis.

Vamos conhecê-los:
_______________
O Menino na Teia

Quem leu a série, provavelmente, pelo título, já tem uma ideia do que se trata... Sabendo dos arrependimentos que Alisson ainda guarda no peito, Thomas decide que está na hora de ela visitar o passado, no Trem da Memória, para entender melhor tudo que aconteceu e poder, finalmente, se perdoar.

Quando tinha dezesseis anos, Alisson, mãe da protagonista da série, se deparou com uma toca no País das Maravilhas onde a Irmã Dois, uma aranha gigante, usava crianças para extrair seus sonhos, para manter o equilíbrio do reino interior. E Thomas era uma dessas crianças.


“Já é hora de se perdoar. Já é hora de você perceber o impacto positivo que teve sobre todos nós o fato de você deixar Morfeu e o País das Maravilhas entrarem na sua vida...”

Até então era só isso que sabíamos, que Alisson tinha renegado tudo, a coroa e o País das Maravilhas, e salvado Thomas, mas chegou a hora de obtermos mais respostas a cerca de como foi que isso aconteceu. E, como brinde, ainda descobrimos como foi que o País das Maravilhas começou a entrar na vida de Alisson, inclusive como foram os primeiros contatos com Morfeu etc.

“— Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver.”

Nesse conto, além de o leitor conhecer mais sobre a história do casal, pais de Alyssa, visitaremos também a infância de Alisson, batendo de cara com as dificuldades pela qual ela passou.

“Quando nasci, ela saltou do segundo andar do hospital para testar as “asas de fada” que as vozes diziam que ela tinha. Ela caiu num arbusto de rosas e quebrou o pescoço.”

Gostei bastante do conto, está encantador; o amor que transborda dos pais da protagonista é encantador. Para quem tem curiosidade se saber como foi que Alisson salvou Thomas e como a vida dos dois ganhou cor depois disso, vale a pena a leitura.
_______________________
A Mariposa no Espelho

Li esse conto após ler O Lado Mais Sombrio, mas não foi nenhum problema relê-lo, apesar de ser o que menos gosto entre os três.


“Havia apenas seis meses que ela partira do País das Maravilhas, e ele não compreendia este vazio corrosivo que só poderia ser preenchido pelo toque dela, por seu perfume, sua voz. [...] Sua afeição e lealdade pertenciam ao agreste País das Maravilhas e a nada nem a ninguém mais.
Então o que ela havia feito para mudar isso?
Ultimamente, cada vez que ele via o próprio reflexo, não mais reconhecia a Mariposa no espelho. Estava incompleto, enfraquecido; e menosprezava isso.”

Assim como no primeiro conto, o Trem da Memória recebera outro visitante...

Nesse conto Morfeu irá embarcar nas memórias de Jebediah, buscando entender os motivos pelos quais Alyssa escolheu ele, um mero mortal, para amar, para, então, poder conquistá-la. Essas memórias se passaram durante O Lado Mais Sombrio, mas nós leitores não acompanhamos. Mas temos essa chance em A Mariposa no Espelho.

O fato de o conto girar em torno das memórias de Jeb provavelmente foi o culpado por eu não ter amado esse conto tanto quanto os outros, talvez, se fossem as memórias de Morfeu... Depois que Morfeu surgiu, Jeb perdeu o brilho para mim. Enquanto Jeb vive buscando proteger Alyssa, Morfeu mostra para ela a vida, as maravilhas, ensinando ela a se arriscar, às vezes, e a viver de verdade.

Porém, para os leitores amantes do Jeb, essa será uma leitura e tanto.
____________________
Seis Coisas Impossíveis.

ÀS VEZES PENSO EM SEIS COISAS IMPOSSÍVEIS ANTES DO CAFÉ DA MANHÃ.
Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas
Esse mexeu com meu emocional fortemente!

“— Demorou um bocado para chegarmos aqui.[...]
— Obrigada por sua inabalável paciência.”

Sabemos que, no livro anterior, Alyssa escolheu viver uma vida na terra com Jeb, mas quando ele se fosse, ela iria para as asas da nossa mariposa, Morfeu, no País das Maravilhas.

“Dou as costas para o reino humano, encarando a toca do coelho a meus pés.
— Alyssa, meu amor. Salte.
Desta vez, não há dúvida quanto a quem está falando em minha mente. É a voz da minha Amada Mariposa.”

No fim de Qualquer outro Lugar acompanhamos o salto dela na toca do coelho em encontro a Morfeu, mas não passou disso. Já nesse conto, o leitor tem um pouco mais para se deliciar. Um pouco mais do antes e um pouco mais do depois, a partir desse ponto. Da sua vida com Jeb e a família que eles formaram à formação da sua família no País das maravilhas. Os pontos mais marcantes da história.

“— Boas coisas acontecem aos que esperam. [...]
— As melhores coisas. Coisas impossíveis. A mais impossível de todas é uma criatura solitária, que nunca precisou de outra alma viva, ter uma família pela qual morreria e mataria.”

Eu estava tão ansiosa para ler esse conto, que quando vi que ele tinha chegado, passei a ler com ainda mais carinho cada palavra. O conto é de tirar o fôlego e ao mesmo tempo delicado e emocionante, principalmente para quem, como eu, é apaixonado pela série e pelos personagens.

Morfeu e Alyssa é um casal pelo qual torci desde o primeiro segundo, e “vê-los” finalmente juntos foi fantástico. Essa leitura veio com uma mistura de nostalgia, tristeza por ser o fim, mas imensaaa satisfação pela forma que concluiu.

Creio que até a narrativa desse conto está melhor, talvez por ter mais da peculiaridade do País das Maravilhas – e de Morfeu.

Ah, lembram-se das visões do futuro que diziam do filho-sonho, fruto do amor Rei e Rainha do País das maravilhas, Morfeu e Alyssa, destinado a inspirar a imaginação das criaturas do reino e manter um equilíbrio eterno ao País das Maravilhas.

Eu temia que o conto não chegasse até a chegada dele, mas, para minha eterna gratidão a A. G. Howard, ele veio. E foi mágico, assim como tudo.

“— Eu o amo, Morfeu. Obrigada por me mostrar tudo o que posso ser. [...]
— Eu a amo. Mas este é só o começo. Ainda veremos tudo o que pode acontecer.”

O conto também conta com um pouco da infância de Morfeu e Alyssa. Quando ele levava ela até leva nos seus sonhos.

Mágica. Provavelmente é a melhor descrição para a série. A autora provou, com Splintered, que uma releitura pode ser original, e que, mesmo quando tem tudo para ser clichê, ela pode acabar sendo surpreendente e emocionante.

site: http://estantemineira.blogspot.com/2017/04/resenha-sussurros-do-pais-das-maravilhas-a-g-howard.html
Thaira.Corpes 24/04/2017minha estante
Amei poder ver um pouquinho do Morfeu e Alyssa juntos, perfeito demais!


Catrine Vieira 24/04/2017minha estante
Simmmm!




Jaíne 25/03/2017

O final que faltou a "Qualquer Outro Lugar", se encontra aqui!
Depois de concluída a trilogia que retrata uma releitura moderna e mágica de Alice no País das Maravilhas, intitulada "O Lado Mais Sombrio", eis que chega (para alegria geral dos fãs), o livro "Sussurros no País das Maravilhas".
Uma pequena extensão da trilogia, onde nos são apresentados 3 contos, que adentram um pouco mais em momentos que foram retratados nos livros anteriores, porém não muito detalhadamente, e através destes contos, obtemos esses detalhes faltantes.
Caso você ainda não tenha lido todos os livros da trilogia, não recomendo esta leitura, afinal, ela é recheada de spoillers.
Agora se você já leu, sinta-se a vontade para embarcar nessa aventura. Ou eu deveria dizer "neste espelho"?

O primeiro conto, chama-se: "O Menino da Teia".
Nós vimos nos livros anteriores que Thomas, o pai de Alyssa, foi resgatado da teia da Irmã Dois e trazido de volta para o reino humano por Alison, mãe da Alyssa, mas até então não nos tinha sido explicado exatamente como isso aconteceu, certo?
Pois neste conto, teremos essas respostas, bem como outra muito importante: como Alison conheceu Morfeu e foi parar no país das maravilhas?
A narração é feita em primeira pessoa, pela própria Alison e em alguns momentos, quando está sendo retratado flashbacks da vida de Thomas, em terceira pessoa.
É um conto relativamente curto e bem explicativo e que no final, te deixa com aquele gostinho de "Quero mais!"

"Ao sairmos do trem rumo ao espelho, ele segura a minha mão. O menino na teia e o homem dos meus sonhos. Para sempre e eternamente, minha âncora."

O segundo conto, chama-se: "A Mariposa no Espelho" e nos mostra Morfeu, fazendo algo que eu não imaginava que ele faria: mergulhar nas lembranças de Jeb, na intenção de descobrir os segredos do rapaz e a partir deles, conquistar o coração de Alyssa.
O conto é uma faca de dois gumes, pois, além de mostrar esse lado "apaixonado" de Morfeu, mostra as lembranças de Jeb do País das Maravilhas pelo ponto de vista dele.
Como ele se sentia vendo Alyssa se tornar cada vez mais intraterrena e o melhor, é claro: como ele tomou a decisão de abdicar de sua vida, aceitando se trancar na Caixa Linguardarte e como ele se sentiu no momento em que tomava tamanha decisão.
Toda a narração, é em terceira pessoa e abrange aqueles detalhes que não foram explicados durante a trilogia.

"Melhor ainda é se colocar no lugar do seu inimigo. É a melhor maneira de controlar seus passos. Ou de apagá-los, caso tenha a oportunidade."

O terceiro e último conto, chama-se "Seis Coisas Impossíveis" e mostra alguns momentos da vida de Alyssa após o término da aventura em Qualquer Outro Lugar. Lembranças da vida humana que ela levou e em seguida, sua vida como rainha vermelha do País das Maravilhas.
Tudo o que ficou em aberto no final de Qualquer Outro Lugar, é explicado neste conto.
Muito, muito, mais muito fofo!

"Ainda assim, às vezes, por mais que você acredite no impossível, as coisas não saem como você as planejou. Toda mágica pode encontrar um obstáculo de vez em quando."

Considerações Finais:

"Sussurros no País das Maravilhas" se mostrou uma leitura obrigatória para os que leram a trilogia O Lado Mais Sombrio. Não são apenas contos de eventos separados das ações dos livros, tudo está muito interligado. Principalmente no último conto, onde muitas perguntas que foram deixadas sem respostas em Qualquer Outro Lugar, são devidamente esclarecidas.
É uma leitura leve, cheia de magia e romance. E para mim, o final oficial (e o final que eu queria ler) desta série. Um belo adeus para todas as aventuras vividas no País das Maravilhas.

Essa foi a resenha de hoje pessoal, até a próxima!

E para ler a essa e outras resenhas, acessem:


site: mundodasresenhas.com.br
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2