Sussurros do País das Maravilhas

Sussurros do País das Maravilhas A. G. Howard




Resenhas - Sussurros do País das Maravilhas


17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Michelle Trevisani 02/05/2017

Um último passeio no país das maravilhas
Olá galera, tudo legal com vocês? Hoje a resenha que trago é do Spin-off da trilogia O lado mais sombrio. O livro Sussurros do País das Maravilhas foi publicado pela editora Novo Conceito neste ano de 2017, depois de muitos pedidos dos fãs da série. Eu achei super legal a editora ter atendido a estes pedidos, porque para quem é fã da série, este livro traz elementos essenciais para perguntas que não foram respondidas nos três primeiros livros da série.

Para quem ainda não leu os primeiros livros, recomendo que leiam antes de ler este. Porque se fizerem diferente, talvez alguns elementos fiquem no ar.

O primeiro conto, O menino da teia, vai nos mostrar a vida de Alisson, mãe de Alyssa, antes do primeiro livro, seu contato com o País das Maravilhas, num processo de ajuda do pai de Alyssa a fazer com que Alisson não se arrependa das escolhas que fez. Thomas tem o papel de ajudar a sua esposa (através de uma viagem pelo Trem da Memória) a enxergar de uma outra forma o que acreditou sempre ser uma maldição, bem como seu primeiro contato com Morfeu e com as coisas mágicas que aconteceram enquanto ainda era jovem. Essa perspectiva, pelo olhar da mãe de Alyssa foi crucial para entendermos vários trechos do primeiro e segundo livro que ficaram vagos, e nos fazem gostar ainda mais da mãe de Alyssa e também aprovar suas escolhas. Foi bem gostoso de acompanhar este conto, pois nos aproximamos dos pais de Alyssa, e olhar através dos olhos deles o amor que sentem um pelo outro foi muito tocante. Quando eu li o primeiro livro da séria tinha ficado muito magoada com o papel que Alisson havia desempenhado, e este conto me mostrou o porque das escolhas feitas e que muita renegação veio por conta do amor que Alisson sentia por Thomas e por sua filha, a Alyssa.

Leia o restante da resenha lá no blog: Livro Doce Livro

site: http://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/2017/05/resenha-sussurros-do-pais-das-maravilhas.html
comentários(0)comente



Silvana 01/05/2017

E estamos de volta ao mundo mágico do País das Maravilhas. Só que dessa vez não temos uma continuação da história já conhecida, mas sim três contos que se passam antes, durante e depois, não necessariamente nessa ordem. Mas antes de tudo preciso falar dessa edição perfeita do livro. Depois de três capas simplesmente maravilhosas, eu achava impossível ver alguma que superasse elas, mas aconteceu. Essa foi a melhor de todas na minha opinião. E com o capricho da editora, dá até gosto de ter os livros na estante. Eu até pego os livros na mão e fico admirando eles hehe.

O primeiro conto é O Menino da Teia. Ele é na visão da Alison, mãe da Alyssa. Em primeiro lugar temos um vislumbre do depois e podemos matar um pouco a saudade de Alyssa e Jeb. Podemos ver como eles estão no mundo real, no período em que Alyssa viveu sua vida humana. Eles estão em um treino/brincadeira e logo depois vemos Alison se preparando para sair com seu marido há vinte anos já, Thomas. Então enquanto espera Thomas se arrumar, Alison começa a se lembrar de como se envolveu com o País das Maravilhas. Do dia em que conheceu Morfeu e como ele atiçou sua curiosidade e ela acabou no País das Maravilhas para cumprir um propósito para o qual ela não estava preparada.

Já em A Mariposa no Espelho temos um conto na visão de Morfeu. Ele acontece durante o primeiro livro e vamos ter uma visão de algumas situações que aconteceu com o Jeb. Ele não se conforma de Alyssa escolher Jebediah e por isso tem a ideia de visitar suas memórias para saber o que ele tem que encantou tanto Alyssa a ponto dela deixar ele e o mundo intraterreno para trás. Ele bem que poderia matar Jeb, mas ele sabe que Alyssa jamais o perdoaria por isso. Só que ele não estava preparado para sentir as coisas como se fosse realmente um humano.

E no terceiro e ultimo conto Seis Coisas Impossíveis, temos a visão da Alyssa novamente. Ele começa com Alyssa já aos 80 anos se preparando para deixar a sua vida de humana e começar sua vida como Rainha no País da Maravilhas. Ela só vai levar três lembranças da sua vida como humana, três garrafas de vidro decoradas: a primeira cheia de pedrinhas, a segunda com conchas e a terceira com um pó prateado. E antes de entrar na toca do coelho ela trás à memória o que cada uma daquelas garrafas significa para ela. E também temos um vislumbre de sua vida futura como rainha ao lado de Morfeu no País das Maravilhas.

Esse livro é para quem leu a trilogia Spintered. Quando fiquei sabendo sobre o livro achei que teríamos cenas que já aconteceram, mas que fossem na visão de outras pessoas já que a trilogia é na visão da Alysson. Mas me enganei. Temos somente cenas inéditas. Mesmo as que acontecem no passado, são cenas que só ouvimos falar na trilogia original. E foram coisas que eu fiquei imaginando como teria acontecido e agora pude ler como realmente aconteceu, como o casamento de Alyssa por exemplo. E as cenas são de derreter o coração dos fãs. A autora conseguiu se superar e escrever algo tão mágico que eu ficava aqui deslumbrada só de imaginar o que estava lendo.

O segundo conto, A Mariposa no Espelho eu já tinha lido algumas resenhas dele e nelas eu li que quem não gostava do Morfeu ia se apaixonar por ele no conto. Mas comigo aconteceu o contrário, me apaixonei ainda mais pelo Jeb. Já o Morfeu me deu nos nervos boa parte do livro, a exemplo do que já tinha acontecido durante a trilogia, mas tem algumas horas que ele é tão charmoso que não tem como não amá-lo. Eita relação de amor e ódio hehe. Já o Jeb apesar de ter aparecido menos que o Morfeu, ainda é meu queridinho. Alyssa apesar de estar em todos os contos, não foi a grande protagonista da história, ela dividiu o palco com seus pais e com seus namorados hehe.

E o conto que eu mais gostei foram todos eles. Não tem como não escolher um já que todos eles foram essenciais para o desfecho dessa história e todos eles tiveram um pedacinho desse mundo mágico e sombrio recriado pela autora. Indico então com certeza para todos os que leram a trilogia e amaram e para quem achou que ficou faltando alguma coisa. Agora não falta mais.

site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2017/04/resenha-sussurros-do-pais-das.html
comentários(0)comente



Duda 26/04/2017

Sussurros do País das Maravilhas, de A. G. Howard
O Menino Da Teia - O conto se passa antes de O Lado Mais Sombrio, primeiro volume da trilogia, é narrado por Alison, mãe de Alyssa, e nos mostra como ela conheceu Morfeu e Thomas, seu marido, e também como era a vida dele antes do encontro dos dois.

A Mariposa No Espelho - Os acontecimentos desse segundo conto se passam entre o primeiro e segundo livros, e nos narra o momento em que Morfeu entra nas memórias de Jeb para achar um ponto fraco que possa usar a seu favor, e como ele acaba se surpreendendo com o que encontra.

Seis Coisas Impossíveis - Nele vamos acompanhar a vida de Alyssa com o Jeb depois do desfecho da trilogia e também sua volta para o país das maravilhas e tudo o que acontece depois disso.

Sobre Minha Experiencia de Leitura: A trilogia Splintered toda me surpreendeu muito, toda a historia do Pais das Maravilhas reinventada pela A. G. Howard foi incrível do começo ao fim. O livro Sussurros do Pais das Maravilhas, só veio para deixar minha experiencia com essa trilogia muito mais completa e me prender ainda mais a esse universo tão rico e diferente.

Resenha Completa Em:

site: http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2017/04/sussurros-do-pais-das-maravilhas-de-g.html
comentários(0)comente



Bruna.Batista 24/04/2017

Futuros
Pequenas história da vida de Alyssa e Jeb até suas mortes. O conto da mariposa no espelho, onde Morfeu visita memórias de Jeb. E o terceiro e melhor dos três, a vida da rainha Alyssa, sue rei Morfeu e sue pequeno príncipe Muso. Tudo muito belo e envolvente quanto os livros da trilogia.
comentários(0)comente



Catrine Vieira 22/04/2017

Realmente, mágicos e inesquecíveis!
No ano passado li a trilogia Splintered, composta por O Lado Mais Sombrio, Atrás do Espelho e Qualquer outro lugar, e fui completamente absorvida para dentro da história da tataraneta de Alice. Então, pouco tempo depois do lançamento de Sussurros do País das Maravilhas, corri para lê-lo, embora a resenha esteja saindo só hoje. Haha

Mas se é trilogia, e esse livro ai, hem? Então... Sussurros do País das Maravilhas trata-se de um spin-off de Slintered, que traz três contos – mágicos e inesquecível – para matar um pouco da nossa saudade. São eles: O Menino na Teia, A Mariposa no Espelho e Seis Coisas Impossíveis.

Vamos conhecê-los:
_______________
O Menino na Teia

Quem leu a série, provavelmente, pelo título, já tem uma ideia do que se trata... Sabendo dos arrependimentos que Alisson ainda guarda no peito, Thomas decide que está na hora de ela visitar o passado, no Trem da Memória, para entender melhor tudo que aconteceu e poder, finalmente, se perdoar.

Quando tinha dezesseis anos, Alisson, mãe da protagonista da série, se deparou com uma toca no País das Maravilhas onde a Irmã Dois, uma aranha gigante, usava crianças para extrair seus sonhos, para manter o equilíbrio do reino interior. E Thomas era uma dessas crianças.


“Já é hora de se perdoar. Já é hora de você perceber o impacto positivo que teve sobre todos nós o fato de você deixar Morfeu e o País das Maravilhas entrarem na sua vida...”

Até então era só isso que sabíamos, que Alisson tinha renegado tudo, a coroa e o País das Maravilhas, e salvado Thomas, mas chegou a hora de obtermos mais respostas a cerca de como foi que isso aconteceu. E, como brinde, ainda descobrimos como foi que o País das Maravilhas começou a entrar na vida de Alisson, inclusive como foram os primeiros contatos com Morfeu etc.

“— Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver.”

Nesse conto, além de o leitor conhecer mais sobre a história do casal, pais de Alyssa, visitaremos também a infância de Alisson, batendo de cara com as dificuldades pela qual ela passou.

“Quando nasci, ela saltou do segundo andar do hospital para testar as “asas de fada” que as vozes diziam que ela tinha. Ela caiu num arbusto de rosas e quebrou o pescoço.”

Gostei bastante do conto, está encantador; o amor que transborda dos pais da protagonista é encantador. Para quem tem curiosidade se saber como foi que Alisson salvou Thomas e como a vida dos dois ganhou cor depois disso, vale a pena a leitura.
_______________________
A Mariposa no Espelho

Li esse conto após ler O Lado Mais Sombrio, mas não foi nenhum problema relê-lo, apesar de ser o que menos gosto entre os três.


“Havia apenas seis meses que ela partira do País das Maravilhas, e ele não compreendia este vazio corrosivo que só poderia ser preenchido pelo toque dela, por seu perfume, sua voz. [...] Sua afeição e lealdade pertenciam ao agreste País das Maravilhas e a nada nem a ninguém mais.
Então o que ela havia feito para mudar isso?
Ultimamente, cada vez que ele via o próprio reflexo, não mais reconhecia a Mariposa no espelho. Estava incompleto, enfraquecido; e menosprezava isso.”

Assim como no primeiro conto, o Trem da Memória recebera outro visitante...

Nesse conto Morfeu irá embarcar nas memórias de Jebediah, buscando entender os motivos pelos quais Alyssa escolheu ele, um mero mortal, para amar, para, então, poder conquistá-la. Essas memórias se passaram durante O Lado Mais Sombrio, mas nós leitores não acompanhamos. Mas temos essa chance em A Mariposa no Espelho.

O fato de o conto girar em torno das memórias de Jeb provavelmente foi o culpado por eu não ter amado esse conto tanto quanto os outros, talvez, se fossem as memórias de Morfeu... Depois que Morfeu surgiu, Jeb perdeu o brilho para mim. Enquanto Jeb vive buscando proteger Alyssa, Morfeu mostra para ela a vida, as maravilhas, ensinando ela a se arriscar, às vezes, e a viver de verdade.

Porém, para os leitores amantes do Jeb, essa será uma leitura e tanto.
____________________
Seis Coisas Impossíveis.

ÀS VEZES PENSO EM SEIS COISAS IMPOSSÍVEIS ANTES DO CAFÉ DA MANHÃ.
Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas
Esse mexeu com meu emocional fortemente!

“— Demorou um bocado para chegarmos aqui.[...]
— Obrigada por sua inabalável paciência.”

Sabemos que, no livro anterior, Alyssa escolheu viver uma vida na terra com Jeb, mas quando ele se fosse, ela iria para as asas da nossa mariposa, Morfeu, no País das Maravilhas.

“Dou as costas para o reino humano, encarando a toca do coelho a meus pés.
— Alyssa, meu amor. Salte.
Desta vez, não há dúvida quanto a quem está falando em minha mente. É a voz da minha Amada Mariposa.”

No fim de Qualquer outro Lugar acompanhamos o salto dela na toca do coelho em encontro a Morfeu, mas não passou disso. Já nesse conto, o leitor tem um pouco mais para se deliciar. Um pouco mais do antes e um pouco mais do depois, a partir desse ponto. Da sua vida com Jeb e a família que eles formaram à formação da sua família no País das maravilhas. Os pontos mais marcantes da história.

“— Boas coisas acontecem aos que esperam. [...]
— As melhores coisas. Coisas impossíveis. A mais impossível de todas é uma criatura solitária, que nunca precisou de outra alma viva, ter uma família pela qual morreria e mataria.”

Eu estava tão ansiosa para ler esse conto, que quando vi que ele tinha chegado, passei a ler com ainda mais carinho cada palavra. O conto é de tirar o fôlego e ao mesmo tempo delicado e emocionante, principalmente para quem, como eu, é apaixonado pela série e pelos personagens.

Morfeu e Alyssa é um casal pelo qual torci desde o primeiro segundo, e “vê-los” finalmente juntos foi fantástico. Essa leitura veio com uma mistura de nostalgia, tristeza por ser o fim, mas imensaaa satisfação pela forma que concluiu.

Creio que até a narrativa desse conto está melhor, talvez por ter mais da peculiaridade do País das Maravilhas – e de Morfeu.

Ah, lembram-se das visões do futuro que diziam do filho-sonho, fruto do amor Rei e Rainha do País das maravilhas, Morfeu e Alyssa, destinado a inspirar a imaginação das criaturas do reino e manter um equilíbrio eterno ao País das Maravilhas.

Eu temia que o conto não chegasse até a chegada dele, mas, para minha eterna gratidão a A. G. Howard, ele veio. E foi mágico, assim como tudo.

“— Eu o amo, Morfeu. Obrigada por me mostrar tudo o que posso ser. [...]
— Eu a amo. Mas este é só o começo. Ainda veremos tudo o que pode acontecer.”

O conto também conta com um pouco da infância de Morfeu e Alyssa. Quando ele levava ela até leva nos seus sonhos.

Mágica. Provavelmente é a melhor descrição para a série. A autora provou, com Splintered, que uma releitura pode ser original, e que, mesmo quando tem tudo para ser clichê, ela pode acabar sendo surpreendente e emocionante.

site: http://estantemineira.blogspot.com/2017/04/resenha-sussurros-do-pais-das-maravilhas-a-g-howard.html
Thaira.Corpes 24/04/2017minha estante
Amei poder ver um pouquinho do Morfeu e Alyssa juntos, perfeito demais!


Catrine Vieira 24/04/2017minha estante
Simmmm!




Jaíne 25/03/2017

O final que faltou a "Qualquer Outro Lugar", se encontra aqui!
Depois de concluída a trilogia que retrata uma releitura moderna e mágica de Alice no País das Maravilhas, intitulada "O Lado Mais Sombrio", eis que chega (para alegria geral dos fãs), o livro "Sussurros no País das Maravilhas".
Uma pequena extensão da trilogia, onde nos são apresentados 3 contos, que adentram um pouco mais em momentos que foram retratados nos livros anteriores, porém não muito detalhadamente, e através destes contos, obtemos esses detalhes faltantes.
Caso você ainda não tenha lido todos os livros da trilogia, não recomendo esta leitura, afinal, ela é recheada de spoillers.
Agora se você já leu, sinta-se a vontade para embarcar nessa aventura. Ou eu deveria dizer "neste espelho"?

O primeiro conto, chama-se: "O Menino da Teia".
Nós vimos nos livros anteriores que Thomas, o pai de Alyssa, foi resgatado da teia da Irmã Dois e trazido de volta para o reino humano por Alison, mãe da Alyssa, mas até então não nos tinha sido explicado exatamente como isso aconteceu, certo?
Pois neste conto, teremos essas respostas, bem como outra muito importante: como Alison conheceu Morfeu e foi parar no país das maravilhas?
A narração é feita em primeira pessoa, pela própria Alison e em alguns momentos, quando está sendo retratado flashbacks da vida de Thomas, em terceira pessoa.
É um conto relativamente curto e bem explicativo e que no final, te deixa com aquele gostinho de "Quero mais!"

"Ao sairmos do trem rumo ao espelho, ele segura a minha mão. O menino na teia e o homem dos meus sonhos. Para sempre e eternamente, minha âncora."

O segundo conto, chama-se: "A Mariposa no Espelho" e nos mostra Morfeu, fazendo algo que eu não imaginava que ele faria: mergulhar nas lembranças de Jeb, na intenção de descobrir os segredos do rapaz e a partir deles, conquistar o coração de Alyssa.
O conto é uma faca de dois gumes, pois, além de mostrar esse lado "apaixonado" de Morfeu, mostra as lembranças de Jeb do País das Maravilhas pelo ponto de vista dele.
Como ele se sentia vendo Alyssa se tornar cada vez mais intraterrena e o melhor, é claro: como ele tomou a decisão de abdicar de sua vida, aceitando se trancar na Caixa Linguardarte e como ele se sentiu no momento em que tomava tamanha decisão.
Toda a narração, é em terceira pessoa e abrange aqueles detalhes que não foram explicados durante a trilogia.

"Melhor ainda é se colocar no lugar do seu inimigo. É a melhor maneira de controlar seus passos. Ou de apagá-los, caso tenha a oportunidade."

O terceiro e último conto, chama-se "Seis Coisas Impossíveis" e mostra alguns momentos da vida de Alyssa após o término da aventura em Qualquer Outro Lugar. Lembranças da vida humana que ela levou e em seguida, sua vida como rainha vermelha do País das Maravilhas.
Tudo o que ficou em aberto no final de Qualquer Outro Lugar, é explicado neste conto.
Muito, muito, mais muito fofo!

"Ainda assim, às vezes, por mais que você acredite no impossível, as coisas não saem como você as planejou. Toda mágica pode encontrar um obstáculo de vez em quando."

Considerações Finais:

"Sussurros no País das Maravilhas" se mostrou uma leitura obrigatória para os que leram a trilogia O Lado Mais Sombrio. Não são apenas contos de eventos separados das ações dos livros, tudo está muito interligado. Principalmente no último conto, onde muitas perguntas que foram deixadas sem respostas em Qualquer Outro Lugar, são devidamente esclarecidas.
É uma leitura leve, cheia de magia e romance. E para mim, o final oficial (e o final que eu queria ler) desta série. Um belo adeus para todas as aventuras vividas no País das Maravilhas.

Essa foi a resenha de hoje pessoal, até a próxima!

E para ler a essa e outras resenhas, acessem:


site: mundodasresenhas.com.br
comentários(0)comente



Alyssa @culpadoslivros 23/03/2017

Sussurros do País das Maravilhas traz três contos inéditos sobre os personagens que tanto adoramos, da trilogia O Lado Mais Sombrio. E como os livros anteriores, também tem uma capa ma-ra-vi-lho-sa. Esta é uma das coleções mais lindas que já vi! 😍

- O Menino na Teia: focado principalmente na mãe de Alyssa; mostra o passado de Alison, o tempo que ela passou no País das Maravilhas e como foi seu casamento com Thomas. 💜

- A Mariposa no Espelho: Morfeu invade as memórias de Jeb, para tentar encontrar uma maneira definitiva de conquistar o coração de Alyssa. 💜

- Seis Coisas Impossíveis: é um complemento do último livro, Qualquer outro lugar. Com a ajuda de Morfeu, Alyssa relembra momentos importantes de sua vida.
💜

Adorei os três contos, mas confesso que o último é o mais lindo e emocionante. Fica difícil comentar sobre eles, principalmente sem passar spoilers. E não quero estragar a surpresa daqueles que ainda não concluíram a série. Mas, posso garantir que a narrativa da autora continua a mesma e as histórias seguem repletas de magia, fantasia e muitas aventuras! 👏😘

Sussurros do País das Maravilhas é um verdadeiro presente que A. G. Howard deu aos fãs!

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Ana 19/03/2017

Esperava mais.
Aaaaah, passei tanto tempo esperando esse livro e, sinceramente, esperava mais. De início foi até bom saber um pouco mais sobre os pais da Alyssa e coisa e tal, mas nada que dê muitas emoções.
O segundo conto - meu favorito - já havia lido, mas amei reler.
E o terceiro foi uma chatice só. A vida da Alyssa foi chata. Sem mas. Jeb ficou chato e ainda mais desenteressante. Os filhos deles não são legais, mas os netinhos são maravilhosos. Esperei tanto para saber como seria a vida da Alyssa com o Morfeu e a família deles e me decepcionei muito, pois a autora perdeu muito tempo com informação desnecessária em vez de nos dar uma amostra deliciosa da escrita que ela expôs em outras obras.
Enfim, paciência.
Morfeu continua sendo a cereja do bolo/mariposa da trama e que eleva nosso coraçãozinho de leitor a algum ponto acima de zero. Alyssa tá muito chata. Meu Deus. Chata, monótona e convencida, o que tornou a leitura um pouco cansativa.
Maaas, fazer o quê, né? Espero ter forças para me recuperar.
comentários(0)comente



Paula Juliana 17/03/2017

Resenha: Sussurros do País das Maravilhas - Três contos de momentos mágicos e inesquecíveis - Splintered # 3.5 - A. G. Howard

''[...] Desequilíbrio gera desequilíbrio. O Caos é o que restabelece o equilíbrio. Haverá repercussões. Você não pertence mais a esse lugar. É melhor assim. Você está destinada a muito mais do que este mundo tem a oferecer. - A mariposa voou sobre mim, pairando diante do meu rosto. - Assuma a responsabilidade. O poder é o único caminho para a felicidade, e posso ajudá-la a conquistá-lo. Meu nome é Morfeu. Encontre um espelho e me chame quando estiver pronta para viver seu destino.''

Seja em uma passagem pelo espelho, ou uma queda louca pela toca do coelho, seja questionando sua coragem ou sua... sanidade, uma coisa está clara, essa viagem pelo mundo do País das Maravilhas vai fazer você se apaixonar. E Sussurros do País das Maravilhas é uma declaração de amor, um presente, um desfecho, e um complemento muito mais que merecido para essa saga que é incrível, deslumbrante e terrivelmente envolvente! #PartiuparaosbraçosdeMorfeu

''ÁS VEZES PENSO EM SEIS COISAS IMPOSSÍVEIS ANTES DO CAFÉ DA MANHÃ.''

Sussurros do País das Maravilhas apresenta três contos. Três histórias que complementam lindamente essa trilogia que aprendi a amar.

O MENINO DA TEIA

O Menino da Teia conta o período que Alison, mãe de Alyssa, viveu no País das Maravilhas, na verdade ele nos mostra um pouco da história da menina Alison como foi sua infância e juventude, e seus primeiros contatos com Morfeu e aquele novo mundo magico. Mostra também como conheceu e resgatou o homem que seria o único amor de sua vida.

Esse conto foi ótimo, me surpreendeu bastante quando iniciei a leitura e não encontrei Alyssa e sim sua mãe narrando a história. Logo no começo como de costume a autora ganhou toda a minha atenção e me prendeu a história logo nas primeiras frases. Alison mostra seus sentimentos, a obra toda a autora utiliza do tempo para contar as histórias, então viajamos juntos, diversas vezes, Alison deixa claro seu descontentamento com a relação Alyssa e Morfeu, ela não o consegue ver como um dos mocinhos, apesar de admitir toda a mudança que o amor causou nesse homem que não sabia amar e nem sonhar. Então conhecemos a vida de Alison e entendemos essa personagem tão importante.

O Menino da Teia é um conto de 75 páginas que deu um brilho especial nessa obra que ali começou a mostrar a que veio.

''- Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver. [...]
- Ah, você fala como uma verdadeira criatura do reino interior. A loucura, como qualquer outro aspecto da irracionalidade, pode ser usada como instrumento e arma nas mãos certas.''

A MARIPOSA NO ESPELHO

Esse o nome do conto já entrega, né?!! Sim, nosso Morfeu está mais uma vez presente, e para quem é fã desse personagem tão apaixonante como eu, vai simplesmente amar Sussurros do País das Maravilhas. TEM MUITO MORFEU, é Morfeu para tudo que é lado, e isso mostra como ele é indispensável nessa trama.

A Mariposa no Espelho é o conto mais curtinho, não tem nem 50 páginas, mas é muito bom e principalmente interessante por mostrar um certo entendimento entre os mocinhos da saga. São as lembranças de Morfeu quando mergulhou nas memórias de Jeb, na época ele tinha a intensão de conhecer seu ''inimigo'' e assim conquistar a garota que disputava o coração desses dois. Acaba que mostra um lado de Morfeu que não conhecíamos, o lado humano de Jeb, tão leal, justo, corajoso, que mostra aquele amor que se sacrifica, sensibiliza a Mariposa e lhe dá mais que armas para usar contra Jeb.

''Meu visitante mostrou os dentes num sorriso lindo que transformou seu rosto no parque de diversões do diabo - malícia oculta por um verniz de adorável persuasão.''

SEIS COISAS IMPOSSÍVEIS

Seis coisas Impossíveis é o conto mais importante dessa obra, dividido em duas partes é o desfecho que nós fãs estávamos esperando desde o livro final. Voltamos a Alyssa aquela que se mostrou a mais inteligentes das personagens, não quero contar muito o que acontece aqui, pois assim iria entregar o final da saga para vocês, mas confesso que foi mais que satisfatório para mim, a autora encontrou uma maneira de todos encontrarem o seu felizes para sempre, apesar que nada é fácil e no País das Maravilhas não seria diferente.

Bem, o que posso dizer é que terminei com lágrimas nos olhos, pois é lindo demais! Acredito que todos os fãs acabaram se sensibilizando com as últimas partes, na verdade o livro todo é muita emoção, todos os contos são bonitos, todos tem aquela escrita que nos faz sonhar e viajar juntos. E também relembrar as emoções que sentimos durante toda a série, e foi um super MAIS que precisava ser contado, que a história merecia ganhar e somente veio a somar na construção dos personagens.

Sussurros do País das Maravilhas foi uma obra para ninguém colocar defeito, agradeço muito A. G. Howard por ter feito o impossível, ter me feito amar ainda mais o País das Maravilhas e seus personagens incríveis.

''Seus olhos eram cor de liberdade. Ou do meu futuro. Eles eram tão cheios de dor, de determinação. E de força... Mais tarde, me convenci de que tinha sonhando com você e as asas, mas não importava. Porque só de olhar para você, com ou sem asas, renasci.''

Paula Juliana

site: http://overdoselite.blogspot.com.br/2017/03/resenha-sussurros-do-pais-das.html
comentários(0)comente



Patty 07/03/2017

Adorei!!!
Em Sussurros do País das Maravilhas, vemos como Thomas, pai de Alyssa, foi parar na teia da Irmã Dois até a Alysson o salvar e como toda aventura que viveu no País das Maravilhas a afetou.
Mas nos mostra também como foi a vida de Alyssa após deixar Qualquer Outro Lugar, como ela e Jeb foram felizes e formaram uma linda família.
E Morfeu, que apesar de todo ciúmes que tinha de Jeb a ponto de investigar as memórias de seu rival, soube esperar pela eternidade de sua amada rainha.
Esse é um livro com certeza indispensável para quem leu a trilogia O Lado Mais Sombrio. Nos deixa tanto com vontade de quero mais que nos leva a desejar que um dos herdeiros mortais de Alyssa caia na toca do coelho, e porque não? Afinal, nada é impossível no País das Maravilhas!!!
comentários(0)comente



Angela 12/02/2017

Sussurros do País das Marabilhas
Narrativa cativante, que prende a atenção. Contos maravilhosos sobre o que acontece com os personagens após a visita ao País das Maravilhas.
Tão empolgante e intrigante quanto aos livros anteriores.
Adorei.
comentários(0)comente



Mikaela 09/02/2017

O epílogo que a trilogia estava merecendo!
Já vou logo dizendo: se você leu a trilogia do Lado Mais Sombrio, corre pra ler essa coletânea de contos!

Tá certo que eu esperava muito mais (cof cof Morfeu), mas os contos serviram para preencher lacunas importante na história e apresentar novos pontos de vista.

No último conto, Seis Coisas Impossíveis, você vê claramente a intenção da autora de fazer um epílogo.

Mas vamos falar logo de todos:

O Menino Na Teia
Esse foi o mais surpreendente. Situado antes da trilogia e narrado por Alison, mãe de Alyssa, ele mostra como ela conheceu Morfeu e até como era a vida de Thomas, seu marido, antes de ter sido capturado pela Irmã Dois.

" Não importa se eu sou louca, desde que a minha loucura me ajude a sobreviver"
Alison, página 31.

E que vida difícil ela teve! Órfã e passando por vários lares adotivos, Alison viu um lado muito grotesco do ser humano, algo que Morfeu aproveita para incentivá-la a ir com ele para o País das Maravilhas e reivindicar o seu trono. Acho que Alison seria uma ótima protagonista se o livro fosse só sobre ela e passei a admirar mais a personagem e o seu amor por Thomas.

A Mariposa No Espelho
Situado entre o primeiro e segundo livro, esse eu já tinha lido na época em que foi lançado, em inglês. É aquela coisa, você vai ler achando que vai ter muito de Morfeu, mas, na verdade, tem muito é do Jeb. Afinal, Morfeu entra nas memórias do rapaz para achar um ponto fraco que possa explorar, mas a bondade e bom caráter de Jeb o surpreendem.

Assim, acho Jeb uma pessoa fantástica, mas prefiro tão mais o Morfeu como personagem, que fiquei meio entediada em algumas partes (desculpem, fãs do Jeb!). Mas é bacana por mostrar o ponto de vista dele em vários acontecimentos de O Lado Mais Sombrio.

Seis Coisas Impossíveis
Ah, ESSE conto é pra fazer chorar. Situado após o último livro, a A.G. Howard conta tudo o que aconteceu depois de Qualquer Outro Lugar porque, né, ficou realmente faltando umas coisas. Depois de explicar como eles fizeram para ajeitar toda a confusão que deixaram quando foram para esse lugar no segundo livro, a autora ainda fala sobre Jenara e como ela participa da vida do casal Alyssa e Jeb.

"Mas foi você, sozinha, quem acordou os mortos e usou o poder de um sorriso. Você sozinha derrotou a Vermelha e todos em Qualquer Outro Lugar. Você conquistou a coroa".
Jeb, página 196.

E temos vários momentos fofos de Jeb e Alyssa ao longo das décadas em que passaram juntos e, finalmente, temos a parte em que ela volta para o País das Maravilhas. Ao relembrar todo o passado lindo com Jeb por memórias que ela leva para o seu reino, Alyssa decide assumir o seu trono. E, gente, que coisa mais LINDA. Lógico que eu tô falando do Morfeu também, né, meu personagem favorito dessa história toda.

Até porque ele é o mais fascinante. Mesmo com todo o calculismo e egocentrismo que vemos nos contos anteriores, Morfeu tem um coração maravilhoso e uma paixão sem limites por Alyssa. As cenas dos dois são tão lindas que dá vontade de ficar relendo.

"- Você sempre soube - digo, acariciando seu rosto. - Você sabia que as coisas acabariam assim.
- Claro que sim. Mágica não é uma coisa esplêndida?"
Alyssa e Morfeu, página 206

Moderamente hot e muito romântico, esse conto encerra a trilogia de forma belíssima e deixando a gente sem saber o que fazer com tanta saudade que vai sentir dos personagens. Você acaba sentindo aquela tristeza depois de ler uma trilogia tão maravilhosa quanto essa, especialmente com tantos contos que aquecem nosso coração.

A edição está lindinha também, com uma capa incrível e detalhes em arabescos em cada página. O único defeito são alguns erros que uma revisão mais detalhada poderia ter evitado, mas vale muito a pena ler se você é fã da trilogia.

E se não é, deveria muito dar uma chance para a obra de A.G. Howard.



site: http://www.leituranossa.com.br/2017/01/sussurros-do-pais-das-maravilhas.html#.WJvgA1UrLIU
comentários(0)comente



Mix 04/02/2017

Que capa é essa? Para começar!! Todas as capas dos livros de A. G. Howard dessa série a meu ver são mais que lindas! São perfeitas!

Então vamos lá:

Vou tentar não dar muitos Spoolers sobre as séries anteriores que deu origem a esse Spin-off - mas pode ser que solte algo - ENTÃO CUIDADO!

Este livro Sussurros no País das Maravilhas é um Spin-off da série O Lado Mais Sombrio e nele A. G. Howard traz contos que muito me chamaram a atenção, tudo em uma avalanche de situações que envolvem passado e futuro e muita nostalgia pelos personagens que mais amei e por situações que tanto esperei por ler um "algo a mais".

Em O Menino na Teia temos o passado da mãe de Alyssa e também percebemos o quanto não há mais todos aqueles segredos entre Alison e Thomas, que agora podem dar seu total apoio a Alyssa e enfim agora todos sabem os segredos por detrás das gerações de Alice o que possibilita que Alyssa possa ter mais liberdade em ser ela mesma na frente de Jenara e Corbin (que não visitaram O País das Maravilhas). Nesse conto ficamos a par em mais detalhes sobre o passado da mãe de Alyssa e o quanto ela tentou parar a magia vinda da primeira Alice por motivos próprios. Após o que aconteceu no terceiro livro a mãe de Alyssa tem uma espécie de reflexão sobre o passado e como tudo chegou até o momento presente lhe trazendo Alyssa.

Alyssa encontra-se no mundo dos humanos e mesmo que visite o País das Maravilhas ela continua com seu acordo com Morfeu vivendo como humana até o final da vida de Jeb, seu amor; mas Morfeu a está ensinando magia e percebemos sua evolução com clareza; óbvio que desde sempre Morfeu teve seus próprios interesses que vocês irão perceber ao ler os livros. Não posso ir além, pois aí estrago a graça da coisa!

Eu sempre quis entender melhor sobre o passado da família de Alyssa e nesse conto eu pude sanar algumas de muitas dúvidas e curiosidades. Então para mim esse conto se sobressaiu bastante!

Depois temos A Mariposa no Espelho onde temos uma reflexão sobre momentos de O Lado Mais Sombrio pelo ponto de vista de Jeb sobre o País das Maravilhas, isso, claro através da intromissão de Morfeu que quer ver as memórias de Jeb para quem sabe conseguir estar um passo à frente do mesmo nesse lance com a Alyssa. Mas Jeb não é para qualquer um, digamos assim, pois ele não se importa em cometer sacrifícios por aquela que ele ama.

Umas das coisas que gostei foi de ter mais foco em Jeb nesse livro Sussurros do País das Maravilhas, pois em alguns momentos o odiei e em outros amei; ele é sempre um personagem desses que as vezes parecem perfeitos demais com seu amor surreal e seu jeito perfeitinho e isso me incomoda; e como!

Morfeu também não fica atrás e sinceramente eu sempre fiquei pensando sobre ambos... E nunca cheguei a uma opinião final sobre qual dos dois me agrada mais ou menos. Eu sou dessas que ama um bom vilão (se é que posso colocar dessa maneira - afinal não é bem assim - quem leu os livros anteriores irá me entender) e é apaixonada por personagens que não tem papas na língua nem pensam muito antes de fazer o que precisam para alcançar seus objetivos, por mais que em alguns momentos isso possa parecer algo ruim, no caso de A. G. Howard as coisas nem sempre são o que parecem. É minha gente! Sou esquisita! Muito "mimimi" me incomoda sempre! Gosto tanto dos mocinhos, quanto dos vilões que tem o famoso Bum que te pega de jeito e te deixa suspirando... ahahaha

Mas voltando ao foco livro e contos, percebo que aqui em Sussurros do País das Maravilhas temos uma visão mais ampla de como são os humanos e como são os intraterrenos. Cada um tem seu charme, suas qualidades, defeitos e etc., mas uma coisa que intriga um intraterreno é como Jeb pode sacrificar-se como está disposta por aquela a quem diz amar tanto e com isso percebe que em várias coisas Jeb e ele são muito parecidos... mais até do que gostaria. E acredito, no meu entendimento que percebe melhor essa relação que o perturba muitas vezes.

Em Seis Coisas Impossíveis podemos ter uma visão melhor de como foi para Alyssa sua vida pós morte de Jeb, toda a coisa de escolher como iria morrer e enfim assumir seu destino como intraterrena no País das Maravilhas, e aí vem uma chuva de flashbacks que se ligam ao presente momento da narrativa trazendo momentos como quando contaram tudo a Jenara e também sobre o casamento de Alyssa e Jeb. Momentos para todos os gostos, desde alegria a tristezas...

Alyssa e Morfeu finalmente se unem e o amor que sentem também é arrebatador e algo pleno e como vocês sabem saímos de um triângulo amoroso para uma relação única. E sinceramente o momento mais bum da história foi quando Morfeu fez com que Alyssa percebesse o quanto eles eram importantes para o equilíbrio no País das Maravilhas.

Gente.... Eu sou muito suspeita para falar de Splintered, pois sou completamente apaixonada por cada livro, cada conto.... Cada situação, teimo em dizer, quando falo da série que A. G. Howard é dessas autoras que escrevem com uma maestria que poucos possuem, não se deixando perder em momento algum e surpreendendo o leitor a cada nova trama, ou melhor ao desenrolar da trama que pouco a pouco foi tecendo desde o primeiro volume lido.

Tudo que A. G. Howard escrever sobre esse mundo fantástico eu lerei! E irei reler para matar as saudades dos meus personagens favoritos e de situações marcantes que me encantaram!


site: http://www.mixliterario.com/2016/12/resenha-achados-perdidos-brooke-davis.html#more
comentários(0)comente



Kari 04/02/2017


Que capa é essa? Para começar!! Todas as capas dos livros de A. G. Howard dessa série a meu ver são mais que lindas! São perfeitas!

Então vamos lá:

Vou tentar não dar muitos Spoolers sobre as séries anteriores que deu origem a esse Spin-off - mas pode ser que solte algo - ENTÃO CUIDADO!

Este livro Sussurros no País das Maravilhas é um Spin-off da série O Lado Mais Sombrio e nele A. G. Howard traz contos que muito me chamaram a atenção, tudo em uma avalanche de situações que envolvem passado e futuro e muita nostalgia pelos personagens que mais amei e por situações que tanto esperei por ler um "algo a mais".

Em O Menino na Teia temos o passado da mãe de Alyssa e também percebemos o quanto não há mais todos aqueles segredos entre Alison e Thomas, que agora podem dar seu total apoio a Alyssa e enfim agora todos sabem os segredos por detrás das gerações de Alice o que possibilita que Alyssa possa ter mais liberdade em ser ela mesma na frente de Jenara e Corbin (que não visitaram O País das Maravilhas). Nesse conto ficamos a par em mais detalhes sobre o passado da mãe de Alyssa e o quanto ela tentou parar a magia vinda da primeira Alice por motivos próprios. Após o que aconteceu no terceiro livro a mãe de Alyssa tem uma espécie de reflexão sobre o passado e como tudo chegou até o momento presente lhe trazendo Alyssa.

Alyssa encontra-se no mundo dos humanos e mesmo que visite o País das Maravilhas ela continua com seu acordo com Morfeu vivendo como humana até o final da vida de Jeb, seu amor; mas Morfeu a está ensinando magia e percebemos sua evolução com clareza; óbvio que desde sempre Morfeu teve seus próprios interesses que vocês irão perceber ao ler os livros. Não posso ir além, pois aí estrago a graça da coisa!

Eu sempre quis entender melhor sobre o passado da família de Alyssa e nesse conto eu pude sanar algumas de muitas dúvidas e curiosidades. Então para mim esse conto se sobressaiu bastante!

Depois temos A Mariposa no Espelho onde temos uma reflexão sobre momentos de O Lado Mais Sombrio pelo ponto de vista de Jeb sobre o País das Maravilhas, isso, claro através da intromissão de Morfeu que quer ver as memórias de Jeb para quem sabe conseguir estar um passo à frente do mesmo nesse lance com a Alyssa. Mas Jeb não é para qualquer um, digamos assim, pois ele não se importa em cometer sacrifícios por aquela que ele ama.

Umas das coisas que gostei foi de ter mais foco em Jeb nesse livro Sussurros do País das Maravilhas, pois em alguns momentos o odiei e em outros amei; ele é sempre um personagem desses que as vezes parecem perfeitos demais com seu amor surreal e seu jeito perfeitinho e isso me incomoda; e como!

Morfeu também não fica atrás e sinceramente eu sempre fiquei pensando sobre ambos... E nunca cheguei a uma opinião final sobre qual dos dois me agrada mais ou menos. Eu sou dessas que ama um bom vilão (se é que posso colocar dessa maneira - afinal não é bem assim - quem leu os livros anteriores irá me entender) e é apaixonada por personagens que não tem papas na língua nem pensam muito antes de fazer o que precisam para alcançar seus objetivos, por mais que em alguns momentos isso possa parecer algo ruim, no caso de A. G. Howard as coisas nem sempre são o que parecem. É minha gente! Sou esquisita! Muito "mimimi" me incomoda sempre! Gosto tanto dos mocinhos, quanto dos vilões que tem o famoso Bum que te pega de jeito e te deixa suspirando... ahahaha

Mas voltando ao foco livro e contos, percebo que aqui em Sussurros do País das Maravilhas temos uma visão mais ampla de como são os humanos e como são os intraterrenos. Cada um tem seu charme, suas qualidades, defeitos e etc., mas uma coisa que intriga um intraterreno é como Jeb pode sacrificar-se como está disposta por aquela a quem diz amar tanto e com isso percebe que em várias coisas Jeb e ele são muito parecidos... mais até do que gostaria. E acredito, no meu entendimento que percebe melhor essa relação que o perturba muitas vezes.

Em Seis Coisas Impossíveis podemos ter uma visão melhor de como foi para Alyssa sua vida pós morte de Jeb, toda a coisa de escolher como iria morrer e enfim assumir seu destino como intraterrena no País das Maravilhas, e aí vem uma chuva de flashbacks que se ligam ao presente momento da narrativa trazendo momentos como quando contaram tudo a Jenara e também sobre o casamento de Alyssa e Jeb. Momentos para todos os gostos, desde alegria a tristezas...

Alyssa e Morfeu finalmente se unem e o amor que sentem também é arrebatador e algo pleno e como vocês sabem saímos de um triângulo amoroso para uma relação única. E sinceramente o momento mais bum da história foi quando Morfeu fez com que Alyssa percebesse o quanto eles eram importantes para o equilíbrio no País das Maravilhas.

Gente.... Eu sou muito suspeita para falar de Splintered, pois sou completamente apaixonada por cada livro, cada conto.... Cada situação, teimo em dizer, quando falo da série que A. G. Howard é dessas autoras que escrevem com uma maestria que poucos possuem, não se deixando perder em momento algum e surpreendendo o leitor a cada nova trama, ou melhor ao desenrolar da trama que pouco a pouco foi tecendo desde o primeiro volume lido.

Tudo que A. G. Howard escrever sobre esse mundo fantástico eu lerei! E irei reler para matar as saudades dos meus personagens favoritos e de situações marcantes que me encantaram!


site: http://www.mixliterario.com/
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 31/01/2017

Resenha: Sussurros do País das Maravilhas
Sussurros do País das Maravilhas, spin-off da série O Lado Mais Sombrio traz três contos sobre os personagens que encantaram e emocionaram na trilogia original. O Menino na Teia, A Mariposa no Espelho e Seis Coisas Impossíveis falam sobre o passado e o futuro das figuras que conquistaram meu coração, e é uma leitura extremamente válida para todos que se apaixonaram por essa recontagem das aventuras de Alice.

Por se tratar de contos bem específicos sobre os personagens, vou me conter ao máximo nas informações para não revelar nenhum spoiler a você que está lendo ou se interessa a ler essa trilogia - e, sério, faça isso. Vale muito a pena!

O Menino na Teia é sobre o passado. Mais especificamente, sobre o passado da mãe da Alyssa. Sabemos que ela tem ligação com o País das Maravilhas tanto quanto a filha e todas as herdeiras do sangue mágico da primeira Alice, e também sabemos sobre a sua loucura ao refrear essa magia. Depois dos acontecimentos do terceiro livro, a mãe de Alyssa escolhe confrontar algumas lembranças específicas do seu passado, as coisas que fizeram dela quem é, que trouxeram sua filha ao mundo.

"- Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver."

O conto é bastante esclarecedor para quem queria saber mais sobre os pais da protagonista da série, e eu achei muito interessante conhecer um pouquinho sobre os acontecimentos que os uniram. Ambos se conheceram graças ao País das Maravilhas, sendo Alison a responsável para isso acontecer. A sensibilidade e a fragilidade dessa personagem me foram muito queridas em tão poucas páginas, e a emoção de entendê-la melhor, e entender o seu amor e seus receios, fez desse conto o meu segundo favorito.

A Mariposa no Espelho acontece através de Morfeu. Tencionando entender Jeb e suas motivações e sentimentos por Alyssa, a mariposa manipuladora que é Morfeu atravessa algumas lembranças do rapaz.

"As emoções humanas eram coisas imprevisíveis e poderosas."

Esse conto foi o mais nhé para mim porque o foco principal recaiu sobre Jeb. E, caso não tenha conferido minhas resenhas dos outros livros da série: eu não gosto do Jeb. Ele é pintado como bom moço e interesse amoroso fofo, mas é bem controladorzinho e chato. Suas motivações em nada me tocaram, e eu só queria que o conto acabasse ou voltasse a focar no Morfeu para que eu pudesse escapar daquela sina que era aguentar as lembranças do Jeb, independente de ele ter ajudado nos problemas que Alyssa enfrentou no último livro.

Por fim, o meu favorito, aquele que me deixou pulando no sofá: Seis Coisas Impossíveis.

Alyssa encontra o seu destino no País das Maravilhas, e como isso acontece é mágico. Ela se encontra em Morfeu, também, e o amor deles é um coisa caótica e apaixonante e arrebatadora. Quando isso acontece, não vou dizer, mas parabenizo a A.G. Howard por ter conseguido fechar um triângulo amoroso que, em um primeiro momento parecia clichê, mas acabou se provando um dos mais bem desenvolvidos que já li.

"Estendo a mão e pego uma estrela. Ela efervesce na minha mão antes de se transformar em poeira brilhante."

Para ajudar Alyssa em um momento difícil, Morfeu a guia através de três lembranças importantes, mostrando o que há de mais rico e vivo e incrível na loucura do País das Maravilhas. Durante o conto, a nostalgia de ver o casal se aproximando e se envolvendo e se mostrando o tipo de amor que poderia salvar aquele mundo do pandemônio me emocionou o bastante para que eu chorasse ao fim dele.

É difícil falar muito sobre os contos sem revelar o que acontece neles. E, acredite, especialmente se tratando do último, eu queria gritar e rolar no chão porque ela me deu tanto fanservice que parecia Natal. Tudo o que eu pedi aos deuses estava ali, de presente para mim! Mesmo a participação do Jeb nesse conto me deixou emocionada, para vocês sentirem o nível do meu surto.

A narrativa continua a mesma da trilogia, não se perdendo em devaneios desnecessários, mas bastante honestos ao tom dos livros. As sombras sinistras do mundo de Carroll reimaginado estão ali, junto à magia esquisita tão característica dos intraterrenos. Reler os personagens traz aquela sensação de saudade que o fim da série deixou, especialmente Morfeu e Alyssa, meus queridinhos preciosos.

"- Você é Alyssa Victoria Gardner, a menina que partiu a pedra com uma pena e cruzou a floresta num só passo. Você teve o oceano na palma da mão, você mudou o futuro com a ponta do dedo."

Sussurros do País das Maravilhas é, obviamente, um livro para fãs. A própria A.G. Howard dedicou aos fãs. É uma leitura muito interessante e esclarecedora com muitas coisas impossíveis e críveis que vai te arrastar de volta à magia caótica e apaixonante do País das Maravilhas.
Thaira.Corpes 07/02/2017minha estante
Tbm chorei no final, não tem como não amar Morteu!


Queria Estar Lendo 10/02/2017minha estante
Siiim Thaira! Esse último conto foi o melhor fanservice que já ganhei, amei tudo :')




17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2