Senhor das Sombras

Senhor das Sombras Cassandra Clare




Resenhas -


81 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Dryh 11/01/2018

Contando os dias para a continuação <3
Resenha – contém spoilers do livro anterior, Dama da meia-noite

Todos os sonhos terminam quando acordamos. – página 473

Após descobrir que seu amor por Julian pode destruí-los e a todos ao seu redor, Emma pede para que Mark finja ser seu namorado; era a única maneira de fazer Julian deixar de amá-la. Mas eles têm problemas maiores do que um amor que pode leva-los à loucura, acreditem.
Com a morte do feiticeiro Malcolm Fade, um número muito grande de demônios marinhos foi libertado do oceano, resultando numa atenção indesejada dos Centuriões para o Instituto de Los Angeles – ninguém podia saber que quem comandava o Instituto desde a Guerra Maligna era Julian, ou sua família seria separada – e, além disso, existe um grupo de Caçadores que querem impor ainda mais leis contra os seres do Submundo, resultando em mais coisas para resolver.

Eu demorei um bocado para conseguir mergulhar na história; até a página 100, mais ou menos, não consegui gostar das coisas que estavam acontecendo (acredito que seja porque eu não gostava muito de Emma e Julian até este livro) e queria muito que a parte legal chegasse logo. Mas quando as coisas começaram a acontecer para valer, eu estava perdida. Cassandra Clare sabe muito bem como manter o leitor fissurado na história, sem nem perceber o tempo passar, e o fato de ela contar tudo em vários pontos de vista (não só o de Emma e Julian) fez com que eu gostasse ainda mais de ler o livro. Claro que eu queria mais saber o que estava acontecendo com Cristina, Mark, Kieran, Ty, Livvy e Kit do que com o casal principal da história – felizmente, eles estão menos sem graça do que no primeiro livro – mas ok.

Além do romance proibido entre Emma e Julian, temos aqui um adorável triângulo amoroso que me fez suspirar horrores, e eu realmente torcia para que os três ficassem juntos logo, pois não conseguia juntar só duas pessoas e deixar a outra de fora. Minha cabeça deu nós terríveis com isso, mas estou esperançosa de que as coisas vão se resolver com o tempo, ainda que tema pela vida de tais personagens.

Nós escolhemos um ao outro quando éramos crianças. Nós escolhemos um ao outro de novo aos 14 anos. Eu escolhi você e você me escolheu. É isso que é a cerimonia parabatai, na verdade, não é? É um modo de selar essa promessa. Que diz que eu sempre vou escolher você. – página 226


Eu deveria saber que não podia me apaixonar tanto pelos personagens criados por Cassandra, tendo em vista quantas pessoas ela matou em Os Instrumentos Mortais, e todas as vezes em que quase morri do coração achando que alguém iria morrer. Mas eu fui boba e quis deixar isso tudo de lado, o que resultou numa noite mal dormida e uma angústia muito grande no peito, quando o livro acabou. O livro é tenso do início ao fim, e os personagens fazem tantas coisas e viajam para tantos lugares (inclusive o Reino das Fadas, várias vezes, aliás) que cogitar que alguma coisa ruim (pior do que as coisas que já estavam acontecendo) não é muito difícil. Eu torcia muito para que ninguém arrancasse Mark de sua família, e mais ainda para que Emma e Julian conseguissem arranjar uma maneira de quebrar a ligação parabatai (ou apagar o amor que sentiam um pelo outro, o que fosse mais cabível). Torcia também para que Kit se sentisse amado por aquela família que o abrigava, e para que Cristina resolvesse suas coisas com Diego Não-Tão-Perfeito-Assim.

Senhor das Sombras me trouxe mais emoções do que seu antecessor, o que eu achava que não seria possível. Ainda não superei o final (quem supera uma coisa dessas?) e creio que vou ficar de mal da autora até o demorado lançamento do terceiro (e último?) livro da série, que só vem no final do ano (haja coração). Maaaas... A gente sempre pode dar aquela lidinha nos capítulos favoritos, né? E como presente de consolação pelas lágrimas derramadas e corações partidos, a editora trouxe um capitulo extra no final do livro, que fez com que eu gostasse um pouco mais de Emma e Julian.

Ele era lindo. Sempre foi lindo, mas ela demorou muito para perceber. E agora ela mantinha as mãos coladas nas laterais do próprio corpo, e doía não poder tocá-lo. Ela nunca mais poderia tocá-lo. – página 19

Apesar de ter gostado muito deste livro, não posso ignorar o começo arrastado e um pouco cansativo, e isso me impede de dar nota máxima. Maaas, tendo em mente que Alec e Magnus aparecem por aqui (assim como Clary e Jace – saudades), considerem um 4.5...haha’

Queen of air and darkness (Rainha do ar e das trevas) promete muuito, e apesar de ser mais curto que os outros livros da série (aimds), as expectativas a respeito das cenas de ação e resolução de tudo o que houve em Senhor das Sombras estão no céu!

Essa é a beleza da Guerra Maligna. Vocês simplesmente não conseguem conter todos os demônios do Pacifico, não com seus números atuais. Ah, não estou dizendo que não possam vencer um dia. Venceriam. Mas pensem em todas as mortes nesse meio tempo. Um único Blackthorn vale realmente o sacrifício? – página 194

site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Carol M 10/01/2018

Senhor das Sombras
Quando li o primeiro livro da trilogia ‘Artifício das Trevas’, confesso que não gostei muito de certos personagens, como o casal principal, Emma e Julian (pra dar uma variada básica...), e muito menos do vilão! Sério Cassandra, que tipo de vilão era Malcolm Fade? Aff... não posso nem o chamar de vilão, porque não o acho digno desse título.

Confesso que, apesar de não ter sido o meu livro preferido ‘Dama da Meia-noite’ me fez pensar em muitas teorias junto com a Carla. E posso dizer, somos f*das! Porque praticamente todas se concretizaram nesse segundo volume, e acho que algumas ainda irão se concretizar do último livro. Estou me coçando para falar sobre elas, mas seriam muitos spoilers e vocês poderiam morrer do coração, então pra manter a saúde em dia vamos falar do que realmente achei num geral.

Definitivamente ‘Senhor das Sombras’ ganhou um espaço no meu coração, porque fez com que eu gostasse de todos os personagens um pouco mais. O casal sem graça que era composto por Emma e Julian, ganhou uma pitada de cor, ou seja, começamos a entender melhor como funciona a mente e coração desses dois, e realmente me identifiquei com Julian. Ele é um rapaz feroz, determinado e egoísta, sim! E posso dizer que me considero uma pessoa com essas qualidades, fora o fato de que assim como ele, eu poderia desafiar o mundo pelo bem-estar dos meus irmãos. Então sim, despertei certa admiração por ele nesse livro.

E meu Deus, o que falar de Kit e Tiberius? Eu literalmente tenho meu casal preferido de todos os livros da Cassandra até agora, apesar de eles não serem um casal oficial -ainda- mas isso é uma coisa extremamente óbvia que eu não considero spoiler. Não consigo nem descrever o porquê amo tanto esses dois, mas de uma coisa eu sei, eu gosto deles separadamente. Kit com seu jeito, ‘estou turistando no meio dos shadowhunters’, apesar de teoricamente ser um deles. E Tiberius com seu jeito único de ser, levando o tema sobre autismo ao um nível de entendimento absurdo, que nos faz sentir o que ele sente.

Apesar desse livro ter uma passada um pouco mais lenta e ter o triangulo amoroso mais chato da galáxia (Mark, Kieran e Cristina), eu realmente adorei diversos aspectos além dos já citados, o desenvolvimento da história é muito bom e envolvente, com final um tanto bombástico, nos fazendo ansiar logo pelo terceiro livro.

E você, o que achou do segundo volume da série ‘Artifícios das Trevas’?

Até a próxima!

Para essa e outras resenhas, acesse o link abaixo

site: www.blogcontracapa.com.br
comentários(0)comente



Iza 24/12/2017

Foi bom, mas puts Cassandra, vc pegou pesado em!
O primeiro livro eu gostei, mas não gostei taaaaaanto, já esse foi de ficar grudada do início ao fim. Não há dúvidas de que Cassandra Clare não pode fazer outra coisa senão escrever livros, a mulher é fera, mas vamos combinar né, que final foi esse???!!! Estou com o coração apertado até agora, foi de arrancar os cabelos!!! Ter que esperar um ano pra saber o que vai acontecer é de matar, mas temos outra saída?! Vida que segue e ressaca literária!
Najara Assis 28/12/2017minha estante
Eu gostei mais do primeiro, esse segundo é ótimo mas não ficou bem explicado se a Ema deixou de amar o Julian ou se está só tentando proteger ele da Clave. Confesso que chorei com a morte da Livy


MC 20/02/2018minha estante
A cena extra não é o final do livro. O final é lá naquela confusão da reunião. A cena extra acontece logo que eles chegam em Londres. Foi uma cena deletada do livro em si, pelo editor, Cassandra colocou só nessa edição especial, como bônus.




Gus | @escritavo 23/12/2017

Pesado
A continuação é mais pesada, mais densa que o primeiro livro. Os personagens estão mais fortalecidos e a trama mais sombria... quero só ver o que o último livro reserva.
comentários(0)comente



Lanny 23/12/2017

Cassandra Clare, Rainha dos triângulos quase perfeitos
Geralmente eu detesto triângulos amorosos porque eles não são nada amorosos. É muita inveja, raiva, ciúmes e dor envolvido, mas Cassandra consegue fazer triângulos realmente amorosos, onde existe respeito em todas as ?pontas?. Primeiro foi com Jem, Tessa e Will, agora com Kieran, Cristina e Mark. Os amores impossíveis que ela fabrica realmente são impossíveis, nada do tipo ?Vc dormiu com minha melhor amiga?, é papo sério que a gente fica se perguntando como poderá ser resolvido. E eu espero que seja resolvido, por favor. Tenho esse medo desde o livro um que Julian não sai vivo dessa história, o que seria mais uma tragédia na família Blackthorn que já está bem estraçalhada. Havia mesmo necessidade daquilo? Espero que Julian e Emma se unam pra fazer um super hiper mega iratze de cura. E que a dama da noite sofra uma morte terrível e agonizante pelo que fez. Eu achava que ela era gente boa, mas penso que foi meio um surto ali na hora da pressão.
Um ano de espera pra a conclusão. Chora
comentários(0)comente



Nina 21/12/2017

Odiei o Final
Bahhhh por favor o primeiro foi tãooooooo bom agora esse ferrou minha gente... não pelo geral mas sim pelo final.... mesmo que ainda tenha mais um .... mas não se acaba em dramalhão um livro assim.... sacooooooooooooo
Iza 24/12/2017minha estante
O pior é ter que esperar até o final do ano que vem pra saber o que vai acontecer, pesado!!!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Andressa.Adarque @meuladoleitora 15/12/2017

Maravilhoso!!
Senhor das Sombras é o segundo livro da trilogia "Os Artifícios das Trevas", com uma narrativa que gira em torno de Emma e Julian, porém acompanhamos também a trajetória dos irmãos dele e de outros Caçadores de Sombras.

"A vida de um Caçador de Sombras é limitada por deveres e definida por sua honra. A palavra de um Caçador de Sombras é um juramento solene, e nenhum voto é mais sagrado do que aquele que estabelece o vínculo entre os parabatai, parceiros de guerra que juram lutar e morrer juntos, mas que são proibidos de se amar "

Emma e Julian se tornaram parabatai aos 12 anos após ambos terem perdido seus pais em uma guerra no mundo dos Caçadores de Sombras, e assim, os dois e os irmãos mais novos de Julian vão morar com o tio dele que tinha uns 10 parafusos a menos rsrs, por conta disto Julian foi obrigado a fazer papel de irmão e de pai das crianças além de assumir inúmeras responsabilidades.
E em meio a esta turbulência de responsabilidades algo sai dos eixos, Emma e Julian aos 17 anos se vêem em um grande dilema, estão apaixonados e não sabem o que fazer, porque além de ser proibido pela Clave é amaldiçoado um amor assim entre parabatai.
Tentarão de tudo para deixar de amar, mas será que algo assim é possível vivendo e compartilhando das mesmas coisas?
Emma e Julian serão capazes de arriscar e viver este amor proibido?

Amor, amizade, laço familiar forte, batalhas e aliados improváveis fazem parte desta narrativa incrível e surpreendente da Cassandra Clare, sem contar que o fim é daqueles de partir o coração em mil pedaços, por isto ao chorões de plantão peço que separem uma caixinha de lenços e preparem as emoções!!

Recomendo este livro aos amantes de uma excelente fantasia assim como eu!!
comentários(0)comente



Ana 03/12/2017

Melhor obra da Cassandra
Eu não colocava muita fé nessa trilogia desde Dama da Meia Noite. Achei o primeiro muito arrastado, e mesmo esperando muito pela continuação devido o final, estava receosa.
Eis que Cassandra me surpreende com uma obra eletrizante, divertida, intensa, com cada página desse calhamaço valendo a pena. Personagens que podem ter soado superficiais no primeiro ganharam uma profundidade indescritível, e meus queridos, que final digno de aplausos!
Cassandra mostrou para o que veio, e eu sinceramente coloco muita expectativa para o final, que eu espero que seja de tirar o fôlego!
comentários(0)comente



Carol Santos 22/11/2017

Quer um livro destruidor de corações? Leia Senhor das Sombras
Quer um livro destruidor de corações? Conheça a série Artifícios das Trevas, e principalmente, Senhor das Sombras. Acho que este desenvolvimento+final não somente destrói seus sentimentos, ele te deixa querendo o próximo o mais rápido possível. Certeza que é uma das melhores criações de personagens da autora.

Após a morte de um importante nome da trilogia, demônios marinhos estão cada vez mais emergindo nas orlas e nos locais onde os humanos vivem. Com a missão de protegê-los, e descobrir o que está causando essa repentina aparição de vários demônios, a família Blackthorn adicionados de Emma e Cristina terão que discernir os motivos maiores que explicam esta confusão. Resultado: terão que ir atrás do Volume Negro dos Mortos — um livro de magia negra com grande poder. Tendo várias situações acontecendo ao mesmo tempo, e a família dividida em cada missão, — lidando tambem com um grupo intitulado Tropa, Caçadores de Sombras que pedem o fim da Paz Fria para subjugar o pessoal do Submundo — eles verão que algumas coisas propostas são arriscadas demais. Até onde a família Blackthorn irá para salvar os seus? O que aconteceu em relação o amor não parabatai de Julian e Emma? Quem virá a ser o Senhor das Sombras?

Confesso que este enredo me pegou mais de surpresa do que imaginava. Um livro transitório da introdução para o final da história é sempre complicado, cheio de altos e baixos, e Senhor das Sombras não foi diferente. Temos um início lento, chato, que demora a chegar no seu ponto principal e sei que justificado pelo tempo de lançamento de um para o outro, nos ambientar novamente no universo criado é fundamental. Contudo pecamos pelo excesso. Depois que ultrapassamos a intitulada parte 1, começamos a entender o motivo principal, engrenando o que pode acarretar na narrativa e fazendo com que a história ganhe um novo tom.

Uma das grandes escolhas acertadas, e que mostra o leque de bons personagens que temos, foi os outros integrantes da família Blackthorn ganhando vozes e ações. E não somente eles. Temos os adicionais do Kit, um menino que descobrimos sua origem em Dama da Meia-Noite, a Cristina aparecendo mais por causa do seu envolvimento com o Mark que automaticamente também levará à primeiro plano o Kieran. É um volume de vários "sub-enredos" dentro de um principal funcionando perfeitamente. Teremos a visão de tudo que acontece simultaneamente de uma tal maneira, que a cada virada de página ou mudança de cena você só fica mais ansioso para saber o que vem.

"— Você acha que anjos são suaves — disse Julian. — São tudo, menos isso. Eles trazem justiça com sangue e fogo celestial. Se vingam com punhos e ferro. A glória é tanta que queimaria seus olhos se você olhasse para ela. É uma glória fria e brutal." pág. 200

A quantidade de informações é grande, entretanto distribuídas de forma correta. Teremos várias pontas soltas que deve fazer mais sentido no último volume e é o que se espera de uma trilogia. Senhor das Sombras iniciou devagar, ganhando mais ritmo no meio das páginas e chegou no final abrupto demais, o que gera um dos pontos mais fracos da obra. Tudo é deixado para as últimas 10 folhas, e se amplifica tão velozmente que é uma avalanche de ideias e eventos. É um final arrebatador, não posso negar, que chorei demasiadamente e até não poder mais, de forma que mexeu bastante comigo. Deixa vários caminhos, vários bifurcações do que podemos esperar, além de um questionamento de como iremos reverter ou não o que foi colocado.

E isso é uma das piores ou melhores, dependendo do ponto vista, condições deixadas para imaginar qual passo seguinte. Tenho várias teorias, várias opiniões do que a ação final acarreta, deixando expectativas do que esperar do sucessor. É uma mistura de elementos que vai do o romance até a tragédia, eletrizante que não decepciona. Me apaixonei, me apeguei, desapeguei, shippei, enjoei, voltei à gostar, decepcionei, me surpreendi, revirei os olhos e muito mais. Mostra um caleidoscópio de emoções característico das obras da Cassandra Clare, que nós leitores esperamos um final feliz para todos — o que não acontece faz tempos nos Caçadores de Sombras rs.

Para quem se pergunta do par romântico principal, ele dará uma "avançada" na sua construção mesmo que não seja o enfoque principal. Momentos oportunos ele irá ganhar força no entanto, temos vários pontos a serem discutidos além desse. No somatório ele não terá tanto ímpeto e gosto deste não destaque. Teremos relapsos do que esse amor proibido pode gerar, o que já está gerando e como está evoluindo. Repito: não é o plano principal no momento. Tenho interesse no que este casal vem se tornando e o que esta paixão pode acarretar. Provavelmente é um componente importantíssimo nos eventos que sucederão e como estas escolhas podem modificar o mundo.

Outra coisa a ressaltar é a diversidade sexual presente, e maravilhosamente descrita. Vamos ter um leque de identificação, escolhas pessoais antes não vista em nenhum livro das Crônicas dos Caçadores de Sombras. É uma melhoria e tanto de escrita, pois nada parece jogado ou que demonstre falta de pesquisa. Aliás um dos momentos mais memoráveis é justamente quando se dá a voz à uma personagem que descobriremos ser transsexual. Foi bacana essa inclusão.

"Diamantes podiam ser ofuscantes em sua beleza, mas também eram as pedras mais duras e afiadas do universo. Podiam cortar ou triturar, esmagar e fatiar você. Malcolm, enlouquecido de amor, não tinha pensado nisso. Mas Julian não conseguia pensar em outra coisa." pág. 355

De uma forma geral é um exemplar favoritado, tal cheio de ressalvas e acontecimentos que não foram do meu agrado — sabendo que é para o andamento da série. Te deixa com um sensação de quero mais que não para até ter o próximo em mãos. Espero que tenhamos uma evolução e respostas para perguntas não respondidas. Aliás não posso deixar de citar, a volta de antigos protagonistas conhecidos pelos leitores e que terão seus destinos incertos. Sim, não basta bagunçar a vida do novo elenco que protagoniza Artifícios das Trevas, tem que mexer nos finais "felizes" daqueles que tiveram seu ciclo encerrado — quando aviso que Cassandra brinca com seu coração, é porque ela brinca. Duas situações soltas específicas te deixam sem ar pelo que prosseguirá. É angustiante!

Na parte física, a capa é maravilhosa, representativa e que encaixa com o conteúdo, assim como todos apresentados anteriormente da trilogia. Tivemos uma leve "adaptação" da palavra Lord traduzido para Senhor que não alterou tanto o significado, só que não faria mal traduzir para o corretamente. A minha edição é de colecionador então contém o brilho metalizado das capas desta edição, além de uma parte interna cheia de runas tanto na frente quanto atrás. Apesar do preço salgado para tê-la, no conjunto valeu a pena por esses pequenos diferenciais e por na pré-venda vir com brinde que foi um deck de cartas dos personagens do universo Shadowhunter. Na revisão alguns erros bobos, que no geral não afeta tanto, e a diagramação é a "padrão" da editora.

Acho que por esta enorme resenha é meio óbvio que preciso do próximo. Quando soltaram a capa de Queens of Air and Darkness — o finalizador de Artifícios das Trevas e sem tradução de título — ainda estava terminando este. Quando vi quem representava a capa e o título, imaginei a bomba que faria aquilo acontecer. Dito e feito. Pena que terei que esperar 1 ano para saber mais. Vamos torcer para passar rápido. Desculpem as longas palavras. Era necessário.

site: http://diariasleituras.blogspot.com.br/2017/11/resenha-senhor-das-sombras-cassandra-clare-artificios-das-trevas-lord-of-shadow-shadowhunters.html
comentários(0)comente



GETTUB 16/11/2017

No segundo volume da trilogia OS ARTIFÍCIOS DAS TREVAS, as desventuras e triunfos dos órfãos Blackthorn e Carstairs continuam mais conectados às demais séries e trilogias da autora. Cassandra Clare segue narrando com maestria o universo dos Caçadores de Sombras e dos membros do Submundo. Os primeiros têm o sangue Nephilim e, por serem metade anjo, devem proteger os mundanos dos perigos e demônios que assolam a Paz Fria. Enquanto as fadas, feiticeiros, lobisomens e vampiros do Submundo, devem interferir o mínimo possível na missão sublime dos guerreiros angelicais. A união entre tantos clãs rompem literalmente com o acordo de paz, e vários conflitos eclodem, para felicidade dos leitores acompanhantes da jornada do Instituto de Los Angeles.

Os DOIS parágrafos a seguir, contêm leves spoilers sobre o primeiro livro, então, se não quiser saber, pule para o TERCEIRO ;)

Em DAMA DA MEIA-NOITE (resenha, AQUI), o Alto Feiticeiro Malcolm Fade é assassinado por Emma. A doce vingança de seus pais, John e Cordelia Carstairs, ascendem Emma como a nova "Jace Herondale". Bela, rápida e fatal, a jovem segue envolvida com os assassinatos ao descobrir a relação destes casos com o aprisionamento do poderoso Volume Negro pelo Rei Unseelie. Os adjetivos da loira são os mesmos atribuídos ao protagonista da série INSTRUMENTOS MORTAIS. No passar das páginas deste livro, a herdeira Carstais mostra porque os merece ao enfrentar o Submundo para vingar todo o sangue Nephilim. A fada monarca, conhecida como Senhor das Sombras, não perde por esperar.

Como nos demais livros da autora, somos imersos em vários flashbacks antes de finalmente chegarmos ao presente. Tempo atual que está, no mínimo, sombrio no Instituto de Los Angeles. Com uma tutora sempre distante, os Blackthorn (Ty, Lyvvy,Tavvy, Julian e Mark) unem-se a Emma Carstais, Cristina e Diego para manter a honra da tradicional morada dos Caçadores de Sombras. A confusa árvore genealógica dos jovens passa a confundir-se ainda mais com seus relacionamentos eróticos. Emma é parabatai de Julian, uma promessa entre guerreiros que não permite envolvimento romântico. Confirmando minha previsões, tal comprometimento acontece e desencadeia no falso namoro de Emma e Mark, complicando ainda mais a convivência diária.

Mesmo com isso, o Mundo das Sombras não para. Bombardeados com as notícias do Volume Negro e com a recente chegada dos Centuriões, a antiga igreja passa a ser álibi de planos maquiavélicos dos guerreiros. Os Centuriões são enviados da Clave, importante órgão Nephilim, e não disfarçam seu desdém pelo Submundo. Sua presença balança não só as metas individualistas dos membros oficiais do Instituto, como também seus relacionamentos afetivos. Sem dúvidas, Cassandra finalmente encontrou a medida certa entre romance e combate nesta trilogia.

Ainda advindo dos capítulos passados, o jovem Christopher Herondale, Kit, torna-se o diamante bruto da equipe. Arredio e perspicaz, o rapaz logo vira parte fundamental do quebra-cabeça que os levarão ao final de sua missão. O fato de possuir um Caçador em formação, torna necessária a recapitulação de conceitos básicos do Mundo das Sombras, essenciais para aqueles que não leram os demais livros deste universo brilhantemente criado por Cassandra Clare. Da mesma forma, existe a participação de personagens de contos anteriores, o que é como um lar para aqueles que já leram todos os volumes e séries.

Não posso negar que, apesar do enredo brilhante, repleto de lutas e aventura, o grande trunfo da autora foi a sutileza com que foram abordados temas contemporâneos e relevantes. Por exemplo, a menção sobre o autismo de Ty, a orientação sexual múltipla das fadas e a visceralidade daqueles que lutam pelo que amam. Ficou ótimo! A forma com que esta mistura foi feita é o que cativa os milhões de leitores. Analogamente, a explanação da geopolítica Nephilim e seu repúdio às tecnologias mundanas são peças-chave para compreender o enredo e maravilhar-se com ele.

Obviamente, como em todos os livros com trama complexa, acontecem erros de verossimilhança e surgem personagens secundários intragáveis. Também me aborreci com a ausência de tradução de expressões em espanhol. Mas esses erros são contornados com a adesão a mais diálogo direto, ambientação impecável de Los Angeles e um vocabulário rico dificilmente encontrado em livros juvenis.

Além disso, a edição de colecionador vem com um deck de cartas com belas ilustrações dos personagens e ainda conta com capa holográfica, runas desenhadas nas contracapas, cena deletada e a diagramação confortável como nos demais volumes. De fato, o que podemos esperar para o final da trilogia é muita aventura e amadurecimento das personagens. Estou ansiosa para me surpreender mais uma vez com o talento quase sobrenatural de Cassandra Clare.

RESENHA DA MYLANE!

site: http://www.gettub.com.br/2017/11/senhor-das-sombras.html
comentários(0)comente



Bruna 08/11/2017

Resenha: Senhor das Sombras
Não é nenhum segredo pra quem me acompanha aqui no blog que eu sou uma grande fã da Cassandra Clare, que eu me apaixonei pelo universo que ela criou dos shadowhunters, de forma que eu estava esperando ansiosamente pelo "Senhor das Sombras". Estava tão empolgada pelo livro que o devorei em uma questão de dias e, agora, eu mal posso esperar para o próximo livro e tomara que ele não demore a chegar aqui no Brasil.

"A ensolarada Los Angeles pode ser um lugar sombrio na continuação de Dama da Meia-Noite, de Cassandra Clare. Emma Carstairs finalmente conseguiu vingar a morte dos pais e pensou que com isso estaria em paz. Mas se tem uma coisa que ela não encontrou foi tranquilidade. Dividida entre o amor que sente pelo seu parabatai Julian e a vontade de protegê-lo das graves consequências que um relacionamento entre os dois pode trazer, ela começa a namorar Mark Blackthorn, irmão de Julian. Mark, por sua vez, passou os últimos cinco anos preso no Reino das Fadas e não sabe se um dia voltará a ser o Caçador de Sombras que já foi. Como se não bastasse, as cortes das fadas estão em polvorosa. O Rei Unseelie está farto da Paz Fria e decidido a não mais ceder às exigências dos Nephlim. Presos entre as exigências das fadas e as leis da Clave, Emma, Julian e Mark devem encontrar um modo de proteger tudo aquilo que mais amam — juntos e antes que seja tarde."

O livro começa poucas semanas após os acontecimentos de "Dama da Meia-Noite", e como era de se esperar as coisas não andam nada fáceis para os shadowhunters do Instituto de Los Angeles, na verdade, a vida nunca foi muito fácil para eles. Depois da morte do feiticeiro Malcom Fade, de Emma Carstairs descobrir a verdade sobre a morte de seus pais e sobre a Maldição dos parabatais proteger os Blackthorns, principalmente, Julian se tornou sua missão principal, mesmo que isso envolva negar os seus sentimentos por ele. Em uma tentativa de tentar esquecê-lo, Emma começou um namoro de mentira com Mark, o irmão mais velho de Julian, que optou por permanecer ao lado de sua família ao invés de retornar para a Caçada Selvagem.

Como se isso não fosse complicado o bastante, o número de demônios marinhos aumentou na costa da Califórnia, de maneira que a Clave não teve como ignorar esse problema. Sendo assim, eles enviaram para o instituto os Centuriões, também conhecidos como a elite de caçadores formados na Scholomance, para tentar resolver esse problema. Porém, conviver com os Centuriões não vai ser uma tarefa nada fácil uma vez que eles são prepotentes, além de desprezarem os caçadores do instituto.

"Tem algo de especial num lugar em que você esteve com alguém que ama. Ele assume um significado na sua mente. Torna-se mais do que um lugar. Transforma-se em uma destilação do que vocês sentiam um pelo outro. Os momentos que você passa num lugar com alguém... se tornam parte dos tijolos e da argamassa. Parte da alma do lugar."

Lidar com essa visita indesejada no instituto não é nada fácil, mas sempre existe uma maneira de tudo piorar: além dos centuriões, eles recebem a visita de um convidado bastante incomum O líder da Caçada Selvagem, Gwyn ap Nudd, está ao instituto para trazer notícias sobre Kieran, que está preso e que será condenado a morte na corte de Unseelie. Para proteger aqueles que amamos, por alguém que já sentimos algo, é preciso fazer certos sacrifícios, de forma que Mark decide ir para o mundo das fadas para resgatar Kieran.

Trata-se de uma missão muito perigosa, ainda mais que os Nephlim estão com as relações abaladas com as fadas, mas apesar de todos os riscos iminentes Mark não desiste de tentar salvar Kieran. Para tentar resgatá-lo Julian, Emma e Christina vão atrás de Mark na corte Unseelie. Durante esse período que passam no mundo das fadas algumas revoltas, intrigas, informações e segredos vão surgir, alguns que podem mudar para sempre a vida e o mundo dos Nephlim.

"Eu nunca tinha entendido até então o quanto você pode privar uma pessoa ao não lhe dar as palavras das quais ela necessita para se descrever. Como você pode saber se há outros como você quando nunca teve um termo para se referir a si?"

No segundo livro da série Os Artifícios das Trevas, Cassandra Clare conseguiu dar mais destaque para os membros mais novos da família Blackthorns: Ty e Livvy, que ganharam um maior destaque do que no volume anterior. Junto deles outro personagem que se destacou bastante foi Kit Herondale, que havia tido uma breve aparição anteriormente. Kit ao lado dos gêmeos (Ty e Livvy) acabaram desenvolvendo uma amizade muito interessante.

Também gostei da maneira que a Cassie lidou com os triângulos amorosos da série (Julian, Emma, Mark e Kieran, Mark, Christina), sem deixar que se tornasse algo cansativo e que ganhasse um foco maior e mais importante na história. Por mais que um romance seja legal, não é o fator principal da série de livros, não é uma saga que gira em torno de um amor.

Foi com grande maestria que Cassandra Clare conseguiu desenvolver todos acontecimentos de "Senhor das Sombras", tantas coisas aconteceram que tive receio de que algumas ficassem confusas, ou que não recebessem a devida importância que mereciam. Agora, mal posso esperar pelo lançamento do próximo livro da saga (apenas espero que não demore muito e que seja tão bom quanto esse).

site: http://escritorawhovian.blogspot.com.br/2017/11/resenha-senhor-das-sombras.html
Puri Morais 08/11/2017minha estante
ESSA MULHER É BRUXA, livro foi perfeito demaisssssss


Bruna 08/11/2017minha estante
Sim, até agora estou apaixonada pelo livro. Cada vez mais me surpreendo com a Cassie.


Puri Morais 09/11/2017minha estante
maravilhosa.


Carol 13/11/2017minha estante
O final foi tão decepcionante...


May 22/11/2017minha estante
Super querendo ler!!!




Gabi Gomes 06/11/2017

Mais resenhas no Instagram @equacaoliteraria
Com eu estava ansiosa pela continuação de Dama da Meia-Noite! Voltar a adentrar no mundo dos caçadores de sombras é sempre uma surpresa. Quando se pensa que Cassandra Clare não tem mais o que criar, ela aparece com uma enredo complexo, cheio de mistérios e pontos altos, que fazem você querer ler sem parar até descobrir tudo.
No segundo livro da trilogia, a tensão entre Nephilims e Fadas está ainda mais acirrada, além da volta de Annabelle Blackthorn e da fragilidade da relação de Julian e Emma. O mais legal desse livro é que as três problemáticas conseguem se entrelaçar sem ficar com pontas soltas.
Os personagens estão mais sombrios e maduros; as cenas de batalha também estão mais intensas e te tirar o fôlego. Senhor das Sombras é o equilíbrio perfeito entre romance de tirar o fôlego e batalhas fantásticas.
E romance é o que há nesse livros, casais são formados e desfeitos, todos mundo acaba se relacionando com todo mundo e o casal Emma e Julian se complicam ainda mais na tentativa de reatar a amizade e impedir que os sentimentos dos dois os destrua. Mais sobre a maldição parabatai e sobre o mundo dos caçadores de sombras é revelado, mostrando um aprofundamento muito grande da autora com o enredo.
Algo muito legal é a forma como o tema do preconceito e do radicalismo é trabalhado na história. Seres místicos e magia pode muito bem se encaixar com o contexto atual da sociedade.
De forma geral, o livro é muito mais do que um romance místico, mas algo que faz o leitor pensar e se questionar sobre os assuntos abordados.

site: @equacaoliteraria
comentários(0)comente



Super Ci 27/10/2017

Resenha do Elefante Voador
Eu sou um pouco suspeita ao falar das obras de Cassandra Clare porque sou completamente apaixonada por seu estilo de narrativa, por seus personagens e por todo o universo que ela constrói.

Em Senhor das Sombras, temos vários conflitos acontecendo ao mesmo tempo: Emma precisando lidar com seus sentimentos em relação a Julian, Julian precisando tomar conta do Instituto de Los Angeles no lugar do tio, Kit se adaptando ao estilo de vida dos caçadores das sombras, Mark buscando seu lugar na família Blackthron, o impiedoso Rei Unseelie se mostrando um perigo eminente, tudo isso enquanto precisam lidar com ma facção shadowhunter extremista, que não tolera os membros do submundo.

Muita coisa em relação ao mistério envolvendo Annabel Blackthorn, Malcolm Fade e o Volume Negro começam a ser reveladas durante a história. Eu achei a narrativa bem intensa e envolvente! Li a metade dele em menos de um dia.

Na minha opinião, este segundo volume mantém o ritmo do primeiro. Temos muita ação, do início ao fim, lutas e batalhas ao melhor estilo caçadores das sombras e também turbilhões de sentimentos colocados a prova.

Infelizmente, Cassandra Clare, que nos traz tanto amor e tanta alegria, também machuca nossos corações em o Senhor das Sombras, com um final que sai totalmente fora do esperado e que nos deixa meio que sem chão.

Eu tenho um pouco de receio de falar sobre a história e acabar soltando algum spoiler, principalmente para quem ainda não leu A Dama da Meia-Noite. Porque muitos dos eventos mais importantes de Senhor das Sombras, se dá por causa do desfecho de seu antecessor. O que posso dizer é que os fãs dos shadowhunters não vão se decepcionar nenhum pouco com a história. Pelo contrário, somos surpreendidos a todo momento.

Emma, Julian e companhia se metem em emboscada atrás de emboscada. Quando pensamos que as coisas estão se acertando, o perigo bate de frente com eles mais uma vez e mais uma vez e mais uma vez, de forma desesperadora!

Ps. Para quem também é apaixonado por Magnus Bane – assim como eu – vai ficar bem contente, pois neste livro ele tem bem mais participação do que no anterior♥. Adorei poder matar a saudade.

Eu comprei o meu exemplar durante a pré-venda, então ganhei um deck de cartas ilustradas com os personagens do universo dos caçadores das sombras. Desde As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais até Os Artifícios das Trevas ♥ As cartas são lindas (tem fotos no blog)!

A edição segue o padrão dos livros da Cassandra Clare publicados pela Galera Record: com capa holográfica, em brochura e com uma diagramação impecável. Lembrando que a edição da pré-venda contém um capítulo extra no final do livro.

De coração partido ou não, só nos resta esperar a rainha Cassandra Clare lançar o próximo volume!

site: Resenha completa no Elefante Voador
comentários(0)comente



Tonia 25/10/2017

Super demais
Maravilhosa a forma que a autora descreve o difícil amor entre Julian e Emma, e em como Julian se transforma ao proteger sua família. Senti a dor junto com ele ao fim do livro, e realmente espero que eles consigam ficar juntos
comentários(0)comente



81 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6