Batman: Criaturas da Noite

Batman: Criaturas da Noite Marie Lu


Compartilhe


Resenhas - Batman: Criaturas da Noite


47 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Conchego das Letras 09/02/2018

Resenha Completa
Essa não será uma resenha técnica ou impessoal. Eu sou fã (fanática, obcecada, doida de pedra) do Batman. Coleciono quase tudo que é lançado sobre o personagem (só me recuso terminantemente a assistir Batman gordo, barbudo, bêbado e chorando).


Isso posto, vamos ao livro ilustrado Batman: Criaturas da Noite, de Marie Lu.
Primeiro sobre a autora – informações retiradas do site da Arqueiro e do Goodreads:

Marie Lu é a autora das séries Warcross e Jovens de Elite e da aclamadíssima trilogia Legend. Ela se formou na Universidade do Sul da Califórnia e trabalhou como designer na indústria de videogames. Atualmente escritora em tempo integral, passa as horas livres lendo e jogando. Mora em Los Angeles com o marido e um cãozinho mestiço de chihuahua e corgi.



Agora, sobre BATMAN: NIGHTWALKER.
Não é o melhor livro sobre Batman/Bruce Wayne. Pensando em livros, não em histórias em quadrinhos, eu ainda voto em Contos de Batman - volume 4: Apresentando a Mulher-Gato. Pensando em graphic novel, o voto ainda é Gritos na Noite.

NIGHTWALKER mostra Bruce Wayne saindo da adolescência, prestes a colocar as mãos na herança. Com apenas 18 anos ele ainda não é o detetive frio e impassível, o homem que guardou o coração porque não quer perder mais nada. Ele é um rebelde rico, entediado e que apronta sempre que possível, em uma dessas vezes ele é pego e condenado a prestar serviços comunitários, claro que no Arkham, onde ele é abusado verbalmente o tempo todo. Bruce – sem essa de Batman – não parece ter um cérebro, porque ele nem mesmo usa dedução lógica para escolher o almoço. O maior detetive de todos os tempos é reduzido a... nada.
Alfred não é citado na sinopse, e quando aparece é uma babá. Não o mordomo cheio de humor britânico, com piadas desconcertantes; ou o pai adotivo, que criou e levantou o ânimo do menino de 8 anos, órfão depois que viu os pais serem assassinados a sangue frio. Alfred, a referência de sanidade em qualquer história de Bruce, foi transformado em uma babá, responsável por tentar manter na linha um adolescente que acha que o mundo deve alguma coisa a ele. Triste fim para um ex-agente da MI-6.
A história em si não é ruim, o que estraga é usar Bruce Wayne, o homem que se tornará o Batman, mas tirando a força que o personagem já recebeu em uma releitura em Ano Um. Essa reinvenção do personagem em Ano Um – assim como o ressurgimento do personagem com Cavaleiro das Trevas – deu tão certo, é tão aceita pelos fãs, que Christopher Nolan levou ao cinema.
Lu ignorou todas as informações sobre a formação de Bruce, sobre como o menino solitário, que vivenciou um dos maiores traumas que um ser humano pode viver, criou o seu próprio Wayne.

Um jovem que se encanta com uma das prisioneiras do Arkham a ponto de tentar ajudá-la, mas sem sua inteligência superior e bem treinada, Bruce nem mesmo nota que está sendo manipulado e “ajudando” o inimigo. A sedução e inteligência passam longe dessa equação.

Os vilões do livro, Madelaine e as Criaturas da Noite, não são profundos, multifacetados, eletrizantes. Isso também dificulta para que o livro evolua de maneira mais fácil.

Talvez por eu ser uma viciada em thrillers, suspenses e romances policiais – além de apaixonada pelo Batman – o suspense do livro me pareceu bastante fraco, para não dizer inexistente. O final não deixa a desejar porque a construção da história é toda moldada para aquele final específico, então não vai surpreender ninguém.

A avaliação dessa leitura será diferente das outras e no final vão entender os motivos:

Enredo original e escrita de Marie Lu: 4 estrelas
Envolvimento emocional: 2 estrelas
Desenvolvimento da história: 2 estrelas

Resumo da ópera? Se você é, como eu, fã do Batman e já leu tudo o que é possível conseguir sobre o personagem da DC, leia por sua conta e risco – a capa é linda, então é um ponto mega positivo.

Se você não conhece Batman, não viu os filmes do Nolan e não sabe nem que ele é um herói da DC, a leitura é bem agradável.

Se você é fã da Marvel e quer zoar os amigos que são fãs da DC, leia.

Avaliação final: 2 estrelas, mas só porque a Marie escreve bem.

site: http://www.conchegodasletras.com.br/2018/02/devaneios-da-bel-batman-criaturas-da.html
Bradley 10/02/2018minha estante
vou ler em breve.
espero que seja uma leitura bacana pra mim
Eu li WAYNE DE GOTHAM e ler esse livro foi um exercício de tortura




Além das Páginas 18/04/2018

Batman - Criaturas da Noite é o segundo volume da série Lendas da DC - escrito por Marie Lu, também autora da conhecida trilogia Legend e Jovens de Elite.

Bom, sabemos que está "na moda" reedições mais modernas de contos clássicos, histórias em quadrinhos e afins; e Lendas da DC é mais uma versão dessa "repaginada" que vem ocorrendo.

Marie Lu constrói uma história com um Bruce Wayne mais jovem em uma linguagem fácil e recheada de aventuras.

"Ele crescera sob holofotes, suportando anos de manchetes sobre si mesmo e seus pais. BRUCE WAYNE, 8 ANOS, ÚNICA TESTEMUNHA DA MORTE DOS PAIS. BRUCE WAYNE É O HERDEIRO DA FORTUNA! BRUCE WAYNE, AOS 18 ANOS, O JOVEM MAIS RICO DO MUNDO!"

Bruce na juventude vivia se metendo em confusões; assim como na história original, nosso Bruce jovem também é abastado e talvez por isso um jovem inconsequente em muitos aspectos e falta bem pouco para ele completar dezoito anos e ser o responsável pelo dinheiro e negócios deixado pelos seus pais. Porém em uma de suas burradas, Bruce é pego e vai ter de pagar o preço por seu erro cumprindo uma pena leve com prestações de serviços comunitários em Arkhan e aí coisas ocorrem que vão modificar Bruce e o transformar no herói tão conhecido no mundo todo.


Marie Lu me conquistou mais uma vez. Eu amo os heróis e os vilões de muitas histórias e claro que eu conheço Batman, quem não conhece? Então, Marie não recria algo irracional, ela fala do antes do Bruce ser o defensor que conhecemos e isso é muito bacana, pois não nos perdemos pensando em dois personagens diferentes e sim em um mesmo personagem que tem um passado que o levou a ser quem é na história original. Ver esse desenvolvimento e crescimento de Bruce foi fantástico! Amei cada página que virei.

Adoro a escrita de Marie Lu e ela conseguiu mais uma vez me conquistar com essa leitura.

@karinicouto
comentários(0)comente



Jéssika @saymybook 13/04/2018

Bruce Wayne vai completar 18 anos e será o herdeiro e dono da fortuna e indústrias Wayne. No dia do seu aniversário ele se envolve em uma perseguição policial e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham. Lá ele conhece Madeleine, integrante de um grupo - as Criaturas da noite - que quer acabar com a elite de Gotham. Madeleine é misteriosa e só se comunica com Bruce.

Será que Bruce conseguirá descobrir os segredos de Madeleine e acabar com as Criaturas da noite?

Esse é o segundo livro da série Lendas da DC, e pode ser lido de forma independente. A série terá mais dois livros - Mulher gato e Superman - não sei se terá um crossover das histórias, mas até aqui tudo é único e cada história segue seu próprio rumo sem ligação.

Pode ser que meu lado fangirl do Batman tenha ficado ligado, mas Marie Lu trouxe uma história muito bem construída. Os personagens são bem desenvolvidos, mesmo os secundários, e trazem qualidades e defeitos. O inimigo é uma entidade contra o sistema corrupto e o herói é um cara normal, sem magia (só muito dinheiro kk) que quer fazer a diferença.

O livro também traz muito sobre amizade e confiança, além de ter personagens que nos faz questionar o conceito de vilã(o) e mocinha(o).

Pra mim foi tudo muito bem encaixado e na medida certa, sem exagerar demais pra ter uma história grandiosa. É um livro que pode ser lido por quem é fã do Batman, pra quem conhece pouco e pra quem conhece nada do Homem morcego.

Tudo é tão crível que eu arriscaria dizer que poderia ser usada pra ligar outras histórias do Batman. É fácil ler esse livro e imaginar esse mesmo garoto sendo futuramente o Batman das telonas e dos quadrinhos.

Batman - criaturas da noite é uma leitura rápida e envolvente. Você não vai ver o Cavaleiro das trevas, mas verá Bruce Wayne que se tornará um super herói.

"Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração."

site: www.instagram.com/saymybook
comentários(0)comente



Rosana 12/05/2018

Melhor que "Mulher Maravilha"
Mais um livro da série Lendas da DC, mas não se preopcupe, os livros podem ser lidos de forma independente. Sim, você não precisa ler "Mulher Maravilha - Sementes da Guerra" para ler esse, apesar de que eu diria para você ler minha resenha, que tá linda demais ♥

"Batman: Criaturas da Noite" vai falar sobre a juventude do nosso querido Batman, antes dele ser o sombrio justiceiro mascarado, Bruce era apenas um jovem milionário, mas que nunca causou mal algum para ninguém. No dia que completou 18 anos e se tornar o jovem mais rico do mundo e dono das indústrias Wayne, Bruce está no famoso Baile Beneficiente que já é tradição em Gothan City.

Após um desentendimento, ele decide dar uma volta de carro para clarear a mente e tentar desestressar. No entanto, ele se vê no meio de uma perseguição policial e em um momento de querer fazer justiça com as próprias mãos, Bruce usa o próprio carro para para o bandido fugitivo.

Agora, Bruce tem que cumprir cinco semanas de serviço comunitário na penitenciária de segurança máxima de Arkham. Derrotado, mas sem muitas expectativas de fugir do serviço comunitário, ele decide cair de cabeça (já que não tem muita opção). Dentro da penitenciária ele acaba conhecendo a misteriosa e garota de poucas palavras Madeleine.

Bruce começa a ficar intrigado e curioso para saber o que ela está fazendo ali, uma garota da mesma idade dele não pode ter feito muita coisa errada. E é aí que ele se engana, Bruce se vê cada vez mais intrigado e conectado com essa pessoa que ele mal conhece e que pode trazer a sua ruína nas mais diferentes formas.

O livro vai fazer com que você questione o conceito de vilão e mocinho, assim como apresentar algumas lições sobre amizade, família e confiança. Marie Lu conseque fazer com que o leitor mergulhe no livro sem ver a hora de parar. Eu fiz a leitura desse livro em um dia porque simplesmente não conseguia colocar o livro de lado e fazer qualquer outra coisa.

Não há exageros na história, é tudo na medida certa. A amizade entre Harvey, Dianne e Bruce é genuína, e não baseada em interesse, assim como a lealdade de Alfred que passa por várias situações inimagináveis para proteger Bruce. Os persagens são bem construídos e todos tem um arco importante no enredo. É tudo amarradinho e o livro não deixa pontas soltas.

É possível visuaizar o jovem Bruce tomando forma e se tornando o Homem Morcego que conhecemos e admiramos. Todo super herói tem um começo, um incentivo e um motivo e com esse não foi diferente. Com certeza quero ler os próximos volumes, ainda falta Mulher Gato (previsão de lançamento em Agosto na gringa) e Superman (em Janeiro de 2019). Pode mandar que eu vou ler!


site: http://www.tudoquemotiva.com/2018/04/batman-criaturas-da-noite-marie-lu.html
comentários(0)comente



Dri @oasisliterario 26/06/2018

Batman - Criaturas da Noite foi uma leitura agradável e, mesmo deixando a desejar, valeu a pena.
Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e se tornar bilionário ao herdar a fortuna da família e as indústrias Wayne. Entretanto, em uma série de escolhas erradas, Bruce acaba sendo condenado a prestar serviços comunitários no Asilo Arkham. Lá ele conhece Madeleine, uma das integrantes do Criaturas da Noite, um grupo que caça a elite de Gotham e descobre que é a única pessoa capaz de conseguir confissões de Madeleine.
Estaria Madeleine manipulando Bruce ou seria o jovem realmente capaz de acabar com uma das maiores ameaças de Gotham?

Quando ouvi falar sobre "Batman - Criaturas da Noite" fiquei muito ansiosa, já que o Batman é o meu super herói favorito e eu gosto bastante da escrita da autora Marie Lu. Entretanto, fiquei um pouco decepcionada ao descobrir que a história era focado em Bruce antes dele se tornar o famoso cavaleiro das trevas. Sendo assim, a história não tem o tom mais sombrio presente em histórias do Batman, mas sim um tom bem juvenil.

Acredito que justamente por estar com altas expectativas com relação ao personagem, a descaracterização do personagem me desanimou um pouco com relação ao livro, fato esse que tornou difícil uma maior conexão com a narrativa e, consequentemente, deixou a leitura bem lenta.

A história conta com diversas referências ao universo do Batman, o que foi um ponto bem positivo para mim. Marie Lu conseguiu criar um ótimo cenário, mas faltou a melancolia e as características sombria tão famosas na ambientação do personagem.

Portanto, Batman - Criaturas da Noite foi uma leitura agradável e, mesmo deixando a desejar, valeu a pena.
Recomendo para fãs de histórias juvenis.
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 27/03/2018

Uma serie com uma proposta sensacional
@ler_sim_ler_sempre

Aqui nosso herói/ morcego ainda é um adolescente que acaba de completar 18 anos. E Justo no dia dessa comemoração acaba se envolvendo em uma perseguição Entre a policia e um bandido - Uma Criatura da Noite.


Só que a polícia não gostou dessa "ajudinha". E como punição, mandou Bruce para serviços comunitário em um hospital/prisão.
Um lugar que mantém os piores bandidos de Gotham.
Onde ele conhece a misteriosa Medelaine, uma Criatura da Noite Que o envolve mais ainda nessa trama.

🦇Estou adorando a proposta dessa série. Descrevendo nossos super heróis preferidos ainda na fase da adolescência. Sem aquela camada de herói indestrutível e sim um jovem se descobrindo no mundo.


E com Batman não podemos esquecer que além de muita ação sempre há muita tecnologia e dinheiro envolvidos.


Mas o mais intrigante de todo o livro é a personalidade de Madeleine, que autora deixa o tempo todo no ar a dúvida se ela é mocinha ou a verdadeira vilã da história.


Fora que foi muito bom vê nosso jovem
Bruce se descobrindo apaixonado, com a real dúvida adolescente de certo e errado. Porém com o mesmo espírito de justiça já do velho conhecido Batman. E com aquele ar de melancolia de garoto rico e abandonado.


Deixando nenhuma dúvida de que Marie Lu conseguiu captar a essência do nosso herói sombrio. Que sempre teve a curiosidade aguçada e o senso de ajudar o próximo. Porém sem esquecer que ele não passa de um jovem em formação de caráter mas que nasceu para ser a nova esperança de Gotham City.

Um livro com uma narrativa sem enrolação e indicado pra quem gosta de aventura, mistério e do nosso eterno Bruce Wayne, O Batman. .


.(...)Os outros sempre esperam que a gente siga em frente depois
de uma perda, não é ? ... nos primeiros meses, é uma torrente de empatia. Então pouco a pouco
a coisa vai esfriando, e um dia vc se encontra sozinho diante do tumulo, se perguntando
Por que todo mundo seguiu adiante, passou a se preocupar com outras coisas, e você está ali, carregando em silêncio a mesma dor. As pessoas se entendiam com o seu luto. Querem falar coisas novas. Então você para de tocar no assunto para não entendiar ninguém (...)

https://www.instagram.com/p/BgrhQ9UFlR6/

site: https://www.instagram.com/p/BgrhQ9UFlR6/
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 21/05/2018

Bruce Wayne como você nunca viu. (@Upliterario)
Ao completar 18 anos, Bruce é o adolescente mais rico do mundo, dono das indústrias Wayne e de uma fortuna bilionária. Em sua festa de aniversário, contudo, as coisas saem um pouco do controle e ele se vê em uma perseguição policial pelas ruas de Gotham. E sua coragem irá lhe custar o sossego das férias de verão e lhe garantir um serviço comunitário em Arkham, o hospício da cidade.
.
Nos confins de Arkham, Bruce conhece Madeline, uma prisioneira diferente de todos os outros loucos. Ela faz parte do grupo Criaturas da Noite, cujo objetivo é destruir a elite de Gotham e, adivinhem só, o herdeiro Wayne é seu próximo alvo.
.
"- No mundo real não existe isso de trapaça, Bruce. É simplesmente a vida."
.
Um YA eletrizante e cheio de reviravoltas, bem ao estilo de Marie Lu. Eu tinha altíssimas expectativas neste livro, o que pode ter prejudicado um pouco a leitura que, para mim, demorou um pouco para tomar rumo. Mas assim que as coisas entraram nos eixos, a aventura se desenrolou com agilidade e uma pitada de romance, do jeito que a gente gosta.
.
"- Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração."
.
Para os fãs de Batman, um bom começo para as aventuras do Homem Morcego. Para os fãs de YAs, mais um ótimo livro de Marie Lu. Recomendo!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Jeff.Rodrigues 09/03/2018

Resenha publicada no Leitor Compulsivo.com.br
Segundo volume da quadrilogia Lendas da DC, Batman – Criaturas da Noite conseguiu manter o nível de qualidade cinco estrelas da obra anterior, focada na Mulher-Maravilha. Sob a batuta de Marie Lu, Bruce Wayne, às portas de completar 18 anos, é apresentado de forma magistral em um desenvolvimento de personagem que nada fica a dever ao futuro que o espera – já imensamente conhecido e explorado nos quadrinhos e cinemas.

Mantendo, coincidentemente ou não, a linha que Leigh Bardugo seguiu na construção da Mulher-Maravilha, Marie Lu acertou em cheio no personagem Bruce Wayne. Com isso, já destaco a maior qualidade e ponto alto da obra: o adolescente Bruce e seus dilemas, nada fáceis, de vida. Muito mais que um livro de ação e aventura, descobri em Criaturas da Noite, uma obra sobre um garoto em fase de amadurecimento enfrentando uma realidade dura, difícil e sem sua maior base de sustentação, os pais. Bem longe de superpoderes ou dotes além do normal, o que encontramos aqui é um adolescente sem nenhuma pinta de herói, que está descobrindo o mundo além dos muros de sua mansão, e carregando o fardo de estar no foco de pessoas que só querem extrair as vantagens de sua posição social e econômica. Ah, e que esbarra nos tortuosos caminhos da paixão.

Este Bruce Wayne despido de máscaras e capas, e falível como qualquer ser humano, é colocado numa trama que garante o clima de ação e mistério para os fãs do personagem. Todos os elementos deste livro enquadram-se perfeitamente bem no que podemos chamar de prólogo para o futuro Batman. E incluo aí vilões, melhores amigos, corpo policial e detalhes de Gotham (que por sinal casam muito bem com a série de televisão).

O adolescente meio solitário, um tanto metido a dono das soluções para tudo, com aquele arzinho rebelde que todos nós já tivemos um dia (ou ainda terão, dependendo de sua idade) certamente vai gerar uma identificação e simpatia imediata. A partir daí, é só embarcar na aventura e devorar as pouco mais de duzentas páginas do livro. O fim, dentro do esperado, deixa um gostinho de quero mais e joga nas mãos da autora do volume três a difícil missão de segurar a onda de qualidade.

Batman – Criaturas da Noite elevou o nível da série Lendas da DC, que já começou alto. Para fãs e entusiastas, e para apreciadores à distância, como eu, as histórias não ficam a dever a importância que esses personagens adquiriram ao longo das décadas, e cumprem com excelência o papel de portas de entrada para o universo da DC.

“No mundo real não existe isso de trapaça, Bruce. É simplesmente a vida”

site: http://leitorcompulsivo.com.br/2018/03/05/resenha-batman-criaturas-da-noite-marie-lu/
comentários(0)comente



Mi 30/03/2018

O cavaleiro das trevas está de volta!
Em "Batman: Criaturas da Noite" o leitor será apresentado a Bruce Wayne, nada de capa ou mascaras, nada do famoso herói, mas a história por trás dele. Um garoto cheio de atitude e ideais, rebelde como todo adolescente e dono de uma fortuna.

Perto de sua formatura e enfim assumindo a herança que seus pais deixaram, Bruce será apresentado a um mundo que desconhece, que vai além da segurança de sua mansão ou do que seu dinheiro pode garantir.

No dia em que completa dezoito anos, sua comemoração será uma homenagem aos seus pais, uma festa beneficente cheia de fotógrafos ansiosos por fotos do herdeiro das empresas Wayne Tech. Ao sair da festa mais cedo do que planejava, Bruce percorre as ruas de Gotham e vai de encontro a cena de um crime. Mesmo cercado por policiais e com ordens para se afastar do lugar, um impulso o levará a prestar serviço comunitário por interferir em uma operação policial.

Mas a sua condenação não sairá tão barata assim. Disposta a fazer com que o jovem Bruce Wayne entenda os limites e consequências de seus atos, além de acreditar que ele é mais um riquinho mimado tentando se safar da justiça, a detetive Draccon irá levá-lo para o Asilo Arkham. O lugar abriga os prisioneiros mais perigosos de toda Gotham e Bruce será mais um dos encarregados pela limpeza.

Sua intenção é apenas fazer o que lhe fora imposto até que sua pena chegue ao fim, mas não será fácil. Em meio aos condenados mais desequilibrados de toda a cidade, Bruce irá conhecer Madeleine. A garota aparenta ter sua idade e ser totalmente inofensiva. O que ela poderia ter feito para conseguir uma cela em um lugar como aquele? Ao descobrir que a garota é mais uma integrante das Criaturas da Noite que vem aterrorizando Gotham e responsáveis pelos assassinatos de grandes figurões da cidade, sua curiosidade aumenta ainda mais e vai de encontro com os seus ideais.

Madeleine está no Asilo há meses e ninguém conseguiu com que ela falasse ou reagisse a qualquer pergunta, mas por algum motivo, Bruce chamou sua atenção e será o único capaz de fazê-la falar. Com isso a detetive Draccon deixará com que Bruce faça parte do caso e descubra tudo o que a garota sabe. Mas será que é possível confiar em alguém que foi parar em meio aos piores prisioneiros de toda Gotham? Todos os seus atos parecem ser cautelosamente calculados, nada em Madeleine parece real ou espontâneo, por que Bruce deveria acreditar nela?

Resenha completa no blog

site: http://www.dezoitoprimaveras.com.br/2018/03/batman-criaturas-da-noite-marie-lu.html
comentários(0)comente



Lane @juntodoslivros 05/04/2018

Bruce Weyne ou Batman?
Aqui temos um Bruce Wayne ainda na juventude, mas com ideias de ajudar sua cidade Gotham a ser um lugar seguro para todos. Carregar o legado de sua família não é fácil para ele, mas tudo o que ele pode fazer é tentar estar à altura das expectativas dos seus parentes. Agora aos 18 anos, ele pode assumir oficialmente a empresa de seus pais. Porém na noite de sua festa de aniversário, ele se envolve em uma confusão e acaba tendo que prestar serviço comunitário em um asilo onde vários criminosos estão presos.

No asilo, ele conhece uma das residentes: Madeleine, uma garota da gangue Criaturas da Noite. O grupo extremista que se alto denomina um tipo de Robin Hood, tirando dinheiro dos ricos e os matando depois. Porém eles não parecem dividir o dinheiro com os pobres e apenas deixam todos com medo.

Disposto a ajudar a polícia a descobrir algo sobre o grupo, ele se voluntaria para se aproximar da garota que tem grandes olhos de boneca e que parece enxergar através dele. Será que Bruce vai conseguir alguma informação que valha a pena ou Madeleine está apenas o manipulando?

Dos heróis da DC, confesso que sou fã desse morcego que ronda a noite atrás dos bandidos. Esse ar misterioso me atrai. Me julguem! Então eu não poderia estar mais curiosa para ler esse livro não é?

O livro muitas vezes tem uma dinâmica mais lenta. Temos algumas cenas de tensão e também alguns momentos sombrios com os sentimentos de Bruce em relação à morte de seus pais, mas a história se torna leve por conta da escrita da Marie Lu. Batman – Criaturas da Noite, apesar de ser um livro desse morcego tão icônico e misterioso, ainda é um livro juvenil. Gostei sim do livro, mas ele não superou Mulher-Maravilha ao meu ver.
Batman – Criaturas da Noite é um livro leve e de fácil entretenimento, mas já aviso que a autora pecou um pouco no final. Eu o achei um tanto corrido e de fácil resolução, porém cabe bem a proposta e à faixa etária juvenil.

“Ele ainda não sabia o que o futuro lhe reservava, mas sabia que, fosse o que fosse, estava ali. Era um lugar que merecia proteção. Era sua casa.” Página 239

site: https://www.instagram.com/p/BggoH-nDy5h/?taken-by=juntodoslivros
comentários(0)comente



Rose 25/06/2018

Prestes a completar 18 anos, Bruce Wayne terá pleno controle sobre a herança deixada por seus pais. E os olhos da mídia que sempre estiveram voltados para ele, estão mais atentos do que nunca.
No dia do seu aniversário ele tem a chance de ajudar na captura de um dos integrantes da gangue "Criaturas da Noite", que tem aterrorizado a elite de Gotham City.
Mas esta sua decisão resultou em uma condenação. Agora ele teria que prestar serviços comunitários. O local escolhido para isso pela justiça foi o Asilo Arkham, uma mescla de presídio e hospital psiquiátrico, para onde os criminosos mais perigosos da cidade eram mandados.
Lá ele acaba conhecendo Madeleine, uma perigosa integrante da "Criaturas da Noite", acusada de vários os assassinatos frios e cruéis.
Apesar dos vários interrogatórios a que foi submetida, Madeleine não revelou nada polícia, mas do nada decide se abrir com Bruce.
Bruce se vê no meio de um perigoso jogo de sedução e inteligência. Apesar de estar ciente dos crimes de Madeleine, algo naquela garota mexia com ele, ao mesmo tempo que o confundia.
Pisando em ovos e ele tenta descobrir o que de verdade existe no que Madeleine lhe conta. Sua esperança é conseguir deter os crimes da gangue.
Mas o jogo vira bruscamente, e agora não é apenas a vida de Bruce que corre perigo, mas principalmente das poucas pessoas que lhe são tão importantes.
Era hora de Bruce usar sua inteligência e força, pois ninguém tiraria mais nada dele, sem que ele lutasse.
Um enredo ágil e inteligente, cheio de nuances como este personagem merece. Batman é um herói único que usa como um poucos sua inteligência, dinheiro e tecnologia. Seu lado obscuro faz dele o herói mais humano, pois não é aquele personagem perfeitinho e certinho que muitos heróis são.
Altura conseguiu de forma bem eficaz mostrar estas características ainda com Bruce aos 18 anos, onde ele não pensava em se tornar o Batman.
Leitura recomendada para todas as idades.


site: www.fabricadosconvites.blogspot.com
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 10/05/2018

Resenha da Tata
Então, essa resenha vai ser complicada, porque nem eu sei direito o que achar desse livro.

Vou começar dizendo que, junto com o Flash (o dos desenhos, super engraçado e super louco) e a Mulher Maravilha (predominantemente a do último filme), Batman é, provavelmente, meu herói favorito da DC (Super-Homem é muito chato, muito certinho, muito perfeito, com muito gel no cabelo e muito choroso para meu gosto).

Vamos ser francos aqui, Batman é um dos heróis mais complexos e isso pode ser notado pela forma como ele dança na linha tênue entre o bem e o mal, vivendo sempre em conflito consigo mesmo, seja pelas falhas em seu caráter ou pelo trauma de sua infância. Ele vê um fim e, em grande parte das vezes, não se importa com o meio.

Dizendo isso, o que eu preciso que vocês entendam é que a ideia dessa série é mostrar os super-heróis antes de serem super, mostrar seus anos de adolescência que os levaram a ser a figura que conhecemos hoje.

O livro começa com um Bruce Wayne com 18 anos, um Bruce comedido que faz festas beneficentes para comemorar seu aniversário, um Bruce preocupado com as manchetes dos jornais, um Bruce preocupado com os investimentos da sua empresa, o estágio de verão que ele vai fazer com o Lucius Fox e o jantar na lanchonete que ele vai ter com os únicos verdadeiros amigos após a festa.

Mas, chateado com o pedido de um amigo de infância interesseiro, Bruce foge da festa e, movido por uma curiosidade, se vê em meio a uma cena de crime, uma na qual se envolve (leia: ajudar a polícia a prender um criminoso), começa uma corrida de carros, causa um acidente e, por conta disso, acaba sendo condenado a prestar serviço comunitário no Asilo de Arkham (que para quem não sabe, é um dos lugares mais icônicos de Gotham, sendo o local de origem de vários vilões famosos do universo da DC).

E é la que o jovem Bruce vai conhecer uma misteriosa e bonita garota que vive implicando com ele e que parece estar envolvida com uma série de ataques que vem ocorrendo pela cidade. As criaturas da noite, como vem sendo chamadas, vagam pela cidade a noite, matando os ricos e poderosos de Gotham e, pelo que dizem, redistribuindo suas riquezas entre os mais pobres.

Então, eu gostei, mas eu não amei.

E o negócio é o seguinte, eu queria ter amado, até porque a sinopse e a ideia da história realmente me levaram a querer realmente amar isso e eu estava cheia de expectativas. Mas não sei, eu acho que o problema se deu pela descaracterização de Bruce Wayne e de alguns dos outros personagens.

Eu não sei se estou acostumada demais com o Batman de Christopher Nolan (ou qualquer outro Batman dos últimos 15 anos), mas, por alguma razão, eu simplesmente não consegui ver o personagem como Bruce. Não sei, acho que faltou um pouco de melancolia, de raiva não muito bem contida, de frustração, de rebeldia. O Bruce trazido por essa história é muito certinho, muito comedido e, mesmo nas cenas em que se rebela, ele faz isso de uma forma sem espirito.

O Bruce Wayne que eu conheço é um vigilante, mas também é um playboy, um rebelde por definição.

Mas é aí que se encontra o problema desse livro. Diferente dos outros heróis que tiveram seus destinos mudados durante seus anos adultos por um acontecimento inesperado (ganhar poderes no laboratório do trabalho, fugir da ilha em que mora, achar um anel em uma praia...), Bruce Wayne começa a se tornar o Batman quando ele ainda é uma criança, no momento em que seus pais são assassinados e ele tem que lidar com toda a culpa e a angústia que isso acaba trazendo para ele.

Assim, para mim, pelo menos, um Bruce adolescente é um caldeirão de emoções (que vem cozinhado desde a morte de seus pais) e hormônios que o levará inevitavelmente a se tornar o Batman que conhecemos, e não o adolescente preocupado e bonzinho que esse livro demonstra.

É como se o senso de justiça dele estivesse ali, mas a motivação, o estopim que futuramente o fará se tornar o Batman e mudar completamente sua personalidade, só será apresentada anos após a historia desse livro, o que sabemos que não acontece assim.

Acho que se esse livro não fosse do Batman, se fosse um livro em que os nomes dos personagens fossem mudados e não se passasse no universo da DC, eu provavelmente teria gostado muitoooo mais dele.

A história dos assassinatos e do mistério são bem legais, da mesma forma que eu curti as interações entre Bruce e Madeleine (apesar da total falta de noção de tudo, porque, né, vamos mandar um adolescente bilionário, cujo crime foi tentar ajudar a prender um bandido, o único herdeiro de um império, para fazer serviço comunitário na pior prisão da cidade e deixar ele batendo papo sem supervisão com uma menina, conhecida por suas manipulações, condenada por assassinato e que parece com uma modelo adolescente).



Alguns personagens bem conhecidos são mencionados (como o comissário Gordon), para o grande prazer dos fãs, outros ganham um bom número de páginas como o Alfred (que foi maravilhoso), o Harvey Dent e o Lucius Fox.

No todo, Batman: Criaturas da Noite é um livro rápido, fácil e dinâmico de ler. Não é nem de longe a melhor história do Batman, mas para aqueles que não gostam do morcego ou que não possuam muita informação sobre o mesmo, devem acabar gostando bastante da narrativa apresentada.

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2018/03/batman-criaturas-da-noite-marie-lu.html
comentários(0)comente



Suka 16/10/2018

Nesse livro iremos conhecer a história de Bruce, um jovem que está terminando o ensino médio, que após o assassinato de seus pais quando criança tornou-se herdeiro de toda fortuna da família e isso inclui uma das maiores empresas de tecnologia a Waynetech. Criado pelo seu guardião Alfred, Bruce é um jovem de poucos amigos, na verdade apenas Dianne e Harvey são seus amigos. Porém, ele acaba se metendo uma enrascada e terá que pagar pelo seu erro trabalhando no Asilo de Arkham e é nessa prisão que ele irá conhecer Madeleine uma jovem prisioneira que não apesar da insistência dos investigadores ela não abre a boca para falar nada sobre as criaturas da noite, grupo que anda matando a elite de Gotham e roubando todo o seu dinheiro. Bruce acabará se envolvendo no caso e ira tentar arrancar informações dela. Que às vezes prece ajudá-lo e às vezes parece só querer brincar com ele.
Não me estenderei na história para não soltar spoiler. É um livro de leitura fluida, a escrita da autora faz com que você se envolva junto com os personagens, recheado de ação e digamos que até um romancezinho.
Batman é um dos meus personagens favoritos da DC e confesso que fiquei na expectativa quando soube desse livro, pois é uma história onde ele está jovem e ainda não é o herói, seus sentimentos pela perda dos pais ainda estão bem aflorado e seu apelo pela justiça começa a surgi.
Vale a pena a leitura!

site: http://www.suka-p.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 13/03/2018

Originalmente postada em http://www.oquetemnanossaestante.com.br/
Batman: Criaturas da Noite é o segundo livro da série Lendas da DC. O primeiro livro foi Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra e você pode ler a resenha dele clicando aqui. Apesar de ser série, as histórias são independentes.

Nesse livros vemos um Bruce Wayne completamente diferente do que conhecemos. Eu vi algumas resenhas apontando isso como algo negativo, mas pra mim foi o contrário. Acabei o livro com a sensação de que foram os acontecimentos que ocorreram aqui foi o que motivou Bruce Wayne a virar Batman. Fora que eu não sou muito fã do Homem-Morcego, mas nesse livro eu consegui simpatizar bastante com ele.

Aqui vemos um Bruce Wayne que acaba de completar 18 anos e receber todo o poder das Empresas Wayne. Mas também vemos um garoto inseguro por conta de toda sua exposição na mídia desde pequeno; querendo ser mais do que o menino que viu ser pais ser assassinado. E é nesse turbilhão de sentimentos que ele acaba se envolvendo com Madeleine, disposto a impedir os ataques das Criaturas da Noite.

Não vou mentir que terminei o livro com a sensação de que li a história do Batman com a Mulher-Gato. Só não foi Mulher-Gato per se por conta que é o próximo livro, que será escrito pela Sarah J. Maas. Quem conhece o mínimo do mínimo da história dos dois sabe que rola um sentimento forte mas ambos estão em lados opostos. Foi bem assim que me senti: Bruce de um lado e Madeleine do outro. Não foi algo ruim na história; foi só um detalhe que percebi.

Digna de história do Batman - e também da Marie Lu - temos um jogo de gato e rato entre Bruce e Madeleine. O livro foca muito em um jogo mais psicológico e inteligente, mas não pense que é só nisso que fica. As cenas da reta final são de tirar o fôlego e super compensa esperar por elas.

Eu já conhecia a escrita da Marie Lu por conta da trilogia Legend e sabia que ela não ia me decepcionar aqui. O livro é um pouco mais curto que o anterior, mas não peca na qualidade. A escrita da Marie é direta, clara, sem rodeios e muito envolvente. Ela não perde muito tempo com descrições extensas, focando no necessário para nos situar.

Os personagens secundários têm seu destaque merecido. Dianne e Harvey são amigos de Bruce e essa amizade é algo que o fortalece por saber que pode contar com seus amigos sempre. Confesso que super shippei Dianne e Bruce e queria sim que eles ficassem juntos, maaas… Albert aqui com a mesma essência de sempre; mais que um mordomo para Bruce, é seu guardião, amigo e figura familiar. Já começamos a ver aquela dinâmica entre Bruce e Albert que irá se aprofundar mais quando Patrão Bruce virar Batman.

Batman Criaturas da Noite é uma história que irá agradar fãs e não-fãs do Bátima (Mi, deixa assim que é de propósito; mas se achar que é paia pode tirar sem medo de ser feliz). O próximo livro é o da Mulher-Gato entitulado Soulstealer (Ladrão de Alma, em tradução livre), escrito pela Sarah J. Maas, com previsão de lançamento internacional em agosto. O último livro será do Superman, que ainda não tem título, escrito pelo Matt de La Peña.

Leia mais resenhas em http://www.oquetemnanossaestante.com.br/

site: http://www.oquetemnanossaestante.com.br/2018/03/batman-criaturas-da-noite-resenha.html
comentários(0)comente



Kalyne @oreinodaspaginas 03/04/2018

Resenha
Batman
“Cavaleiro das trevas, homem-morcego, o cruzado de capa, o maior detetive do mundo.”
Talvez meu caro leitor, você já deva ter esbarrado em alguns desses termos ao longo da vida, e talvez saiba exatamente a quem se refere. Mas caso esteja se sentindo perdido, segure em minhas mãos e venha conhecer sobre um lado pouco contado da vida de um dos maiores super-heróis das histórias em quadrinhos.
Desde 1939 ao fazer sua aparição pela primeira vez, Batman o herói protetor de Gotham City, alter ego do bilionário Bruce Wayne, conquistou os fãs pela singularidade de sua história. Sempre o vemos sendo retratado como uma pessoa séria, de poucos sorrisos ou quase nenhum, alguém que prefere a solidão e só socializa por obrigação. Um homem marcado pela dor desde a infância.
“Bruce franziu a testa, hipnotizado por aquelas estranhas palavras. Não hesite.” (Página 66)
Em Batman Criaturas da Noite, somos apresentados a uma nova perspectiva da vida de Bruce Wayne durante a transição para a fase adulta. Prestes a herdar o controle total da fortuna de sua família e o comando das indústrias Wayne, na noite de seu aniversário de 18 anos, ele toma uma atitude impensada e acaba sendo condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham.
“Os morcegos de Gotham voavam à noite; ao parar e olhar para cima, ele viu uma colônia circundando o horizonte, ávida para dar inicio à caçada noturna.” (Página 103)
Uma mistura entre prisão e hospital psiquiátrico, onde os piores criminosos de Gotham estão, esse é o Arkham. Lá Bruce conhece Madeleine, uma jovem integrante das Criaturas da Noite, um grupo que está travando uma guerra mortal contra os ricos. Eles alegam que a elite corrompeu o sistema, e assim os punem, roubando o dinheiro desses cidadãos e usando para financiar a destruição de tudo que essas pessoas valorizavam ao longo da vida.
“Estava em vantagem ali. A casa era dele. Ele a conhecia como a palma da mão. Podia percorrê-la inteira vendado, se fosse preciso.
A escuridão era sua aliada, não inimiga.” (Página 158)
Madeleine se recusava terminantemente a passar qualquer informação a policia sobre os futuros ataques das Criaturas da Noite, porem ela resolve se abrir para Bruce, sentindo que em seus coração haviam o mesmo sentimento: o de trevas.
“Eles agora estavam em seu território.
E, em seu território, ele era o predador.” (Página 161)
Usando artifícios de sedução e uma mente brilhante, Madeleine desvenda todos os segredos de Bruce antes que ele desvende os dela. Mas o jovem Wayne acredita fielmente que conseguira fazer com que ela lhe entregue todos os planos de ataque do grupo terrorista antes deles escolherem sua próxima vitima.
“- Com todo o respeito, patrão – disse Alfred, com polidez -, o diabo que vou deixar o legado de seus pais acabar nas mãos desse genio maldito do crime.” (Página 182)
O golpe final e mais destruidor das Criaturas da Noite está se aproximando, mas Bruce está longe de se tornar o tão temido Cavaleiro das Trevas, mesmo assim vai mostrar que está no caminho de se tornar um dos maiores heróis que a humanidade já viu e preparado para acabar com essa ameaça em Gotham.
“Sempre haveria no mundo os mentirosos, traidores e ladrões, mas também sempre haveria as pessoas de bom coração.” (Página 229)
Meus caros, que visão totalmente diferente da personalidade austera que sempre vemos o Batman ter. Nessa história Bruce é apenas um jovem cheio de sentimentos, aflições, medos e vontades como qualquer outro. Mesmo sendo o dono de um dos maiores impérios financeiros do mundo, ele mostra que é apenas um ser humano normal, com emoções e suscetível a erros.
Marie Lu criou uma história bastante diferente, mas apaixonante e encantadora. Até amigos durante a juventude Bruce tem por aqui rs. Um desses amigos inclusive, é alguém que no futuro se tornara um dos seus piores inimigos, e amei ver como a autora conduziu a amizade entre os dois.
Esse é o segundo livro da Coleção Lendas da DC, e alem de parabenizar a editora Arqueiro pela diagramação maravilhosa, gostaria de parabenizar também pela iniciativa de trazer para nós leitores, histórias de super-heróis. Vocês são demais.




site: http://oreinodaspaginas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



47 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4