Um Amor Perdido

Um Amor Perdido Alyson Richman




Resenhas - Um Amor Perdido


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Vanessa 17/06/2018

Uma linda história de esperança
Acho que nunca li algo tão lindo. Terminei a pouco e ainda não consegui parar de chorar. A história de Lenka e Joseph, contada pelos dois como narradores, é dolorosa e ao mesmo tempo linda.
Sofri com eles, sorri poucas vezes, me emocionei em mais da metade do livro.
comentários(0)comente



Bruna 14/06/2018

Romance Histórico tentando sobreviver ao nazismo
Foi um leitura intensa, tensa, de aquecer o coração e de destruir a alma. A história é alternada entre passado e presente. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Um passado na pré-guerra e o nazismo! Da pra imaginar a intensidade né?! Lenka - apaixonada por arte e Josef - médico recém formado se apaixonam nessa época. E veem o amor ser ruído pela dor e destruição acusada por esse período. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Ambos lutaram MUITO não só pra sobreviver por pela família. Lenka me ganhou, sou força e luta pela eram de prender a respiração. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Ahh e os sentimentos, gente foram tantos sentimentos despertados durante essa leitura. Acho que isso se intensificou, por ter sido um livro baseado em fatos reais.
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀ ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Por falar nisso, não deixem de ler o comentário da autora sobre a construção desse livro e dos fatos reais, está tudo lá no finalzinho. ⠀

site: https://www.instagram.com/naoemprestolivros/
comentários(0)comente



Diane Ramos 13/06/2018

UM AMOR PERDIDO (Alyson Richman)
Gosto bastante de realizar leituras que se passam durante a Segunda Guerra Mundial, apesar de ser uma das épocas mais sombrias e aterrorizantes da história, os livros que se passam nessa época sempre tem ensinamentos lindos e nos mostram muito sobre caráter, maldade e como o amor pode resistir a provas extremas de resistência. Assim que recebi Um Amor Perdido e soube que a história se passava nesse período fiquei extremamente empolgada e felizmente Alyson Richman conseguiu suprir minhas expectativas.
O livro se passa em Praga, durante o pré-guerra, e traz a história de Lenka, uma jovem estudante de artes plásticas que leva uma vida estável com sua família judia e suas tradições. Com uma mente criativa e uma personalidade sonhadora, Lenka acaba se apaixonando pelo irmão de sua melhor amiga, Josef, um estudante de medicina e também judeu. Recíproco, o amor que sentem um pelo outro só aumenta, e enquanto vivem um lindo romance, a Segunda Guerra Mundial se aproxima.
Em meio á muitas dificuldades desse períodos, como a perseguições aos judeus e a soberania dos nazistas, muitas famílias são separadas, e num golpe do destino, Lenka e Josef, agora recém casados, são separados pela guerra, onde Josef consegue fugir para os Estados Unidos e Lenka, permanece em Praga. Na América, Josef torna-se um obstetra bem sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. Mas, no campo de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver.
Do conforto da vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa em guerra, Um Amor Perdido explora a resistência do primeiro amor e do espírito humano e a capacidade de recordar.

Um Amor Perdido é narrado em primeira pessoa e intercala os pontos de vista entre as versões do casal protagonista, onde na visão de Lenka acompanhamos sua versão sobre a época em que ocorreu a Segunda Guerra Mundial, as humilhações no campos de concentração e outras brutalidades; já nos capítulos dedicados á Josef, acompanhamos sua história no pós guerra e sua tentativa de superar o passado. A escrita da autora Alyson Richman é densa, envolvente, sensível e rica em detalhes, o que nos faz mergulhar nos dramas vividos pelos protagonistas.
Os personagens foram muito bem construídos, o casal protagonista tem uma química bem interessante e nos faz torcermos por eles do início ao fim. Lenka é uma protagonista incrível, forte e sonhadora que usa todo o seu talento como uma válvula de escape para todas as humilhações que é obrigada a passar em Terezín. Lenka é aquele tipo de personagem que todo leitor procura num livro, aquela heroína que dá vontade de entrar nas páginas para abraçá-la. Josef também é um personagem encantador, mas, como sua parte da narração fica durante o pós-guerra elas foram mais “leves” e não causam tanta empatia como os de Lenka. Achei interessante que a autora também intercalou algumas histórias reais na ficção, muitos dos nomes e histórias contadas nos campos de concentração e outros são de pessoas reais e que de fato vivenciaram aquele momento.
Muito mais do que um livro de amor, Um Amor Perdido é um livro que nos fala sobre a força de recomeçar, de se redescobrir e nos mostra ainda que o ser humano pode se controlar e manter as esperanças mesmo nas piores situações. Um livro que além de uma belíssima história de amor, também apresenta o terror nazista, o sofrimento dos judeus e ainda lembra o leitor as atrocidades que o antissemitismo, o preconceito, o nacionalismo exacerbado e o totalitarismo são capazes de fazer.
Enfim, Um Amor Perdido é um livro denso e lindo, que traz reflexões profundas para nossas vidas e mexe com o sentimento do leitor... Recomendo de olhos fechados para todos vocês e espero de coração que deem uma chance para essa obra sensacional!

site: http://coisasdediane.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



LBL 10/06/2018

Lindo e emocionante
O pano de fundo é sobre um casal de judeus de Praga que se separa durante a guerra. Ele, Josef, consegue fugir para Nova Iorque. Ela, Lenka, vai para campos de concentração (primeiro Terezin e depois Auschwitz). Cada um pensa que o outro está morto e reconstroem suas vidas após a guerra em Nova Iorque. O reencontro ocorre 60 anos depois da separação no casamento de seus netos. O livro é lindíssimo e emocionante. A autora parte desse linda história de amor para contar sobre as agruras da guerra. E uma das coisas que mais gostei foi que a autora não forçou uma situação mais dramática do que a vida real efetivamente foi. Ela simplesmente relata, em primeira pessoa, as experiências de Lenka em campos de concentração com base em fatos reais e traz personagens da vida real para a vida de Lenka. Livro maravilhoso. Um daqueles livros que não se esquece e que se fica ruminando após encerrar a leitura.
comentários(0)comente



Quedma 10/06/2018

Iniciei a leitura esperando um romance ambientado no período de Guerra. Mas foi muito mais que isso, através das lembranças de Lenka e Josef a autora construiu uma história que retrata um período aterrorizante com muita delicadeza.

Os personagens se aproximam tanto de nós leitores, são tão reais que a nossa vontade de tocar e consolar; abraçar e proteger em muitos momentos transpuseram as paginas.

Descreveu também os "monstros" tiranos que tristemente fizeram esta história doer a nossa alma, porque é uma história real de um passado cruel.

Alysson tem uma escrita maravilhosa, consegue transmitir todo o sentimento, é clara sem descrições exarcebadas tornando a história crível em um cenário muito bem construído.

O livro começa com um reencontro que já faz o nosso coração estremecer e retorna no tempo com lembranças de uma jovem cheia de sonhos envolta a muito amor de sua família , que conhece o primeiro amor e todas as descobertas deste novo sentimento.

E é neste ponto que somos apresentados a muito mais, foi um presente de uma Nova amiga literária que indicou este livro, e sou feliz por ter tido a oportunidade de ter conhecido está história.

Uma história que me encantou, me fez chorar e me emocionou profundamente.

Não conhecia a autora e quero ter a oportunidade de ler outras histórias dela, sua escrita leve me cativou, sou fã agora!!!!

Os agradecimentos finais do livro quando eu estava recuperando, me quebrou novamente, saber de todos os toques reais que nortearam a escrita foi excepcional.

Eu Super Recomendo !!!!

Obrigada Horto Jacques ?
comentários(0)comente



Leisiane Peloi 04/06/2018

Muito Emocionante
❝Separados pela guerra. Unidos pelas lembranças.❞

Sabe o porquê eu quase não leio livros em que o cenário se passa no período de guerra? Justamente para evitar sofrimento durante a leitura. E com Um Amor Perdido não foi diferente, inspirado em fatos reais, esse livro te leva de volta ao passado quando as tropas alemãs de Hitler invadiram a cidade de Praga, capital de Tchéquia (República Checa) para possuir poder e torturar os judeus. A leitura causa muita tristeza e dor.

Lenka é uma jovem judia que está em seu segundo ano na faculdade de artes plásticas quando se apaixona pelo irmão de sua melhor amiga, Josef. Ele é judeu e estuda para ser médico por influência do pai. É um amor imediato e muito forte, porém logo são ameaçados por uma guerra iminente e cruel que atinge diretamente os judeus. Com um plano, Josef se casa com Lenka para leva-la embora para os Estados Unidos, para a segurança do estado. Entretendo Lenka convence Josef ir primeiro e salvar sua família, pois ela só iria partir quando seus pais e sua irmã mais nova pudesse ir também. É nesse momento que o casal se vê obrigado a se separem e uma série de tormentos e tristeza acontece na vida dessas duas pessoas.

Eu chorei, eu chorei muito! Um Amor Perdido não se trata apenas de um romance, mas de relatos sobre a segunda guerra mundial que atingiu os judeus de forma barbara. Lenka é uma guerreia, sofreu diversas torturas, quase não aguentou lutar. Os relatos narrados pela visão dela são mais fortes e impactantes, pois era sobre o que acontecia na guerra. Já os de Josef, intercalava em períodos de presente e passado, mostrando como o amor permanecia vivo.

O livro tem uma história intensa e devastadora que me fez questionar como as pessoas conseguiam superar aquele período de guerra e quais foram os resultados (físicos e psicológicos) de cada tormento que elas viveram. Um fato que ajudou bastante, foi a escrita da autora Alyson Richman, que é clara e bem objetiva, mas em nenhum momento ela foi cruel demais nos relatos, apenas narrava com clareza, transmitindo assim diversas sensações durante a leitura.

Em suma, Um Amor Perdido é uma obra que merece ser lida para trazer reflexões profundas em nossas vidas. É difícil entender como os judeus sofreram tanto nas mãos de nazistas só por terem uma etnia diferente. Sem duvidas é um livro que mexe com nossos sentimentos, por isso indico muito.

site: https://amanhecerliterario.wordpress.com/2018/05/16/resenha-um-amor-perdido-alyson-richman/
comentários(0)comente



Tamires.Xavier 31/05/2018

Um Amor Perdido
Um livrão que indico sem piscar pra todos que querem conhecer um pouco sobre a segunda guerra mundial.
Um romance baseado em fatos reais, que conta a história de um casal que se apaixona antes da guerra e resolvem se casar, mas são separados no início da guerra.
Muito além da história de amor dos dois protagonistas,nos deparamos neste livro com histórias de pessoas reais que morreram e outras que sobreviveram ao holocausto, porém o que mais chamou a atenção foi a descrição do que acontecia nos campos de concentração e como as pessoas eram massacadas e levadas a morte.
Um livro comovente que faz você chorar litros.
comentários(0)comente



Gaby 30/05/2018

Lenka é uma jovem estudante de arte na Praga pré-guerra; quando conhece Josef, o irmão mais velho de sua melhor amiga, Lenka se apaixonada perdidamente pelo rapaz. Recíproco, o amor que eles sentem um pelo outro só aumenta, e enquanto descobrem esse novo e arrebatador sentimento e a si mesmos, a Segunda Guerra Mundial se aproxima.

Com as dificuldades cada vez piores e o ar sufocante de um país prestes a ser invadido, eles se casam e planejam viajar até a América. Mas uma reviravolta inesperada faz com que Josef empreenda a viagem sozinho, deixando Lenka, e esse era seu desejo, para trás com toda sua família.

Na América Josef, não sem dificuldades, continua seus estudos na medicina. Em um campo de concentração, Lenka e sua família sofrem as mais crués humilhações e privações. Um acredita que o outro está morto. Décadas depois, eles se reencontram.


Um Amor Perdido foi um livro que me levou em uma montanha-russa de emoção e diferentes sentimentos, pois narra uma história de amor extremamente bonita, para depois interrompê-la tão tristemente. Senti lá no fundo todo o drama dos personagens, só podendo imaginar o sofrimento de ambos. Lenka foi uma das personagens femininas mais fortes que já conheci! No campo de concentração, vendo a vida se esvair do olhar de seus amados familiares, ela se apoia na arte, quando é escalada para trabalhar fazendo pinturas para os nazistas. Uma sobrevivente. Me lembra aquela frase: “Nós somos mulheres. A força nos encontra”.

E é devastador acompanhar a Lenka nesse terror de medo, dor e fome. E mais triste ainda é saber que tudo o que ela passou, neste livro de ficção, foi vivido por outras milhões de pessoas na vida real. É revoltante, repulsivo. E é também importante saber desse período da nossa história que ceifou tantas vidas e entristeceu tantas outras. Pesquisem sobre o holocausto, sobre o nazismo, e sejamos conscientes do que passamos para não darmos um passo atrás.

Leiam!

site: http://umaleitoravoraz.blogspot.com/2018/05/resenha-um-amor-perdido-de-alyson.html#more
comentários(0)comente



La Oliphant 30/05/2018

Eu preciso dizer que estou um tanto quanto enjoada depois de ler esse livro. Apesar de ser uma história de amor poderosa, os personagens desse livro passam por sofrimentos inimagináveis e a escrita poderosa de Richman, fez com que eu conseguisse sentir na pele cada uma das dores que eles sentiram. Apesar de ser um romance, Um Amor Perdido é um enredo que fala muito sobre perdas e separações. Eu me emocionei com cada capítulo desse livro, ao mesmo tempo que sentir meu peito apertar ao mergulhar em tudo o que esses personagens viveram.

O enredo de Um Amor Perdido é divido de uma forma que eu achei bem interessante. Nós temos o Josef contando a sua história no presente, que seria o período “pós-guerra” e Lenka contando a sua história no período que ocorreu a segunda guerra mundial. Ambos possuem uma narrativa muito forte e rica em detalhes para te fazer mergulhar em tudo o que viveram durante os anos em que se viram obrigados a ficar separados um do outro.

“Fechei os olhos, Josef Kohn me tocando, suas mãos gentilmente mapeando as superfícies escondidas do meu corpo, a boca percorrendo minha pele nua.”

Richman escolheu uma história muito complexa de se contar. Seu enredo começa muito antes da guerra acontecer e, com isso, nós conhecemos e nos apegamos a Lenka e sua família. Quando ela finalmente vai para a universidade, acompanhamos uma jovem adulta se apaixonando pela primeira vez, fazendo novos amigos e experimentando coisas novas até que… tudo mudou. Neste ponto do livro, você já está completamente imerso no amor dos personagens principais, Josef e Lenka, e quando tudo começa a ficar complicado, é quase impossível que você não sofra junto com eles.

A escrita de Richman é muito visual. Não teve si quer um único capítulo que eu não consegui visualizar o ambiente onde os personagens estavam, ou sentir o que eles estavam sentindo na pele. Eu gostei muito de ela conseguir me passar todas essas sensações sem precisar tornar a narrativa do livro cansativa, mas sempre criando plots para que eu não conseguisse largar o livro até descobrir o que aconteceu a seguir. Meu único problema com o livro foi o desenvolvimento do enredo que, em alguns pontos, pareceu um pouco arrastado, como se a história não estivesse realmente caminhando.

Um Amor Perdido se passa bem no meio da segunda guerra mundial e um dos pontos que me deixaram mais desesperada com essa leitura foram as descrições de Lenka sobre como funcionavam os campos de concentração. Richman tomou cuidado para construir a narrativa da guerra desde antes dos judeus entenderem o que realmente estava acontecendo e, com isso, nós leitores somos pegos no meio de uma montanha russa emocional sem fim.

“Dormi, dormi e dormi, como se estivesse deslizando para minha própria morte. Não tive sonhos. Tudo era negro. Não havia imagens, memórias ou pensamentos sobre o futuro.”

Eu fiquei bastante angustiada lendo Um Amor Perdido e, embora isso pareça ruim, não foi. Estamos falando sobre um livro que se passa na segunda guerra mundial, é mais do que natural que o enredo tenha algumas cenas pesadas, porém, Richman tem um jeito muito inteligente de conduzir o leitor durante essas cenas e, por mais que você se sinta muito impactado por certos acontecimentos do livro, as cenas violentas não são algo que te façam querer largar o livro, pelo contrário, mesmo angustiada, eu queria terminar a leitura.

O romance o livro é um ponto bastante complicado. Os personagens principais passam muito pouco tempo juntos, mas ao mesmo tempo, é muito difícil você conseguir negar o amor que existia entre eles. Lenka e Josef são um casal que não tiveram a chance de ser um casal. Foram separados logo no inicio do relacionamento, mas de alguma forma conseguiram manter todo aquele sentimento de “primeiro amor” vivo dentro deles. As memórias que compartilharam foram suficientes para fazê-los viver uma vida, mesmo que não fosse a vida que eles desejavam.

Richman criou um enredo bastante poderoso aqui. Nós temos um romance poderoso que conta a história de duas pessoas que se amaram muito, apesar de não terem conseguido viver tudo o que desejaram. Lenka e Josef, como diz as notas da autora, são um pouco de muitas pessoas que foram separadas durante aquele período triste e uma forma de mostrar para nós, leitores, que nem todas as histórias de amor precisam ter os personagens juntos o tempo todo, para ser verdadeira e marcante.

“Então, naquela noite, quando me deitei para dormir, não sonhei com Lenka, como de costume, mas com Amalia. Eu finalmente a deixei ir ao encontro de sua família.”

Um Amor Perdido me enviou diretamente para uma ressaca literária. Acho que depois da montanha russa que eu vivi durante a leitura desse livro, não teria como eu me sentir de outra maneira. Eu realmente gostei dos personagens e, apesar de alguns pontos do livro terem sido um pouco complicados, eu me apaixonei e sofri com Josef e Lenka e torci para que, no final, eles conseguissem ter ao menos um pouco de felicidade. Esse é um livro para leitores que estão dispostos a encarar um tipo de romance que não é romântico, mas tão verdadeiro quanto qualquer outro.

site: https://www.laoliphant.com.br/resenhas/resenha-amor-perdido-alyson-richman
comentários(0)comente



Sarah 28/05/2018

Um amor perdido
Que livro maravilhoso! Uma história que é ao mesmo tempo linda e assustadora ao nos lembrar do que a humanidade é capaz.
Uma escrita ótima que flui muito fácil, fui passando as páginas do livro sem nem sentir. A forma como a autora narra os horrores dos Campos de concentração e dia a dia dos judeus no período logo antes da guerra e do tempo que Lenka passa em Terezín é angustiante. É angustiante saber que Josef e Lenka passaram a vida inteira separados achando que o outro havia morrido quando, na verdade, houve uma série de mal entendidos um atrás do outro. A forma como eles viveram assombrados pela saudade e Lenka ainda pela dor de tudo que ela passou. A dor de Lenka ao ser mãe e não querer compartilhar tudo que viu e viveu com sua filha. A forma como a vida ainda colocou eles lado a lado no final.
O mais incrível é saber que, ainda que uma parte mínima, a história foi ?baseada em fatos reais? e a autora se propôs a preencher todas as lacunas. Na parte de agradecimentos, foi muito triste ver como muitos dos nomes usados no livro são de pessoas que realmente presenciaram todos os horrores do Holocausto e a autora só os devolveu à vida e adicionou Lenka ao quadro.
comentários(0)comente



Sandra 27/05/2018

Maio 2018 otimo
Segunda guerra , josef e lenka casal apaixonadi aeparados pela guerra por 60 anos. O livro começa com o encontro e depois conta a historia dia diis separadanente durante os 60 anos. Otimo, recomendo
comentários(0)comente



umalivraria 18/05/2018

Resenha @umalivraria - #resenhasdaelay
❝Tudo era negro. Não havia imagens, memórias ou pensamentos sobre o futuro. Quando você sonha com o escuro, está praticamente morto.❞

No período pré-guerra, a jovem Lenka é uma estudante de Artes, tem uma vida normal, cumpre sua rotina e ama o que faz. Sua família possui bens e sua condição financeira é estável. Na cidade de Praga, a garota vive em um bom bairro e tem uma personalidade bastante sonhadora.

Josef é médico e judeu, logo se encanta por Lenka. A paixão é recíproca, ambos possuem uma grande capacidade de sonhar, levando a grandes promessas para o futuro. Eles são apaixonados e decididos a ficar juntos para o resto da vida.

A Segunda Guerra Mundial destruiu a vida de várias pessoas e os judeus que moravam na Europa tinham ainda mais com o que se preocupar. É nesse grande tumulto que o casal decide se casar, planejando uma fuga para os Estados Unidos logo após o casamento.

Josef consegue fugir, Lenka acaba ficando no horror da guerra. A jovem já não acredita que seu marido conseguiu o que eles tanto desejavam e acredita que ele morreu. Nos Estados Unidos, Josef também recebe a notícia da morte de Lenka.

O que eles não sabiam é que os dois estavam vivos. As marcas desta separação viveriam e os atormentaria. O reencontro estava mais perto do que eles imaginavam.

As obras que retratam os sofrimentos da guerra sempre são bem emocionantes e fortes. O romance traz detalhes sobre o que aconteceu naquela época e isso me surpreendeu, pois imaginava que a história ficaria bem centralizada nos sentimentos dos personagens.

A esperança é o ponto central, a autora deixou bem claro que essa foi a mensagem que ela quis passar com todo esse enredo. Lenka é uma mulher firme, resistente e demonstra exatamente o que a guerra faz. Uma simples estudante de artes que sofre nos campos de concentração, mas não deixa de sonhar e acreditar que o mundo irá ser melhor.

A escuridão está ao seu redor, mas ela permanece tentando e buscando cor nos detalhes. Está faltando um pouco dela em cada um de nós.


site: https://www.instagram.com/umalivraria/
comentários(0)comente



Gislaine 10/05/2018

Q livro emocionante!Onde o coração fica na mão durante toda a leitura.Qto sofrimento,qta dor a Guerra,o Holocausto causaram aos judeus.O amor de Lenka e Josef seria uma leveza no meio de tanta morte,mas não foi bem assim......
Amei,de um jeito estranho,pq como amor uma história c tanta tristeza??? Amei sim,cada judeu q se encaminhou a lugares q não faziam ideia do q esperar,uns a morte,outros a maneiras de pessimamente sobreviver, tenho compaixão por cada um, e por fim, amei como a autora terminou a história de L&J .
comentários(0)comente



Cheiro de Livro 09/05/2018

Um Amor Perdido
O livro de Alyson Richman começa em uma festa de casamento onde o avôs do noivo e a avó da noiva se encontram pela primeira vez e se reconhecem. O avô fala “Lenka. Sou eu, Josef, seu marido”. Desse momento em diante somos transportados para os horrores da Segunda Guerra Mundial e o que fez com que esses dois se perdessem no tempo. Não há nada de inovador na narrativa e mesmo assim ela é envolvente.

“Um Amor Perdido” (tradução de Ana Carolina Mesquita) reconta como dois jovens tchecos se apaixonaram, casaram e foram separados pela Segunda Guerra Mundial. O romance começa no entre guerras e funciona para ambientar o leitor em como viviam os judeus em uma Praga pré ocupação nazista. O conforto, a despreocupação e, principalmente, dois jovens apaixonados vão nos guiando lentamente por um mundo que começa a mudar e a endurecer. É quando Lenka e Josef se separam que o livro ganha em força. Cada parte do casal vai contar uma realidade inerente aos que sobreviveram a guerra: Josef a saudade e a culpa dos sobreviventes e Lenka as agruras de sobreviver no dia-a-dia em uma guerra.

A narrativa de Lenka é mais forte, impressiona mais talvez por meu pouco conhecimento sobre o Terezin, um campo de concentração e não de extermínio montado pelos nazistas na Tchecoeslováquia. Como Lenka trabalhava no campo, como ela desenhava, como, mesmo em meio a privações, a vida seguia. A descrição de como os artistas faziam questão de retratar todo o horror que os cercava e como muitos desses trabalhos sobreviveram para nos lembrar sempre o que aconteceu. É impossível não se emocionar com as perdas que Lenka tem ao longo dos anos em campos de concentração nazistas e com tudo que ocorre quando os nazistas começam a realizar que a guerra está perdida.

O que Josef conta é a parte menos explorada em narrativas de guerra: a culpa dos sobreviventes. Josef foge da Europa antes da guerra explodir e isso não significa que ele não tenha perdas enormes e que o peso de ter conseguido fugir não o esmague e o molde. A vida de Josef nos EUA é confortável, ele não passa privações mas é assombrado pelo fantasma da sua família, pela culpa de ter se separado de Lenka. Josef continua buscando os seus mesmo depois do final da guerra, continua parado no tempo buscando uma vida que foi destruída em outro país.

Richman transforma em algo envolvente uma história já contada milhares de vezes e isso é um grande mérito do livro. O romance de Lenka e Josef é apenas um pano de fundo para mostrar os horrores da guerra. O inacreditável é que precisamos, mais do que nunca, lembrar as pessoas o que o antissemitismo, o nacionalismo exacerbado e o totalitarismo são capazes de fazer.

site: http://cheirodelivro.com/um-amor-perdido/
comentários(0)comente



Glauci 08/05/2018

Leitura Concluída: Um amor perdido - Alyson Rickman.

Não tenho palavras. Apenas lágrimas.
Em um outro livro que falava sobre perdas de guerra, eu me perguntava "como o ser humano é capaz de suportar tanta dor?" E nesse, o questionamento é: "como o ser humano é capaz de produzir tanta dor!". Eu sempre corri de histórias que falavam sobre o sofrimento do povo judeu, e hoje vejo que corri com razão. É muito triste. E dói mais, por que sabemos que isso foi real.
Classificação no skoob: cinco estrelas.
Valeria 18/05/2018minha estante
E tão triste assim??? Não gosto de livro triste. Acho melhor eu não ler.




26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2