Os Elefantes Não Esquecem

Os Elefantes Não Esquecem Clarice Lispector
Agatha Christie
Agatha Christie
Agatha Christie




Resenhas - Os Elefantes Não Esquecem


147 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Isabely 21/10/2019

Foi o meu primeiro livro da autora e tive uma opinião bastante positiva sobre a escrita da Ágatha(apesar de ser a primeira experiência). Não sei se os livros dela já são considerados clássicos-para mim são- e me surpreendi como foi rápido de ler,sempre que tenho contato com esses livros mais antigos é um pouco difícil pois acho a leitura cansativa, não foi o que aconteceu aqui.




Apesar de não ser uma grande investigação, foram mais diálogos e raciocínio lógico foi interessante ficar fazendo teorias sobre o que realmente aconteceu com o casal,desconfiei de várias pessoas. Durante a leitura estava passando por uma ressaca literária então demorei mais tempo do que queria nessa leitura. De última hora descobri o que tinha acontecido parágrafos antes de ser revelado mas mesmo assim fiquei feliz pela minha descoberta.


Pretendo ler mais obras dessa autora afinal ela a rainha do suspense policial.
comentários(0)comente



livrodebolso 14/10/2019

No meio literário existem certos gêneros perseguidos que levam consigo o espectro de subliteratura. Sempre fui defensora ferrenha do sci-fi, um dos mais prejudicados nesse aspecto. Entretanto, sentia quase nenhuma vontade de conhecer qualquer livro da mais famosa autora de romances policiais, Agatha Christie. Era preguiça mesmo, seguida de preconceito.
Entretanto, dentro desta organização de leituras que tenho feito no semestre (e que se seguirá nos próximos, acredito), conheci, finalmente, sobre o que se trata.
É o detetive imbatível sendo procurado para resolver um mistério que, quando acontecido, não obteve sucesso nas investigações. Passados anos, certo sincretismo nos relatos foi responsável por criar a áurea mística que envolvia o feito e quem mais sofria era a filha do casal, que ou cometera suicídio ou fora assassinado.
Ariadne Oliver, uma escritora de romances de mistério e crime (quanto dela é a própria Agatha?), ao ser abordada por figura megera e intrometida se vê imersa em desvendar o ocorrido. Sua amizade com o detetive serviu para o propósito e juntos foram em busca de reunir os elefantes do safari metafórico que a personagem inventou (associando os relatos dos antigos entes das vítimas à memória ímpar dos referidos animais). Ao longo da trama, obviamente, revelam-se fatos e pormenores que se encaixam e explicam o que os policiais não conseguiram perceber na época. O desfecho é revelado na última página, porém, francamente, já no meio do livro era possível desvendar o mistério, tornando-o frustrante e nada empolgante.
Focando na narrativa, gostei da forma como a autora escreve, porém, os diálogos nem sempre são bons. Às vezes são! Outras, parecem bobinhos e superficiais, como se de fato estivessem sendo escritos em uma brincadeira de imaginação, ou por alguém inexperiente... o que é estranho, uma vez que este foi o penúltimo livro escrito pela autora (o último contendo Poirot).
Existe, contudo, uma agilidade e a capacidade de prender o leitor, e a ansiedade em saber o que acontece; notável habilidade da autora que se consagrou como a rainha do crime.
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 13/09/2019

Não vai ser necessário gastar muitas células cinzentas ;-)
Há muito tempo tenho esse livro e o único motivo de ter adiado tanto essa leitura é pelos comentários negativos à respeito.
Espero com o tempo deixar de ser influenciada assim, não é sempre que ocorre e na maioria das vezes não concordo com as opiniões.
É o caso de Os Elefantes não esquecem. Não é uma obra prima da Dama, porém está longe de ser um livro ruim.
Na verdade esse é o livro mais fácil dela que já li até hoje! É praticamente impossível você não resolver esse mistério. Parece que Agatha resolveu pegar leve e dar um crime de bandeja para nós leitores resolvermos.
Esse livro também é comparado ao Cinco Porquinhos, mas só por que o crime é resolvido após ter se passado muitos anos e diferente da maioria esmagadora, eu gostei mais desse.
Aqui não teremos um grande mistério e nem tantas pessoas a serem "entrevistadas" já que a maioria eram crianças ou idosas na época e por isso a estória é bem curtinha, apenas 165 páginas.
Por ser rápido é bem gostoso de se ler e nem um pouco cansativo.
Aconselho a nunca deixar nada da Agatha Christie para trás, pois graças à Deus somos pessoas com gostos e opiniões divergentes e o que não agrada um pode ter efeito contrário no outro. Toda obra dela é rica em conhecimento, de diferentes maneiras e sempre um ótimo entretenimento.

site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com/2019/09/os-elefantes-nao-esquecem-agatha.html
comentários(0)comente



Sthef 20/08/2019

Penúltimo livro escrito por Agatha Christie, o último em que o detetive Hercule Poirot aparece, mas, infelizmente, minha primeira decepção com a autora. A leitura não me pegou, pelo contrário, me fez querer desistir de ler obras de mistério. Talvez eu esteja sendo drástica, provavelmente, mas vamos lá!

Ariadne Oliver é uma renomada escritora e mulher de muitos contatos. Durante um evento em sua homenagem, uma estranha mulher se aproxima e começa a questioná-la sobre um assunto um tanto estranho.

Há catorze anos uma morte aconteceu, o caso foi arquivado pela polícia, sem solução visto que era um mistério completo. Os pais da afilhada da Sra. Oliver foram encontrados mortos, sozinhos, apenas os dois e uma pistola. Crime? Suicídio duplo? Pacto de morte? Ninguém sabia dizer, o casal tinha saúde e era feliz. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Poirot entra em ação, e sai a caça das pistas. Mas como achar pistas para um mistério de mais de uma década atrás e completamente sem testemunhas?

Na minha opinião, a obra foi decepcionante. Achei chata a busca pelo passado, as histórias cruzadas sobre o casal morto, tudo muito entediante. Em certo ponto da obra, o desfecho ficou muito claro pra mim, achei meio óbvio, quase mal construído.

Não gostei do plot, não achei que foi uma obra tão instigante e vívida quanto as outras dela que já li. Talvez seja a forma como o crime era algo do passado ou outro motivo, não sei, apenas não é um livro que eu faria releitura ou indicaria. Triste, mas real.
Feeh | @prodiaflorir 17/09/2019minha estante
Miga, se não me engano o último livro em que o Poirot aparece é justamente o último da Agatha, Cai O Pano. Ele foi escrito em 1940, mas só foi publicado em 1975, de propósito kkkk. Ele, diferente desse, é maravilhoso! Super recomendo. Amei a resenha, senti as mesmas coisas kkkk Mas Cai o Pano é sem defeitos




DaniBooks 20/08/2019

Os Elefantes Não Esquecem
Agatha Christie, rainha do suspense investigativo, nos traz o famoso detetive Hercule Poirot em mais uma investigação sobre um crime ocorrido há alguns anos.
Uma escritora de novelas policiais, Sra. Oliver, é abordada por uma desconhecida em um evento. A mulher lhe pergunta se ela sabe o que aconteceu de verdade aos pais da afilhada da Sra. Oliver, Celia. A polícia encerrou o caso considerando duplo suicídio. A escritora se esquiva da desconhecida, cujo filho quer se casar com Celia, mas sua curiosidade é estimulada e ela pede ajuda de seu amigo, Poirot, para desvendar o mistério do suposto duplo suicídio do casal, pais de Celia. A partir daí, os dois começam a investigar, até nosso querido detetive solucionar o caso.
Essa é uma leitura fluida -afinal, é Agatha Christie- e bastante rápida, pois o livro tem poucas páginas. O desfecho não é tão surpreendente, porque, antes de chegarmos à conclusão, já temos todos os elementos em mãos para sabermos a verdade. Enfim, não é o melhor livro da autora, mas está longe de ser ruim.
comentários(0)comente



Reinaldo (Estante X - @reeiih) 04/06/2019

Resenha do Estante X - Instagram Literário
Já fazia um bom tempo que eu não lia nada da Agatha Christie. Sempre acaba entrando outras leituras na frente e, quando a gente vê, já passou muito tempo. Porém, observei que estava lendo praticamente nada de thriller/suspense, e resolvi que estava na hora de mudar isso.

A trama é bem simples: um casal caminha até um penhasco; um deles mata o outro, e logo em seguida se suicida. Para a polícia, foi um pacto de morte. Mas há quem acredite que foi um caso premeditado. O caso aconteceu há pelo menos 10 anos, mas volta a tona depois que uma mulher desconhecida faz perguntas sobre a verdadeira causa das mortes. Assim Hercule Poirot e sua amiga Ariadne entram na investigação e procuram pistas no passado para solucionar o caso.

Os Elefantes não esquecem é o quarto livro que leio da autora, e já de antemão adianto que é o mais “fraquinho”. Isso não quer dizer que o livro seja ruim; só não é tão interessante quanto os outros que eu li dela.

Um fator que colabora para essa “menor qualidade” é o fato de este ser um dos últimos livros que a autora escreveu em vida. Segundo alguns estudiosos, neste período a autora provavelmente sofria de Alzheimer. Isso justifica porque seus últimos livros costumam repetir palavras, frases ou até mesmo se perder no meio da própria narrativa.

A trama é agradável, apesar de ser mais pautada em lembranças do passado do que em pistas atuais. Por este motivo, é possível adiantar o final pelo menos umas 40 páginas antes de ele chegar. Apesar disso, o tom final do livro é de melancolia, como se resolver crimes e mistérios já não fosse algo que desse prazer ao próprio detetive.

Mesmo não tendo sido aquela leitura maravilhosa, fiquei bem contente em voltar a ler a autora. Inclusive já há outros dois livros pelo menos na fila para eu ler. Um deles é com a Miss Marple, que eu ainda não tive o prazer de conhecer.

site: https://www.instagram.com/estantexbooks/
comentários(0)comente



marianna 13/05/2019

com certeza não é um dos melhores da autora, apesar de ser muito fã da escrita e dos suspenses. pela primeira vez acertei o final. mas recomendo pra novos leitores e pra quem quer se aventurar pela primeira vez pelo universo de Agatha Christie
comentários(0)comente



Camis Morket 07/03/2019

Os elefantes não esquecem
Os elefantes não esquecem - Agatha Christie, foi meu primeiro livro da autora, não achei o livro fascinante porém gostei muito da sua escrita...É um livro super fácil de ser lido e a história te prende para saber o que vai ser o desfecho da investigação. Com certeza lerei mais livros da Agatha.
A história começa com a escritora Ariadne Oliver sendo abordada em um almoço, para escritores, pela Sra. Burton-Cox, que pede sua ajuda para saber de uma antiga tragédia sobre um casal que foi encontrado morto em um penhasco, na época nem mesmo a polícia descobriu de fato se foi um pacto de morte ou se um tinha matado o outro e depois se suicidou.
Ariadne fica curiosa pois a Sra. Burton-Cox é sogra de sua afilhada Celia, filha dos falecidos.
Ela quer descobrir o motivo de Burton-Cox ir procurá-la e porque ela estava tão preocupada em saber quem tinha matado quem.
Nisso ela pede ajuda a seu amigo detetive Hercule Poirot, juntos eles vão investigando pessoas ligadas ao casal até descobrirem finalmente a verdadeira história do que aconteceu.

site: https://instagram.com/bibliotecadederry/
comentários(0)comente



Jess 21/02/2019

Ah, o amor!
Apesar de não ter achado este livro tão fascinante quanto os outros de Agatha, eu também gostei muito dele. Ele possui um suspense mais leve, menos informações para o leitor investigar do que os outros livros, mas um desfecho muito triste e bonito. Como dito, é lindo e triste ver como o amor envolve a trama dessa obra. Vale a pena ler.
comentários(0)comente



Niixch 05/02/2019

A polícia resolveria um caso facilmente com um pouco de investigação
Os elefantes não esquecem - Agatha Christie
Meu primeiro contato com Agatha Christie poderia ser mais emocionante, com uma sinopse que cativa em primeira instância "os elefantes não esquecem" se torna a cada virar de páginas uma cansativa repetição de fatos em diferentes versões, que no final agregaram pouco para o desfecho da história. O famoso investigador Hercule Poirot é uma personagem interessante e intrigante, como o livro é cheio de personagens pouco desenvolvidos e sem carisma ele ganha facilmente o foco das atenções, se houvesse um pouco mais de desenvolvimento em uma das personagens principais que é ligeiramente excêntrica, ele perderia facilmente o foco das atenções. O final pode ser pra muitos pouco previsível mas também não é muito emocionante, quando terminei de ler consegui pensar em pelo menos 5 finais que seriam para mim mais interessantes. De forma geral o livro não decepciona como um todo levando em consideração que nos deixa instigados e intrigados para saber se acertamos ou não o final da história, mas é impossível não pensar em como essa história poderia ser melhor, afinal o caso poderia ser facilmente resolvido com mais investigação policial e o mínimo de suposição. O mais  importante é lembrar em como sempre estamos "à la recherche des éléphants" e como eles contribuem nas histórias de mistério e em muitas outras e nessa história em específico eles ganham uma atenção especial. Me fez pensar que o foco da história é na verdade na memória dos elefantes e não na própria resolução da mistério, o que me levou a dar 3 estrelas afinal nem sempre uma coisa precisa ser o que parece ou deve ser, existe muito mais na entrelinhas.
comentários(0)comente



Beatriz Kath 30/01/2019

Final bom, desenvolvimento cansativo...
Por se tratar da investigação de um crime antigo, sem cena do crime a ser analisada, sem pistas surgindo e reviravoltas constantes, o início e meio do livro foram bastante cansativos para mim, com somente a revelação final me trazendo alguma grande empolgação com a história.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Luan 03/12/2018

Mesmo previsível, Os elefantes não esquecem é um bom suspense
Os elefantes não esquecem é mais uma das várias histórias de suspense criadas pela Agatha Cristhie, e, segundo a nota do Skoob, uma dos com menor nota entre os leitores. Eu entendo esta avaliação, mas não concordo. Os elefantes não esquecem entrega uma boa história dentro da proposta da autora e novamente vemos em ação o excêntrico Hercule Poirrot, um dos mais tradicionais personagens do gênero de suspense no mundo todo.

Neste romance, um dos mais recentes da bibliografia da escritora, publicado poucos anos antes da sua morte, veremos uma história um pouco diferente do habitual, onde uma mulher, famosa escritora, decide averiguar o que envolve a morte/suicídio de um casal velho conhecido, pais de sua afilhada. Isso ocorre depois que uma mulher surge interessada no caso e desperta o interesse de Ariadna Oliver em saber o que aconteceu de fato. Para isso, ela contará com a ajuda de Poirrot.

Dos livros que já li da escritora, acredito que este seja o mais previsível. Foi um dos que consegui identificar facilmente as pistas deixada por Agatha durante o desenvolvimento da história e formar um conceito da conclusão. É claro que esse desfecho traz mais detalhes e pormenores, mas em geral, consegui descobrir grande parte do mistério principal, o que me deixou, ora satisfeito, ora chateado.

Um dos principais problemas de Os elefantes não esquecem é a escrita sem profundidade que entrega uma obra um pouco mais rasa do que o normal e favorece que o leitor consiga descobrir o que venha a seguir. No entanto, ao mesmo tempo, a autora consegue entregar uma história com bons personagens, às vezes meio dúbios, que incrementam a narrativa misteriosa. E é justamente neste aspecto que o livro me conquista. A atmosfera de mistério presente neste livro, que faz aquela vontade de chegar ao fim para descobrir o que de fato aconteceu no passado, funcionou melhor pra mim dos que os demais livros da escritora. Senti mais a vibe de suspense neste do que em outros.

Apesar desse sentimento um tanto contraditório, achei o saldo do livro muito positivo e o desfecho me agradou como leitor e me convenceu dos acontecimentos finais. Gosto, e é preciso destacar, da forma como a autora usa o comparativo entre animais e pessoas ou sentimentos, como o próprio nome do livro já nos mostra. Além disso, a protagonista é uma personagem carismática e que me agradou bastante. De forma geral, o livro funcionou bastante pra mim, e o fato de ser previsível não estragou o conjunto da obra.
comentários(0)comente



Vivi 26/10/2018

Razoável
Essa foi a minha primeira obra lida da autora. Eu juro que imaginava uma trama mais complexa, me pareceu tudo muito previsível. Ao meio do livro já imaginava que o fim seria esse, mesmo dizendo para mim que não seria tão superficial assim. Apesar disso, eu achei uma leitura cativante, aquela em que você vai correndo de capítulo em capítulo sempre querendo ler mais um. Com certeza procurarei outras obras de Agatha, ótima fluidez.
comentários(0)comente



Bruno 09/09/2018

Legal, mas acertei o final.
Quando perguntam: qual o pior livro da Agatha, as respostas não variam muito: Aventura em Bagdá, Passageiro para Frankfurt e Os Elefantes não Esquecem.

Foi então, já sabendo que era um dos mais previsíveis dela, que decidi tirar minhas impressões. O livro é bem divertido. Não há muita ação pois é um crime do passado. Sem contar que quando escreveu este livro, Agatha estava velhíssima, passada dos 80 anos e certamente (ainda mais com teorias de que ela sofria de Mal de Alzheimer) ela não escreveria um novo "Caso dos Dez Negrinhos" com a idade que tinha.

O final é previsível mas não deixa de ser interessante. A Ariadne Oliver é uma boa personagem e o livro, talvez seja muito interessante pois nas entrelinhas, existem diversos detalhes autobiográficos da autora. E se você não se intrigar com o mistério (o que é bem difícil se tratando de um livro dela) pelo menos percebemos esses detalhes autobiográficos dela que sem dúvida são interessantes.

A autora mais uma vez, não decepcionou.
comentários(0)comente



147 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |