Onze Minutos

Onze Minutos Paulo Coelho




Resenhas - Onze minutos


154 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Elaíne 01/02/2019

Uma história completa... Com sonhos, desilusão, sexo e romance
comentários(0)comente



Bea.Dias 03/01/2019

A flôr da pele
Aaaaaa, o primeiro livro apimentado a gente nunca esquece. Ainda mais quando se tem 15 anos (saudades). Hoje eu com 24 ainda lembro da sensação de ler esse livro. Prazer? Não exatamente, na verdade eu senti inveja por uma pessoa ter tanta coragem de jogar tudo pro ar e mudar a vida de direção tão radicalmente. Claro que nem tudo é mar de rosas e acontece como o esperado, mas no fim tudo se ajeita, ou não.
Se jogar na vida atrás de sucesso e depois ter que se jogar na cama pra ganhar a vida não é fácil, mas e se sente que nasceu para isso? Ai a coisa pega, esquenta e pega fogo. Mas dizem que o amor e o prazer andam lado a lado. Será?
comentários(0)comente



Edvaldo.Francino 28/10/2018

Paulo Coelho
Paulo Coelho, eu não pretendo mais ler, porém este livro me mostrou uma parte da sedução legal, algo que eu não imaginaria que existia.....
comentários(0)comente



Dani de Casa 12/10/2018

Onze Minutos
Começo dizendo que não é um livro ruim. Pelo contrário é um livro bom, principalmente por ser baseado em uma história real a gente se comove com o desfecho. Mas novamente, não é o estilo de leitura que eu gosto, conteúdo extremamente adulto, com cenas fortes sendo narradas, não gosto e me sinto mal lendo esse tipo de conteúdo. Por isso dei somente 2 estrelas. Mas pra quem aí gosta de 50 tons de cinza, Bruna Surfistinha ou mesmo o livro anterior Adultério do próprio Paulo Coelho vai gostar com certeza. Eu não li nenhum dos que citei, (somente Adultério) e nem assisti aos filmes pq não gosto mesmo e isso é opinião de cada um.
Vamos ao livro : ele narra a história de Maria começa com ela ainda menina com suas descobertas sexuais, seus primeiros amores e as transformações pelas quais passa ao longo da vida até chegar a fase adulta. É uma jovem do interior que trabalha numa loja de tecidos, que já desacreditada no amor resolve fazer uma viagem ao Rio de Janeiro e lá conhece um estrangeiro que a leva para a Suiça com a promessa de um emprego como dançarina e um alto salário.. tal promessa mexe profundamente com as ambições da linda mulher? Mas chegando na Suíça entende que as promessas eram falsas e será necessário vender seu corpo para pagar a grande dívida que acabara de adquirir, sustentar-se e enviar dinheiro à família... Sua única saída é ser uma prostituta no bar Copacabana. O melhor da cidade. Daí pra frente Maria conta todas as suas experiências sexuais, espirituais e de vida. Se tiverem curiosidade leiam, muitas pessoas gostam desse tipo de leitura. Pra quem gosta é um bom livro.
comentários(0)comente



Vitor.Hofstetter 26/09/2018

Outro dele, do mesmo jeito
Seguindo a exata mesma linha de O Alquimista, Brida, Veronika Decide Morrer. Eu gosto da formula simples e direta dele.
comentários(0)comente



Momentos da Fogui 24/09/2018

Momentos da Fogui
Leia a resenha no blog:

http://foguiii.blogspot.com/2017/12/onze-minutos-paulo-coelho.html

site: http://foguiii.blogspot.com/2017/12/onze-minutos-paulo-coelho.html
comentários(0)comente



Manoel 23/09/2018

Minha experiência com Paulo Coelho
Nota introdutória: Resenha escrita para todos os livros do Paulo Coelho que li.

Existem pessoas que destroem suas vidas no crack ou na cocaína, outras que exageram no álcool ou na maconha, outras estão viciadas em nicotina ou Bolsonaro... Bom, a única droga que consumi foram os livros do Paulo Coelho... e com muito pesar confesso que tive uma recaída recente...

No início dos anos 2000, minha amiga Vanessa e eu estudávamos juntos para o vestibular e ela me emprestou para eu ler "O diário de um mago". Se uma pessoa que eu admirava tanto me empresta um livro, o mínimo que poderia fazer era lê-lo. Eu, ainda começando nos prazeres da Literatura, li e achei bacana. "Puxa, o cara não é apenas um escritor: o cara é mago! Ele compôs com Raulzito e ele voa... ele voa, véio!".

Pouco tempo depois, Vanessa me emprestaria "O Alquimista". "Um livro inspirador, bonito!", diria. Fui numa biblioteca e pesquisei pelo autor. Li "Brida" e achei interessante a história de uma irlandesa numa busca pela magia.

Eu tinha completado a tríade de "obras-primas" do Paulo Coelho. Fui então lendo outros livros do autor. Eram livros pequenos que eu lia em, no máximo, 3 dias. Li, num espaço de menos de dois anos, "As valkírias", "Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei", "Maktub", "Veronika decide morrer", "O demônio e a srta. Prym", "O monte cinco", "Onze minutos" e "O manual do guerreiro da luz". Cheguei a ler uma pequena biografia do autor, escrita pela Martin Claret. Era meu fast-food literário.

Então, aconteceu: eu enjoei do autor. Aquilo que era original, se tornou repetitivo. Percebi que, a obra de Paulo Coelho, em seus livros, poderia ser resumida em uma série de elementos comuns: um personagem que sente perdido numa busca pessoal + um elemento místico como foco e/ou fio condutor + mensagens piegas de auto-ajuda + alguma cena esporádica de sexo + o personagem superando um desafio pessoal. Seria a redundância na temática que me fez enjoar? Ou o fato de que, entre essas leituras, fui lendo outros livros e conhecendo autores como Machado de Assis (que virou uma paixão), Manuel Bandeira, Gabriel García Márquez, William Shakespeare, Franz Kafka, dentre outros... o que me tornou mais exigente como leitor? Ou seria o fato de que, com o passar dos anos, fui ficando menos religioso? Talvez tenha sido tudo isso junto...

Eu voltaria a encarar Paulo Coelho somente uns cinco anos depois. Li "O zahir". Odiei. Achei vazio e desisti do autor.

Eis que, dez anos depois, voltando de viagem, recentemente, numa banca de revista que vende livros usados no Centro de Belo Horizonte, para não fazer uma desfeita com a vendedora, uma simpaticíssima senhora, pequei uma obra do autor. Li "O bosque de cedros", volume 1 de uma coleção lançada pela ridícula revista Caras, no final dos anos 90. Trata-se de um livro que, em suas pouco mais de 60 páginas, me fez lembrar de tudo que odiava no autor. São pequenos contos, insipientes e piegas e, pela primeira vez, Coelho me fez sentir ódio. Juro. Um dos "contos" chamava-se "A porta da lei" e é uma releitura que o autor fez de "Diante da Lei", um dos melhores contos de Franz Kafka e um dos melhores contos da história, certamente. Paulo Coelho conseguiu deturpar totalmente a essência da história. No livro do brasileiro, basicamente vemos uma curta pseudo-mensagem sobre a necessidade de "correr atrás dos objetivos". É algo muito mais limitado do que a quantidade grande de reflexões possibilitadas pelo conto kafkiano, onde temos a figura do homem ante o sistema, que o convida para a busca e, em concomitância, o impede de conseguir a Justiça, sendo esta impossível de ser obtida. Em resumo: Paulo Coelho não apenas é limitado ao escrever: ele é limitado como intérprete daquilo que deveria lhe influenciar a ser melhor como escritor.

Por fim, pode-se dizer que Paulo Coelho é a prova de que modus operandi vende e vicia... e permanecer nesse espectro, nesse vício, é limitar o campo de visão para o leque de maravilhas que somente a Literatura pode possibilitar ao ser humano.
comentários(0)comente



Fogui 10/09/2018

Onze Minutos - Paulo Coelho
Título original: Onze Minutos
Autor: Paulo Coelho
Editora: Rocco
Ano: 2003

Por mais incrível que possa parecer este foi o primeiro livro que li de Paulo Coelho, depois li O Alquimista só para ter uma ideia ampla da escrita de Paulo, mas acredito que pouco sei sobre o autor e sua obra. E pelo visto continuarei desta forma, não é possível conhecer sobre tudo e todos.

Agora ao que se refere ao livro Onze Minutos, simplesmente adorei. Maria é um personagem no mínimo interessante, uma prostituta que tem metas e objetivos, e é focada nos mesmos, é uma novidade refrescante. Mas isso não significa que a garota não tenha frustrações. Seus planos alimentam sua alma...

Quer ler a resenha completa e muito mais, visite o blog Momentos da Fogui:

site: http://foguiii.blogspot.com/2017/12/onze-minutos-paulo-coelho.html
comentários(0)comente



Fogui 10/09/2018

Onze Minutos - Paulo Coelho
Título original: Onze Minutos
Autor: Paulo Coelho
Editora: Rocco
Ano: 2003

Por mais incrível que possa parecer este foi o primeiro livro que li de Paulo Coelho, depois li O Alquimista só para ter uma ideia ampla da escrita de Paulo, mas acredito que pouco sei sobre o autor e sua obra. E pelo visto continuarei desta forma, não é possível conhecer sobre tudo e todos.

Agora ao que se refere ao livro Onze Minutos, simplesmente adorei. Maria é um personagem no mínimo interessante, uma prostituta que tem metas e objetivos, e é focada nos mesmos, é uma novidade refrescante. Mas isso não significa que a garota não tenha frustrações. Seus planos alimentam sua alma...

Quer ler a resenha completa e muito mais, visite o blog Momentos da Fogui:

site: http://foguiii.blogspot.com/2017/12/onze-minutos-paulo-coelho.html
comentários(0)comente



Elisabete Bastos @betebooks 28/07/2018

Romance - realidade - sexo/preconceito
O romance foge da linha de magia e mistério.O romance trata do assunto o sexo, o preconceito, o ato sexual, o desconhecimento do corpo da mulher, conhecimento fisiológico do órgão feminino, bem como, o modo de conhecer o pouco a personalidade do homem no contexto cultural de "garanhão" etc.
O Paulo Coelho explica esta necessidade de falar do tema:
"Alguns livros nos fazem sonhar, outros nos trazem à realidade, mas nenhum pode fugir daquilo que é mais importante para um autor: a honestidade no que escreve".
O livro tem como condutor da história Maria, nascida no Brasil, que vai à Suíça para ser modelo e exerce a atividade de prostituta.
Na atividade de prostituta irá maturando ideias, sofrendo, aventurando-se e criando fórmulas de entender-se e o mundo.
Gostei muito.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Amanda 21/07/2017

Onze Minutos - Uma nova forma de enxergar o sexo
Onze Minutos é um livro que todos que começam a vida sexual deveriam ler, seja homem ou mulher. Paulo Coelho nos mostra uma nova forma de enxergar o sexo, sem tabu e sem preconceito.

O livro conta a história de uma jovem brasileira que está cansada dessa história de amor e decide firmemente não se deixar apaixonar por mais ninguém. Seu nome é Maria, ela tem 22 anos e certo dia recebe uma proposta de emprego na Suíça. Como qualquer garota do interior brasileiro, ela ficou muito animada e se mudou para o exterior a fim de começar uma vida nova.
Chegando lá, Maria percebeu que as coisas não eram como ela imaginava. Lá ela descobriu uma nova forma de ganhar muito dinheiro sem ter tanto esforço: se prostituindo.

A partir daí, Maria aprende que o sexo vai muito além da penetração. Que nesse ritual sagrado é possível enxergarmos a luz que existe no outro. Que é possível se entregar completamente a um amor sem ao menos tocá-lo. E que é possível haver a combinação entre a dor e o prazer, mas que pode ser muito perigoso.

É um livro baseado em fatos reais, é uma história muito envolvente e rápida de se ler, e é nacional. Então quem ainda não leu Paulo Coelho, esse é um ótimo livro para iniciar a leitura desse autor que é top (:
comentários(0)comente



Thananda 12/03/2017

Deus me livre de ler Paulo Coelho de novo!!!
Obedecendo (atrasado) ao desafio de Fevereiro do Carro-biblioteca da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa onde o tema era "leia literatura nacional", optei por ler Onze Minutos, de Paulo Coelho.

Melhor seria ter ido ver o filme do Pelé.

Maria é uma mocinha ingênua do interior do Brasil. Um belo dia ela finalmente consegue sair de sua cidade natal pela primeira vez para conhecer o Rio De Janeiro. Já no primeiro dia da sua aventura Maria recebe um convite de se tornar dançarina em uma boate na Suíça. Louca para se jogar na vida e conhecer coisas novas Maria topa. Mas a Suíça não é nada daquilo que ela esperava. Tão logo Maria chega àquele país esquisito, se vê desempregada e no olho da rua. Com o dinheiro da rescisão de contrato do seu "emprego dos sonhos", Maria poderia ter voltado para o interior do nordeste se quisesse, mas a vergonha de voltar para o lar em desgraça e seu criticada por amigos e vizinhos por ter voltado tão rápido e sem nada a fez desistir da ideia, e Maria resolveu juntar dinheiro para voltar ao Brasil mais tarde com grande estilo. Porém, para que seu plano desse certo, Maria por opção acabou virando prostituta.

Essa é minha terceira ( e se Deus quiser, última) experiência com Paulo Coelho. Sério, os livros que ele escreve são imensamente maçantes e o velho só pensa em sexo e toda problematização que existe em torno do assunto. Embora o objetivo do livro seja dar a vida à uma prostituta com vários pensamentos filosóficos e -acredite- total desinteresse por sexo, o livro conta com detalhes dos relacionamentos desnecessários, transformando o que inicialmente deveria ser uma obra profunda e reflexiva em um simples livreto pornô. Parecia que estava lendo Cinquenta Tons de Cinza dos anos 2000.

Personagens insossos e histórias bizarras ( exceto as partes do diário de Maria que são realmente boas) fazem Onze Minutos. A leitura não vale o tempo nem o esforço, e certamente Paulo Coelho também não vale. Desisto desse autor. Livros ruins com temas repetitivos e chatos. Não dá pra perder mais tempo lendo isso.

Não recomendo :(
Joana Frank 11/08/2018minha estante
Gente! Pensei a mesma coisa. Foi minha terceira e última experiência com ele. E só cheguei até aqui, para não falar mal sem embasamento. Horrível!!!




Sil 12/01/2017

O melhor
É clichê o que vou dizer, mas este realmente é o melhor livro do autor no meu ponto de vista.
comentários(0)comente



154 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |