Todo Dia

Todo Dia David Levithan




Resenhas - Todo Dia


451 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


ROBINHO 17/10/2017

Uma experiência maravilhosa
O livro nos traz uma reflexão importante através da personagem A, seria bom se vivêssemos uma vida diferente a cada dia?
Me trouxe vários questionamentos sobre a vida e o que faço para torna-lo diferente e igual ao mesmo tempo.
comentários(0)comente



Francisco Garcias 15/10/2017

Decepcionante
Eu esperava muito mesmo desse livro, mas não foi nada do que eu esperava, foi muito pior, eu detestei
Primeiro porque a história é inconstante então como ele muda de corpo muitas vezes, isso me incomoda porque a história as vezes não tem uma continuidade
Segundo porque quando ele entra no corpo de um menino gordo o autor trata isso de forma muito pejorativa, eu não sou magro e me muito ofendido, até a própria Rhiannon aceita todos os corpos mas não aceita o gordo, isso matou o livro para mim
Enfim o livro é cheio de quotes lindas
e sim eu entendo as mensagens que ele traz principalmente relacionado a não importância do gênero, mas esses dois pontos acabaram com o livro para mim
Enfim, detestei foi muito decepcionante
comentários(0)comente



Dani 14/10/2017

Todo Dia, David Levithan
A é um ser desconhecido até para si mesmo, que todos os dias acorda em um corpo diferente e vive nele até a hora em que dorme. Seus hospedeiros têm gênero, personalidade e estilos de vida sempre diferentes, todos com a mesma idade de A, dezesseis anos.

"Todos nós temos mistérios, especialmente se vistos pelo lado de dentro. "

Ele tenta ao máximo não interferir na vida que está "tomando emprestada", sem criar conflitos ou situações estranhas. Um dia, porém, A se descobre no corpo de Justin, um garoto comum com uma namorada por quem não tem grandes sentimentos. Ela é Rhiannon, está completamente apaixonada e devota ao namorado, e imediatamente A sente algo por ela.
Depois de um dia maravilhoso, em que A se apresenta como um Justin diferente e melhor, ele simplesmente não consegue deixá-la mais.

"Mas alguns de nós não querem viver a vida feito mentirosos. "

O enredo de Todo Dia é ótimo, afinal sempre imaginei como seria fantástico poder ter várias vidas, ainda que seja um pouco solitário como o personagem mostra. O conflito é instigante, por ser tão complicado, e fui me envolvendo aos poucos.
É interessante como esse romance aborda vários pontos da vida adolescente/jovem, desde primeiros amores, descobrimento e aceitação a questões mais obscuras como depressão, alcoolismo, culpa. Me identifiquei com várias passagens, frases de efeito do autor e pensamentos de A.
Esse, A, é uma personalidade comum que vai convencendo e comovendo à medida que é introduzida. Ficava com muita vontade de saber mais sobre ele, como funciona toda essa experiência, porém de forma surpreendente esse não é bem o foco (pelo menos até certa parte, mas isso ficou para a continuação).

"Simples e complicado, como a maior parte das coisas verdadeiras. "

O que tem importância é a forma como A passa a almejar Rhiannon e tentar ficar com ela, o que é muito romântico e sensível, além das vidas com que ele vai se deparando em sua jornada. Mas o ponto maior mesmo é a ideia que o autor vende nesse livro de que não importa o corpo, o coração é o que importa e tal.
Há bastante apelo para as causas LGBT, algo esperado por mim já que conhecia os outros livros do autor, como Garoto Encontra Garoto. Não pude deixar de me lembrar da música Pussy da Alaska Thunderfuck, e de fato é algo verdadeiro muitas vezes. Infelizmente não concordei totalmente, pelo menos como o autor colocou alguns pontos, mas não deixa de ser uma boa reflexão.
O relógio sempre faz tiquetaque. Tem vezes que você não ouve, e outras que sim.
Recentemente foi lançada a continuação de Todo Dia, e ao iniciar essa leitura me perguntei se seria mesmo algo necessário. Porém, depois da forma como acabou, acredito que seja uma boa ideia sim, se essa for explorar o universo de A melhor. Quanto ao romance, para mim acabou de forma satisfatória, ainda que triste.

site: http://cookiescreamandmint.blogspot.com/2017/06/todo-dia-david-levithan.html
comentários(0)comente



Jaque Assunção 27/09/2017

Resenha - Todo dia
Acredito que criei muitas expectativas a respeito dessa leitura por conta dos vários comentários positivos que ouvi. Gostei bastante da narrativa do David Levithan. O livro em si apresenta uma história totalmente diferente de tudo que já li, tem umas mensagens de reflexões bem bacanas e é fácil identificar a mensagem principal que se passa no enredo: "O AMOR" independente de gênero, até mesmo porque "A" se apaixona por pessoas e não pelas genitais.
"Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero.
Apaixonei-me por indivíduos."
Entretanto, senti falta de uma explicação, no finalzinho do livro, quando você pensa que vai descobrir o que é A, o porquê ele vive assim; simplesmente a leitura encerra. Gostei bastante que Levithan tenha contado como é cada dia de A, o fato de não saber no corpo de quem estará gera um pouco de curiosidade, mas ao mesmo tempo fica maçante.
Fiquei imaginando que em determinado momento A começaria procurar por respostas e as obteriam...
É um livro que eu indicaria, mas ainda assim, não daria cinco estrelas.
Carol 29/09/2017minha estante
Adorei sua resenha, também dei três estrelas pela falta de explicação que é muito irritante e pelo romance que é muito pegajoso, além de parecer que a mocinha do livro está "nem aí" para o "A"...kkkkk


Jaque Assunção 06/10/2017minha estante
Carol, também achei muito pegajoso, além de que a Rhiannon "apaixonou" de um segundo pro outro... Achei muito mal relatado o romance deles... a histórias deles ficaram envolvidos na emoção de se encontrar..
Admito que uma parte que gostei bastante foi quando o "A" ficou preso no corpo da Rhiannon.
E eu jureeeeeeeei que ele teria respostas no final... kkk




Marci 16/09/2017

Bom
Todo dia é um livro bom, tem uma leitura fácil, fluente, gostei bastante. Só achei estranho o fato de A trocar de corpo todos os dias. Mas tudo bem!
José Igor 15/10/2017minha estante
A proposta é justamente isso: A trocar de corpo todo dia. É o fator principal do livro...




Cah 15/09/2017

O livro que me tirou o sono.
Todo dia é um livro encantador. Você se apega ao A. Você fica curiosa pra saber quem ele vai ser a cada dia que começa. Você fica querendo saber como vai ser o dia dele no novo corpo, se ele vai encontrar a Rhiannon, ou se vai dar tudo errado. Você se pega torcendo para A e Rhiannon arrumarem um jeito de ficarem juntos, e se surpreende com o final (de um jeito bom). A passa pelo corpo de vários tipos de pessoas e nós, os leitores, começamos a entender como cada pessoa é diferente da outra. Como cada um vê o mundo diferente. Como cada um se sente diferente. E como nós podemos entender cada um.
Você acaba o livro se perguntando o que é capaz de fazer por amor.
comentários(0)comente



Thay 07/09/2017

Comecei esse livro coberta de expectativas, de tanto que falavam da maravilha dele. Na metade do livro estava me questionando se havia alguma forma dessa história me decepcionar, por que eu já estava tão maravilhosamente envolvida que não via formas de o final não me agradar. O que aconteceu foi o que o final me foi maravilhoso, nada de uma reviravolta assustadora, só a realidade. E foi lindo! Esse livro me fez sorrir, me fez emocionar, e acima de tudo, me ensinou lições preciosas!
Obrigado David pela história.
Obrigado menina com quem eu troquei esse livro e não lembro o nome pela troca maravilhosa!
comentários(0)comente



Flávia Carvalho 03/09/2017

Surpreendente e reflexivo!
Acho surpreendente um livro quando conta uma história que não tem nada de real mas que, ainda assim nos faz parar para pensar e refletir sobre o assunto.

Um livro de escrita agradável e que deixa a leitura fluir a cada capítulo. As coisas acontecem no livro sem enrolação e isso nos prende a cada personagem de todos os dias na vida de A.

Como cada dia na vida dele era em uma pessoa diferente, o autor procurou diversificar abordando vários pontos de forma tranquila e sem excessos.
Algumas pessoas comentam de forma crítica na parte da homosexualidade, o que no meu ponto de vista não teve nada abusivo, sendo simplesmente uma forma de variação das vidas que o personagem participa deixando o livro mais interessante e reflexivo.

O final me surpreendeu de forma positiva, achei o Levithan muito criativo do jeito que foi desenvolvendo o desfecho da história, me deixando um pouco apreensiva, bastante envolvida e muito curiosa.
O final nos faz parar para refletir mais ainda sobre nosso lado humano. O que faríamos no lugar dele?
Surpreendente!
comentários(0)comente



Angela 21/07/2017

A
Consciência, sentimento, um desejo reprimido, uma alma que veio a este mundo de forma diferente, para mudar a vida das pessoas com as quais têm contato, ou apenas nós mesmos, uma amostra de como somos volúveis?

O personagem principal do livro Todo dia (que se autodenomina “A”), escrito por David Levithan, acorda todos os dias em um corpo diferente, com a mesma idade que a sua, tendo acesso às memórias da outra pessoa, mas mantendo a própria consciência, podendo tomar decisões.

Habitando os mais variados corpos de adolescentes com 16 anos, “A” consegue nos mostrar como é viver um dia da vida de outra pessoa. O exemplo mais literal do “se colocar no lugar do outro”. Não vou resenhar a obra e nem tentar compreender a mensagem que o autor quis passar aos leitores, não é uma interpretação de texto.

Pensei em consciência, sentimento.

Mais ou menos na metade da história cogitei que o personagem expressasse os desejos reprimidos destes jovens. No dia da “invasão” eles fugiam de suas rotinas, faziam o que, no recôndito de suas mentes, sentiam vontade de fazer. Pode ser que seja isso mesmo, há tantas vontades sendo reprimidas, tantos “eus” escondidos por medo do julgamento que, se fosse possível, muitas pessoas gostariam de ser, pelo menos por um dia, elas mesmas com outra forma de pensar, com uma liberdade diferente. Ou um corpo capaz de ir além das barreiras que o dia-a-dia vai impondo.

Considero a possibilidade de “A” existir, como um Ser realizador de desejos, um Anjo investido de poder de mudança, um empurrãozinho do Destino ou um Bagunçador (não sei se essa palavra existe, mas gostei dela) de cabeças. Você e eu podemos ter tido um dia que parece em branco ou um borrão que lembramos apenas como um déjà vu.

Ou então, o personagem reflete como o ser humano é mutável em muitas das suas ideias e ações, de como algo, que até então era inviolável, pode ser descartado ao despertar pela manhã. Esse fator humano amedronta, mas também abre um mundo de possibilidades.

Leiam o livro, recomendo. É sempre bom analisar as perspectivas. É ainda mais importante se colocar no lugar do outro.

“A” tem muito para ensinar, é um personagem adorável. Deve ser porque ele reconhece as diferenças entre as pessoas, e sabe respeitá-las.


site: https://razao-e-emocao.blogspot.com.br/2017/07/a.html
comentários(0)comente



Maria.Fernanda 14/07/2017

Todo dia-David levithan
Todo dia é contado em 1° pessoa, pelo A, que como ele próprio se denomina ele é um hospedeiro pois cada dia está em um corpo diferente, e isso é desde sempre. O primeiro dia ( o livro se passa por dias ) somos apresentados ao Justin o primeiro corpo que, A vive por um dia. A história é muito envolvente que não dá vontade de parar de ler. Quero um novo livro e que esplique sobre o que, A é como, e o por que ele é assim.
comentários(0)comente



Vitor 06/07/2017

Um dia, uma Vida. Todo Dia
Resenha do meu blog. ( Não me julguem ;-;)

Assim que ele abre os olhos, é preciso que ele descobra em que corpo está – Se é alto ou baixo, rico ou pobre, homem ou mulher- porém essa é a parte mais fácil de se identificar. O mais difícil vem sobre os sentimentos do corpo no qual ele está. Ele pode estar em um quarto no qual ache particularmente bonito, mas de início, não pode saber se o corpo no qual está, gosta deste quarto. Além disso, diversas vezes ele precisa ''Acessar’’ a mente dessa pessoa (Acessar está relacionado a uma ‘’ habilidade especial’’ no qual ele pode, por exemplo, saber se o corpo no qual ele está possui alguma alergia, ou qual língua ele se comunica, etc.)



Essa é a vida de A, uma pessoa sem gênero, que todo dia acorda em um corpo diferente desde o início de sua vida.

Ele sempre achou que isso fosse normal, pelo menos até os 5 anos de idade, quando começou a perceber que seus pais (ou os pais do corpo no qual ele estava hospedado) faziam planos para outros dias. Foi nesse ponto que A começou a criar 2 regras para que pode-se viver em paz:



1-Nunca criaria laços com ninguém, pois sabia que no dia seguinte essa pessoa sumiria de sua vida, e com essa regra, ele evitaria de sofrer com saudades de outras pessoas.


2-Ele nunca interferiria de forma alguma na vida de outra pessoa, pois não achava certo o fato de que, além de estar roubando a vida de uma pessoa por 24 horas, inda pudesse, de alguma forma criar problemas futuros a ela.


O livro começa quando A está no corpo de um menino chamado Justin. Esse menino não liga para as pessoas ao seu redor, seja seus pais, seus amigos ou até mesmo sua própria namorada. O seu dia segue normalmente, até que A encontra a namorada de Justin, Rhiannon. Depois de uma breve conversa, ela o convida para ir jantar. A sabe que deve recusar, pois é algo que Justin nunca faria, mas ao mesmo tempo, algo dentro dele diz para ele ir. Justin não se importava o suficiente com Rhiannon, e por isso, ele decidiu dar ao menos 1 dia perfeito para ela.

Assim que o dia acaba, ele acorda em outro corpo como de costume, mas seus sentimentos ainda são os mesmos com Rhiannon, e de alguma forma, A vai tentar concretizar o seu amor com ela.

Minha opinião:

O livro Todo Dia, do autor David apresenta um enredo muito, muito interessante. Para mim, esse foi um dos livros que mais me prendeu. Simplesmente não conseguia parar de ler. A história do livro é algo que, pelo menos para mim, é inédito. Nunca vi uma história com o tema parecido, e acho que esse foi um dos fatores que me levaram a lê-lo em tão pouco tempo.

Outra coisa muito legal a respeito do livro, é como o A, e os outros personagens que ele se relaciona, mostram sua reação de acordo com o corpo que ele está. Um exemplo disso é a própria Rhiannon, que em diversas vezes no livro, hesita em beijar A pelo fato de ele está no corpo de uma menina, ou em um exemplo mais especifico, apenas pelo fato de ele ser gordo. São esses fatos que nos deixam cada vez com mais raiva de Rhiannon, mas se olharmos direito, ela reage do mesmo modo que nós reagiríamos se estivesse em seu lugar, e isso infelizmente é a nossa realidade, sempre julgamos a pessoa pelo que vemos, e mesmo quando tentamos fazer o contrário, a parte física acaba sempre tendo um destaque maior do que a parte interior.

Além disso, esse foi um dos poucos livros que realmente me fizeram chorar, mas não vou entrar muito no assunto para evitar SPOILER.

site: https://umlivroumasvidas.blogspot.com.br/2017/07/resenha-todo-dia.html
Cah 06/07/2017minha estante
Acabei de terminarmos. É simplesmente MARAVILHOSO


Cah 06/07/2017minha estante
Acabei de terminar. É simplesmente MARAVILHOSO.


Vitor 11/07/2017minha estante
Que bom que gostou =D é um livro muito bom mesmo


cintiarock 14/07/2017minha estante
Chorei tb.




cris.leal.12 06/07/2017

Seria maravilhoso se não fosse o final...
O livro conta a história de "A", um ser sem um corpo próprio que toda manhã acorda em um corpo diferente. Não há qualquer aviso sobre quem ele será ou onde estará. "A" pode acordar no corpo de uma menina ou de um menino e ali permanece por 24 horas. "A" tenta não se apegar ao seu hospedeiro, evita ser notado por ele e não interfere na sua vida, até o dia que ele desperta no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. "A" se apaixona por ela e a partir daí as regras pelas quais tem vivido não fazem mais sentido, pois "A" passa a desejar estar ao lado dela, dia após dia, todo dia.

"Todo Dia" é um livro que mostra que o amor não tem limites. Não importa em que corpo "A" está, seja ele homem ou mulher, gordo ou magro, branco ou preto, um adolescente feliz ou problemático, suicida ou drogado, ainda assim ele ama Rhiannon. Mas, e ela? Será que conseguirá conviver com um namorado que apresenta um corpo físico diferente a cada dia?

O livro é uma história de amor sobre um amor impossível, extremamente bem escrito e agradável de se ler, mas com um final decepcionante para o que começou como uma história promissora. O autor criou expectativa sobre uma possível mudança da situação de "A", que acabou não acontecendo e ficou devendo mais informações sobre ele/ela. Afinal, "A" é o quê? Uma entidade? Um fantasma? Uma alma? Um ET? Fiquei sem saber!


site: http://www.newsdacris.com.br/2014/02/eu-li-todo-dia.html
Elidiane.Costa 18/09/2017minha estante
undefined




Mariana.Grimes 19/06/2017

Todo Dia
Todo Dia, do David Levithan, conta a historia do "A", que é um "ser" (podemos chamar assim) que desde do dia em que nasceu habita um corpo diferente, porém, desde que tenha a mesma idade referente ao "A", que no caso é 16; um dia ele/ela (como já deu pra notar o "A" não tem sexo definido) ou seja, um dia "A" pode ser homem no outro mulher, gay, gordo, e por aí vai, até que um dia o "A" acorda no corpo do Justin, um garoto muito bocó, meio play boy, só que, Justin tem uma namorada, chamada Rhiannon, e o "A" de apaixona por ela, e a partir da aí, todos os dias quando o "A" acorda na manhã seguinte, ele/ela tenta fazer de tudo para ver Rhiannon, o que é muito difícil, já quê tem dias que ela acorda a horas de distância da cidade onde Rhiannon mora.
Depois de uns três dias após ter conhecido Rhiannon, e ter tentado ficar próximo dela, o "A" decide contar a Rhiannon o que acontece com ele/ela (isso não é spoiler) conta o fato de quê todo dia é uma pessoa diferente, ela se assusta no inicio, mas após um tempo, decidem tentar um relacionamento...
O livro é realmente incrível, com um monte de frases reflexivas, que nos colocam pra pensar, onde mostra como é estar no lugar do outro, e que pequenas ações podem mudar o mal estar de uma pessoa, mas este não é a principal moral da historia, Todo Dia mostra que não devemos dar tanta importância para a aparência, pois Rhiannon se apaixona por "A", mesmo ele/ela mudando de aparência todos os dias, ou seja, ela se apaixonou pelo que "A" era de verdade, pela sua personalidade, ignorando que um dia ele/ela era transexual, ou uma garota patricinha, ou uma com depressão, porque Rhiannon sabia que dentro daquele rótulo que as pessoas colocam umas nas outras, existia uma pessoas linda, não com olhos claros, cabelo loiro, ou corpo definido, mas sim uma pessoa capaz de fazer atitudes lindas.
comentários(0)comente



Garotas Devorando Livros 03/06/2017

Cardápio de hoje: Todo dia
[...]

A história é muito bem construída e surpreendente a cada página, não sei vocês, mas eu não tinha a menor ideia do que poderia acontecer no final. Mesmo com a minha super imaginação fértil, tive varias ideias mirabolantes mas nenhuma delas chegou perto do que foi o verdadeiro final (não, eu não vou ser spolhuda e contar pra vocês).

[...]

site: http://garotasdevorandolivros.blogspot.com.br/2017/05/resenha-todo-dia-david-levithan.html
comentários(0)comente



Giovana.Salvador 14/05/2017

<3
Deveria ser obrigatório para geral. Aceite a diferença e viva !
comentários(0)comente



451 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |