A Verdade Sobre Nós

A Verdade Sobre Nós Amanda Grace




Resenhas - A Verdade Sobre Nós


113 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8


Dany 07/08/2015

A Verdade Sobre Nós
Já tinha achado linda essa capa e fiquei curiosa em ler o livro também devido ao título. Li algumas resenhas negativas, mas mesmo assim a minha vontade de lê-lo não tinha desaparecido.

Não estava com grandes expectativas, porém achava que a história se daria de modo diferente. O livro inteiro é escrito em forma de carta que Madelyn escreve para seu amado Bennet contando como tudo se desenvolveu e acabou transformando a vida de ambos.

Ela muito estudiosa, muito certinha cercada por pais super exigentes e que precisa sempre estudar e estudar mais acaba indo pra faculdade com 16 anos, ela faz parte de um programa para jovens talentos, é ai que ela conhece o seu professor de biologia Bennet e logo se apaixona por ele. Logo no primeiro encontro ocasional dos dois deu de perceber que ele também nutri sentimentos por ela, mas como existe essa relação de professor/aluno mesmo sem saber que ela ainda é de menor ele não quer se envolver com ela.

Mesmo assim os dois passam a conviver juntos, ela sempre na casa dele, eles sempre fazendo caminha juntos e por ai vai, mas sem nunca acontecer nada – o que de certa forma achei bem estranho, nem se beijar eles se beijavam e olha que foi quase um ano nessa enrolação. Tipo, ele tem 26 anos, já é um homem maduro, experiente e simplesmente nada acontece entre eles? o-0

Eu sei que ele ama o trabalho, isso dá de perceber e não quer se envolver com ela por causa disso, mas que é estranho eles estarem tão perto sempre e nada acontecer isso é.
O que achei mais chato foi que ela contou nas cartas exatamente tudo o que aconteceu entre eles, desde aulas até os encontros secretos e meio que ficou sem graça isso porque Bennet de certa forma já sabia sobre o que aconteceu porque estava com ela e não precisava ela realmente contar tudo novamente só com o intuito de ressaltar o que ela estava sentido no momento.

A história ficou tão focada nesse “quase” namoro que acabou deixando passar assuntos importantes e que foram poucos abordados. Fora que achei Madelyn sem personalidade nenhuma, ela demostra ser uma coisa, diz que é outra e não muda, tipo isso ficou pouco trabalhado. Fora que ela faz muita comparação em como era quando estudava no ensino médio e de como é na faculdade. Como também ela é muito boba com relação a Bennet, tudo muito bobo e clichê.
Já tinha lido outro livro da escritora e embora não esperasse nada muito elaborado, apenas o final me surpreendeu porque fugiu do obvio. Embora tenha sido meio frustrante devido ao tempo que esse quase relacionamento levou pra se desenvolver e depois... depois você se conforme com o final e é isso acabou.

Foi exatamente isso que eu senti ao terminar de ler. Foi interessante, não era esperado, mas também não foi o final que me deixou conformada. De certa forma não foi ruim porque se for comparar com o que acontece em nossa vida real meio que leva pra esse lado que o final tomou. Mas também não chega a agradar porque faltou certas coisas serem desenvolvidas de uma melhor forma.

É um romance levinho, meio parado mas pra quem procura ler algo leve eu recomendo.


site: http://recolhendopalavras.blogspot.com.br/2015/07/resenha-verdade-sobre-nos.html
comentários(0)comente



Alana Gabriela 16/01/2015

Adoro livros que envolvam alunos e professores, sempre quero saber como a situação se desenvolverá no final... e esse foi o mais imprevisível e triste, apesar de saber desde o inicio que as coisas entre eles dariam errado. Quando Bennet jogou a bomba no final tudo se despedaçou... tipo, se ele pelo menos sei lá não dissesse ou qualquer coisa. Ele seguiu em frente o que foi muito doloroso. Tentado ao máximo não dar spoiler aqui, mas... Enfim, com aquela bomba senti uma tristeza que me consumiu e estou escrevendo aos prantos. Mas, o livro é bom, tudo se desenvolve bem, e tenho que me conformar que nem tudo pode ser felizes para sempre como a Maddie também comentou. Amanda Grace só despedaçou meu coração com esse livro! Mas é uma boa leitura, recomendo. Peguem os lenços people!
comentários(0)comente



Eu Conto Um Conto 29/07/2015

Vai ser difícil superar uma leitura como A verdade sobre nós. Além dessa capa maravilhosa o livro dá vida a um belo romance, uma linda história de amor que teria tudo para dar certo se, desde o começo, não estivesse fadada ao fracasso.
Esse livro me surpreendeu completamente. Não vou mentir, normalmente tenho medo do conteúdo de capas tão perfeitas como essa, mas o livro é bom de verdade e valeu tanto ter lido.

O envolvimento entre aluna e professor abordado pela autora inova por começar a história do fim, por deixar claro o presente da protagonista mas, ainda assim, nos faz ansiar por um final diferente. É impossível não se envolver emocionalmente com essa história, vivi cada sentimento narrado: ódio, amargura, esperança, amor, desejo.

Enfim, um romance com dor e crescimento pessoal, ou seja, tudo o que mais gosto em livros do gênero jovem adulto. O final pode não agradar, até gostaria que fosse diferente, mas não consigo deixar de pensar que foi justamente por esse desfecho que a autora transformou sua história, que nas últimas páginas ganhou ainda mais força pela bela mensagem que o livro carrega.

site: http://eucontoumcontoblog.blogspot.com.br/2015/07/resenha-verdade-sobre-nos.html
Thais 10/08/2015minha estante
quase morri com esse final.




Psychobooks 03/09/2014

Classificado com 2,5 estrelas no Psychobooks

"A Verdade Sobre Nós" me ganhou pela capa e pela sinopse, minhas expectativas estavam bem altas, uma pena elas não terem sido correspondidas...

Enredo

Madelyn Hawkins tem dezesseis anos, é a filha perfeita, aluna exemplar que participa de um programa em que ela pula dois anos do colegial e vai direto frequentar algumas matérias da faculdade. Na aula de biologia ela conhece o Sr. Cartwright, professor de biologia, e logo se apaixona por ele. Enquanto fazia uma caminhada, Maddie encontra o Sr. Cartwright, os dois conversam e a garota percebe que pode haver reciprocidade no que ela sente.

Bennet ama sua profissão, a principio reluta em assumir seus sentimentos por Maddie, como ela é sua aluna, ele acredita que a garota já concluiu o colegial e tem pelo menos 18 anos. Maddie nunca corrigiu o mal entendido e Bennet acredita que o único empecilho é a relação professor-aluno. Os dois só precisam esperar o semestre chegar ao final para finalmente poderem se entregar à paixão.

Desenvolvimento do enredo

Desde o começo da leitura sabemos que o caso de amor de Maddie e Bennet não deu certo, ela conta sua história através de cartas, com sua versão sobre os fatos para tentar explicar o motivo de ter mentido sobre sua idade e para que eles entendam que Bennet não a seduziu, não se aproveitou dela, eles simplesmente se apaixonaram.

Eu gosto de leituras que envolvem temas polêmicos, mas o desenvolvimento desse enredo ficou um pouco fraco, superficial e muitos aspectos não me convenceram.

Personagens

Maddie está abrindo seu coração para o leitor de suas cartas, mas ter conhecimento de apenas um lado do romance e ver Maddie construir sua mentira por egoísmo, sabendo que prejudicaria a vida de Bennet, não conseguiu me emocionar, me envolver e fazer com que e torcesse para que tudo desse certo.

Bennet nos é retratado pela visão de Maddie, por isso fica difícil saber o que ele realmente estava pensando. Mas dá para perceber que ele é um cara romântico, sensível, simples e decidido.
Destaque para o cachorro de Bennet que é todo fofo e se chama Voldemort < 3

Concluindo

'A Verdade Sobre Nós' não me arrebatou, mas é uma leitura rápida e ao contrário do que eu esperava, leve. Acho que foi isso o que mais me incomodou, esperei por uma leitura mais densa com algumas discussões sobre um tema polêmico e acabei encontrando um romance superficial.
Sei que o final é polêmico e vai dividir opiniões, mas foi uma das poucas partes que a autora conseguiu me convencer e eu gostei, principalmente, por parecer crível.

site: www.psychobooks.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcos 14/06/2014

Madelyn é uma garota que está cursando seu último ano no colégio. Como sempre foi muito esforçada e quer conquistar uma vaga na universidade de Harvard, ou em qualquer universidade da Ivy League, acaba optando em pagar alguns créditos no campus da universidade estadual em sua cidade. Lá, em uma aula de biologia, acaba conhecendo Bennet, seu jovem professor da matéria. Sendo tratada com cortesia e, de certa forma, com um pouco mais de atenção de que seus colegas de classe, Madelyn acaba cada vez mais se aproximando dele, ao ponto de se apaixonar e começar um relacionamento juntos. Porém ela lhe esconde um detalhe importantíssimo que não permitia seu namoro: tem apenas 16 anos e ainda não é uma aluna da faculdade.

Quer continuar a ler a resenha? Acesse:

site: http://capaetitulo.blogspot.com.br/2013/07/resenha-truth-about-you-and-me-de.html
comentários(0)comente



Mar 18/11/2014

Um enredo clichê, minha narração favorita!
Se você leu a sinopse, deve ter pensado que este seria mais um livro com um enredo clichê. E vou te confessar: Sim, o enredo é clichê! Porém, este livro é especial! Madelyn, nossa protagonista, apaixona-se por Bennet. Este, por sua vez, alimenta o sentimento, mesmo com medo por ser seu professor. O problema maior, porém, não é a profissão do mocinho. A menina passou pelas aulas avançadas do Ensino Médio e está cursando o Básico na faculdade. Madd, tem apenas 16. E Bennet? Bennet tem 26 anos, é um homem feito e além dos dez anos de diferença... É professor da menina! Este relacionamento estava fadado.

Achei que minha carta talvez o ajudasse a ser libertado, porque eles veriam que tudo havia sido minha culpa [...] [ Pág. 192]


Clique em "Continue Lendo" para saber mais.


A construção das personagens foi interessante. Ambos os protagonistas, e até mesmo os coadjuvantes, foram caracterizados como pessoas que facilmente encontramos na vida real. Foi tão fácil eu imaginar os pais controladores de Madd e sua revolta por ter passado tanto tempo aceitando escolhas e sonhos que não eram seus... Que eu simplesmente me peguei entendendo todas as suas atitudes, suas mentiras, suas revoltas e indecisões. Não que tenha enlouquecido e achado que ela estava certa... Mas suas ações eram passíveis de compreensão.


Meu exemplar na cabeceira!

Além de Madd, tinha o Bennet! Acredito que a autora poderia ter desenvolvido mais a estória e ter incorporado algumas páginas a mais. Mas, acho que foi a pitada certa da estória, porque meu coração dilacerou com poucas páginas, mas isso é assunto para outro parágrafo. Voltemos ao segundo protagonista... Eu me apaixonei por Bennet em poucas páginas. Amanda Grace, pseudônimo de Mandy Hubbard, a autora da obra, provavelmente não seria fracassada se desenvolvesse mais o personagem. Ele apareceu como vítima na história. Então, eu sentia mais pena do que amor por ele. Basicamente isso! Não que seja um ponto negativo, mas seria melhor se fosse exposto um pouco mais do lado sedutor, apaixonante ou qualquer outra coisa além da vitimização do cara!

Congelei no caminho entre a porta e a cama, no caminho entre o que nos tornaríamos e o lugar aonde eu sabia que estávamos indo. [Pág. 168]

Quanto a narração, aí está o "X" da questão", foi ela quem fez esta obra ser especial. Tem tanto sentimento naquelas palavras que eu estou me questionando se a autora passou por isso. Se ela juntou em algum momento da vida dela essas cartas e agora resolveu publicar com o intuito de explicar um passado a alguém importante... Eu acreditei muito fácil na história!

Um ponto que eu não devo deixar de citar é o pronome usado, "Você". Em algum momento da minha vida eu li um outro livro com a mesma "pegada". "Stolen - Carta ao meu Sequestrador" também usava o pronome "Você" e, como o subtítulo já diz, era também uma carta. "A verdade sobre nós" foi narrado, assim como "Stolen", através de cartas. Da primeira página até a última a protagonista se desculpa pelas mentiras e por tudo o que fez. A narração, dessa forma, ficou perfeita. A protagonista conversa, de pertinho, no íntimo, com o leitor, e quem está lendo quase responde! Pelo menos foi assim comigo!


Havia concentrado todo o meu tempo, todos os meus pensamentos naquele momento. Depois que ele passou, percebi com uma chocante clareza. Ali, de pé no meio do chalé, percebi que estiver disposta a fazer qualquer coisa durante doze semanas, estivera disposta a mentir e a criar para você uma versão de mim inteiramente nova... [Pág. 164]

Acho que não vou conseguir expressar o que eu senti enquanto eu lia. O livro é fininho, li muito rápido. Durante todas as páginas, desde a primeira!, a autora dá dicas, ou até mesmo fala claramente o que acontece no final. E, ao contrário do que você pensa, isso vai dar mais calor à leitura. Você ao mesmo tempo vai querer que acabe, mas que também não acabe! E, acredite!, só não saiu lágrimas porque eu me forcei para não sair, afinal, eu estava lendo em local público! O livro é bem triste... O que posso dizer sobre as últimas páginas dessa obra sem dar spoiler? Que é tremendamente triste. Facilmente pode acontecer na vida real. Não existe uma heroína, existe um cara querendo viver um amor mas sendo enganado novamente por uma adolescente inexperiente que só quer fugir do controle e expectativas de seus pais.

Antes de finalizar essa resenha falando que eu amei muito este livro e dizendo que a autora, com certeza, entrará para minha listinha de autores prediletos, eu preciso falar uma coisa: Eu preciso de uma continuação! Amanda Grace? Eu preciso que você publique um segundo livro porque aquele final simplesmente deixou um grande vazio em meu coração. De verdade! Parece que eu vivi aquilo tudo na minha pele! Sensacional! Se você tem outros livros como esse... Com certeza um dia serão meus! Porque estou disposta a comprar todos!

Provavelmente eu sabia, não é? Que tudo daria errado. Tinha dezesseis anos, mas não era burra. [Pág.164]

Quanto às minhas recomendações... Leiam, leiam, chorem, deixei o coração apertar! E quando chegarem no final... Não travem as lágrimas, deixe seu coração apertar até o último suspiro. Este livro é tão lindo... Tão lindo... Tão real! Ele é especial! Se tornou um dos meus favoritos!


Resenha publicada no blog LaGarota.com.br

site: www.LaGarota.com.br
Camila 05/12/2014minha estante
Senti as mesmas coisas que você durante a leitura e me apaixonei muito pelos personagens. Entendi o lado da garota e do cara. Fiquei muito triste com o final, mas como você disse, ele é bem real e retratou o que com certeza aconteceria. E sua teoria sobre ser a história da autora é muito boa. Gostei de imaginar desta forma. Muito boa a sua resenha. Você escreve muito bem.




Portal JuLund 04/10/2015

A verdade Sobre Nós, Resenha, @intrinseca
Quando me deparei com a capa deste livro fiquei realmente curiosa pra saber do que se tratava, e após ler a sinopse me interessei ainda mais, afinal quem não gosta de ler um romance com toque de “amor proibido” que atire a primeira pedra!

A Verdade Sobre Nós possui um toque intimista, pois é escrito em forma de carta. A protagonista Madelyn Hawkins revive toda a sua história, mais especificamente seu romance com Bennet Cartwright, um professor universitário que dá aulas de biologia. Nossa pequena Mad passou a vida inteira sendo a filha perfeita e a aluna que todo professor gostaria de ter (ops…), tirando notas altas no colégio e surpreendendo a todos.

Leia a resenha completa em:

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/verdade-sobre-nos-resenha-intrinseca
comentários(0)comente



Priscila 26/10/2018

Olha pra ser sincera, li mais esse livro pra saber no que ia dar, já que de início a gente sabe que o relacionamento flopou, mas a maneira que a Mady começa a contar você vai entendendo bem o porque.

Vocês me desculpem, mais detestei a protagonista, me surpreenderia que mesmo depois de tudo, se esse relacionamento tivesse vingado, a guria é um prodígio, ao ponto de ingressar na universidade aos 16, nutri um crush pelo professor de biologia, até ai ok, o problema é quando a paixonite começa a ser correspondida, e ele dar indícios sobre o que pensa de pessoas da idade que ela tem, então ela decide esconder o fato que tem tal idade, e depois que tudo se aprofunda, ela decide revelar a verdade, que não só complica o lado do professor, por se envolver com uma menor, como também uma aluna.

Não esperava menos, pelo menos o final foi bem coerente, uma história que começou mal, terminasse bem, me surpreenderia. Até porque o cara abdicou do emprego, se mudou pra outra cidade, por conta disse seu cachorro faleceu(por não se adaptar a nova cidade), arrumou alguém, que por sinal quase perde ao ser sincero e conta a história, que a guria fez ele protagonizar.

Gostaria de escrotina o cara, mas nem.tem como, pq ele não sabia de nada, até ela abri a boca, fico me perguntando se ela n tinha aparência mais jovial que as demais que o fizesse pelo menos desconfia, porém não temos esse detalhe, então como escrotina um personagem que estava no escuro?

Juro que se pudesse entra no livro pra dar uns sacode pra ver se a personagem acordava, eu entraria. É isso.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lendo, Relendo, Encantando 02/01/2017

A verdade sobre nós
O livro conta o relato de Madelyn, uma garota de 16 anos que é muito inteligente, mais tão inteligente, que ela faz cursos na faculdade antes mesmo de estar formada no ensino médio (através do Running Start, um programa que permitia alunos do ensino médio cursarem matérias que valeriam pelo último ano da escola).
Pelo que consegui notar da personagem principal e que fica bem claro é, ela como qualquer pessoa que tem sua idade está enfrentando dilemas sobre o que gostaria de estudar e com o que gostaria de trabalhar, porém tais escolhas não estão sendo feitas por ela e sim pelos seus pais.
Ela descreve como foi sua vida nesse período de faculdade, onde ela se apaixona pelo seu professor de Biologia, que possui 25 anos, o que ela não contava era que ele pudesse se encantar por ela também, mas não deixa que nada "efetivamente" aconteça, afinal é contra a lei se relacionar com alunas, mas essa aproximação não deixa de acontecer.

Obs: Para Bennet (professor), a garota tem no mínimo 18 anos, em nenhum momento ela lhe informou que era menor de idade.

Eu fiquei um pouco incomodada com a forma em que o livro é escrito, mas consegui me acostumar antes dele acabar, eu gostei bastante da leitura, Maddie conseguiu demonstrar que tinha "teoricamente" uma cabeça boa e que era madura pra sua idade, mesmo ela tendo feito o que fez, entretanto o desenrolar da história foi meio triste, na minha reles opinião o livro merecia uma sequência, onde seria mais detalhado o futuro da personagem principal.
Andreza 03/01/2017minha estante
fiquei curiosa pra ler, vou tentar ler esse ano. o.o




Lilia 07/09/2014

Depois de ler esse livro, veio a minha mente 3 palavras..."PERDA DE TEMPO".
A muito tempo não tinha lido um livro tão ruim e final tão péssimo.
O começo do livro até a metade e bom, mas no final parece que a autora se perdeu e escreveu um final muito triste, na qual foi realmente desnecessário.
Sem contar que a personagem principal da história mostrou tempo todo do livro, não ter amor próprio.
Esse é um livro que não recomendo a ninguém lê-lo...
comentários(0)comente



Renata 29/12/2014

A Verdade Sobre Nós - Amanda Grace
Madelyn Hawkins é a filha perfeita: nunca se meteu em problemas, sempre foi estudiosa e tirou notas máximas na escola. Agora, aos dezesseis anos, ela tem a chance de participar de um programa que as escolas americanas oferecem para alunos acima da média, de terminarem os créditos do ensino médio na faculdade. E é lá que sua vida começa a mudar, ao conhecer seu professor de Biologia Básica, Bennett Cartwright.

Bennett é a personificação da liberdade que Maddie busca há muito tempo. Porque ele não a olha como uma criança e quando está com ele, ela também não se sente uma. O problema, é que ele supõe que ela tenha dezoito anos, como todos os outros alunos.

Atraída desde o primeiro segundo, ela percebe que o professor talvez possa retribuir o sentimento. Porém, ele não quer arriscar: enquanto for professor dela, nada poderá acontecer. Felizmente, ele só dará aula para ela até o fim daquele semestre. Sendo assim, ela ainda tem tempo para desfazer o engano dele sobre sua idade e contar a verdade antes que algo aconteça.

A história é narrada em primeira pessoa, sendo cerca de 90% em forma de uma – longa – carta, que Madelyn escreve para Bennett, contando a história dos dois a partir de sua perspectiva. Nesta carta, ela explica cada uma de suas ações e sentimentos durante o tempo em que estiveram juntos, na esperança de que isso melhore as coisas, de alguma forma.

Madelyn é uma personagem um tanto quanto irritante. O fato de ser a narradora, infelizmente, não ajuda em nada nesse sentido. Seus pensamentos na maior parte do tempo são infantis e egoístas. Todas as suas atitudes são justificadas pela forma como sempre foi controlada pelos pais.

Bennett, por sua vez, não tem muita voz. Como tudo o que sabemos dele vem das lembranças e pensamentos de Maddie, é difícil dizer exatamente o quanto do que nos é mostrado corresponde à realidade. Ainda assim, ele é um personagem calmo, gentil e romântico. E embora não chegue ao clichê, às vezes é difícil acreditar em alguma de suas atitudes. Em geral, o que se percebe é que ele é bem menos trabalhado no lado psicológico, aparentando ser mais uma peça para o crescimento e autoconhecimento da protagonista do que um personagem em si, por si próprio. Um meio para um fim, um sacrifício necessário.

A temática é fantástica na teoria: como um número pode mudar seu conceito de amor? Dezesseis, dezoito. A diferença não é grande, mas é capaz de mudar tudo. O que tanto mudará em nossas mente nesses dois anos? Será que realmente encararíamos essas mesmas situações de outra maneira em alguns anos? Quem sabe mais de um relacionamento, as duas pessoas que o vivem ou as que estão de fora?

Apesar de levantar alguns desses pontos e acionar reflexões no leitor, a prática não foi tão bem-sucedida assim. Os meses que Maddie e Bennett dividem enquanto ainda não podem saírem em público como um casal, são lentos e repetitivos, sem nada excepcional. Nada ali me pareceu justificar o sentimento existente entre os dois, especialmente da parte dele. Acredito, inclusive, que para ela era apenas a questão de poder e descobrimento, enquanto para ele era uma atração.

Além disso, o desenvolvimento não teve muito equilíbrio. No começo, a a história é lenta e por vezes até mesmo arrastada, porém, no clímax, tudo acontece em um piscar de olhos e acaba. Depois de tantas voltas ao redor de um assunto, é como se simplesmente ficasse faltando algo, um desfecho mais elaborado, com mais detalhes e explicações.

Se você procura uma história diferente, que questiona os conceitos sociais de certo e errado e te faz refletir, esta é uma leitura super válida. Não é um livro que eu indicaria para todos, pois sei que não agradará a muitos. Contudo, eu recomendo a leitura para quem quer tirar as próprias conclusões e para quem curte o tema.
comentários(0)comente



Andreza 26/01/2016

Querida leitora,
Eu já me apaixonei por um professor. É sério. Se eu souber contar do jeito certo, a história até vai parecer bonitinha. Estava na escola e de repente a minha professora não veio, mandou um outro em seu lugar. Um cara de camiseta de herói, alto, extremamente branco e de óculos. Clássico. Depois de alguns meses de conversas, encontros casuais pela cidade, me vi completamente apaixonada. Até que então ele realmente começou a dar aulas na minha escola e então agora eu tinha um problema. Ele era inteligente, sagaz e fofo. Um perigo para cancerianas. A gente conversava todos os dias, mais e mais. Até que um dia, eu tive o meu primeiro beijo com ele. Agora lembrando, foi bem esquisito. Tão rápido como começou, foi o jeito que acabou. Quando dei por mim estava no fim, mas tinha ali uma história para a vida inteira: fiquei com o meu professor.

Madelyn é uma menina super desenvolvida de 16 anos, que participa de um projeto de aceleração. Ao invés de cursar o ensino médio regular, Madelyn cursa as matérias comuns em uma faculdade. E em um belo dia, caminhando por aí, ela conhece Bennet. Um cara de quase 30 anos, professor de ciências na faculdade e pai de um cachorro chamado Lorde Voldemort(!!). Como toda adolescente normal de 16 anos, Madelyn começou a forçar pelos encontros espontaneamente planejados e aos poucos foram se conhecendo. Ela, metida a conhecedora superficial dos anos 80, atrai a atenção do professor com suas blusas do Nirvana. E ele, todo recatado, se deixa levar pela boa companhia. Só que Bennet todo inocente não sabe que a Madelyn participa do projeto de jovens talentos e que na verdade ela é uma aluna do ensino médio. A relação deles pode ser considerada criminosa e aí que está a trama do livro.

O enredo é muito bem desenvolvido em forma de cartas e flashbacks, toda essa relação de amor proibido te prende porque provavelmente você: a) já foi apaixonada por um professor b) já foi apaixonada por um professor c) já foi apaixonada por um professor. É um livro com poucos personagens, que te faz grudar ainda mais na história do jovem casal e não te faz viajar tanto assim. Essa inclusive poderia ser a história de uma prima distante.

A parte mais sensacional do livro é quando acontece o maior problema da história e a personagem até então toda ‘sou madura’, ‘sou a adulta’ mostra a sua verdadeira idade e mentalidade(que é de adolescente, né?!). Vale a pena dedicar um dia de leitura para esse livro, principalmente se assim como eu, você já foi uma Maria Giz.

No conceito MEC de livros legais que Andreza já leu, esse livro tem nota: 4.

site: https://docebiblioteca.wordpress.com/2015/11/19/resenhando-a-verdade-sobre-nos-amanda-grace/
comentários(0)comente



Elizabete.Isidoro 02/09/2016

A verdade encoberta
A Verdade Sobre Nós é narrado pela própria Maddie, mas de uma maneira inusitada: o livro inteiro é em forma de carta. Nele não há divisões de capítulos devido a isso, mas apenas as divisões das três cartas escritas, em segunda pessoa, pela protagonista. O fato de a história inteira ser direcionada a Bennett, com Maddie narrando a ele os fatos sob o seu ponto de vista é muito interessante, a apenas deixa o leitor mais e mais interessado na história em si.
A leitura conseguiu me prender de imediato, especialmente devido a essa narrativa diferente, que consegue ser sóbria e coloquial ao mesmo tempo. É algo delicado demais, e ficamos sabendo como a protagonista, que tem, no início do enredo, apenas 16 anos, se sentia descobrindo o primeiro amor. Além disso, algo que me chamou atenção foi o fato de sabermos, desde o início, mais ou menos que rumo a história tomará. Isso geralmente tira um pouco do meu interesse pelo enredo, mas, nesse caso, apenas fiquei mais curiosa e expectante.
comentários(0)comente



113 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8