Por Lugares Incríveis

Por Lugares Incríveis Jennifer Niven




Resenhas - Por Lugares Incríveis


300 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Revista 21 28/01/2015

Daqueles livros que você precisa ler
Sabe aqueles livros que você começa a ler despretensiosamente, sem muitas expectativas, quer só algo pra passar o tempo e, quando vê, já é de manhã e você não dormiu nada, mas precisa ir estudar ou trabalhar? Por Lugares Incríveis, da Jennifer Niven, é um desses. Peguei para ler um capítulo ou dois antes de dormir, mas empolguei tanto com a leitura que quando me dei conta, já era manhã.

A trama parece simples: dois adolescentes cheios de traumas e sofrimentos, à beira do suicídio, se encontram e saem conhecendo os lugares incríveis do estado em que moram, enquanto despertam um no outro a vontade de viver. Mas é muito mais que isso. Você ri, suspira, torce pelos personagens, se apaixona por eles, fica tenso e ansioso pelo que vai acontecer, chora e quando termina o livro, mesmo sendo cinco da manhã, quer imediatamente encontrar alguém para compartilhar como é boa a história.

Continue lendo a resenha no site da 21:

site: http://revista21.com.br/?p=19725
comentários(0)comente



spoiler visualizar


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bruna.Botelho 14/02/2020

Por lugares incríveis
Arrependo-me de não ter lido quando me indicaram, assim que comecei a ler simplesmente me apaixonei. Um livro que gira em torno de um assunto que não é debatido de uma forma tão aberta, o suicido, mostrando o lado da vítima e também daqueles ao redor de uma forma comovente. Chorei e ri junto com os personagens e sei que qualquer um que ler vai se envolver tanto quanto eu, pois não se trata apenas de um livro contando a história de dois adolescentes e sim de um livro com uma história especial que emociona a qualquer pessoa.
comentários(0)comente



Priscilla 02/01/2015

Surpreendente
Theodore Finch é conhecido como uma aberração em sua escola. Ele se veste, age e fala de modo diferente. Além disso é fascinado com a morte, mais especificamente com o suicídio. Ele pensa diariamente se hoje é um bom dia para morrer. Gosta de fazer coisas que o façam se sentir vivo. Então ele sobe na torre do sino da escola e fica observando o mundo em pé na borda de dez centímetros.

Já Violet Markey é uma garota popular que namorava o garoto popular e era amiga das meninas populares. Só que ultimamente ela não é mais a mesma. Passou por uma experiência de quase morte onde perdeu sua irmã mais velha, Eleanor. Ela se culpa por estar viva e por isso sobe na torre do sino da escola.

É assim que Thoedore e Violet se conhecem. Finch acaba salvando Violet (embora o boato que passa a circular na escola seja outro) e a convida para ser seu parceiro no trabalho de geografia, onde o professor propôs que visitassem pontos famosos de Indiana, estado que vão abandonar logo após a formatura.

Os capítulos são alternados entre Violet e Finch. Os de Violet começam com uma contagem regressiva para a formatura onde ela pretende sair da cidade, do estado, e deixar as lembranças de sua irmã para trás. Os de Finch contam os dias acordado. Sabemos que Finch tem alguma coisa que o faz apagar durante dias/semanas e por isso ele gosta de se sentir vivo/acordado. Com o andar do livro sabemos o que se passa com ele.

Parece uma história de romance. Finch conquistando Violet cada vez mais em cada ponto visitado de Indiana exatamente porque ele é diferente, inusitado. Existe sim o romance, mas esse não é o foco do livro e isso me surpreendeu.

O livro é um alerta. Um alerta de que precisamos conversar sobre nossos problemas, sobre o que sentimos, por mais que seja desagradável. É um alerta nos dizendo que a pessoa próxima de você pode sim precisar da sua ajuda. Às vezes pensamos que ela está bem, que a família irá resolver, mas algumas famílias preferem fingir que está tudo bem e nada está bem.

É uma ótima história. Tanto de amor, quanto de perda.

site: http://leitorcabuloso.com.br/2015/01/resenha-por-lugares-incriveis-da-jennifer-niven/
comentários(0)comente



Bell 04/02/2020

null
Que livro!! Eu amei essa leitura, tanto que enrolei nos últimos capítulos pq não queria me despedir dos personagens, já prevendo a ressaca literária que iria curtir.
A temática do livro é pesada, falar sobre suicídio e morte é complicado, e Jennifer conseguiu fazer isso de forma leve, com delicadeza e sensibilidade.
Gostei do enredo e amei que ela fugiu do óbvio, amei as citações literárias, os diálogos, e a forma como conseguimos nos conectar profundamente com os personagens. .

Um livro impecável, desde a capa, ilustrações internas, enredo, personagens e Nota da autora. .

Amei muito e terminei a história, triste e cheia de lágrimas, mas feliz com o rumo real que o enredo tomou. ????


Theodore Finch e Violet, Ultra Violeta Markante. ?? Já estou com saudades ! .

"Você foi, sob todos os aspectos, tudo o que alguém poderia ser... Se existisse alguém capaz de me salvar, seria você."

"O que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa."
comentários(0)comente



suelen 16/02/2020

Adorável
Esse livro é algo tão necessário e a forma polida que é tratado um assunto tão sério é incrível. O livro nos toca em diferentes vezes com as frases maravilhosas e bem encaixadas, a força que Violet tem e encara tudo de formas que não sei se eu conseguiria (possivelmente não) e as crises de Finch fortes e me deixando bem irritada com o fato de "implorar por ajuda" de seu jeito e a única pessoa que se importa é ela.
Confesso que fiquei extremamente nervosa com o que Finch fez, me fazendo sentir raiva dele apesar de todos os motivos que ele tinha e acho que o drama de todo livro é isso, entendermos as circunstâncias, mas não o apoiar.
De qualquer maneira, foi uma leitura bem difícil pra mim e até me senti evitando o livro em certos momentos, já tive fases que me senti como ele e frases que se encaixaram perfeitamente.
Espero muito que o filme não perca toda a emoção e que não estraguem algo tão importante que nem a Netflix fez com uma certa série.


Sarah | @just_a_snowflake 24/07/2015

Ai meus feels
Pra quem leu, não sei se aconteceu com vocês, mas desde que eu comecei o livro, ele estava passando como um filme na minha cabeça. Me lembrem, se de fato sair um filme de Por Lugares Incríveis, de não assistir. Acho que choraria cachoeiras e iria pro hospital por desidratação. Anyway.
Esse é um daqueles livros que todos deveriam ler. Tanto o suicídio quanto o transtorno bipolar tem assombrado muitos jovens pelo mundo, mas se prestarmos mais atenção uns nos outros, podemos ajudar.
Esse livro tem uma narrativa assustadoramente envolvente, que faz você sentir as dores do personagem, assim como as alegrias e dilemas. Por Lugares Incríveis não é apenas um livro, é uma obra de arte de sensibilidade inigualável.

Qual é o seu Lugar Incrível?

OST: Smile (Mikky Ekko)
comentários(0)comente



Paty || @papodeleitora 12/02/2020

<3
Li esse livro porque a adaptação pela Netflix está para sair e... que grata surpresa.

Um livro sobre perda, luto, bullying, problemas psicológicos. Cheio de momentos emocionantes e questionamentos para serem feitos a nós mesmos.
comentários(0)comente



Ana Lu 05/02/2020

"O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa."
Com o anúncio do filme resolvi ler o livro e quando terminei a leitura só conseguia me perguntar: "Como não tinha lido isso antes?" A construção da história e dos personagens são perfeitos, me senti dentro dos sentimentos tanto da Violet como do Finch e a evolução da relação deles é apaixonante. O livro é tão lindo quanto doloroso, conforme o fim se aproximava eu só sabia chorar e inclusive agora não sei se tenho emocional pro filme.
Recomendo muito, entrou pra lista de favoritos e virou um dos melhores do ano.
comentários(0)comente



chrisostimo 08/10/2015

"O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa."
Todo mundo que me conhece já está careca de saber que sou fã de carteirinha do gênero Young Adults. É bem verdade que meu trabalho influenciou muito esse processo e que para poder interagir com meus alunos, comecei a me interessar muito mais pelo que eles lêem e me apaixonei. Comecei com aquela postura de alguém mais velho, mais experiente, quase como se fosse bisbilhotar o que havia e se havia algo de errado no que eles andavam lendo, quase como se estivesse buscando algo a ser censurado, repreendido. Ao final, o que repreendi e censurei foi meu preconceito. Julgar um livro pela capa é tão clichê e tão perigoso que preciso repetir isso sempre. O óbvio precisa ser dito, não é mesmo?

Eu tinha acabado de ler Objetos Cortantes da Gillian Flynn, resenha aqui, e buscava por algo mais leve, mais descontraído, que pudesse me tirar da ressaca literária que Camille Preaker me deixou. Ledo engano. Não se deixe levar por essa capa lindinha de fundo azul e legos coloridos. Não, não é uma historinha para crianças. O livro apesar de parecer bobo, trata de temas bastante pesados como suicídio, transtornos mentais, depressão, bullying e Jennifer faz isso com maestria, sensibilidade e atenção a detalhes que só quem já passou por essas experiências poderia ter. Ela também brinca com as palavras, referências e citações com autoridade de quem além de escrever, lê. E são referências maravilhosas e que encaixam perfeitamente na história. Amo metaliteratura, rs.

Por lugares incríveis é um daqueles livros que te engana pela capa. Eu me interessei por ele numa visita à livraria Saraiva, mas não o comprei naquele momento. Uns dois meses depois fui à Bienal e lá estava ele com 30 por cento de desconto. Não perdi a chance.

Theodore Finch, o ABERRAÇÃO é o maior alvo de bullying de toda a escola, única da cidade e que possui cerca de 2000 alunos. Ele é um pouco obcecado pelo tema suicídio, do tipo que pesquisa diferentes métodos, estatísticas, características, efiácia... E sempre se pergunta se conseguiria levar algum deles adiante. No fundo, ele acredita que um dia conseguirá: “Será que hoje é um bom dia para morrer?”.

Finch, apesar de seus “apagões”, momentos em que ele perde a noção do tempo ao seu redor, é muito consciente a respeito de sua condição mental e emotiva e reconhece que tem um problema. Porém, se preocupa muito com rótulos. Teme ser reduzido a uma doença, a um diagnóstico e com um pai violento e repressor, uma mãe omissa e frágil e uma irmã um pouco ausente, ele não consegue encontrar ninguém em quem confie o suficiente para pedir ajuda. O livro não diz exatamente o que Finch tem, descreve alguns sintomas e sensações, mas só fica claro que ele possui um problema. Fiquei curiosa e fui pesquisar e acredito que ele possa ter Transtorno de Personalidade Limítrofe ou Transtorno de Personalidade Borderline.

(saiba mais sobre aqui https://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_personalidade_lim%C3%ADtrofe).

Lendo essas características, você pode achar que ele é um cara depressivo, melancólico, que tem pena de si mesmo... mas não. Ele é um dos personagens mais carismáticos e complexos que a literatura já pôde me apresentar. Aquele tipo de pessoa que apesar de sua vida difícil, suas marcas dolorosas, possui uma leveza e uma alegria de viver cada momento que contagia a todos. Talvez, ele seja assim, por sempre pensar na morte e saber o quão próxima ela deve estar.



Violet Markey, a garota bonita e popular, que por fora parece viver num mundo perfeito e cor de rosa e que se esconde atrás de sorrisos e do seu medo de se expor e viver. Violet costumava ser a garota perfeita. É aquela personagem sempre presente nos livros e filmes adolescentes que costuma nos mostrar que ninguém é o que aparenta ser e etc. Até que ela sofre um acidente de carro com sua irmã Eleanor e Eleanor morre. Ela se entrega a dor da perda e precisa lidar com toda a pressão em seus ombros. A pressão de ser tudo o que Eleanor não conseguiu ser por ter sua vida interrompida. A pressão de aprender a ser sozinha, aprender a não viver mais na sombra de sua irmã. A pressão é tão grande que ela desiste de viver os dias e passa a apenas contá-los. Se esconde atrás do “Eu ainda não estou pronta.” e se isola do mundo e de tudo o que lhe dava felicidade e prazer anteriormente.

Até que ela conhece Finch, o aberração. Esperto e perspicaz, Finch insiste até que consegue que façam um projeto de geografia juntos que consiste em explorar e conhecer pontos e lugares que Indiana tem a oferecer (quase nenhum aos olhos de Violet e dezenas de possibilidades aos olhos de Finch). Finch tem que lidar com o mau humor de Violet, seus medos, indiferença, desconfiança e faz isso de uma forma tão paciente e delicada, com tanta atenção aos detalhes que você fica desejando que um dia alguém te ame da forma como ele ama Violet.

Mas há algo mais nessa relação e nessa história que nos ensina. Finch, o problemático e o aberração ensinou tanto a Violet que eu arrisco dizer que ele a mudou para sempre:

"Agora tudo o que vejo é uma garota morrendo de medo de viver. Vejo as pessoas darem um empurrãozinho de vez em quando, mas nunca forte o suficiente porque não querem contrariar a pobre Violet. Você precisa de um baita tranco, não de um empurrãozinho. Você precisa retomar as rédeas. Ou vai ficar em cima do parapeito que construiu para si mesma para sempre."



Na verdade, acho que os dois mudaram a mim para sempre. Eles aqueceram meu coração para então quebrá-lo em milhões e pedacinhos e depois aquece-lo novamente. Vou carregá-los sempre comigo e sei que é uma daquelas histórias que ficarão na minha cabeça por um tempo.

"O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa."



E eles definitivamente deixaram algo comigo.



Outra ressaca literária, socorro! Qual será o próximo título? Preciso de outro livro AGORA!


site: Moça, esse livro fala sobre o quê? no Facebook e mocinhadabiblioteca no blogspot


Daniella 06/01/2016

Adorável.
Primeiro livro lido de 2016. Feliz em dizer que comecei com chave de ouro.
Eu não seria capaz de fazer uma resenha que fizesse jus ao quão perfeito esse livro é. O quanto ele me tocou, me arrepiou, me deixou abobalhada, me angustiou, me fez refletir e me despedaçou. Seus personagens, singulares. Seus quotes, magníficos. Ao final do livro, só consegui pensar em uma coisa:

" Eu
estou
em
pedaços."

- Theodore Finch
comentários(0)comente



diliterando 08/02/2020

Um Livro com temas bem Complexos
Livro: Por Lugares Incriveis
Autor: Jennifer Niven
Editora: @editoraseguinteoficial
Pg: 336
Nota Pessoal: ⭐⭐⭐⭐⭐
"ᴏ ǫᴜᴇ ᴘᴇʀᴄᴇʙᴏ ᴀɢᴏʀᴀ ᴇ ǫᴜᴇ ᴏ ǫᴜᴇ ɪᴍᴘᴏʀᴛᴀ ɴᴀᴏ ᴇ ᴏ ǫᴜᴇ ᴀ ɢᴇɴᴛᴇ ʟᴇᴠᴀ, ᴍᴀs ᴏ ǫᴜᴇ ᴀ ɢᴇɴᴛᴇ ᴅᴇɪxᴀ." ( ᴠiᴏʟᴇᴛ ᴘǫ 208)
.
🅡🅔🅢🅔🅝🅗🅐
.
🙎‍♀️-Nesse Livro conhcemos a Violet Market ou (Violeta) uma garota bem popular.Mas tudo muda quando a sua irmã mais velha morre num acidente de 🚗 onde ela também estava e sobreviveu. Depois de passar por esses momentos difíceis. Ela se torna uma pessoa cheia de medos, inseguranças, não consegui mais dirigir.⁣
🙎‍♂️- Theodore Finch sempre foi um cara esquisito, estranho, sofreu bullying, conhecido com 'aberração'. Passou pelo abandono do pai, ao trair sua mãe e arrumar outra família. Todos não se importam muito com ele.⁣
🔸️ O caminho dos 2 se cruzam quando ambos tentam tirar a própria vida. Ele salva ela, mas é ela que leva a fama de heroína porque Finch já tem um histórico suicida com várias tentativas. Eles se aproximam por meio de um trabalho escolar onde precisam visitar 'lugares incríveis de Indiana'.⁣
E assim um vai ajudando a superar e a dar suporte nos problemas do outro, reaprendendo a viver novamente.⁣
💭 Esse livro trata de temas complexos como o Suicídio, Bipolaridade, Depressão, Luto, Solidão, Angústias, Medos.⁣
💭 O que mais me impressionou foi a maestria da autora Niven em tratar desses temas como ela mesmo menciona: "Eu queria escrever algo duro,difícil,triste mas divertido..."⁣
💭É um romance comovente, ler como Finch mesmo estando ao lado de quem AMA, não consegui se sentir feliz, como se algo o arrastasse para baixo é chocante 🥺, como suas emoções e a própria doença é desesperador.
💭Foi uma leitura que me envolveu, me chocou profundamente. INDICO a Leitura📚📖, ansiosa pelo Filme.


site: https://www.instagram.com/diliterando/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Karen 16/02/2020

Para todos os lugares e pessoas incríveis que existem
O suicídio nada mais é do que uma forma de assumir o controle sobre algo. Quando nada mais está ao seu alcance, poder decidir como acabar com tudo, parece uma boa opção. Você nunca está sozinho. Existe sempre uma escolha, nem sempre uma fácil. Mas sempre vai existir outro caminho.
Uma leitura fácil e cativante. Você se apaixona por cada um dos personagens e sente a dor de todos eles como se fossem as suas dores.
O livro possui citações incríveis.


spoiler visualizar
comentários(0)comente



300 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |