Do Amor e Outros Demônios

Do Amor e Outros Demônios Gabriel García Márquez




Resenhas - Do Amor e Outros Demônios


63 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Paulina 18/03/2017

O amor como mais um dos diversos diabos que existem
Esse é o primeiro livro escrito pelo tão aclamado Gabriel Garcia Márquez. Por coincidência, a primeira obra que leio do autor. Do amor e outros demônios surgiu de uma reportagem feita pelo jornalista, no qual um antigo convento seria vendido para a construção de um hotel cinco estrelas. Antes da destruição, os túmulos que ali estavam seriam desocupados, e dentre essas criptas se encontrava enterrado o crânio de uma menina com fios de cabelo que mediam 22 metros. Garcia Márquez ao observar o ocorrido, relembra de uma lenda que sua vó o contava ainda quando menino, e é dessa lenda que o livro foi originado.

Maria de Todos los Ángeles tinha doze anos quando foi mordida por um cachorro que tinha raiva. A menina, criada ao redor de escravos, orixás e um padre, é filha única de um marquês e de uma mestiça sem títulos e foi criada por uma escrava que tinha mais apreço por ela do que seus próprios pais. Esses que não tinham mais consideração pelo outro e odiavam a menina pelo simples fato de terem algo de cada um na pobre criança.

Mesmo tendo sido mordida por um cachorro com raiva, os pais só começam a buscar meios para minimizar essa doença dias depois. Entretanto, procuram os mais diversos tipos de possíveis soluções para a cura da menina, contactaram médicos, barbeiros, curandeiros, e até mesmo exorcistas.

Gabo (como o autor é carinhosamente conhecido) traz uma história escrita no ano de 1949, mas que se passa no vice reinado da Colômbia quando esse ainda pertencia a Espanha, repleta de religiosidade, rituais africanos e amor. Essa religiosidade é tão bem trabalhada que frases e rituais do catolicismo são recorrentes, assim como os traços da religiosidade africana que também são abordados através dos costumes, canções e até mesmo acessórios.

É preciso deixar claro que a história por trás desse livro-reportagem é uma lenda do século XVIII, logo, a leitura não é tão fluida como seria em uma obra contemporânea. Entretanto, é incrível a maneira como esse autor aborda uma temática tão incomum de forma que prende seu leitor. Contudo, mais do que uma obra que traz a religião como evidência, ela aborda muito bem o amor e suas vertentes. O amor como mais um dos diversos diabos que existem, talvez o mais voraz dos demônios.

site: http://naoseavexe.blogspot.com.br/2016/08/resenha-do-amor-e-outros-demonios.html
comentários(0)comente



Cintia F. Leite 10/10/2018

Todos nós precisamos de amor
Conheci o livro “Do amor e outros demônios”, a partir do desejo de ler “Cem anos de solidão” do mesmo autor. Queria começar por uma obra menor de Gabriel García Márquez, somente para conhecer o seu estilo de escrita e me habituar, porém não foi preciso passar por essa última etapa. Ler Gabo foi uma experiência muito prazerosa e envolvente.

“Do amor e outros demônios” fala sobre relacionamentos, religião e cultura, dentro de uma estória misteriosa que nos prende a atenção e nos impede de pausar a leitura. Tudo se inicia com uma mordida dada de um cão raivoso em Sierva María de Todos los Àngeles, a filha única do marquês Ygnacio de Alfaro y Dueñas e Bernarda Cabrera, uma mãe tóxica que odiava seu próprio fruto, resultado de um casamento de interesses.

Jogada no Convento de Santa Clara para se curar da raiva, Sierva María foi confundida por um quadro de possessão demoníaca, sendo submetida aos castigos de exorcismo e incomodada pelas freiras do local. Como uma atração turística, todos do convento visitavam sua cela para aporrinhar a menina, que estava acorrentada devido ao medo do demônio possuir um novo corpo.

Preocupado com a saúde de Sierva María, o marquês Ygnacio não sabe mais o que fazer, voltando a crer em Deus, ele se agarra a única saída, a fé. Ygnacio procura ajuda da Igreja, e coloca a vida de sua filha nas mãos do padre Caytano Delaura.

O livro é curto, mas a estória é bem intensa. A escrita de Gabriel García Márquez nesse livro é carregada de sentimentos para mostrar como todos nós precisamos de amor e sem ele, podemos ser infelizes. Do amor e outros demônios é um romance sensível e misterioso, a partir dessa leitura entrei em contato com o realismo fantástico de Gabo, e gostei.

site: >>> Para saber mais sobre "Do amor e outros demônios", visite meu blog https://melkberg.com/
comentários(0)comente



Li 16/10/2011

DESAFIO LITERÁRIO 2011 - OUTUBRO - NOBEL DE LITERATURA *LIVRO 3*
Sinopse: Jovem marquesa supostamente possuída por demônios envolve-se com o padre espanhol encarregado de exorcizá-la. O ponto de partida do romance é uma reportagem que o então novato jornalista Gabriel García Márquez foi encarregado de fazer na Bogotá de 1949.

Escolhi o livro depois de fazer muita “pesquisa de campo”! Muita gente que perguntei apontou esse como o melhor dos que eu estava interessada em ler DE Gabo (já li os melhores dele), então segui a opinião do pessoal, vamos ver se acerto! E outra, a sinopse me fez lembrar muito de uma crônica de João Ubaldo Ribeiro em “Arte e ciência de roubar galinha”!

Bom, a temática é mais ou menos a mesma da crônica, mas o tom é bem diferente. O livro é interessante, fala de relacionamentos, de culturas, religiões e seus preconceitos e da luta entre as verdades impostas e as pessoais... Não é o suprasumo como “Cem Anos de Solidão”, mas é bom de ler, e mostra como qualquer coisa pode dar material para uma boa história se a pessoa tiver talento e criatividade!
A base do livro foi uma ossada de menina encontrada quando se esvaziava as criptas de um antigo convento para transformá-lo num hotel. A ossada tinha um cabelo ruivo que media 22 metros!
“(...) Já a mim não pareceu tão trivial, porque minha avó me contava em menino a lenda de uma marquesinha de doze anos cuja cabeleira se arrastava como a cauda de um vestido de noiva, que morreu de raiva causada pela mordida de um cachorro, e que era venerada no Caribe por seus muitos milagres. A ideia de que aquele túmulo pudesse ser dela foi a minha notícia do dia, e a origem deste livro.”

Eu estava com muitas saudades de Gabo e acho que me dei bem em seguir o conselho do pessoal. Dos três livros “oficiais” para este mês, com certeza foi o que mais gostei de ler, talvez por já estar familiarizada com o estilo do autor, ou porque gosto de realismo fantástico.


*http://desafioliterariobyrg.blogspot.com/*
Viquinha 30/10/2011minha estante
Será que existe possibilidade de não se gostar de um livro do Gabo?...suas histórias são apaixonantes.




Marcele Silvano 27/02/2016

Uma história de amor cercada por mistério e um misto de religiosidade cristã e rituais africanos.
Excelente leitura!!! Nos leva ao cenário de uma sociedade colonial, cheia de crendices, onde se atribuía ao diabo poderes de realizar coisas extraordinárias. Nessa época ainda não haviam descoberto a cura de muitas doenças, a ciência ainda não conseguia explicar muitas coisas, e muitas descobertas e avanços científicos eram rejeitados pela Igreja, pois julgava serem frutos de pensamentos demoníacos. Um exemplo é a proibição da leitura de vários livros.
Do amor e outros demônios é uma história de mistérios e também de questionamentos. Vale a pena conferir.
comentários(0)comente



Guilherme Olímpio 02/10/2018

Narrativa e mito
Infelizmente tive que acompanhar o livro como audiobook e isso, talvez, tenha atrapalhado um pouco da minha experiência de leitura do Gabo. Mas não o "demonizarei" por um erro meu. Mesmo com esse deslize, adorei a escrita do Gabo. Foi meu primeiro livro dele e, apesar de achar a leitura pesada e difícil em certos momentos, consegui me deliciar no seu realismo fantástico, num certo lirismo e "romantismo" que sombra "Do amor e outros demônios".

É um livro para se refletir sobre a história, lendas, mitos, ética etc. E vale muito a pena sua discussão, que pode muito bem começar com: "O que são os 'outros demônios'?"

Depois de ter lido, tenho muita vontade de acompanhar outras obras e corrigir meus erros "literários".
comentários(0)comente



Karla 26/09/2010

Como todos os livros do G.Garcia Marquez, adorei esse! Devorei, na viajem de volta da Cidade do México!! A leitura envolvente me fez 'teletransportar' pra dentro da historia.
comentários(0)comente



Cardoso 19/07/2017

Ninguém sabe de onde e quem se é por estes reinos
Garcia Márquez talvez seja o maior escritor latino americano (e isso não é pouco quando pensamos em Assis, Neruda ou Borges) não só por sua exímia habilidade técnica, que transita da velocidade intensa do cinema ao mais doce detalhe oriundo da literatura clássica e até medieval, indissociável de um perene respeito à vida humana, mas por sinceramente dar vida não só aos anseios afogados de um povo eternamente posto longe do poder (político, econômico, geográfico, social, etc etc), dos seus próprios direitos, mas às suas CRENÇAS.

"Do amor e outros demônios" trabalha com o imaginário da América Espanhola (diferente mas nem tão distante da Portuguesa), trata suas crenças à sério e as torna, talvez, reais: o que a crítica invariavelmente chama de "realismo fantástico" ou "mágico" é a realidade, e não mais que isso, do que o autor colombiano retrata. Neste sentido, ele se parece relativamente com o italiano Italo Calvino, que absorve a cultura europeia e cria uma realidade própria e emersiva , difícil negar como verdade tendo em conta os dados históricos da Europa Medieval -- período que transborda neste livro de Gabo, que se passa no início da colonização do Novo Mundo.

A cultura negra, indígena, miscigenada e européia se confluem num ambiente de desigualdade e repressão próprias do capitalismo que transcende épocas e permanece vivo na contemporaneidade latina. "Na minha idade, e com tantos sangues cruzados, já não sei mais com certeza de onde sou", diz o apaixonado padre Delaura, "nem quem sou", ao que é respondido por "ninguém sabe por estes reinos" pelo sábio médico Abrenuncio, "e creio que precisarão de séculos para saber" (como consta na página 170 da edição brasileira de 1994, pela Record). A identidade pulsante de um povo cresce mesmo que fisicamente massacrada, como as longas madeixas do pobre corpo que o então jovem jornalista Gabriel Garcia Márquez viu e imaginou ser de Sierva María, de quem ouvira falar, justamente, numa lenda oral.
comentários(0)comente



Lu Reis 23/04/2017

Uma narração descontraída. O realismo fantástico (característica do Gabo) aparece vez ou outra. Gabriel García Marquez teve como inspiração para a história uma lenda que ouvia quando criança, de uma menina de cabelos gigantes que fora mordida por um cão. A história contada pelo gabo revela demônios que todos nós enfrentamos, incluindo o mais angelical deles, o amor. Uma leitura rápida e divertida, que prende o leitor do início ao fim. Uma escrita direta e sem rodeios. Uma narrativa crua e direita. Mostra o comportamento da época sem firulas. Personagens bem construídos, com personalidades fortes e mal compreendidos para a época. Chama a atenção questões que podem ser discutidas nos dias de hoje, como o preconceito pelo desconhecido, estranho, e como esse medo pode destruir vidas e famílias. Mais uma vez Gabriel García Marquez conquista o leitor com um texto cheio de intrigas, amores, demônios e muita crítica social.
comentários(0)comente



Paula.Ferreira 27/06/2017

???
comentários(0)comente



Carla Ramos 15/04/2010

Intenso.
Do amor e outros demônios é um livro intenso. A principio, quando iniciei a leitura, estava achando um tanto estranho e sem graça, mas à medida que fui lendo fui me interessando. Bem, a partir do 2º capitulo eu já estava bastante envolvida com a história e os personagens. Infelizmente quando eu pensava que estava apenas começando rapidamente chego ao desfecho da narração e o livro acaba. Muito bom.
comentários(0)comente



leautran 28/05/2011

Gabriel García Marquez é fantástico, desde o início até o fim! E principalmente no final, ele tem os melhores parágrafos finais! Mais um livro dele para os meus favoritos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vivian 16/01/2012

Tradições e contradições da Santa Inquisição
Um dos meus prediletos.
comentários(0)comente



anjapsi 21/12/2014

"M A G N Í F I C O ! [TERMINEI EM 28 de dezembro de 2014]Criei o filme todo em minha mente [longaMetraGEM!]"..."...Não se deve acreditar no demônio, nem quando fala a Verdade..." [p.120]...
"...Não se deve acreditar no demônio, nem quando fala a Verdade..."
" No centro... uma mesa grande com cartas de marear, um astrolábio e outros instrumentos [de aumentar...?!] de navegação, e um globo terrestre com acréscimos e emendas feitas a mão por sucessivos cartógrafos à medida que o mundo ia aumentando..." [p.125, sabemos tão pouco até que possamos ver mais, mas sempre há M A I S...]
comentários(0)comente



Bru 07/04/2019

Possessão Questionada
Adoro ler no ônibus, no trem, e em qualquer outro veículo no qual eu seja uma mera passageira. Na última quinta-feira, voltando da faculdade, terminei de ler uma das obras que eu precisava para a disciplina de Português II. O livro é “Do amor e outros demônios”.
Para começar esta resenha devo dizer que o livro me deixou meio confusa. Não por a leitura ser complicada – apesar de ter algumas palavras que eu não tenho ideia de o que significam -, mas por não ter deixado claro (ao menos eu não identifiquei) qual era a idade da personagem principal, Sierva Maria, quando estava enclausurada no convento. E esta é uma informação crucial para o desenrolar desta história.
Mas bem, comecemos do início. Do amor e outros demônios conta a história de uma menina que é mordida por um cachorro que etá com a doença da raiva. Esta jovem, Sierva Maria, acaba ficando com alguns sintomas da doença.
Maria, com seu temperamento arisco, branca criada por negros e sabendo falar mais de duas línguas africanas, é levada por seu pai para um convento, onde lá ele acredita que ela poderá ser exorcizada. Como ele está em dúvida se a menina tem raiva ou um demônio no corpo, prefere mantê-la em mãos sagradas para tentar desvendar este mistério. O que acontece é que estas “mãos sagradas” não são tão santas assim.
Maria sofre violência neste convento e permanece lá sob condições desumanas, como se fosse um criminoso no corredor da morte. A jovem sofre tantos abusos das freiras, que acreditam piamente que ela está possuída pelo demônio, até que cruza seu caminho o padre Cayetano Delaura, e muda sua vida para sempre.
Em meio a tanta sordidez, Sierva Maria e Cayetano Delaura conseguem criar um mundo só deles, onde se amam, se protegem e se consolam um ao outro. É bonito de ver a construção do relacionamento dos dois. E é aqui que entra a minha confusão, comentada no início desta resenha. Eu jurava, no início do livro, que Sierva Maria havia sido mordida por este cachorro raivoso quando ela tinha cerca de 10 anos, e fora enclausurada no convento com esta mesma idade. E quando o romance dela com o padre começou eu fiquei chocada, pois ele tem mais de 30 anos. Fiquei sem entender nada, mas depois fui perceber que na verdade Maria não era uma criança.
Gostei bastante deste livro, principalmente do romance na reta final. Mas o que achei interessante foi a forma como trataram as autoridades do convento – bispo, abadessa, freiras, padre… – mostrando que lá dentro nem tudo são flores e muitas pessoas devotas que se acham santas acabam sendo mais demoníacas do que aquelas que o são julgadas assim.
Descobri há pouco que tem um filme deste livro. Já estou ansiosa para assistir e verificar se a história corresponde a do livro. Mas enfim, super recomendo esta leitura.

site: https://freescura.wordpress.com/
comentários(0)comente



63 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5