Ninfeias Negras

Ninfeias Negras Michel Bussi




Resenhas - Ninfeias Negras


186 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Amanda 04/07/2020

É isso o que eu chamo de plot twist!
De primeiro, o que me atraiu nesse livro foi o fato de se passar na França e envolver os quadros de Monet na história, o que foram realmente pontos positivos. A escrita é bem imersiva e dá pra se sentir lá, em Giverny, mas ainda assim, demorei pra me envolver na história principal e até pensei em desistir.
Com o passar dos capítulos, a curiosidade foi batendo cada vez mais forte e quando vi já estava presa no mistério e criando mil e uma teorias, que só foram pra gastar minha criatividade, já que foi tudo em vão. Eu realmente não estava pronta para o que veio! Fiquei simplesmente de boca aberta, coisa que não é fácil de acontecer. Acho que se fosse um pouco mais curto, ficaria perfeito.

Mesmo com um início lento, a história depois que engrena fica impossível de parar, um dos melhores suspenses que li nos últimos tempos e uma pena que demorei tanto pra ler.
Marcão 04/07/2020minha estante
Ótimo... já selecionei diversas vezes no kindle e depois desistia, mas depois do seu comentário, quando termonar o que estou lendo, irei comprar esse ?


Amanda 04/07/2020minha estante
Eu também demorei muito pra ler, ele tava no meu kindle há uns 4 anos, mas olha, muito bom! Só tenha um pouco de paciência no começo, não desista que vale a pena


Marcão 05/07/2020minha estante
?




Beatriz.Coutinho 28/06/2020

O autor me manipulou totalmente, uma história sobre três mulheres que parecem ter pouco em comum mas tem mais do que parece. Estou encantada com a inteligência do autor, muito chocante.
comentários(0)comente



Anna Mendes 26/06/2020

Um livro genial! Uma história complexa, inteligente e com um final surpreendente! <3
“Ninfeias Negras” é um romance policial que se passa em Giverny, uma pequena cidade na qual Claude Monet, um dos maiores nomes do impressionismo, viveu. Ele imortalizou a cidade em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as famosas ninfeias no laguinho.

E é em Giverny que um respeitado médico oftalmologista é encontrado morto, e os investigadores encarregados do caso se veem presos em uma trama complexa e imprevisível, repleta de mistérios e com personagens que são um enigma à parte. Principalmente as protagonistas.

Uma menina de 11 anos talentosa e que sonha em ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e libertadora, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela. Três mulheres intensas e ligadas pelo mistério que agora agita a pequena cidade de Giverny.

Honestamente, não sei por onde começar a falar sobre esse livro. É uma história envolvente do começo ao fim. A trama é complexa, inteligente e muito bem desenvolvida.

A narrativa é alternada entre os pontos de vista dos personagens. O único ponto de vista em primeira pessoa é o da senhora idosa. Não sabemos o seu nome, apenas que ela consegue acompanhar tudo o que está acontecendo na cidade, sendo bem discreta. Isso contribuiu muito para o clima de mistério que a história possui. Os demais pontos de vista são em terceira pessoa.

Eu não consegui me apegar, gostar ou sentir empatia pelos personagens, mas isso não foi um ponto negativo. É que eles carregam tantos segredos e mentiras que não sabemos em quem podemos confiar, ou se podemos confiar em algum deles.

Conforme eu fazia a leitura, fui desconfiando de algumas coisas e tem até alguns pontos que eu consegui descobrir o que realmente tinha acontecido. Mas, quando o grande mistério foi revelado, o meu queixo simplesmente caiu! Eu fui pega completamente de surpresa. Não imaginava que pudesse ser aquilo. Essa revelação muda completamente o sentido e a visão que temos da história. Achei genial o que o autor fez.

Eu gostei muito do final também. Depois dessa grande revelação do mistério, eu percebi que a história, mais do que o suspense e a tensão que ela carrega, é, na verdade, muito triste. Mas nas últimas páginas o autor conseguiu dar um toque de esperança para alguns dos personagens, o que me deixou feliz.

Por fim, só posso dizer que eu amei a leitura de “Ninfeias Negras”! Foi o meu primeiro contato com a escrita do Michel Bussi e tive uma experiência completamente positiva, o que me deixou com vontade de ler outros livros dele.

Em suma, “Ninfeias Negras” foi uma leitura envolvente do começo ao fim. Uma história muito bem construída e com elementos reais que tornam a leitura ainda mais instigante. Suspense, mistério e um final completamente surpreendente fizeram com que esse livro se tornasse um dos melhores romances policiais que já li na minha vida.
Leitura e . 26/06/2020minha estante
Oii... Bom diaa..Tudo bem?... Desculpa por interromper sua leitura, mas gostaria de te convidar a me seguir no Instagram para acompanhar minhas leituras... te espero lá...?
Obrigado.
@leituraeponto




Regina.Fernandez 24/06/2020

Uma historia difícil de esquecer...
Minga primeira experiencia com o escritor, escrita fluida e muito bem construída não suspeitei nem por um minuto a reviravolta q teria.... Adorei!!!!
comentários(0)comente



Paty Cella 23/06/2020

Aos poucos
Comecei a ler e me atrapalhei horrores com o nome dos personagens, não conseguia me apegar. Mas do meio para o final vai ficando muito interessante, não consegui parar até terminar !
comentários(0)comente



@livrosdeanna 22/06/2020

Livro perfeito!!
Ninféias negras: Michel Bussi
.
?Estamos, por assim dizer, diante de um triplo assassinato na mesma pessoa.?
.
Todos os lugares refratados nesse livro são reais, as informações sobre Monet também, tanto suas pinturas quando seus herdeiros os roubos de obra arte.
.
Gente não tenho nem palavras pra escrever sobre esse livro: ele é ZERO DEFEITOS, PERFEITO.
.
A história se passa em Giverny onde o pintor Monet pintou suas obras mais bonitas e famosas, e o nome do livro Ninféias são o nome de uma planta que Monet amava porque ele pintou mais de 200 quadros com esse tema.
.
O livro começa com um assassinato de um médico. Dois inspetores são chamados para a investigação, e chegam a conclusão que uma criança de 11 anos está envolvida ou corre perigo, ou tem haver com obras de arte pois a vítima era amante de arte, e também dos casos extraconjugais da vítima.
.
Um dos supostos casos extraconjugais da vítima e a professora do vilarejo chamada Stephenie, mas ela jura que nunca teve nada com a vítima, e para completar ela tem um marido possessivo e ciumento, o que faz ele se tornar suspeito também.
.
As coisas se tornam mais estranhas quando descobrem que muitos anos atrás um menino morreu da mesma forma que a vítima foi morta.
.
Vamos ter também uma velha que mora em um moinho e ela narra alguns acontecimentos e parece que sabe mais do que fala. Na verdade ela sabe que é o assassino mas por algum motivo fica enrolando para contar.
.
Gente esse livro me deixou sem palavras, o final dele eu nunca, nem em 1001 vidas imaginária o desfecho dessa história.
Achei fantástico, entrou para as melhores leituras da minha vida, pela forma como o autor escreve, pela construção dos personagens e da história, e pelo final perfeito.
.
Por favor leiam para vocês poderem comentar comigo esse livro maravilhoso, um livro que não tem como colocar defeito porque simplesmente não tem.
comentários(0)comente



@mcaroliinaq 21/06/2020

O livro peca pelo excesso. Apesar de conseguir envolver o leitor desde as primeiras páginas com um ponto de vista interessante, o autor exagera demais narrando ambientes, reações e destacando à exaustão cenas desnecessárias. Além disso, não gostei NADINHA do investigador. O desfecho, no entanto, foi bem surpreendente e fez a leitura, por muitas vezes exaustiva, valer a pena.
comentários(0)comente



Beatriz.Ribeiro 20/06/2020

Não foi uma leitura que me agradou. Achei muito extenso e as vezes sem sentindo
comentários(0)comente



Jessica Dias 20/06/2020

Entrou para a lista de livros favoritos da vida
No início fiquei um pouco confusa com o desenrolar mas logo a história me fisgou.
A sinopse desse livro não faz jus à grandeza dele.
Tem uma frase que me marcou muito e que vou guardar pra sempre:
"Não existe amor feliz... Exceto aqueles que nossa memória cultiva."
O autor escreve daquela forma mágica que apenas alguns autores conseguem, e você realmente sente como se estivesse em Giverny acompanhando a história.
Adorei conhecer um pouco mais de Monet, que apesar de permear o livro não é o ponto principal.
comentários(0)comente



dominiklls 12/06/2020

belo.
Eu me estendi bastante nessa leitura, mas foi mais por eu não dar prioridade do que pela história ser cansativa ou complexa, não é uma história consideravelmente curta, ela se prolonga o suficiente pra falar sobre os personagens e mostrar o que eles passam no dia a dia.

é uma leitura que mesmo se tratando de um assassinato e a procura de quem cometeu o crime, é muito bela, a descrição sobre giverny e seus arredores é tão tranquilizante que as vezes você até esquece q estava lendo um mistério sobre a morte de um homem.
quem gosta de arte vai adorar essa história, pois descreve tantas coisas sobre a vida e trajetória na arte de monet, e sua obra ninfeias.
este livro deve ser lido com atenção, pois mais para o final algo muito complicado será revelado e será necessário relembrar momentos que foram lidos em capítulos anteriores.

indico essa leitura para pessoas que estejam dispostas a focar totalmente nessa história, que não façam como eu e intercalem com outras leituras kkkk.

é preciso deixar claro que essa história foca muito mais no processo de descobertas e envolvimento do que em um final definitivo e que responda a principal pergunta proposta pelo autor.
não é sobre um assassinato, investigação e resposta com o nome de quem matou. tem muitas outras coisas envolvidas fazendo com que essa história seja mais detalhada e de certa forma chocante.
comentários(0)comente



Cris 12/06/2020

Intrigante
Uma investigação sobre um assassinato que vai muito além. Após o início um pouco lento, a história ganha um ritmo excelente, que te prende até enfim descobrir o que aconteceu em Giverny.
comentários(0)comente



Jon O'Brien 04/06/2020

Provavelmente o suspense mais genial que já li
Ninfeias Negras é um livro que li já há algum tempo, cuja resenha só foi sair agora porque eu não tinha palavras para descrever a genialidade do autor, Michel Bussi, ao escrever essa trama diferentona que está presente neste universo. Curioso? Venha ler uma resenha bacana de um livro mais bacana ainda!

O universo de Ninfeias Negras é situado em Giverny, uma cidadezinha da França que todos os anos recebe visitantes de todo o mundo por conta da história artística que foi fecundada ali. Foi em Giverny que Monet morou e, depois de conseguir o seu laguinho, pintou suas ninfeias.

Nesse cenário, um renomado oftalmologista é encontrado morto, e então uma investigação é iniciada para que seja descoberto quem foi o assassino. Tirando o lugar exótico para uma ambientação de livro de suspense, a trama parece absurdamente simples, mas garanto que não é.

O livro é narrado por três perspectivas diferentes: a de uma criança, que sonha em ser uma grande pintora; a de uma professora muito interessada em arte; e uma velha ranzinza que, para mim, foi a melhor personagem do livro.

As narrações se dividem entre primeira e terceira pessoa, e, apesar de em vários momentos algumas não parecerem interessantes, no final elas se juntam, formando uma espécie de quadro difícil mesmo de acreditar mas, ao mesmo tempo, muito engenhoso. Trata-se de uma reviravolta suportava pela perspicácia do autor em quebrar regras de construção de um suspense de uma forma que terminei o livro pensando: meu pai, quero escrever como esse cara!

Outro baita ponto positivo para Ninfeias Negras é o modo como o autor usa e abusa de descrições reais. Não só as descrições parecem reais; elas o são, desde a constituição física da Giverny até fatos que ocorreram com pessoas que, na história, não são meras personagens. Além disso, há um aprofundamento da figura de Monet que achei bacana conhecer.

Apesar dessas questões, a história tem alguns contras que, embora não tenham-me feito deixar de dar a nota máxima ou favoritar, foram incômodos durante o início e mesmo o meio do romance. O livro é rápido, mas não desperta interesse de imediato; eu fiquei penando por várias páginas até a história me fisgar de verdade.

Outra coisa que poderia ser chamada de defeito é a construção dos personagens. Eles são simples, com motivações que não são fora do comum. Portanto, foi difícil me apegar a eles. A razão de a senhora ser minha favorita é a sua maldade; sua personalidade fria e raivosa compensou a construção parca dos demais.

Termino esta resenha, que mal sei se está boa, com dois comentários que fiz no Skoob ao longo da leitura:

“Mano, o que foi isso? Minha cabeça tá doendo até agora. Foram as maiores reviravoltas que vi na vida inteira. Só espero que faça sentido, porque pelo que me parece é algo impossível.” (ao chegar à página 316)

“Não pude ler mais. Se eu ler mais desse livro hoje, eu morro. Minha cabeça deu um nó ainda mais apertado. Como pode? Não faz sentido! E não é nada do que você está pensando. É algo que não tem cabimento, não pode ter explicação possível. Puta que pariu, não vou dormir hoje.” (ao chegar à página 330)

E fez sentido, sim. Só leia e, por fim, sinta vontade de reler o livro para entender direito.

site: https://redipeblog.wordpress.com/2020/06/04/resenha-ninfeias-negras-michel-bussi/
comentários(0)comente



Izabel Wagner 03/06/2020

Surpreendente
"Fascinante! É assim que classificaria essa obra em apenas uma palavra. Com maestria, beleza e cuidado, Michel Bussi foi capaz de construir uma história que respira arte e informação, transborda mistério e prende o leitor do início ao fim. Cada detalhe, sendo fictício ou verdadeiro, é interligado de maneira a nos deixar confusos, perdidos no meio de tantas teorias e segredos. O assassinato é o ponto de início dessa trama, porém, as vidas ligadas a ele, os mistérios, os detalhes e sentimentos vão muito além, desabrocham como uma bela flor nos Jardins de Monet.

A presença das três personagens femininas é essencial e magnífica. Nunca pensei que ao finalizar essa obra, teria em mãos algo tão sublime, encantador, maravilhoso e cruel. A estratégia utilizada já me era conhecida, porém, mais uma vez, não fui capaz de perceber o que estava diante de meus próprios olhos, não fui capaz de ligar os pontos e prestar atenção nos pequenos detalhes. A maneira como a história nos prende, como nos instiga, torna ainda mais difícil perceber a verdade por trás das palavras e ações. Somente quem chega ao final da obra é capaz de perceber a grandeza desse livro, bem como, vem a ser presenteado com um fechamento gracioso.

Ninfeias Negras contém suspense, arte, mistérios a serem esclarecidos, amores brutalmente afastados, sonhos despedaçados, beleza e crueldade. O livro é capaz de inserir informação real sobre arte em uma trama instigante, cria ambientes inteiros diante de nossos olhos, e nos confunde com suas palavras. Não saberia dizer se esse é um livro sobre arte ambientado em uma história de suspense, ou um suspense muito bem embasado em informações sobre arte, uma vez que os dois elementos foram marcantes para minha experiência de leitura. Mas, garanto que ninguém está realmente preparado para descobrir os segredos desse livro, não sem chegar até o último ponto final e compreender a graça com que fomos enganados e manipulados."

* Trecho da resenha previamente publicada no Estante Diagonal *

site: http://www.estantediagonal.com.br/2017/03/resenha-ninfeias-negras.html
comentários(0)comente



Ana Emerich 03/06/2020

Ainda não consigo expressar meus sentimentos com o final desse livro. Mesmo não sendo uma leitura tão fluida, com tantos cenários distintos, nomes e expressões tipicamente francesas, pintores impressionistas e paisagens, só queria chegar logo no fim e descobrir quem diabos matou Jerome Morval.
.
E mesmo quando todas as sinopses e resenhas te dizem que o final é surpreendente, você pensa que será o diferentão, que você é sim esperto o suficiente pra descobrir a teia que envolve todos nessa trama.
.
Fui trouxa, não fui a diferentona... Mas, melhor assim, afinal, quem se surpreendeu e se emocionou ao final fui eu mesma.
comentários(0)comente



186 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |