Excalïbur

Excalïbur Bernard Cornwell




Resenhas - Excalibur


173 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Nanda 28/09/2020

Épico!!!!
Que trilogia arrebatadora!!! Foi difícil finalizar pois não queria que acabasse e me despedir desses personagens foi difícil. O que dizer de Artur, bom guerreiro, bom pai apesar de alguns filhos serem difíceis, bom marido apesar de alguns acontecimentos, mas Artur tinha um defeito na minha opinião ele é muito leal e sua lealdade faz ele sofrer muito.
Outro que me cativou muito foi Derfel que é o narrador dessa história um guerreiro que despensa palavras que se entrega de corpo e alma a causa de Artur. Só não dei 5 estrelas cravadas por causa do final de Nimue. Mas apesar disso é uma trilogia que despensa comentários. Só estou sentindo agora!
comentários(0)comente



AdsonFinho 17/09/2020

Ótimo livro
A saga é concluída magistralmente. Me emocionei, tive medo por personagem, nutri raiva por outros. Bernard Cornwell sempre com uma ótima narrativa.
comentários(0)comente



Matheus.Felipe 03/09/2020

Uma trilogia lendária
Esse livro é a conclusão das crônicas de Artur, de Bernard Cornwell. É um final completamente digno pra uma trilogia que mantém a qualidade lá em cima, da primeira até a última página. Sentirei muita falta das intrigas, das batalhas e principalmente dos personagens, que tornaram esses 3 livros tão marcantes e imprevisíveis.
A vontade agora é começar a ler mais livros do Cornwell.
comentários(0)comente



Thai Batalha (@caduquelendo) 02/09/2020

E o destino foi inexorável
A trilogia se encerra com chave de ouro. Os três livros são incríveis. Mas esse último, em minha humilde opinião, é o mais sangrento, com uma narração excelente de diversas guerras.
Derfel mostra mais uma vez que homens leais são poucos, assim como bons amigos. Vemos aqui um desenvolvimento ainda maior do Mordred, que se tornou o meu mais novo ranço kkkkkkk
Deixo uma dica aqui para quem estiver lendo, não se apegue a nenhum personagem, para não sofrer como eu sofri. Sim, temos várias mortes, então prepare o coração!
Não posso dizer muito para não soltar spoiler, apenas digo q é muito bom e q vale a pena demais!
Ah! Fiz uma pequena resenha da trilogia no perfil do insta @caduquelendo. Se tive interesse vai lá conferir :)
comentários(0)comente



Nayara 05/08/2020

Talvez fossem apenas as lágrimas em meus olhos
Essa trilogia não poderia terminar de outra forma. Incrível, poética, emocionante. Um espetáculo de leitura! Os personagens estão mais velhos, até mesmo passaram da expectativa de vida da época, e ainda lutam pela Britânia e por Artur. Não é um livro de comédia, mas não pude deixar de rir das tragédias, dos comentários e da narrativa apaixonante, às vezes pessimista e às vezes esperançosa de Derfel.

Merlin está mais ácido e debochado, desesperado para que os deuses retornem à Britânia, bem como Nimue, que a cada aparição está mais ensandecida, disposta a qualquer consequência para alcançar seus objetivos. E apesar de Guinevere não ser uma personagem querida por mim, acabei caindo em seus encantos. Ela tem grande percepção e astúcia, potencial para governar, só que era mulher, assim era inimaginável que ela detivesse tanto poder na época.

Artur de início estava bem distante da narrativa e até mesmo de Derfel, devido à sua separação de Guinevere e seu orgulho ferido, mas depois que a batalha contra os saxões começou, ele ficou sob os holofotes novamente, até se “converteu” ao cristianismo por amor à Britânia, e ainda assim só levava pedrada do povo insatisfeito. Quem deveria ser rei não queria, e os fracos ambiciosos governavam. A paz tanto almejada por Artur foi alcançada, porém somente por um tempo.

"Os Deuses sabem que nunca desejei um trono, mas de um modo ou de outro eu consumo a vida lutando por ele."

Por mais que esta história seja sobre Artur, quem rouba o protagonismo é Derfel. Eu ansiava por saber em como ele foi parar no mosteiro com Sansum, como perdeu a mão, sobre a morte de Ceinwyn, queria saber tudo sobre a vida dele, e neste último livro temos várias respostas do melhor narrador que poderia existir, e muitas delas surpreendentes.

É um livro repleto de acontecimentos, que se passam em vários anos, alguns beiram a magia, e muitos são consequências de atitudes tomadas e até mesmo negligenciadas neste livro e nos anteriores, por Derfel, Artur, Ceinwyn, Guinevere, Mordred... a lista é enorme, e que resultaram na conclusão triste, sofrida e impecável da lenda do rei que não era rei. Mais uma vez Bernard Cornwell está de parabéns.
comentários(0)comente



Paulo 03/08/2020

Emocionante!
A conclusão da saga épica de um dos guerreiros mais lendários de todos os tempos não poderia ser ruim. Neste livro, Derfel e seus companheiros lutam para livrar a Bretanha dos terríveis saxões, enquanto têm que lidar com as próprias disputas internas. Cornwell aproveita para elevar o tom fantástico e insere elementos sobrenaturais que somente deixam a narrativa melhor. A conclusão da batalha pela Bretanha não poderia ser melhor. Um livrasso pra quem curte ficção histórica e fantasia!
comentários(0)comente



Paulo Schwalm 01/08/2020

O fim da saga.
Difícil falar sobre esse livro, e difícil falar da nobreza de Artur, se existiu de verdade ou não provavelmente nunca saberemos, mas podemos sonhar lendo suas histórias.
comentários(0)comente



Cláudia 30/07/2020

Um desfecho digno
Último livro da trilogia As Crônicas de Artur, Excalibur, como é esperado em seu título esclarece a grande importância e o misticismo envolvendo a lendária espada de Artur, que segundo essa versão de sua história nunca chegou a ser rei, mas sim um líder aclamado e reconhecido até hoje, mesmo sem se ter certeza de que ele realmente existiu.
Devido fatos ocorridos no final do segundo livro, na primeira parte de Excalibur, Artur que sempre fora alegre e gentil está amargo e fechado. Além de problemas pessoais, ele enfrenta um período muito ruim na Britânia e são necessárias mais batalhas épicas como somente Bernard Cornwell descreve. Há fatos históricos que indicam que muitas dessas batalhas realmente ocorreram, mesmo em meio ao obscurantismo, e uma delas é cenário para um dos pontos altos da obra, Mynydd Baddon, onde o Artur retratado nos dois primeiros volumes da trilogia volta a aparecer aos seus velhos amigos e companheiros. E velhos não somente no sentido figurado, pois todos os personagens já envelheceram bastante para os padrões da época e sabem que estão caminhando rumo a última guerra de suas vidas.
Finalmente entendemos alguns fatos da vida de nosso querido narrador Derfel Cadarn e passamos a admirar cada vez mais sua história com sua amada Ceinwyn, personagem que simplesmente, não tem como não gostar.
A redenção de Guinevere vem com esse volume da trilogia, onde passamos a admirá-la (pelo menos na versão concebida pelo autor). Em contrapartida, temos também personagem que a princípio era interessante e que provavelmente o leitor gostava, e passa a deixar suas crenças dominá-la e a leva a um caminho que nos faz entender que fanatismo nunca será algo positivo.
Ainda sobre personagens existentes na lenda, confesso que não apreciei ao todo o modo como Morgana foi retratada nessa história e nem de seu destino, porém sua força e poder continuam evidentes e nesse terceiro volume vemos uma prova disso, mostrando que a sacerdotisa de Merlin mesmo quando não quer é capaz de dominar a magia como o próprio druida. Merlin continua roubando a cena e semelhante ao segundo livro da saga, a magia continua tendo destaque.
A sequencia que encerra o livro na batalha de Camlann possui uma narração impecável, e mais uma vez entende-se que o autor é mestre em guerras. A descrição dos detalhes da batalha, do que Derfel vê, sente, o que cada personagem principal faz, suas expressões, falas, os cheiros, as sensações, tudo é impecável e faz o leitor se sentir em meio aos caos. O desfecho que segue a batalha não poderia ter sido melhor. Um final emocionante e digno para uma trilogia impecável. Tão lindo que meus olhos lacrimejaram ao me despedir de Artur, Merlin, Nimue, Guinevere, Morgana, Derfel, Ceinwyn, Sagramor e tantos outros. Definitivamente uma das melhores versões para a lenda de Artur!

"O destino é inexorável (Merlin)"

site: https://www.youtube.com/channel/UC4zNj2gPz0FWQxDxLai9dFA
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Flávia HBS 25/07/2020

Releitura!! Como foi bom reler essa trilogia fantástica. Até breve pq com certeza daqui a alguns anos irei recordar novamente as aventuras de Artur
comentários(0)comente



Virginia 23/07/2020

Final perfeito
Enfim terminei essa série maravilhosa sobre o rei Artur. Esse livro é tão bom quanto os anteriores, cheio de batalhas sangrentas, feitiços e bruxarias.

Merlin e Nimue finalmente conseguem reunir os 13 tesouros britânicos para o ritual que pode trazer os deuses de volta para a terra, mas o resultado não sai como o esperado.

Os reis saxões Aelle e Cerdic unem forças para invadir novamente. Os guerreiros de Artur conseguem expulsar os saxões por um bom tempo, mas o terrível rei Mordred volta ao governo, ameaçando a paz conquistada depois de um verdadeiro massacre.

Enfim, essa série deixa ótimas impressões e lembranças, só senti falta de saber mais sobre o passado de Merlin e do próprio Artur, que Derfel conta muito rapidamente. Mas é uma ótima série, recomendo!
comentários(0)comente



Deia 19/07/2020

Último volume das Crônicas de Artur.
Excalibur
Derfel continua como nosso narrador, nos mostrando como foi sangrenta e escura uma época em que os historiadores não sabem definir. Uma época de deuses cruéis e mimados, que abandonam a Britânia por nada. Esse vazio começa a ser preenchido pelo cristianismo, que diga - se de passagem, "os cristãos se mostram mais perigosos do que uma horda de famintos guerreiros saxões.
Para mim Derfel foi o grande personagem dessa história, ele descreve com humildade o que deveria ser um grande homem, Artur, e acaba sendo mesmo, porque com todos os seus conflitos internos, Artur tenta levar seu país a paz e a prosperidade, mas infelizmente o povo não o ajuda.
Assim de luta em luta chegamos a um final...bem leia daí saberás que final é esse.
Então, "embora todos os esforços dos historiadores para negarem a existência de Artur. Ele continua a ser, para milhões de pessoas no mundo, aquilo que um copista lhe chamou no século XIV:
"Arturus Rex Quodam, Rexque Futurus; Artur, o nosso Rei de Outrora e do futuro"".
Excelente leitura!!!!!
comentários(0)comente



lolcode 09/07/2020

Um final digno de rei
O melhor livro da trilogia, que conseguiu concluir com louvor a saga de Artur interpretada por Bernard Cornwell. A magia que começou a tomar mais forma no segundo livro, domina ainda mais neste terceiro e podemos ver isso no próprio imaginário de Derfel. Ao decorrer do livro, conforme a história vai ficando ainda mais sombria para anunciar o destino cruel da lenda, me peguei torcendo para que de alguma forma houvesse esperança para a Britânia. É como o próprio Derfel diz no primeiro livro : "Oh, como chorei por Artur!"

Choramos, meu caro Derfel. Todos nós choramos.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rodrigo 01/07/2020

Maravilhoso! Consegue ser ainda melhor que os outros dois. Vou sentir saudades dos personagens, tomara que eu consiga revisitá-los algum dia.
comentários(0)comente



173 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |