Um Sedutor Sem Coração

Um Sedutor Sem Coração Lisa Kleypas


Compartilhe


Resenhas - Um Sedutor Sem Coração


119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Ghéssica 09/08/2018

Esperava mais da autora.
A minha expectativa pra essa série era alta, pois a série As Quatro Estações foi muito bem escrita.
No entanto, não gostei da história.. Pra mim, a marca registrada da autora é fazer os casais mais improváveis ficarem juntos, e nesse primeiro livro, o casal era muito fraco.
Achei os personagens sem química nenhuma, e a história não me prendeu. A história pareceu meio desconexa... talvez esse livro seja mais pra apresentar o cenário para os próximos livros, mas enfim.
O que mais gostei foi do romance que aconteceu em 2 plano entre Helen e Winterborne... a esse casal sim aprece fazer mais jus ao estilo de escrita de Lisa.
Estou extremamente ansiosa pelo segundo livro, porque o primeiro deixou muito a desejar.
comentários(0)comente



Mary 07/08/2018

"Um Sedutor Sem Coração" é o primeiro livro da série "Os Revenels" da Lisa Kleypas. Esse é mais um romance de época para chamar de queridinho e se encantar com os personagens.

Em "Um Sedutor Sem Coração" vamos conhecer os irmãos West e Devon, que levam a vida sem muitas responsabilidades. Mas com a morte do primo Theo, Devon herda o título e as propriedades que pertencia ao falecido. Isso seria ótimo se não fossem as dívidas das propriedades e as grandes responsabilidades de cuidar das três irmãs e da jovem viúva do primo.

Assim que Devon chega nas terras herdadas, ele conhece Kathleen, a viúva, e logo de cara o desafeto entre eles é perceptível. Kathleen já sabia da má reputação de Devon, e quando ele deixa claro que pretende vender tudo e voltar para sua antiga vida e irresponsabilidades, a relação entre eles piora.

Sem contar com a ajuda de Devon, Kathleen começa a fazer planos para se manter e cuidar das cunhadas, já que ela se apegou as meninas. Mas com um pouco de convivência, Devon passa a conhecer melhor suas primas e Kathleen, e ele começa a mudar de ideia sobre vender tudo. Apesar do desafeto, Kathleen também desperta o interesse de Devon, mas a personalidade forte da jovem não facilita para eles se entenderem.

E por mais que Kathleen também sinta interesse em Devon, ela sabe que precisa seguir as regras de uma viúva, e jamais deve confiar em um libertino irresponsável. Mas Devon tem muitas oportunidades ao longo do livro para mostrar que as responsabilidades do titulo fizeram dele e principalmente do irmão, pessoas melhores, e quando ele percebe que está realmente apaixonado por Kathleen, ele faz de tudo para provar que merece uma chance. Mas muitas questões estão pendentes para esse romance acontecer, e por mais que Kathleen queira Devon, ela sabe que deve cumprir com as normas do luto.

O livro é narrado em terceira pessoa, e a escrita da autora é bem leve, envolvente e divertida. O romance é fofo e contagiante. Os personagens são encantadores, me diverti e me apeguei a todos, inclusive nos personagens secundários. Os diálogos são bem escritos e eu amei a maneira como a autora desenvolveu a estória. E as cenas "quentes", se tornaram as melhores de todos os romances de época que já li. Tudo bem elaborado, é de tirar o fôlego do leitor.

"Um Sedutor Sem Coração" foi publicado no Brasil pela Editora Arqueiro, e eu indico a leitura para quem gosta de romances de época com personagens bem-humorados e com cenas sensuais e românticas.

site: www.enquadrandolivros.com.br
comentários(0)comente



Tay 07/08/2018

Um Sedutor Sem Coração
Em Um Sedutor Sem Coração conhecemos Devon Ravenel, um famoso libertino de Londres que acaba herdando um condado que não esperava e que está afundado em dívidas, de quebra sua nova propriedade ainda está ocupada pela viúva do conde e suas três irmãs solteiras. Kathleen, a bela e jovem viúva, é inteligente e determinada, e a atração entre eles é quase irresistível.

Esse não foi o meu livro favorito da Lisa, mas ainda sim é um livro muito bom, principalmente para quem já curte o gênero e a autora. Com um romance fofo e algumas cenas um pouco mais sensuais é um livro leve e rápido que dá, na minha opinião, para ler em um dia. A autora nos faz se apaixonar não só pelos protagonistas, mas também pelos personagens secundários, como as irmãs do antigo conde e o irmão de Devon.

Um diferencial nos livros da Lisa, é que os nossos mocinhos não são aqueles típicos aristocratas que estamos acostumados em romances de época, os livros dela se passam em um momento em que a aristocracia britânica está começando a mudar e vemos muito isso durante todas as séries dela, e está presente também nesse livro, é muito interessante observar nossos personagens enfrentando essas mudanças na sociedade.

O final me deixou louca pelo próximo livro, que como é costume em livros assim, vai seguir um outro membro da família Ravenel, segundo a editora Arqueiro, vamos tê-la ainda esse ano. Se você nunca leu nenhum livro da Lisa, recomendo começar por As Quatro Estações do Amor, por que apesar de todas as séries da autora serem independentes, se passam no mesmo universo e essa é a primeira em ordem cronológica, que foi a ordem que eu li e achei a experiência incrível, mas você pode tranquilamente ler só esse.

site: https://taianebarboza.blogspot.com/2018/04/eu-li-um-sedutor-sem-coracao-lisa.html
comentários(0)comente



clarinha 02/08/2018

Esta a louca para ler mas....
Só quero deixa claro que amei quase todos os personagens e estava mais que empolgada para terminar a leitura e curiosa. Mas perto do final, escolha da personagem principal me fez fica com muita raiva. Ela não tinha direito de ter feito aquilo, só me deixou irada só de lembra. Tenho vontade de grita com ela.
Ela foi de longe uma das protagonista mais chatas que a Lisa fez. Entendi o motivo dela ser assim, mas isso não foi bom. Esperava que ela mudasse aos poucos na história como o Devon, mas notei que isso não aconteceu.
West e as gêmeas forma personagens que me supremderam e o que me deixou curiosa para suas histórias.
Estou louca para próximo e quero saber o que Helen vai fazer. Espero que ela encontre um jeito de resolve a confusão que se encontra.
Para mim o livro foi três estrelas e estou louca para ler o próximo. E espero que seja surpreendente bom, não como esse surpreendente mediano.
comentários(0)comente



Suelen 01/08/2018

Sendo o começo de mais uma série da Lisa Kleypas lançada no Brasil, para a alegria dos fãs da autora, os Ravenels tem como seu primeiro livro “Um Sedutor sem Coração”.

Devon Ravenel, um libertino famoso e charmoso de Londres, nunca quis responsabilidades. Ele e o irmão West vivem em meio a festas, bebidas e clubes para cavalheiros. Mas a farra tem um fim quando, para a sua infelicidade, herda um condado após seu primo morrer em um acidente. Além de ter ganhado um título que não queria, ele descobre que seu primo deixou sua propriedade em frangalhos e cheia de dívidas, três irmãs e uma viúva para Devon cuidar.

Com uma personalidade forte e destemida, Kathleen, Lady Trener, sabe que não pode confiar em um libertino e se vê incapaz de lutar contra o novo conde caso ele queira vender todas as posses e ela e as cunhadas ficarem sem ter onde morar. Determinada, ela vai tentar mudar a ideia de Devon. Ela só não contava com a atração que sentiria por ele. E ele, claro, se interessa logo, logo por ela e investe bastante em seduzi-la, ainda mais quando resolve ficar e reerguer a fazenda.

Devon e Kathleen são aqueles tipos de casal que ao se conhecerem implicam muito um com o outro, e pra quem adora isso em livros vai gostar dessas partes, uma vez que nenhum dos dois deixa barato. Mas não se preocupem, a narrativa não fica só nisso. Um ponto que eu achei interessante, apesar de já ter ouvido muitas pessoas falarem que não, é que a relação deles é explorada no ponto certo. Não há exageros. É um envolvimento maduro, onde temos duas pessoas responsáveis pelo bem estar de outros, logo há muito mais detalhes sobre como eles vão fazer para reconstruir a casa e fazer a propriedade prosperar.

Os personagens secundários são um destaque a parte. Serve bem para apresentar ao leitor quem vai nos acompanhar durante toda a série.

Gosto dos livros da Kleypas pois eles sempre nos introduzem às personagens dos próximos livros de forma bastante interessante. Por exemplo: o começo de toda a trama do segundo volume da série, “Uma Noiva para Winterborne” já começa em “Um Sedutor sem Coração”. Ações de personagens nesse primeiro tem uma grande interferência na narrativa do outro, inclusive. Fora a forma em como a autora escreve que sempre é um amor, cativante do início ao fim e recheado de romance, drama e sensualidade.

site: http://up-brasil.net/livros/resenha-de-livro-um-sedutor-sem-coracao-lisa-kleypas/
comentários(0)comente



Adrya Ribeiro 29/07/2018

Uma nova série dessa maravilhosa autora. Estava com saudade de séries com famílias, e quando vi uma das minhas blogueiras literárias comentando sobre quão bom era essa, resolvi testar.
A ambientação da família Ravenels já me conquistou, mas o casal, mesmo com todo fogo, deixou a desejar.
Adorei as gêmeas e não vejo a hora de ler sobre elas.
comentários(0)comente



Uinayara 24/07/2018

Resenha Um sedutor sem coração
Devon Ravenel herda, para sua grande consternação um condado, que está afundado em dívidas, acompanhado das três irmãs do falecido conde e sua viúva. Dona de uma determinação ferrenha e uma inteligência afiada, Kathleen sabe que não deve confiar no libertino mais malicioso e charmoso de Londres e se vê impotente diante da possibilidade de Devon se desfazer da propriedade e, ela e suas cunhadas, ficarem sem um lar. Mas uma estranha atração cerca os dois, e agora precisam encarar, cada um a sua maneira esse novo sentimento desconhecido que não conseguem negar.
?????????
Mais uma vez Lisa nos surpreende com uma história divertida, romântica e bem estruturada. Confesso que nas primeiras páginas não me apeguei muito a história, mas do meio para fim é impossível não querer chegar ao final. Os personagens, como característica que já notei em todos os livros que já li de Lisa, são excêntricos e fogem do padrão, o que cria uma atmosfera cômica e tira aquele clichê do romance, que pode desestimular algumas pessoas. Estou bastante ansiosa para ler os próximos volumes e acompanhar de perto a evolução e história de cada um dos personagens, principalmente das gêmeas Ravenel, que na minha opinião são as melhores personagens da história.
?????????
comentários(0)comente



Angela.Lopes 23/07/2018

Gostei bastante..
Não dou 5 estrelas pq achei a mocinha muito intrometida e Chaterrima. O Devon elegante, lindo e um lorde. Morri de amor por ele.. As gêmeas será que tinham 19 anos mesmo? Achei mas com cara de 12 pelas bobices... No mas é bom.
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 21/07/2018

O amadurecimento do amor. (@UpLiterario)
Devon tirou a sorte grande, ou não. Com a precoce morte de seu primo, ele agora se tornou o novo Conde de Trener. E junto com o título, recebeu uma propriedade em frangalhos, imersa em dívidas. Não haveria outra solução prática, além de vender a propriedade e se desfazer desse problema. Mesmo que com isso, Devon coloque as irmãs do primo e sua jovem viúva na rua, bem como as 200 famílias de arrendatários. Mas seria ele capaz de fugir de uma responsabilidade dessa magnitude? Ainda mais depois de conhecer Kathleen, Lady Trener, e toda a sua teimosia?
.
Todo mundo sabe que a família mais queridinha dos romances de época são os Bridgertons, de Julia Quinn, mas acredite, os Ravenels vão tomar conta do seu coração.
.
Uma leitura que me prendeu, seja por seus personagens cativantes (principalmente os secundários), pelo jogo de sedução de Devon e Kathleen, o amadurecimento desses personagens e de seu romance, mas também pela presença de diálogos ácidos e hilários, cenas quentes, dramáticas ou divertidíssimas, embalando a trama com um ritmo envolvente.
.
Eu amei e odiei Devon e até agora não sei bem o que pensar dele, mas com certeza já odeio de todo coração o Sr. Winterborne, cujo romance com Helen Ravenel teve início neste livro, mas será o tema do próximo volume. Socorro, já quero ler!
.
Um Sedutor Sem Coração é uma leitura maravilhosa, principalmente para ingressar no mundo de Lisa Kleypas. Ali você encontra as melhores características de suas histórias e um romance de época ligeiramente diferente dos demais. Recomendo!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Notas.Literarias 19/07/2018

Olá amores, hoje venho falar do primeiro livro de uma nova série lançada pela Editora Arqueiro, eu sou apaixonada por livros de épocas, e tenho uma queridinha nesse gênero, já estava começando a me sentir órfã quando surge a Série Os Ravenels de Lisa Kleypas.

E claro me apaixonei por mais personagens e fiquei sedenta por mais, espero que os outros livros sejam lançados loguinho... diz que sim Arqueiro, please,rs.

Como sempre a capa é linda, e retrata bem a “mocinha” do livro, porque bem Kathleen é tudo menos uma mocinha indefesa, ela é a viúva que teme ser expulsa de sua casa, visto que seu – recente – marido Lorde Trenear morreu e o condado foi passado ao seu primo Devon Ravenel.

Devon é tudo de errado que um homem pode ser, charmoso, curte a libertinagem em Londres com seu irmão West, quando parte para Hampshire para conhecer a propriedade ele está decidido em se livrar de absolutamente tudo, a casa está caindo aos pedaços e seu primo Theo deixou o condado cheio de dívidas pendentes, aquele lugar não vale o trabalho e muito menos um título que para ele não tem significado algum.


Que loucura pensar que um homem como ele poderia ter responsabilidade de cuidar de um Priorado, de pessoas que trabalhavam naquele condado e viviam dele, das suas primas, irmãs de Theo, que agora não tinham mais família a não ser a Condessa, Lady Trenear, Kathleen.

Uma mulher impressionante mesmo em seu luto, capaz de fazer com que ele deseja-se ter aquela mulher e fazer coisas a ela e a sua boca impertinente, talvez ele afinal jogasse a razão de escanteio e não iria se desfazer do Priorado assim tão rápido.

Kathllen tivera um casamento rápido, era sabido que os Ravenels tinham fama de não ter vida longa, mas não se imaginava com um destino como aquele, criada por amigos de seus pais, ela tinha costumes e crenças rígidas, tivera uma boa educação e fizera um bom casamento, porém agora encontrava-se viúva e logo mais pelos planos do novo Lorde, sem casa.

Ela conseguiria pensar em um meio de viver, ela e as meninas, Pandora, Cassandra e Helen, agora elas eram sua responsabilidade e família, queria poder dizer que não reparara em como Devon Ravenel era charmoso e se não fosse um completo babaca, bem nada aconteceria, ela estava em luto por seu marido e aquele homem que agora tinha responsabilidades com elas, pouco se importava com o próximo.

Mas poderia existir uma forma de transformar um sedutor barato a ter um coração e assumir responsabilidade que nunca desejou ter? Poderia uma mulher com crenças tão rígidas se libertar das mesmas, e se render aos seus desejos?

Um sedutor sem coração nós apresenta Devon e Kathllen, mas traz os personagens secundários de maneira que já nos apaixonamos por eles, e esperemos por suas próprias histórias, as meninas Helen, Cassandra e Pandora são únicas e dão um toque de alegria ao enredo, e podemos conhecer um pouco da protagonista do próximo livro, Helen.

Temos a pitada exata de drama, romance e sensualidade, descritos de maneira que te cativam e te prendem na história deixando a gente com o coração quentinho.

Eu amei o primeiro livro e super recomendo essa nova série da Kleypas, vale a pena saber o que acontecerá com essa viúva e esse sedutor.

“Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada. ”

site: http://www.notasliterarias.com/2018/03/resenha-um-sedutor-sem.html
comentários(0)comente



Dryh 19/07/2018

Um sedutor sem coração
“Milady... Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada. – página 174

Devon Ravenel nunca quisera ter responsabilidades. Libertino assumido, ele e o irmão West sempre viveram tranquilamente entre bebidas, clubes para cavalheiros e mulheres, mas quando o conde de Trenear, também conhecido com o primo dos irmãos, morre, toda a propriedade (e a responsabilidade para mantê-la) cai sobre os ombros de Devon. Ele nunca havia pedido por um lugar caindo aos pedaços como aquele, e certamente não queria ter que olhar por três jovens solteiras que nunca haviam tido uma temporada em Londres.... Muito menos ter que conviver com a viúva do falecido conde.

Kathleen estava casada há três dias quando ficou viúva. Não teve tempo de amar o marido, mas ainda assim, se culpava pela morte de Theo. Apesar de que essa era a menor de suas preocupações.... Agora que a propriedade pertencia a outra pessoa, e essa outra pessoa parecia determinada a se livrar do condado e de todos que ali viviam – incluindo ela e as irmãs de seu falecido marido -, sobraria para Kathleen decidir o que fazer. Para onde iriam todos? Será que ela não conseguiria fazer o novo lorde Trenear mudar de opinião?

“- Veja bem – começou Devon friamente -, o máximo que já precisei administrar na vida foi um apartamento, uma cozinheira, um valete e um cavalo. Agora, querem que eu tome conta de uma propriedade falida com mais de duas centenas de arrendatários. Acredito que isso merece certa consideração. E até mesmo alguma compaixão.”
“Coitado do senhor. Deve ser muito desafiador, além de inconveniente, ter que pensar em outra pessoa além de si próprio.”
- página 15

Desde o início do livro, Kathleen se mostrou uma personagem com muita atitude, e mesmo quando cedia às investidas de Devon, ela sabia o que estava acontecendo e sabia das consequências. Sentindo-se responsável pelas irmãs mais novas de Theo, Kathleen buscava fazer o melhor para as meninas, mesmo sabendo que as chances de as três conseguirem um marido seriam quase nulas – Theo não havia deixado nenhum dote para nenhuma delas, e dificilmente Devon teria dinheiro para tal: a propriedade estava em ruínas! Isto é, se ele decidisse mantê-la.


A escrita da Lisa é bem rápida e envolvente, e o fato de a história não ficar só nas farpas entre Kathleen e Devon só me fez gostar ainda mais do livro! Temos aqui uma abordagem muito interessante de West, irmão mais novo de Devon, e também de Helen, Pandora e Cassandra, as irmãs do falecido conde. A autora também acertou em trazer um pouco de Winterborne, o protagonista do próximo livro.

Meu único problema foi com a personalidade de Devon. Os homens de sua família eram conhecidos por perderem o controle facilmente, mas eu não vi West agir como idiota, da maneira como Devon muitas vezes agia, em nenhum momento. Ok, talvez em um.
Já li muitos romances de época em que os personagens principais masculinos eram muito possessivos com as mocinhas e tinham personalidades irritantes, mas também li vários em que eram apaixonantes e sabiam se colocar em seus lugares. Mesmo constando na sinopse que Devon era libertino, eu tinha esperanças de que ele não seria tão arrogante. Bem, ele era. Tinha seus momentos fofos e tal, mas eu peguei ranço dele...haha’

Uma coisa MUITO legal neste livro, porém, é: ele é cheio de surpresas. A gente pode até imaginar que os personagens vão ficar juntos no final, mas é tudo o que sabemos. Muitos romances de época seguem a mesma linha e acabam se tornando um clichê, mas Um sedutor sem coração possui a vantagem de não ser nem um pouco clichê: muitos acontecimentos surpreendentes, reviravoltas e momentos tensos. Posso dizer que Lisa Kleypas conseguiu me reconquistar como leitora, e estou doida para ler os próximos livros – sinto muita curiosidade em relação à Helen e seu comportamento misterioso, e estou doida para ver Cassandra e Pandora laçando alguém!


site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Três Leitoras 16/07/2018

Resenha: Um sedutor sem coração
Essa foi a minha segunda tentativa de ler um livro de romance de época da Lisa Kleypas, quando fiz a primeira, foi quando ainda não era muito ligada neste gênero literário e não consegui me conectar a história. Quando ganhei este livro, percebi que era a oportunidade perfeita para uma nova tentativa.



E desta vez, tive uma ótima experiência e hoje vim contar a vocês tudo o que eu achei dessa história.

Devon Ravenel nunca quis fazer parte da sociedade, queria apenas viver uma vida livre e sem grandes responsabilidades. Até o dia que ele herda um condado, ganhando assim um título e muitas responsabilidades, coisas que ele nunca quis.



Ao ter mais informações, além de uma viúva e três irmãs mais novas do conde falecido, a fazenda está abarrotada de dívidas e poucas possibilidades de se reerguer. Então, para ele só existe uma solução, vender todos os bens, pagar as dívidas e voltar a sua vida como se nada nunca tivesse acontecido.



Mas depois de conhecer as três irmãs e principalmente a viúva Kathleen, as decisões de Devon não parecem mais estar tão certas e ele decide tentar resolver os problemas existentes.



Um desses problemas, é a sua atração pela Kathleen. Desde o primeiro encontro deles, a sua inteligência e determinação chamou a sua atenção e quando pode ver seu rosto de forma mais clara, percebeu o quanto ela era incrível. Já ela, percebeu que não podia confiar em um cafajeste como ele, até mesmo quando se sentia tão atraída por ele, a sua fama era das piores e seu comportamento fora do padrão, não existia a possibilidade de ele ser confiável.

Ao perceber que ele não iria se desfazer de tudo e daria um suporte para as três cunhadas, Kathleen achou que ele não era tão canalha assim. Com o fato dele decidir não vender a fazenda, a aproximação entre eles irá acontecer e com isso o jogo de sedução do Devon, ela não sabe até que ponto irá resistir e enquanto o dilema desenrola, alguns acontecimentos interessantes vão acontecer.

E é justamente nestes acontecimentos que vamos conhecer melhor cada um dos personagens, e confesso a vocês, essa foi a parte que eu mais gostei... Me encantei com as gêmeas arteiras Pandora e Cassandra, com a doçura da Helen e a lealdade do West... Só não fiquei muito fã do Winterbone, mas pode ser que esse "ódio" vire amor rsrsrs



A relação de Devon e Kathleen é bem gostosa, mas acho que ela poderia ter sido mais explorada, acabou que o romance deles foi dividido com outras coisas, mas nem por isso foi ruim, aliás eu achei ótimo conhecer todas as estratégias e negociações para reerguer a fazenda.

A narrativa da Lisa é deliciosa, cheia de romance, detalhes na medida certa, cenas de amor de tirar o fôlego e envolvente. Assim que a gente acaba a leitura, já quer ler os próximos livros. Os personagens, tanto principais quanto secundários, possuem personalidades fortes e marcantes e isso para mim é uma das melhores coisas da história.



Apesar de ter gostado deste livro, sinto que ele foi o abre alas da série, que a melhor parte é conhecer os personagens que neste livro foram visto apenas como secundários.



site: http://www.tresleitoras.com.br/2018/06/resenha-um-sedutor-sem-coracao.html
comentários(0)comente



Mila - @sharingbooks2 13/07/2018

"Como já testemunhara a dor que as pessoas podem infligir a quem amam, não tinha o menor desejo de fazer o mesmo com ninguém"

Um acidente deixou Lady Trenear viúva, apenas três dias após seu casamento. Algum tempo depois dessa fatalidade, o primo de seu marido vem assumir a herança, inclusive a propriedade em que ela e as cunhadas vivem. Quando Kathleen conhece o novo conde, logo percebe que ele não passa de um patife, contudo ela vai descobrir que ele é muito mais do que imaginou à primeira vista. Devon Ravenel herdou um condado e com ele muitas responsabilidades. Criados e arrendatários passaram a depender de suas decisões, assim como suas três primas e a viúva do primo que moram em sua propriedade. Seu primeiro instinto é fugir e simplesmente vender tudo, mas logo ele vai perceber que não é uma decisão tão fácil, assim como não será fácil resistir a atração que sente por Kathleen, a viúva de seu primo Theo.

"Ele é como uma grande árvore projetando uma sombra sob a qual as menores não conseguem se desenvolver"

Os dois protagonistas dessa história tiveram uma infância difícil, sem muito amor paterno. E isso reflete bastante nas pessoas que se tornaram e no que almejam pra suas vidas. Kathleen é uma protagonista muito forte, que não tem medo de lutar pelo que acredita. Gostei muito da forma que ela se impõe, apesar de achar que liga demais pras regras da sociedade e me incomodar um pouco com isso (mas como eu disse, isso tem relação com a forma como ela foi criada). Já Devon, tem o famoso temperamento problemático da família, o que o faz passar dos limites em alguns momentos e também chateia um pouco. Ele toma umas decisões bem controversas, enquanto eu gostei bastante de umas discordei totalmente de outras.

" - Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada"

A relação deles também me dividiu. Adorei os conflitos iniciais, aquela troca de farpas bem divertida. Em um momento, eles se comunicam por cartas, o que deixa a leitura bem fluída, gosto muito quando o autor usa esse recurso nas histórias. Mas depois achei que tomou um rumo rápido demais e Devon teve umas atitudes irritantes. Sendo bruto demais em certos momentos.

"Há momentos na vida em que todos temos que suportar o insuportável"

Uma coisa que amei nessa história é que realmente conhecemos os personagens secundários. Devon tem um irmão mais novo: Weston. Gostei muito dele e da amizade cúmplice que ele constrói tanto com a viúva quanto com suas primas: Helen, Cassandra e Pandora. Helen é a mais serena da família, enquanto Cassandra e Pandora são pura confusão. As gêmeas também vão trazer muito humor pra história, por causa de suas personalidades bem peculiares, nada condizentes com o esperado para damas na época.

"Você é um manipulador desavergonhado, Weston Ravenel. Ele deu um sorrisinho. - Eu sabia que você concordaria".

Outro ponto positivo foi a apresentação dos protagonistas do próximo volume, que vai contar a história de Helen e Rhys Winterborne. Começamos a conhecer eles aqui, o que foi muito legal. Me vi desejando a parte em que os dois interagiam. A impressão que tive com ambos personagens é que eles têm muito mais dentro de si do que permitem que os outros vejam, o resultado é que já estou louca pra me aprofundar na história deles. Infelizmente " Uma noiva para Winterbone, segundo volume da série, está com previsão de lançamento só pra Julho de 2018.

"Não se pode permitir que um homem faça as coisas a seu modo o tempo todo..."

Lisa Kleypas tem uma escrita muito cativante, te prende até a última página! Gostei muito do inicio da interação dos protagonistas mas depois algumas coisinhas me incomodaram, por isso, essa nota. Mesmo assim foi uma boa leitura, amei os outros personagens e o humor nessa história. Vale a pena!

site: www.sharingbooks.com.br/ @sharingbooks2
comentários(0)comente



Carol Santos 08/07/2018

Romance de época maravilhoso!
Depois de uma sequência de livros medianos de romances de época, tinha-se um bom tempo que não me apaixonava tanto por uma família como aconteceu com Os Ravenels. Começou-se com pé direito a coleção que certamente terá maravilhosos capítulos pela frente.

Kahtleen acaba de ficar viúva. Casada por menos de uma semana, ela vê o libertino Devon Ravenel herdar tudo deixado por seu marido. Com a propriedade afundada em dívidas, e sem a mínima vontade de querer herdar algo que lhe dê trabalho, Devon pensa em vender tudo e acabar com a responsabilidade que a propriedade exigia. No entanto, ele verá que o local reserva mais do que problemas quando conhece a viúva do seu primo, Kahtleen, e suas irmãs. Atraído por esse grupo nada comum, ele acaba adquirindo sentimentos por uma delas e verá que às vezes se render ao amor traz benefícios.

Não imaginava que existiria outra obra da autora que chegasse aos pés da série Os Hathaways. Se essa família for tudo que encontramos e esperamos no primeiro volume, teremos uma outra excepcional série. Lisa Kleypas sabe trabalhar e dar vozes aos seus personagens de uma maneira tão distinta, que conseguimos imaginar suas características tanto físicas quanto comportamentais com claridade. Ela desenvolve este tópico no enredo de uma forma simples, que é difícil você não rir, chorar e sentir as adversidades que cada um perpassa.

Temos um enredo que constrói o casal, ao mesmo tempo que nos introduz em um ambiente que se estenderá por alguns outros volumes. Geralmente quando se tem um grupo grande de pessoas, a dosagem entre os dramas do par principal e em conhecer o papel de cada um, acaba sendo excedida. Aqui não: simultaneamente que os protagonistas estão se aproximando, os outros estão sendo elaborados. A forma como é inserido esses elementos, deixa qualquer leitor de queixo caído, e dá a fluidez da história — você não se cansa de ler porque a cada novo capítulo teremos algo diferenciado do anterior. E sendo desta maneira, nos cativa logo nas primeiras páginas.

"Devon se virou, apoiou as costas na parede de painéis de madeira e tentou compreender o que estava acontecendo com ele. Uma terrível sensação de euforia o invadira. Sentia que sua vida dera uma guinada da qual não havia retorno." pág. 61

Um dos maiores pontos positivos foi termos reviravoltas não esperadas. Em um ambiente que realizei tantas leituras — acredito que domino um pouco os assuntos recorrentes — fiquei surpresa em ver escolhas de caminhos que não perpassaram pela minha cabeça. A tensão maior e o que tornará-se o empecilho do amor cai na obviedade, entretanto o modo como o drama será desvelado é algo que não se espera. Ótimo recurso utilizado na escrita.

Falando dos personagens, tenho ressalvas para se fazer com relação ao Devon. Um personagem masculino com temperamento forte, aos poucos mostra ser outra pessoa além da fachada exibida. Considerado um grande libertino, com problemas no passado que o faz não amar ninguém, faltou algo que conquistasse. Faltou expandir maiormente quais eram seus receios e medos na vida. Saímos sem saber muito sobre seu passado, mesmo acreditando na importância e influência direta que teve na personalidade atual. Não é algo substancial que mexe com a obra, mas senti falta da explicação.



Diferente dele, Kahtleen é tudo que esperamos de uma mocinha de época: condiz com as regras e medos da sua época, além de ter uma ousadia que dá um tom altivo dentro do exemplar. Também tenho alguns pontos a criticar com relação a ela — ligado na questão de atitudes — porém ela foi maravilhosa em todo decorrer. Temos a medida certa do sexo frágil com empoderamento.

Na minha opinião, uma das melhores ambientações que já li em enredos de época pertence a Lisa Kleypas, e em Um Sedutor Sem Coração não foi diferente. A preocupação da autora em inserir a visão mais próxima possível do que esperamos em costumes, vestimentas, locais, é notório. Aparentemente não encontrei nenhum erro atemporal que fosse saltantes aos olhos, o que é ótimo pois demonstra que o plano de fundo é bem trabalhado. Fora a leveza que nos é exposto. Os livros dela nunca trazem uma carga dramática alta, contudo ainda assim conseguimos nos angustiar e preocuparmos com os acontecimentos. Um carrossel de emoções no bom sentido — rimos, choramos, damos altas gargalhadas, depois choramos de novo e assim vai.

"— Porque eu me conheço. E conheço você o bastante para ter certeza de que jamais ia querer magoar mulher alguma. Mas você é perigoso para mim. E quanto mais tentar me convencer do contrário, mais óbvio isso se tornará." pág; 207

De uma forma geral, saio encantada pela família, feliz com o encontrei e ansiosa para os próximos. É um romance de época que mistura um pouco daquele conto de fadas que é se apaixonar, além de trazer as características que esperamos do gênero. É uma obra para passar a tarde com comédia, atrapalhadas de uma família, tendo pontos específicos de tensão e angústia. Arrisco a dizer que talvez seja uma das melhores séries lidas. Recomendadíssimo!

Na parte física, me admirei com as capas. Fora do tão conhecido "padrão" do gênero, a Arqueiro inovou e acertou nas escolhas. Tendo um olhar aguçado sobre a opinião das leitoras atualmente, com certeza teremos só ótimas opções pela frente. Particularmente amei e a cada sucessor só melhora. No conteúdo, a diagramação é a padrão usada pela editora, sem nenhum erro ortográfico ou de revisão nítidos. A narrativa é feita em terceira pessoa pelo dois pontos de vistas.

Por um milagre que não vai acontecer novamente ao ano, participei de um sorteio e ganhei o volume II, com isso posso e darei continuidade na série assim que possível. A construção do romance é de pessoas que conhecemos, e eu tenho grandes expectativas sobre — os considero como protagonistas favoritados. Teremos resenha de Uma Noiva para Winterborne em breve! Espero que tenham gostado!

site: https://diariasleituras.blogspot.com/2018/07/resenha-um-sedutor-sem-coracao-lisa-kleypas-os-ravenels-editora-arqueiro.html
comentários(0)comente



Quel @queliivro 01/07/2018

#ResenhaQueliivro
Devon Ravenel acabou de herdar unem condado. Junto com o condado veio as responsabilidades, as dívidas (que são muitas, diga-se de passagem), três irmãs do antigo Conde e Kathleen, a viúva do antigo Conde.
Kathleen é uma dama em todos os sentidos e regras que a sociedade impõe. Está vivendo o seu luto conforme a etiqueta manda, até conhecer Devon.
De início ficou claro para ambos duas coisas a determinação e a atração.
E no meio disso Kathleen está se perguntando: sera se envolver com Devon é a coisa certa a se fazer?
.
Quero começar a resenha dizendo que eu gostei da Kathleen e entendi o motivo das ações dela e da forma como ela agia. Para mim a criação influenciou ela muito, e o senso de dever gritava dentro dela.
Quanto ao Devon, gente na onde esse homem é sem coração?? Sem coração fiquei Eu, que entreguei o meu para Ele! Gostei muito dele, aquele mocinho que só tem o ar de ser mal, mas no fundo é doce. Pois bem, assim é o Devon!!
Quanto as irmãs do falecido Conde, prefiro falar delas, cada uma em seus respectivos livros. Eu esteja realmente curiosa para conhecer mais a fundo a doce Helen, a sincera Pandora e a espivitada Cassandra.
Que sou fã assumida da autora não é novidade. E confesso que estava com saudade dos livros dela e da forma como ela conduz a história, porém preciso dizer que achei o final corrido. Fiquei meio perdida, mas ansiosa pelo próximo porque esse deixa uma super ponta!
Por falar em próximo livro, já quero viu!! Estou bem curiosa!!
É isso pessoal, beijos e até a próxima!!

site: https://www.instagram.com/p/BgwQ5eygEF5/?tagged=resenhaqueliivro
comentários(0)comente



119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |