Um Sedutor Sem Coração

Um Sedutor Sem Coração Lisa Kleypas




Resenhas - Um Sedutor Sem Coração


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Rayane Colomes 05/02/2018

Ansiosa pelo proximo...
Bom, o que dizer desse livro que inicia a nova serie da Lisa Kleypas?
O livro conta a historia de Devon que herda o titulo e as terras eeee muitas dividas, alem de tres primas solteiras com idade de casar...E Kathleen, viuva do antigo conde, que a principio poderia ser considerada fria, mas com o decorrer acabo convencida de que diante dos pais e do antigo marido, ela tinha todos os motivos pra ser assim.
O romance vai se desenvolvendo e é bacana de ler, achei fofinho as cartas que são trocadas, até mesmo com West, irmao de Devon; queria até que tivessem mais....
A principio, não gostei muito do protagonista, Devon. Ele nao me agradava e tive vontade de soca-lo algumas vezes...
Mas com o passar das paginas, ele foi amadurecendo e se tornando um homem cheio de responsabilidades. Não é como aqueles mocinhos que nos fazem suspirar, na verdade acho ele bem realista. Mas isso nao é ruim...Porém, PODE CONTER SPOILER: mesmo depois de achar que ele tinha mudado, ele ainda pisa na bola algumas vezes com algumas atitudes que me deixam um tanto quanto nervosa.
Os personagens secundarios sao apaixonantes, as irmas Ravenels, West, adorei todos eles!
Achei bacana o modo como a familia vai se conectando, gosto desse universo que a autora cria em torno da familia, assim como aconteceu com os Hathways e mal posso esperar pela historia dos outros Ravenels... Tambem gostei como o romance entre Devon e Kathleen se desenrola, não é rapido e gostei do jeito que se desenvolveu. Ela tem uma personalidade diferente e sofreu durante a vida, foi "abandonada" pelos pais e teve a infelicidade de se casar com Theo, que morreu e pelo visto não foi lá uma grande perda....

Porém, não é aquele romance fofo,apaixonante, em que o mocinho e a mocinha nao podem mais ficar um sem o outro...

Achei a história bem diferente em alguns aspectos, do tipo que nao da a sensação de ja ter sido lido antes...A unica coisa que nao gostei, foi o epilogo...Fiquei com um gostinho de quero mais e a sensação de poderia ter rendido mais algumas paginas..

PODE CONTER ALGUNS SPOILERS:
- Achei que com o passar do tempo Devon iria acabar se mostrando um mocinho mais apaixonado, principalmente depois do acidente de trem....mas tem duas vezes que a atitude dele deixa a desejar e dá uma certa irritada...principalmente quando a mocinha descobre que pode estar gravida e ele tem uma conduta nada cavalheiresca...
Nesca 05/02/2018minha estante
Ai fiquei desanimada depois da sua resenha, amo os mocinhos apaixonados


Rayane Colomes 06/02/2018minha estante
Tambem amo os mocinhos apaixonados! Pelo que eu tava pesquisando o Devon é um dos mocinhos que o pessoal menos gostoy :/


Kelli 07/02/2018minha estante
Mas parece que essa série só melhora ao decorrer, com os outros livros. Louca pra ler esse e os outros. É Lida, to dentro rs....autora maravilhosa. Parece que o terceiro vai contar a história do filho de St.Vincent e Evie de
"Pecados no inverno" da série As quatro estações.


Kelli 07/02/2018minha estante
*É Lisa


Yara 07/02/2018minha estante
undefined


Rayane Colomes 07/02/2018minha estante
então eu ouvi falar isto tbem....nao é um livro ruim, nada disso, afinal é a Lisa... e os personagens secundarios sao cativantes...


Joyce Oliveira 10/02/2018minha estante
Manda inbox quais são as pisadas de bola dele? :)


Caroline Fortunato 17/02/2018minha estante
Mas sabe que eu gosto disso? As vezes as autoras dão uma "abobada" no mocinho, sabe? Tipo, o cara é rígido e tal e depois que se apaixona vira uma manteiga derretida. Gosto mais quando eles mantêm suas personalidades (ainda que isso seja irritante as vezes) porque na vida real é bem assim, não? Só me lembro do Wulfric Bedwyn (amo demais esse personagem!); ele não mudou nada.

Enfim, achei o livro meio novela da Globo, cheio de núcleos bem distintos e personagens bem interessantes. Também estou muito louca pra ler o segundo. Espero que a Helen seja transformada numa domadora de leões bem ao estilo da Phaedra Blair (adoro!).


Beijão!


Caroline Fortunato 17/02/2018minha estante
Meninas, desanima com o Devon não. Ele é fofo do jeito dele. Super paciente com a família e com a situação. Vale a pena ler o livro porque desperta sentimentos na gente.


Jacqueline 20/02/2018minha estante
undefined


Gabriele 22/03/2018minha estante
Dei 5 estrelas mas não marquei como favorito...concordo com você(em algumas horas a mocinha me irritou kkkk)




Ana @thelastfewpages 16/05/2018

Esperava mais de um casal escrito pela Lisa Kleypas
Ao saber que herdou um condado a beira da falência, a última coisa que Devon Revenel deseja é ter a responsabilidade de colocar a casa nos eixos e cuidar de suas três primas. Mas quando ele conhece Kathleen, a viúva de seu primo, Devon decide seduzi-lá. No entanto quanto mais o jovem conde tenta conquista-la, mais Kathleen se esquiva.
Quando Devon decide, enfim, tomar as suas responsabilidades como conde, ele vai perceber que talvez esse não só seja o melhor caminho de conquistar a jovem viúva, como também o respeito de sua família.

Depois de Os Hathaways, saber que Lisa Kleypas iria ter mais uma série com uma família como protagonistas, me animou bastante.
É um fato que Lisa gosta de trabalhar com grupos de personagens. Dar a eles suas próprias características e ir trabalhando com eles desde o início da série. E mais uma vez eu vi isso nesse livro.

No entanto, porém, não pude dizer o mesmo sobre o romance. A relação entre Kathleen e Devon foi fraca e desinteressante. Os dois brigavam demais e, na minha opinião, não tinham química. Senti muita falta da paixão e da sensualidade que são tão presente em outros casais da autora.

Mas enquanto o casal não me conquistou, não posso dizer o mesmo quanto aos personagens secundários. West me ganhou completamente! Eu simplesmente adoro ver a evolução que a autora dá aos seus personagens, e a de West foi possível ver ainda nesse livro. As gêmeas tinha uma peculiaridade que adoro, trazendo um ar mais cômico pros diálogos no livro. Mas a que me deixou mais curiosa foi Helen, e espero ver que caminho a história dela vai seguir no próximo livro.

Em Um Sedutor sem Coração, Lisa Kleypas nos apresenta uma nova família, com personagens distintos e que prometem nos trazer boas histórias. Estou ansiosa para a próxima!

“Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada.”
Kelli 21/05/2018minha estante
Concordo com vc, adoro a Lisa mas esse casal não convenceu. Ambos sem carisma e simpatia. Não vi química tbm. Torcendo pros próximos serem maravilhosos.




Cris.Paganini 11/02/2018

Só sem coração para aguentar a mocinha!
Fui com muita sede ao pote, e ele quebrou...

Amei todos os romances da Lisa Kleypas, até agora... este deixou a desejar, é um bom livro, mas está longe de ter a magia dos demais.

A mocinha é uma chata, parece mais uma tia velha reclamona, mandona e rabugenta, e isso não funciona neste tipo de romance, pois para dar certo, nós devemos querer ser ela e ninguém quer ser uma chata.Não me interpretem mal, não gosto de mocinhas bobas e submissas, elas precisam ter personalidade, bom humor e carisma, coisas que faltaram à Katheen.

Quanto ao sedutor, ah! ele sim! Sarcártico e com tiradas ótimas, merecia uma parceira bem melhor.

A história secundária é melhor que a dos protagonistas, justamente por causa da outra mocinha!

Mas.. a série promete, terminou com gosto de quero mais, estou ansiosa pelo próximo, pois tenho fé na Lisa!!
Taz 19/02/2018minha estante
PIOR livro da Lisa!!!
Eu até quis ser a Kathleen para ficar com Devon, mas que essazinha me irritou, ixi se irritou...
Romance de Helen e Winterborne parece que vai ferver!,né?

Abraço! ;) ;)


Cris.Paganini 19/02/2018minha estante
Ufa! Que bom que alguém concordou comigo!!! Ela é uma mala!!!!
Acho que o da Helen será otimo!!! Bj


Dea 22/02/2018minha estante
Todo mundo que leu, está falando a mesma coisa. Valeu a resenha.


Cris.Paganini 22/02/2018minha estante
Mas o que eu não entendo é a classificação alta..


Dea 23/02/2018minha estante
Cris, sinceramente acho que são fãs da Lisa. Porque as que vi que leram e que são pessoas que amam romances de época, não avaliaram bem não. Falaram que é o pior livro dela. Não li, então não posso opinar de fato. Mas quando der vou ler e comentar com vocês minha opinão.


Cris.Paganini 23/02/2018minha estante
Combinado!


Simone Rodrigues 08/03/2018minha estante
Colega! Senta aqui é vamos conversar! Que mocinha chata pra cacete! Eu AMO os livros da Lisa tenho TODOS(lançados no Brasil), mas que bosta de protagonista foi essa?! Gente ela é chata, é insuportável tenho pena do Devon e de todos que ficam ao redor dela! Vamos aguardar q os próximos seja melhor que esse!


Cris.Paganini 08/03/2018minha estante
pois é Simone, eu estava achando que só eu achei ela uma mala porque todo mundo tinha achado o livro maravilhoso, fico feliz em ver que não estou só! Acho que os próximos serão bons.


Vanessa Motaa 10/03/2018minha estante
Concordo! Mulher mais chata do Cão! O Devon e West estão segurando a história


Cris.Paganini 10/03/2018minha estante
Né Vanessa? Mulher insuportável!


Nilceia.Fernandes 26/03/2018minha estante
Apesar da chatice da Katheen, o livro é interessante. Sai do comum, do certinho. Muda um pouco. Depois de ler muitos romances históricos fica uma impressão de que já vimos tudo. Desta vez foi diferente e gostei!! Mas que ela é chata, é sim!




Renata Izandra 20/02/2018

Bonzinho
Achei o livro bem mais ou menos. Tipo, eu gostei do Devon, e da mocinha, mas não sei, achei o livro bem normal, acho que eu criei expectativa demais (comprei na pré-venda e tudo) e não foi isso tudo. Definitivamente a série Estações é muito melhor, mas também tô falando com base só no primeiro livro. Acho que vou gostar mais do próximo, com a Helen e o Winterborne, e o livro da Pandora, que não sei qual é.
Carol 26/02/2018minha estante
É o 3, e ela faz parte com Gabriel, filho do Sebastian e Evie de pecados de inverno.


Nilceia.Fernandes 26/03/2018minha estante
Carol, como consigo ler sobre os demais livros?




Fabi 09/06/2018

O LIVRO NÃO É RUIM. MAS FALTOU CARISMA EM RELAÇÃO AO CASAL PRINCIPAL
''- Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada.''

Lisa Kleypas para mim, é a única que compete com a Julia Quinn em relação a romances de época. Seus livros sempre são engraçados e com casais que amamos desde a primeira página. Como não se apaixonar pela série As quatro estações do amor ou a série Os Hathaways? Impossível minha gente!
Eu amei ler estas duas séries e quando vi que a Editora Arqueiro estava lançando mais esta série aqui, fiquei ansiosa para ler.
Devon Ravenel junto com seu irmão sempre viveram uma vida sem preocupações. Eles viviam atrás de um rabo de saia e uma boa bebida. Nada mais que isso. Porém, a vida de Devon irá mudar quando ele souber que herdou um condado. E junto com este condado, vem um pacote completo: dívidas, preocupações e ainda a viúva de seu primo, junto com as três irmãs do falecido.
Ele logo decide que vai vender a propriedade e se livrar dessas preocupações que antes não tinha. Isso acarretará uma discussão com Kathleen, a viúva que escuta Devon mencionando o que vai fazer e fica irritadíssima. Ela é diferente das outras damas, com sua personalidade que enfrenta quem estiver na sua frente. E neste momento é o libertino Devon.
Kathleen fica dando sua opinião quanto ao que Devon deve fazer e acaba por convencendo Devon a assumir o condado junto com suas dívidas. A mocinha por querer ficar dizendo o que ele deve fazer, acaba por ter mais discussões com ele. E essas discussões mostram cada vez mais, o quanto os dois se sentem atraídos um pelo outro.
Entretanto, Kathleenn não quer entregar seu coração ao libertino, ainda mais que ela está vivendo seu período de luto. E é esta luta interior que ela terá que sofrer, pois Devon fará de tudo para tê-la para si.
Agora vamos ao que eu achei sobre o livro. Olha dessa vez não cheguei a sentir raiva da protagonista. Até compreendi o lado dela, não querer se envolver com Devon, por saber que ele não quer constituir família e ainda mais sobre pensar o que a sociedade acharia se por acaso soubesse que ela já esta se envolvendo com alguém depois de pouco tempo ter perdido o marido. Por aí tudo bem. O problema principal que achei neste livro foi o fato de o casal não ter carisma.
Eles não te enchem os olhos. Devon não é aquele mocinho literário que te faz cair de amores. Longe disso. Em muitos momentos ele foi um canalha em minha opinião. Quando você pensa que ele vai se ajoelhar aos pés da Kathleen e pedir que ela case com ele, o sujeito me vem com aquela proposta descarada. A mocinha também não foi para mim uma heroína também não. Achei-a muito rabugenta e que foi manipulada facilmente por Devon. Aceitou facilmente a proposta dele.
Então o que salvou o livro? Os personagens secundários. As gêmeas, West, e o começo de romance de Helen e Rhys Winterborne. As cenas que eles apareciam para mim eram tudo. Helen e Rhys já me conquistaram e conseguiram ofuscar o casal principal! Queria muito mais deles, mesmo sabendo que o foco não eram eles haha.
Se recomendo Um libertino sem coração? Sim. Não é o melhor livro da Lisa, mas leia para já conhecer Helen e Rhys Winterborne, o casal que já tem um lugarzinho no meu coração. =)
Cris.Paganini 09/06/2018minha estante
Eu fico feliz quando vejo que não estou sozinha sobre este livro... Também achei que o casal secundário salvou o livro.


Vivi 09/06/2018minha estante
Helen e Rhys se destacaram muito mais, na minha opinião. Já estou ansiosa pelo livro deles...rs


Cris.Paganini 09/06/2018minha estante
Concordo Vivi! Não vejo a hora de ler!


Rayane Colomes 09/06/2018minha estante
sim gente, senti a mesma coisa. eu gostei muito mais do livro deles, e estou ansiosa pelo da pandora. tambem gostei mto do west....


Cris.Paganini 09/06/2018minha estante
Rayane nao encarei o livro em inglês e agora conto os dias.. rs


Rayane Colomes 09/06/2018minha estante
Pois vale mto a pena. Eu adorei. Vou ate reler quando sair em portugues


Fabi 10/06/2018minha estante
Meninas tb n vejo a hr de ler o livro da Pandora. Já que seu par amoroso será o filho da Evie com o Sebastian. S2


Cris.Paganini 10/06/2018minha estante
Toda vez que eu começo a ler uma coleção cujos livros ainda não foram lançados, me arrependo.. é muita sofrência esta espera. rs


Fabi 10/06/2018minha estante
E como é Cris. *choro*


Cris.Paganini 10/06/2018minha estante
hahahaha tamo juntas Fabi




Fabiana.Martino 28/03/2018

Apesar das ressalvas que ouvi a respeito dessa história, a leitura me agradou. A escrita da autora, como sempre, foi impecável. Descreveu a época com realidade, já focando na mudança da era aristocrática com a introdução das fábricas na Inglaterra. Para mim, o foco da história toda foi a propriedade Eversby, que estava praticamente falida assim que Devon, o mocinho, assumiu o condado, com a morte de seu primo. Esse foco é o que fez tocar o relacionamento do casal em questão no livro todo: Devon e a viúva Kathleen. De início trocam muitas farpas, mas todas elas por questões familiares e por causa da propriedade. Em nenhum momento achei as discussões tolas ou infantis. Elas foram necessárias. O mocinho era desbocado e impetuoso mas a mocinha não era de levar desaforo. Sabia responder à altura. Ambos de personalidades fortes, mas que aos poucos foram desenvolvendo uma forte atração e paixão. Por ser a primeira história da série, a autora fecha com chave de ouro, levantando uma forte questão que será desenvolvida no segundo livro (confesso que estou muito curiosa...) Não posso deixar de comentar que, em muitos aspectos essa história me lembrou por demais a outra série da autora: os Hatways. Se é uma história top de linha, que faz com que vc pare de ler tudo pra ler essa agora? Não, não é. Mas, se eu recomendo? Sim, recomendo. Ainda mais para quem é fã da autora.
comentários(0)comente



Gisele 20/04/2018

Casal sem Química.
O livro é bom no todo, mas esse casal protagonista pelo amor de Deus. Aff.. Gostei bem mais das partes do West. E estou muito curiosa para saber como vai se desenrolar a historia da Helen. (Ela é muito fofa).
Bia 30/04/2018minha estante
Finalmente alguém que me entende kkkkkk.
Cheguei a pular várias cenas do casal protagonista pq queria ir para o próximo personagem.


Gisele 01/05/2018minha estante
Eu estava cheia de tédio. Eles são muito chatos. Kkk.




Kelli 15/04/2018

Os personagens secundários salvaram o livro
Nota: 3,5

Primeiro preciso dizer que sou super fã da Lisa Kleypas e que adoro seus livros. Tanto os de época quanto os contemporâneos. E que tenho muitos dos seus livros como meus favoritos. E como já vi em muitas resenhas por aí, de fato a trama lembra muito os Hathaways. Mas só lembra mesmo. Porque aquela série, e aquela família é ÚNICA. Quem não leu não sabe o que está perdendo.

Tenho umas ressalvas pra fazer mas primeiro tenho que dizer que amei todos os personagens secundários. Pra mim o melhor do livro foram eles. Cassandra, Pandora, Helen, West e os bichos de estimação foram um show a parte. Renderam momentos maravilhosos e divertidos. Como amei conhecer todos eles.








PODE HAVER ALGUM SPOILER
O problema foram os personagens principais mesmo. Entendam, a escrita da Lisa continua fluida e maravilhosa. Mas achei que faltou carisma, simpatia aos mocinhos. Primeira vez que não suspiro por um mocinho dela e ele nem foi quem menos me agradou. Quem de fato me irritou e que não consegui gostar de jeito nenhum foi a mocinha Kathleen. Sabe, não vou escolher palavras. Achei ela uma chata mesmo. Chata, ranzinza, mal humorada, antipática. Não teve um diálogo em que ela fosse agradável. Sempre reclamando de tudo. Não pode isso, não pode aquilo, isso não é respeitável e por aí vai. E as farpas com o Devon não foram nada espirituosas na minha opinião. No início até que foi mas depois foi ficando enfadonho e irritante tanta briga e discussão entre os dois. Pra mim eles não se encaixaram, não deu liga, não rolou, não combinou como casal. Pronto falei. Aquele ditado que diz que "dois bicudos não se beijam" encaixa perfeitamente aqui. Achei os dois frios, racionais ao extremo, sem emoções mesmo. Pra mim o "sem coração" do titulo serve para os dois. Não só o mocinho, Devon. E o romance entre eles pra mim se resumiu a pura atração física e embora a Lisa capriche nessas cenas e na tensão sexual entre o casal. Gosto de sentir o amor nascendo entre os mocinhos e passei o livro todo tentando sentir isso e não senti. Não suspirei, não senti emoção alguma entre eles. E isso me frustrou.

Aqui a autora já introduz o casal do próximo livro e até as poucas partes desse casal envolvem mais que o romance central.
Depois de tantas ressalvas até parece que odiei o livro né. Mas não. Vale sim a leitura. Pra quem não leu nenhum livro da autora pode até gostar e amar esse. Mas quem já conhece as preciosidades da Lisa como os Hathaways e As quatros estações pode se decepcionar, assim como eu. Porque na minha humilde opinião esse é o livro mais fraco que li dela. Espero que os outros sejam melhores. Porque sei que ela é capaz de fazer mais do que isso. Ela é capaz de criar personagens lindos e apaixonantes e histórias mais lindas ainda que nos fazem suspirar por dias, meses, anos e uma vida inteira.
Talvez vc leia e não ache nada disso. Afinal, essa foi minha opinião e senti muita necessidade de expressá-la aqui. Precisava desabar. Mas assim, como eu não faço. Também não aconselho a deixarem de ler um livro por causa de algumas ressalvas ou resenhas negativas. Ler, tirar a dúvida, deixar a curiosidade (se houver) vencer é a atitude mais correta. Você pode ter uma opinião diferente da minha. E não tem nada de errado com isso. Apenas gosto. E repito o livro não é ruim mas pra mim ficou muito aquém de outras obras da autora.

Se recomendo?
Claaaaaro!
West, Pandora e cia roubam a cena legal. E só por eles vale a pena ler o livro ;)
Aline 21/04/2018minha estante
Amei sua resenha! Também sou fã da escrita da Lisa. Qualquer dia, lerei esse; pelo jeito não vou gostar tanto, mas será necessário para os próximos livros desses personagens secundários que cativaram a maioria por aqui.


Kelli 22/04/2018minha estante
Obrigada, Aline.
E sim, o romance infelizmente não me cativou como outras obras da autora. Uma pena. Mas vale a pena sim, dar uma chance. Ah, os personagens secundários são maravilhosos mesmo!
Bjos :)




LBL 21/04/2018

Lindo!
Amei o livro! O Devon é realmente um personagem difícil, que não fica menos difícil quando se apaixona pela Kathleen. Assim, o livro não tem aqueles mimimis melodramáticos. A Kathleen é bem pragmática e tb não fica muito presa no passado. O livro traz o romance de Devon e Kat de pano de fundo, mas trata muito mais de toda a família, o que achei bem legal. E a história já traz o início do romance entre Helen e Rhys, o que me fez começar o próximo da coleção assim que terminei este. Amei!
comentários(0)comente



C. Aguiar 19/03/2018

Devon Ravenel é um charmoso libertino de Londres que acabou de ganhar um condado. Após a morte de seu primo Theo, o título de Conde passou a ser de Devon, mas ele nunca quis nada disso.
Agora ele terá de lidar com uma propriedade que está basicamente caindo aos pedaços e com as quatro mulheres que habitam nela, ou seja, muitos problemas.
Devon nunca foi responsável, ele prefere viver uma vida de prazeres e completamente desregrada. Sua única vontade é vender toda a propriedade e ganhar um bom lucro com isso. Então ele e seu irmão partem em uma viagem para conhecer suas novas posses.

O novo Conde acaba manifestando seus pensamentos em voz alta sobre vender a propriedade, o que irá causar um sério transtorno para as pessoas que trabalham, moram e dependem daquela propriedade.
Quem escuta tudo isso é Kathleen - a viúva de Theo - e irritada pelo modo como o Conde iria agir naquela situação, os dois acabam discutindo.

O problema é que Devon sente-se atraído pela beleza de Kathleen, mas isso não o impedirá de vender a propriedade, não é mesmo? Se ele fizer isso muitas pessoas não terão onde morar e ele estará dando as costas para suas primas, as garotas foram privadas de uma vida em sociedade e nunca debutaram.
Sem contar que as pessoas que trabalham na propriedade não precisam ser jogadas na rua, elas precisam de ajuda e que as promessas que foram feitas anteriormente - pelo antigo Conde - sejam cumpridas.

Kathleen ficou casada apenas três dias com Theo e sente-se completamente responsável pela morte do marido. Se ela não houvesse discutido com ele, o mesmo ainda estaria vivo e isso a martiriza todos os dias.
Devon e Kathleen começam a conviver um com o outro e a medida que o tempo vai passando a atração entre eles é enorme. Mesmo com a distância e as brigas, os dois não podem negar que existe um sentimento forte crescendo entre eles.

O problema é que a família Ravenel é feita de pessoas teimosas e com comportamentos explosivos, e por isso Devon mesmo querendo ficar com Kathleen é completamente cabeça dura e não irá firmar uma família. Ele nunca quis casar ou ter filhos e Kathleen percebe isso nele, ela sabe que ficar com ele só irá trazer dor. Por isso, se eles quiserem ter algo terá de ser nos termos dela.
O casal tem diversas conversas engraçadas apesar de discutir muito e como sempre a autora me surpreendendo com a sua escrita.
Kathleen foi negligenciada pelos pais que achavam-na um completo estorvo. Teve uma criação cheia de regras que a impedem de viver sua vida de forma plena, mas talvez Devon consiga quebrar essa barreira.

Gostei de ver personagens falhos que vão crescendo ao longo da leitura. A autora está de parabéns por todas as reviravoltas que me fizeram suspirar e chorar de emoção.
Os personagens secundários são imprescindíveis para essa história, não apenas para criar um ótimo pano de fundo para toda a situação, mas também divertem com suas personalidades e enriquem a leitura.

É possível saber um pouco sobre o próximo casal que será abordado no segundo livro da série e mal posso esperar para ver como será a história de amor entre Helen e Rhys.
Gostei muito da leitura, recomendo com certeza e espero não me decepcionar com a continuação.
A diagramação como sempre maravilhosa, a capa está adorável e não tenho nenhum ponto negativo para citar.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Mari - Pequenos Retalhos 10/06/2018

Ao contrário das outras leituras da autora, nesse livro me senti bastante envolvida com a história. Acho que uma das principais características que um bom romance de época deve ter é fazer o leitor torcer pelo casal. E acredito que Um Sedutor Sem Coração faz isso, pois você quer que o casal se acerte logo.

Outro ponto é dá para sentir os personagens se desenvolvendo. Em muitos romances, você não vê mudança, mas isso não acontece aqui. Tanto Devon quanto Kathleen aprendem e mudam por conta disso.

site: http://www.pequenosretalhos.com/um-sedutor-sem-coracao-lisa-kleypas/
comentários(0)comente



Taty Assis 21/02/2018

Devon Ravenel acaba de herdar um condado, mas não está nenhum pouco feliz com a herança que Theo, seu detestável primo, lhe deixou. Na verdade, a herança conta com um condado cheio de dívidas, as três jovens irmãs de Theo e sua viúva.

Devon quer vender tudo, afinal, assumir o condado só lhe traria problemas e muitas responsabilidades. Tendo isso em mente ele acaba indo para Hampshire, junto com Weston, seu irmão, para fazer um inventário para posteriormente vender tudo. Só que nada poderia prepara-lo para as coisas que iria sentir ao conhecer Kathleen, a jovem viúva de seu primo.

"Que situação terrível, pensou Devon inconformado. Uma propriedade arruinada, uma fortuna quase no fim e uma mulher que não poderia ter. Kathleen permaneceria de luto por um ano e um dia, e mesmo depois disso estaria fora do alcance dele. Ela nunca se rebaixaria a ser amante de qualquer homem, e, depois do que suportara com Theo, não desejaria nada com outro Ravenel."

Kathleen é jovem, bonita e perdeu o marido com apenas três dias de casados. Com isso acabou tomando para si a responsabilidade de cuidar de Helen, Cassandra e Pandora, suas cunhadas. Kathleen é muito coração e logo trata de se impor a decisão de Devon em vender as terras em Hampshire, afinal, se ele realmente as vendesse, os arrendatários não teriam como sobreviver sem a renda que as terras lhe proporcionavam.

Após alguns dias em Hampshire, Devon acaba decidindo lutar por seu condado. Mas para conseguir lidar com tudo ele contará com a ajuda de Kathleen, e de West. Só que além da ajuda dos dois, Devon precisará de outras alternativas para conseguir manter a propriedade e para pagar as dívidas deixadas por Theo - o que acaba dando gatilho para o próximo livro da série.

Devon e Kathleen se sentem atraídos um pelo o outro, mas ambos têm um gênio muito forte e vivem se desentendendo. Devon sabe que ter Kathleen é algo praticamente impossível, pois além dela ser a viúva de seu primo, ainda tem o fato do decoro sobre o luto. E Kathleen sabe que não pode confiar em um homem como ele, na verdade, ela já havia ouvido rumores que ele era um grande patife, e se envolver com Devon com certeza seria sinônimo de problemas. Só fica a pergunta no ar: até que ponto eles estariam dispostos a ir em nome do forte desejo que sentiam?

"[...] Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada."

Quando li As Quatro Estações do Amor fiquei encantada pela escrita da autora e pela construção de personagens tão apaixonantes, então é claro que as minhas expectativas quanto a Um Sedutor Sem. E pela primeira vez fiquei com medo de não me afeiçoar aos personagens criados pela Lisa Kleypas.

A verdade é que achei o início bem parado e fiquei com receio que o desenrolar da história não fosse instigante o suficiente para me prender, até porque, a Kathleen me irritou demasiadamente, e Devon também teve seus maus momentos. Mas eu acabei gostando e achando a história bem diferente. Nunca li nada parecido e isso acabou despertando a minha curiosidade e me deixando com gostinho de quero mais.

Devon é um homem decidido, determinado e que sabe o que quer. Percebe-se que ele está tentando fazer o melhor para todos, mesmo quando suas atitudes possam parecer um tanto quanto egoístas. Ele é protetor, atencioso, territorial e um pouquinho irritante. E fará o possível para manter seu condado, mesmo que para isso tenha que tomar decisões que não agradará a todos.

Já Kathleen parece aquelas tias ranzinzas que reclamam por tudo. E isso acabou me incomodando, mesmo sabendo que ela estava apenas tentando preservar sua reputação e a reputação de suas cunhadas. Ela desde criança aprendeu a esconder suas emoções, então por isso em muitos momentos aparenta ser durona, tanto é que mesmo quando perdeu Theo, ela não se permitiu sofrer. Só que tudo muda quando Devon chega, já que ele parece despertar o que há de melhor e de pior nela.

Mesmo eles tendo personalidade forte, uma coisa eu não posso negar: Devon e Kathleen possuem uma química incrível, então podem esperar por cenas muy calientes.

No fim acabei gostando do casal, mas eu gostei mesmo foi dos personagens secundários. West se mostrou um homem determinado e divertido; Helen, Cassandra e Pandora são divertidas e espirituosas, e devo admitir que estou muito ansiosa pelos próximos livros para saber como será o felizes para sempre de cada uma.

A edição está impecável, o que já era de se esperar, afinal, estamos falando da Editora Arqueiro. E gente, que capa é essa? Achei muito amorzinho, na verdade, todas as capas da série estão lindas. Já estou ansiosa para ter todas na minha estante.

Recomendo!

site: http://www.aculpaedosleitores.com.br/2018/02/resenha-um-sedutor-sem-coracao.html
comentários(0)comente



Marcela @ler_sim_ler_sempre 27/03/2018

Muito boa
@ler_sim_ler_sempre

Kathleen com 3 dias de casada se viu viúva de Theo Ravenel. E para seu tormento Devon Ravenel, conhecido por ser um libertino, será o herdeiro do condado da família.


Herança essa, que ele estava louco pra se livrar. Com propriedades, viúva, primas e tudo mais. Porém ao se deparar com essa viúva ranzinza e mal humorada algo muda dentro dele.

👑Devon e seu irmão West, a princípio se mostram muito frios e loucos para voltarem para a boêmia. E fugirem da responsabilidade. Porém quando resolvem arregaçarem as mangas Eles se transformam em outros homens. Homens responsáveis e preocupados.


Quero West pra mim ❤ E me apaixonei na relação fraterna q ele criou com Kethleen.


Isso sem contar que amei as gêmeas, Hamlet ( o melhor bichinho de estimação do mundo 🐽) e até mesmo Helen. Que por mais que seja tímida. Foi uma personagem maravilhosa e que provavelmente será a mocinha do próximo livro.

👑Agora vamos ao casal protagonista. Kethleen e Devon foi antipatia a primeira vista. Um detestou o outro de imediato. Porém assim que Devon achou que poderia ter algo a mais debaixo daquele véu e roupas de luto. Ele sentiu necessidade de agrada-la E mesmo se tratando feito cão e gato Aos poucos ele consegue conquista-lá.


Nossa mocinha em questão, não tem muitos fãs Entre os leitores. Mas eu não a vi como uma megera, como muitos a descreveram. E sim uma mulher que foi negligenciada e que teve uma criação e uma infância um quanto tanto difícil e cheia de regras. Porém foi só Devon descobri a fórmula de agrada-la, como todo homem deve fazer para conquistar uma mulher. Que sua confiança e seu amor foram cativados.

👑Enfim, uma história maravilhosa, leve, divertida e rápida de se ler. Que não consegui largar até chegar a última página. Em que me identifiquei com a narrativa da autora e adorei que ela já deu o pé inicial para formação do casal do próximo livro. Instigando a gente a querer logo o outro volume da série .

👑E vcs, já leram ?! Me contem o que acharam

https://www.instagram.com/p/Bg17feYlrXg/

site: https://www.instagram.com/p/Bg17feYlrXg/
comentários(0)comente



Michelle Trevisani 15/05/2018

Lindo!
Amo os livros de Lisa Kleypas! Sempre fico animada quando vejo que há uma coleção nova dela. Os Hethaways é uma das minhas coleções favoritas, e seus livros sempre me parecem ser uma aposta certa.

Um Sedutor sem coração não me decepcionou. Primeiramente, a capa é linda. É bastante elegante. Ainda, o enredo é prazeroso, com uma certa carga de humor, de romance e até de suspense.

Depois de seu primo Theo faleceu após poucos dias depois de ter se casado, Devon Ravanel herda seu condado, tornando-se lorde Trenear, mas, para ele, essa herança inesperada veio como um verdadeiro presente de grego: tinha que pensar no que fazer com as primas e com a viúva, bem como na melhor forma de se livrar das terras falidas e de toda a responsabilidade que, repentinamente, caíram em suas costas.

Quando vai com seu irmão, Wes, ao Priorado de Everby, Devon tem um péssimo começo com a viúva de seu primo, Kathleen, o que indica que as coisas por ali não serão fáceis.

Kathleen é uma moça jovem, bela, que se preocupa verdadeiramente com o futuro de suas cunhadas e com os arrendatários, e também acha importante seguir as regras e as convenções da sociedade. Por isso tudo, a primeira impressão que teve de Devon ligou seus sinais de alerta, pois sabia que não podia contar com ele.

Porém, o acaso faz com que ela tenha que se abrir com ele sobre eventos importantes que sucederam a morte de Theo, e ele sente que está atraído por ela, e ela por ele, e uma relação passa a ser construída a partir daí, aos poucos.

Antes de retornar a Londres, ele comunica a ela que decidiu não mais vender a propriedade, e pede que ela fique na propriedade como responsável pelas primas dele, Helen, Pandora e Cassandra, principalmente pelas gêmeas, que são terríveis, para que possa apresenta-las à sociedade.

Depois de um tempo, ele envia Wes à propriedade, pois precisa de sua ajuda lá, mas o irmão bebe muito, e não é de muita ajuda. Contudo, Kathleen, com uma fala bem direta, acaba fazendo com que Wes mude de vida, e nem o próprio irmão o reconheça.

Leia o restante da resenha no meu blog >> LIVRO DOCE LIVRO

site: https://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/2018/05/resenha-um-sedutor-sem-coracao-de-lisa.html
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 20/03/2018

Mais uma série de época delicinha, assim fica difícil resistir!
Com a morte de Theo, Devon Ravenel o primo e sucessor recebe de herança o título de conde, um condado falido, 3 primas solteiras que ainda não foram apresentadas à sociedade e de quebra uma viúva que vai abalar seu psicológico.

Assim que Devon chega na propriedade dos Ravenels e vê o lugar basicamente em ruínas, seu primeiro impulso é vender tudo pois junto com o título vêm uma enorme dívida. Mas tão logo conhece as primas e Kath – a viúva – ele se vê na obrigação de cuidar delas e prover seu sustento.
E pra isso ele vai contar com a ajuda do irmão mais novo, West, que vai ter que abandonar a rotina diária de bebidas e assumir responsabilidades. Foi ótimo ver como ele se regenerou durante a leitura, recuperando até mesmo a beleza que ele havia perdido por conta do álcool.

Devon não se mostrou tão libertino quanto pensei, em compensação Kathleen se tornou uma personagem chata e cansativa com o passar dos capítulos. Nada que tenha sido difícil de suportar, mas no início a tensão entre os protagonistas proporcionavam cenas mais divertidas e a leitura até fluiu mais rápido, no entanto com o passar do tempo e quanto mais intimidades ela tinha com Devon mais difícil ela se tornava, ficando parecida com aquelas tiazonas sexagenárias.

Uma coisa que gosto demais nesses romances de época é quando os personagens – principalmente os masculinos – tenham alguma ocupação que não seja marcar presença em bailes e clubes ou mesmo correr atrás das mocinhas.
Gosto quando eles trabalham, quando sua função não seja depender de título. Acho que isso me fez ficar tão fã dos Hathaways, uma família que era engajada e sempre lutou para manter os bens e a união entre eles.
Aqui vemos Devon e seu irmão fazendo de tudo para recuperar o principado e manter os arrendatários, muitas vezes tendo que tomar atitudes mais difíceis. Nessas horas a protagonista mais me irritava, pois batia de frente com ele mas não se colocava no seu lugar.
Essas situações ajudaram para que a leitura não ficasse enfadonha como acontece em alguns livros onde o mocinho não tem mais nada a fazer na vida do que ficar atrás da protagonista.

No geral foi uma leitura gostosa, sem grandes novidades. São situações e comportamentos típicos do gênero e com um finalzinho que te deixa bem ansiosa pelo próximo.
Estou na expectativa pelo romance da Helen com o Winterborne, tem ingredientes para ser melhor ainda que o primeiro.
Não chega a ser um Hathaway mas pra mim esse já foi bem melhor que o primeiro da série "As quatro estações do amor".
Recomendo? Claro :-)


site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com.br/2018/03/um-sedutor-sem-coracao-lisa-kleypas-os.html
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7