Mensageira da Sorte

Mensageira da Sorte Fernanda Nia




Resenhas - Mensageira da Sorte


55 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4


trici 21/03/2020

No começo fiquei meio perdida mas depois a história foi se encaminhando e me deixando tensa e dando aqueles surtinhos pelo casal kkkkk
comentários(0)comente



Carol 28/02/2020

Mensageira da Sorte
Que surpresa boa!!! Não costumo ler muitos livros nacionais, e confesso que adiei bastante essa leitura, mas quando comecei, não consegui parar mais. Mensageira da Sorte conta a história da Cassandra, a Sam, que ao presenciar, sem querer, uma confusão causada por protestos contra a AlCorp, uma corporação que parece ter mais controle sobre a sociedade do que o próprio governo, acaba se tornando uma mensageira temporária no DCS, o Departamento de Correção de Sorte. Sendo assim, ela deve distribuir presságios que podem ser tanto de sorte ou de azar para as pessoas, com o objetivo de manter o equilíbrio na vida das mesmas. O primeiro trabalho de Sam é dar uma mensagem para Leandro, um youtuber, que parece se envolver em mais confusão do que qualquer pessoa em sã consciência, pelo olhar de Sam, deveria. E de repente, ela está envolvida em algo muito maior, e conta com seus novos amigos para enfrentar problemas que não podem mais ser ignorados. O livro engloba a corrupção, as manifestações e a briga por poder de uma maneira impressionante, e tudo isso enquanto Sam precisa lidar com traumas passados. Eu me diverti muito com essa leitura, a medida certa de trama, aventura, romance e comédia. Adorei a personalidade da Sam e todos os personagens (com algumas exceções, quem leu vai entender) são maravilhosos. A história toda foi muito bem construída, é bem fluída, na minha opinião, e achei que o final foi perfeito.
comentários(0)comente



Reencra 13/02/2020

Você não lê, você devora
Esse livro foi uma das minhas agradáveis surpresas desse ano, ganhei de uma amiga tão querida, não dava nada para a capa pq eu acho extremamente genérica e batida. Mas, puxa, que leitura agradável, fácil, divertido, engraçado as vezes, toda aquela pitada a brasileira que temos, uma leitura que você não lê, você simplesmente devora o livro. Não é aquele livro que eu digo "Uau, vou levar pra vida" mas que para alguém que ler livros pesados demais, temáticas densas demais, um juvenil bem equilibrado, sem forçar demais e que fala também sobre lidar com o luto é maravilhoso. Leia se você quer algo rápido e despretensioso, algo para descansar você. E leia se você só é um adolescente meio perdido e não quer ler nada para a escola, literatura nacional é boa sim.
comentários(0)comente



Leticia Souto | @moonmlibrary 05/02/2020

Que história incrível!
Por algum motivo, eu acreditava que as histórias do exterior tinham mais fundamentos quando inserido no ramo da fantasia. Nunca imaginei ver uma história de romance com ficção que se passa no Rio de Janeiro.

Me encantei do começo ao fim. A escrita da Fernanda é maravilhosa e fluída, te prende desde o começo. Tirando o fato de que as observações atuais da personagem deixam a leitura bem divertida e gostosa.
comentários(0)comente



Thayana 03/02/2020

Que surpresa boa!
Peguei esse livro porque estava querendo um romance leve e clichezinho. Mas não foi nada daquilo que eu esperava. Foi melhor! Que ótima surpresa. Amei a escrita da Fernanda Nia, que conseguiu tratar de assuntos sérios com uma leveza impressionante. Já quero ler tudo que ela escrever, até a lista de supermercado.
comentários(0)comente



katinha 21/01/2020

Bom
"As vezes, temos que deixar o nosso mundo para trás e embarcar em uma nova jornada. É a única forma de encontrarmos o que nosso coração mais anseia." .
.
Cassandra, ou Sam, está vivendo uma fase difícil após a morte do pai. Com os protestos contra a empresa AlCorp acontecendo no Rio de Janeiro, ela se sente ainda mais insegura e depressiva.
E ela nem desconfiaria que em meio ao caos, junto com o Carnaval, ia ser convocada para assumir um dos cargos mais importantes do Departamento de Destino - a Mensageira.

Todos os dias ela precisa transmitir presságios de sorte para pessoas desconhecidas. É quase impossível não fazê-lo, pois a capacidade de mudar o rumo da vida de alguém é poderosa para Sam.
A primeira mensagem a ser entregue é para o seu vizinho de apartamento, Leandro, um YouTuber famosinho que está na sua sala do Colégio, mas que nunca se falaram.
Após a mensagem ele acaba ficando famoso na internet e, se aproximando de Sam. Mas ela teme por sua vida quando descobre que ele também participa dos protestos mais perigosos contra a AlCorp.

Essa empresa é uma das piores do mercado e, Sam e Leandro vão descobrir juntos mais tramas do que podem imaginar.

Falando em tramas, o destino que se prepare, pois desde que assumiu o cargo de mensageira temporária Sam está cada vez mais próxima de desvendar os segredos e corrupções que podem mudar a vida de todos no departamento, inclusive a dela. .
.
"Alguns tropeções são piores do que os outros. E tem uns que você mesmo precisa se erguer sozinho. Mas sempre, sempre vai haver um jeito de se levantar." .
.
[?#OPINIÃODAKAH?] .
.
Não foi o melhor livro que li esse ano, mas a trama se desenrola fácil então é uma leitura rápida. O cenário não me chamou muita atenção e, o excesso de hipérboles também não.
Acredito ter colocado muita expectativa nesse livro, pois queria ler há bastante tempo.
Lógico que, toda leitura é válida. Nós sempre estamos aprendendo algo.
E teve momentos que eu realmente fiquei surpresa e ansiosa pelos acontecimentos.
Só lendo para tirar as próprias opiniões.
#resenhadodesequilibrio ??
comentários(0)comente



Fran 19/11/2019

originalidade, personagens interessantes
Com sua estreia na literatura jovem, Fernanda Nia publica pela Plataforma 21 o livro Mensageira da Sorte, repleto de originalidade, personagens interessantes e um universo que pode e deve ser expandido em muitos outros livros.
Quando Cecília, a mensageira da sorte, é ferida, cabe a Sam ocupar seu lugar temporariamente e entregar as mensagens de sorte enviadas pelo departamento. Contudo, o que garantia um serviço relativamente simples acaba ficando problemático quando ela precisa entregar uma mensagem para Leandro, um youtuber que é ninguém mais e ninguém menos do que o seu vizinho gato. Como se não bastasse essa tirada do destino, Leandro também é envolvido em protestos contra a AlCorp, algo que Sam deseja manter a todo custo longe, o que não será tão possível assim.
Sam tem 16 anos, mas a vida fez com que ela amadurecesse mais rápido e isso é visto em seus diálogos perspicazes, muitas vezes trazendo reflexões que vão além da sua idade. Mesmo com essas características que desviam um pouco de sua idade, dá para perceber a forma inocente como ela reage a situações que considera injustas, envolvendo ou não o departamento de correção da sorte. É uma personagem de facetas que agrada bem a um público geral.
Enquanto temos Sam fugindo de protestos por algo do seu passado, Leandro não tem medo do perigo e luta independentemente de sua vida correr risco. Criando o canal no Youtube, trazendo verdades sobre a AlCorp e os protestos em que a polícia é violenta, Leandro faz a vez de herói atual, motivando a sociedade através de uma plataforma muito usada.
Apesar dos dois terem formas diferentes de lutar pelos seus ideais, ambos são justos e querem um mundo sem violência, o que não está acontecendo na cidade por causa da AlCorp, uma empresa opressora e dominadora que sabe muito bem apagar quem vai contra eles. E é bem esse ponto que mais me chamou a atenção, o fato de trazer algo tão atual quanto protestos lutando pela igualdade, corporações que não se agradam com isso e a violência que na verdade é causada por agitadores que apenas querem ver o circo pegar fogo.
Esse foi um livro que ganhei no sorteio da Maratona Leia Nacional lá no Instagram e tinha me comprometido em concluir a leitura ainda esse ano. Apesar de ter demorado para pegar e ler, Mensageira da Sorte conta com um enredo fluído, de diálogos rápidos, repletos de referenciais culturais que, com certeza, vai levar o leitor para uma atmosfera nostálgica. Um suspense com bastante ritmo, uma resolução bem simples e frases filosóficas para levantarmos questionamentos, é uma leitura perfeita para jovens iniciando no meio literário.



site: https://www.minhavidaliteraria.com.br/2019/11/19/resenha-mensageira-da-sorte-fernanda-nia/
comentários(0)comente



Rosy 31/08/2019

Lendo a sinopse, a primeira vista eu imaginei uma historia infantil e até boba, nada me despertou a atenção. Foi então que assisti o vídeo de resenha do Víctor do Geek Freak e como ele mesmo disse em 5 minutos eu decidi lê-lo!
Sam é uma garota comum até o dia em que ela é escolhida para enviar a sorte para as pessoas em forma de mensagens, existe um departamento que corrige a nossa sorte, e cabe a cada um atender a mensagem descrita ou não! A sorte tem toda uma organização burocrática para ser distribuída, uma porcentagem ideal de sorte para cada um, eles se intitulam extranatural tentando manter o equilíbrio dela entre as pessoas. Será que a gente não tem mesmo um departamento desses por aí????? rsrsrsrs vai saber né...
Sam e Leandro são vizinhos e colegas de classe. Sam está sofrendo com a perda do pai, se sente culpada e confusa com seus pensamentos, Leandro é um Youtuber em ascensão buscando a fama. Os dois vivem em meio aos protestos que estão acontecendo no país por causa da Alcorp a empresa que controla os preços, então o destino ou melhor a sorte vai uni-los em defesa de um lugar melhor para se viver.
É um livro fluido, criativo, divertido e com mensagens de coragem que nos incentiva nas lutas vividas. Tem realismo mágico, tem jovialidade e aconchego também. É impossível não entrar nessa história.
Leia! E receba a Mensageira da Sorte, só você poderá saber o que ela tem a te dizer!!!!!
comentários(0)comente



Eduarda Toral | @eduardaabooks 12/08/2019

Já pensou em como sua vida seria diferente se só a sorte tivesse controle dela? Sem fracassos, nada de azar, nada que prejudicasse a sua trajetória para o sucesso. Apenas uma porção ilimitada de sorte.
E se você trabalhasse para ela? E se você ajudasse as pessoas dando a elas um pouquinho de sorte na vida? Você se sentiria importante em poder fazer uma pequena mudança na vida dessa pessoa ou ganancioso o suficiente para roubá-las e transferir toda essa sorte para si? Sem arrependimento e sem culpa.
Mensageira da Sorte se passa no Rio de Janeiro e conta a história de uma adolescente chamada Sam, uma garota comum, onde ela é convocada para trabalhar como mensageira temporária no Departamento de Correção de Sorte. O DCS é uma organização extranatural, onde a função deles é corrigir o azar das pessoas mandando sorte para elas. Então, para isso, eles precisam de Mensageiros. A Sam, como mensageira, recebe presságios de algo que vai acontecer com alguma pessoa e vai até o local no horário exato e passa esse comunicado para o sorteado.
Mas, como nem tudo são flores, Sam tentará realizar todas as suas missões durante vários protestos que estão acontecendo no Rio de Janeiro, por causa de uma corporação que está tomando o Estado Carioca e deixando-a no fundo do poço.
----
Este livro tem uma leitura super leve. Ele também tem aquele humor de dar pequenas risadas, sabem? Um humor bem Fernanda Nia. Tem uma mistura de romance, com um pouco de ação e um pouquinho de suspense. Além de passar uma crítica em relação a política do Rio de Janeiro e como os políticos reagem em relação a manifestações e, também, em relação a investigações de fraudes que eles cometeram.
E não só em senso crítico político que este livro passa. Passa também o amor fraternal, a proteção de uma mãe, a sorte que pode ir e vir e lições importantes para a vida de um ser, como: o luto, recomeço, amizade e o romance entre jovens.
comentários(0)comente



Paulo 28/04/2019

Você já parou para pensar se existe o que chamamos de Destino? Sério. Se tudo o que fazemos segue mais ou menos uma escolha de uma entidade superior que nos comanda. O conceito de sorte e azar se encaixa nessa filosofia. Nunca sabemos se algo que está nos acontecendo é devido a uma coisa ou outra, mas sempre relegamos determinadas situações a um ou outro. Fernanda Nia brinca um pouco com esses conceitos ao nos apresentar uma história adorável sobre uma menina que precisa lidar com os fantasmas que assolam o seu passado.

Culpa e Ressentimento

Esta é mais uma história que vai lidar com o que fizemos no passado. Ou o que poderia ter acontecido se fizéssemos algo diferente. É impossível voltarmos atrás no que fazemos. Não temos uma pequena máquina do tempo que possa corrigir as nossas escolhas. Somos responsáveis por elas e precisamos lidar com suas consequências. A vida não é interrompida por causa de uma tragédia apenas para que possamos nos afundar no sentimento de culpa. A protagonista vai descobrir isso ao longo da narrativa. Ela se culpa por causa da morte de seu pai, vítima do que aconteceu durante uma série de manifestações contra uma corporação corrupta. Ela fez uma escolha que se provou ruim, e seu pai acabou pagando o preço. Mas, o que ela não consegue entender é que o que aconteceu não pode ser colocado na conta dela. Seu pai também fez uma escolha que foi o de segui-la até as manifestações. Ele sentiu que estava cumprindo seu dever como pai.

O peso dessa culpa acaba transformando nossa protagonista em uma pessoa melancólica. Ela afasta amigos, possíveis paqueras. Todas as suas relações sociais são afetadas porque ela não consegue perdoar a si mesma. Somente quando ela vê outra pessoa passando pelo mesmo que ela, é que Sam vai se dar conta de o quanto esse comportamento machuca até mesmo as pessoas ao seu redor. Faltava para ela alguém com quem ela pudesse compartilhar seus medos, sua culpa e seus anseios. E ela não conseguia enxergar na mãe uma pessoa com quem ela pudesse fazer isso.

O debate sobre destino também é lindo. Tem algumas frases que chegam a ressoar em nossos corações. Por exemplo (e não é um spoiler), tem um momento em que Sam questiona as escolhas do Departamento de Correção da Sorte. Se eles tem o poder de corrigir a sorte das pessoas, por que seu pai não foi agraciado com uma correção? Uma pergunta ingênua, porém muito poderosa. E a gente volta a um debate filosófico sobre o que é parte ou não da vida. Será que a morte do pai de Sam não serviu para fazê-la amadurecer como pessoa? A gente não é capaz de entender as engrenagens do Destino, ou sequer modificá-lo. Isso mesmo a autora brincando um pouco de fazer isso aqui. Mas, a verdade é que não sabemos os caminhos tortuosos percorridos por ele. Nem sempre vamos gostar do que acontece conosco ou com as pessoas que amamos. Mas, de certa forma, alguém está aprendendo alguma coisa com isso. Por mais fútil que seja um acontecimento.

Uma distopia?

Na ambientação temos uma corporação chamada AlCorp que acabou tomando várias empresas no Rio de Janeiro. Através de seu dinheiro e influência, ela controla todos os aspectos da vida das pessoas. É uma ideia simples, colocando uma empresa como a antagonista etérea da narrativa. Usando temas comuns para os brasileiros como subornos e corrupção. Se a gente for parar para pensar, podemos entender como uma distopia, mas sem nenhum elemento de devastação ou apocalipse ou desastre natural. Temos pessoas revoltadas contra o jugo da empresa, desejando se ver livres de sua influência. Eu, sinceramente, não sei dizer se eu entenderia Mensageira da Sorte como uma distopia no sentido total do termo, mas chega bem perto disso.

Vou dar um chute, mas acho que a Fernanda teve a ideia para Mensageira da Sorte na época das manifestações por todo o Brasil há alguns anos atrás. Achei a abordagem sobre as manifestações muito boa e demonstrou o quanto a situação no país pode piorar caso as pessoas não façam nada. Se pensarmos além das linhas, foi um pouco disso que a Fernanda tocou ao comentar sobre a participação das pessoas. Somente quando a Sam resolveu tomar o destino dela para si mesma é que ela foi capaz de criar uma mudança real. As pessoas acabam sendo influenciadas pelo Moleque Sensato, o canal de Youtube do par romântico da nossa protagonista, mas, no fundo, eles queriam apenas uma pessoa ao qual eles pudessem seguir. Faltava aquele espírito de sair nas ruas e lutar pelo que você quer.

"Queria poder guardar momentos como esse em detalhes, mas é difícil ter consciência descritiva perfeita quando o corpo deixa de ser concreto para virar um conjunto de abstrações. Sensações de calores e calafrios, anseios que só querem avançar e tomar para si."

Uma escrita doce e gentil

O romance é lidado de uma maneira muito doce e gentil. Não chega a ser meloso como em outras histórias e a Fernanda consegue dosar isso muito bem na história. Gosto de o quanto um complementa o outro. Sam e Leandro precisam um do outro porque ambos tem questões do coração a serem resolvidas. Então, no fundo, o romance é parte da narrativa, algo necessário para que eles possam evoluir como pessoas. Tem vários momentos fofinhos espalhados que vamos juntando como pequenos pedaços de uma história a dois. É óbvio que os dois vão acabar juntos, mas o legal de uma narrativa como o da Fernanda é acompanhar toda a caminhada.

A escrita da Fernanda é em terceira pessoa, mas muito próxima do nosso personagem-observador, a Sam. Acompanhamos a personagem em sua caminhada e a autora nos permite saber seus pensamentos. Tudo vai acontecendo de uma maneira bem fluida e a escrita começa um pouco estranha, mas aos poucos vamos nos acostumando com a rapidez da autora. É nitidamente um romance Young Adult, não só pela escolha do tema, como também pela forma de escrita e pelos dramas vividos pelos personagens. Só fiquei um pouco preocupado com as referências usadas pela autora. Alguns autores YA empregam bastante referências de forma a fazer com que a narrativa seja facilmente reconhecível pelo público-alvo e possa falar a sua língua. Só que isso de certa forma faz com que a narrativa fique datada já que as referências apontam para um período de tempo em particular. Daqui a alguns anos, determinadas referências empregadas pela autora vão ser irreconhecíveis para os novos leitores. Não são todas, mas um bom número é.

Gostei demais do tratamento dado aos personagens. Eles realmente são muito importantes para a história, mesmo aqueles que são secundários. Um exemplo disso é o quanto Cecília e a mãe de Sam são importantes para o crescimento da protagonista. Não estão ali apenas para figurar, mas para ter parte ativa na jornada da personagem. Os personagens principais funcionam bem e seus dilemas são importantes. Além disso, o leitor acaba se importando com os personagens dada a força do que eles precisam resolver. Mesmo o antagonista tem suas motivações e objetivos bem delineados. Sabemos que ele é um vilão, mas é possível de certa forma compreender o que ele está fazendo e seus motivos torpes.

A ambientação é muito boa e facilmente reconhecível mesmo para quem não é do Rio de Janeiro. Nem é tão necessário assim visualizar todos os lugares até porque as descrições dela nos ajudam a montar mentalmente o lugar. A ideia do DCS me lembrou na hora o filme Agentes do Destino. Claro que o propósito das duas narrativas é diferente, mas achei que a autora soube transportar bem a ideia para o que ela pretendia fazer com os personagens e dar seu próprio toque. Gostei bastante de Mensageira da Sorte e foi uma narrativa que tanto me divertiu como me emocionou na dose certa.

site: www.ficcoeshumanas.com.br
comentários(0)comente



50livros 13/03/2019

Livro bom para se divertir
Quem aí não gosta daquele livro levinho, bem fácil de ler que é perfeito para colocar no meio de leituras pesadas? Então, esse livro aqui é perfeito para isso.

Não espere uma super história, ou reviravoltas mirabolantes, esse aqui é um típico livro infanto-juvenil e está tudo bem. Temos romance adolescente saudável, temos as dificuldades da vida cotidiana, temos uma ferida no passado dos protagonistas, temos aquele toque de suspense e sobrenatural. Pronto, não tem como dar errado, né?

Apesar do livro ser exatamente como se propõe, ele consegue surpreender em alguns pontos. Gostei bastante da forma que a autora coloca a corrupção, sem precisar defender bandeiras, só mostrando como ela funciona e o quanto é importante nós, como sociedade, lutarmos contra ela. Tiveram algumas coisinhas que me incomodaram um pouco, como as piadinhas sem graça e o fato de usar um bairro fictício em uma cidade real, Rio de Janeiro, na história. Acho que poderia ter sido escolhido um bairro pequeno da própria cidade para dar aquele clima intimista, não era necessário inventar um.

Mesmo com essas coisinhas, foi uma leitura agradável. Ele segue a vibe que está fazendo bastante sucesso no momento, lidando com questões de sorte, azar e destino, como "Os Criadores de Coincidências" e "O Ceifador", mas esse é bem mais voltado para o público jovem. Gostei bastante de lê-lo, mas imagino que se ele já existisse lá pelos meus 13, 14 anos eu teria gostado ainda mais.

Os personagens ainda caem em alguns clichês bem chatinhos, como a mocinha que não quer se envolver emocionalmente pois lida com uma culpa muito grande, o popular padrãozinho que esconde uma grande tristeza, a amiga meio louquinha, mas que acaba sendo a mais sensata... Ou seja, muitos clichês. Mas, ainda bem, o romance que é colocado não se torna o centro da história e, ainda por cima, ele é bem saudável, um ótimo exemplo para a galera mais nova que com certeza vai ler e gostar do livro.

"A Mensageira da Sorte" foi um livro bem divertido de ler e que com certeza tem um caminho de sucesso entre os adolescentes do momento.

site: www.50livros.com/single-post/2019/01/01/RESENHA-de-A-Mensageira-da-Sorte-de-Fernanda-Nia---BUDDYREADDLX
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 10/03/2019

Resenha: Mensageira da Sorte
Mensageira da Sorte é o mais recente lançamento da autora Fernanda Nia - também conhecida pela série Como Eu Realmente. Publicado pela Plataforma21, o livro explora um universo extranatural dentro da nossa realidade; nesse universo, a sorte e o azar são quase dados em um tabuleiro. Através dos mensageiros, eles são um guia para um futuro grandioso ou desastroso - depende do que a pessoa decidir.

Na trama, acompanhamos Cassandra - Sam, como prefere ser chamada. Ela se mudou para Lagoinha, um bairro teoricamente pacato do Rio de Janeiro, para recomeçar a vida com a mãe. Alguma coisa muito ruim aconteceu com a garota há um tempo e tudo que Sam quer é seguir sua vida longe das memórias que envolvem essa tragédia.

Não vai ser tão simples. Não quando o Rio de Janeiro é palco de uma sequência de protestos poderosos contra a AlCorp, uma corporação multimilionária que vem causando caos no mercado com seus preços absurdos. Num desses protestos, o destino coloca Sam no caminho de uma Mensageira da Sorte - e a garota acaba por se tornar uma estagiária do Departamento, só por algumas semanas, até tudo se estabilizar. Essas semanas vão aproximá-la do extranatural e dos protestos e da ideia de que estabilidade não tem nada a ver com o novo emprego.

"- Dizer a verdade é um trabalho perigoso. Mas alguém tem que fazê-lo."

Mensageira da Sorte é o tipo de Fantasia Urbana perfeita para divertir e para elucidar grandes problemáticas que a gente vive na atualidade, como as melhores histórias nessa temática conseguem transmitir.

A voz da Sam é bem sarcástica e cheia de monólogos internos hilários. Ela é o tipo de protagonista que te conquista logo nos primeiros capítulos, o que gera aquela sensação empática que faz com que você queira que tudo dê certo. E a situação tá bem feia pra menina Sam, veja bem. Não só por causa do caos que está rolando no Rio de Janeiro, mas também pelo trauma que ela carrega. Um lembrete sombrio do que a violência e a opressão são capazes de fazer com uma pessoa; do quanto algo tirado de você em um segundo fica na sua memória para sempre.

"- Esse look todo era pra impressionar a minha mãe? Ou você foi passar um Dia de Princesa com o Netinho?"

Eu gostei do equilíbrio entre os dois lados da narrativa dela. Sam é madura e engraçada acima de tudo, mas bastante covarde por causa da tragédia. Seu arco de evolução envolve muito entender seus medos e suas fragilidades e encontrar, nela mesma, a saída para isso. Sam sabe que o trauma pesa em suas ações e começa a se determinar para mudar isso. Afinal de contas, como Mensageira da Sorte ela ganha várias responsabilidades.

E que universo fantástico que a Fernanda criou! Queria, inclusive, deixar uma reclamação na sessão de atendimento do Departamento de Correção de Sorte porque o tanto de azar caindo na minha cabeça nos últimos meses tá muito desequilibrado, quero reembolso!

A questão com a sorte e o azar e como os presságios são entregues é muito genial. É o tipo de mundo mágico muito crível, com toda a sua burocracia e problemas e sistema chato; Sam cai dentro dele de cabeça e toda a perdição até ela realmente se acostumar com o que significa entregar as mensagens é muito divertido de acompanhar.

"- Eu entendo que é difícil controlar a frustração às vezes, Sam. Mas temos que reconhecer que o mundo não é justo. É por isso que o DCS existe. Para consertá-lo. Para cada mensagem que você entrega a um necessitado, ele fica um pouquinho melhor do que era antes. Esse é o nosso foco. Esse é o nosso papel."

Em relação aos personagens secundários, a relação da Sam com a sua mãe é bem pautada e trabalhada, com toda a questão do que elas vivenciaram e como isso influencia a mudança e suas posturas uma com a outra. Cecília é a mensageira que entra no caminho da protagonista e acaba por colocá-la no mundo da sorte; uma figura bem humorada e consciente da maluquice que é o extranatural em que vivem, mas sempre disposta a ajudar a garota perdida.

"É o que a pessoa tem a dizer, e não o que ela aparenta ser, que nos entrega as peças do quebra-cabeças que a define de verdade."

Leandro e Ivana são os vizinhos de apartamento da Sam e, eu diria, as figuras mais carismáticas da história. Leandro é um Youtuber que usa seu canal para tudo, desde aleatoriedades sobre ovos de Páscoa até críticas sérias a respeito da tirania da AlCorp. E Ivana, sua editora e melhor amiga, é de uma presença radiante e um espírito corajoso que eu me apaixonei logo de cara.

Leandro, aliás, é o interesse amoroso da Sam - e que a deusa abençoe um romance bem desenvolvido! Tem aquela faísca de início, as provocações, o flerte, a confiança, a amizade, e o momento em que você quer rolar de cara no chão porque eles são MUITO FOFOS AJKFBASUOGOASUBASGUO

"- A vida é perigosa. Com um pouquinho de sorte, tudo fica bem."

Dentro desse mundo todo de sorte e mensagens e Youtube, existe a AlCorp. No cenário político que estamos vivendo hoje, é quase um espelho do que significa dar poder nas mãos de tiranos. A opressão deles reside no mercado, sim, mas eles controlam tudo - não só os preços são prejudicados, mas o governo, a liberdade, o povo, principalmente. A luta diária que nasce com os protestos ou mesmo os pequenos questionamentos é o que dirige a Sam e outros personagens para continuar resistindo. A opressão não é capaz de calar a voz do povo, e é uma das mensagens poderosas que o livro tem a passar.

Em relação à edição, a Plataforma21 caprichou tanto em capa quanto em diagramação. O livro é um conjunto completo de lindezas e eu não canso de olhar pra esse lettering magnífico feito pela artista Cyla Costa.

Mensageira da Sorte é uma história sobre jovens e revoluções. Sobre uma realidade onde o universo dá escolhas para que você aproveite a sorte ou caia no azar.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/03/resenha-mensageira-da-sorte.html
comentários(0)comente



Rosita Lima - @biblioteca.da.ro 21/02/2019

Mensageira da Sorte
Cassandra e sua mãe se mudam para Lagoinha, um bairro em que acreditavam ser tranquilo no Rio de Janeiro, após um evento traumático para as duas. Infelizmente as ações da AlCorp parecem encher a população de ira e indignação com os aumentos excesso de alimentos e medicamentos gerando inúmeros protestos.
.
O caos está estabelecido e o Departamento de Correção de Sorte deve enviar seus mensageiros para transmitir presságios de sorte para que tentem equilibrar a balança do destino. Mas quando uma mensageira da sorte perde seus poderes repentinamente, Cassandra deve assumir o posto e enviar a sorte ao seu vizinho, que é youtuber e seu colega de classe.
.
A escrita é fluida proporcionando uma leitura rápida, mas funcionou como algo despretensioso que não exige muita concentração. O livro aborda temas como corrupção e poder, mas de uma maneira simples. Ideal para um público infanto-juvenil.
.
Eu não consegui me sentir muito imersa na leitura e acredito que isso tenha acontecido por eu já ter ultrapassado a idade o público alvo ao qual o livro é destinado. Mas para tal público o clichê romântico, as diversas referências a cultura pop, memes e gírias, os temas abordados e os elementos sobrenaturais envolvidos podem ser muito atrativos e divertidos.
.
Ainda assim o livro proporciona um entretenimento agradável. Excelente para intercalar com leituras mais densas.
.
Resenha completa no blog www.aquelageek.com
Conheça o canal: https://www.youtube.com/channel/UC0aacUhsSQtwEO7iAYTVjig

site: http://www.aquelageek.com/2019/01/resenha-mensageira-da-sorte-fernanda-nia.html
comentários(0)comente



Dai @parasempreumlivro 07/02/2019

Após viver um episódio traumático com um longo período de recuperação, Cassandra e sua mãe voltam para o Rio de Janeiro, tentando uma nova vida. As duas ainda estão se adaptando à nova rotina enquanto as manifestações na cidade contra a Alcorp, uma corporação que dominou o Rio de Janeiro e está subindo os preços de todos os produtos no mercado, estão acontecendo.

É feriado de Carnaval, Sam e sua mãe estão trancadas no trânsito esperando um desfile passar, que parece demorar décadas. Sam então prefere ir a pé, já que é tão perto de sua casa nova e nada pode acontecer em tão pouco tempo. Mas ela está enganada, quando chega na portaria do seu prédio, uma manifestação parece vir bem na sua direção.

“- Não vai acontecer nada comigo – ela disse, escaneando a multidão em fuga cada vez mais densa.
Eu já havia ouvido aquelas palavras da minha própria boca. Logo antes de aprender da forma mais dolorosa possível que ninguém é invencível.
Você nunca sabe quando o azar vai te pegar.”

Uma senhora que está esperando junto com ela pelo porteiro, que sumiu justo neste momento, acaba intervindo em uma briga entre uma garota e um manifestante que se aproveitou do momento para atacar a jovem, porém a senhora acaba levando um tiro. Sem pensar, Sam corre para ajudá-la, e ao encostar na mulher uma corrente elétrica queima seu corpo todo e ela é jogada para trás.

Cecília diz ser uma mensageira da sorte que trabalha para o DCS (DEPARTAMENTO DE CORREÇÃO DA SORTE), onde ela recebe um presságio e precisa entregá-los aos destinatários, balanceando os desníveis de sorte a azar dos humanos na balança da justiça. Ao receber a corrente elétrica, Sam passa a assumir o trabalho de Cecília, e o primeiro destinatário é Leandro, um youtuber em ascensão.

Desde que vi o lançamento, acreditava se tratar de uma fantasia. Tanto a edição de capa e o título nos fazem acreditar nisso, mas, com apenas um toque de fantasia, o livro é um grande relato do problema brasileiro. A força de quem tem poder de fazer o que quiser com o povo, que vive para trabalhar para um governo altamente corrupto.

A criação da corporação Alcorp pela autora mostra claramente como estamos vivendo, e as manifestações sendo reflexos de tanto abuso no poder. Pessoas usando as manifestações como desculpa para cometer crimes, e a polícia partindo para cima de todos, sem distinção do pacífico e não pacífico. É realmente o que temos visto muito por aqui. Claramente a autora se inspirou nos recentes conflitos que vem acontecendo no Brasil, que levam ano após ano mais pessoas às ruas.

Com uma leitura fluída e uma escrita bastante sarcástica, Fernanda Nia foi bastante ousada em pôr no papel a realidade de uma sociedade que implora por mudanças. E falo isso de uma forma super positiva, parabenizando-a por seu excelente trabalho, pois Mensageira da Sorte é sim uma obra brasileira muito bem escrita, que merece ser lida e aclamada.

O foco do livro são as manifestações em busca de melhorias em uma sociedade que já não aguenta mais os preços sempre subindo no mercado, mas esse foco abre outros temas como a morte e o luto. Tanto o Leandro como a Sam confrontam o luto de seus entes queridos, e carregam consigo a culpa pela morte deles. Primeiramente em caminhos separados, para depois juntos, eles enfrentam uma longa jornada de superação e aceitação.
Outro tópico que fica bastante em alta e que é sempre muito importante é a família e as diversas versões em que a encontramos. Às vezes é o sangue, mas em outros momentos o apoio que você recebe de fora é tão importante quanto e ajuda a compreender que certas coisas tem que valer mais. Pra esse tópico, ambas as relações familiares e também a presença de uma outra personagem no núcleo central, ajudam a dar o tom e a transparecer esses conflitos de forma mais clara.

“Às vezes, pessoas que gostamos vão embora da nossa vida. É normal chorarmos a sua perda, mas devemos lembrar que, assim como elas nos deixam, outras sempre aparecem mais adiante para nos acompanhar. Pode não ser a mesma coisa, já que nenhuma alma é perfeitamente substituível ao coração, mas é sempre reconfortante saber que, não importa o que aconteça, não precisamos seguir pelo nosso caminho sozinhos. E que quando você cair, em algum lugar sempre vai haver uma mão te oferecendo ajuda para levantar de novo.

Sim, eu sei. Alguns tropeções são piores do que os outros. E tem uns que você mesmo precisa se erguer sozinho. Mas sempre, sempre vai haver um jeito de se levantar.”

Ao cruzarem seus caminhos, é claro que teremos romance entre nossos personagens, e talvez isso tenha se tornado um ponto negativo para mim mais no final da leitura, porém, em momento algum a trama deixou de ser grandiosa e passar sua mensagem. O que fica aqui é bem claro, precisamos seguir lutando, seja por mudanças, seja por sobrevivência, por superação, por amor, por um futuro melhor.

Eu apenas senti falta de um “depois”. Temos manifestações acontecendo o tempo todo, mas não temos uma conclusão de como as coisas ficaram depois da “última” manifestação. Por um lado isso pode ser uma brecha para um segundo volume, que com certeza vou adorar conferir, por outro acho que é uma mania dos autores em não dar visão de futuro e findar suas histórias apenas no fim do conflito principal, quando bem sabemos que o que acontece dali pra frente acaba sendo tão importante quanto o enredo principal, especialmente para quem tem que juntar os cacos.

Portanto, se você pegar esse livro na mão e achar só pela capa e pelo título de que ele é mais um igual a outros, não se engane, essa história tem muito para te contar, e garanto que vale a pena cada página. E, apesar da capa super fofa, temos também muito assunto sério, em uma linguagem simples que conversa bem tanto com jovens como com adultos.

site: http://resenhandosonhos.com/mensageira-da-sorte-fernanda-nia/
comentários(0)comente



Mapa Literário ~ Sophia 28/01/2019

Incrível
?O livro é narrado por Sam, uma menina de 17 anos. Encontramos um cenário onde o Rio é tomado por protestos contra a AlCorp, uma empresa afundada em corrupção. Em um desses protestos, Sam perde seu pai. Na tentativa de evitar memórias ela sai de Petrópolis e vai para o Rio de Janeiro com sua mãe.
?Ao entrar em seu prédio um protesto a alcança e uma mulher é baleada. Porém, esta mulher, Cecília, era uma ?Mensageira da Sorte?, e neste dia ela estava a caminho da entrega de um presságio para Leandro. Sam corre para ajudá-la e o título de mensageira lhe é transferido, temporariamente. Uma vez que Cecília não estaria em condições de continuar.
?Descobre-se que Leandro é vizinho de Sam e, conforme o livro se desenvolve, eles ficam mais próximos e um romance se desenrola.
?A autora consegue construir uma trama que mistura a fantasia a realidade. No meio das comicidades o livro é cheio de reviravoltas emocionantes (o que me impede de falar muito) e cenas que me deixaram aflita. Além do mais, é perceptível as críticas à política e a luta da população.
?Um livro repleto de ensinamentos e desenvolvimento da personagem ainda nos garante um final incrível e surpreendente. Realmente de tirar o fôlego.
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4