Orgulho e Preconceito

Orgulho e Preconceito Jane Austen




Resenhas - Orgulho e Preconceito


1093 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Adoni 22/05/2019

MERECE O SEU LUGAR DE CLÁSSICO UNIVERSAL
O livro conta a história de amor entre a jovem "classe média baixa" Elizabeth e o nobre senhor Darcy (que também era jovem). A princípio, quando eles se conhecem, ele não vê nela grande coisa; ela, por sua vez, o imagina como um homem arrogante, orgulhoso e esnobe.

Do começo à metade, o livro é meio monótono, sem grandes emoções (em alguns momentos chega a parecer novela de época da Globo). Um leitor desavisado pode achar que trata-se da história de amor entre Jane e o senhor Bingley, pois, até então, esse parece ser o foco da narrativa. Mas, a partir daí, o foco muda e a história "principal" começa a tomar forma.

Não ficou muito claro, pra mim, o momento em que o Sr. Darcy passou a sentir interesse por Elizabeth. Acho que nesse meio existe um vácuo de informações. Nada nas atitudes dele me pareceu indicar algum sentimento e, de repente, ele aparece declarando o seu amor...

Outro fato que cabe ressaltar é a importância de entender um pouco o contexto da época para não ficar perdido. Prestar atenção quando o livro se refere a uma propriedade, "bairro", região, cidade etc., pode ajudar o leitor a se localizar sobre os locais dos eventos narrados.

Se o livro terminasse na metade, com certeza minha avaliação seria péssima; pois,até aí, achei monótono e pouco empolgante. Mas a partir da metade, o livro ganha fôlego novo e surpreende no final. Prende muito a atenção e você não quer abandonar a leitura por nada. Vale muito a pena!

Quer comprar esse livro com praticidade, segurança e rapidez? Acesse a minha loja autorizada Magazine Luiza (MAGAZINE MAGADONIS) e confira esse e outros títulos. Você pode comprar pelo site e retirar na loja. Link abaixo!

site: https://bit.ly/2VWyt8w
comentários(0)comente



Rafa 19/05/2019

Estou simplesmente apaixonada.
Nunca me apaixonei tanto por uma escrita. Jane Austen com toda a certeza é um genia do romance contemporâneo.
A forma como ela escreveu cada personagem é incrivel. Elizabeth é simplesmente intrigante e, Sr. Darcy é simplesmente apaixonante.
comentários(0)comente



Sunamita Conti Santos 17/05/2019

Livro que supera expectativas
É uma verdade universalmente conhecida que Orgulho e Preconceito é um livro que supera muitas expectativas. Não é à toa que é um romance clássico que tem conquistado leitores desde o século XIX.
Com um enredo impecável, formal e ao mesmo tempo de fácil compreensão, Jane Austen não só explora o campo da crítica à questão cultural de sua época, mas também dirige o leitor pelas entrelinhas a se atentar à personalidade dos personagens e à forma como os relacionamentos se desenvolvem ao decorrer da leitura.
Provavelmente, você leitor (a), já passou pela experiência de ter julgamentos precipitados sobre alguém, seja instigado por falácias ou pela própria característica que a pessoa apresentou no primeiro contato, e depois, conforme a vivência, você se percebeu desconstruindo e revisitando todos os julgamentos anteriores.
Bom, acredito que todos passaram por experiência semelhante e, logo depois, foi percebendo que a primeira impressão não foi determinante, ou seja, há muito que se descobrir por trás de uma aparência.
Nessa obra atemporal, Jane Austen consegue evidenciar bem o perigo das primeiras impressões, bem como o perigo de deixar com que o orgulho fale mais alto, ambos impedimentos na construção de relações saudáveis.
Convido-o (a) a viajar por essa história e acompanhar a vida de Mr. Darcy e Elizabeth Bennet, personagens principais, que apresentam posturas que revelam nuances entre pré-julgamentos e orgulho.
Orgulho e Preconceito foi um daqueles livros que me fisgou logo de cara, não só por gostar de romances de época, mas por ter percebido desde o início que o livro apresenta uma sutileza de detalhes que te aproximam da personalidade dos personagens.
Deparei-me com a história de Mr. Darcy e Elizabeth Bennet, ele que tem como característica o orgulho em principalmente não querer admitir o amor que sentia pela protagonista, porque ela era de baixa renda; e ela por julgá-lo como arrogante e presunçoso, sem ao menos procurar entender os motivos por trás da atitude mais reservada de Mr. Darcy.
Conforme a trama se desenvolve, percebemos que tanto o orgulho quanto o preconceito, podem ser identificados nos dois, o que torna a história tão próxima da realidade, porque revela que ambos são igualmente humanos. Entre encontros e desencontros, vamos percebendo aos poucos que os personagens vão desconstruindo seus preconceitos, vão se permitindo à proximidade, se desapegando do orgulho e, consequentemente, amadurecendo.
Depois da leitura, fixei-me à frase “Mas as próprias pessoas mudam tanto que sempre há algo novo a ser observado em cada uma delas” presente no livro, porque traz todo um sentido à trama e revela um desfecho que desde as primeiras páginas estava sendo construído. Isto é, é importante se aventurar pela experiência dos encontros, permitir-se à vivência com os outros e descobrir que, às vezes, os julgamentos iniciais podem sim ser desconstruídos e que é preciso conhecer e conviver com as diferenças do outro, notar que todos estão em constante processo e que tal premissa não deve ser impedimento para viver, quem sabe, uma experiência como a de Elisabeth e Mr. Darcy.
Esse foi mais um livro incrível que conquistou meu coração. Espero que vocês gostem, caso o leiam.

site: http://vitoriamartini.blogspot.com/2019/05/livros-orgulho-e-preconceito-jane-austen.html
comentários(0)comente



Ludy 16/05/2019

Um clássico indispensável
Orgulho e preconceito - Jane Austen
424 páginas/Editora Martin Claret


"Eu não teria dificuldade em perdoar o orgulho dele, se ele não tivesse ferido o meu."

Será que as primeiras impressões são as que ficam?
O romance entre Elizabeth Bennet e Sr. Darcy vai mostrar que por mais marcantes que sejam as primeiras impressões, elas mudam e ganham novos significados.

A primeira vez que li Orgulho e preconceito foi em 2015; era uma edição 3 em 1, e pela primeira vez eu tinha uma pequena pilha de não lidos.
Esses dois motivos colaboraram para que eu lesse com um certo desespero, por conta disso, a leitura não me conquistou.
Com a nova coleção da Martin Claret, decidi que iria reler esse clássico.

Confesso que a releitura valeu a pena, mas definitivamente esse não é o meu preferido da Jane.
É uma leitura que arranca muitas risadas; as personagens são cômicas, outras são sarcásticas.
Os diálogos são empolgantes, inteligentes e fascinantes.
A maneira que o romance vai sendo desenvolvido é de fazer suspirar. Não há pressa, não há exagero, há apenas um sentimento puro e que vai crescendo com o tempo.
O ponto alto é a Lizzy Bennet; ela é uma personagem vivaz, espirituosa e com muita personalidade para a época em questão.
E Darcy vai surpreendendo a cada página ao se mostrar mais generoso do que aparenta.
Por tudo isso, posso afirmar que a história é muito bem construída.
Por que 4 estrelas e não 5? Porque a narrativa é um tanto lenta e não prendeu a minha atenção como eu gostaria. Apenas isso.

Jane Austen tem uma escrita atemporal, de fácil entendimento e bem humorada.
Nesse livro ela nos mostra como temos facilidade em julgar sem ter um conhecimento real, com isso acabamos fazendo comentários e ações infelizes.
Através das suas personagens ela mostra diversos tipos de personalidades, mas todos reais, com qualidades e defeitos.
Era bem característico dela abordar o caráter dos seres humanos.

Orgulho e preconceito traz questões que nos levam a reflexão ao mesmo que descontrai com os caos da família Bennet.
Um clássico indispensável para quem é amante dos clássicos ou até para quem quer iniciar nesse universo.

#resenhaemalgumlugar

site: @emalgumlugarnoslivros
comentários(0)comente



Lari 16/05/2019

Muito além de um romance
Este foi o primeiro contato que tive com Jane Austen, e que surpresa agradável, uma escrita excepcional, com muita fluidez; devorei as últimas 100 páginas do livro em poucas horas, pois foi algo arrebatador. Eu nunca havia lido uma história de amor sem beijos rs. E eu amei isso. Os personagens são muito bem construídos, a gente sabe exatamente como é determinado personagem, pois os diálogos revelam exatamente suas características; são irônicos, sarcásticos, bobos, dissimulados, encantadores, e principalmente eles se transformam, mudam suas atitudes a partir de alguma descoberta.

Este livro trás uma história de romance, sim! Porém vai muito além disso, traz ironias, críticas e uma hipocrisia da sociedade da época, mas principalmente é uma história sobre a situação da mulher no século XIX, onde a única opção da mulher de classe baixa era o casamento vantajoso, em muitos dos casos um casamento sem amor.

Mas a nossa protagonista vai ser contra isso, e vai nos mostrar que pode ser diferente, Elizabeth Bennet é uma mulher que se posiciona, que não tem medo de falar o que pensa, independente se o outro for mais importante socialmente, ela é autoconfiante, é irônica, sarcástica, inteligente e longe de ser a mulher perfeita, e por isso ela muda suas atitudes e consegue também as mudanças de Mr Darcy.

É um livro incrível, diferente de outros escritores da época, a Jane é bem direta e não descreve tanto as ambientações, porém conseguimos nos sentir andando naqueles bosques, observando as pessoas dançando nos bailes elegantes, numa época com costumes tão diferentes dos de hoje em dia, onde as pessoas se comunicavam por cartas. Enfim é um livro que deve ser lido, a escrita da Jane Austen é deliciosa.

Sobre esta edição, no começo do livo havia muitos erros de revisão, o que me incomodou. Porém o legal dessa edição da Abril Coleções é que no final do livro vem resumo sobre a vida da escritora, sua obra e personagens, além de algumas ilustrações (o que eu adoro).
comentários(0)comente



Mariana.Oliveira 14/05/2019

A ironia e o sarcasmo com os quais Jane Austen construiu esse romance foi, definitivamente o ponto que mais me chamou atenção e me encantou no livro! Literatura de alto nível ao mesmo passo que de leitura fluída e gostosa (especialmente pela dose de humor)... O enredo é exposto de tal forma que se acredita piamente na verossimilhança dos fatos ali narrados.. não é demais acreditar que na Inglaterra do século XIX existiam diversas Mrs. Bennet, Janes, Mr. Collins, Mr. Darcys e, claro, poucas Lizzies! Personagem lindissimamente construida, de forma a encantar os leitores (assim como certos senhores de fortuna).

Apaixonada pelo livro! Virou um dos meus preferidos"
Mariana.Oliveira 14/05/2019minha estante
gente, sabe aquela sensação de friozinho na barriga na hora de receber mensagem daquele que estamos flertando.. pois Jane Austen conseguiu recriar a exata sensação em mim em diversos po tos da leitura em que Lizzy e Darcy interagiam haha




Maíra Marques | @literamai 12/05/2019

Siga: @literamai
Este livro é o amor da minha vida todinha. Darcy quem o diga! (rsrsrs) E, convenhamos, minha edição surradinha que não tenho coragem de dar fim por uma mais luxuosa, também!
.
A primeira vez que o li era muito novinha, não enxergava a imensidão de lições que Austen nos ensina. Mulher e escritora na época em que iniciara sua carreira... Oh, que complicado! Ainda mais com uma personagem não marcante quanto Elizabeth Bennet.
.
A marca registrada do feminismo numa época (século XIX) em que a mulher tinha o dever de ser submissa e prestativa ao seu marido e sua família. A segunda de uma família com cinco filhas, Elizabeth era a única de suas irmãs que não sonhava com um casamento vantajoso, ao contrário: Ela queria "amor".
.
Um homem poderosíssimo decide visitar a pacata cidade onde moram os Bennet e dar uma festa na mansão mais fascinante do lugar. Claro que a mãe de Elizabeth praticamente obriga as filhas a irem ("praticamente" porque, obviamente elas iriam, era a oportunidade perfeita para conhecer rapazes de famílias boas). É lá que Elizabeth conhece o arrogante Mrs. Darcy, este que faz pouco caso da dama e, assim, começa a rejeição da jovem por ele (ou, como podemos chamar hoje em dia, o famoso RANÇO 😂). O que Darcy não contava é que com o tempo iria nutrir sentimentos pela tão difícil e rancorosa Elizabeth (é sério, eu amo essa obra demais!).
.
Este é um romance de Jane Austen que te prende do início ao fim! 💖

site: https://www.instagram.com/literamai
comentários(0)comente



Mavi 06/05/2019

Bom
Depois de um certo tempo sem atividade aqui no Skoob, retorno com a resenha de mais um livro. Trata-se de Orgulho e Preconceito, da autoria de Jane Austen. A aparência do livro é encantadora, especialmente a fita, que possui a função de marca páginas. A escrita é incrível e extremamente prazerosa de se ler, apesar dos acontecimentos muitas vezes se sucederem de maneira devagar, o que tornou diversas vezes a leitura maçante e me fez até mesmo querer abandoná-la. Porém, como eu sempre quis este livro desde que ouvi falar a respeito dele pela primeira vez, fiz desse o meu motivo para continuar lendo. Também encontrei em algumas páginas erros na digitação, que creio que passaram despercebidos no momento de revisão.
Agora, referindo-se ao enredo, adorei os detalhes da trama e a forma como a autora nos aproximou o máximo possível de cada personagem, nos apresentando as emoções e sentimentos que tomavam conta deles. Porém, teve algo que muito me incomodou: o fato de, inúmeras vezes ao longo da história, um lugar ser mencionado como ***shire. Eu realmente não sei se isso se trata de mais um erro no momento de digitação do livro, ou se é algo intencional da autora, como se sugerisse que tal lugar fosse secreto, que ninguém soubesse sua exata localidade. Acredito que muitos dos leitores possuem esta mesma dúvida.
Concluo esta resenha afirmando que, apesar das coisas descritas acima, Orgulho e Preconceito é uma das melhores obras de romance, mesmo que tenha sido escrita há séculos, e recomendo sua leitura.
Mariana.Oliveira 14/05/2019minha estante
na minha edição não estava assim




Annie - @queriaseralice 06/05/2019

AMEI DEMAIS
“Vaidade e orgulho são coisas diferentes, embora sejam palavras usadas muitas vezes como sinônimos. A pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho está mais ligado à opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, ao que os outros pensam de nós.”⠀

A família Bennet é composta pelo sr. e sra. Bennet e suas filhas Jane, Elizabeth (Lizzy), Mary, Catherine (Kitty) e Lydia.⠀

As duas primeiras são as mais pressionadas – principalmente por sua mãe – a arranjarem um casamento o quanto antes e com alguém, de preferência, que tenha uma boa renda e seja bem visto na sociedade.⠀

Tudo vai bem em Hertfordshire, cidade próxima a Londres, até o momento em que a sra. Bennet descobre que Netherfield – um local com uma mansão enorme e luxuosa – foi alugado pelo jovem sr. Bingley, que é solteiro, rico e, portanto, um ótimo partido.⠀

Quando sr. Bingley chega ao local e conhece todas as moças de lá, seu interesse recai sobre Jane, a mais bonita entre elas. Mas sr. Bingley trouxe consigo um amigo, sr. Darcy, e é ele, juntamente com Elizabeth, que será o foco da história.⠀

Sr. Darcy tem um temperamento extremamente difícil. Apesar de ser muito bonito e inteligente, é orgulhoso e por vezes arrogante, ainda mais na visão de Elizabeth. Ela, ao contrário das irmãs, é muito esperta e espirituosa, deixando sempre bem claro o que pensa sobre tudo – principalmente sobre ele.⠀

Confesso que odiei o sr. Darcy até metade do livro, quando acontece uma reviravolta e algumas verdades finalmente são reveladas. Já Elizabeth, eu sempre gostei. ❤️ Ela é forte, destemida e muito à frente da sociedade inglesa do século XIX.⠀

Não, eu nunca havia lido uma obra da Jane Austen. Tudo bem, Orgulho e Preconceito é um clássico, mas clássico não é gênero literário, e romance de época não faz meu estilo, portanto eu saí completamente da minha zona de conforto para lê-lo.⠀

Sem mais delongas, a verdade é que... Eu AMEI! A escrita dela é maravilhosa, os personagens foram muitíssimo bem construídos e o desfecho, apesar de previsível, me deixou muito satisfeita. Jane entrou pra minha lista de melhores escritoras e pretendo ler mais obras dela, com certeza! ❤️

site: https://www.instagram.com/p/BnHCn4JF6Wo/
comentários(0)comente



Bia 05/05/2019

Jane, na trama é um dos papeis principais claramente que tudo tem sua intenção para ter o casamento com o homem mais rico, perfeito, cavalheiro com todos os atributos em que a sociedade burguesa da época poderia esta oferecendo. Ao decorrer da trama tudo se transforma para direção de sua irmã Elizabeth, que esta longe da perfeição acredito que é bem normal aos olhos da sociedade, entre as suas cinco irmãs ela não é nem a mais bonita e nem a mais feia, não é a mais culta e tão menos a mais ignorante, nem tão ingênua e nem maliciosa, contanto a vejo no equilíbrio bem mesclado entre suas irmãs.
Elizabeth acredito que por ser bem definida intelectualmente ela tinha sua sutilezas, mas também trazia consigo uma astúcia que a dissemina das outras moças da época, para ela se casar tinha que ser mais do que a status, tinha que ter sentimentos envolvidos como exemplo o amor, então não se importava se iria ficar solteira ou não desde que fosse casar apenas com a pessoa em que ela amasse, que naquele tempo era uma ato de suicídio.
Contanto Jane Austin, consegui mostrar claramente o preconceito entre dois fatores, primeiro; o fato de sua família não ter muitos bens e seu pai ver a necessidade de casar suas filhas com homens ricos. Segundo o orgulho da Elizabeth por não querer se encaixar em uma sociedade que deixa seus direitos pré-estabelecidos como ter que se casar-se por status e não por amor.
Creio que na atualidade esta faltando algumas características que foi apresentado no filme e um dele é o orgulho, porem eu o vejo não algo ruim, mas como uma forma mais ampla de expressão, acho que quando relado o orgulho em relação a Elizabeth gostei. Pois, muitas de suas atitudes me identifiquei, tenho que nos dias atuais é o que falta infelizmente hoje as pessoas vivem somente por curtição/status, não existe mais afeto entre os relacionamentos e quando vir ela defendendo seus valores comecei a fazer vários questionamentos o porque as mulheres de hoje não conseguem se valorizar e compreender que nada melhor do que o conhecimento.
comentários(0)comente



Priscila 03/05/2019

Muito amor por essa história!!!
Hoje, eu vou falar sobre o meu livro de época favorito (finalmente). Sim, é isso mesmo que você leu: meu livro de época favorito!!! E o livro que vou falar é o #orgulhoepreconceito da #janeausten com a @editoramartinclaret .
.
Todos conhecem a história desse livro, então não vou falar sobre a história. Vou falar mais sobre a experiência que eu tive ao conhecer a escrita da autora, que já devo adiantar, foi bem incrível. Bom, eu nunca me imaginei lendo Jane Austen, mas era uma autora em que fui criando uma curiosidade até ler esse livro. Vi o filme umas 10 vezes, e simplesmente amei a história. E claro que fui ler o livro, e foi engraçado, pois enquanto lia, algumas imagens do filme vinham a minha cabeça, facilitando um pouco a imaginação. A história é maravilhosa e muito bem desenvolvida, com todos os destinos traçados.
.
E entre muitas edições dessa história, escolhi essa pois a capa é diferenciada e a diagrama me agradou muito, pois tem um tamanho de fonte que eu gosto de ler e que não me deixa cansada. E a divisão dos capítulos está muito incrível também. Com certeza é um trabalho bem impecável. E mal posso esperar para ler o próximo livro da autora.
.
Recomendo a leitura desse livro para quem ainda não leu e para quem leu também. Até a próxima!!!

site: http://www.instagram.com/uniterario
comentários(0)comente



Patrícia Gonçalves 02/05/2019

Darcy de lado
Retrata costumes da época e a arte das pessoas de não fazer nada. É um livro que traz um romance mais realista do amor, em que as pessoas não são assoladas por uma paixão indescritível e morreriam pela pessoa amada. Por esse lado o livro é muito interessante. Acredito que Lizzie também ter algum início de feminismo. É um livro fofinho.
comentários(0)comente



Elizandra 25/04/2019

O livro não é apenas um romance do tipo 'garota conhece garoto'. Jane Austen nos leva a conhecer a sociedade burguesa do século XIX, seus hábitos, costumes e as relações de interesse intensamente presentes na sociedade da época. A escrita da autora é bem diferente da escrita encontrada na maioria dos livros que leio. É uma escrita mais culta, mais '"elegante" talvez.

A história contada gira em torno da família Bannet, composta por um casal e suas cinco filhas, que assim como qualquer menina daquele século eram preparadas desde de muito jovem para o casamento. Ver todas as filhas bem casadas era o sonho maior da Sra. Bennet.

Porém, Elizabeth (uma das cinco filhas) acredita na liberdade de escolha da mulher e não se submete aos caprichos da mãe e imposições da sociedade. Elizabeth é aquela personagem forte, decidia e empoderada que se impõe diante do que acredita estar errado. É fato também que ela é bastante orgulhosa, mas é justa e sabe reconhecer quando erra.

O Sr. Darcy é um homem elegante e de muitas posses que chega ao vilarejo onde mora os Bennet e logo provoca agitação entre as moças do local que buscam por um bom partido pra se casarem. Darcy é aquele personagem com princípios antiquados, que costuma olhar pros demais com superioridade, ou seja ele se acha a última bolachinha do pacote. Sendo assim ao conhecer Elizabeth fica claro que suas personalidades não se batem de imediato. E é aí que vamos perceber como até as relações amorosas da época giravam em torno de interesses financeiros principalmente.

Através da leitura seremos transportados pra esse época onde os amores poderiam ser sufocados pelos preconceitos sociais, onde as mulheres eram ensinadas a viverem única e exclusivamente no intuito de fazer um bom casamento. Vamos reviver através da leitura de Jane Austen os tempos dos bailes, das cartas, dos jogos de entretenimento após os jantares e dos passeios românticos ao ar livre.
comentários(0)comente



Nati 22/04/2019

Que livro incrível! Amei a personagem principal, Elizabeth, sua franqueza e senso se honra e códigos morais. Gostei muito do desenrolar da história, do final, do romance entre Elizabeth e Mr. Darcy, adorei os diálogos, a polidez, e a forma que a autora coloca as próprias opiniões de forma sutil ao longo da história. Outro personagem que adorei eh o Mr. Bennet. Sua ironia e bom humor são divertidíssimos.
Não é à toa que seja uma obra tão relevante para a Literatura.
Infelizmente a tradução da editora Martin Claret não é tão boa, nem tao precisa. Mas da para desfrutar da história da mesma forma.
comentários(0)comente



DaniBooks 18/04/2019

Orgulho e Preconceito
O título desse livro já nos mostra as características principais de grande parte dos personagens da obra. Aqui temos a família Bennet, composta pelo Sr. Bennet (um pai amoroso, um homem inteligente, mas extremamente negligente. Ele passa os dias lendo em sua biblioteca e não se preocupa com quase nada.), a Sra. Bennet (uma mãe louca para casar as filhas e uma mulher de pouca inteligência e bastante fútil) e suas cinco filhas (Jane, Elizabeth, Lydia, Kitty e Mary).
Elizabeth é nossa protagonista. É uma moça de opinião forte, inteligente, perspicaz e mordaz. Ela conhece o Sr. Darcy, um aristocrata, riquíssimo e, a princípio, antipático e orgulhoso. Elizabeth não gosta dele de cara. E tem motivos para isso: o rapaz realmente faz comentários desagradáveis e mantém uma postura de altivez.
A partir daí, nossa mocinha forma uma opinião preconcebida a respeito de Darcy e nada a faz mudar de ideia. Podemos acompanhar a evolução desse relacionamento, como o amor vence os preconceitos de classe, o orgulho e a vaidade. Darcy e Elizabeth são orgulhosos, cada um a sua maneira, e preconceituosos. Não são personagens idealizados; são seres humanos reais, que retratam em suas personalidades os preconceitos da sociedade do final século XVIII. Porém, o amor é o elemento redentor de ambos. É o amor que une duas figuras de classes diferentes e que faz com que seus preconceitos sejam superados.
Além dos dois protagonistas, o livro é recheado de personagens. Acompanhamos os costumes sociais da época, de forma satírica, através dos personagens que compõem a obra.
A escrita de Jane Austen é maravilhosa, fluida, divertida; é uma mulher que mostra em suas narrativas o quão estava à frente de seu tempo. Ela escreve sobre a sua época de forma irônica e contrói personagens incríveis com o objetivo de mostrar toda a vulgaridade, hipocrisia, preconceito de classe, vaidade, orgulho, futilidade e tantos outros males sociais de seu tempo. Apesar de alguns probleminhas na revisão, o livro é maravilhoso. Vale muito a pena a leitura.
comentários(0)comente



1093 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |