Os Assassinatos da Rua Morgue

Os Assassinatos da Rua Morgue Edgar Allan Poe...




Resenhas - Os Assassinatos da Rua Morgue - adaptação


23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Andressa.Ferregutti 11/02/2020

Outro do Grande Edgar... Eu já mencionei que só assim pra eu ter contato com terror né? ;)
comentários(0)comente



Lara Seixas 27/02/2009

Um maravilhoso livro com alguns contos de suspense, entre eles: Assassinatos da Rua Morgue. Allan Poe sabe prender a atenção do leitor até o final sem deixar que nada seja descoberto até os últimos parágrafos. Cada conto uma nova história, um novo suspense.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Sara 26/02/2021

Deixou a desejar, porém é interessante.
Conta a história de dois brutais assassinatos de mulheres na Rua Morgue, em Paris, casos que parecem insolúveis até que o detetive C. Auguste Dupin assumir o caso.

(26/02/2021)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



ronweasleysimp 14/01/2021

edgar allan poe lendário quando escreveu o sotaque do corvo em inglês britânico e disse "neva"
comentários(0)comente



Camps 03/10/2020

1/2
Pensei que iria gostar mais da primeira história, por gostar muito de thrillers. Porém, por conta do vocabulário (o meu não é muito aguçado) e por conta de quem é o(a) assassino(a), não gostei muito.

Mas a segunda parte, que não achei que iria gostar, acabei gostando mais. Me envolvi no mistério, e por causa desse conto, dei 3.0 estrelas
comentários(0)comente



HARRY BOSCH 22/03/2011

Origem
Sao estes contos que serviram de inspiracao para o grande Sherlock holmes e todos os detetives que vieram depois.E verdade que alguns contos sao um pouco complexo de se entender,mas a criatividade do autor é fora de serie.
comentários(0)comente



_luizabertolini 16/10/2012

Não faz Sentido
Claro que o prezado Edgar Allan Poe sempre será o Pai do suspense, mas na minha concepção, o livro desapontou muito! Parece que ele tinha um limite de páginas para escrever e só deu uma viajada para terminar rápido.
De acordo com a brutalidade dos assassinatos, eu esperava por comparsas engenhosos e frios, não um Oranganto que fugiu de casa e decidiu matar mãe e filha.
Pra mim o livro simplesmente não faz sentido!
Desculpa se disse alguma coisa que lhe ofendeu.
comentários(0)comente



Mary J. 13/04/2009

Com certeza, Edgar Allan Poe havia tomado a garrafa inteira de absinto antes de escrevê-lo!
Embora tenha certas viagens, típicas do autor, é um livro curto, ótimo para dias em que estamos atarefados, que queremos uma leitura não cansativa e que dê para ler de uma só vez.

Muito bom!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Wilton 05/03/2015

De forma geral, os contos do livro caracterizam-se pelos ambientes claustrofóbicos, pelos enigmas, pela atmosfera sombria, quase sempre alocados em castelos, torres, mansões, montanhas e cercados, quer por lagos, quer por abismos, ou seja, por obstáculos intransponíveis que acentuam ainda mais o terror de sua narrativa. Há ainda, os contos de inspiração detetivesca em que o autor confere grande profundidade psicológica aos seus personagens. É uma leitura de inspiração nitidamente romântica onde as sensações revelam-se mais importantes que a razão propriamente dita. O livro é excelente documento de uma época.
comentários(0)comente



Nielly 13/06/2015

O livro assassinatos na Rua Morgue, do escritor de estilo gótico, Edgar Allan Poe (1809-1849), editora Saraiva, São Paulo, 2008, contendo 45 páginas, tem por pano de fundo, um cenário de crimes e mistérios é narrado por narrador personagem e em primeira pessoa.
O livro começa contando como o narrador conheceu seu amigo e companheiro, C. Auguste Dupin, sendo que os mesmo compartilhavam de gostos muito semelhantes (amor por livros) e resolveram morar juntos.
O desenrolar da história começa, quando ambos leem no jornal a noticia de que havia ocorrido um crime insolucionável, na Rua Morgue, crime ao qual era bastante macabro e acabou vitimando duas mulheres. Dupin fica bastante curioso com os assassinatos e resolve juntar pistas e desvendar o tal mistério. Os métodos usados por Dupin assemelham-se muito com os de Sherlock Holmes, dando a entender que seu amigo, o personagem que narra, pode muito bem passar-se por Watson, já que o mesmo é o seu companheiro nessa trajetória e o adimira de maneira bastante peculiar, assim, nosso personagem consegue desvendar o tal crime e deixar o leitor surpreso com quem realmente é o tal assassino.
comentários(0)comente



Kallyssa 29/08/2016

interessante
contos maravilhosos!
comentários(0)comente



Danilo.Claudino 18/04/2017

Bom para uma adaptação.
É uma leitura bem juvenil. Pra quem tá mais viciado nos originais como eu, senti um pouco a diferença. Mas foi uma leitura agradavelzinha. Livro pra menino esse. O lance da adptação é que sempre bate aquela curiosidade do quão diferente é do original.
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2