Uma Dobra No Tempo

Uma Dobra No Tempo Madeleine L'Engle




Resenhas - Uma Dobra no Tempo


84 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Cauã 15/07/2018

Uma Dobra no Tempo
Traz de jeito sutil e de facil entendimento uma aventura infantojuvenil que elevará sua imaginação.
comentários(0)comente



Cindy 10/07/2018

Muito bom
Eu gosto muito de livros de ficção cientifica, mas é a primeira vez que leio uma cristã, principalmente por abordar teorias do espaço-tempo, dimensões e etc. O livro tem algo que deixou até meu coração aquecido. É além do espaço-tempo, é além das dimensões, é além das teorias. O livro ensina que não é errado ser diferente, que igual não é o mesmo que idêntico, que nossos defeitos podem ser nossos aliados e eles nos fazem únicos. Ah! E amo. Não o amor romântico, mas o amor Ágape. Apesar de achar que poderia desenvolver e descrever melhor os mundos visitados, agradeço às Senhor “Q” e Tia Criatura, alguns princípios mostrados no livro, se colocados em pratica, tornariam o nosso mundo melhor. Eu amei e me surpreendi com tanta coisa boa em apenas 240 páginas.

site: @cindysnaple
comentários(0)comente



Silmieko 09/07/2018

Um sopro de amor
Delícinha demais??
comentários(0)comente



Mandi - @oparaisodaleitura 07/07/2018

Uma Dobra no Tempo
Um livro com uma leitura extremamente leve, não o tornando cansativo. Porém, por ser um livro que virou filme, eu esperava bem mais, acabei por criar uma expectativa maior do que ele realmente é. A história é exatamente no estilo dos filmes produzidos pela Disney, como “John Carter – Entre Dois Mundos” e “Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível”.

O livro tem uma história muito simples e, por os personagens principais serem crianças, a história tem um leve ar bobo em seu inicio, quase não levei adiante devido a isso, mas a minha curiosidade de saber porque o livro virou filme falou mais alto e eu continue minha leitura, infelizmente não encontrei algo que me levasse a querer um filme dele. Não é um livro ruim, mas já li outros melhores que poderiam e deveriam ter suas histórias nas telinhas.

A história se inicia com Margaret Murry e seu irmão Charles Wallace, os dois não tem notícias do pai a algum tempo, e não sabem do seu paradeiro, até que 3 senhoras surgem para eles e falam que irão leva-los até o pai. Antes de partirem, Calvin O’Keefe, amigo de Meg, surge e acaba por ir com eles.

Juntos, esses 3 visitam planetas através de “uma dobra no tempo” que os permite se transportar para estes lugares. O livro caracteriza os seus cenários e as criaturas presentes nele de forma fenomenal e ativa muito a criatividade do leitor!!

@oparaisodaleitura

site: https://oparaisodaleitura.com/
comentários(0)comente



Maneka 02/07/2018

Divertido, simples e bonito
A arte é bonita, a cor azul apenas nas sombras é interessante por ser diferente.
Quanto a adaptação, é bem simples. Os personagens e a narrativa são apresentados com poucos detalhes.
A história é pouco detalhada.
Me lembrou um conto de fadas, porém com um contexto mais inteligente.
É uma história divertida e pouco complexa.
comentários(0)comente



Blog Aquela Epifania 28/06/2018

Protagonismo feminino, ficção científica e fantasia, sim!
Um livro de ficção científica, escrito por uma mulher, com uma protagonista mulher. Seria esse o motivo de tantas editoras recusarem publicar pela primeira vez?

Meg é a protagonista da história, excelente em fórmulas matemáticas, é filha de cientistas. No entanto, seu pai está desaparecido há um ano desde o ponto inicial da história, o que fez com que sua mãe tenha ficado bastante entristecida, Meg mais revoltada e, seu irmão mais novo - um garoto prodígio - transformou-se em uma incógnita para todos.

Apesar de triste, a mãe de Meg não duvida nem por um segundo que seu marido irá voltar um dia. E ela tenta passar essa certeza para os filhos.

Em dado momento, uma senhora de nome nada convencional, Senhora Quequeé, aparece na casa de Meg e, após pouco tempo de conversa, diz saber como encontrar o pai desaparecido. E ainda dá sinais que passam certeza do que está falando à mãe de Meg.

É a partir daí que os mistérios da ficção começam a ser desvendados. Eles vão precisar viajar pela Dobra no Tempo para chegar até onde o cientista está. Algo bastante interessante no livro é que, por se tratar de uma leitura voltada para o público mais jovem, além de ter uma escrita muito fluída, Madeleine ainda encontrou uma maneira de explicar conceitos comuns à ficção científica e a ciência no geral, de maneira bem simples, sem ser superficial.

Outras senhoras com nomes estranhos aparecem ao longo da jornada para ajudar ou confundir as crianças. Além de Meg e seu irmão, Charles, eles também contarão com a ajuda de Calvin. Mas muita coisa irá acontecer até o desfecho e o reencontro o cientista.

Durante a leitura você irá encontrar uma pitada de fé na trama, e poderá estranhar isso. Li algumas críticas negativas a respeito. A mim, particularmente, não incomodou. Pelo contrário, achei super interessante ver essas questões, tantas vezes vistas como antagônicas, juntas ali na mesma história, sem intenção de converter, ou sequer convencer, ninguém.

A obra de Madeleine merece todo o reconhecimento nesses mais de cinquenta anos, merece ser lido, merece ir para as telonas, merece tudo! Dá tudo pra ela!

Além de conceitos científicos, a autora conseguiu reunir representatividade, autoconhecimento, fantasia, ciência, crença, amadurecimento e muito, muito mais! Leiam!

Confiram a publicação completa no Blog!

site: http://www.aquelaepifania.com.br/2018/03/resenha-uma-dobra-no-tempo-madeleine-l.html
comentários(0)comente



Liih.Santos 20/06/2018

Uma Dobra no Tempo
? Uma Dobra no Tempo foi originalmente publicado em 1962, depois de ser rejeitado por 26 editoras e é o primeiro livro de uma série de cinco livros, série esta que terminou de ser publicada em 1989. Em todos os volumes, os protagonistas são os irmãos Meg e Charles Wallace Murry.





.
.





Meg tem treze anos e é vista pelas pessoas como encrenqueira e teimosa por ter uma personalidade bem forte, seus pais, ambos cientistas, incentivam seu comportamento e não concordam com o tratamento que a garota recebe na escola. Charles Wallace, um menino de cinco anos que é capaz de ler a mente das pessoas e tem um QI acima da média.
O pai deles, um físico renomado chamado Alexander, está desaparecido há cerca de um ano, mas a mãe deles, Katherine, não parece tão preocupada, e as crianças começam a desconfiar que os pais estão guardando um segredo.
Após receberem a visita de uma vizinha, a Sra. Quequeé, Meg e Charles embarcam em uma aventura e tanto em busca do verdadeiro motivo pelo qual eles acham que o pai esteja envolvido.





.
.





Eu praticamente devorei o livro, foi uma experiência incrível, estava louca pra conhecer a história e foi fantástica, a leitura valeu muito a pena. O enredo mesmo sendo rápido me agradou muito, sem contar a edição que está impecável, com ilustrações muito bacanas, se tiverem oportunidade leiam e se aventurem com os irmãos Meg e Charles, eu recomendo muito, se você é fã do gênero vai curtir também.

? Editora: Darkside @darksidebooks
Autora: Madeleine L'engle
comentários(0)comente



Ruh Dias 19/06/2018

Já li
Madeleine L'Engle, nascida dos anos 20, era considerada muito tímida e "estúpida" pelos seus professores. Começou a registrar seus pensamentos em diários e só teve uma obra sua aprovada e publicada depois dos 40 anos de idade. Madeleine teve três filhos - dois biológicos e um adotado - e eles lhe inspiravam a escrever estórias para o público infantil.

"Uma Dobra no Tempo" foi originalmente publicado em 1962, depois de ser rejeitado por 26 editoras. Madeleine acreditava que seu livro tinha sido rejeitado pois trazia uma protagonista feminina em uma estória com background de ficção-científica, e "o mundo não estava pronto para isso". É o primeiro de uma série de cinco livros, série esta que terminou de ser publicada em 1989. Em todos os volumes, os protagonistas são os irmãos Meg e Charles Wallace Murry e Calvin O'keefe.

Meg tem treze anos e é vista como encrenqueira e teimosa, pois tem uma personalidade forte. Seus pais, ambos cientistas, incentivam seu comportamento crítico e não concordam com o tratamento que a garota recebe na escola. Além de Meg, eles tem um casal de gêmeos (que mal aparecem na narrativa) e Charles Wallace, um menino de cinco anos que é capaz de ler a mente das pessoas e tem um QI acima da média. O pai deles, um físico renomado chamado Alexander, está desaparecido há cerca de um ano, mas a mãe deles, Katherine, não parece tão preocupada, e as crianças começam a desconfiar que os pais estão guardando um segredo.

Um dia, eles recebem a visita da excêntrica vizinha Sra. Quequeé. Ela deixa escapar algo sobre um tesserato e, diante da reação de Katherine, as crianças confirmam suas suspeitas e decidem ir atrás do pai. Com a companhia de Calvin, um amigo de escola, eles vão até a casa da Sra. Queequé, onde conhecem a Sra. Qual e a Sra. Quem - ambas igualmente excêntricas. O tesserato gera uma dobra no tempo e, através desta obra, todos eles viajam pelo Universo para encontrar e resgatar Alexander.

Uma das partes mais interessantes da estória é quando o grupo chega ao planeta de Camazotz. Madeleine, então, mistura fantasia com distopia e cria um mundo onde todas as pessoas fazem tudo igual, todos os dias, do mesmo jeito e no mesmo horário. Não há sentimentos de nenhum tipo - nem positivos nem negativos, apenas um estado perene de apatia e aceitação - nem raciocínio crítico, tampouco diversidade. Sem dúvida, ainda mais nos dias de hoje, este enredo gera muito debate e reflexão e trouxe uma profundidade maior à estória.

Fora isso, Madeleine se valeu da clássica luta entre o Bem e o Mal, o que resulta alguns momentos bem criativos e outros, no entanto, que são clichês. As três crianças e as três Sras. precisam impedir que a Escuridão tome conta da Terra e evitem o que aconteceu em Camazotz e, para isso, precisam do tesserato e da ajuda de Alexander. As cenas de ação decorrentes deste conflito são legais, mas nada que tire o fôlego do leitor.

A parte fantástica fica predominantemente nas mãos das Sras, que são personagens muito interessantes. A Sra. Queequé tem 2.379.152.497 anos, 8 meses e 3 dias de idade, e é considerada a "mais nova" das três. Elas mudam de forma física conforme o planeta onde estão e deixam subentendido que cumprem missões de luta contra a Escuridão por todo o Universo. A Sra. Qual tem dificuldades de manifestar-se de forma corpórea e é, na maior parte do livro, uma luz piscante. Cada uma delas tem suas particularidades e personalidade, o que deixa a leitura mais atraente.

A sensação que tive ao ler este livro é de que ele foi "corrido". Madeleine poderia ter elaborado mais descrições, desenvolvimentos, aprofundamentos e conflitos ao longo da narrativa, tornando-o mais completo. Além disso, sua linguagem é simples, direta e explicativa, própria para o público infantil - e é preciso ter este público em mente ao longo da leitura, para não cairmos no erro de achar seu estilo muito simplista. Mas nada disso tira o mérito da obra, que é marcante, original e cheia de conteúdo para ser explorado.

É uma leitura que recomendo.

site: http://perplexidadesilencio.blogspot.com/2018/06/ja-li-69-uma-dobra-no-tempo-de.html
comentários(0)comente



fabriciovalerio 18/06/2018

Uma Dobra no Tempo é uma Graphic Novel que conta a história de uma família nada convencional, formada por um casal de cientistas e seus filhos peculiares, que enfrenta uma dura realidade: o misterioso desaparecimento de seu patriarca. Com auxílio de três inusitadas e amistosas anciãs sobrenaturais, as crianças aprenderão sobre a dobra no tempo e, através dela, viajarão na tentativa de resgatar seu pai, descobrindo de fato o que aconteceu com o físico e o seu paradeiro. Uma mágica aventura narrada através de uma linda edição em quadrinhos.
comentários(0)comente



10/06/2018

Coragem, aceitação e acreditar em si mesmo
Adaptação para HQ do livro de fantasia e ficção científica de Madeleine L?engle (lançado em 1962). Uma jornada pelo tempo e espaço entre criaturas fantásticas e mundos jamais imaginados. Fala de coragem, aceitação das diferenças e da importância de acreditar em si mesmo.
comentários(0)comente



Dani 09/06/2018

Decepcionante!
Infelizmente não gostei. Fiquei até curiosa em saber se foi uma má adaptação ou não, então talvez dê uma chance ao livro original em algum momento. A Meg é uma das personagens mais chatas que já vi e a história é bem "sem pé nem cabeça".
A arte é OK, mas não gostei da tonalidade azul e preta. Tirou qualquer clima fantástico que a história poderia ter. O desenho de Meg também fez com que ela parecesse bem mais velha do que deveria, principalmente quando estava sozinha num quadro, sem um adulto para comparação.
Meu único ponto positivo vai para a edição da darkside, que está perfeita!
comentários(0)comente



Andressa.Paganini 04/06/2018

Bom Para Passar o Tempo
Confesso que comprei esse livro por impulso(Não tinha muita vontade de ler ele) só fiquei com vontade quando soube que iria ter o Filme da Disney,No começo demorei um pouco para gostar da história e depois com o tempo a leitura ia fluindo e consegui terminar.Não gostei tanto do livro pois acho que ele é bem diferente dos que eu costumo ler mas a história em si é bem legal. Não achei os personagens tão Cativantes assim, Principalmente a Meg.
comentários(0)comente



The 02/06/2018

Edição Linda/História Boba
Sabe aquela questão de expectativas versus realidade? Então, isso se aplica bem a esse livro. Quando vemos a edição caprichada, os lindos traços, as folhas em degrade, e a escolha de tirinhas em tons de azul desse livros criamos, inevitavelmente, uma expectativa imensa sobre a história, afinal é um clássico, uma história premiada que até virou filme da Disney com a Oprah...pois é!
Mas na verdade, a história é bem bobinha, infantil mesmo, com ótimos quotes, confesso, mas sem grandes tramas, tipo de livro que você leria pra seu filho de uns dez anos, e olha dada as crianças atuais ele era também capaz de achar bobinho.
Também existe uma leve pegada religiosa na história em alguns momentos.
Enfim, poderia ser melhor, um livro de tantas páginas podia ser mais adulto e com uma trama mais elaborada, mas não é o caso.
Um livro lindo pra se ter, mas infantil, se tiver isso em mente talvez não se decepcione.
comentários(0)comente



O Rei de Marte 02/06/2018

Vamos dobrar um pouquinho?
Essa linda história me fez voltar a ser criança , fez minha imaginação ir muito além , o livro mostra a aventura de Meg , uma garota que se odeia, não se acha bonita é inteligente mas não consegue usar de maneira correta , junto com seu irmãozinho de 5 anos Charles Wallace um garotinho muito esperto para a idade dele e Calvin um amigo inesperado.
Juntos os três vão em busca do pai (cientista) de Meg e Charles que foi em uma missão secreta para o governo , eles fazem uma viagem pelo espaço/tempo com a ajuda de três senhoras. Conhece planetas e descobrem uma sombra maligna e inimigos surreais , precisam lutar a qualquer custo para salvar seu Pai.

O livro mostra ao leitor que até seus defeitos te ajudam, sim isso mesmo até o seus defeitos. Antes de ler esse livro não esperava muita coisa, mas cada paragrafo que você lê se fica com mais vontade de chegar na final , eu me surpreendi com o desfecho da aventura. Recomendo muito. Não vejo a hora de conhecer os outros títulos.
comentários(0)comente



Gabe | @gabereader 31/05/2018

A história que todos já conhecem agora com um trabalho gráfico esplendido!
Vamos acompanhar a jornada de Meg e Charles em busca do pai desaparecido no espaço. Eles contam com a ajuda do Calvin, que é um amigo e ainda de três senhoras peculiares, a Sra. Quem, Sra. Qual e Sra. Quequeé. Juntos eles vão embarcar numa viagem por outras dimensões e passar por muitos perigos.

Quero falar sobre esta edição da Darkside, apesar de trazer a mesma história original, nesta edição encontramos sutilmente alguns diálogos diferentes e uma ou outra cena também, notei também que há um tom mais bem humorado nessa narrativa e ficou maravilhoso. Edição em capa dura com corte colorido e brilhos pela capa, o material acaba se tornando um item lindo pra se ter na estante! Ler essa brilhante história em graphic novel é incrível, poder imergir na narrativa e ainda associar às ilustrações tão bem retratadas e lindas, proporciona uma experiência de leitura sem igual, as fontes e traços são muito confortáveis, você realmente viaja na leitura!
comentários(0)comente



84 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6