Uma Dobra No Tempo

Uma Dobra No Tempo Madeleine L'Engle


Compartilhe


Resenhas - Uma Dobra no Tempo


103 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Fabio Di Pietro 17/09/2018

Infanto-juvenil demais
Achei interessante, mas não surpreende. Enredo que segue uma estrutura mais clichê. Não sei se o livro apresenta mais detalhes e explicações, mas achei bem superficial. Bem voltado para um início de leitura para pré adolescentes. Também achei a personagem principal um pouco chiliquenta demais...
comentários(0)comente



Tatahsica 13/09/2018

Um amorzinho.
Uma mistura de física, mecânica quântica e muito amor.
comentários(0)comente



Henrique.Henrique 07/09/2018

Uma bela história
Uma bela história, rica em meta física e em mecânica quântica.
Pra quem entende um pouco de MQ irá ver o quanto esse quadrinho nos remete a Matrix e o quanto precisamos aprender a enxergar com a alma e não com os olhos.
Perfeito.
comentários(0)comente



Lili 05/09/2018

Uma Dobra no Tempo
Comecei a leitura esperando uma viagem no tempo, mas o que encontrei foi uma viagem na maionese... =/

Não gostei. Não cheguei a detestar, mas não recomendo.
Cy 06/09/2018minha estante
HAHAHAHAHAHAHAHAHA




Sissi 05/09/2018

Esqueça Nárnia
Esqueça Nárnia.

Uma dobra no tempo é o primeiro livro de uma série clássica infanto juvenil de Madeleine L’Engle que está completando 50 anos de existência. Essa série tem uma pegada de fantasia cristã, e causou uma certa polêmica entre os leitores desde o seu lançamento.

Confesso que, quando iniciei essa leitura, não fazia ideia do que se tratava e acabei me surpreendendo bastante. Tive alguns problemas com os nomes dos personagens - mas quem me segue sabe que eu sofro desse mal - as senhoras Quequeé, Quem e Qual e levei algum tempo para conseguir me situar na história.

Fora isso, Uma dobra no tempo tem o poder de conquistar jovens e adultos, com suas viagens por outros planetas misturando a ficção científica com fantasia. Esse toque nos ajuda a "viajar" na imaginação nos remetendo a outros tantos lugares fictícios como a própria Nárnia.

E quando eu disse para vocês esquecerem Nárnia, explico: a comparação entre as duas obras é inevitável, porém, a única semelhança entre elas sãs as mensagens bíblicas em seus enredos.

Mas vamos aos meus problemas com o livro. Essa não é uma leitura para qualquer um - e eu me incluí nessa menção. Além da minha dificuldade com as senhorinhas - que logo consegui acertar na minha cabeça - o montante de física, ciências e teorias me perdeu um pouco.

Ah, Sissi.... mas é porque você lê livro de romance... hot.

Nada disso, amiguinhos. Eu leio outras coisas também, como suspense, terror e policial. A parada foi o nome das senhorinhas e a tal da ciência que me deixou bem enrolada. Mas, tirando isso, temos um livro de aventuras com um trio de personagens montado especialmente para que possamos escolher o nosso favorito, e onde um complementa o outro. Meio Harry Potter isso? Sim... e também meio Nárnia e outros tantos universos que trabalham nessa dinâmica.

O livro nos lembra de coisas importantes que jamais deveriam precisar ser lembradas: o amor, a união, a amizade e a família. Deixe de lado os seus preconceitos, e aproveite a jornada de Uma dobra no tempo. Pare para ler com carinho as citações bíblicas, mesmo que essa não seja a cartilha da sua religião e reflita se não vale a pena colocar algumas em prática no seu dia a dia.

Sobre a edição: A HarperCollins Brasil fez um trabalho impecável. Os volumes dessa série saíram em tamanho diferenciado, capa dura e com uma arte espetacular na capa. Ao final do livro, somos brindados com discurso de agradecimento da autora pela medalha Newbery e com um posfácio. Esse foi escrito por uma das netas da autora contando a trajetória de escrita até a publicação do livro e também nos dando uma mini biografia de Madeleine.

site: www.youtube.com/dicasdasissi
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 05/09/2018

Resenha: Uma Dobra no Tempo
Uma Dobra no Tempo é um elogiadíssimo clássico de Fantasia e Ficção Científica que ganhou uma mega edição especial pela Editora Harper Collins. A obra, da autora Madaleine L'Engle, coloca uma garota à frente de uma aventura entre galáxias e o desconhecido.

Na história, acompanhamos Meg. Ela não entende seu lugar na família, na escola e no mundo. Questionadora e extremamente teimosa - e birrenta - Meg não tem muita expectativa para seu futuro. Com o desaparecimento misterioso do pai em uma missão para o governo, a garotinha só quer continuar emburrada e reclamando de tudo até que o universo resolve colocá-la a prova.

Meg, seu irmãozinho genial e incompreendido chamado Charlie e um garoto que ela só conhecia de vista, Calvin, mas que aparentemente também se encaixa nessa questão de "não se encaixar em lugar algum" são convocados por três entidades esquisitas a viajar para muito longe de casa a fim de salvar a vida do pai da Meg - e, quem sabe, o próprio planeta Terra.

"O escuro tem algo de tangível, é possível se mover através dele, você pode senti-lo; no escuro, você caminha e pode bater a canela; o mundo das coisas segue existindo ao seu redor. Aquilo em que ela estava perdida era o vácuo horripilante."

Uma Dobra no Tempo foi uma leitura agradável, leve e bastante refrescante para o cenário da Ficção Científica. A obra, publicada nos anos 60, se tornou um clássico aclamado justamente por desafiar o padrão, dando o protagonismo a uma garota, usando linguagem mais simples para explicar situações complicadas sobre viagem entre dimensões, física, mundos novos e uma galáxia de possibilidades. E também por usar muito de religião em um cenário questionador.

Madeleine tem uma narrativa bastante juvenil; familiar a quem acompanha séries como Percy Jackson e Magisterium, mas com um humor bem mais delicado e com personagens menos rebeldes ou exaltados. Crianças de sua época, de fato.

"- Guarde a fúria, pequena Meg. Você vai precisar dela agora."

Meg é um pé no saco, mas é parte da sua história e do seu arco agir de tal maneira. Não acho suportável, mas justificável. Ela não evolui, exatamente, dentro da trama; não existe uma crescente de desenvolvimento ou de melhora em sua postura porque a história precisa que ela seja furiosa e birrenta.

Charlie, por outro lado, é o lado racional e perspicaz. O doce garotinho, considerado problemático para as pessoas que não o conhecem, é de uma inteligência e sagacidade que completam os conhecimentos específicos da irmã - e forma o equilíbrio perfeito às birras e chatices de Meg.

Calvin, por último, cai de paraquedas no grupo e acaba se entendendo muito bem com os dois irmãos. Crescido em uma família gigante e com pouca atenção sobre si, a consciência e a sabedoria de Calvin vêm para completar o que o trio tinha até então. Onde Meg é furiosa e Charlie é sagaz, Calvin é empático.

Guiada por três Senhoras esquisitas e que pouco fazem sentido - pelo menos até que você entenda, de fato, o que elas são - a jornada das três crianças pelo universo é rápida, sem grandes enrolações. Somos apresentados a três cenários distintos dentro desse mundo de possibilidades, o que deixa em aberto sobre até onde a autora pode levar os personagens na missão de salvar o mundo da Escuridão; uma massa de sombras desconhecida que se arrasta pelo universo e devora planetas e deixa o caos para trás.

"- Acho que, dentro das nossas limitações de ser humano, nem sempre somos capazes de entender as explicações. Mas, veja bem, Meg: não é porque não entendemos alguma coisa que essa explicação não existe."

Usando artifícios sutis, a autora explora religiosidade e ciência dentro da trama principal. Tal como As Crônicas de Nárnia, Uma Dobra no Tempo levanta questionamentos sobre fé e devoção, o poder do amor e da esperança - ao mesmo tempo em que cria esse mapa de planetas e tecnologia e explora ideias malucas e bizarras que, aqui, fazem bastante sentido.

Das figuras coadjuvantes ao trio principal que fazem parte do bizarro, as Senhoras se destacam. Elas são entidades misteriosas, cada uma com seu jeito peculiar de falar e de se portar, convenientemente escondendo respostas nos momentos certos para que as crianças descubram tudo sozinhas.

A edição da Harper Collins está um capricho. Definitivamente uma homenagem à saga que conquistou tantos leitores com o passar de todos esses anos; capa dura, diagramação agradável e revisão impecável.

"- Você ajudou muito porque me deixou furiosa, e quando eu fico furiosa, não sobra espaço para o medo."

Uma Dobra no Tempo é um bom livro para quem gosta de viagens no espaço e mundos fantásticos embasados em ciência; uma jornada sobre coragem, amor e esperança com um fim curioso que deixa um gostinho de "quero mais".

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2018/09/resenha-uma-dobra-no-tempo.html
Alana 05/09/2018minha estante
undefined




Bruno 01/09/2018

Resenha @leitor_noturno
Autora: Madeleine L’Engle
Editora: @harpercollinsbrasil
Estilo: Ficção Infanto-Juvenil/ Fantasia
Resumo: Uma Dobra no Tempo é o primeiro livro de um quinteto, onde muita fantasia e outros mundos serão desbravados. O pai de Meg e Charles sumiu e eles acreditam que ele possa estar em outra dimensão, quando 3 criaturas estranhas aparecem dizendo-lhes que tem a passagem para ir resgata-lo eles não têm duvida em acreditar e embarcar nessa loucura. As duas crianças terão de usar o Tesserato, experimento de seu pai, para ir buscá-lo, mas não sabem o mundo e os monstros que encontrarão por lá. Como é o primeiro volume, o final fica aberto, apesar de eles terem um objetivo para esse primeiro livro que é finalizado. Venha descobrir o que o Tesserato é e o quão valente crianças podem ser, nessa maravilhosa aventura dos anos 60, relançada agora e que ganhou um filme feito pela Disney.
Capa: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Edição: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Personagens: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Fantasia: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Ação: ⭐️⭐️⭐️⭐️
Monstros: ⭐️⭐️⭐️⭐️
Ambientação: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Nível como Ficção-científica: ⭐️⭐️⭐️
Explicação de Fatos Fantásticos: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Descrição da Outra Dimensão: ⭐️⭐️⭐️
Nível como Sequência: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Importância de continuar acompanhando: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Aventuras: ⭐️⭐️⭐️⭐️
Força Feminina: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Nível como Infanto-juvenil: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Conclusão do volume: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Abertura para o segundo volume: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Quem Pode Gostar: Fãs de livros infanto-juvenil, quem gostou de Crônicas de Nárnia, quem adora Harry Potter, quem gosta de livros onde a força Feminina prevalece, quem gosta de livros antigos com novas edições e quem gosta de ler o livro depois de ter gostado do filme.
Nota Final: ⭐️⭐️⭐️⭐️

site: https://www.instagram.com/leitor_noturno/
comentários(0)comente



Tamy Sousa 31/08/2018

Uma linha reta não é a distância mais curta entre dois pontos.
Surpreendente.
Envolvente.
Absurdamente inteligente.
Essa obra de Madeleine é a primeira da série ?Uma Dobra no Tempo?, composta por cinco livros.
Uma aventura repleta de fantasia, ficção científica, suspense e muito, muito amor.
Há algumas citações de passagens Bíblicas e obras clássicas.
Duvido você não se encantar com a família Murry, a mente de Charles, o carisma de Meg e a pessoa de Calvin! A aventura pelo tempo e espaço aliviam os termos científicos e que talvez você desconheça.
O livro te leva envolto em mistério e perigos, lições de vida e fantasias, viagem pelo tempo e espaço, ciência e faz de conta, um livro que com certeza te faz desejar uma sequência.
Essa edição conta com o discurso de agradecimento pela medalha Newberry (entregue a Madeleine em 1962), em seu agradecimento ela fala sobre o processo de criação do livro bem como o universo infantil, contos de fadas, etc.
Recomendo a leitura do livro completo, incluindo o discurso final.

?Um livro também pode ser um material explosivo, apto a agitar a vida de modo incessante, um fogo vivo que alumia as trevas, que nos conduz ao universo em expansão. [...] é por isso que a eles nos voltamos repetidamente quando somos crianças, e novamente quando crescemos.?
comentários(0)comente



dayukie 26/08/2018

"(...)
O livro é muito legal. Você acaba se envolvendo com toda essa batalha e descoberta, com essas viagens e conhecimentos. Você se torna um dos personagens e não consegue sair deles, criando uma enorme ânsia de saber o final, quem realmente é o bem e o mal, além de se envolver em meio a alguns conhecimentos, sejam fictícios ou não.
Senti que faltou uma explicação melhor no final? Sim, senti. Parei e me perguntei: o que aconteceu com eles?
Além de ter desejado em alguns momentos dar uns tapas na Meg por algumas atitudes dela."
Resenha no blog.

site: https://goo.gl/vNedwe
comentários(0)comente



João Victor - @sigamoslivros 23/08/2018

#RESENHASOL | 4,5/5 ? | Madeleine L'Engle | 240 páginas | ficção científica | Harpercollins
Meg Murry, uma jovem que aos olhos da sociedade é "estranha", igual a seu irmão mais novo, Charles Wallace, que não se comunica com ninguém apenas com seus familiares e chamam-o de especial, não no sentido positivo da palavra.
? ????
A família desses dois é composta ainda pela mãe cientista e seus irmãos do meio, gêmeos, ditos por todos: meninos normais. Mas o que Meg e Charles têm que não possam ser vistos pelos outros como crianças normais?
? ????
O pai das crianças, o Dr Alex Murry, há alguns anos não aparece, e há um ano não responde as cartas que todas as noites sua esposa Kate Murry lhe escreve. E após o aparecimento de uma estranha visita na madrugada, a história desse desaparecimento e dos mistérios que envolve os dois filhos dos cientistas começará a ser descoberta.
? ????
Contando ainda com o jovem Calvin, que coincidentemente, se deparou com os irmãos na floresta em busca da Sra. Quequeé, um garoto que possui habilidades únicas que se convergem com as peculiaridades das outras duas crianças.
? ????
E de quem se trata essa Sra. Quequeé?
Ela e suas duas amigas, a Sra. Qual e a Sra. Quem, serão as responsáveis que levarão as três crianças em uma aventura inesperada, pelo tempo e espaço, em busca do pai desaparecido.
? ????
Uma história que não reúne apenas elementos fantásticos e científicos, transcende qualquer outra história que seja voltado ao público infanto juvenil, abordando elementos sociais, morais, culturais e principalmente religiosos.
? ????
Esse livro tem referências explícitas ao livro mais lido/vendido no mundo: a bíblia. Com diversas passagens retiradas do volume que contém textos religiosos de valor sagrado ao cristianismo. E como sabemos ela narra interpretações religiosas do motivo da existência do homem na Terra. E o que melhor em livro da literatura fantástica, do que colocar embasamento na história que subsiste à séculos?
? ????
Esse livro conta ainda com referências ao livro mais lido/vendido do mundo: a bíblia. Madeleine apresente essa história simples e envolvente em poucas páginas, mas que dão profundidade aos seus personagens e não nos deixa faltar descrição de cenários, tudo com sua escrita leve e fácil, já que seu público é o infantil, mas não deixa de ser uma ótima história para o público mais maduro, que assim capta seus ensinamentos mais rápido e ensinando que para se ter uma vitória não precisa ter poderes especiais, basta aceitar seus defeitos e não deixá-los superar seus valores.
comentários(0)comente



Bru 22/08/2018

Ótimo, doce e puro
?- Você acha que as coisas sempre têm explicação?

Sim. Acredito que sempre têm. Mas acho que, dentro das nossas limitações de ser humano, nem sempre somos capazes, de entender as explicações. Mas, veja bem, Meg: não é porque não entendemos alguma coisa que essa explicação não existe.? p.50
.
Uma dobra no tempo é um Clássico e é um infanto juvenil, da editora @harpercollinsbrasil ele é lindo, de capa dura e folhas amarelas, possui uma linguagem bem fácil, pois é narrado em uma perspectiva de uma criança, o que é encantador e transmite pureza
.

O livro é narrado por Meg, uma adolescente, insegura, que se acha estranha e incapaz de resolver seus problemas, ela tem 3 irmãos e seus pais são cientistas tremendamente inteligentes
.
Porém, há um tempo seu querido pai um físico renomado, está desaparecido, sua mãe diz que ele está trabalhando para o governo, mas Meg não acredita nisso e tão pouco Charles seu irmão mais novo que é uma criança (super dotada)
.
Depois de uma visita inusitada de duas mulheres estranhas eles embarcam em uma aventura para outro planeta afim de salvar seu pai, em um novo mundo, com outros seres e outras formas de comunicação, pensamento e vida. Essas crianças tentarão trazer seu pai de volta para casa
.

Meg, terá de ser corajosa e acreditar em si mesma, e também seu irmãozinho precisará ter humildade para enfrentar AQUELE (esse é o nome do vilão hahahaha) e mostrar que se ganha mal com bem, ódio com amor e ganância com humildade
.

É muito bacana e criativo a forma do desenrolar desses novos planetas, eu acredito sim em outros seres e outros planetas hahaha e vocês?
.

A escrita da autora é boa demais, li tão rapidinho. Ele é um livro espirituoso, acredito que por se tratar de um livro para o público infantil, remete uma certa paz aos leitores. Amei
5/5??
comentários(0)comente



Delirium Nerd 21/08/2018

A versão em graphic novel de uma história entre dimensões
Na década de 60, uma história diferente ganhou popularidade entre as crianças. Escrito por Madeleine L’Engle, Uma Dobra No Tempo trazia como novidade o protagonismo feminino em uma história de ficção científica. Não só mostrou que crianças poderiam entender ciência, em uma linguagem mais simples, como mostrou que as meninas poderiam viver ciência. Unindo conhecimento científico com reflexões sobre a sociedade, chegou aos dias atuais e ganhou uma adaptação cinematográfica. E foi, então, transformado em graphic novel pela editora Darkside Books. Em uma linda edição, torna a experiência da história ainda mais mágica.

Toda menina pode ser uma heroína

Meg Murry é uma menina de 12 anos que enfrenta diversos problemas na escola, sobretudo em razão do desaparecimento do pai. E não bastasse os seus próprios problemas, ainda tenta defender seu irmão mais novo Charles Wallace, um menino inteligente, mas que prefere não se manifestar como todos esperam. Como toda adolescente, Meg queria ser mais bela, mais inteligente, e acha que não tem nenhuma importância no mundo. Isso até que três estranhas senhoras aparecem em sua vida.

A primeira é a senhora Quequeé, a excêntrica mulher que aparece em sua casa durante uma tempestade. Depois vem a senhora Quem, aquela que fala apenas em citações, pois tudo já foi dito no mundo. E então a senhora Qual, a mais velha e enigmática de todas. E apesar da estranheza inicial de Meg, ela precisa aceitar a simpatia de Charles Wallace pelas três senhoras, que, mal sabe ela, a levaram em uma grande jornada – e no caminho de busca por seu pai.

Junto ao amigo Calvin, Meg e Charles Wallace encaram viagens interdimensionais pelo princípio do tesserato – uma dobra nas dimensões. Assim, exploram novos mundos em busca de uma solução para o mal que os ameaça. E nessa aventura, cada um exerce uma função essencial. Inclusive Meg, aquela que pensa não possuir nenhuma qualidade. Onde os “defeitos” não são vistos como defeitos, mas como características, qualquer menina pode ser uma heroína. Mesmo ela, que nunca acreditou em si mesma.

Uma jornada interdimensional

Três mulheres apresentam-se como guias para os personagens de Uma Dobra no Tempo, levando-os a encarar seus próprios medos em uma luta entre o bem e o mal. Com a ajuda da ciência, Meg, Charles Wallace e Calvin são transportados a um mundo em que os detalhes se tornam mais nítidos. Apesar de toda a beleza desse universo, entre seres mágicos e belas paisagens, os três também conseguem enxergar uma perigosa névoa que se espalha pelo universo. É a força maligna contra a qual o pai de Meg vem lutando.

Ainda que assustados pela profundeza dessa força, os três decidem ir atrás do pai de Meg e ajudar na reversão desse grande mal. Mas surpresas os aguardam, algumas das quais provenientes deles mesmos. Em um planeta ritmado, quase hipnótico, em que a divergência não é uma opção, aqueles que parecem se sobressair podem se entregar à arrogância. E aqueles que parecem nada oferecer, podem representar a esperança.

A preocupação com o mundo

Uma Dobra No Tempo não mescla apenas ficção e ciência. A obra também aborda princípios, além de discussões sobre filosofia e sociedade. Em primeiro lugar, há personagens que destoam dos padrões, seja pela aparência ou pela história de vida. Em decorrência disso, enfrentam julgamentos sociais, preconceitos em diversas esferas. Meg é julgada por não seguir um padrão de feminilidade e nem de inteligência, quando ela apenas é quem é. E é sua essência que ela precisa descobrir e aceitar. Sua mãe é julgada por, aparentemente, ter sido abandonada pelo marido. Charles Wallace, por não interagir dentro de um padrão. Calvin, por não ter a família “padrão” ou por não cumprir as expectativas dentro dela.

Em segundo lugar, há críticas explícitas a um padrão da vida moderna, em que as pessoas cada vez mais tentam se padronizar, mas também tentam transformar o mundo em uma máquina a serviços de interesses egoístas. Em Camazotz, tudo é pré-determinado e todos seguem a mesma lógica. O mundo é transformado em uma grande fábrica, para a qual todos devem servir sem questionar. Questionar é uma ameaça, e aqueles que divergem devem ser aprisionados, silenciados.

Uma Dobra No Tempo também traz elementos fortes de princípios, como o amor. E apesar das referências a um deus que remete ao deus cristão, a autora justificou que não quis se restringir a uma religião, mas abordar princípios universais para falar dessa luta entre o bem e o mal, sobre o amor por si e pelos outros.

Leia na íntegra:

site: http://deliriumnerd.com/2018/06/15/uma-dobra-no-tempo-graphic-novel-resenha/
comentários(0)comente



Julius Brenig 13/08/2018

Comentário Geral: Essa é uma grafic novel baseada no livro de mesmo nome, que não li, então vou falar apenas sobre essa adaptação. A trama é cativante e misteriosa desde o início, os elementos de #ficcaocientifica são bastante presentes e conceitos bem complexos. É uma leitura muito divertida e a edição que a @darksidebooks trouxe é impecável.

Breves Pontos Positivos: Os personagens são muito cativantes, principalmente as Senhoras Quemqueé, Qual Quem. Gostei muito de escolhas narrativas presentes na história, usando muito dos cenários para compor, e o uso interessante das cores.

Breves Pontos Negativos: Não se isso é presente no livro ou se é uma falha da grafic novel, mas os personagens parecem aceitar tudo rápido demais e há uma relação conflituosa de sentimentos numa mesma cena, que me desgradou um pouco.
comentários(0)comente



Kelly 12/08/2018

Genialmente Maluco
Para quem tinha um projeto de iniciar leituras de clássicos e montar uma nova coluna no Blog, comecei bem meu ano, mesmo que no susto, já que só descobri a importância desse livro depois da leitura finalizada, vamos conhecer um pouco mais sobre esse clássico que recebeu uma nova edição para comemorar os seus 50 anos de publicação.

Meg Murry é a típica garota que acha estranha no início da adolescência, com um temperamento nada fácil ela acredita que é um problema para sua família, e o fato de ser explosiva não ajuda em nada quando as pessoas começam a criar teorias nada respeitáveis sobre o desaparecimento de seu pai ou sobre a lerdeza de seu irmão mais novo, Charles.

Mas na verdade Charles não é lerdo, longe disso, Charles é um garoto espetacularmente inteligente para sua idade, 5 anos, a questão é que ele não se abre para todos e deixa que a ignorância alheia cubra sua inteligência, já o pai.. sim ele está desaparecido, e até o momento nada se sabe, há não ser que ele saiu para fazer um serviço em outro país e ainda não voltou, mas enquanto a bela Sra Murry acreditar que ele voltará, ninguém poderá dizer o contrário.

Meg é filha de dois grandes cientistas, e por ter um irmão tão inteligente acredita piamente que ela é o ser lerdo da família, já que até os gêmeos são mais espertos. Mas tudo isso mudará depois de uma noite chuvosa onde toda a família conhecerá a estranha Sra. Quequé, que levará os meninos para uma aventura além mundo para salvar o pai da escuridão.

Meg é apenas uma jovem cheia de defeitos que terá que aprender não só lidar com eles, mas se aceitar do jeito que é, e mesmo com toda a sua imperfeição se tornar uma heroína em uma época em que mulheres não eram nem de longe imaginadas nessa função.

Eu poderia dizer que o livro se resume a isso, ou poderia assumir a minha ignorância em entender varias trechos complexos do livro e dizer que ele não é bom, mas longe disso. Apesar dos termos físicos utilizados na narração, e do fato de que sim, por falta de conhecimento a leitura acabou ficando um pouco confusa e arrastada eu ainda sim afirmo que o livro é uma obra prima, ainda mais se analisarmos a época em que foi escrito, Madeleine sem duvida é uma espécie rara de escritora com uma genialidade admirável.

O contexto básico do livro é que Charles, Meg e Calvin, um amigo conhecido no decorrer da jornada, partirão em uma viagem entre dimensões para salvar o pai, um cientista renomado que acabou se perdendo entre as mesmas estudando o Tesserato, que seria da forma mais leiga a viagem entre dimensões, ou os saltos no tempo.

No decorrer da leitura consegui facilmente ligar o estilo de narrativa da autora em terceira pessoa, com a narrativa empregada em Desventuras em série, e ainda sim o contexto pode te fazer lembrar de livros como Os Gêmeos, Terra de Histórias ou até mesmo A bússola de ouro onde nada é o que parece e tudo pode ter varias interpretações, e quando digo isso posso usar como exemplo a escuridao, que ao passar dos anos recebeu inúmeras interpretações diferentes, algumas religiosas outra políticas, ainda há quem discuta o gênero, infanto juvenil ou Jovem Adulto? Sic-fi ou Fantasia?

O livro possui um contexto complexo, e por conter poucas explicações deixa o enredo aberto para que o leitor chegue a sua própria conclusão com relação não só aos acontecimentos como também aos personagens. Com isso em mente é fácil entender porque o livro fez e ainda faz tanto sucesso.

A série é composta por 5 livros, e pelo que pude entender cada um com uma história diferente relacionadas aos personagens conhecidos nesse primeiro volume, todos serão lançados pela HaperCollins, mas ainda estão sem data prevista.

Com uma edição de dar inveja a muita gente e de com certeza encantar os leitores a HarperCollins Brasil nos traz esse primeiro volume em HardCover e com uma diagramação impecável, no Brasil apenas três volumes foram publicados, tendo sua edição anterior pela Editora Rocco, que não reproduziu os últimos volumes.

E se já não bastasse tudo isso, o clássico ainda ganhará uma adaptação para o cinema que já possui até trailer! Só peço esperar com ansiedade pela série e por sua adaptação que espero, faça jus ao trabalho da querida Madeleine.

Madeleine foi para muitos a incrível J.K Rowling que conhecemos hoje, depois de ter seu material renegado em varias editoras, quando enfim foi publicado vendeu milhões e se tornou uma obra famosa, um clássico vencedor do prêmio Medalha Newbery em 1963, perdurando por anos a fio e ainda sim sendo adaptado para o cinema.

site: http://www.paraisodasideias.com
Eliane Sadakane 05/09/2018minha estante
undefined




Camila Márcia 09/08/2018

Uma aventura incrível
Uma Dobra no Tempo (A Wrinkle In Time) é o primeiro livro de uma série infantojuvenil de ficção científica com fantasia chamada Uma Dobra no Tempo, escrita pela estadunidense Madeleine L'Engle. Essa série já tem lá seus 50 anos de existência, mas pasmem: eu ainda não havia ouvido falar dela até este ano com a adaptação em filme e a reimpressão dos livros.

A ordem dos livros é:
1. Uma Dobra no Tempo
2. Um Vento à Porta
3. Um Planeta em seu Giro Veloz
4. Muitas Águas
5. Um Tempo Aceitável

Essa série também é conhecida por ser uma obra de fantasia cristã (aspecto que me faz lembrar de As Crônicas de Nárnia - vale lembrar que os assuntos e a forma de desenvolvimento são completamente diferentes, ok?) e que traz algumas mensagens e ensinamentos sobre teorias científicas e também de princípios religiosos. Não tenho nenhum problema com conteúdos assim, embora eu tenha sido pega desprevenida, pois não fazia ideia do que encontraria aqui.

A verdade é que, apesar de ter gostado da leitura de Uma Dobra no Tempo o livro não fez meu coração bater mais forte pelas aventuras vividas por Meg Murry, seu irmão, Charles Wallace, e seu amigo Calvin.

Uma Dobra no Tempo é uma leitura leve, gostosinha e rápida, traz personagens bem diferentes e misteriosos como a Sra. Quequeé, a Sra. Qual e a Sra. Quem. O enredo consiste, basicamente, na busca de Meg, Charles e Calvin, pelo pai: o Sr. Murry. Personagem que há anos está desaparecido e que aos poucos descobrimos que isso se deu por conta de uma pesquisa científica que ele realizava e acabou por tesserar em outro mundo. Então o trio de Senhoras misteriosas vão tesserar com as crianças e na medida em que isso acontece vão explicando "segredos" do universo, apresentando outros mundos, novos personagens e vivendo aventuras e perigos.

Como eu disse, apesar de ter gostado do livro, senti falta de um fundamento melhor, de melhor explicação, e um desenvolvimento mais descritivos sobre os mundos e as personagens criadas. Contudo, levando em conta o público para o qual o livro foi escrito, podemos considerar esses pontos não tão relevantes, já que mesmo com estas "lacunas" a estórias se desenvolve de forma intrigante.

Algo que realmente apreciei em Uma Dobra no Tempo foi a característica de passar alguns ensinamentos, curiosidades, preceitos e princípios que podemos carregar por toda a vida, além disso também temos mensagens lindas sobre amor, amizade e família que sempre devemos valorizar, por mais difícil que seja alguns relacionamentos.

Mesmo não tendo me empolgado tanto com Meg, Charles e Calvin, acho que eles são personagens que podem se desenvolver melhor nos próximos volumes da série, também acredito que algumas explicações possam vir a surgir nos próximos volumes. Gostaria mesmo de saber os motivos da trio de Senhoras terem ajudado as crianças, terem escolhido elas para tesserar... entre outras perguntas que tenho na minha cabeça após a conclusão deste primeiro volume. Realmente espero que os próximos volumes tragam mais respostas.

Para finalizar meus comentários sobre Uma Dobra no Tempo acho super válido falar sobre a edição da HarperCollins: Capa dura, fonte agradável, espaçamento perfeito, margens também incríveis, e alguns extras como biografia da escritora e discurso de premiação. Está perfeita!

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



103 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7