O Menino do Dedo Verde

O Menino do Dedo Verde Maurice Druon




Resenhas - O Menino do Dedo Verde


184 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |


Fabio Shiva 30/12/2017

menino azul do dedo verde
Que maravilha poder reler esta pequena obra-prima! Alguns livros são essenciais, precisam ser lidos e relidos ao longo da vida. E “O Menino do Dedo Verde”, junto com “O Pequeno Príncipe” e “O Menino Maluquinho”, compõem a trilogia básica para manter a sua Criança Interior sempre ativa e saudável!

Tistu é, provavelmente, a primeira criança azul da Literatura! Como toda criança, ele está sempre disposto a nos lembrar do óbvio e do essencial, olhando o mundo como quem enxerga tudo pela primeira vez.

E o que Tistu vê é que o homem é um filho da Natureza, e que jamais poderá ser feliz rejeitando essa conexão primeva, tentando substituir o solo macio da Terra pelo duro concreto e a sombra acolhedora das árvores pelo sombrio perfil de um arranha-céu. A felicidade é simples, e as crianças sabem de muita coisa importante que os adultos esqueceram. O adulto mediano vê numa criança um projeto de adulto, quando deveria ver um Mestre, que está muito mais próximo da Verdade do que ele.

Disse Jesus: “Deixai vir a mim as criancinhas, e não os impeçam, pois o Reino dos Céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”.

http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com.br/2017/12/o-menino-do-dedo-verde-maurice-druon.html


site: https://www.facebook.com/sincronicidio
comentários(0)comente



Malu 03/12/2017

Destino: O Menino do Dedo Verde.
Título: O Menino do Dedo Verde.
Autor: Maurice Druon.
Editora: José Olympio Editora.
Número de páginas: 110.
Classificação: 5 estrelinhas.

 Sinopse: Era uma vez Tistu... Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o “enverdecimento” e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final é surpreendente e singelo. O Menino do Dedo Verde, de Maurice Druon, tornou-se um clássico da literatura para crianças e jovens em todo o mundo e permanece atual há três décadas, sendo adotado em escolas do Ensino Fundamental todos os anos. Esta fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; e foi pioneira ao abordar o tema ecologia.

 "- Descobri uma coisa extraordinária - disse Tistu em voz baixa. - As flores não deixam o mal ir adiante." (página 50).

 Com toda certeza, "O Menino do Dedo Verde" foi uma obra literária que me marcou muito. Descobri essa incrível estória através de um projeto proposto pela escola, no qual teríamos de lê-lo para fazermos uma prova. O interessante é que eu fui uma das únicas pessoas que se apaixonaram profundamente pelo significado que esse pequeno livro nos transmite.
 Tistu era um garotinho que morava na cidade de Mirapólvora. Seu pai era o dono de uma grande fábrica cinzenta de canhões, e um dia Tistu herdaria o negócio. A mansão de sua família era brilhante e impecável, e, como se não bastasse, ele ainda era muito bonito. Com toda a sorte que tinha, ele era considerado um menino feliz.
 Até os oito anos de idade, o garoto permaneceu em casa recebendo uma educação básica de sua elegante mãe. Contudo, finalmente seus pais decidiram que já estava na hora dele ir para a escola como os outros garotos da sua idade.
 As expectativas eram altas, Tistu era uma criança inteligente e provavelmente haveria de tirar somente notas altíssimas. Mas após apenas três dias de aula ele voltou para casa com um bilhete de seu professor dizendo que não era possível mantê-lo na escola. Ao saberem da notícia, seus pais se sentiram profundamente decepcionados. Eles haveriam de resolver esse problema rapidamente!
 Por fim, o pai de Tistu - que era um homem de decisões - constatou que o filho deveria aprender com a vida, recebendo lições de pessoas diferentes e que poderiam lhe proporcionar o conhecimento necessário para que se tornasse gente grande e pudesse comandar, no futuro, a grade fábrica de canhões.
 A primeira lição de Tistu foi com o jardineiro da casa, Bigode, um homem de poucas palavras. Sua primeira tarefa era colocar terra em alguns vasos, mas quando chamou Bigode para que lhe mostrasse como plantar as sementes, uma coisa surpreendente havia acontecido: os vasos já estavam repletos de flores. Analisando o polegar do garoto, o jardineiro declarou que ele tinha o dedo verde, o que lhe permitiria fazer crescerem plantas e flores onde quer que tocasse.
 Ao decorrer do livro, Tistu se mostra uma criança inocente e terna como qualquer outra. Ele gostava de alegrar as pessoas, não importava o quão ruim elas fossem.
 "O Menino do Dedo Verde" é uma leitura muito recomendada por mim pois trata-se de uma estória pura que contém uma mensagem singela, bela e atual, nos levando a reflexões a respeito da sociedade e do mundo no qual vivemos.
 Esta obra nos mostra, através da visão de uma criança, as dores causadas pela guerra e a esperança de que um dia o homem perceba o que está fazendo com o Mundo.
 É um livro curto e de linguagem fácil - por se tratar de um livro voltado para um público infantil -, o que faz com que a leitura seja prazerosa. É o tipo de livro para dar de presente a pessoas de todas as idades, pois pode tocar-nos de maneira diferente dependendo do momento que estamos vivendo em nossas vidas.

site: https://surpreendentesviagensliterarias.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ana 19/11/2017

Clássico, não apenas para crianças
Tistu nasceu em berço de ouro, com pais ricos, enfim, é um menino que muitos diriam ser uma pessoa de sorte. Vivia imensamente feliz em sua mansão, com corrimão polido, que servia de tobogã para ele escorregar. Até que um dia, descobrem uma verdade sobre ele: Tistu dorme na aula, não consegue se concentrar. Não é como todo mundo. Seus pais sofrem coma ideia, e resolvem aplicar sistemas de ensino diferenciados ao menino, para que pudesse aprender, enfim. Algumas situações que ele vive nas outras formas de ensinar, não batem com as ideias generosas do menino, que acaba conhecendo a miséria, pobreza, doença, guerra, coisas tristes para uma criança entender e aceitar. Mas Tistu, menino especial, que possui um misterioso dom, o dom de fazer nascer flores, consegue resolver os problemas com os quais se depara ao longo de sua educação, menos com um: a morte, único mal contra o qual ''flores nada podem''. Um clássico, e arrisco-me a dizer que não deveria ser lido apenas por crianças. É um livro sem restrição de faixa etária.
comentários(0)comente



Binho 20/10/2017

TOQUE COM CARINHO
EMBORA POSSA PARECER UM LIVRO INFANTIL O LIVRO NOS FAZ REPENSAR DE COMO PODEMOS MUDAR O MUNDO A NOSSA VOLTA COM APENAS UM TOQUE E QUE ANOSSA DIFERENÇA É O QUE NOS TORNA ÚNICOS .
comentários(0)comente



Hallef 16/10/2017

SURPREENDENTE
Sabe aquele livro que pode ser comparado como Pequeno Príncipe em todos os sentidos?
Eu estou na pior ressaca da minha vida de leitor e ainda assim esse livro foi terminado em menos de uma tarde, além de me fazer refletir muito sobre como cada um tem o poder de mudar o ambiente que vive começando com a arte da dúvida. Com Certeza um favorito e surpreendente livro. Não vale narrar os fatos do livro, pois são eles a mágica que faz o leitor ficar maravilhado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Xandy Xandy 30/05/2017

O Menino do Dedo Verde!
A história começa com o nascimento de João Batista. Acontece que o menino não gostou nenhum pouco do seu nome e esperneou e chorou muito quando o chamaram de João Batista, afinal, não fora ele quem escolhera o nome e sim os adultos.

Logo depois, ele passou a ser chamado de Tistu, pois apelidos são formas naturais de se chamarem as crianças.

Tistu era loiro e de olhos azuis e nascera em uma família muito rica, pois o Sr. Papai, seu pai, era um importante fabricante de canhões da cidade de Mirapólvora. Ele tinha certeza que seu filho querido o sucederia na fábrica.

Leia o resto no meu blog:

site: https://lendomuito.wordpress.com/2017/05/30/o-menino-do-dedo-verde-maurice-druon/


Renê 28/05/2017

uma breve reflexão de um "toque"...
A compreensão do mundo vista dos olhos de um menino inocente que através dos seus tutores aprende o "bem e o mal".O seu poder ou dom recém descoberto,que poderia ser do seu uso pessoal,o utiliza para florescer o mundo dando vida para todos.Sim pode ser um mero conto infantil,que seja,mas acredito que tem a capacidade de demonstrar que todos temos um dom,podemos florescer a vida das pessoas,tocar os corações;um gesto de caridade,palavras de afeto,um sorriso de bondade,um abraço de ternura e etc,sim pode ser uma coisa boba uma platitude banal esse gestos,mas que faz diferença no dia a dia,quem sabe possa fazer diferença para uma pessoa?
Bela tradução do Dom Marcos Barbosa...novamente!
comentários(0)comente



Caron <3 22/03/2017

Recomendo para todas idades!
Este livro retrata sobre a história de um menino chamado Tistu que morava na cidade de Mirapólvora,Tistu era de uma família muito rica e era herdeiro dos negócios de seu pai. Com toda sorte que tinha, ele era um menino muito feliz.
Quando Tistu entrou na escola, três dias depois ele voltou para casa com um bilhete de seu professor dizendo que não era possível mantê-lo na escola. O menino não conseguia prestar atenção nas aulas e acabava caindo no sono, ficando com notas baixas e como consequência sendo expulso.
Os pais de Tistu ficaram preocupados com a situação do garoto, e como seu pai era um rapaz determinado, logo decidiu o que iria fazer com o menino para que ele tivesse um conhecimento necessário para a vida adulta.
A primeira lição de Tistu foi com o jardineiro da casa, Bigode, quando uma coisa surpreendente aconteceu. Foi quando o menino aprendeu a como plantar sementes. Quando foi fazer a atividade, a semente que ele tinha plantado no vaso já havia crescido instantaneamente. O jardineiro olhou o polegar do garoto e declarou que ele tinha o dedo verde, que lhe permitiria fazer crescer plantas e flores onde quer que tocasse, dando sentido ao nome do livro.
O Menino do Dedo Verde é um livro curto e muito bom para qualquer idade. Desperta a curiosidade do leitor em saber a história cada vez mais. Fazendo-o refletir a respeito da sociedade e do mundo no qual vivemos.

comentários(0)comente



Kellbet 22/03/2017

Com certeza um livro envolvente e animador. Mas o final deixou-me triste.
Não vou dar spoilers, mas Tistu poderia em minha opinião ter ficado um pouco mais onde estava e fazer mais pessoas felizes.
Adorei a leitura e os desdobramentos, mesmo com o final que para mim foi triste, mas para o personagem foi tudo.
São livros assim que me ensinam a dar valor a cada sorriso, cada abraço, cada carinho. A vida é feita de pequenos momentos.
Recomendo!
;)

site: http://kellbet.blogspot.com.br/2017/02/maurice-druon-o-menino-do-dedo-verde.html?spref=fb
comentários(0)comente



Jam Sales 26/02/2017

É uma história singela , de uma delicadeza encantadora, onde através dos olhos de uma criança vemos os flagelados que atingem o mundo e o desejo de mudança do seu caos,assim também como o valor da verdadeira amizade e do amor ao próximo...
Este livro me sensibiliza ,me faz lembrar da minha infância quando minha mãe lia pra mim e para o meu irmão...espero que lhe proporcione sentimentos maravilhosos também...
comentários(0)comente



Lidos e Curtidos 18/01/2017

Fora do Padrão? A Extensão dos Pais.
O Menino do Dedo Verde foi publicado em 1957 pelo escritor Maurice Druron. E foi o único livro infantojuvenil escrito por esse autor.
O menino Tistu nasceu rodeado de amor, não só pelo Sr. Papai e Dona Mamãe (forma que os pais são apresentados ao leitor), mas por todos os criados da casa. Ele foi educado em casa pela Dona Mamãe até os 8 anos de idade. Porém, certo dia, os pais decidem enviá-lo para o colégio da cidade de Mira Pólvora.
O Tistu não consegue se adaptar ao colégio. Se em casa ele sempre aprendeu as disciplinas de uma forma lúdica e ativa, no colégio, as disciplinas não apresentavam qualquer atrativo. O menino sentia dificuldade de compreender os professores e, apesar de tentar prestar atenção nas aulas e de fazer um esforço danado, ele acabava adormecendo em todas as aulas. Por isso, no terceiro dia de escola, o Tistu foi expulso por não ser uma criança igual as outras. Por está fora do Padrão.
Os pais ficam muito triste com a notícia. Então o Sr. Papai resolve que Tistu terá aulas particulares com dois dos seus funcionários: o Sr. Bigode (jardineiro da casa) e o Sr. Trovões (funcionário da fábrica de armas bélicas do pai).
O menino possui um olhar ingênuo e apaixonante por tudo. Ele não consegue compreender como os adultos podem criar tantos problemas que, pra ele, são de simples solução. Em uma das aulas com o Sr. Bigode ele descobre que tem o Polegar Verde, mas não literalmente, o Polegar Verde é um dom mágico em que tudo onde ele encosta o polegar vai crescer rapidamente a planta que ele desejar. É a partir daí que o Tistu vai usar esse dom para solucionar os problemas dos adultos, o que acaba gerando diversas confusões.
Nesse livro temos uma crítica às ideias pré-fabricadas e expectativas que os pais constroem em torno dos seus filhos, pois muitos tentam que os filhos sejam extensão deles. Uma criança que não se adapta ao colégio, ainda hoje, é julgada como incapaz ou fracassada e esse tema continua sendo atual mesmo o livro sendo publicado em 1957. Os adultos ainda erram em colocar expectativas nas crianças e definirem o que elas irão ser, e com essa insistência pode-se atrapalhar o seu desenvolvimento e o reconhecimento de habilidades que cada um possui.
Apesar do Tistu não conseguir prestar atenção nas aulas, ele se mostrava um menino único por se preocupar com as minorias sociais e por buscar dar alegria a essas pessoas. Esse livro é para todas as idades porque as crianças verão uma história bonitinha sobre um menino que tem a magia de fazer nascer plantas quando quer, enquanto os adultos verão vários ensinamentos nas entrelinhas.
Quer saber mais? Nos siga no canal do Youtube Lidos e Curtidos.

site: https://youtu.be/1uU9-LAXbXo
comentários(0)comente



Luana 07/01/2017

Infantil/adulto
Apesar de ser um livro direcionado para crianças, há muita coisa dita para adultos. Um livro para refletir: a incoerência dos adultos...
comentários(0)comente



Tainá 15/12/2016

Simples e profundo
Os diálogos do menino Tistu lembram em muitos trechos as conversas e questionamentos puros e reflexivos do Pequeno Príncipe. Uma leitura de mundo que deixa o leitor surpreendido e encantado, ao passo que através da criticidade precoce dos pensamentos de uma criança, enxergamos as mazelas das ideias pré-fabricadas que as pessoas grandes insistem em reproduzir.
Sem dúvidas, é uma leitura para pessoas de qualquer faixa etária, mas há na obra uma sutileza de provocações que provavelmente alvoroçará positivamente mais as pessoas grandes do que as crianças, que naturalmente carregam ainda o olhar de Tistu.
Pode-se dizer que o livro é ainda sobre inquietar-se com as injustiças e fazer algo para transformar a realidade. Tistu e seu dedo verde, que pode fazer brotar plantas e flores por todo lugar, escolhe ativar os brotamentos onde estão os que ficam à margem da cidade de Mirapólvora, primeiro na cadeia; depois na favela; no hospital; no zoológico; e por último, na fábrica de canhões de seu pai. Sem conseguir enquadrar-se no modelo de ensino convencional, a realidade de Mirapólvora e do mundo apresentada à Tistu na educação prática alternativa que lhe é oferecida, mais do que fazê-lo aprender, culmina por ser transformada por ele, por sua bondade e sagacidade.
Leitura agradável, que resgata valores simples e tão corriqueiramente esquecidos: o contato com a natureza; o senso de responsabilidade sobre o mundo; a bondade; o olhar para o outro com gentileza e prestatividade; a importância de questionar o que é imposto; a grandeza do olhar de uma criança. Recomendo mil vezes.
"Dizei não à guerra, mas dizei-o com flores."
comentários(0)comente



Lidy 08/12/2016

A levesa de Tistu
Livro com uma narrativa maravilhosa, leitura leve e que flui desde as primeiras linhas. Terminei esse livro com um sorriso no rosto e com o coração leve, como é bom leituras assim, que nos envolve e nos deixa feliz de uma tal forma que chega a surpreender. Tistu tinha o desejo de levar alegria por onde passava, esse deve ser o nosso desejo.
comentários(0)comente



184 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |