Stolen

Stolen Lucy Christopher




Resenhas - Stolen


86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Psychobooks 21/07/2012

Classificado como 4,5 estrelas no Psychobooks

Desde seu lançamento nos EUA em 2009 esse livro está na minha lista de desejados, entrou na minha cesta de compras inúmeras vezes, mas sempre acabava deixando-o por alhum motivo que não me recordo. Fiquei muito feliz com o anúncio de seu lançamento no Brasil e desde então, estou ansiosa pela leitura, mas ao mesmo tempo receosa em me decepcionar. Ainda bem que não me decepcionei. Nem um pouco.

Gemma está fazendo uma escala no aeroporto de Bangkok com seus pais, após uma breve discussão sobre o top que ela estava vestindo, ela se afasta dos pais para comprar um café, sem ter dinheiro em notas para entregar ao caixa, um homem com olhos azuis hipnotizantes e vagamente familiar, se oferece para pagar a bebida. Envolvida com a conversa e atraída pelos olhos azuis como o mar, Gemma é drogada por seu algoz e levada para longe de sua família e amigos. Ao acordar, ela se vê em um pequeno quarto com o homem do aeroporto, que se apresenta como Ty e sente muito calor.

Ty levou Gemma para o deserto da Austrália, aparentemente sem nenhuma interferência humana por kilômetros de distância, ele a mantém ali contra sua vontade, cuida de suas necessidades e não a força a fazer nada que não queira, desde que continue naquele local com ele.

A leitura é uma verdadeira montanha russa de fortes emoções. A princípio fiquei com raiva de Ty, o achava desprezível e covarde, mas assim como Gemma, fui me afeiçoando a ele, que não chega a ser o monstro que eu pensava que fosse, mas também não é nenhum mocinho inocente perdidamente apaixonado, ele é, definitivamente, doente.

Os pais de Gemma sempre trabalharam muito e a deixavam um pouco de lado, ela não sabe dizer se isso era proposital ou apenas faz parte da característcas deles, aproveitando-se dessa deficiência emocional, Ty usa a seu favor qualquer tipo de brecha que encontra na vida de Gemma, afinal, ele sabe muito mais sobre sua vida do que ela pensa.

A narrativa é feita em terceira pessoa, na forma de uma carta que Gemma escreve ao Ty, não sabemos a razão dessa carta e nem como esse sequestro se resolve até chegarmos às últimas palavras do livro. A forma como a autora escreve é fascinante, deixa o leitor completamente envolvido com o enredo, aflora sentimentos conflitantes com a razão, eu me senti como Gemma, fui me afeiçoando aos poucos ao Ty, desenvolvendo a Síndrome de Estocolmo com a protagonista, sem me dar conta do que estava acontecendo.

O tema principal é o desenvolvimento da Síndrome de Estocolmo, se você não sabe o que é isso, vou copiar uma parte de um artigo da Wikipédia para vocês:

As vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Pequenos gestos gentis por parte dos captores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir mensurar o perigo real. (...)
É importante observar que o processo da síndrome ocorre sem que a vítima tenha consciência disso.


Leitura mais que recomendada, mas já aviso aos futuros leitores, vocês terão sentimentos tão conflitantes quanto os de Gemma e quando voltarem a realidade, irão perceber que se afeiçoaram e torceram por Ty.

Visite: www.psychobooks.com.br
comentários(0)comente



Veneella 01/07/2012

Mais em http://www.bookpetit.com
Resenha: http://www.bookpetit.com/2012/06/stolen-carta-ao-meu-sequestrador-lucy.html


"Síndrome de Estocolmo (...)Caracteriza-se pela identificação da vítima com seu sequestrador. Trata-se de uma estratégia inconsciente de sobrevivência, uma tentativa de conquistar a simpatia do sequestrador, por medo de retaliação e/ou violência.(...)" (extraído do início do livro)

Você seria capaz de amar alguém que lhe roubou o mundo? Amigos, família... forçada a deixar tudo para trás. É possível se apaixonar por alguém assim? Mesmo que ele tenha olhos gentis? Mesmo que ele não te bata, ameace ou torture? Mesmo que ele apenas queira ser amado, e que você o entenda de alguma forma?

Gemma passa vários dias junto à seu captor no meio de um grande deserto australiano. Não há por onde escapar, e por todos os lados há apenas a imensidão arenosa. Mas ainda assim ela não desiste, e passa seu tempo elaborando planos e procurando por maneiras de fugir. Durante esse convívio, ela pode conhecer as facetas de seu sequestrador - tanto ruins quanto boas.

Ty é uma pessoa perturbada por sua infância e seu passado, mas ainda assim uma pessoa gentil, selvagem. Após observar Gemma por muito tempo, ele percebe que precisa dela e a rapta, levando-a para um local isolado onde ambos podem ser livres. Viver apenas da natureza, em contato e respeito com ela. Ele é um "vilão" muito bem construído, o que eu adoro, despertando sentimentos estranhos e contraditórios. Alguém que, se não fosse pelos traumas e complicações, seria talvez até mais que apaixonante, e faria você torcer por ele.

Como o título sugere, o livro é escrito em forma de carta para Ty, com Gemma contando à ele tudo o que passaram pela visão dela. Pela forma como é escrito, a diagramação não se dá em capítulos, mas com pequenos asteriscos dividindo alguns momentos e evitando que a leitura se torne cansativa. O que de fato não ocorreu. A leitura transcorreu rápida e sem problemas - devorei em dois dias.

Ao final eu estava tão confusa sobre meus sentimentos quanto Gemma, o que só prova a habilidade da autora de nos fazer imergir na trama e atingir seu propósito. Ou será que sou propícia a desenvolver Síndrome de Estocolmo em situações assim? De toda forma, foi uma leitura envolvente, deixando sentimentos conflitantes que provavelmente vão habitar minha cabeça por um tempo.

Quanto ao trabalho da editora, houve apenas dois erros simples ao longo do livro, como um nome não traduzido. Porém o acabamento do mesmo ficou impecável e muito bonito.
Dessa 01/08/2013minha estante
Acabei de ler o livro agorinha, li em poucas horas, não conseguia largar e como você me pego pensando se eu desenvolveria Síndrome de Estocolmo caso isso acontecesse comigo porque eu me sinto doente nesse momento, hahaha. Na realidade eu desenvolvi a síndrome desde o começo do livro porque tudo que eu ficava esperando era a Gemma baixar a guarda e me sentia idiota ao mesmo tempo porque a autora descreve tudo muito bem mas ás vezes me passava pela cabeça que a Gemma tava arisca demais e aí eu me lembrava que poxa, precisava me por mais no lugar dela porque a situação era mais que péssima. Estou sentindo falta do Ty no momento, acho que preciso me tratar! haha




RuLopes 20/05/2014

Um deserto úmido de amor....
Meu Deus... Meus olhos ficaram secos de lágrimas de crocodilo...
Poderia ficar décadas enumerando esse livro, de qualidades e de quão bom e envolvente ele é, porque ele realmente É. Me surpreendi. De momento não dava nada pra esse livro. Achei que iria ser uma perda de tempo, depois achei que iria ser apenas uma distração, mas conforme fui lendo, fui me apegando com os personagens e me identificando imensamente com a personagem principal. Demorei pra me acostumar com o modo de escrita, na qual era referida ao "VOCÊ" como uma carta ao destinatário. Mas depois, deslanchei. Gemma é determinada e destemida, nem parece uma garota de 16 anos. E Ty, bem, apesar do erro, foi nobre a sua atitude, e me cortou o coração a sua história e trajetória. Vamos partir do início. Fiquei raivosa. Demorei pra me acostumar com o direcionamento da escrita, apesar de fácil o vocabulário, e minha atenção demorou pra se prender; Contudo, se prendeu e não parei mais. Em um dia minha leitura estava finalizada, passei uma madrugada inteira devorando o livro como se ele fosse meu ar-condicionado no meio do deserto arenoso, a água gelada do meio da mata. Ty foi se revelando um sequestrador diferente e a história se mostrou um rumo ainda mais misterioso e peculiar, como nenhum outro livro se revelou igual. Isso me intrigou. Essa mistura de essências, cenários, linguagem, o modo como se conheceram e o modo como conviviam, o jeito do Ty e sua personalidade explosiva... Era uma mistura irresistível. Um romance quase imaculado. Os toques tão puros e renegados faziam o sofrimento tornar daquilo ainda mais amável... Cruel, mas lindo de se ler. As tentativas de escapadas, o jeito no qual ele mostrava o jeito simples de viver, e ele só queria uma COMPANHIA para amar e ser amado. ALGO que é tão genuíno e puro. Era só isso, ele não estava exigindo nada mais dela. Ele não estipulava tempo... Apenas dava o resto de sua vida para aceita-lo. E isso era lindo de um ponto de vista doentio de minha parte. Me nego pensar que Gemma tenha desenvolvido depois a Síndrome de Estocolmo... Até porque isso é durante o "sequestro" e ela reconheceu logo após... Enfim, aí cabe o SPOILER.


Fiquei triste com o final, mas logo entendi que era o que devia ser, e que aí sim caberia o sentido do livro. Fiquei dignamente put*. Mas como disse, era pra ser, e foi sensato da parte da Gemma. Quando lerem, entenderão que uma pessoa com Síndrome de Estocolmo nunca iria tomar a decisão sensata que a Gemma tomou. O que nos dá a conclusão e a reflexão de que: "Até onde o amor nos leva?" "Seriamos capazes de amar a síndrome da nossa obsessão?"

Enfim, eu apenas acho que Ty se tornou digno de Gemma, pois ele a salvou de enumeras situações, e principalmente, porque ele se deu para o mundo, para ser amado por ela.

Meu livro favorito, sem mais...

Merecendo mil estrelas!

xx
Camila Alves 06/03/2014minha estante
Concordo com tudo! Eu acho que Gemma não desenvolveu a Síndrome... É diferente, muito diferente. O Único ato errado foi ele ter cedido ao sequestro, apenas, pois ele tratou ela sempre com respeito e proteção. Ty é meu vilão favorito forever... estou triste com final, mas o livro é bom.




Daphiny 21/01/2014

Intenso. Acho que essa é a melhor palavra pra descrever esse livro. Eu fiquei tensa durante toda a leitura. Eu devo ter grandes problemas psicológicos, porque, mesmo sabendo que Ty estava completamente errado em raptar Gemma, eu criei uma afinidade por ele surreal. Me doía ver a forma como Gemma o tratava. Eu não consegui não torcer para que ela desse uma chance a ele... Ty era tão genuíno, era tão apaixonado pela terra, pela natureza, tão apaixonado pela Gemma.. Não me entendam mal, não dou razão a esse comportamento, longe de mim, mas foi impossível não torcer pelo Ty devido as circunstâncias. Eu não consigo não achar lindo tudo o que ele fez pra poder viver confortavelmente com a Gemma (me refiro a construir a casa, o ateliê de pintura, o carregamento com mantimentos, e não o rapto em si), pensando que aquilo seria o melhor pra ela.. SIMPLESMENTE NÃO CONSIGO!!! Sei que é errado, mas ele sempre foi tão gentil com ela, tão preocupado... Deve ser essa síndrome de Estocolmo mesmo. Ela me pegou também, porque eu sinto uma profunda admiração pelo Ty e sei que não deveria.
Um grande parabéns a autora por conseguir criar um personagem tão apaixonante e, ao mesmo tempo, tão cruel? Não sei se cruel se encaixa bem, pois eu não consigo enxergar crueldade em suas ações. Eu só consigo pensar em como ele devia ser solitário pra tentar achar consolo em uma garota de 16 anos e achar que raptando-a tudo iria se resolver.
Confesso que fiquei muito puta quando, no final do livro, Gemma foi mordida pela cobra e ele teve que desistir de sua liberdade para mantê-la viva. Fiquei puta porque ela finalmente estava aceitando gostar dele e ele simplesmente teve que desistir da coisa que ele mais prisava (a liberdade) pra salvar a pessoa que ele mais amava. Novamente, eu devo ter profundos problemas mentais pra achar que ele não deveria ser preso. Meu Deus, esse livro me pôs em uma situação ruim. Esta me fazendo questionar diversos princípios.. Acho que a autora merece mais do que um parabéns. Merece um prêmio nobel. Sei lá! Eu estou atônita. Um dos melhores livros que eu já li em toda minha vida.
" Você está tão incorporado ao meu cérebro quanto meus vasos sanguíneos."
Raísa 16/03/2014minha estante
Concordo com você! Eu me senti assim também, no começo do livro eu não gostava muito dele, mas com o decorrer da história me apaixonei!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nique 05/09/2015

"Você me viu antes que eu visse você."
Faziam-se alguns dias que eu vinha me perguntando para que livro dedicaria minha primeira resenha. Sabe, faz-se mais de um ano que li Stolen e eu estava quase convencida de que dedicaria a primeira resenha para Trono de Vidro. Mas, toda vez que me pegava pensando em um livro que me marcara a tamanha altura, este era o único livro que me vinha à cabeça; o tipo de livro que te faz sorrir e ser grata só por ter quebrado seu coração. Ou melhor, por ter te dado um bom motivo para isso.

Eu serei franca com vocês, eu não dei nada pelo livro assim que o vi. Uma das minhas melhores amigas vinha me indicando alguns livros e, como eu já tinha lido uma de suas indicações anteriores – a qual gostei muito e fiquei muito agradecida pela indicação –, resolvi dar mais uma chance para seu gosto incomum de livros. E, diferente do livro anterior que ela me indicara, eu não me apaixonara logo de primeira. Eu li. Na verdade, eu li tudo em um dia ou, provavelmente, menos que isso. A questão é que as primeiras páginas foram um estimulo para que eu continuasse e ao mesmo tempo, um motivo para que eu o abandonasse. É engraçado dizer isso agora, relembrado as coisas que passaram pela minha cabeça logo no início. Eu estava em cima do muro, sem saber o que dizer sobre aquele estranho livro cuja leitura me fora incomum no início, e, conforme o tempo, passara a ser agradável e essencial. Acho que a primeira coisa que posso dizer sobre Stolen é que ele fora me ganhando aos poucos, de uma forma louca e eletrizante.
Ele me envolvera completamente conforme as páginas se seguiram, e a cada vez que conhecia mais sobre seus personagens, ficava ainda mais surpresa. Eu começara tendo raiva de Ty e torcendo por Gemma. E terminei chorando por ele tanto, que meus olhos estavam inchados por um dia inteiro! Eu o amei! Pior do que isso, eu o compreendi!

A história de Ty fora a coisa que mais me chocara em todo o livro. Sabe, eu comecei o odiando de verdade, torcendo para que Gemma conseguisse escapar daquele maluco. Mas, conforme as páginas eram devoradas, a única coisa que conseguia desejar era poder conhecer mais de Ty. Eu desejei que Gemma também tivesse a mesma vontade e que desse alguma chance para seu sequestrador, só para que eu conseguisse compreender onde, no meio de tão poucas páginas, eu conseguira mudar tão facilmente minha opinião sobre este personagem em questão. Acho que não se pode conhecer verdadeiramente alguém até conhecermos seu passado, e o de Ty mudara completamente minha perspectiva ao seu respeito.

E, claro, eu não poderia não falar de Gemma. Ah! Caramba!
Pouquíssimas vezes consigo gostar de uma personagem em uma situação como a dela, mas ela me conquistara de uma forma surreal. Ela era intensa e sua intensidade conseguia ser transmitida para mim de uma forma que eu vivenciava suas angustias e medos. Embora que tenha certeza, nada se comparou ao que senti em relação a Ty.
Eu estava dividida no final. Sobre tudo! Sobre a família de Gemma, sobre as intenções verdadeiras de seu sequestrador. Sobre como o rumo daquele livro mudara em um piscar de olhos! Quer dizer, eu já estava esperando todo o possível para o final, mas não conseguia acreditar que, de todas as possibilidades, logo aquela seria a escolhida!

Eu desabei com um final tão corrido. Eu realmente esperava mais páginas ou pelo menos, mais tempo naquela história. Mas, sinceramente? Acho que não o mudaria. Nunca.
Foram aquelas últimas páginas que me deixaram com os olhos cheios de lágrimas e um sorriso tanto besta, quanto sofrido no rosto. Eu terminei Stolen chorando muito, sem saber o que dizer sobre o livro e até hoje não sei exatamente o que dizer, porque ainda assim o indicaria para qualquer um, alegando que as lágrimas eram só por coisas boas. Ou melhor, por coisas belas.

Acho que, resumidamente, eu fiquei com a Síndrome do Estolcomo também. HUDASIHSUA.

E não poderia ser mais agradecida por isso.
comentários(0)comente



LeCorvalan 11/11/2014

Uma confusão de leitura, mas uma confusão muito bem vinda.
Quero começar essa pequena resenha com um trechinho que tirei do livro, pode conter spoilers ou não: "Uma frialdade rósea me acordou. Alvorada. Senti a falta do seu calor antes mesmo de abrir os olhos, e descobri que você não estava mais ali. Senti falta do seu calor. [...] Fiquei de pé. Meu corpo estava frio e precisava se movimentar. Olhei para a casa, mas não tive vontade de ir até lá. Não ainda. O que eu realmente precisava era sentir seus braços firmes e quentes em torno de mim..." E eu paro por aqui.

O livro é uma carta, narrado em primeira pessoa pela Gemma, uma menina de 16 anos que após uma briga com os pais no aeroporto de Bangkok, se afastou deles para tomar um café, onde ela se vê sendo observada por um rapaz de aparência muito atraente, de olhos azuis como o oceano, que acaba lhe pagando um café e se senta com ela em uma mesa onde começam uma conversa aparentemente banal, até que tudo começa a ficar muito estranho - e confuso.
A carta é destinada á ele, o seu sequestrador, Ty.
O livro conta a história sob a perspectiva de Gemma, sobre como os fatos ocorreram para ela, como ela se sentia em cada momento de seu "confinamento", sobre tudo o que ela pensava durante seu sequestro, e então depois dele. E de uma forma excepcionalmente clara e fluída a autora deixa transparecer em seu texto sentimentos da personagem que são conflitantes, enevoados e que fazem o leitor se afogar naquele mar de confusão.
Foi exatamente isso o que me aconteceu, eu me perdi na leitura, sentia tudo o que a personagem parecia sentir, vivenciava cada cena, cada pedaço da história como se fosse eu ali naquele deserto, no lugar da Gemma. E, em certo ponto do livro, eu comecei a me desesperar, no início ao menos, com aquele tanto de deserto e a paisagem cheia de areia e no meio de lugar nenhum. Eu odeio areia, odeio praias, e me senti sufocada porque me parecia deveras real a paisagem do local que a autora pintava no livro.
Deixando de lado um pouco do meu pânico quanto ao cenário, e me acostumando ao decorrer da história, eu me peguei torcendo ávidamente pelo Ty, torcendo para que os tais quatro meses se passassem e Gemma fizesse sua escolha, torcendo que eles pudessem ficar juntos, e sinceramente, não me senti nada doente em pensar isso. Muito pelo contrário, sou suscetível à gostar de tudo aquilo que normalmente as outras pessoas achariam loucura ou errado...
Enfim, no fim do livro, e sem dar spoilers, eu me senti... não tem como descrever o que eu senti, em poucas palavras, eu não conseguia saber o que eu pensava da história, se eu tinha gostado ou se eu tinha amado. Se eu gostava do Ty ou se eu acabei o odiando. Se eu apoiava a decisão final de Gemma ou se eu a abominava. Me peguei pensando principalmente, que queria uma versão dos fatos sendo contados pelo próprio Ty, para ver outro ponto de vista que não fosse o da Gem, porque ás vezes eu me sentia tão confusa que me pegava divagando: "Será que foi realmente isso o que aconteceu, ou a Gemma viu tudo sobre uma camada de pavor?". No entanto, no fim, ainda não sei... Eu só queria que aquele final fosse outro, queria uma escolha de Gemma que pudesse conciliar tudo, sua vida ali no meio do nada com o Ty e sua vida antiga em Londres, queria que de fato ela o houvesse salvo, do jeito que ele precisava e queria.

De qualquer jeito, o livro vale cinco estrelas apenas pelo motivo de ter me deixado tão presa na história, que de fato, me senti como a própria Gemma, e são poucos os livros que me causam isso. E pela sua intensidade de emoções, eu indico a leitura a qualquer um.
Pode ler, que você nunca irá se decepcionar totalmente com o livro, ou amá-lo ou odiá-lo por completo. Serão apenas sentimentos conflituosos... Uma confusão de leitura, visões e pensamentos, assim como tentar descobrir quem Ty realmente é.
comentários(0)comente



Gabi 16/09/2016

WTF??
Deixo aqui meus sentimentos por esse livro. Li varias resenhas e todo mundo dizendo que o Ty é apaixonante, que é lindo o que ele faz. TIPO????????? Achei ele um doente o livro todo.
Um cara que sequestra uma garota e leva pro meio de deserto, porquê acha que ela é igual a ele que gosta da natureza que eles tem uma ligação. A menina tem 16 anos e ele 29. Ele sonda ela desde dos 10 anos de idade.

Não consegui ter empatia por ele, tive foi nojo e repulsa... coisa de gente doente mesmo!
Nem mesmo a história de vida dele com a mãe me deixou tocada. Nada justifica ele sequestrar uma garota de 16 anos e levar pro meio do deserto.
Se parar pra pensar ele desgraçou a vida da Gemma pra sempre.
Bruna 16/09/2016minha estante
SIM!!!!!!!! COMO, PELO AMOR DE DEUS, ALGUÉM CONSEGUE ACHAR UM SEQUESTRADOR FOFO?


Gabi 16/09/2016minha estante
Me abraça kkkkk como alguém acaha fofo né?? Pfvr


Gabi 16/09/2016minha estante
Acha**


Gabi 16/09/2016minha estante
Me abraça ~
como alguem consegue achar fofo? Pfvr ne kkk


Carla Solayne 17/09/2016minha estante
Nossa...tinha vontade de ler esse livro, perdi totalmente o interesse ...rs Já me basta um louco obsessivo sequestrador de meninas no livro Dias Perfeitos do Raphael Montes, não quero saber de outro não...kkkkk...


Victoria182 28/04/2017minha estante
undefined


Nayeli 02/08/2018minha estante
NOSSA SIM
PAREM DE ROMANTIZAR ESSA PORRA PLMDDS


Karla.james fraser 15/10/2018minha estante
Amemmmm achei uma resenha q me entende bicho eu so senti odio dele o tempo todo. Q cara doido nmrl. Pra mim o pior de tudo foi o lance das cobras e das caixas com os animais q cara sem noção


19/03/2019minha estante
Finalmente um pouco de sanidade num mar de resenhas de romance de banca. Muito doente o personagem, não deu pra imergir, mergulhar, nem um pingo de realidade ou sanidade na história. A autora é ótima se a julgarmos do nível de escritor de fanfic ou romances do whatpad, mas a história foi minimamente plausível. Se fosse uma ficção fantástica ok, mas imergir no mundo dos dramas psicológicos e estocolmo com esse nível de escrita... Bem tenso.




Jessica A. 10/10/2015

Inesquecível!
Acho que me torne definitivamente uma pessoa que ama os vilões, enquanto uns odeiam, eu simplesmente amo. Tem algo neles que me encanta e me fascina, não sei explicar, ainda mais quando o "vilão" é um fofo e apaixonante, aí mesmo que eu gamo, sou fã de carteirinha! ♥

Eu sempre via esse livro por aí, livrarias, comentários de pessoas que eu sigo e que amaram, aqui no skoob, ... enfim, em todo o canto e eu aqui, moscando como sempre, já sabendo que iria amar!

Terminei essa leitura tem uns dias, na verdade foi uma das minhas leituras mais rápidas até hoje, eu não conseguia parar de ler, e quando dava uma pausa, minha mente não desprendia da história. E até hoje, ainda fico lembrando os momentos, quero até fazer uma releitura, com mais calma.

Eu A-M-E-I! Stolen com toda a absoluta certeza é um dos melhores suspenses que eu já li até hoje, adorei a escrita em forma de carta, da narrativa, da premissa, a abordagem sobre essa questão meio "tabu". Sim, eu adoro ler sobre psicopatas, ainda mais sobre histórias que envolvem a Síndrome do Estocolmo, que pra quem não sabe, é quando a vítima desenvolve uma simpatia pelo o seu sequestrador (recomendo dar uma pesquisada no google). Acho interessante sobre isso, em que como a pessoa começa a gostar de um individuo que está ali, te ameaçando e aprisionando, sabe?! É muito louco.

E em Stolen, é sobre isso, sobre uma mocinha que é sequestrada, descobre que durante anos esse sequestrador a observava de longe e leva a mesma prisioneira para um deserto invasivo. Porém, durante a leitura a pergunta que vinha e explodia mais ainda a minha cabeça era: "Quem é realmente Ty? O porquê de tudo isso?". O pior era que você acaba se simpatizando, torcendo muito por ele, gosta de verdade dele, AHHHHHH UMA LOUCURA!

A autora não poupa você de nenhum detalhe, tanto bons, quanto os ruins. Gemma é uma das melhores mocinhas que eu já li, pela a idade dela de 16 anos, não se deixa abater, é forte, corajosa e destemida. Ela cresceu e amadureceu demais durante a leitura, é perceptível ver uma Gemma inocente, ingênua nas primeiras páginas e no final, uma Gemma forte e capaz de enfrentar qualquer coisa. E Ty, ahh Ty... um personagem muito bem construído, sendo igualmente confuso, assustador, tempestuoso, intenso e amoroso. O desenrolar dos acontecimentos foi incrível, porém ao mesmo tempo de partir o coração.

A autora deixa uma ponta aberta, tanto para o leitor imaginar como seria o desfecho e sim, como pesquisei no site dela, que pretende em breve ou um futuro distante um segundo livro. (AMEM SENHOR! :DDDD)

Super-recomendo a leitura desse livro! Já li por aí comentários negativos, dizendo que o livro é chato e bla bla bla, porém Stolen é uma experiência de leitura singular, tem um intensidade mental tão grande que se tornou incrivelmente surpreendente, comovente e apaixonante. ♥
Nota: 5 ♡♡♡♡♡
Ka 10/10/2015minha estante
Definitivamente vai passar na frente na fila interminável ;)
Adorei a resenha *-*


Jessica A. 10/10/2015minha estante
Ka, é muito bom! Sério, recomendo muuuuuuito! :D
Obrigada gata *-*


Lizzy 10/10/2015minha estante
Adorei esse livro também =)


Jessica A. 10/10/2015minha estante
Lizzy, ameeeei! :D


Irtes 12/10/2015minha estante
Sua resenha como sempre maravilhosa..Parabéns!


Gaby 12/10/2015minha estante
Jess te entendo totalmente!!!!Sou uma maluca por vilões ;)Sabia que ia amar esse livro!!!


Jessica A. 12/10/2015minha estante
Irtes *-* obrigada gatona :DDD


Jessica A. 12/10/2015minha estante
Gaby, MUUUUUUUUUUUUUITOOOO OBRIGADA pela a indicação desse livro! :D


Camila 14/10/2015minha estante
esse livro me deixou com síndrome de Estocolmo com certeza até hoje sofro pensando no fim do Ty ele não merecia :/


Jessica A. 14/10/2015minha estante
Tbm Camila, estamos na mesma! Precisamos de um psicologo kkkkkkkkkkkkkkk Eu vi no site da autora que ela pretende fazer a continuação dessa história, porém pode ser tanto breve, quanto em um futuro distante, só nos resta aguardar!




Mi Hummel 05/09/2013

Síndrome do Estocolmo suavizada...
Eu, particularmente, achei um livro confuso.

Ty é bonzinho demais para ser considerado um sequestrador de calibre. Aí, gente...Como culpar Gemma de desenvolver carinho por ele?

A menos que partamos de uma segunda interpretação...Trata-se de uma carta. Talvez Gemma não esteja relatando tudo com a fidelidade necessária e, já que estamos na cabeça da vítima, fica difícil definir o que é verdadeiro e o que não é. E, assim, é mais difícil ainda definir quem é Ty. ( Nem o nome faz pensar em alguém sinistro. Ty. Mais parece nome de um daqueles caras bacanas e descolados.)

Confuso.
Tão confuso a ponto de me fazer questionar sobre a verdadeira natureza da síndrome de Estocolmo e pensar em pesquisar para entender melhor.

O final...O final? Não, eu não vou falar do final.

Talvez eu esteja me precipitando em dar apenas uma estrela - até porque o livro me fez pensar bastante - mas, infelizmente, o final merece uma estrela.

Ah, se merece.
E eu confesso que a leitura foi, para mim, um pouco maçante.
O jeito com que a autora conduz a narrativa do livro, cheio de " Você fez isso...Você fez aquilo...Você sentou ao meu lado...Você me prendeu ali..." acabou me cansando um bocado.

Portanto, por enquanto, mantenho a avaliação.
Juliana 09/12/2013minha estante
Sinceramente, um dos piores livros que já li, eu esperava mais, simplesmente me frustou.


Mi Hummel 15/12/2013minha estante
Olá, Juliana! Somos duas! Eu esperava coisa diversa...Também acabei me frustrando bastante!


Cecília 11/07/2014minha estante
Esse livro foi uma das minhas piores experiências! Também achei maçante e confuso. Me surpreendeu ele ter esse feedback positivo por aqui...


Mi Hummel 12/07/2014minha estante
Oi, Cecília! Eu me interessei por stolen exatamente por ter lido sobre ele por aqui. rs! Pois é! Interessante, não!? A diversidade de opinião é uma coisa muito bacana. O bom do skoob para mim é justamente a gente poder conferir o que atrai ou não o leitor! Infelizmente, Stolen até me atraiu, mas não curti, não!ahahaha! =*




Taisa 29/03/2015

Acredito que a Gemma não teve a Síndrome de Estolcomo, que teve fui eu.
O que faz um livro ser bom ou ruim? Para mim um livro bom é aquele que consegue despertar algum sentimento em mim, quanto mais intenso melhor eu qualifico. Amor, ódio, curiosidade, tristeza, admiração,vontade de viver naquele lugar, naquela época ou ser aquele personagem. Mas o que eu mais gosto é quando eu sinto o que não deveria, quando gosto de alguma coisa que é moralmente vista como errada, quando eu acabo torcendo é para o bandido, quando sou obrigada a ver tudo por uma perspectiva diferente e aceitar naturalmente o inadequado.E aqui se formou um grande paradoxo, esse livro me fez acatar exageradamente o imperfeito de uma forma que foi difícil aceitar os desdobramentos de toda a história. No fundo acredito que a Gemma não teve a Síndrome de Estolcomo, que teve fui eu.



Resolvi colocar a sinopse do Skoob ali em cima porque eu realmente não queria falar muito da historia em si, prefiro que as pessoas descubram aos poucos o que acontece.

Estava esperando tanto desse livro. Fiquei procrastinando essa leitura a anos porque tinha certeza que ia sofrer e adorar, até que tomei coragem e comecei. Não consegui terminar até chegar à última página. Um assunto tão polêmico, personagens intensos, um ambiente selvagem, sentimentos conflitantes. Ele realmente tinha tudo para ser um dos meus favoritos, mas esperava mais.

Na minha opinião ela tinha uma ideia tão boa nas mãos, mas não desenvolveu à altura. Não esperava nada do final, bem na verdade já estava preparada para tudo. Final feliz, triste, dramático, qualquer coisa. Mas não um final insonso. E assim foram as últimas páginas, sem graça nem emoção.

O livro inteiro é narrado pela Gemma, e como o título já diz, por meio de uma carta ao Ty em que ela conta sua visão do sequestro. Eu gostei muito dessa personagem, ela só tem dezesseis anos, mas se mostrou uma garota forte. Ela foi muito real para mim.

O Tyler, esse anti-herói quase altruísta, sem dúvida tem uma ideia completamente destorcida de amor, mas não tem como não gostar dele. Ele é sim maluco, mas tão devotado que no fim das contas dá mais pena dele do que da pobrezinha da Gem. Dá para se ter uma ideia da vida desgraçada que teve, mas eu sempre queria mais e mais e mais.

Estou pensando seriamente na possibilidade de mandar um e-mail para a autora implorando por uma continuação, seja a visão dele, um epílogo, uma capitulo excluído, qualquer coisa que me conte mais sobre essa história, sobre o Tyler, mais sobre a vida dos dois.

Um livro ruim faz isso com você? Imagino que não, mas da para entender agora meu paradoxo? Ele mexeu tanto comigo, me deixou tão curiosa e apaixonada que ao mesmo tempo não foi suficiente para aplacar minha necessidade dele. É louco eu sei, mas é isso. Eu recomendo que leiam e tirem suas próprias conclusões.

site: http://leiturasdataisa.blogspot.com.br/
Tati.Grutt 17/11/2018minha estante
Um livro tão intenso com um final meia boca. Queria muito uma visão dele, acho que seria até mais intenso. Estou sem palavras sobre este livro. No geral eu gostei. A escrita é boa e prende. Mas eu e minha mania de não aceitar o final sofremos quando o desfecho poderia ser bem melhor. ,??




Lua @epigraph9 14/11/2015

Síndrome de Estocolmo Literária
Gemma está no aeroporto de Bangkok a espera de um vôo para o Vietnã. Após uma discussão com seus pais ela decidi tomar um café numa lanchonete. O cara do balcão se recusa a receber seu dinheiro e um cara se oferece para pagar o café pra ela. O que ela não sabe é que seu café foi drogado.
Depois disso Gemma já não se lembra de muita coisa. Ela acorda numa casa quente em meio ao deserto, e não lembra de nada até ali.

Ao longo do livro acompanhamos o desespero dela por não saber onde está, por não saber o que vai acontecer com si mesma. No início ela se recusa a cooperar com seu raptor, mas aos poucos ela vai cedendo, quando percebe que não tem a mínima chance de escapar.

Conhecemos o Ty, o sequestrador. Vemos muitas coisas pelos olhos dele. É contado um pouco de sua história e como ele conheceu Gemma. É contado também, o por quê da fixação dele pela personagem.

O livro inteiro é contado em forma de carta, pela visão da Gemma. Ao longo do livro nós acompanhamos todas as emoções dela. Vemos que Ty, é perturbado de alguma forma, embora desde o início eu soubesse que ele não ia fazer nada com ela. Acho que posso ter desenvolvido a síndrome de Estocolmo também, afinal durante a leitura eu cheguei a torcer por eles.

Não me joguem pedras. Sei que o fato dele ter drogado e sequestrado ela não foi o correto, mas na cabeça dele, ele estava salvando-a e estava "apaixonado" por ela. Sei que ele levou esse amor até as últimas consequências, mas pra mim foi impossível não amar o Ty.
Tem algumas cenas engraçadas ao longo da livro. A leitura é super fluída. Tem muitas cenas tristes também. Eu como sou feita de açúcar derreto de tanto chorar.
Recomendo à todos.

Ps. Ty eu te amei tanto, me diz que não foi tudo mentira? Fiquei tão triste de não saber o que aconteceu com você :"(
Fernanda 14/11/2015minha estante
Gostei de sua resenha, vou procurar o livro na biblioteca para le-lo, é uma serie? Alias ele me lembrou mt um livro chamado O colecionador, inclusive pela borboleta em ambas as capas, da uma olhada depois nesse livro!


Lua @epigraph9 14/11/2015minha estante
Fernanda, ele é livro único até onde eu sei. Vou dar uma olhada nesse outro. :)


Fernanda 14/11/2015minha estante
Estranho pq acho q ja vi essa capa em outras cores, ai achei q fosse uma serie e tal, olhe sim, to louca pra ler mas n comaigo baixa-lo no exilado :(




Ariella 17/11/2013

Stolen
CUIDADO: Esse livro pode fundir sua cabeça!

Stolen conta a história de Gemma uma adolescente que é raptada por Ty um garoto com sérios problemas.
O livro é contado em forma de carta da Gemma para o Ty.
Ty leva Gemma para o deserto Australiano , e lá ela tem que aprender a sobreviver e tentar fugir.
O livro traz a síndrome de Stocolmo , por mais que Ty tenha muitas atitudes erradas vocẽ vai ter sentimentos confusos em relação a ele e até gostar.
Confesso que eu mesma tive a síndrome de Stotocolmo lendo esse livro HaHa.Eu gostei do Ty Gente!
O final é bem assim: PQP! Como Assim!
Recomendo muito esse livro ele vai fazer você ter emoções intensas e contráditorias.



site: http://leitorasestupidas.blogspot.com.br/2013/11/resenha-stolen-raptada-por-lucy.html
Raísa 16/03/2014minha estante
Confesso que gostei do Ty e o fato dele tê-la sequestrado não diminuiu no meu afeto por ele.




Stefani 24/11/2016

Duvida Cruel, gostei ou ñ?
Gente o q dizer desse livro??? Acho q eu to confusa, sei lá, mas deixa eu introduzir vcs na historia do livro primeiro kkkk, então o livro conta a história de Gemma, uma garota de 16 anos q um dia é abordada por Ty um cara lindo (loiro, zóio azul, tipo príncipe encantado mesmo) e ela é drogada e sequestrada por esse cara, que leva ela pra um deserto isolado. Mas detalhe: (e ñ é spoiler pq ta na sinopse) o cara tá completamente apaixonado por ela, vigia ela a ANOS! Até ai blz vc pensa: “Nossa obviamente vou odiar esse cara louco”, mas aí q tá a surpresa pq ele é completamente apaixonante, ele é um príncipe encantado de verdade(no sentido figurado), lindo, perfeito, carinhoso, mas ai vcs devem estar pensando “Mas ele ñ é o sequestrador?” pois é a resposta é sim, mas ele é diferente de tudo q eu já vi.
Gente por mais louco q isso possa parecer, eu torci muito pelo Ty, no decorrer do livro a gente entende as razões dele, óbvio q nada justifica um sequestro mas vc entende o pq dele fazer tudo isso, e ele é incrível demais, kkkk acho q vcs devem estar me achando meio louca com essa resenha elogiando o sequestrador né kkk.
E ao contrário do q eu esperava eu ODIEI a Gemma, gente q menina insuportável! Tipo eu sei q o Ty era o sequestrador dela, mas poxa o cara é tão encantado por ela q ela devia ter tratado ele melhor, fiquei com muita dó dele pelas coisas q ela fez com ele. Kkkk É maluco isso, mas quem eu imaginava odiar(Ty) eu amei, e quem eu esperava torcer(Gemma) eu detestei.
Mas devo confessar que eu torcia pra um final diferente...
Enfim eu só tenho q agradecer a 2 amigas aqui do Skoob, a Mi e a Fabi pela indicação do livro, obrigada meninas! Sinceramente eu to confusa com a minha opinião sobre o livro, mas amei o Ty então valeu muito a indicação de vcs, esse personagem já entrou no meu top favoritos! obrigada!
Mi 24/11/2016minha estante
Otima resenha amiga. Totalmente que me descreve. Vc fica em dúvida se gosta ou nao do livro, mas ele te prende de uma forma que você nao consegue parar de le-lo.
So se tem duas certezas
-odiamos a Gemma e
-Queremos ser sequestradas pelo Ty kkk
Ele é um dos personagens mais bem construídos nos últimos livros que li.
Então ninguém vai te achar maluquinha por gostar do sequestrador. Eu tenho uma queda pelo deus dos funerais/mortes...fora uma morte de olhos azuis (Rick).
#ContinueResenhando


Stefani 24/11/2016minha estante
É bem isso amiga, o livro é envolvente eu ñ conseguia parar de ler.
kkkkkkk SUPER CONCORDO! kkk É bem isso a Gemma é uma insuportavel e tonta, e o Ty é INCRIVEL! kkkkk olha um sequestrador desse acho q eu ñ ia querer ser resgatada hein kkkkk.
kkkkk Eita amiga somos loucas então kkk, gostamos dos "viloes" kkkk. Tbm amo o Anubis!!!(Queria q a Sadie Kane ficasse com ele kkk), já o Rick eu ñ conheço... mas se for igual o Ty já sei q é encantador.
Obrigada por todo apoio e incentivo com as minhas resenhas amiga :-) e tbm por me indicar o livro ;-)


Stefani 24/11/2016minha estante
Ah amiga, vc já leu a Saga do Tigre? Acho q vc ia amar! Tem uns Boys magia kkkk, amo o Ren! Mas o Kishan tbm é incrivel ;-D kkkk.


Mi 24/11/2016minha estante
eu ate li, mas larguei. gostei ate dos irmaos, mas a kells me fez desistir da saga. soumuita chata quando o assunto é protagonista. ela nao me conquistou. pelo contrario, me matou do coração


Stefani 24/11/2016minha estante
kkkk ela é tipo a Gemma né kkkkk. Mas eu amo a saga por causa dos irmãos, sou apaixonada pelo Ren kkkk.


Fabi 10/12/2016minha estante
Ownttttttttttttt ela citou eu na resenha dela s2 s2 s2
Fofa demais vc viu? *-*
Esse negócio de gostar do Ty começou primeiro comigo, depois com a Noemi que enchi a cabeça dela para ler este livro e depois com vc
Como não amar o Ty, este ser humano lindo por dentro e por fora? *-* s2
Gemma foi boba ao cubo hahaha
Ps: desculpa não ter lido sua resenha antes, é que esses dias tava meio só lendo e não na internet kkkkkkk
Mas sua resenha ficou boa, falou sobre o livro e expressou seus sentimentos em relação a ele
Só não gostei da nota


Stefani 10/12/2016minha estante
Kkk fico muito feliz em saber q vc gostou da resenha amiga =D !
Kkkk super concordo! O Ty é perfeito! Eu tenho ate medo de encontrar um homem desse kkk acho q eu q o sequestraria kkkk. Agora a Gemma... nossa q menina insuportavel!
Obrigada mais uma vez pela dica literaria =D
Entao amiga o motivo da nota foi por muitos motivos, nao gostei do final, achei muito sacanagem o q ela fez, e detestei ela. O Ty é o q salvou o livro totalmente, amei ele demais! Mas achei q como conjunto eu devia dar só 3 estrelas pq aquele final foi terrivel pro meu coracao e a protagonista é uma chata, entao por isso tirei 2 estrelas. Mas amei conhecer esse livro e principalmente o Ty q ta guardadinho no meu coracao. Obrigada amiga!


Mi 10/12/2016minha estante
O fim é um desastre.
So o Ty que presta mesmo kkk


Stefani 10/12/2016minha estante
Kkkk concordo amiga! Kkk


Fabi 12/12/2016minha estante
sim o final é mt triste
mas eu tb gosto de finais assim kkkkk
me emocionam
mas o q importa é q vcs 2 gostaram em parte dele s2


Stefani 12/12/2016minha estante
Sim amiga, nós amamos o Ty s2 s2 s2 s2 isso q importa kkkk.


Val 23/06/2017minha estante
Fico muito feliz quando encontro gente louca igual a mim.kkkkkk
Amo os vilões, porém nesse caso não vejo o Ty como vilão... Estou inconformada com esse final!




Mariana 29/04/2013

Stolen
Li esse livro muito rapidamente. Não esperava que fosse gostar tanto, mas (ufa) gostei muito mesmo. Difícil não me encantar com esse vilão. Será que tenho tendência a ter a Síndrome de Estocolmo? Rs. Sério. Posso perceber o tamanho desequilíbrio e desespero que leva uma pessoa a seqüestrar outra. Mas fora isso, o carinha é todo fofo com ela e começa a tentar conquista-la com as coisas que ele acredita, que ele gosta, com a vida que ele está acostumado a levar, na terra, vivendo na natureza e sobrevivendo dela. No final, me peguei querendo “esticar” o livro. Queria que determinados momentos durassem um pouco mais. Eu estava curtindo o clima e por isso mesmo, foi tão chocante como as coisas de desenrolam no fim.
comentários(0)comente



86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6