O Que Me Faz Pular

O Que Me Faz Pular David Mitchell
Naoki Higashida




Resenhas - O Que Me Faz Pular


60 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Erika 15/06/2019

Recomendo a quem busca empatia
Não é um guia, nem só um livro de histórias. São os pensamentos de um autista da maneira mais clara que ele pode expor.
Pode parecer confuso ou repetitivo, as vezes, mas tenham paciência com o livro e com as pessoas autistas.
comentários(0)comente



Maria 08/04/2019

Livro: O que me faz pular?
Autor: Naoki Higashida?
5/5 ????
Sobre uma maneira nova e infinitamente mais pura de se enxergar o autismo.?
?O que me faz pular? é um livro escrito por um portador de autismo severo, que com apenas 13 anos tem a mente muito mais ativa e complexa do que qualquer um jamais imaginaria. Naoki consegue desconstruir tudo o que você achou que sabia sobre o autismo, respondendo os principais questionamentos feito sobre o assunto e apontando o total desconhecimento social sobre o que se passa na cabeça de um autista e sobre como compreender o que se passa dentro do outro. ?
Esse é um livro que não ensina apenas sobre o autismo, mas esclarece quem nós somos e como devemos lutar pra sermos a nossa melhor versão. ?
Um livro incrível que diverge de tudo o que eu já li, um livro de utilidade pública, um livro que arranca um tijolo da parede construída entre a sociedade e o indivíduo autista, um livro que vai mudar você e mudar o outro.?
Encontrei na narrativa do Naoki um relato esclarecedor de que autismo não é característica, autismo não é doença, autismo não é impasse e muito menos estorvo, autismo na verdade é amor, luta e respeito.?
?
?Se vocês puderem compreender a verdade a nosso respeito, seremos iluminados por um raio de esperança. Por mais que nossa vida seja difícil, continuaremos apegados a ela se tivermos esperança.??
?
? nota extra da Maria: esse livro é um belíssimo de um tapa na cara, a coisa mais incrível que eu já li, sinceramente só posso dizer que é um puta livro. ?
comentários(0)comente



Jis Rocha 03/04/2019

#souazul? #leioazul? .
"Mas quando pulo,é como se meus sentimentos rumassem em direção ao céu. Na verdade,minha necessidade de ser engolido pela imensidão lá em cima é suficiente para estremecer meu coração." .
.
?Sempre pego olhando para a minha filha e imaginava o que será que ela está pensando? Ou o que ela sentia quando tinha alguma atitude diferente. E lendo esse livro, tive uma idéia de muitas coisas. .
.
?Os livros ou os relatos de autistas quase sempre são de adultos, já encaminhados na vida, com anos de terapias, é lindo e esperançoso, mas no meu caso, minha filha vai demorar pra chegar a fase adulta, então onde eu buscaria informações para o agora?
.
. ?Em O Que Me Faz Pular, Naoki Higashida, um autista severo de 13 anos que vive no Japão, se comunica através de uma tábua de comunicação criada por sua mãe,e com muito incentivo escreve poemas, e como ele escreveu " Então,explicando do meu jeito o que acontece na mente das pessoas nessa condição". .
Escreveu esse livro respondendo a seu modo muitas perguntas.
.
?Um livro lindo e esclarecedor com um prólogo que me fez pensar em muitas coisas escrito pelo David Mitchell. Recomendo muito.
comentários(0)comente



Laura 19/02/2019

Acho que esse livro deve causar diferentes reações dependendo de quem lê. Se uma pessoa leiga, que não tem nenhum autista realmente próximo e esta lendo por curiosidade, deve ser interessante. Se quem lê é uma pessoa que tem uma ligação intima com um autista jovem e esta naquela fase de descobertas sobre o transtorno, deve ser um consolo enorme. Agora se quem esta lendo é próximo a um autista mais velho e já passou pela fase da descoberta, ele provavelmente não causa grande impacto como é o meu caso, meu filho autista já tem 18 anos, e seja por experiência própria ou por aprender com outros médicos (que realmente saibam, são bem poucos) seja por outras publicações, ou por troca de informações entre outros responsáveis por autistas, ele apenas corrobora aquilo que já sabemos ou desconfiamos.
De qualquer maneira, é uma boa maneira de divulgar, conscientizar o autismo e quem sabe despertar o respeito das pessoas pelos portadores desta doença e seus familiares. E na minha opinião o maior mérito do livro é que foi escrito, mesmo que em parceria por um autista, isso da esperança a inúmeras responsáveis por outros autistas.

Obs. Eu atualmente prefiro não ler livros sobre o assunto, primeiro porque poucos são os que me diz algo novo, segundo porque muitos ficaram tão romanceados que passam uma mensagem que não é a verdadeira da situação e terceiro porque lá no fundo por mais mesquinho que pareça eu me pergunto porque o meu não pode falar, ou ser assim ou assado?
comentários(0)comente



Ana Luiza 22/11/2018

Apaixonante e educativo
Em resumo, a leitura de O Que Me Faz Pular é incrível. Além de esclarecer dúvidas comuns sobre autismo, o autor ainda nos encanta com suas belas e inteligentes poesias. A obra se encerra ainda com um conto mais longo, e impactante, que metaforiza como a dificuldade de se comunicar com quem amamos é dolorosa. É impossível não se cativar e se emocionar com as palavras de Higashida. Além disso, O Que Me Faz Pular nos torna um pouco mais empáticos e conscientes das limitações de pessoas que estão no Espectro do Transtorno Autista, mas também de suas identidades únicas, e como veem o mundo e a vida de forma diferente. Nenhuma surpresa que O Que Me Faz Pular se tornou um dos meus livros favoritos da vida e que recomendo para absolutamente todas as pessoas, especialmente as que têm curiosidade, seja casual ou acadêmica, em entender um pouco mais o autismo.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2018/11/resenha-o-que-me-faz-pular-naoki-higashida.html
comentários(0)comente



Ca Agulhari @literario_universo 19/09/2018

Emocionante.
Você conhece alguém com autismo? Eu não conheço, logo, esse livro é minha primeira incursão no tema pela visão de um autista e não de um observador externo. O conheci por indicação e como me interesso bastante pelo assunto e por tudo mais que envolva a mente humana, não poderia deixar de ler.

Eu não quero fazer uma resenha simplista ou reduzida do tema, mas tampouco posso me aprofundar em algo no qual não tenho lugar de fala. Como mencionei, não conheço ninguém com o transtorno, sei que no futuro da minha profissão irei ter contato com muitas crianças com espectro autista, porém por enquanto tudo que tenho são conhecimentos rasos sobre o tema, de artigos de internet e livros acadêmicos. Portanto, vou me ater à minha experiência como leitora do livro escrito por uma criança de 13 anos que é autista. Espero estar me expressando corretamente ao me referir à Naoki, que no seu livro tenta nos mostrar como sua mente funciona, porque ele sente tudo que sente, mesmo que não consiga mostrar. Para quem não sabe, o que comumente se chama de autismo é um transtorno de desenvolvimento que, explicando grosseiramente, prejudica a capacidade de se comunicar e interagir. Quem vê de fora um autista muitas vezes já fez comentários depreciativos e torceu o nariz, sem saber de fato que não se tratava de uma birra da criança, ou um show performado por uma criança mimada. Os autistas sofrem por se sentirem presos dentro de si e foi isso o que mais me tocou no livro: Naoki me fez ver o quanto somos privilegiados por conseguirmos interagir com os outros da maneira que fazemos. Naoki me fez ver que o ser humano ainda está longe de aprender o que é respeitar o outro, isso me deixou bastante triste.

O espectro autista não afeta a vida apenas quem o tem mas também todos à sua volta, o autista não é retardado como já ouvi muita gente dizer. Pelo contrário, ele tem uma inteligência e uma sensibilidade ímpar, é um ser humano com medos, alegrias e sonhos como todos, mesmo que não consiga expressar isso da maneira que comumente fazemos. Através de perguntas e respostas e também alguns contos, você consegue sentir um pouco do que é que Naoki sente em cada dia de sua vida. E entende que é preciso se estudar muito mais sobre o tema, conhecer o transtorno para não cair em reducionismos ou preconceitos e mais que tudo: aprender a respeitar e amar o outro como ele é. Naoki nos faz repensar sobre o que de fato é normal, o que é ser perfeito, o que é viver e como viver. Recomendo muito a leitura, ela é rápida mas emocionante, permite que a gente pare e pense sobre cada tema, levando às vezes um soco no estômago. Um belíssimo livro, que com certeza todo mundo que conhece um autista deveria ler e quem não conhece, também.

Resenha original de Universo Literário: https://cagulhari.wixsite.com/universoliterario
comentários(0)comente



Maira 05/09/2018

Seja gentil sempre
É um livro instigante, que querendo ou não, faz você querer desenvolver compaixão e desperta empatia, tirando que a escrita é de fácil entendimento e tem lindas ilustrações. Recomendo.
comentários(0)comente



Kymhy 23/04/2018

O Que Me Faz Pular - Naoki Higashida
Um livro tocante, Naoki mostrará que apesar de ser autista isso não significa que não tenha capacidade de expressar emoções e sentimentos. Um verdadeiro caso de um tabefe acompanhado por uma carícia, já que é real e tocante.

site: https://gatoletrado.com.br/site/resenha-o-que-me-faz-pular-naoki-higashida/
comentários(0)comente



Thiago Phelippe 20/04/2018

Intrigante.
O autor com autismo escreveu o livro com 13 anos de idade. Procurei o livro por perpassa diversos assuntos relacionados à comunicação.
É um livro que fala mais sobre sentimentos do que experiências, possuindo respostas para perguntas feitas por um interlocutor, temos o opinião de como e sentir-se com a síndrome.
comentários(0)comente



Kleber Rafael 29/03/2018

O que te faz pular? O que me faz pular? Esse livro me fez pular... a princípio me encantei com a capa e com o título, sem saber sobre o que era o livro... quando vi que era um livro escrito por um garoto de 13 anos que sofre de autismo severo fiquei muito curioso para ler. A leitura foi uma viagem incrível pelo mundo do Naoki, escrito em forma de entrevista, são 58 perguntas que Naoki responde de forma tão simples e espontânea que vai te encantar... o autismo não o torna doente, nem esquisito apenas o torna especial...

"ao pular é como se eu estivesse me libertando das cordas que me prendem. Quando salto eu me sinto mais leve"
comentários(0)comente



Izabel Wagner 25/09/2017

Todos deveriam ler esse livro !!!
"Quando tinha apenas treze anos Naoki realiza algo que, em meio ao pensamento racional, limitado e totalmente especializado, era considerado uma grande dificuldade, quase impossível de ser concretizado. Porém, aos olhos daqueles que o acompanhavam dia após dia, conheciam suas batalhas e dedicavam tempo e afeto, o impulsionavam e serviam de suporte para tentar cada vez mais, mostrava apenas o quanto a paciência, carinho e a forma como lidamos com as situações realmente fazem a diferença na vida das pessoas. Com apenas treze anos, Naoki Higashida escreve um livro e responde perguntas preciosas para todos aqueles que convivem com o autismo, mas principalmente, abre as portas de seu mundo para todos aqueles que, como eu, nunca realmente compreenderam o que é o autismo.

O Que Me Faz Pular se apresenta através da estratégia de perguntas e respostas. Com uma escrita simples, direta, graciosa e acolhedora, Naoki nos insere em seu mundo. A obra pode contar com apenas 190 páginas, mas as lições, mensagens e informações contidas dentro de si vão muito além dos números que representam. Este livro mostra como, verdadeiramente, um autista pensa, porque faz o que faz, age como age, quais são suas dificuldades e o que sentem quando não somos capazes de compreender o que estão passando. Ele introduz um tema delicado e importante ao mundo literário, abre espaço para discussão e compreensão, mas acima de tudo, mostra que, embora as batalhas sejam diferentes, e nem sempre sejam analisadas sob o mesmo prisma, assim como nós, um autista muitas vezes só precisa de apoio, carinho e suporte para superar seus obstáculos."

Confira a resenha completa no Estante Diagonal !

site: http://www.estantediagonal.com.br/2017/08/resenha-o-que-me-faz-pular.html
comentários(0)comente



Jess 31/08/2017

"Não se pode julgar uma pessoa pela aparência. Mas, a partir do momento que você entende o que acontece dentro do outro, vocês dois podem se tornar bem mais próximos. Do seu ponto de vista, o mundo do autismo deve parecer um lugar extremamente misterioso. Portanto, por favor, pare um pouco e ouça o que tenho a dizer."

O que me fez pular é o livro escrito por Naoki Higashida, um autista não verbal que com o auxílio de uma prancha de alfabeto escreveu nos contando um pouco mais sobre seus sentimentos e como é ver o mundo pelos seus olhos, com uma série de respostas à perguntas pra explicar um pouco sobre o autismo.

"Por favor, faça o que fizerem, não desistam de nós. Precisamos de sua ajuda. (...) Nossos sentimentos são iguais aos de todo mundo, só não conseguimos encontrar uma forma de expressá-los."

#AproveiteOSalto é a ação criada pela @ousejalivros para conscientização sobre o tema. A leitura proposta foi nada menos do que edificante. Pra quem até pouco tempo atrás era ignorante no assunto, poder saber mais sobre o tema é prazeroso. O que me fez pular é conhecimento, é sentimento com informações de uma forma delicada e bonita.

"Quando salto, eu me sinto mais leve. Acho que o motivo pelo qual meu corpo é atraído para cima é que esse movimento me faz querer me transformar num pássaro e voar para algum lugar diferente."

Você não precisa ser pra querer entender, conhecimento nunca é demais! "Como as cigarras, nós clamamos e gritamos." O que me fez pular é um livro lindo e necessário.

site: www.instagram.com/saymybook
comentários(0)comente



De Olivato - @olivatobooks 24/05/2017

Seja a diferença que quer ver no mundo e leia esse livro.
Este livro foi escrito pelo Naoki Higashida e ele é autista severo. Com emoção e simplicidade, o escritor vai levando os leitores a conhecer mais sobre esse transtorno – que parece ser um tabu que precisa ser quebrado nos dias de hoje, a falta de informação mais atrapalha do que ajuda e não podemos ignorar que pessoas autistas existem.

(O autismo é uma condição para a vida inteira.)

O livro é disposto da forma de 58 perguntas e alguns são intercaladas com contos pequenos. É emocionante o jeito como o assunto é tocado, não tem nenhuma maquiagem ou algo escondido, é a verdade nua e crua e ela me emocionou porque o livro faz com que nós nos coloquemos no lugar do autista.

Finalizei a leitura, sentindo ser o meu dever apresentar essa história para todos que conheço. Ele é sensacional e não imagino porque não tinha lido antes, chorei em algumas partes porque não importa o quanto a sua vida agora é difícil, sempre vai ter alguém que não está sendo bem compreendido no mundo por ser exatamente quem ele é e este livro ajuda com que nós leitores e seres humanos aprendamos mais.

(Para os autistas, viver é uma batalha sem trégua.)

Posso com toda a certeza dizer que este livro mudou a minha vida e a forma de ver o mundo, espero que você que esteja lendo essa resenha, tenha a vontade de ler esse livro e mudar também a sua maneira de ver o mundo – se você já tiver lido, vai saber do que eu to falando.

(Pular é como se eu estivesse me libertando das cordas que me prendem. Quando salto, eu me sinto mais leve.)

Não consigo imaginar uma nota menor do que 5 estrelas e foi essa minha nota no Skoob, dei 5 estrelas e favoritei, recomendo para todo mundo, é uma leitura rápida e significativa, não deixe de acrescentar esse livro a sua lista de livros para ler e venha comentar comigo.

site: https://www.instagram.com/p/BUfT_hZFZIw/
comentários(0)comente



Thaís @thathemi_leitoravoraz 22/05/2017

Reflexivo
Naoki é autista e escreveu esse livro com apenas 13 anos e nele podemos chegar um pouco mais perto dos sentimentos dele e, quem sabe, entender um pouco as suas percepções. Entender que os autistas não desejam ficar sozinhos, como muitas vezes parece.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
“Mas, tendo começado a me comunicar por texto, agora sou capaz de me expressar através da prancha de alfabeto e de um computador, e, por poder compartilhar o que sinto, percebo que eu também existo neste mundo como um ser humano.”
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Naoki consegue responder muitas questões que nós temos sobre o autismo e que nunca tivemos oportunidade de entender olhando pelo lado do autista. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Através da ajuda da sua mãe e de sua professora, Naoki aprendeu a se expressar apontando as letras numa espécie de teclado de papelão. E é incrível e lindo a forma como ele consegue colocar tão bem as dificuldades pelas quais passa e como esses relatos mudam a visão de quem lê em relação ao autista. Eu fiquei extremamente encantada e não posso negar o quanto eu tinha um olhar errado para muitas coisas.

Naoki me encantou com sua inteligência e principalmente com a forma delicada e sensível como expõe seus pensamentos. Além de nos dar uma boa ideia do que se passa na cabeça dele ainda dá uma chacoalhada e uma boa lição de vida. Amei! Não há outra definição.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ 💙💙💙💙💙
Enfim, é um livro que deve ser lido por todos. Todos!
E, vou usar as palavras de Naoki: “...faça uma boa viagem através de nosso mundo.” ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

site: www.instagram.com/thathemi_leitoravoraz
comentários(0)comente



priscila.saatmam 19/05/2017

Um grande aprendizado.
Foram 58 perguntas, 58 respostas e um único apelo “não desista de nós”. Naoki Higashida um menino, comum e em destaque. O que o destaca: o autismo, este mesmo que é comum ao menino, hoje um homem na casa dos vinte e poucos anos. No livro o menino autista severo mostra o quão comum é, sabe o porquê!? Porque o que nos torna humanos é a capacidade de sentir. E Naoki sente e como!


Por 58 vezes eu fui apresentada a um ser humano que tinha/tem/terá muito o que me ensinar. O autor me fez pensar e eu o aplaudo por isso, eu parei e pensei, mesmo sendo uma pessoa com deficiência eu refleti que ainda assim, não sou livre dos tabus ridículos. Mas, um garoto de 13 anos do outro lado do mundo me trouxe reflexão sobre meu papel como pessoa nesse mundo. A noção dele sobre tudo isso é excepcional.


Naoki por meio de suas palavras me humanizou, me trouxe para mais perto deste mundo azul, ou, verde (cor que ele tanto ama), que vem a ser o autismo. O autismo não é uma doença e não é algo que torna alguém menos humano. O autismo, Naoki e a ação "aproveite o salto" nos desafia a ver o ser humano antes e além de suas limitações, a mudar nossas atitudes e não a dos outros.

Naoki obrigada!
comentários(0)comente



60 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4