A Mulher do Viajante no Tempo

A Mulher do Viajante no Tempo Audrey Niffenegger




Resenhas - A Mulher do Viajante no Tempo


225 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


patita 23/08/2011

Minha nossa...
Que livro chato! Fui seca pra ler depois de tantas resenhas maravilhosas mas que decepção... A mesma lenga-lenga interminável
Hester 21/10/2015minha estante
Ah! Patita vc me deixou super feliz. Assim como vc fui com muita sede ao pote, e nao goste do livro. Como todos amaram, me senti pior que um peixe fora d'água. Achei suuuper chato o livro.


Renata.Lima 11/01/2017minha estante
Estou lendo ainda, mas estou achando um saco. Muito chato até agora. Uma ida e vinda no tempo q fico perdida. E volta no tempo só pra falar besteiras, ensinar a ele mesmo no passado a roubar e por aí vai. Não tem um motivo forte q o leve a voltar ou ir para o futuro. Sem nexo.


patita 03/02/2017minha estante
Eu também me sentia assim Hester!?


patita 03/02/2017minha estante
Boa sorte com ele Renata. Depois nós diga se conseguiu terminar.




Anderson 10/02/2013

Ah, o que falar sobre este livro? Como expressar em palavras tudo o que eu senti lendo essa magnifica obra da Audrey Niffenegger?

''A mulher do viajante no tempo'' nos conta a história de amor entre Henry e Clare. Mas não pense que é uma história de amor qualquer, onde menino conhece menina e pronto, o amor está no ar e eles vivem felizes para sempre. Nesta história, como o próprio nome já diz, Clare é a mulher de um viajante no tempo, e Henry, é claro, é o viajante. A teoria é simples; Uma hora Henry esta lá, no presente, bem juntinho de Clare e do nada ele some e se vê no passado, em 1984, com 32 anos de idade. E Clare, fica lá, no presente, esperando até que o amor de sua vida retorne para seus braços.


"Clare: É difícil ser quem fica para trás. Espero Henry, sem saber dele, me perguntando se está bem. É difícil ser quem fica." - Pg 09

"Henry: Odeio estar aonde ela não pode estar, quando não está. No entanto, vivo partindo, e ela não pode vir atrás." Pg 11


Será mesmo que o tempo e a distância são como barreiras contra o amor? Aliás, será mesmo que existem barreiras contra o amor, se este sentimento for verdadeiro? Nesse livro, Audrey Niffenegger nos mostra que não. Nem tempo nem distância são capazes de derrubar duas pessoas quando elas se amam. Porém, as dificuldades estão sempre aí, para mostrar o que as pessoas são capazes de fazer quando amam alguém.
Mas o livro não nos mostra só sobre a força do amor e sobre o poder que o tempo tem contra - ou a favor - dele. Apesar de o enredo ser uma ficção, a autora nos mostra uma realidade, principalmente sobre tudo que estamos sujeitos a perder pelo fato de ficarmos parados, de braços cruzados, esperando o tempo passar. E isso meu amigo, é uma baita lição de vida em forma de romance.

"Clare: Nada jamais pode ser triste, não se pode perder ninguém, ninguém pode morrer nem estar longe: Estamos aqui e agora, e nada pode estragar nossa perfeição nem roubar a alegria desde momento perfeito."


Depois de tudo o que eu escrevi aí em cima, acho que não precisa dizer que o livro é, em vários aspectos, perfeito. A escrita da autora é deliciosa e ela soube levar muito bem a história. Antes de começar a ler, pensei que a leitura seria confusa por causa da constante mudança de tempo, porém a autora trabalhou muito bem com isso, deixando tudo muito fácil de ser compreendido. É preciso apenas prestar atenção nas datas dos acontecimentos e na idade dos personagens. Enfim, o livro é mais do que recomendado. Se não tiver interesse por ele, faça como eu e leia o primeiro capítulo, garanto que as palavras da autora vão te cativar desde o primeiro parágrafo, e quando você se der conta, vai estar passando noites viajando no tempo com Henry ou sentado com Clare, esperando seu marido voltar de onde quer que ele tenha ido.
Nalice 23/03/2013minha estante
Ótima resenha!
Se ainda não tivesse lido o livro, com certeza ficaria morrendo de vontade de lê-lo, rs.
Livro muito bom mesmo, Andy, concordo contigo.
Eu ia tentar resenhar, mas você já falou tudo. haha, acho que só vou pôr um link pra sua resenha. ^^


Anderson 02/04/2013minha estante
Nossa, obrigado mesmo. Que bom que gostou da resenha. É meio difícil resenhar um livro que muda nossa vida. Quase sempre tenho dificuldade pra resenhar livros assim. rs
O livro é realmente perfeito, já estou até pensando em rele-lo.




Sheppita 02/01/2015

Viajante no Tempo
Chorei tanto, mas tanto, mas tanto, que precisei de uns bons 30 minutos pra me recuperar.
Que livro mais lindo!
Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo.
Clare e Henry são uma espécie de Romeu e Julieta com problemas temporais, numa Chicago gelada e chuvosa.
Annie 18/01/2015minha estante
Olá! :D

Já vi várias resenhas sobre este livro, mas é a primeira vez que vejo essa frase: "Clare e Henry são uma espécie de Romeu e Julieta com problemas temporais, numa Chicago gelada e chuvosa". Haha! Muito interessante!

Espero que os próximos livros do desafio sejam tão bons quanto, não é? :D Não tive tanta sorte, meu primeiro livro foi Divergente e não superou as minhas expectativas, rs.

Grande abraço!
Ana Carolina Nonato.




Schädell 08/07/2010

"Todo livro aqui no Brasil só é valorizado depois que vira filme"

É uma realidade infeliz, vi isso principalmente neste livro, em que o filme foi tão fraco em relação a tão brilhante obra.

Adorei a forma inovadora - e sem frescuras - de retratar uma paixão conturbada mas acima de tudo forte e firme.

Um dos livros que mais rápido li, e que logo de cara gostei.
A forma realista em que os personagens estão inseridos, até me fez esquecer que existiu uma autora e personagens, fez parecer que Henry era meu amigo e muitas vezes me reconheci em diversos aspectos e atitudes, entrando na própria realidade deles, e na esperança de uma mulher igual a Clare.

Excelente livro a quem aconselhei adorou e tem como este um dos melhores livros já lidos.


O título é brega - apesar de real - se comparado a obra, uma tradução ao pé da letra que ficou horrível.
comentários(0)comente



Samia 05/12/2010

Uma história de amor
Sabe quando estamos a fim de ler uma história da amor? De sentir ternura, de se comover?
Esse é o livro certo para isso.

É um romance, com todos os elementos do gênero.
O amor que transforma a vida e aprimora as pessoas.
O companheirismo que ajuda a superar as dificuldades.
A ligação que dá sentido a vida, ao trabalho, a família.
A vontade de estar sempre junto.
O desejo permanente.
Uma vida que se constrói a dois.

comentários(0)comente



Tay 10/02/2012

Me desapontei com o livro, acho que ele tinha tudo pra ter tido uma grande estória, mas em vez disso vou um livro cansativo com vários momentos confusos.
Fer Kaczynski 09/01/2013minha estante
Concordo, muito confuso, insisti até onde deu, não consegui me apegar, achei chato e monótono...
Talvez um livro superestimado, não sei, um dia quem sabe termine a leitura.




Nathália 30/06/2010

O que dizer desse livro?! Simplesmente fantástico, encantador, lindo!!!
A autora soube conduzir uma história impossível, de uma maneira totalmente verdadeira... É difícil explicar! Ainda estou suspirando e devo dizer que chorei horrores em algumas partes, principalmente no final!

Antes de começar a ler, achei que até pegar o ritmo da leitura teria alguma dificuldade pra me encontrar! Mas não, além de sempre nos dizer em que ano estão e quantos anos têm cada personagem na ocasião, no início do livro a autora tenta seguir uma cronologia e acompanhamos os fatos (na maior parte do tempo) conforme Clare cresce!
Além de tudo, o livro é narrado pelos dois personagens principais e, com isso, observamos a angustia, a felicidade, o sofrimento e os sentimentos mais íntimos dos dois durante todo o tempo!

É muito difícil falar sem contar alguma coisa importante e acabar estragando a surpresa de quem ainda não leu...
A leitura é doce, romântica, triste, tem partes realmente engraçadas e os personagens são apaixonantes e envolventes, mesmo com seus conflitos!

Clare, desde menina conhece o homem da sua vida, seu verdadeiro amor e, com isso, passa a vida esperando que Henry ‘volte’ de suas viagens no tempo!
Henry vive uma vida muito ‘anormal’ e tem dificuldade de se adaptar, mas, depois de conhecer Clare, ela se torna seu porto-seguro!
A ligação que existe entre eles é indescritível... É um romance perfeito!

Amei demais a leitura! Com certeza, está mais que recomendada!!!

comentários(0)comente



Ká Guimaraes 11/03/2010

lindo,muito lindo
amei muito bom,melhor que o filme
me deu ate vontade de chorar
comentários(0)comente



Douglas 31/05/2010

"Por que a ausência intensifica o amor.'
É um romance diferente de todos os que já li, é emocionante e envolvente.
comentários(0)comente



ana. 11/12/2009

Chorei.
comentários(0)comente



Mayara 02/04/2011

Já escrevi muitas resenhas, mas acabei por não enviar. Quem sabe dessa vez é diferente.

Bem, conheci essa história enquanto vagava pelo youtube. Um vídeo de um fã com personagens do anime Naruto. Gostei do tema e fui atrás. "Viagem no tempo", gosto, porém tenho certo preconceito. Pensei encontrar algo tosco, mas foi muito pelo contrário! Deparei-me primeiro com o filme, fiquei completamente apaixonada e fui atrás do livro. Levei quatro dias para terminar por causa do pouco tempo disponível. A leitura é incrivelmente fácil e envolvente. A narração é variada entre Henry e Clare.

O que é passado, presente, futuro?
É como se os dois tivessem nascido para viver um com o outro. Se Henry não tivesse essa anomalia genética, não teria voltado no tempo onde Clare tinha apenas seis anos, ela iria crescer de outro jeito, tomaria outro rumo. Se Clare não tivesse aparecido na vida de Henry quando ele tinha vinte e oito anos, ele teria levado a vida de um jeito diferente. Quem se meteu na vida de quem primeiro? Para um Henry maduro poder voltar ao passado e saber que aquela garotinha ruiva seria relevante, ela precisaria já ter se metido na vida dele antes. É um dos romances em que você diz que: "É o que tinha que acontecer". Realmente, melhor romance que eu já li e assisti. Nada forçado. Não sou do tipo sentimental, tais histórias costumam não me marcar tanto, mas essa teve um diferencial que até agora não entendo.

História de duas pessoas que viveram um pelo outro, esperando. Quem não gosta do gênero, realmente não vai gostar e achará monótona a história. Não haverá confusão alguma caso preste atenção nas datas.

Devo dizer que o pedido de casamento foi muito melhor no filme. No livro:
"- Clare, eu te amo. Casa comigo?
- Sim!"
'Não, não caso, homem! Se quiser que eu passe o resto da minha vida ao seu lado seja um pouco mais criativo nesse discurso'. Cof.
A tradução não é cem por cento, but.

Filme x Livro. ~
O filme não é uma fiel adaptação. Cortou MUITAS partes e modificou um pouco a história de alguns personagens (sem falar da aparência) e outros nem apareceram.
Não digo que o filme se sobressai ao livro, não é um dos raros casos tipo "Forrest Gump". Mas o filme não é ruim! Se for para comparar eu sugiro "Dexter". Quem leu os livros sabe que o seriado é distinto, o que não significa que a série não tenha qualidade. Essa é um dos casos onde a adaptação teve um excelente elenco, atores de verdade! Rachel McAdams e Eric Bana, muito lindo os dois juntos! Não vou comparar o livro ao filme, cada um com a sua beleza. Mas ao ler o livro eu penso na Rachel e Eric em seus respectivos personagens, ele defendendo a honra de Clare, quando a mesma pediu ajuda numa "vingança" contra um garoto do colégio, em um dos momentos em que ele viajava no tempo.

Para quem gosta do gênero este livro é incrível! Com um final que nos faz pensar sobre esse tipo de amor, onde o tempo é apenas um obstáculo, que não é impossível de ser superado.

Recomendo muitíssimo, tanto o livro quanto o filme!
comentários(0)comente



Paulatictic 20/02/2011

lindo
Esperem um pouco, me deixem secar minhas lágrimas primeiro...


Pronto.
Ah, que livro mais lindo! Na verdade hoje eu vou falar tanto do livro como do filme, por que contrariando o meu costume, eu assisti primeiro ao filme. E isso me deixou marcas irreparáveis – afinal eu adorei o filme – e quando lia ao livro eu ficava me lembrando das cenas e dos personagens. Na verdade, o livro tem muitas passagens lindas e mais detalhadas do que o filme, como a relação do Henry com a Clare e mesmo da vida dos dois quando não se conheciam e de como o tempo se apresenta de uma maneira não cronológica mais com uma lógica surpreendente – a autora arrasou.
Eu gostei de vários momentos, mas acho que os mais marcantes são os encontros da Clare jovem com o Henry já adulto e quando Clare tenta engravidar, nossa, é tão emocionante.
Outro motivo para eu ler esse livro foi que eu li – não me lembro onde – que o casal Brad Pitt e Jennifer Aniston compraram os direitos para produzirem um filme antes mesmo de o livro ser lançado, imaginem isso? Deve ser fantástico saber que seu livro vai virar um filme antes mesmo de ser publicado... Só que o casal se separou e quem ficou com os direitos foi o Brad Pitt. Que em minha opinião fez um bom trabalho, por que eu chorei tanto no filme como no livro.
Também gostei muito da alternância que ocorre na história, ou seja, tem horas que acompanhamos o ponto de vista de Henry e já em outros momentos temos o da Clare, o que me fez me aproximar muito dos personagens! Eu me agarrei a cada momento e detalhe e se eu pudesse não largava mais o livro, não mesmo.
Um dos melhores livros românticos que li.
Acho que o que mais se diferenciou nos dois, foi o final. Ambos são diferentes e agora eu estou me perguntando qual dos dois eu gostei mais, acho que ambos. Cada um ao seu modo é lindo... Mas a parte final do filme quase me matou de tanto chorar...
comentários(0)comente



JuKiara 04/07/2012

Embora seja uma obra de ficção, nunca até hoje vi descrição mais perfeita de como o amor pode sustentar a relação de um casal. O amor é como o "fio no labirinto, a rede embaixo de quem caminha na corda bamba, a única coisa verdadeira e confiável nessa (...) vida estranha".
Cada detalhe contado, cada pedaço de história narrado (que a primeira vista parece inexplicável e deliciosamente irritante, para se encaixar no final como um quebra-cabeças), cada pedaço da história que montamos... cada ponto é importante, não somente para a história do livro, mas para a nossa própria. Quando sou Clare, esperando... ou quando sou Henry, me transportando para passado, futuro ou presente...
comentários(0)comente



Marcela 09/05/2013

A história de um amor que (realmente) é capaz de superar todas as barreiras.
Há poucos livros em que os personagens são tão bem descritos e suas histórias tão detalhadas como em “A Mulher do Viajante no Tempo”. É, realmente, uma viagem que o leitor faz, não no tempo, como Henry, mas no espaço. Viajamos para o dentro da essência de Henry DeTamble e Clare Abshire, como em raros casos literários. Os personagens são tão cheios de defeitos e manias, tão humanos, que fazem da história quase um caso real.

Para os desavisados, a história pode parecer um tanto complexa de ser entendida, já que não segue uma ordem cronológica convencional, como a maioria dos romances. ‘The Time Traveler’s Wife’ segue sua própria linha não situada no espaço amostral de tempo que conhecemos. O passado e o futuro se confundem com o presente, já que acompanhamos de perto os sobressaltos de Henry ao longo de sua vida nada convencional. Se estiver realmente interessado em conferir o resultado dessa doce, quente e encorpada mistura de ficção científica e romance, esteja avisado de que será preciso se acostumar com a ideia da não continuidade tradicional.

O passado de Clare é composto pelo futuro de Henry (ela o conheceu aos 6 anos, quando ele terá 40). E o presente de ambos têm lapsos frequentes de encontros com “Henry’s” de outros tempos, que não o seu. Aos poucos, vamos tendo dimensão do amor entre o bibliotecário e a artista e do quanto este sentimento influenciou a vida dos dois ao longo do tempo. A questão fundamental aqui é o quanto o tempo pode moldar as emoções que nos dominam. E podemos notar que, como o próprio Henry diz no final, “O tempo não é nada”. Quando se há amor real, é ele quem irá vencer as batalhas que enfrentamos no dia-a-dia. E o amor de Clare e Henry é muito mais nítido e palpável que em muitos casos verídicos, hoje em dia.

Um caso curioso acerca da “condição genética” descrita por Audrey Niffenegger é que, em suas viagens, Henry não pode levar consigo nenhum bem material, como roupas, dinheiro ou documentos. E é por isso que ele sempre acaba se metendo em situações embaraçosas e complicadas e acaba recorrendo a táticas ilícitas como roubo e invasão de propriedade, fazendo com que o herói não seja exatamente um “santo”, irremediável bonzinho e incorruptível.

Dividido em três partes, o livro enfatiza bem, em cada uma delas, marcos importante para delimitar bem a postura do casal sendo casal, ou mesmo em seus comportamentos individuais.
– A 1ª parte, “O Homem Fora do Tempo”, vai nos apresentando costumes, gostos, medos e anseios de Clare e Henry. Inteiramo-nos sobre o caráter das viagens realizadas por ele e seu comportamento resultante das mesmas – como ele “se vira” para sobreviver durante o tempo em que está fora do seu tempo.
– A 2ª parte, “Uma Gota de Sangue Numa Tigela de Leite”, acompanha a vida de casados de Henry e Clare, e explica várias questões deixadas em aberto na 1ª parte – o porquê de Henry, durante a infância e adolescência de Clare (durante suas visitas, frutos das viagens no tempo), muitas vezes aparentar estar tão cansado ou aborrecido.
– A 3ª parte, “Um Tratado Sobre a Saudade” é, de longe, a parte mais emocionante de todas (parte na qual não posso me prolongar, para não liberar spoilers, por se tratar da última divisão dessa história envolvente).

Por fim, só tenho a acrescentar uma coisa: o livro é caro, sim (comprei-o há dois anos – em 2011, quando o li pela primeira vez – e, na época, desembolsei R$ 50,00), mas vale muito a pena cada centavo e cada segundo gasto para sua leitura.
Marcela 23/08/2013minha estante
Obrigada, Camila! Poxa, o preço do sebo foi ótimo mesmo... Há uns dois meses, eu vi uma versão de bolso na livraria por esse preço, mas eu não gosto muito de versões de bolso. Prefiro os tradicionais. Não me arrependo nem um pouquinho de ter pago caro nele.




Thais 21/11/2010

Um dos melhores livros que eu já li. Henry e Clare tocam a alma com seus encontros e desencontros, interligando passado, presente e futuro de uma forma única, especial, apaixonante.

Chorei, ri, mergulhei nas páginas e simplesmente não consegui parar de ler.

Quero acreditar que um amor assim possa realmente existir. É lindo!
comentários(0)comente



225 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |