Estamos Bem

Estamos Bem Nina LaCour




Resenhas - Estamos Bem


185 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |


michajunco 01/06/2020

Ruim
Quando comprei esse livro fui pelas recomendações que vi na internet, entretanto, achei a história extremamente sem graça e arrastada. Sei que o livro trata sobre perda e luto, porém, não acontece nada a história toda e me senti muito mal por essa leitura.
Anelise Cristine 15/09/2020minha estante
Terminei de ler e vim justamente procurar alguém com a mesma opinião, porque a maioria são 5 estrelas, mas me senti como você.




Contando Livros 27/07/2020

Esse livro conta a história de Marin, uma garota com muitos problemas.
Ela foi criada pelo avô, pois perdeu a mãe quando tinha apenas 3 anos. A relação entre eles era muito bonita, mas eles tinham uma regra silenciosa de nunca invadir a privacidade um do outro. Eles nunca tinham entrado um no quarto do outro até o dia em que Marin não teve escolha.
Ela era apaixonada pela sua melhor amiga, Mabel e os pais de Mabel a tratavam como uma filha. Todos eram muito unidos. Até que uma tragédia os separou. Marin se mudou e ninguém teve mais notícias dela. Ela não respondia as mensagens de Mabel nem atendia as ligações de seus outros amigos por conta do vazio em seu peito e do medo que tinha de reviver aquelas lembranças dolorosas. Mas ela não tinha mais escolha. Mabel estava vindo visitá-la e ela sabia que teria que conversar com ela e contar toda a verdade, mesmo que aquilo a deixasse apavorada.
Quando Mabel chegou, ela finamente se deu conta do quanto sentia sua falta. Ela ficaria apenas três dias, mas era tempo suficiente para que Marin contasse tudo o que vinha guardando desde que foi embora. Os três dias passam voando, Marin se abre com Mabel, relembra momentos que passaram juntas, muita coisa acontece, e então chega a hora dela ir embora. O táxi sai e Marin é deixada mais uma vez sozinha com as lembranças que tanto a torturam. Mas agora é diferente. Ela se sente mais leve por dentro, como se tivesse tirado um peso das costas. Ela começa a ver as coisas de outro jeito e se sente até mais feliz. E então recebe outra visita.
É uma história linda, de amores e perdas. A personagem passa por uma mistura de emoções que é descrita de forma muito bem elaborada pela autora.

site: https://www.instagram.com/_contandolivros/
comentários(0)comente



natlu 12/07/2020

"A verdade era irrestrita, sem enfeites. Não havia linguagem poética nela, nem borboletas amarelas, nem inundações épicas. Não havia uma cidade presa embaixo d'água nem gerações de homens com o mesmo nome, destinados a repetir os mesmos erros. A verdade era ampla o bastante para se afogar nela."
comentários(0)comente



thaireads 16/02/2020

Um livro que fala sobre luto, perda e solidão. Comovente e tocante em alguns pontos. As cenas se passam lentamente. Em minha opinião, a autora ficou muito na superfície dos acontecimentos, o que muitas vezes não me permitiu sentir que estava conectada com o que estava sendo narrado.
comentários(0)comente



Ana Lí­gia 26/09/2017

Lindamente escrito e imensamente triste.
"O desconhecimento é um lugar escuro. É difícil se render a ele. Mas acho que é onde moro a maior parte do tempo. Acho que é onde todos nós vivemos, então talvez não precise ser tão solitário. Talvez eu consiga me acomodar, me aconchegar, construir um lar na incerteza"


Marin é uma personagem extraordinária. Apesar de deixar a tristeza ir tão fundo nela (o que é perfeitamente compreensível, vide tudo o que acontece na vida dela) ela é uma personagem forte. Apesar de fugir e se esconder ela ainda procura uma vida nova, um dia novo. Ela procura recomeçar. Isso para mim é resistir.


O amor de Mabel por ela doeu em mim. A saudade e o desespero de perder alguém que se ama tanto. Apesar de tão melancólico mostra o quanto o amor é uma coisa incrível. Que apesar de intenso, ao mesmo tempo é calmo e sutil. Um amor que vai muito além do amor amor-romântico.


Senti a solidão da personagem como se fosse a minha própria solidão. Senti o amor dela por Mabel como se eu mesma a amasse. A tristeza dela penetrou em mim e junto com ela tive a esperança de uma vida melhor. Porque no fim de tudo, Estamos bem.
Marcelo.Antonio 06/10/2017minha estante
Ahhhhhhh quero ler ?




Bruh 02/10/2020

Comecei esse livro achando que ia chorar horrores, pois todo mundo dizia que era triste, que tinha chorado um mareo de lágrimas e tals...

Bom, não foi bem assim, a história traz temas muito interessantes como luto, perdas, solidão, confusão de sentimentos e etc. Sim, são assuntos megas tristes e tals, mas o livro na minha opinião deixou isso muito superficial, assim como o romance lgbtqia+ ...

Sério, as paginas estavam acabando e eu ficava me perguntando cade a parte que eu ia me debulhar em lágrimas, me senti um monstro por não chorar ate kkkk. Mas a verdade é que sim, o livro é triste, a personagem é tão distante do leitor que eu não consegui me conectar.

Fora a frustação por não ter chorado e o romance lgbt q foi bem fraquinho (inclusive dava pra desenvolver bem) o livro é bom, uma otima leitura para uma viagem, um fim de tarde, uma madrugada e etc.
comentários(0)comente



Eder Ribeiro 30/03/2020

O livro Estamos Bem de Nina LaCour até a sua metade parece mais uma coleção de bula de medicamentos. Nada acontece, nada flue. Contudo, da metade em diante o livro apresenta uma história sensível e triste.
comentários(0)comente



Isabelle.Yumi 20/11/2017

A solidão em poesia
Estamos bem, é o primeiro livro de Nina LaCour que li e não me arrependo de ter dado essa chance para mergulhar nessa incrível leitura com um toque poético e tão intenso, mergulhado em sentimentos tão detalhados.

Logo de cara já começamos a historia com um toque de sentimento intenso, e já podemos ter uma ideia do que vem por aí, muitos feelings. Conhecemos a nossa protagonista chamada Marin, que esta vivendo atualmente no alojamento da faculdade pois não tem uma casa para retornar nas férias, não tem um lar, pois seu único familiar que era seu avô acabou de falecer. Com o desenrolar da historia encontramos outra personagem que se chama Mabel, por sinal uma personagem que é muito importante na vida da protagonista, pois entende-se que ambas tiveram sentimentos romanticos uma pela outra, mas a historia não para por ai, quanto mais se avança mais se descobre o passado de Marin e Mabel juntas e o que levou nossa protagonista a se aprofundar tanto na tristeza e como seu avô já falecido tem uma certa culpa nisso tudo.

O que mais me agradou na historia é toda contada em primeira pessoa e descrito tão detalhadamente os sentimentos. A autora Nina LaCour conseguiu passar muito bem a profundidade da solidão de Marin e como a mesma se sentia sempre tão incompreendida. A obra de Gabriel García Márquez, cem anos de solidão esta sempre sendo citada em algum momento no livro por Marin e também temos a historia de Jane Eyre sendo lembrada e citada a todo momento por ambas (Marin e Mabel), o que dá um toque de realce ao sentimento de solidão e tristeza.

O final foi algo inesperado, de inicio quando terminei a leitura não gostei, mas depois ao dar uma segunda lida no final acabei achando justo e merecido para Marin que pode finalmente encontrar o '' estamos bem '' da sua historia.
comentários(0)comente



Fe Greco 31/12/2020

Nada
Já viu um livro onde não acontece absolutamente nada? Pois bem...
comentários(0)comente



@sentiroslivros 01/06/2020

Ninguém tá bem.
Ao pegar Estamos Bem, obra escrita por Nina LaCour e publicada pela Plataforma 21 (cuja capa com ilustração de Adams Carvalho conseguiu sintetizar a obra em perfeição), não fazia ideia que era temático LGBTQIA+ e fiquei encantada com a opção da autora por não alardear o fato. A trama dá um tom suave a todos os relacionamentos da personagem principal, não apenas ao amoroso.
Marin foi para a faculdade antes do previsto, perceptivelmente por fugir de algo, mas o recesso de fim de ano chega para que ela encare o que aconteceu e assim consiga seguir em frente. Para termos uma percepção clara de seus traumas, o livro intercala os capítulos entre presente e passado. Sabemos os seguintes fatos: sua mãe faleceu, ela morava com o avô e tem uma (ex-)melhor amiga ? Mabel, a qual evita de tal forma, que faz com que o contato entre ambas cesse. Mabel decide visitá-la por um fim de semana antes de ir para a casa dos pais. Nesse reencontro regado de desconforto e nostalgia, Marin se depara com as questões não resolvidas que tanto recusa.
?Tentei sorrir, mas falhei. O problema da negação é que, quando a verdade chega, você não está pronta.?
Uma obra repleta de significados, desde os diálogos até os silêncios. Temos acesso direto aos pensamentos da personagem principal, o que nos dá o real tamanho da depressão em que se encontra. A solidão atua como protagonista junto com Marin. No desenrolar da trama, somos expostos a todas as feridas que ela achava não ter como curar, que por existirem já estavam resolvidas. Marin se considera um fardo, então estar sozinha é seu destino.
É maravilhoso todo o seu processo de cura. Mesmo não tendo ajuda profissional, o que é indispensável em casos como esse, ela assume para si o problema, quer melhorar, e tem que se abrir para se redescobrir, em meio a todo o caos em que a dor a transformou.
comentários(0)comente



FMJ616 27/07/2020

Sobre negação.
A negação da perda, da dor. A fuga sos sentimentos que oprimem. A saga da solidão. A beleza nas coisas frágeis da memória. Laços e família.
Um livro belíssimo.
Chorei bastante. De início pq eu procurava ali algo q nunca tive, identificar algum afeto semelhante que sei que jamais possuí.
Me parei pensando no quão cheias de sentimentos são pessoas quebradas como eu e a Marin. E a vontade de olhar e dizer a ela que estamos bem, mesmo não estando.
comentários(0)comente



readwithcoffee 04/01/2021

A história é razoável, não me conectei muito com os personagens e achei aquele final meio... er. Não criei expectativas por já ter lido algumas resenhas, mas mesmo assim esperava mais.
comentários(0)comente



Bruna Oliveira 16/01/2021

O livro é sobre perda, sobre não vivenciar o luto. Achei interessante a história, o livro é bem curto, a narrativa as vezes passa muito depressa, não se aprofundando nas cenas. Senti que tudo ficou aberto, desde os sentimentos de Marin em relação ao amor, amizade etc...
É uma leitura para não criar grandes expectativas.

comentários(0)comente



Patrícia 14/06/2020

amei o livro. foi uma leitura rápida e gostosa, o ritmo do livro flui bem. queria que a hannah, uma personagem que praticamente não apareceu, tivesse tido um papel maior.
comentários(0)comente



cris.leal.12 28/03/2018

Esperava mais...
“Estamos Bem”, de Nina LaCour, conta a história de Marin Delaney, uma jovem da Califórnia que foi criada pelo avô e está passando por uma dor profunda por causa de sua morte. Não conseguindo suportar o sofrimento, ela abandona a casa e os amigos, e apenas com o celular, a carteira e uma foto da sua falecida mãe, se dirige à Nova York, onde só deveria chegar algumas semanas mais tarde para iniciar seus estudos universitários.

Vamos acompanhando o exílio de Marin e percebendo, pelas suas atitudes e pensamentos, que algo além da morte do avô aconteceu e desencadeou o abatimento profundo. Mas, ninguém conhece o verdadeiro motivo da sua partida intempestiva. Apenas Marin sabe e, por isso, precisa se distanciar, dar um tempo, para tentar se recompor.

Depois de meses de total silêncio e solidão, o inevitável confronto com o passado acontece, quando Mabel, sua melhor amiga e por quem Marin é apaixonada, chega para uma visita. Feliz e confortável com a presença da amiga, Marin abre o coração e explica que sua dor emocional está ligada também a uma grande decepção que sofreu com alguém de sua total confiança. Tal fato, além de comprometer toda uma história de afeto, fez com que algo morresse dentro dela.

Com uma narrativa intercalada entre o presente e o passado da personagem principal, o livro é lindamente escrito e traz uma mensagem de amor e esperança no final, mas eu confesso que queria ter gostado mais dele do que realmente gostei. Não nego que há um bom suspense até a gente descobrir o que de fato aconteceu à Marin, mas a falta de profundidade deixou algumas pontas da trama soltas, mal explicadas. Além disso, o relacionamento entre Marin e Mabel não me cativou. Esperava mais!


site: http://www.newsdacris.com.br/2018/03/resenha-estamos-bem-de-nina-lacour.html
comentários(0)comente



185 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |