O Exorcista

O Exorcista William Peter Blatty




Resenhas - O Exorcista


431 encontrados | exibindo 121 a 136
9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |


Marquito â¤ï¸ 13/10/2020

"Salvem a garota..."
Presto as mais sinceras condolências e afeto à obra do William Peter. De verdade, é um tributo à literatura! Personagens MUITO bem construídos, uma narrativa muito fluída - de verdade, me senti vendo a um filme - e um enredo muito bom!! O final foi um tanto surpreso, mas me arrancou algumas lágrimas, confesso ?? Entretanto, considerei uma obra um pouco pesada para determinados públicos, como o infantojuvenil e, pasmem, alguns cristãos não se sentirão bem com algumas colocações do livro. Em suma, a mais envolvente obra de arte de 2020!
comentários(0)comente



Anderson 26/04/2016

CAMPEÃO COMO O MAIS ASSUSTADOR
Se você já viu o filme, aquilo foi um passeio no parque perto do livro. Algumas passagens são pesadíssimas, envolve religião e blasfêmia, quem for muito religioso, fuja desse livro. junto com Horror em amityville, esse foi o livro mais perturbador que eu já li.
Craotchky 26/04/2016minha estante
Achei Horror em Amityville bem mais assustador.


Anderson 27/04/2016minha estante
Pois é, algumas partes horror em amityville ganha




Mary 16/10/2020

Perturbada...
Sou uma estudante de psicologia católica e medrosa ? li pra um projeto, nunca ia pegar um livro nesse estilo por conta própria, e fiquei muito angustiada, não por causa do medo (não me causou tanto quanto eu esperava), mas sim pelas obscenidades e profanações, não vejo um futuro onde essas imagens vão sair da minha cabeça. Mas enfim, consigo ver o porquê desse livro ser um clássico tão aclamado, muito bem escrito e construído, apenas não pra mim
comentários(0)comente



Patrick 30/01/2019

O Teste do Tempo
Não há dúvidas de que, no ramo literário e cinematográfico, poucas são as obras do gênero terror mais influentes do que “O Exorcista”, de William Blatty. Escrita em 1971, a obra estimulou a criação de diversos outros livros e filmes, além de popularizar muitos elementos que se tornaram icônicos e, de certa forma, clichês nos anos vindouros.

A história é bastante famosa: Chris MacNeil é uma atriz de cinema divorciada que, no auge da carreira, vê sua filha, Regan, apresentar estranhos sintomas. Relatos de um amigo imaginário, chamado Howdy, mudanças no comportamento e na personalidade, alteração na voz e outros fatores fazem Chris procurar todas as ajudas possíveis. Porém, nem médicos nem psicólogos parecem chegar a alguma conclusão. Seria esse um caso de possessão demoníaca?

Um dos pontos altos do livro está na dicotomia: o que Regan tem é possessão ou um caso grave de distúrbio mental? Blatty faz um ótimo trabalho na hora de manipular as suspeitas do leitor em boa parte do livro. Destaca-se, também, os diálogos, que sempre demonstram a personalidade de cada personagem e parecem apropriados às situações no livro.

Outros personagens aparecem no decorrer da história: Burke Dennings, amigo e diretor de alguns filmes encenados por Chris; Sharon, auxiliar e professora particular de Regan; Karl, mordomo calado e misterioso da família; Kinderman, detetive sagaz que nunca vai direto ao ponto em suas entrevistas e, principalmente, Karras, personagem que tem sua importância cada vez maior à medida que a história avança e um conflito interno muito interessante de se acompanhar: a dúvida sobre sua própria fé.

Porém, o livro também comete alguns deslizes. Primeiramente, o leitor sabe com relativa precisão para onde a história vai se encaminhar, ou seja, há poucas reviravoltas ou mudanças impactantes na trama. Algumas cenas também parecem ter pouca ou nenhuma relevância para a continuidade da história. Além disso, o arco envolvendo Kinderman é pouco desenvolvido, pois suas aparições com outros personagens prometem alguma descoberta ou conclusão que possa abalar os ânimos dos leitores. Contudo, ao final da leitura, a sensação que fica é a de um leve desperdício em relação ao potencial do personagem.

O Exorcista é um livro icônico do terror. Apresenta excelente ritmo, além de não ser nem apressado nem arrastado, conter uma trama envolvente e temas abordados com profundidade – sem se tornarem entediantes. Apesar dos pormenores, a leitura flui bem e, no fim, a obra de Blatty se sustenta no teste do tempo como referência do terror, mesmo décadas após seu lançamento.
comentários(0)comente



mrdarthluke 14/07/2020

O sangue de jesus tem poder
Na moral é um livrão da porra. Algumas partes morri de rir e outros tava que não passava um wi-fi. Por causa dele falei com JC pela primeira vez real.
comentários(0)comente



Juliana 19/01/2015

O livro vai além do terror
Logo de início percebi que a história ia muito além do terror, pois o livro trata dos aspectos psicológicos, filosóficos e religiosos da doença/possessão de uma maneira brilhante.
Como sou uma pessoa cética, acostumada com livros e filmes de terror, comecei a leitura a noite achando que não ficaria assustada com a história. Porém, acordei às 3 horas da manhã nesse dia e quase não consegui mais dormir.
As descrições das cenas são bastante marcantes e acho que vão ficar na minha memória por um bom tempo.

Enfim, li por recomendação do canal da Tatiana Feltrin e achei uma ótima leitura, super rápida, com muitas reflexões sobre a morte, a crença e a capacidade da mente humana.
=D Amei.
comentários(0)comente



Lucas L. 13/02/2015

Cuidado!
O livro vai além de uma simples "história de terror". O mais engraçado é que em determinadas partes você fica "ela realmente está possuída", então vem os médicos e dizem outra coisa e você fica "não, ela só está doente. Ela não está possuída". O livro te lança uma intriga e te prende. Você lê e pensa "vou ler só 10 páginas", e quando vai ver já leu 50! É o tipo de livro que se você está lendo sozinho na sua casa, você começa a ouvir barulhos, sentir presenças, ter pesadelos... É mágico. Mesmo quando você não está lendo você continua com medo, e mesmo com medo você volta a ler pra querer saber da continuação mesmo sabendo o final. A leitura é realmente muito pesada, mas muito boa. Antes de julgar um livro no qual que você nunca leria por se tratar do demônio, pensa que Deus vence o mal e ele também se faz presente. A história é intrigante. Recomendo!
comentários(0)comente



Rei 19/07/2020

Um livro que surpreendeu
Excelente livro, te empolga tanto que li com 3 dias!
O final acaba que deixa aquele gosto de quero mais, não por ser um final fraco mas pelo livro ser muito bom !
Recomendo demais e bora pro legião agora ??
comentários(0)comente



Lary 23/07/2020

"Nunca vi tamanha fé antes na minha vida."
Demorei um pouco pra ler essa obra pois algumas coisas precisam de um tempo pra ser processadas, e para que você possa se recuperar do que acabou de acontecer. Uma coisa não posso negar, esse livro me prendeu como nunca, e acabei me apaixonando. Angustiante, um pouco nojento, mas filosófico. Você se pega divagando em diversas partes e sofre muito com os personagens. Sem dúvidas Padre Karras é então um dos meus preferidos, como a obra toda em si. Muito feliz por ter seguida com essa leitura, super recomendo.
comentários(0)comente



Kamilla :) 30/07/2020

Amei!
Não é tão assustador como pensei que seria. Os personagens são ótimos, mas senti falta de um aprofundamento sobre o Padre Merrin.
Achei que não ia conseguir dormir, acabou que não conseguia parar de ler mesmo hehehehe
Ótimo livro! E o filme da mais medinho
comentários(0)comente



Renisson 19/12/2020

Existe alguns pontos que me fizeram gostar muito deste livro.
A escrita do autor é um ponto que vale destacar, com características como o seu andamento do livro que segue no mesmo ritmo, fazendo assim perceber no livro o seu início, meu e fim com clareza.
Um outro ponto positivo nesse livro são os poucos personagens isso deixa que não se perca o foco na história.
A forma como a possessão é relata de forma gradual é outro ponto positivo, ele vai nos preparando ao ápice da história. Contudo o livro não é tão intenso como o filme, se esperar por isso vai se decepcionar.
comentários(0)comente



Patricia 05/12/2020

Chris MacNeil, uma atriz que sofre com inesperadas mudanças no comportamento da filha de 11 anos, Regan. Quando todos os esforços da ciência para descobrir o que há de errado com a menina falham e uma personalidade demoníaca parece vir à tona, Chris busca a ajuda da Igreja para tentar livrar a filha do que parece ser um raro caso de possessão. Cabe a Damien Karras, um padre da Universidade de Georgetown, salvar a alma de Regan e ao mesmo tempo tentar restabelecer a própria fé. 📖 Eu gostei do livro, mas até hoje nenhum livro de terror me deu medo...então por mais que goste da leitura eu prefiro os filmes desse gênero.
comentários(0)comente



Thiago 13/07/2020

Emocionante
Que livro, emocionante, amedrontador, um profundo mergulho em cavernas escuras da mente humana, do que existe ou de algo estranho que lá habita.
comentários(0)comente



Paulo.Ricardo 02/03/2016

O título remete a um livro essencialmente de terror, mas muito mais do que isso, é um livro que trás muita informação histórica a respeito de possessões demoníacas, bem como a posição da Igreja Católica quanto a esse fenômeno paranormal. Como se isso não bastasse, o livro aborda também questões psiquiátricas que dizem respeito disso, e que na maioria das vezes pode ser "apenas" uma doença mental com manifestações horrendas, o que, por sua vez, alimenta a imaginação das pessoas a respeito de uma suposta presença demoníaca.
comentários(0)comente



Nanda 22/03/2020

Apaixonada
Esse livro é sensacional e a adaptação pro cinema INCRÍVEL
comentários(0)comente



431 encontrados | exibindo 121 a 136
9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |