Rosas de Maio

Rosas de Maio Dot Hutchison




Resenhas - Rosas de Maio


116 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Morganna Castro 12/10/2021

Diferente
Li esse livro que foi tão esperado por mim achando que seria LITERALMENTE uma continuação do primeiro. Personagens estão aqui mas não gira exatamente em torno delas, e falando nelas espero que tenha um desfecho no próximo.
É sim um bom livro, mas me pergunto porque sempre temos referência da natureza, não que eu não goste mas é uma característica diferente.
Gosto da construção dos personagens mesmo que um tanto prolixo por vezes.
Não chorei, mas me senti feliz com tudo. Apaixonei e detestei personagens
Foi uma leitura interessante.
comentários(0)comente



Lela 07/10/2021

Após O jardim de borboletas temos uma trama bem morna com Rosas de maio.
Acho que a autora se perdeu um pouco sem saber se escrevia uma continuação de fato ou se fazia um livro independente com pequenos links com o primeiro livro.

Achei algumas coisa forçadas e nada críveis, como toda a relação próxima entre agentes do FBI e vítimas.

A narrativa da Pryia é monótona, sem grandes acontecimentos e pistas pra envolver o leitor na investigação.

Enfim... Decepcionou...
comentários(0)comente



Bru | @serialivros 02/10/2021

A continuação
Esse livro é uma continuação de Jardim das Borboletas

Eu estava com saudade de alguns personagens de lá e a mistura das histórias foi sensacional!

Não só eu estava ansiosa para descobrir sobre ele, como também a narrativa do autor continuou excelente

É o tipo de livro que você consegue ler em um dia, por não querer parar de ler de jeito nenhum
comentários(0)comente



Lary 24/09/2021

MARAVILHOSO
"Se alguma coisa tentar destruir essas garotas, elas vão botar fogo no mundo, e tudo vai cair junto com elas"

??Gatilhos: Assasinato, suicídio, assedio, estupro, alimentação compulsiva (podem ter mais que eu não me lembre agr)??

Classificação indicativa (minha opinião): +15/16

Bom, eu sou suspeita pra falar dessa autora ksskskskksksks, mas juro, é muito bom, a escrita é otima, personagens incríveis e bem construidos.
A autora conseguiu me enganar direitinho, por mais que eu tinha desconfiado que esse cara poderia ser o assasino, acabei achando que talvez eu estivesse apenas paranoica com isso de descobrir quem era o assasino, mas meu Deus, teve uma hora que eu tinha certeza de que sabia quem era, e gnt, jdjdkdkdkdkdkdkdjdk eu não preciso nem dizer que estava errada né? Kskskskssk.
Pra quem quiser ler, leiam " O Jardim das Borboletas" primeiro, pois alguns personagens que eram protagonistas fazem uma boa Aparição nesse livro, e é melhor pra entender muitas coisas que acontecem.
E pra quem já leu O Jardim das Borboletas, e quer saber como ficou o caso das Borboletas, leiam tbm, pois em vários momentos eles falam de como está o julgamento e etc, e para quem gosta da Bliss e da Maya/Inara, elas tbm aparecem bastante.
comentários(0)comente



Cinde.Costa 20/09/2021

É uma história que funciona, mas cativa pouco.
"Rosas de Maio" tem, na minha opinião, um acerto e duas fragilidades. O acerto diz respeito ao sentido de continuidade da história anterior. Mesmo que o FBI tenha um novo caso e se concentre nele, temos notícias do que aconteceu com as sobreviventes do Jardim das Borboletas, sobretudo, no que tange à Maya. Ela e Prya vão se aproximar pois ambas são sobreviventes. Narrativamente, funciona, faz sentido e garante uma espécie de "missão cumprida" da história anterior. Por outro lado, o texto apresenta duas fragilidades: uma, é a sensação incômoda de déjà-vu, ou seja, você lê e pensa que a história anterior era muito parecida em sua estrutura. Vejam: em "Rosas de Maio", o criminoso tem outro modus operandi e outras motivações, mas a psicologia do crime e a aproximação com as personagens da trama anterior faz parecer que estamos lendo a mesma história e não outra. Logo, as querelas nas quais a Prya se envolve não parecem urgentes ou funcionais. A gente se compadece, claro, mas não me senti próxima da personagem ou focada nela.

A segunda fragilidade, diz respeito ao pacto com o leitor: ele é quebrado. Até então, a investigação do FBI e o relato em primeira pessoa da Prya funcionavam. Mas, no desfecho, existe um plot que não é condizente com o que eu tinha lido ou aprendido sobre os personagens. Logo, toda a história muda de sentido e precisa ser revista sob nova óptica.

RECOMENDO, mas a trama é menos crível que a antecessora.
comentários(0)comente



Helen.Souza 20/09/2021

Esse livro tava na lista fazia um tempão, li O Jardim das Borboletas mas não consegui pegar esse pra lê. Eu gostei, de um jeito, não foi algo surpreende mas a escrita, o enredo, os detalhes, a construção até do serial killer foi boa, muito boa. Nunca teria pensado nisso. Quanto aos personagens, eu gostei muito do detetive Eddison, gostei do trio Quântico no geral e imaginei um filme incrível e como seria se tornassem reais, me cativaram muito e eu queria muito ver mais deles. Priya foi um foco da história, gostei dela também. Gostei do livro, contém gatilhos pra estupro e suicídio então cuidado com quem for ler. Por já ter lido muitos livros dessa temática meio suspense e policial não teve um plot surpreendente de arrepiar os pelos do c# mas é satisfatório.
Alice 18/10/2021minha estante
eu ri do ?arrepiar os pelos do?? ?




Natty 17/09/2021

Esse é a continuação do ?jardim das borboletas?, onde vemos o que aconteceu com as sobreviventes do livro anterior e descobrimos um novo assassino. Eu amo a escrita da autora e como ela não deixa pontas soltas, simplesmente maravilhosos, vale a pena ler.
comentários(0)comente



Geovanna 12/09/2021

Não é tão bom quanto o primeiro
Eu cheguei até a abandonar o livro, mas voltei por que mostra um pouco do que s borboletas tem passado. A Priya é uma protagonista interessante mas a história em si não é muito cativante. Aqui a graça do livro era descobrir quem era o assassino, coisa que eu fiz na primeira aparição do personagem.
A minha opinião é que a autora acertou nos personagens, são adoráveis (Até a Deshani que eu tenho certeza que é uma sociopata ), mas errou a mão no enredo.
comentários(0)comente



Miry 09/09/2021

Foi bom, mas né
Olha, a história é boa. Gostei muito da Pryia e foi muito legal rever as meninas do primeiro livro e a forma como elas estão superando.

Mas é o que eu digo, um thriller pra mim só e favoritado se me surpreender. E nesse livro eu descobri quem era o assassino e eu sou a pessoa mais burra pra descobrir.

Foi um pouquinho chato, mas foi uma ótima leitura. O primeiro ainda acho melhor que esse. Mas pensar que vc recebe todos os dias flores correspondentes aos assassinatos, é realmente assustador.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Aly 03/09/2021

Este livro é a continuação do livro ?O Jardim das Borboletas? e, diferentemente do primeiro, é apenas bom. E não muito bom.

O Jardim das Borboletas foi uma leitura incrível e contou com uma protagonista que cativava, que me fazia querer ler a próxima página sem parar.

Já Rosas de Maio foi uma leitura mais cansativa? e tem alguns motivos para isso: 1. A protagonista perdeu a sua irmã mais velha e toda a sua vida é resumida nisso. Tudo o que ela fala é sobre isso. É sempre a irmã. E ler um livro de 300 páginas assim não é algo que prende o leitor. 2. A rotina da garota por si só era entediante. Casa, xadrez e Starbucks, praticamente. Poucas coisas realmente relevantes aconteciam nesse meio tempo. 3. O único suspense que reinava diariamente na vida da menina eram os buquês que recebia. Não foi como o outro livro, que te fazia sentir várias coisas (a maioria não tão boas) durante a leitura.

Em Rosas de Maio tive a impressão de ficar em uma eterna espera, apenas aguardando o desfecho do final (que foi até ok). O ponto alto do livro foi o ponto de vista do assassino, e como ele escolhia e matava as suas vitimas. Foi interessante entrar um pouco na mente dele.

No mais, é um livro ok para ser lido.
Marcela.Gomes 20/09/2021minha estante
Tô lendo e achando o mesmo.




MariBrandão 01/09/2021

Não vi esse livro como uma continuação, de fato, do Jardim das Borboletas.

Está num mesmo universo, com a mesma equipe de investigação e as meninas do primeiro livro inclusive aparecem, mas esse volume não veio para dar continuação à história delas. No máximo trazer algumas informações sobre como elas ficaram após o final do primeiro livro.

Rosas de maio é sobre Priya, sobre como a vida dela vira de cabeça pra baixo quando a irmã é assassinada. Sobre lidar com essa perda e também com a do pai. Sobre viver sem conseguir confiar nos outros, e buscando justiça, ainda que nos próprios termos.

Gostei muito dos personagens, a interação entre a equipe é muito boa. Priya e a mãe dela!! Os veteranos sempre simpáticos! Muitas pessoas queridas que ajudaram Priya a superar muita coisa e também a chegar ao seu objetivo.
Marcela.Gomes 05/10/2021minha estante
Embora não seja continuação no sentido de trazer fatos muito relevantes sobre o primeiro livro, achei que caso a pessoa não tenha lido o primeiro, vai ficar meio "???" sabe? Achei que tem muuuuuuuuito do jardim pra ser considerado um livro que pode ser lido separadamente...


MariBrandão 05/10/2021minha estante
Acho que realmente traria uma curiosidade sobre o primeiro! Mas ainda assim com uma história só dele!




Beclavi 31/08/2021

Decepcionante.
Li o primeiro livro, O jardim das borboletas, há uns anos e fiquei apaixonada pela trama, um favoritado. Assim, fui com altas expectativas. E todas foram frustradas.
Primeiro, acredito que não havia necessidade de uma continuação para o primeiro livro, o final era bom e o resto ficava na imaginação. Além disso, o segundo livro não traz grandes revelações. A autora poderia muito bem ter escrito outro livro sem ser uma continuação.
Uma coisa que me estressou a leitura inteira foi esse relacionamento dos agentes com as vítimas, para mim, é super no sense e falta de profissionalismo, se ela queria humanizá-los que fizesse de outra forma, sem ser tão exagerado. Também me incomodou um pouco essa afirmação toda hora sobre a mãe da personagem, beleza, já entendi que ela é brava e badass, não precisa dizer isso a cada momento que ela é citada.
Além disso, não consegui me apegar a nenhum personagem, só gostei dos velhinhos do xadrez. E vamos concordar que o assassino era óbvio, pois é o único personagem "aleatório" e que por acaso aparece sempre no café.
Enfim, decepcionada.
comentários(0)comente



Letícia 22/08/2021

Não é que ele seja o ruim o único problema foi que eu achei cansativo, eu só li pela leitura coletiva
comentários(0)comente



116 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR